O Filme de Hoje: Mulan (2020)

Antes de mais nada, adianto que neste artigo deixarei minhas impressões, e não pouparei spoiler algum, tanto da animação da Disney, quanto desse Live Action. Mas eu também não falarei muito ta.

Além disso, muito além disso, preciso que entenda que, sua opinião vale muito mais que qualquer opinião crítica. Só você pode decidir o que é legal ou não, pros seus olhos...

Dito isto, bora falar de:

Mulan (Live Action)

Boa leitura.

Pense num filme incrível! este é Mulan, de 1998.

Nele, uma lenda chinesa é retratada de forma romântica por assim dizer, num musical animado da Disney, onde a personagem das lendas é incorporada e muito bem representada através de uma jovem esperta, determinada, e destemida.

Em resumo, uma garota chamada Mulan acaba se alistando no exército no lugar de seu pai, para uma guerra em nome do império chinês, tudo isso para salva-lo, por assim dizer. Na batalha, disfarçada de homem, já que mulheres não eram permitidas, ela se destaca e até mesmo vence a guerra, se convertendo num exemplo, um tremendo de um exemplo.

O que faz dessa animação algo tão incrível, não é apenas a antiga lenda de uma moça que se disfarça de homem pra ir a guerra, mas sim, o jeito como ela se prova e comprova ser mais do que capaz de batalhar pelo que acredita.

Ela não é musculosa, não tem poderes, não tem maestria com armas, e é até meio desastrada em seus afazeres básicos. Porém, ela é inteligente, astuta, e consegue contornar situações apenas raciocinando. Isso a torna uma peça chave na guerra, e também, um exemplo para seus colegas, os quais simplesmente crescem muito ao seu lado.

Mesmo depois que sua identidade é descoberta, e ela é punida pelo exército, a garota mantém sua postura, luta, e vence, chegando ao ápice de ser condecorada pelo imperador, e até mesmo, tem a honra de vê-lo se curvar perante ela.

Pensa em algo enaltecedor! Pensa em algo gostoso de acompanhar, e satisfatório. Eu cheguei a resumir toda a experiência de Mulan em outro artigo, então pra concluir: É épico.

Só que ai, na moda de criar "Live Action" da Disney (que são basicamente os mesmos filmes, as mesmas histórias das animações, só que com pessoas reais), era de se esperar que chegariam a refilmar "Mulan".

Com vários acertos, que podem não ter agradado a todos, mas de fato ficaram bem divertidos, essa nova aposta da Disney foi no mínimo, terrível.

Não se engane, o filme é... bem... eu queria dizer que ele é lindo, ele até tem bons efeitos e tem uma beleza visual, que praticamente pega o desenho animado e converte em pessoas reais... mas... ele não é não.

Muitos disseram que esse Live Action em particular seria muito diferente, pois iria se basear nas histórias antigas da Mulan, antes mesmo da animação, e iriam tentar retratar a lenda. Foi com esse pensamento que embarquei, e isso comprometeu minha experiência.

Era sim de se esperar um filme mais realista, mais pé no chão, mais pesado até, e quem sabe, mais dramático. Com o anúncio de que os mascotes da protagonista não fariam parte do elenco, e até mesmo haveriam vilões novos, e sem aqueles musicais clássicos, deu a entender que o filme seria sim, algo novo, algo completamente novo.

Mas não, ele é exatamente a mesma história da animação. Aquele conto mesmo, sem qualquer parte das "lendas reais". Na verdade, removeram os elementos fantásticos da obra original, pra incluir novos elementos fantásticos, que acabam prejudicando a trama.

Não quero ficar comparando o live action com a animação, mas no fim das contas isso é inevitável. Seria o mesmo que mentir, dizer que esse filme é diferente da animação, ou que ele buscou se inspirar nas lendas.

Tudo nele é composto pra lembrar a animação. Falas, cenas, até mesmo a narrativa, tudo é montado do mesmo jeitinho, na mesma ordem, e até com as mesmas ideias.

Um exemplo: Na animação, quando Mulan ta sendo forçada a se preparar pra ser uma esposa, ela é maquiada, enfeitada, e parece que vai tudo sair bem, até que na hora final, ela se atrapalha, estraga tudo sem querer, e irrita a casamenteira, sendo taxada de vergonha pra família dela.

Nesse filme, tudo acontece exatamente do mesmo jeito, até mesmo as maquiagens são postas na mesma ordem da animação. A diferença, além é claro de ser com pessoas reais, é que não tem cantoria. Removeram o musical, e pensaram que isso bastaria pra desvincilhar os dois trabalhos.

