SérieMorte: Percy Jackson e Os Olimpiados - Explicando e resumindo os episódios finais

Esperei a série terminar o lançamento semanal pra assistir tudo de uma vez, e sendo sincero, me arrependi de assistir.

A série simplesmente não sabe contar uma história. Tudo gira em torno de conversa, pessoas andando, e mais conversa. Não há ação, não há emoção, tudo apenas é contado do jeito mais roteirizado e chato possível.

Falarei o que achei e resumirei os episódios. Vai ter spoiler, mas acredite, compensa mais que assistir.


Boa leitura.


Aliás, assisti os outros episódios e falei separadamente deles aqui: Percy Jackson, o resto.


Episódio 5


A série parece não ter nada pra contar, e enrola por 1 hora com conversas e pessoas andando, sem nada de interessante acontecendo.

Os eventos do episódio 4, onde Percy aprende a nadar, simplesmente não levam a nada. A Quimera que o caçou desaparece, a mulher que o caçava também, a entidade que o recebeu também some, e não há consequências reais.

O pior, é que narrativamente tiveram consequências, o pessoal fala a respeito, mas nada é mostrado. As 3 crianças estão sendo caçadas pela polícia, pelo FBI, até mesmo foram noticiadas como vândalos, mas elas saem da cena do crime andando, sem fuga, sem perseguição, sem nem se esconder.

Eles olham pra multidão e encontram as 3 Moiras do Destino, e depois de trocar olhares, saem literalmente andando até achar Percy num lago próximo, de onde ele sai (também como se nada tivesse acontecido) e abraça eles. É tão... abrupto e sem desenvolvimento que fica meio desconexo.

Afinal, porque tanta calmaria se eles estão sendo caçados? No máximo isso serve pra dizer que agora eles não podem pegar mais ônibus ou trem (como se isso tivesse ajudado eles em algum momento). Mas isso não convence, a série não sabe passar a informação mostrando, então eles apenas dialogam sobre isso como se estivessem lendo o enredo pra gente.

No audiovisual, espera-se assistir algo, se for pra ler, pegamos o livro.

Por fim, dois deuses aparecem e são tão sem graça, que mal dá pra perceber que são deuses. Temos Ares, o deus da Guerra, e Hefestus, o deus da Forja.

Ares encontra Percy e seus amigos andando na estrada, e marca encontro com eles num restaurante, onde simplesmente diz que os ajudará a chegar até Hades caso eles o ajudem a recuperar o escudo dele.

É algo tão repentino e fortuito que praticamente não faz sentido. Percy e a filha da Atena precisam ir até um parquinho de diversões ali perto, pra buscar o escudo que, Ares nem explica como ou o que é. Ele fica com o sátiro com ele pra garantir que voltariam, mas sabe quando as coisas são só empurradas com a barriga pra fingir que tem lógica? Então...

No parque (abandonado) eles conversam, não tem ação alguma, e as crianças apenas saem deduzindo onde o escudo poderia estar, falando Ares e Hefestus serem rivais no amor por Afrodite, e que o parque era de Hefestus, e talvez, o escudo estaria num Túnel do Amor onde talvez, Ares e Afrodite teriam passeado.

É tudo só ditado para que os atores sigam andando até o cenário final, sem ação, sem desenvolvimento algum, praticamente empurrados pra lá. E lá, Percy cai na água, usa seu poder pra salvar a amiguinha, e então por puro roteiro eles encontram o Escudo, numa estátua de ouro.

Estátua essa que faz parte de uma lenda antiga, onde quem senta na cadeira na frente dela não consegue mais sair, e usam isso pra contar uma história de como Hefestus se casou com Afrodite, mas... é tudo apenas conversado! Nada é mostrado. Mais uma vez, como se lessem um livro pra gente.

No fim, Percy se sacrifica, senta na cadeira pra que o Escudo fosse liberado, mas é só enrolação, pois Hefestus aparece, sente pena depois do discurso motivacional que a filha de Atena faz, e pronto, ele liberta Percy com escudo e tudo.

Outro deus que simplesmente é sem sal. O cara aparece como um velhinho de bengala que diz meia dúzia de palavras e depois sai de cena. Chega a ser chato, o que me fez estranhar muito.

Todos os deuses sabem o que tá rolando, eles sabem os passos do Percy e seus amigos, e parecem estar brincando com as crianças. Não há risco na aventura, não há desafio, e os deuses aparecem e interagem tranquilamente com os mortais, mostrando que não tem nada de mais na história.

Não há magia, não há nada. 

No fim eles voltam pro Ares com o escudo e... ele ajuda eles botando as crianças num caminhão, e enviando eles pro cassino.

