SérieMorte: Samurai de Olhos Azuis - Mulan para Adultos

"Mulan para adultos" é exagero e ao mesmo tempo não. Isso pois conceitualmente, a trama de Samurai de Olhos Azuis é muito semelhante, e ainda por cima é uma série animada tão profunda e com uma temática tão séria, que consegue ser espetacular para adultos.


A Netflix produziu isso, e é mais uma das obras magníficas que eles trouxeram a público. O triste, é que termina, mas termina com espaço pra continuar, e essa obra precisa de uma continuação urgente.

Falarei tudo o que achei sobre, então...

Boa Leitura.

A sinopse da Netflix comete um erro que eu não gostaria de repetir, porém é muito difícil falar sem revelar o maior segredo de todos, o que gera a comparação com Mulan.

Se conhece a obra da Disney, deve saber bem do que tô falando. Então vamos brincar de não citar a verdade sobre o samurai até o fim.


Acontece que, a obra não fica presa nessa ideia, a de uma pessoa escondendo a verdade do mundo para poder existir, e ao mesmo tempo, é exatamente isso que ela faz!

É que, o samurai esconde duas coisas, a primeira delas já está no título, os "olhos azuis", algo que já o faz sofrer preconceito durante a vida inteira, dentro do universo em que habita.


Um jovem nascido da miscigenação proibida entre alguém do ocidente e oriente, em um período feudal em que o Japão tem suas portas fechadas pra qualquer homem branco. De um pequeno erro, surgiu essa pessoa com características incomuns, e constantemente comparada a um demônio, apenas por ter olhos maiores e mais claros.

Com essa marca no rosto, o jovem sem futuro algum, luta pra sobreviver, crescer, e finalmente se vingar. Não da sociedade, não do preconceito, mas de quem o colocou no mundo, seu pai.


Só que sem saber quem era, ou onde ele estaria (pois todos eram clandestinos escondidos naquela terra) tudo que o protagonista sabe é que apenas 4 homens brancos estiveram no Japão naquele tempo, e os 4 são seus alvos. O samurai os caça, e assim a trama anda.


Uma Mensagem Oculta


E a série fala disso, um samurai surreal, que domina TODAS as técnicas possíveis, e ainda é todo "machão", sentando a espada em geral.

Logo, a diversão está em assisti-lo agir, enquanto conhecemos pouco a pouco seu passado, com histórias contadas em paralelo ao seu presente com sua evolução ocorrendo em tempo real.

Exatamente como em toda obra de samurai, não é um conto com heróis e vilões, e sim com várias pessoas vivendo, cometendo erros e acertos baseados em suas próprias ambições, e dessa forma, o protagonista segue cegamente seu próprio objetivo.


É algo lindo de se acompanhar, e também muito triste, pois em vários momentos rolam situações sem o mínimo de compaixão, com direito a inocentes se ferindo e morrendo gratuitamente, tudo pra passar uma mensagem.


Unindo uma arte 3D com 2D, o visual chega a parecer com o de Onimusha (que inclusive tem um conceito parecido, com samurais e afins), mas é diferente, pois é menos realista (em arte), e muito mais artístico, porém igualmente belo.

Mas as histórias se distanciam e muito, afinal Samurai de Olhos Azuis é mais realista em enredo, sem apelar pro místico. Tudo é muito mais pé no chão, com cenas cruas e nuas, violência de sobra, e veracidade historicamente.

A trama é puxada pra algo muito mais verdadeiro do que normalmente se vê em animações. Até mesmo nos combates, não vemos o personagem virando um ninja do nada, ele luta, e muito, além de ser muito bom em tudo que faz e sabe, nos convencendo rapidamente de suas habilidades. Porém ele ainda é humano, ainda é um "homem", ainda é mais que um mero samurai.


Mesmo sendo espetacular, ele se fere, suas armas se quebram, suas habilidades encontram limites físicos, e até morais em certas situações, e seus erros causam consequências graves para si. Sem contar, que há outros personagens que entram em seu caminho, que acabam por interferir em seus planos, e viram fraquezas também.