Não creio que a intenção tenha sido essa alias, pois se notarmos ao fundo, ouviremos a música em forma instrumental, os mesmos acordes da melodia do musical original. Isso até da um ar "realista", e é agradável, até mesmo nostálgico, e pra queles que não conheciam, passa despercebido.

Mas a referência e a obviedade de que aquilo é a mesma cena, isso não da pra descartar.

Todas as cenas do filme são assim, mas em alguns pontos, eles modificaram a forma como as coisas seriam mostradas, como a "superação de Mulan" ao mostrar aos demais soldados que ela é muito melhor que eles. E é nesse ponto que as coisas começam a ficar ruins, ao meu ver.

Apesar de ser uma cópia da animação, o filme busca fingir que é inovador, e cria coisas sem sentido algum. Por exemplo, Mulan!

Sim, a protagonista é um erro da obra que leva seu nome. Ela é literalmente uma super-heroína, com poderes mágicos, força sobre-humana, e habilidades de luta descomunais.

Ela é basicamente uma ninja da vida, chegando ao cúmulo de ser muito, mas muito mais poderosa e forte que qualquer soldado, e aliás, ela sozinha derruba um exército inteiro, LUTANDO (ta, metade dele foge por achar que ela é uma bruxa, mesmo eles mesmos tendo uma bruxa com eles, e a outra metade é esmagada por uma avalanche que eles mesmos provocam, mas ela mete a lança num monte de caras, voando).

Parece grandioso né? Empolgante e até uma ideia bem legal (pior que é meio engraçado). Mulan seria uma guerreira nata que sozinha, mostra que é melhor que geral. O problema é que na trama que a Disney criou pra contar isso, esse poderio todo não se encaixa.

Nas lendas, Mulan não era mágica, bruxa, ou uma ninja. Ela era uma garota preocupada com o pai, que acaba se infiltrando no exército em seu nome, conquistando honras e respeito mesmo sendo uma mulher.

Mesmo nas lendas mais trágicas, em que ela é julgada pelo exército, e as vezes até executada por sua audácia, seu perfil é o mesmo. Uma guerreira por seu esforço, não por seu Chi.

Agora, nesse filme, incluíram algo que até é bastante utilizado em filmes fantasiosos de luta, do cinema chinês, com a energia vital chamada Chi, emanando dos guerreiros e lhes dando habilidades praticamente mágicas.

A Disney já havia adiantado que, além de todo o novo embasamento pra essa "nova história", focada nas lendas originais, eles usariam um elenco totalmente asiático, e melhor ainda, seguiriam um formato de filmagem que lembraria justamente o cinema chinês.

Era de se esperar algo mais focado em guerra e drama, com uma cultura bem diferente do que nós ocidentais estamos acostumados, mas caramba, eles pesaram a mão no cinema voltado pra BATALHAS NINJA!

Kung-fu, gente voando dando golpes com lanças e espadas, gente andando em paredes, movimentos totalmente anti-naturais e impossíveis. É isso que fizeram, apenas chamaram o cinema chinês de algo exagerado.

Como ver isso com bons olhos? Cara, é legal ir assistir um filme do Jet Li (que alias, participa como Imperador) ou Jack Chan e esperar cenas de luta pra la de mentirosas mas, legais! Pegar aqueles filmes de kung fu e se maravilhar com as artimanhas da galera ninja, mas cara... ISSO É MULAN! Supostamente baseado "nas lendas originais", que falam sobre GUERRAS, e sobre o peso do compromisso do povo com o Império Chinês na época! Ta... também é um filme Disney... pera ai... vish...

Sabe, na ausência do dragãozinho vermelho Muchu, os caras meteram uma Fênix que não participa em nada da história, somente aparece ao acaso no fundo de uma ou duas cenas (4 na verdade), sem interagir, sem influenciar, apenas enfeitando o cenário.

E na ausência das falas dele, TODAS AS FALAS DO DRAGÃO foram convertidas em falas pro elenco.

Lembra do "Desonra! Desonra pra tua família, desonra pra tu, desonra pra tua vaca!" Isso é dito pelo general, mas de forma séria, e sem a vaca.

Tudo nesse filme tem tom sério, com alguns pouquíssimos momentos engraçados que soam forçadíssimos, e não agradam nem fazem rir (alguns são hilários, como o da galinha). Talvez um ou outro se destacam e até são divertidos, mas os momentos que são deveras cômicos, são retratados como eventos de grande seriedade, como batalhas pela vida, ou apenas discursos amedrontadores.