E, acaba com o sátiro dizendo que sabe quem roubou o raio, pois Ares o contou sem perceber.

Ao meu ver, é como se nem tivessem vontade de contar a história de Percy Jackson mais. Eu mesmo estou totalmente desmotivado a assistir.


Episódio 6


O que fizeram com o cassino? No filme a história flui tão bem, é fácil de entender e boa de acompanhar, e a daqui é algo jogado de qualquer jeito.

Tudo começa com a visão de Percy sobre alguém conversando com o ladrão de raios, mas é tudo um sonho. Quando acorda, as crianças ligam pro acampamento pra informar que o ladrão de raios é a filha do Ares (pois foi isso que o Grover deduziu, e é aquela mina que tomou uma surra do Percy no acampamento mas já nem é importante). Mas quem atende é o filho do Hermes (Luke) então, eles interrompem a chamada pois eles estavam indo encontrar justamente com o pai dele, e eles não se davam bem.

As 3 crianças chegam no Cassino de Lótus, depois de sabotarem a carona no caminhão (eles liberam os animais que tavam lá, criam mó caos, mas absolutamente nada disso é mostrado).

Sem timing algum, a história já bota eles dentro do cassino, falando logo na entrada sobre as flores do Esquecimento, e que não devem comer nada para não se esquecerem. E o objetivo deles, era achar o Deus das Viagens, Hermes, e pedir uma ajuda pra ele, pra chegar até o Reino de Hades.

Mas lá dentro o Grover encontra outro sátiro que o desvia do caminho, dizendo que achou o deus Pã (deus este que os sátiros procuram), e ele apenas se esquece de todos, pois jogaram pólen de Lotus no ar.

Já Percy e Annabeth encontram Hermes, depois de conversarem por muito tempo, e sentam pra conversar um pouco mais com ele, sobre família, sobre missão, sobre os riscos da guerra, mas nada adianta.

Ele nega ajuda, e a filha de Atena sai de cena fingindo estar brava. Depois Percy se encontra com ela, e ela diz que roubou a chave do carro de Hermes (coisa que a série nem se importou em mostrar).

Aí eles acham o Grover, sem dificuldade alguma, e saem no carro de Hermes, um taxi, onde inclusive o próprio Hermes deixa uma mensagem pra eles.

E o clímax do episódio é mostrar 3 crianças dirigindo um táxi num estacionamento vazio.

Tudo acaba com eles teletransportando para uma praia, onde Percy encontra a mensageira do pai dele, que diz que o tempo da missão acabou. O tempo que ficaram no cassino foi longo de mais (apesar da série não saber como ilustrar isso), e a guerra dos deuses estava pra começar (a cena é escura e debaixo d'água, o que é muito mal feito).

Assim, ele se recusa a desistir, e do nada a mensageira dá 4 pérolas de teletransporte pra ele fugir do inferno.

Tipo? É sério mano, a história tá contada de um jeito relaxado até de mais. O filme era muito mais claro, e se eu não o conhecesse, eu dificilmente entenderia o que tá rolando.


Episódio 7


E tudo só piora, caindo cada vez mais no abismo, a história tende ao besteirol.

Esse episódio é o que mais tem ação, e a ação se resume a um deus sendo empurrado numa cama, e um Cerberus derrotado com carinho na orelha.

Mas isso não é o que estraga a história, pois ela já foi estragada pelo jeito como tá sendo contada.

Paralelo ao presente, tem flashbacks mostrando a mãe de Percy com dor de cotovelo enquanto procura uma escola pra ele. Nem vou entrar nos detalhes pois tudo nisso é completamente viajado (os caras expulsam ele porque ele subiu num telhado e fez um desenho, mano?!). Então no fim dessa enrolação toda, ela encontra o pai dele, Poseidon, do lado dele mesmo sem problema algum, conversa com ele, mas no fim não resolve nada, pois ele não pode falar com o filho.

No presente, tudo já começa com eles nos portões do inferno, que ficam numa loja de camas. Isso não demora nem 2 minutos, e eles já vencem o guardião, e acessam o submundo.

Aliás, o guardião é irmão do Percy, Procrusto, assassino de viajantes, que também é filho de Poseidon, mas a reação do garoto é inexistente. Fiquei confuso de mais quanto a ele, afinal não é raro terem filhos dos deuses? A série simplesmente não consegue explicar isso, então eles tiram o personagem de cena usando a própria armadilha dele (as camas, eram o jeito que ele matava suas vítimas), com um simples empurrão.

E eu achando que a Medusa tinha sido fácil, aqui eles literalmente usaram a mesma técnica (boné da invisibilidade) pra derrotar ela. Aliás, esse boné ta dando o que falar viu.