Um guerreiro forte, mas limitado por seu corpo, e por seus acessos. A série sabe construir as dificuldades do mundo real mesmo, na época e na sociedade dele, e não ignora isso só pra nos entreter com combates.


Lógico que isso acabaria criando uma canseira enorme, com algo provavelmente repleto de diálogos e meio chatinho de se assistir, mas justamente pelo contrário, o fato de ser tudo mais real, faz ser também mais imersivo, e nos colocamos facilmente na pele do protagonista, e seus coadjuvantes.


Há horas em que tememos pelos personagens, pelas possibilidades, e também pelas escolhas que fazem. Eles não estão apenas seguindo roteiros, eles estão vivendo, e só assistimos suas vidas. Isso é uma história bem contada.


Ela se constrói com calma, contando o que precisa em cada episódio, sem pressa alguma, mas também sem enrolação alguma. Tudo acontece no tempo exato em que precisa acontecer, pra manter nossa atenção.


Revela o que deve, quando deve, e ainda nos impressiona com as verdades. Tudo acontece pois precisa acontecer.


Nudez e Baixaria


A série animada (eu não chamo de anime pois, está muito longe disso) tem muita, mas muita nudez, masculina e feminina, e tem grande conotação sexual sempre. Na verdade, acho que The Boys e Game of Thrones tem até menos nudez (exagero).


São vários desenhos pelados poxa, mas acredita que tudo funciona dentro do que é pedido e sem gratuidade?! A história precisa desses momentos (talvez nem todos, aquele do lago era totalmente desnecessário), e usa esses momentos não só pra impressionar, mas pra contar algo importante.


A revelação do protagonista no final do primeiro episódio por si só, poderia ser algo mantido em segredo até o fim da temporada, mas optaram por tornar aquilo em total evidência e explícito, para que não houvesse dúvidas.


E isso serve para que conheçamos ele em seu íntimo, e também entendamos a real natureza contra a qual luta. Depois, sempre que vemos mais da sociedade japonesa da época, mais tememos por ele, mais nos aproximamos dele, e mais nos maravilhamos com sua força.


Ele luta contra o passado, contra o presente e contra o futuro, ainda por cima tendo preocupações que não pode compartilhar com ninguém, e até seu próprio emocional entra em atrito com seus objetivos. Imagina a bomba que existe na cabeça dessa pessoa.


Chega a dar orgulho, e não só dele, de todos. Há uma princesa que aparece na trama e precisa encarar a realidade, que por mais que soe como coadjuvante, é também uma protagonista, em sua própria história, e suas cenas mostram muito mais que mero sexo ou romance, são cenas que mostram a força dela como mulher, e seu crescimento como pessoa.


Só que não tem nada de "empoeiramento feminino" aqui, o que vemos vai muito além disso. São pessoas independente do gênero, lutando pelo que acreditam, e indo além de seus limites, as vezes deixando o orgulho de lado, para conquistar o que almejam, e as vezes cedendo aos desejos, e aprendendo com as consequências.


Violência e Ação


Referente a ação, é algo sublime de se assistir! 


A princípio temos combates de espadas, que não são aquelas lutas mentirosas cheias de cortes tortos e aleatórios, e sim ataques precisos, mirando partes vitais, exatamente como era com os samurais.


Então começam a surgir novas armas, novos estilos de luta, novos desafios, e o protagonista vai mostrando sua desenvoltura, sempre impressionando muito, e se adaptando.


O uso da câmera também é muito bom, tendo posicionamento muitas vezes incomum, mas tão interessante que mais parece um filme de artes marciais.


Sem contar, que eu percebi certa inspiração nas obras do Tarantino, principalmente no quesito musical. Tem um episódio, se não me engano o 5, em que tocam simplesmente METALICA (na verdade, tocam um cover cantado em japonês de "For Whom The Bell Tolls", por Emy Meyer), e é épico. Faz lembrar Kill Bill, e até a forma como montam as lutas lembram filmes do tipo.