É uma falta de timing, e um desastre na montagem que nos faz nos perder no que assistimos... e falando em montagem, e continuidade, e sei la mais o que... meu deus, o que foi aquela cena da Avalanche?

Até onde sei, nas lendas originais da Mulan num tinha esse esquema de Avalanche matando o exército inimigo não hein. Isso é algo que a Disney criou pra engrandecer as ações de guerra da personagem na animação, sem derramamento de sangue, afinal, era pro público infantil.

Nas lendas, Mulan teria lutado por anos na guerra, e em vários eventos teria se destacado, pouco a pouco, conquistado cargos e méritos, e não apenas em um evento catastrófico.

Evidentemente adaptaram diretamente da animação, assim como todo o resto do filme, e incluíram os devaneios dos roteiristas que achavam que podiam enganar o grande público, com teletransporte!

Mulan, ela consegue a proeza de... ah mano eu vou desenhar pra você entender:

Primeiro, ta ela parada com seu cavalo entre o exército inimigo, e o exército dela, todos se defendendo de Pedras com Fogo arremessadas por catapultas dos inimigos, isso sem contar a bruxa que ta distraindo eles em forma de morcego mas, eu nem desenhei isso.


Daí a Mulan, em segundos (e não é elipse pois da pra ver que apenas 2 grupos amontoados de soldados foram mortos pelas bolas de fogo, e duvido que os inimigos iriam esperar ela dar a volta pra continuar atirando) aparece atrás deles, no pé da montanha, atirando flechas.


Então eles viram pra ela, e em questão de segundos, atiram uma bola de fogo nela, que vai direto pra montanha, e provoca a avalanche que os mata, enquanto Mulan foge correndo em seu cavalo, pela lateral!


Só pra momentos depois aparecer do outro lado do planeta, resgatando seu amor duvidoso.

Meu, não da pra entender nada do que acontece, e de como acontece... só acontece. A personagem teletransporta de um canto pro outro com seu cavalo e, faz o que tem que fazer pra ser igualzinho ao desenho, mas com pessoas né (e conseguiu ser muito pior, tremendamente pior).

E a cena do chute na flecha? O vilão sabe parar flechas na mão, facilmente, e ai, com uma flecha chutada por Mulan (ela pula no ar, e da uma bicuda numa flecha, disparando ela como se tivesse saído de um arco! Sem zoera!) ele morre, por não conseguir parar ela.

O filme é repleto de situações exageradas e impossíveis, e pior, ele é escrachadamente uma cópia da animação, que se vende como se não fosse. Ele finge ser mais "mundano", mas na verdade extrapola na magia e fantasia, incluindo uma BRUXA, uma FÊNIX, PESSOAS QUE ANDAM NA PAREDE NA VERTICAL, PRA CIMA! E por ai vai.

Ao mesmo passo que removeram o lado engraçado dela, e fantasioso, eles incluíram coisas que não tinham e nem sonhariam em fazer parte da obra original, que alias, soa até mais realista ainda agora, mesmo sendo um desenho, com dragões e grilos.

Aliás, as falhas vão além da protagonista, e se aplicam a todo o elenco, o que por sua vez, é uma das coisas que mais me desagradou.

O vilão, exatamente o mesmo da animação, é um conquistador, invasor e matador nato, com habilidades tão sobre-humanas quanto a protagonista. Exageros a parte, ele não é motivado pela conquista, ou pelo domínio, algo que inclusive faria parte da história das guerras imperais reais. Aqui, ele é motivado por vingança pessoal unica e exclusivamente contra o Imperador!

O Imperador matou seu pai, e por isso ele agora é um baita assassino e conquistador que junto com um pequeno grupo de ninjas, e uma bruxa, invadiu o Império e passou a massacrar o povo inteiro, sem problemas, sem qualquer impedimento. Tudo isso é pra alcançar o Imperador e vingar seu pai, apenas isso.

Interessante que alguns membros do exército dele, formado também por vários outros clãs nômades e conquistadores, chegam a questionar a razão de segui-lo. Ele chega a falar "Lhes darei ouro" e eles "Ouro a gente rouba fácil!" e ai, ele fala "Então, façam isso pra derramar o sangue de quem matou meu pai" e eles "Opa, sangue é legal, ta, vamos morrer pra sua vingança".

É algo tão forçado e difícil de entender, que até mesmo a cena mais marcante do personagem na animação é meio que distorcida e convertida em algo... bobo. Na frente da batalha, ele desvia seus cavalos e corre na direção oposta, pra se infiltrar no Império enquanto todos os seus aliados morrem por ele. Mulan chega a seguir o grupo, acompanhada de alguns soldados que morrem na perseguição, com uma luta de flechas em cavalos, por um lado épica, por outro exageradamente tola, e ai nos perguntamos: "Ta, mas então pra que ele foi na frente do exército se iria deixar eles pra trás?".