O submundo é risível, um monte de neblina, pessoas andando, e um cachorro gigante de três cabeças que é idêntico ao de Harry Potter (famoso Fofo). Até a animação é a mesma, e já passaram 20 anos! 

Pior é que, além do cachorro aparecer sem motivo algum (afinal os jovens pagam o barqueiro, com a moeda lá que eles nunca nem usaram na aventura toda, e devia servir pra isso), e eles são perseguidos pelo CGI do jeito mais artificial possível.

E termina com Grover sendo engolido, mas nada acontecendo pois ele sai de boa, e Annabeth fazendo carinho no bicho, gigante só pra constar, que adormece.

Cara, é muito estúpido, mas mesmo que isso fizesse sentido, tudo é feito de um jeito facilitado de mais. A aventura parece um simples passeio no parque.

Então eles passam por uma floresta de arrependimentos, onde as pessoas ficam enraizadas, e a Annabeth começa a criar raízes, mas ela usa a pérola pra fugir. Nem pra mostrar ela usando a pérola a série serviu, criando drama pra isso, atoa.

E ai Grover e Percy vão pra um deserto, onde do nada os Sapatos voadores do Grover são puxados pra um buraco no deserto, e depois de mais drama pra fazer ele simplesmente descalçar os sapatos, eles descobrem que na mochila do Percy tá o Raio de Zeus.

Mano!? Eu vi isso e disse "Mas que porr4 é essa?!" Apenas enfiaram o raio na mochila e pronto. Aliás que mochila é essa? Do nada apareceu uma mochila nas costas do Percy! Ele ainda fala "Ah não, é a mochila que o Ares me deu" MAS QUANDO FOI QUE ISSO ACONTECEU?!

Se aconteceu, foi tão rápido que eu simplesmente nem notei, e qual a lógica do moleque carregar uma mochila SEM NEM OLHAR O QUE TEM DENTRO!?!?!?!

Enfim, eles chegam no Hades, que diz que não quer o raio, quer o Elmo dele, que faz ficar invisível (agora pronto), e mano, ele nem se apresenta. A série tem um sério problema com apresentações. Ou os três pirralhos falam o nome da criatura e contam de qual lenda ela é, ou eles simplesmente ignoram que tem um nome e apenas agem como se fossem todos conhecidos. É ridículo.

Enfim, a mãe do Percy ta lá transformada em ouro, Hades diz que salvou ela pra eles se encontrarem, e pede o Elmo dele de volta que o ladrão do raio teria usado, algo roubado um pouco antes, e Percy apenas diz que vai procurar e voltar pra devolver.

Ai ele usa as pérolas que sobraram (aliás, Grover perdeu a dele no Cerberus mas, isso não importa), e vão procurar o Elmo de Hades.

Daí eles aparecem todos numa praia, com Annabeth esperando toda feliz como se nem tivesse passado tempo, e aparece Ares no fundo, com uma espada, pronto pra lutar contra Percy.

Por favor, acaba logo.


Episódio 8


Percy luta contra Ares, vence em 1 minuto. Ele invoca um tsunami que não faz estrago algum, Ares cai no chão e ele corta o tornozelo dele (pena de quem reclamou da briga das Caixas D'água no filme, pelo menos lá tinha ação, pois com o mar inteiro, o moleque num fez nem cócegas).

Com a vitória, ele recupera o Elmo, e entrega pra monstra do Hades. Assim ela leva o item pra ele soltar a mãe do Percy.

Percy vai até o Olimpo, onde conhece Zeus, que é interpretado pelo Lance Reddick, e devolve o raio, conversando um pouco depois, dando lição de moral em um deus, e falando também que Cronos está por trás do roubo.

Aliás, eles descobrem que o pai de Zeus, Cronos, que tá preso no Tártaro, entrou na mente das pessoas pra fazer o roubo do Elmo e do Raio, e iniciar uma guerra entre os filhos. Mas Percy impediu.

Zeus até tenta matar Percy de raiva, mas Poseidon aparece e impede, conversando com o irmão, e depois falando com Percy sobre a mãe dele. Ai ele usa uma pérola pra mandar o garoto embora.

Daí ele volta pro acampamento, pra se despedir da galera, e descobre que Luke foi quem roubou o Raio, manipulado por Cronos, e eles lutam de espadinha por 10 segundos, e Luke foge. Aliás Luke explica que era pro Percy ter caído no buraco com os sapatos voadores, mas ele deixou o Grover vestir e isso o salvou (aham, grande merd4). O buraco era o Tártaro.

Paralelo a isso tem as cenas de Percy treinando espadas com Luke, coisa que não foi mostrado em outros episódios então, colocam ao longo do episódio, pra falar que eles eram amigões.

