AnáliseMorte: Metroid Fusion - O Retorno da Destruidora de Planetas

A um tempo joguei Super Metroid uma vez mais, e trouxe o artigo, todo cheio de segredos e enigmas junto a ele. Rolou até prêmio pra quem encontrasse todos os segredos, o que resultou no artigo de Metal Gear Solid 3... enfim... ta na hora de mais!

Retornarei ao mundo de Metroid, agora falando de "Metroid Fusion", uma continuação do Super (apesar do "Other M" estar entre eles), mas que foi lançado para Game Boy Advance.

Mesmo sendo um jogo de portátil, ele consegue ser tão ou até mais desafiador quanto Super Metroid, e confesso que sofri mais nele do que em muitos jogos razoavelmente difíceis, mas em contrapartida, este se tornou um dos jogos que eu mais gostei.

Falarei tudo a respeito dele, e sua macabra jornada pela Estação Espacial dos Parasitas que Clonam, e... bem...

ALERTA

Este artigo possui informações e imagens referentes ao jogo Metroid Fusion, além de dados que podem revelar tudo sobre este título, e um pouco sobre demais como "Super Metroid" e "Metroid: Other M". Recomendo que leia com cautela...

Boa leitura.

Que joguinho assustador hein. Ele tem uma atmosfera bizarra com um efeito claustrofóbico e com músicas simples, mas muito bem ambientadas. Algumas quase nem tem notas direito, mas ainda nos envolvem e nos fazem entrar naquele clima de atenção e precaução.

Metroid não é bem um jogo de terror, mas também não é qualquer tipo de aventura em plataforma. O que notei é que apesar das cores variadas e radiantes, seus títulos preservam um suspense constante não apenas pelo enredo, mas pela aventura em si. Nunca sabemos até onde poderemos ir, e nem o que poderemos encontrar no caminho.

"Fusion" é um título que enaltece muito esse lado do suspense da franquia, já revelando uma realidade nefasta e perturbadora em seu texto: Samus enfrentará zumbis.

Não exatamente é claro... as vítimas da calamidade da vez apenas perecem, e em seu lugar deixam "clones" por assim dizer. O parasita que as mata as copia, imitando suas ações em vida e, causando muito terror.

Samus neste título não enfrenta apenas isso, ela também tem de lidar com eventos e consequências recentes que a atormentam (eventos estes que rolaram no clímax do jogo intermediário, o Other M, que só foi lançado bem depois) e também com verdades escondidas por seus empregadores.

É um jogo complexo por assim dizer, pois em sua história ele revela várias traições, e tem muitas camadas narrativas. Não é apenas a aventura em si, mas tudo o que ela significa, que nos intriga.

O Jogo

Falando do jogo em si, ele é difícil pra caramba, mas é também muito bonito e responde perfeitamente a qualquer comando que tentemos inserir. Engraçado que ele é o quarto título principal da franquia, e foi lançado com exclusividade pra um portátil, e até os dias de hoje não precisou passar por um "remake" de tão bom que ficou. 

Ele consegue ser mais bonito que o Super, mesmo tendo uma capacidade gráfica menor, não pelos seus bits (tanto o Super Nintendo quanto o GBA tem 32 bits) mas pela proporção de tela, o que comprometia um detalhamento maior, algo que é perceptível (principalmente no visual de Samus conforme muda de armadura) mas, não diminui a qualidade do jogo em si. Tem também o fator Hardware em que, certas tecnologias que o Snes podia esbanjar, não existiam no GBA (o efeito pseudo 3D de alguns títulos que ele pré-renderizava por exemplo).

Engraçado que mesmo sem isso, o jogo consegue emular características de tecnologias "3D", como é o que ele faz na nova nave de Samus, dando mais profundidade e destacando ela do cenário.

Fusion também segue um modelo de jogabilidade quase idêntico ao de Super Metroid, com direito a todos os movimentos básicos e especiais (que se repetem: Pulo nas Paredes e Voo Energizado pós Corrida). Mas ele não traz aquele esquema de combinação de armas. 

Ao invés disso, nós já temos nosso arsenal adaptado conforme Samus obtém equipamentos, estes muito melhor justificados nessa aventura.

Ela tem uma melhor adaptação das armas, como é o caso dos Mísseis. Em Super haviam 2 tipos, agora só há um, que vai melhorando e aprimorando conforme a protagonista avança.