Na animação, ele é um dos esmagados pela avalanche, pois ele estava na linha de frente, mas ele era tão imponente, que junto com alguns poucos, resiste a neve e sai dela, declarando que aproveitará o fato do exército imperial achar que ele morreu, pra se infiltrar.

Outra coisa bem forçada é o fato de todo seu exército ser derrotado pelo agrupamento militar, quando ele já havia sozinho massacrado outros agrupamentos. Além disso, ele tinha uma bruxa tão poderosa que, lhe dava uma vantagem sem igual em batalha, alias...

A outra vilã, a bruxa que vira águia, é um furo de roteiro por si só. Ela não é uma vilã exatamente, pois todas suas ações são motivadas pela busca por aceitação. Ela era igual a Mulan, uma mulher poderosa, que foi rejeitada e taxada de bruxa, sendo exilada por suas habilidades. O vilãozão da vez teria encontrado ela no deserto e a tornou sua escrava, e ai, ela decidiu que seria certo matar em seu nome.

O relacionamento dela com o vilão, destoa gravemente do relacionamento dos mesmos na animação, pois sim, a ave existia ali, só não era superpoderosa e muito menos uma bruxa. La, ela era apenas um mascote do vilão, que era tão leal e bem treinada que faz frente em batalha, ao seu lado. Mas aqui, ela é apenas, uma moça confusa que não sabe o que quer.

Ela não é leal a ele, tanto que ela quem faz a vez de contar pra Mulan sobre os planos de invasão dele (algo que na animação, ela escuta sem querer dele próprio ao ver ele saindo da neve, quando ela já havia sido exilada), mas ela também não é mocinha, pois faz questão de em seguida ajudar o vilão na dita invasão, matando por ele.

Ela tem poderes diversos, como se multiplicar, se transformar em ave completa ou parcialmente, se mover muito rápido, lutar feito ninja, e claro, ela pode se transformar em outras pessoas. Todo esse poder faz dela uma ameaça não apenas em potencial, mas real, pois ela usa isso tudo pra matar a todos.

Mas no fim, ela se sacrifica pela heroína, forçadamente, e se diz igual a ela, no que deveria ser um desvio de expectativas, mas que nessa dança de "vai, num vai" dela com relação ao vilanismo, é difícil de engolir qualquer subversão.

Temos os coadjuvantes também... nenhum prestou. O Grilo, que é uma óbvia conversão do "Grilim" da animação, é agora um soldado atrapalhado que aparentemente traz sorte, por seu nome ser "Grilo". Mas ele próprio é debochado constantemente por seu porte físico, e por não ser nada habilidoso, isso até o roteiro cobrar alguma ação dele.

Do nada, ele atira duas flechas, de uma vez, e mata 2 caras inimigos, com o arco apontado pelas costas! Não, não é pelas costas dos inimigos... quem dera, seria até meio nefasto algo assim, e covarde. Ele pega o arco e bota nas costas dele, abaixado, e atira acertando, SEM OLHAR. Até faz parte das características dele, atirar sem olhar e acertar, mas esse momento foi tão exagerado que nos faz rir.

Outro personagem, é o suposto par romântico de Mulan, que o tempo inteiro flerta com ela, mesmo achando que ela é homem. Ele é uma conversão do personagem da animação que assume essa posição, mas la, ele era o comandante, aqui, ele é apenas um colega de guarnição.

A cena em que ele convence Mulan a tomar banho, algo que ela evitava de forma engraçada afinal os homens tomavam banho todos juntos, é bem incômoda. Ela tira as roupas e entra no lago pra se banhar, e até ai, ta tudo certo. Mas ai ele sozinho, tira a roupa também, vai atrás dela, e sem qualquer razão tenta ficar junto dela. Tudo isso enquanto os demais soldados dormiam.

A lógica da cena é desesperadora pois, ta, ela é uma mulher disfarçada que é claro, não quer que ele descubra, muito menos que veja seu corpo... mas ele, naquela posição, era um soldado que estava assediando outro soldado!? Ele chega a ficar irritado pela timidez do colega, e até ofendido, como se fosse algo natural, dois homens sozinhos num lago, totalmente nus, se abraçando... brotherismo tem limite uai.