Ele usa uma espada que corta a realidade pra fugir, depois que Annabeth, praticamente sua irmã de consideração, testemunha ele contar a verdade. Aliás, ela usa o bendito boné de novo.

No fim, eles todos se despedem na frente de Thalia, a filha de Zeus, que é uma árvore, marcando encontro no ano seguinte. Annabeth vai passar um tempo com o pai (e vai pra Disneylandia, merchandise total), Grover virou um procurador de Pã oficial, e vai procurar o deus nos mares, e Percy vai ficar com a mãe.

E fim mano, acabou, graças a deus acabou.

Hades devolve a mãe de Percy, mas Percy tem um pesadelo onde Cronos aparece pra ele e diz que tudo só tá começando, e ele tem planos pra ele.

Depois ele acorda e vai pra escola, dando uma mensagem pras crianças que tão assistindo, que se elas forem rejeitadas, sofrerem bullying, ou se sentirem diferentes das demais, provavelmente são semi-deuses.

E, o final da série é EXATAMENTE O MESMO do primeiro filme, com o padrasto de Percy virando pedra ao encontrar a cabeça da Medusa.

Moral da história: Assista o filme, é mil vezes melhor. Ou leia o livro, é infinitamente melhor.

É isso, me arrependi de assistir 8 episódios disso, não recomendo pra ninguém, e se viu e gostou... fazer o que, eu achei simplesmente ridículo.

Pior é que a Disney já deu luz verde pra segunda temporada... tenho pena do autor.

E um detalhe, triste ver que o último papel de Lance foi nessa série. Apesar deles fazerem uma homenagem com uma nota no final, o ator merecia muito mais.

Podiam ter se esforçado mais nessa série. 

Em todo caso, eu nunca mais assisto isso. Acho que isso não foi feito pra mim, a série é infantil de mais, e acho que nem criança gosta disso. Não tem graça, é contada de qualquer jeito, é cansativa e parece desorientada.

Segunda temporada existindo ou não, essa eu abro mão.

Obrigado pela leitura.

See yah.


Postar um comentário

2 Comentários

  1. Cara, queria poder discordar de ti em qualquer ponto desse artigo, mas já vai ser possível. Infelizmente foi desanimador demais assistir isso, principalmente como fã da saga, fiquei sem entender como que eles tiveram bem mais tempo que o filme e fizeram tudo de uma forma tão devagar e morta assim, praticamente não teve emoção nenhuma. Pior de tudo, o autor estava envolvido na produção e falou super bem, realmente não entendo como isso aconteceu.
    A luta com o Ares pra mim não deveria nem existir (nem nos livros), se o cara é o deus da guerra ele automaticamente deveria ser capaz de vencer uma criança. Ou pelo menos ter o mínimo senso de estratégia pra não emboscar o filho de Poseidon na praia.
    A guerrinha de Poseidon com Zeus também foi outra furada total, os caras literalmente lutaram pra no fim o ganhador falar "arrá, ganhei, eu sou o melhor!!", Tá de sacanagem pô, não teve nenhuma repercussão? Uma guerra de verdade seria pelo domínio um do outro, aquilo ali ficou parecendo briga de criança.
    As cenas de luta também foram pobres. O segundo episódio (corrido como todos) mal deixou o Percy respirar lá no acampamento pra já enviarem ele numa missão, daí depois do nada vêm com flashback dele treinando com o Luke pra dizer que ele teve algum treinamento de luta, sendo que até o momento durante aquela aventura ele tava agindo igual um paspalho toda vez que precisava sacudir aquela espada
    Enfim, decepção, é isso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu senti raiva quando Percy disse "Agora você sabe quem eu sou". Cara, eu pensei "Mas, tipo... tu é ninguém ainda projeto de semi-deus! Aquele é o DEUS DA GUERRA!". Acho que tive expectativa de mais...

      Senso de emergência e consequência zero na série. Nem eu e meus irmãos conseguimos entrar em "guerra" e apaziguar as coisas fácil assim... se era só trocar ideia em grego antigo, fizesse antes né?! Briga de criança é a descrição perfeita. Zeus falando "Vou contar pra todo mundo no jantar" nossa...

      E sim mano, no fim da temporada os caras querem adicionar informação como se isso fosse mudar alguma coisa da tragédia pintada.

      Se o autor tava envolvido, acho que isso piora muito a situação. Ele deve ter ficado motivado por causa do contrato e não se ligou na qualidade.

      Mas, passou.

      Excluir
Emoji
(y)
:)
:(
hihi
:-)
:D
=D
:-d
;(
;-(
@-)
:P
:o
:>)
(o)
:p
(p)
:-s
(m)
8-)
:-t
:-b
b-(
:-#
=p~
x-)
(k)