O mesmo vale pra armadura, onde aqui não temos opção de remove-la quando quisermos, mas vamos ficando mais poderosos com cada novo aprimoramento que ela recebe.

Aprimoramentos estes que surgem realmente bem justificados ao enredo. Parte das armas que Samus coleta são de sua antiga armadura, e a outra parte são atualizações geradas para sua missão, que foram sabotadas, ou apenas demoraram pra ser entregues.

Achei muito legal ver que nada é pego seguindo um único padrão: As vezes ela precisa ir pra uma sala pra coletar o upgrade, mas a sala foi invadida e ela precisa caçar quem invadiu pra recuperar o upgrade, ou as vezes nem há sala, é tudo uma farsa, pra fazê-la perder tempo. As coisas são complexas!

Movimentos Novos

Além dos costumeiros movimentos como Andar, Disparar e Pular, já de início Samus tem alguns que pra mim foram novidade (lembrando que até então, eu só joguei o Super). 

Ela pode se pendurar nos cantos das paredes, subir escadas, e se pendurar no teto, andando com as mãos ou atirando.

Além disso, dar um segundo "pulo" já estando no ar faz com que ela caia rapidamente, na diagonal. Isso não afeta no alcance dela nas plataformas, mas pode servir como uma maneira de estabilizar a altura de seus pulos pra evitar o dano de inimigos que estejam no ar. 

Ela acaba pegando muitos outros movimentos com os upgrades coletados ao longo da história, e são os seguintes:

Armas e Equipamentos

Mísseis

De início ela coleta os famigerados Mísseis, com um estoque limitado, mas que pode ser renovado seja em Salas de Recarga Infinita, ou coletando os "X" (depois explico isso). Eles sofrem duas mudanças ao longo do jogo, primeiro ficando ainda mais explosivos do que o normal, sendo sua utilidade somente o dano, em alguns inimigos com defesa mais elevada.

O segundo é um dos upgrades mais poderosos, o Míssil de Gelo, que é diretamente relacionado ao "Tiro de Gelo" visto em Super Metroid. O efeito dos dois é exatamente o mesmo: Congelar inimigos pra transformar em plataformas. Mas, a Federação explica que por questões de limitação da armadura nova de Samus, ela não pode usar o "Tiro de Gelo", então eles criaram uma versão disso adaptada aos Mísseis dela.

De certa forma isso reduz a capacidade de uso desse poder, uma vez que os mísseis podem esgotar, mas o limite máximo pode aumentar muito, dependendo de mísseis escondidos por todo o jogo. É um dos itens a se buscar, para assim ter uma força maior.

Apesar de não haverem portas específicas que só abrem com os mísseis, há algumas poucas passagens que só se abrem com esse tipo de disparo. Normalmente blocos escondidos de caminhos secretos.

Também tem um Míssil Especial que Carrega, espalhando o efeito de congelar pros arredores. Ele é pego na etapa final do jogo, e é uma variação da capacidade de Carregar Disparo, mas para os mísseis.

Morph Ball

Isso é mais um movimento do que um equipamento, e é algo que Samus sempre usa, se contorcionando pra virar uma esfera e entrar em locais pequenos. Tecnicamente, ela já devia fazer isso naturalmente, mas parece que sua armadura precisa das atualizações corretas pra realizar as dobras sem causar dano a ela.

Essa Esfera acompanha três upgrades posteriores: Pular, Soltar Bombas e Soltar Super Bombas.

É exatamente como em Super Metroid, no entanto não é possível fazer o "Pulo Explosivo", criando uma cadeia de explosões pra manter a esfera suspensa no ar. Pelo menos eu não consegui de jeito algum.

As bombas causam um dano baixo, e servem apenas pra abrir blocos específicos.

As Super Bombas são mais fortes (não tanto), e também só servem pra abrir blocos específicos. O interessante no entanto é que pra serem lançadas, ao invés de ter uma opção de seleção como em Super Metroid, é preciso apenas "Disparar um Míssil" enquanto estiver na forma de Bola. 

É consumida uma bomba, mas a ação é a do Míssil.

Canhão

Apesar de começar com seu canhão básico, ele é atualizado e melhorado sem a assistência da Federação (pois é, todos os upgrades do canhão em termos de disparos são pegos de forma irregular, mesmo alguns deles sendo criados pela Federação), aumentando muito a força de ataque de Samus.