E por fim, tem o Imperador. Imagine um cara que vive em seu trono dourado, iluminado 100% do tempo por uma luz divina, que fala de forma imponente e ordena cegamente. Eis o personagem de Jet Li.

É confuso a forma como ele toma suas decisões. Primeiro, chegam seus homens e o alertam "Vossa majestade, tão matando os povo tudo" e ele diz "Seguinte, pega um cara de cada casa e faz um exercitão grandão, pra matar esses matador ai" e os homens dele acrescentam "Mas senhor, eles tem uma bruxa!" e ele "E dai? Venceremos pela maioria, vai, chama os homi".

Depois, os mesmos caras chegam e falam "Senhor supremo do trono brilhoso, mataram os homi tudo." e ai ele "Opa, que? Sério? Bando de inútil, deixa que eu vou pessoalmente dar um sarrafo nesse pessoal!".

Nessa hora, você imagina que o Jet Li vai literalmente meter o louco e matar todo mundo! E é até empolgante, afinal, ele estava ali todo pomposo e, pra justificar tamanha prepotência, nada melhor que ele mostrar o tamanho de seu poder. Ai vai la e... é capturado pelos vilões numa armadilha.

Vilões estes que tinham arquitetado tudo só pra se vingar dele, matando ele, mas que quando o tem sob custódia e como refém, decidem poupa-lo por tanto tempo, que a heroína surge pulando em prédios, guiada pela ave bruxa, e o salva! Meu?!

Não me estenderei mais, e confesso que já estou satisfeito em relatar um pouco do meu desgosto por esse live action.

Por mais que críticos anunciem e rasguem seda, mencionando o quanto a Disney investiu nessa obra, e mentindo na cara dura que é baseada nos contos antigos, nada mudará o que esse filme tem a oferecer.

Uma pena pois, os atores são bons, os efeitos são bons, a história é boa, até porque ela já foi mostrada quase desse jeitinho numa animação de sucesso. O que deu errado, muito errado, foi essa ideia boba de pegar uma história boa, e converter ela em algo diferente, mas parecido.

Sabe o que me lembrou? Trabalhos de Escola.

"Pode copiar, só não faz igualzinho ta". Pegaram a obra original da Disney, pegaram ideias diversificadas de maluquices que poderiam incluir, tiraram o que tinha de "menos realista", e inventaram mais coisas nada realistas, e botaram tudo junto com atores reais, e cenários reais, dizendo "Ó, é baseado nos contos antigos ta".

Te lascar mano... 

O pior é que eu citei isso um monte de vezes, mas nem é só isso que me incomodou, apesar de sim, ser uma das coisas mais chatas, me senti tapeado véi! Venderam o produto de um jeito, fui ver e era outro!

O pior de tudo, é que o filme podia ter sido bom, e não precisava desses exageros com artes marciais, nem de Falcões que Viram Bruxas. São coisas que botaram pra tornar diferente e só estragaram o que já tava bom!

Alias, estragaram não, pois a animação de 1998 sempre existirá, e jamais poderá ser modificada! Ainda assim, a ideia deles foi tão, capenga que não da pra acreditar que pagaram milhões pra isso sair do papel.


Dito isto, existe o outro lado da moeda...


Se nos desprendermos da nostalgia e da tecnicidade e exigência crítica, o que tiramos desse filme é, de certa forma, diversão.

Contraditório, eu sei... eu próprio não senti isso, não consegui assistir sem enxergar todas as falhas e erros que me incomodaram, e por alguma razão, isso me fez desgostar de tudo.

Mas, se parar pra pensar, o filme agrada em vários pontos. A arte dele, como citei la em cima, é um acerto triunfante. A escolha de elenco, a composição dos cenários, não da pra ignorar essa beleza.

Além disso, apesar de todo meu exagero ao descrever o filme como uma cópia mal feita da animação... gente... é de fato um filme feito em cima da animação, então, ele deve ser visto como uma animação! Com pessoinhas é claro.

Busquei nele o realismo, a seriedade, ou então o oposto, com humor constante, e animosidade... mas o filme se manteve equilibrado, completamente equilibrado.

Ao meu ver, ele não é bom, ficou bem claro isso né... mas você pode assistir e adorar, ou apenas curtir. E ai ta um acerto da obra...

Assista com seus próprios olhos e descubra o que você mesmo sente. Se serve de dica, evite prestar atenção nos detalhes "lógicos" e deixe-se aproveitar a magia do momento, pois apesar de ser um filme de guerra chinês, ainda é uma obra Disney, e ainda é um conto fictício e alegre, de uma jovem que busca salvar o pai, alistando-se no exército como homem.

