CríticaMorte: The Jester - Mais um Terror B de Palhaços

 E... então... o filme é bem ruim, mas também é esforçado.

Este é um filme de terror B com um orçamento visivelmente inexistente, com atores que provavelmente acabaram de sair do curso de artes cênicas, e sem um roteirista, apenas um conceito. Mas, o "monstro" que encabeça o projeto é satisfatório... e apesar dos males que ele causa serem mais risíveis que assustadores, principalmente pela execução dos efeitos práticos e jogos de câmera, eu não diria que foi um tempo perdido, e até compensou gasta-lo.

Não me leve a mal, não recomendo o filme pra ninguém, na verdade inclusive digo: Evite assistir pois é vexaminoso. Mas, por outro lado, acho que compensa falar tudo sobre ele.

Então, boa leitura.

Qual o Tipo de Terror de Jester?

Com toda certeza não é terrir, pois o pouco humor que há nele é causado por erros bobos de gravação e direção, ou por falhas técnicas que acabam aparecendo na câmera, como as caras de perdidos dos coadjuvantes, ou a galera escorregando em bananas e morrendo na queda.

A ideia do filme é ser mais reflexivo, tendo como tema o suicídio, e ele não erra nisso não. A ideia de nos fazer pensar nas causas e consequências de tais atos é algo que apavora, mas ao mesmo tempo isso se dilui com os efeitos práticos improvisados, proporcionando violência leve, com pouco e até nenhum sangue envolvido.

Muito fica só na ideia de assustar, e na execução não assusta muito. O máximo que consegue é nos fazer pensar como tudo isso poderia ser bem melhor, se fosse mais gráfico, ou violento. 


O Palhaço do Filme


A criatura que mais puxa nossa atenção é o "Jester", um bobo da corte mascarado, vestido de laranja e com uma cartola, que sai fazendo mágicas e pregando peças na galera, até elas morrerem em acidentes.

Esse conceito de um mágico assassino é muito bom, e o aspecto visual dele é bem apavorante. Todas as cenas das quais ele participa, são boas por conta dele... mas eu já vi algo muito parecido em outro filme B, que também tinha um palhaço mudo fazendo mímicas enquanto perseguia, torturava e matava geral.

Ele é um tipo de cópia sim do mímico de "Terrifier", mas ao mesmo tempo ele conserva originalidade por se focar mais nas mágicas, do que na mímica.

Contudo, seus truques e apresentações são bem fracos, e os resultados não são tão impactantes ou surpreendentes quanto poderiam. Mais uma vez citando a limitação técnica do que tinham pra trabalhar, é perceptível o tanto de esforço que aplicaram pra mostrar alguma coisa boa.

Pelo menos ele é interessante, e eu curtiria ver mais filmes com o personagem, filmes melhores é claro, e com mais investimento e criatividade. Mas aqui até ele fica de escanteio junto ao tema, e não recebe qualquer explicação de motivação ou criação.


Ele Nem é Explicado


"Jester" é a personificação de sentimentos ruins que induzem pessoas a cometerem suicídio. Como uma voz que repete os males e fracassos até a pessoa desistir, mas nesse caso ele é mudo, e atua perseguindo e atormentando.

A razão dele escolher suas vítimas nem existe, ele só mata e atormenta qualquer um que cruzar seu caminho. E, de onde ele veio também não tem importância, pois ele tá lá existindo e pronto, o pessoal que se vire.

A falta de explicação sobre o personagem enaltece seu mistério, mas empobrece gravemente o enredo, fazendo ele ser só uma criatura sobrenatural extremamente letal e poderosa, que age sem motivos aparentes.

Além disso, ele é imortal, pode fazer qualquer coisa virar realidade, pode criar alucinações e até entrar na mente das pessoas, mas ele ainda opta por causar mortes físicas direta ou indiretamente, de coadjuvantes aleatórios.

Nem se esforçaram pra tentar mostrar algum sentido nesse personagem, ele só é uma criatura nefasta e pronto. As vezes, até tentam fazer alguma indicação de motivação, como quando ele ataca um garoto que desrespeita as regras do Halloween pegando mais doces do que devia, e partilha ele com o amigo/irmão mais novo da criança, sendo hostil com um, mas benevolente com o outro.

Mas isso fica perdido em meio ao massacre desprovido de lógica ou razão que ele proporciona posteriormente, matando pessoas que só olharam feio pra ele, e algumas que nem mesmo isso fizeram! Tem um personagem que eu pedi pra que fosse morto, pois era muito ruim tanto como personagem quanto como ator, só que isso é feito sem razão, e do nada, em um momento que o filme não pedia por isso.

E pior, certas mortes, aliás, a maioria das mortes, não tem consequências. Personagens morrem e ninguém fala sobre isso, ninguém enterra, ninguém chora, exceto é claro o primeiro personagem a morrer, ele que carrega todo o enredo nas costas.

Também não fica claro se Jester se personifica apenas no halloween, ou se ele é um tipo de maldição na família. A ideia é só que ele existe e tá lá, matando pessoas, ou só traumatizando mesmo.


Qual a História?


O filme é sobre um pai, que teve duas filhas, uma em cada casamento. Ambas cresceram já, mas ele não se dá bem com a mais velha, justamente por ter "trocado" ela pela mais nova, sendo melhor pai e mais presente na vida dela.