Exagero gráfico, tripa pra todo canto, sangue e muita morte, mas ainda com o pé no chão. É belo!



São apenas 8 Episódios


Com episódios de 40 minutos em média, a experiência é como um filme, que passa muito rápido.


A história aqui se limita a contar a jornada do protagonista na caçada aos seus pais, mas nos mostra apenas 1 deles. Um já teria sido morto por ele (e não temos flashback disso, ou seja, é algo ainda a se revelar) e os demais são meramente citados por nome. Isso faz com que entendamos o quão difícil é sua jornada, por mais forte que ele seja, ainda mais quando nos mostram que o pai dele também tem sua ambição, com seu próprio desenrolar.


Além disso, há muitos elementos e personagens legais, como a Espada de Meteoro que ele mesmo forjou; seu aprendiz sem mãos; o seu rival e... algo mais; seu mestre ferreiro cego... cara, tem tanto nessa história que é difícil destacar o que é importante ou não.


Tudo é importante, pois tudo tem sua hora pra ser contado, e isso faz render cada segundo assistindo.

E, bem, o final acaba sendo um bom encerramento, mas assim como toda história de samurai, nunca tem um fim feliz. Ainda por cima temos uma tremenda abertura pra continuação, que eu tenho absoluta certeza que existirá (precisa existir uma segunda temporada), e ainda há muito pra contar.


Mas o que é contado aqui é completo, com começo, meio e fim, sem pontas soltas, sem reviravoltas misteriosas para nos deixar na expectativa por mais, nada disso. A gente acaba querendo mais, pois é simplesmente muito bom, e esse universo é historicamente preciso e interessante de mais de acompanhar. Toda a ideia da colonização, choque de cultura, mescla de armas e raças, tem muito pra explorar ai.

Enfim, eu recomendo de mais, e estou ansioso por mais.


Obrigado pela leitura, e viu, eu não contei o segredo, pelo menos não diretamente.

See yah!

Postar um comentário

8 Comentários

  1. Eu vi o que você fez ai...achou que eu não ia perceber? tá tão obvio que seja a doer, EU VI, EU VIIII (eu vi)
    Po agora que contou o segredo perdeu a graça, aff, eu ia assistir achando que ia ser só parecido com mulan e agora eu percebi que é literalmente igual
    Brincadeira, vou assistir sim, terminei de assistir Invencível (foi dificil mas terminei) e percebi que adoro violência, será que isso é um problema? sei la, é mo daora porque em desenhos a ação é como nos jogos, é tão cheia de detalhes, é fluída, é legal demais cara, agora com atores reais é tipo, ah sei la, é um ser humano lutando, parece chato (eu to ficando maluco).
    Enfim vou assistir, em algum momento, talvez eu espere chegar a segunda temporada porque eu odeio esperar, mas acho que vou assistir, to sedendo por sangue (credo).


    Que horror, os bixinho fica tudo pelado mesmo, seloko esperava por essa não zé kkkkk
    É isso, see yah!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E olha que eu tentei esconder rs. Mas não pode dizer que dei spoiler!

      Eu meio que fiquei chateado ao ver a sinopse antes de assistir, pois eles falam na cara tudo... ai não. A série tem mó trabalho pra manter o mistério e os caras jogam na sinopse!

      Eu ainda não vi a segunda temporada de Invencível... boa ideia viu.

      Te entendo, animações, ainda mais quando se libertam da censura, pegam bem pesado no gore. Quem curte fica feliz rs.

      Espero que goste quando assistir sr Wilson, torcendo pra que goste.

      E é, tudo peladão kkkkk. Todos os personagens ficam pelados em algum momento... menos o tio cego.