Há várias etapas de atualização, a primeira consiste no Poder Carregado, permitindo um dano maior caso a caçadora segure o disparo por um tempo. Essa atualização vem em duas partes, uma que afeta apenas o tiro normal, e o outro que afeta apenas os Mísseis, ambas dependendo de segurar o disparo específico dessas armas.

Depois disso vem um monte de tiros diferentes. Um tem como destaque o fato de ser maior, o outro pode atravessar inimigos, o outro atravessar paredes... enfim, é só aquela evolução gradual pra chegar no máximo de capacidade.

Que mesmo assim não pode vencer o chefão. O último upgrade, que é o Disparo de Gelo de Samus, é pego apenas na luta final, nos minutos finais do jogo.

Pulo

Samus recebe 3 upgrades em seus saltos, o primeiro permitindo que ela alcance uma altura consideravelmente maior (e também pule em modo esfera), o segundo permitindo que ela voe, pulando no ar, e o terceiro permitindo que ela destrua tudo que toca.

Samus já pode Pular Girando desde o começo (tudo depende de como o jogador pressiona os direcionais em combinação ao pulo), mas quando ela pega o "Spin Jump", ela pode literalmente voar, pulando no ar e indo até onde o cenário permitir. 

Quando ela aprende a Carregar seus Disparos, ela também energiza o corpo dela, o que causa dano em inimigos caso ela pule (mas cancela a Carga consequentemente). 

Porém, ela também pega um upgrade no final do jogo que torna o pulo dele eletrizado. Ela passa a causar dano em tudo, sem consumo de carga.

Esse pulo é essencial pra abrir passagens secretas, mas... como o jogo é bem linear, é difícil usa-lo antes de concluir os eventos principais. Falarei disso depois...

Corrida

Esse poder é coletado com base numa característica de um dos chefes, mas responde exatamente como as Botas que Samus coleta no Super Metroid.

Apesar de ter as mesmas funções, não há tutoriais dentro da campanha pra usar a Corrida, mesmo que o jogo exija tais conhecimentos. Ela corre ao andar em linha reta sem parar por um tempo, e caso abaixe repentinamente, ela concentra a velocidade e pode voar.

A única informação sobre como usar o efeito secreto da Corrida, fica na Tela Demo (a tela de apresentação do jogo caso se deixe tudo parado por um tempo, no menu principal antes de começar).

Porém, dentro do enredo, Samus já conhecia suas habilidades ocultas, então acaba sendo um problema do jogador não saber usa-las, e não de Samus.

Armadura

Samus perdeu tudo que sua armadura tinha por causa de uma infecção que sofreu antes da aventura (explicarei mais depois). O que restou é bem mais frágil, mas recebe 3 upgrades conforme ela explora a Estação BSL: Varia, Gravity e por fim, a Original.

Todas essas armaduras são parecidas em funcionalidade, ao visto em Super Metroid. a Varia faz com que Samus resista a Altas e Baixas temperaturas, sem tomar dano. Ela ainda recebe dano caso mergulhe em lava escaldante, por exemplo, mas não toma dano pela presença de calor, ou de frio.

Existem X feitos de Gelo que causam um dano gigantesco em Samus ao contato, e fazem questão de persegui-la, mas com a Varia, eles passam a cura-la, e fogem quando podem, justamente por essa armadura regular suas temperaturas.

A Gravity serve apenas pra deixar ela com gravidade estabilizada em qualquer lugar, como de baixo d'água. Seus movimentos ficam sem sofrer influência de peso. Algo curioso porém é que, diferente do que ocorre em Super Metroid, quando Samus passa a poder andar de baixo d'água sem sofrer com o peso dela, ela não ganha "saltos extensos" por causa da água. A armadura não afeta o peso dela, mas sim como o corpo dela se comporta em diferentes condições, regulando pra que ela reaja de forma estável.

Por fim, a "Original", é apenas a armadura que Samus perdeu, que retorna ao fim, com algumas pequenas mudanças no visual. Ela se funde ao modelo original e assim recupera seus poderes, como o Disparo de Gelo pra vencer o chefe. Mas, essa mudança ocorre nos minutos finais da história.