Só... não ignore a Fênix ta, aquilo foi tosco e nada me fará mudar de ideia!

Lamentavelmente, quando comprei essa experiência, meu olhar tava bem comprometido por assim dizer, pois busquei uma adaptação exata da animação em carne e osso, ou, uma reinterpretação completa de algo que já foi feito, e no fim, fizeram o meio termo.

É uma adaptação, e uma reinterpretação, e isso é dito inclusive nos primeiros segundos do filme.

O narrador, diz que essa é uma das muitas histórias de Mulan, de muitos contos diferentes, e que essa era sua versão. Então logo no início já somos levados a nos desprender da lógica e apenas, curtir!

Ta, é estranho ver gente voando, e mais estranho ainda ver seriedade em momentos visivelmente engraçados... mas talvez tudo isso tenha sido proposital, para tirar do espectador um pouco de... surpresa?

Como explicar... imagine que, você não espera que uma garotinha de uns 10 anos de idade, quase caia de um telhado após caçar uma galinha com um bastão, e faça manobras ninjas pra resistir a queda e ainda termina com uma posição de "E ai, quer mais?"...

Ver isso te faz cair numa armadilha, uma que te faz sorrir atoa sem notar. Confesso, que eu mesmo ri em vários momentos, as vezes por puro deboche, mas em outras por... mano a Mulan toma uma kunai no peito, voa 10 metros na parede, e ai levanta e tira a kunai dizendo "Opa, a faixa que to usando pra esconder meus peito me protegeu!"... manooooooooo! Isso foi engraçado, estúpido, exagerado, completamente fora da casinha, mas engraçado.

Então, chegamos a uma conclusão: Fazer o que né! O filme ta ai, goste ou desgoste, e só cabe a você assistir, pra saber o que sentirá.

Volte aqui depois e me diga, vou adorar.

Postar um comentário

17 Comentários

  1. Achei um artigo interessante, devo dizer que minha visão foi total diferente mas é interessante ter uma segunda opinião dessa filme ^^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Srta Isa, obrigado por mais uma vez se pronunciar heh.

      Conheço sua opinião, e fico grato por ler a minha e se posicionar com tamanho respeito. Honrada eres!

      Obrigado por estar por aqui e por apoiar esse trabalho. Farei mais artigos do tipo... torcendo pra que sejam bem recebidos. Se não forem, fazer o que kkk.

      Excluir
  2. Depois dessa introdução, pensei ate que tinha adorado essa bomba ae, justo vc o passador de pano, mas quando não laika e pq o bagui não da mesmo. Nem vi e nem vou ver, dropei no trailer, não tem nenhum live action q laikei até agora dessa leva, de Malevola pra frente, sdds daqueles dois dos Dalmatas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahhhh não!! Veja, é bem engraçado por um lado. Sério, acho que você deveria tentar assistir pra ver o que acha. Mas, obrigado! Bom ver que o texto lhe serviu.

      Excluir
  3. Mas continua mlhr que a warner não esqueça...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Warner é uma bosta que tem que continuar levando pau, ela tem que saber aonde que é o lugar dela, e que só tem uma empresa que manda, a Dona Disney.

      Excluir
  4. Uma palavra para esse filme: decepcionante!

    Achei que nada mais pudesse me decepcionar depois daquele show de vale da estranheza chamado "Rei Leão", mas, minha nossa senhora... esse filme consegue ser pior. Para um filme que diz se tratar de coisas espirituais, ele é um tanto "sem alma" (como todos os remakes anteriores). Desperdiçaram Donnie Yen naquelas cenas ridículas, cara, Donnie Yen! Ele não é só um mero ator, ele também é um artista marcial (fora Jet Li que passou 90% do filme sentado e nos outros 10%, tava pendurado em uma corda. O cara foi o Cão de Briga, rapá, mais respeito!).

    E essa atriz que faz a Mulan... putz grila, parece que moça tava sem vontade alguma de fazer o filme. A moleca não tem expressão facial NENHUMA!

    A cena mais ridícula de todo o filme com certeza foi na transformação dela para o seu alter ego masculino. Mostrou ela batendo um papo com o pai, e do nada, sem peso algum, *som de tambores*... Mulan estava transformada em soldado!

    Outra cena sem noção, foi as dos soldados dizendo a todo instante que ela fedia. Hahaha, humor, risos, piada. 😒

    Fora que eu peguei ranço dessa atriz porque ela postou no Twitter e no Insta que ela é a favor da brutalidade policial contra os manifestantes de Hong Kong. Uma pessoa que afirma uma gravidades dessas e não se arrepende de suas palavras, pode ser tudo, menos uma heroína.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pelo que eu vi, os deméritos do elenco vai desde a diretora até as locações pras filmagens. Pelo que eu li os caras chegaram a cutucar um caso bem sério la na china, só pra usar uma determinada região pra filmar.