      Excluir
    2. ''Quem curte fica feliz'' Hablou muito agora Sr! (não ironicamente).
      Mano não recomendo a segunda temporada de Invencível, achei meio bostinha, Mark ficou nerfado, apanha pra qualquer um, e tambem, a melhor parte da temporada é o final KKKKK, sério, juro pra tu, é os ultimos 20 minutos do ultimo episódio, que é o gancho pros próximos 4, que provavelmente vão ser bons mesmo, fiquei bolado com isso, os caras me deixaram animado nos ultimos minutos, deu até desanimo porque não tem nem data pra vir a continuação...cagaram mto nessa



      Mano...Imagina se um tio cego ficasse pelado também? Se tu falasse que geral fica pelado inclusive os véio, seloko, ia bater um desanimo de assistir kkkkkk.
      Masok, vou assistir, e depois venho falar oq achei (pode ser que seja amanhã ou daqui a 2 meses...kkkkk).

      É isso, see yah!

      Excluir
    3. Poxa, eu tava até pensando em começar o quanto antes, mas se nem tem final, fica sem graça assistir.

      Vou ver o que faço, mas igualmente fiquei meio curioso.

      Assiste sem medo sr Wilson! Só tem os balangandã balançando e um monte de pêssegos e abóboras. Tosco mesmo são os polvos, mas fica sussa que não tem nada tão explícito... na real tem... mas nada traumático... na real tem... mas vai na fé.

      See yah rs.

      Excluir
    4. KKKKKKK ai mano eu to morrendo kkkkkkkk a cada ''na real tem'' eu ri mais alto kkkkkk pqp, vou na fé Sr! Aliás, curto demais as suas recomendações pra animações, por favor recomenda mais (to de férias e não tenho o que fazer da vida)

      Excluir
    5. Sr Wilson, tamanho apoio realmente estimula sabia?!

      Vou ficar atento as animações legais pra partilhar, ou filmes, ou algo legal mesmo!!! Tipo, ter pra quem escrever torna isso tão mais divertido de se fazer.

      Obrigado amigo.

      Excluir
  2. Bem legal essa animação mesmo, assisti ela com bastante calma e no tempo que eu tinha quando chegava em casa. O final não me agradou tanto a forma como tudo ocorreu, o cara tinha um exército de pessoas com armas de fogo e no final parecia que ele estava sozinho. Não sei se foi problema do roteiro ou só burrice do personagem, mas parece que ele perdeu de trouxa só, tinha muito recurso pra usar e usou só pra se mostrar no início, depois deu uma de vilão clássico e foi resolver com as próprias mãos.
    Também não me convenceu tanto a forma como "o personagem" ficou tão forte, ele aprendeu todos aqueles estilos de luta só observando os clientes do véio? Enfim, são pontuações bobas até, considerando que o resto foi bem bom.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo totalmente com a burrice do vilão. Também achei esquisito um exército tão grande quanto o que ele tinha levado, todo armado, morrer pra um incêndio, enquanto outras pessoas escapavam. Aquele portão não seguraria geral.

      Foi um final meio forçado, mas acho que fizeram isso mesmo pra não dar cabo a ele ou ao protagonista, que em histórias do gênero encerraria a trama ali mesmo, com a vingança seguida da própria morte em sacrifício.

      Eu já achei muito louco ele dando uma surra em estudantes das artes alheias, por conhecer seus segredos. Tá, é forçado isso, mas ao mesmo tempo é uma força muito única desse personagem. Tipo, talvez ele tenha memória eidética! E uma capacidade de mimetismo única que o torna um destaque na época. Ainda não basta é claro, mas também tem o fator da limitação física dele, que apesar de acentuada em combates, ainda é lembrada como uma falha. Muitas vezes ele perde por ser mais fraco fisicamente, e vence por ter mais flexibilidade.

      Ainda deixaram em aberto um monte de coisas que poderiam explicar porque ele é tão habilidoso, e eu espero que na continuação contem mais disso. Ajudaria a aceitar tais adversidades.

      Sr Ed!!! Obrigado pela leitura sr!

      Excluir
Emoji
(y)
:)
:(
hihi
:-)
:D
=D
:-d
;(
;-(
@-)
:P
:o
:>)
(o)
:p
(p)
:-s
(m)
8-)
:-t
:-b
b-(
:-#
=p~
x-)
(k)