Itens Secretos

Além dos Mísseis que já citei, Samus precisa encontrar as Bombas pra que seu arsenal aumente.

Além disso, há Tanques de Energia escondidos por todo canto, e ela precisa deles pra que sua vida aumente. Cada tanque aumenta uma barra, e cada barra tem 100% de carga (isso é drenado de forma muito variável, dependendo do inimigo).

Isso é tudo que ela pode e precisa encontrar, pra se tornar mais forte, e as vezes, certos upgrades ficam trancados com obstáculos que ela só pode passar com armas ou equipamentos específicos.

O mapa marca itens secretos vistos, com um círculo branco, porém ele não marca os Caminhos Barrados, o que nos faz depender da memória pra lembrar onde podem ter upgrades escondidos. Nem sempre ao acharmos um caminho desses nós visualizamos os itens que ele esconde, então fica ao critério do jogador lembrar.

Uma pena que, por ser um jogo linear, as rotas e acessos são trancados periodicamente, impedindo que o jogador volte pra certos lugares em tempo de coletar os segredos. É possível, mas tudo depende de um timing meticuloso, que em uma primeira jogatina dificilmente ocorrerá, uma vez que o jogador não sabe quando que aquela rota se abrirá ou fechará.

Talvez por isso que depois de concluir a aventura, toda as portas se abrem caso voltemos pro jogo em nosso último save.

Salas Especiais

Falando nisso, a aventura não é salva automaticamente. É preciso ir em Salas com plataformas pra salvar, ou na própria nave de Samus, havendo apenas essas duas alternativas.

Isso é um fator desafiador, pois mesmo havendo várias salas pra salvar, que são demarcadas no Mapa quando descobertas, chegar nelas é demorado, e é mais fácil morrer no caminho do que salvar de fato o jogo.

Pior que, elas não restauram a vida de Samus (apenas a Nave faz isso), sendo preciso ir nas Salas de Recarga, ou se virar pra se curar com inimigos mortos. 

Geralmente, Salas de Recarga, Salas de Salvamento e Salas de Navegação ficam lado a lado, ou bem próximas. Mas há casos e casos, e nas vezes em que as Salas de Salvamento estão isoladas, ou até escondidas, fica bem difícil sobreviver.

Enquanto a sala de Salvamento salva, e a de Recarga regenera vida e mísseis, existe a da Navegação, que tem como função orientar o jogador.

A todo momento, Samus acaba passando por essas salas, sempre no início de alguma fase por exemplo, onde ela tem de conversar com seu Navegador, pra receber os parâmetros da missão vigente. Nessas horas, o Mapa dela é atualizado com o básico de informações, mas muitas rotas ficam escondidas, e nem tudo é mostrado. Samus precisa completar esses mapas, andando pelos locais desconhecidos.

O ruim é que muitas vezes o próprio Navegador abre e fecha portas, forçando o jogador a ir ou permanecer em certos lugares.

Tem também a questão de portas se abrirem e se fecharem com base no progresso do jogador. Isso nem é algo exclusivo das "Portas Coloridas", mas há alguns acessos que se rompem, e outros que são propositalmente fechados pra forçar o jogador a realizar alguma ação específica.

Há mais dois tipos de Salas, as de Upgrade, e as de Segurança. O primeiro tipo normalmente transfere um aprimoramento físico pra Samus, melhorando seu Canhão ou sua Armadura, pelo menos era pra ser assim, mas sempre há algum empecilho que nos impede de usa-las adequadamente.

O segundo tipo serve pra Abrir as Portas Coloridas. E são 4, que não aparecem no mapa (afinal, são as Salas de Segurança), e precisam ser localizadas pra que rotas se abram. 

Portões

Das portas trancadas existem 8 tipos: Coloridas (4), Monstro, Trancadas, Destruídas e de Acesso Limitado.

4 Delas são as Coloridas, que se abrem com Chaves de Acesso, em suas respectivas Salas de Segurança. As portas são Azul, Verde, Amarela e Vermelha, separadas em "Níveis de Acesso" (do 1 ao 4). As portas comuns que Samus abre desde o começo são Nível 0.

É um sistema diferente do visto em Super Metroid, pois uma vez que se encontra a Sala de Segurança da porta que se deseja, todas as portas daquela cor passam a ser abertas, não só pra Samus, mas pra todo mundo. É legal isso pois interfere no enredo e até isso é usado pra contar a história.