      Ainda bem que quando vi o filme, eu não tinha isso na cabeça pois, se tivesse, provavelmente nem teria terminado de assistir.

      Eu nem percebi o Donnie Yen, juro alias que nem percebi o Jet Li... meu amigo que tava do meu lado que falou e eu até duvidei, até pesquisar e ver que de fato era ele. Meu, num filme que claramente ta usando artes marciais em um toque pra la de exagerado, podiam muito bem esculachar a suspensão de descrença e mandar ver numas cenas com os personagens que de fato, sabiam lutar. Fan service? Em hipotese alguma, seria apenas o bom uso das artimanhas e características dos bons atores que participaram.

      As cenas da atriz da Mulan, e a falta de expressividade, de fato é incômoda, mas por um lado imaginei que era para dar um tom de seriedade a obra... claro que eu descartei essa interpretação ao concluir que era um grande circo ali... mas... talvez era a ideia deles. Provavelmente, falha grande da direção (assim como muitas outras).

      Na tentativa de validarem as mesmas cenas da animação, desconsideraram um monte de circunstâncias bem degradantes e até humilhantes pros personagens, por exemplo, eu achei ridículo a cena que ela tira a faixa dos seios pra ir dormir no meio do acampamento militar, no meio de todos os homens, enquanto eles aparentemente dormiam. Sim, na situação em que ela estava, provavelmente com dores e tal, era de se esperar que ela tirasse pra descansar, mas não ali, não naquele momento, muito menos no meio de todo mundo, pois isso arriscou ser descoberta com facilidade. Além disso, isso implicava nela sempre ser a última a dormir, e a primeira a acordar, e isso é totalmente ilógico, um controle absurdo.

      Tem também aquele momento muito zoado dela tendo peso na consciência por mentir ser um homem, e tentar se entregar voluntariamente contando a verdade pro general... mano!? Ela faz isso depois de ter se oferecido justamente pra poupar o pai, ai do nada, decide ter culpa?

      De fato, foi um baita de um desperdício.

      Excluir
  5. Esqueci de um outro adendo: o filme foi feito para o público chinês, porém, os chineses estão fulos com a Disney e boicotaram o filme em diversos lugares (por causa da asneira que a atriz escreveu no Twitter). E como o filme foi lançado para streamming (que não era o projeto original) a Disney teve muito mais prejuízo que lucro. Pois é... 🤷🏻

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahhh, isso era de se esperar poxa. Eu mesmo achei pra la de ofensivo, os exageros hollywodianos ao retratar a arte do cinema chinês. Foi tão absurdo, que beirou justamente o deboche. Em muitos momentos me senti assistindo um tipo de kungfusão, só que satirizando uma animação.

      Poxa, a animação era mais realista, e leal a cultura chinesa, e até às fábulas, do que o que tentaram fazer aqui... e repito, rolou confusão por causa de uma das locações (Xinjiang) pois a situação geopolítica ta pra la de sensível... pesquise e verá...

      Bem, srta Sammy... obrigado por ler, e to feliz em encontrar uma opinião semelhante. Tava até meio assustado pois tem muitas críticas falando bem da produção e meio que escondendo as polêmicas e falhas de um jeito que, causa confusão.

      Excluir
    2. E essa desculpa da Disney em "querer fazer um filme real" não cola, e sequer faz sentido, porque mesmo se eles quisessem retratar Mulan ao pé da letra (sem bruxarias, chi, e blá, blá, blá), teria de mudar a classificação do filme para +16, porque se na animação, Mulan vai à guerra para substituir o pai doente, pois tem medo que ele morra pois o ama, na história real, Mulan vai à guerra e substitui o pai porque se ele morrer em combate, e como não havia nenhum filho homem para comandar a casa, ela, a mãe e a irmã se tornariam prostitutas.

      Na China Imperial, mulheres não trabalhavam e dependiam do marido, e se acaso ele morresse, ela teria se prostituir para sustentar. Entendeu por que a urgência seria outra? Nunca foi sobre Mulan "provar que era capaz disso ou aquilo", mas sim, porque ela temia que se o pai morresse, ela e a família teria de vender o corpo para não passar fome.

      E esse era o fato. E é por isso que a Casa do Mickey e realidade não combinam.