Então, numa noite, ele comete suicídio se enforcando e se jogando de uma ponte, porém tudo isso é induzido pelo Jester, que estava sempre ao seu lado.

Depois disso, em luto, as duas irmãs se conhecem e conversam pessoalmente, mas a mais velha rejeita a mais nova, que perdeu a mãe a tempos, e diz que nunca serão uma família.

Daí o filme se divide em duas subtramas, uma da mais velha passeando na noite de Halloween e sendo perseguida pelo palhaço mágico, 

E a outra da mais nova sendo assombrada pelo pai, e a morte dele, enquanto sai com os amigos.

O palhaço também aparece pras duas, e chega a matar ou ferir pessoas na frente delas, só que no fim ele reúne as duas garotas em uma alucinação, e a mais velha esfaqueia a mais nova achando que ela é falsa.

Depois de muito chororô e dramalhão, a mais velha implora pela vida da irmã e diz que fará de tudo pra mantê-la a salvo, rejeitando Jester, e fim.

A garota mais nova sobrevive, a mais velha aceita que será sempre perseguida por um palhaço mágico assassino, mas ela diz que esse é um mal que ela terá de carregar e resistir, diferente de seu pai.

O filme até faz uma brincadeira colocando a mais velha no cemitério, fazendo parecer que a irmã morreu...

Mas depois de lamentar a morte do pai, e culpa-lo por ser fraco e ceder aos pensamentos ruins, ela se reúne com sua irmã mais nova, e todos terminam felizes.



Compensa assistir?


Isso é tudo que o longa tem pra mostrar... o que pra mim não vale a pena não.

Ele tem efeitos ruins e medíocres, a trama é boba, e não tem narrativa alguma aqui.

A criatura é interessante, mas está num filme sem espaço pra ela, e tudo que ela significa é vago de mais, e soa vago de mais, em algo que nem se esforça pra apresenta-la.

Se é só um trauma personificado, faltou representar isso de um jeito mais claro. As pessoas enxergam ele, então ele é palpável, mas se é algo que só persegue uma família, qual o motivo dele atacar terceiros?

Ele está sempre ali, mas o que torna ele letal ou não? O filme nem tenta contar isso, então pra mim, não é algo que valha a pena acompanhar.

Desperdício de uma boa ideia, que pecou pela falta de um roteiro.

Aliás, os atores não são bons, mas eles se esforçam (a maioria ao menos). Nota-se que levaram a ideia a sério, mas o triste é que, sem história, o filme é só um monte de cenas bestas de gore barato (aliás, nem pode chamar isso de gore), e insinuações de violência. Poxa meu, um cara morre por uma maçã! Que isso...

Como que eu achei isso pra assistir? Eu sei lá mano, eu to achando uns negócios bizarros, to até com medo de onde vou chegar.

Normalmente não dou nota pra filmes, mas dessa vez farei isso:

E/10

O que isso significa? Reflita.

É isso.

See yah!

Postar um comentário

6 Comentários

  1. Se esse E/10 fosse um Ed/10 combinaria bastante, ruim mas esforçado kkkk
    Esse negócio de palhaço sempre me pega um pouco. Quando eu era criança lembro que assisti uma das clássicas "lendas urbanas" do Gugu e tinha uma gangue de palhaços que andava em uma Van azul e sequestrava crianças kkkk era uma coisa assim, só sei que depois disso eu nunca mais vi os palhaços com os mesmos olhos. Sei que não é só eu que carrego esse cagaço, outras obras também acabam colaborando com esse sentimento, o palhaço do Terrifier, tem um em American horror story (que é inspirado em um assassino em série que se vestia de palhaço ~ John Wayne Gacy), o Rakshasa que aparecia em supernatural, o próprio Pennywise.
    De certa forma, dá dó, os caras ganham a vida fazendo crianças sorrirem e agora um monte de gente tem é medo por conta de obras assim, triste (um olho no hambúrguer e o outro no Ronald McDonald).
    Mudei completamente o assunto, mas é isso, palhaços me dão medo e se eu tivesse um no meu ouvido o tempo inteiro eu ia surtar (ainda mais esse aí).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que isso parça não se menospreze!

      Ah o Lendas Urbanas do Gugu... eu lembro do dia que eles plagiaram um episódio de Supernatural como se ninguém fosse perceber, e o fogo é que o SBT ainda passou o episódio pois era lá que passava em TV aberta... bons tempos.

      Mano, pessoas com trauma de palhaços super apoiam Burger King, certeza. Ri muito só imaginando.

      Quem não surtaria né não?! E considerando o tema subliminar do filme, a lógica é que o palhaço ta sempre ali nos tentando.

      Excluir
  2. Muito ruim da pra entender porra nenhuma do filme kkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo. A gente entra sem saber nada, termina sabendo menos ainda.

      Excluir
  3. O visual do palhaço é interessante, o resto é uma total decepção.

    ResponderExcluir

Obrigado de mais por comentar, isso me estimula a continuar.

Emoji
(y)
:)
:(
hihi
:-)
:D
=D
:-d
;(
;-(
@-)
:P
:o
:>)
(o)
:p
(p)
:-s
(m)
8-)
:-t
:-b
b-(
:-#
=p~
x-)
(k)