Há as Portas Monstro, que quase sempre estão à frente dos Chefes da fases. Essas portas lutam contra Samus, atirando laser de um olho gigante que se abre temporariamente. É preciso destruir essas portas (que viram portas comuns depois), pra lutar contra o chefe, e o bom é que elas sempre soltam um X vermelho (já falo disso).

Existem as Portas Trancadas pela Federação, que são remotamente fechadas para impedir que Samus avance. Normalmente é o que a Federação faz pra que ela acesse a Sala de Navegação, mas isso também é feito pra isolar caminhos inteiros e forçar rotas.

Em certa parte do jogo, a energia da Estação BSL é sabotada, e todas as portas se trancam dessa forma. Apesar de não ser um ato da Federação, quem detém controle sobre essas portas são eles, e no fim do jogo por exemplo, eles que trancam todos os caminhos, pra ajudar Samus a chegar no lugar devido, mas também impedindo qualquer exploração (o que é uma tristeza pois é geralmente nessa hora que temos todos os equipamentos pra pegar todos os segredos pendentes).

Tem Portas que são apenas escombros, e nesse caso nunca mais se abrem. Isso ocorre quando um chefe destrói algum caminho, ou algum evento simplesmente arrasa salas inteiras. Esses portais se trancam pra sempre, mas geralmente outras rotas de acesso pros mesmos locais ficam disponíveis (só é preciso descobrir).

Por fim, uma porta especial que só se abre por dentro, aparece algumas vezes como uma medida pra impedir bisbilhoteiros desautorizados. Samus acessa essas salas após pegar o Tiro que Atravessa Paredes, mas isso não passa em branco. Ela tem sua atenção chamada por ir onde não devia. 

Parasitas X

O "X" é um parasita que mata o hospedeiro aos poucos, absorvendo suas memórias, e também replicando seu corpo posteriormente. Samus acaba sendo infectada por um deles em uma missão, antes de tudo em Fusion começar.

Por causa dessa infecção, ela quase morre, com cientistas tentando remover o parasita cirurgicamente, algo que não funciona. Ele se atrela à armadura de Samus, e ao próprio corpo dela, juntando tudo. Por isso que a armadura dela sofre mudanças...

O que a salva é o uso do DNA Metroid, o Predador natural do X, em seu planeta natal. Cientistas combinam isso ao DNA de Samus e conseguem livrar ela das influências do X, mas, como efeito colateral, Samus passa a absorver o Parasita X, assimilando ele ao seu próprio corpo e armadura.

Pois é, apesar de X ser um parasita replicador, Samus virou meio que seu opositor natural, em combinação com Metroid. É assim que ela se cura, ao invés de sofrer dano, da maioria dos X encontrados no jogo.

De início há os parasitas Amarelos e Verdes. Os Amarelos curam energia vital, os Verdes restauram armamentos, sempre em quantidades baixas. Todo inimigo do jogo é uma cópia criada por um Parasita X, que regride a forma de plasma quando derrotado, sendo esta a forma que Samus pode absorver se entrar em contato.

Os Vermelhos, que são mais raros, restauram uma grande quantidade de vida e armas, mas geralmente só saem de inimigos poderosos, ou das Portas dos Chefes.

Os Azuis são um caso a parte. Em certo momento, Samus sem querer libera acesso ao parasitas para uma área Termal. Lá, eles evoluem, e aprendem a resistir a uma de suas maiores fraquezas: O Frio. Eles se adaptam ficando azuis, e congelando seus alvos, no entanto Samus também se adapta a isso.

Inicialmente os Azuis causam dano, congelando brevemente Samus, sem contar que são indestrutíveis. Mas quando ela coleta a Varia, ela resiste ao frio deles e passa a absorvê-los também, se curando.

Observação: Aparentemente, os X tem uma consciência coletiva. Isso pois, além de todos os X parecerem agir em prol da mesma ideia, existem vestígios de comunicação entre eles, como quando Samus ganha a armadura pra resistir aos Azuis. 

Na primeira leva de Parasitas Azuis, eles avançam nela, pra causar dano, e são absorvidos. Posteriormente, todos os Parasitas X Azuis passam a fugir de Samus ao invés de ir ao seu encontro. Isso ocorre depois deles morrerem, ou seja, os novos que surgem tem consciência da ameaça.