      Excluir
    3. Cruel mas real. No fim das contas eles são capazes de confabular tão somente. Daí a razão por jamais conseguirem tornar um Live Action algo, decente. Não sabem nem estão dispostos a arriscar o publico infantil pra de fato se dedicar aos contos como eles precisam ser mostrados. Não que esteja errado, mas usar o oposto como desculpa só traz ainda mais repudio.

      Erraram rude.

      E pior que, daria pra sim retratar uma realidade mais bruta, e manter a magia, tipo Viagem de Chihiro. Ta, é uma animação e totalmente viajada, mas a ideia é, contar algo com alegorias, mantendo a real mensagem e os significados mais profundos visíveis apenas aos que procuram por tal. Além disso, tanto a obra em sua forma literal quanto figurativa possuem algo a contar e retratar, aqui, eles só avacalharam tudo e dane-se.

      Excluir
  6. Já tinha ouvido falar e assim como os outros lives da disney minha reação foi a mesma "hum". Aí há pouco me meti numa discussão na página da "Barbie Nerd" se bem lembro, depois de ver um grande amigo meu no face compartilhando um post sobre como um "filme de mulher estava sendo super criticado só porquê é uma mulher etc e tal" e pronto, a vontade de ver, que eu não tinha, parece que sumiu mesmo de vez. Talvez veja a animação mas por hora eu tô em outros filmes como "Suicide room" e a maravilhosa animação "weathring with you" que eu aliás super indico a você.

    A julgar pela sua crítica mais o que eu já vi e soube dá pra entender o porquê desse filme ter sido tão detonado em alguns cantos. Meu palpite aliás é que essas mudanças na protagonista é já nessa onda de "mulher independente e empoderada" embora seja uma contradição por si só, pois a Mulan original por assim dizer era uma mulher forte sendo comum, que foi ganhando destaque sem usar magias e tampouco sem usar essa imposição da "mulher independente" que Hollywood ultimamente tanto tenta emplacar, e falha, tantas vezes. Há afinal tantas obras de ação com elas, eu mesmo já vi várias, e devo dizer que também sempre curti os filmes lá do Oriente que já vi tantos também, como o excelente "Chocolate" e A Dinastia da Espada que já revi também um bocado. E resumindo, que bom que você falou o que de fato acha do filme em vez de se preocupar e "passar o pano" como também se vê por aí afora, infelizmente. Muito legal a análise, eu mesmo ri com ela também numas partes, foi muito legal ver você desabafando nela!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Confesso que eu tava até empolgado pra assistir, e quando soube que saiu, fui correndo ver. Chamei até um amigo! Eu dificilmente chamo pessoas pra ver junto kkk, mas eu tava tão empolgado que falei "essa eu quero compartilhar no ato", pois de fato acreditei que seria incrível. E não, não tem nada a ver com ser um filme com uma mulher, mas sim, o empoderamento distorcido dela foi ruim. Cara, Mulher Maravilha também tem uma baita de uma super heroína e meu, ficou muito fod4. Tem muito filme, e jogo, com personagens femininas que são surpreendentes, e alias, eu nem entendo essa birra que o pessoal tem com o sexo do personagem. A questão é como ele é contado e mostrado, e no caso desse filme, não me agradou pois soou forçado. Claro, se for pra ver apenas por zoera, ele até que se sai bem, mas se for analisar ele de forma mais... séria, e buscar o significado dele moralmente, não é nada bom.

      O Mulan original era sobre superação, sobre como alguém improvável poderia se tornar um exemplo a se seguir. O novo Mulan é sobre... aceitação. Ser quem você realmente é, independente de sua cultura, independente do seu sexo, independente se isso irá condenar seu pai a uma execução rápida e humilhante como traidor da pátria, e sua mãe e irmã a prostituição certa assim como foi mencionado mais acima. Não é errado se aceitar e assumir quem é, e essa é uma mensagem maravilhosa, mas o jeito como foi mostrado, dando poderes a um personagem que não precisava, e que já tem em suas histórias um outro significado, e além disso, distorcendo a realidade na qual a história se passa, isso é muito desagradável pra mim isso.

      Enfim, obrigado sr Marcio por ter acompanhado minha visão. Talvez nem todos pensem assim, mas tipo, é o que eu penso e gosto de partilhar. É bom compartilhar.

      Excluir
Emoji
(y)
:)
:(
hihi
:-)
:D
=D
:-d
;(
;-(
@-)
:P
:o
:>)
(o)
:p
(p)
:-s
(m)
8-)
:-t
:-b
b-(
:-#
=p~
x-)
(k)