Bem, tem alguns Parasitas X que criam defesas, e por isso não podem ser absorvidos até que sejam destruídos, sendo um tipo adaptado de X. 

Eles podem se combinar, virando uma versão cada vez maior, e são encontrados algumas vezes.

Seguindo esse tipo, há os Parasitas X Gigantes, estes já sendo sempre letais. Eles assumem uma forma agressiva, que protege o núcleo (o plasma) e os permite resistir à absorção de Samus. A barreira deles é a única coisa que os protege, e sempre aparecem após a morte dos Chefes, resultando num desafio duplo em seus combates (da pra vencer o chefe e perder pra eles, o que simplesmente faz tudo voltar na Sala de Salvamento!).

Tecnicamente, esses Super Parasitas X são a união de vários parasitas simples, pois sempre que são atacados eles expelem X menores.

Os X tem a capacidade também de replicar objetos, como o caso das Estátuas Chozo, ou até Itens como os Mísseis. Porém eles tentam adaptar esses objetos ao seu DNA, os absorvendo e convertendo em algo vivo. 

De início até parece que eles só conseguem copiar coisas vivas, mas não é o caso. De fato tem alguns Mísseis e Tanques escondidos que viram "Morcegos Mísseis" só pra enganar o jogador, e são meramente Parasitas X.

Existe também um inimigo importantíssimo baseado no X que mistura orgânico e artificial, e se reproduziu na armadura de Samus, ou no que restou dela... mas falarei disso depois.

Mapas e Mudanças

Toda a história se passa numa Estação Espacial de Estudos e Pesquisas Biológicas chamada BSL (Biologic Space Laboratory). Ela é enorme, e replica vários planetas diferentes em setores separados por Portas e Elevadores.

Samus deve entrar nesses Setores e explorá-los, caçando a ameaça X e também coletando informações pra Federação. Na verdade, meio que há vários complôs em torno de sua missão principal, mas ela só percebe tudo tarde de mais.

A questão é que, cada Setor tem seu próprio mapa, e sofre alterações com o tempo. Isso torna tudo ainda mais linear, e essas mudanças vão desde estruturais até climáticas. Falarei desses lugares, e suas mudanças.

Base da Estação BSL

Samus viaja para a Base pois uma explosão chamou a atenção da Federação, quem não obteve mais atualizações dos cientistas que lá estavam.

A parte onde a Nave de Samus ancora, é a Base da Estação, antes de qualquer acesso aos seus setores. Nela, de início, há apenas destruição parcial, com uma ambientação de mistério.

Mas assim que o primeiro parasita X se revela, replicando uma criatura, a coisa desanda, e Samus descobre que a estação está contaminada, e aparentemente todo mundo morreu.

O principal monstro que surge nessa região é um Zumbi de Plasma, provavelmente os corpo de cientistas mortos ali, replicados parcialmente por parasitas X mais fracos.

O lugar fica inacessível depois que Samus chega no corredor de acesso aos Setores. O elevador é sabotado, e demora pra Federação arrumar remotamente. 

Depois de um tempo, quando todos os Setores são visitados, o elevador volta a funcionar, só pra de repente falhar outra vez, agora por falta de energia. Daí rola toda uma missão de Samus se infiltrando pelas tubulações pra restaurar a energia da Estação. Nessa hora, rotas que conectam os Setores começam a aparecer.

Interessante que algumas coisas surgem no cenário, como Pupas de aliens que brotam posteriormente, saídas de um dos setores.

Enfim, é na Base que Samus encontra uns velhos amigos também.

Setor 1 - SRX - Simulação do Planeta SR388 

O "X" no nome parece uma brincadeira com o nome do parasita que clona as coisas, quase como um prelúdio involuntário da Federação para a invasão do Parasita X em sua estação.

Esse setor simula o planeta de origem de Metroid e do parasita X, planeta no qual a Estação orbita. Como um dos focos de estudo é o parasita, é inicialmente aceitável por Samus a existência de todo uma área ambientada pra simula-lo... no entanto.

Essa região servia para estudar algo que a Federação não deveria, e no fim traz uma das revelações mais impactantes: A Federação replicava Metroids.

De início, ela tem os Estabilizadores Atmosféricos danificados pelos próprios X (que lembre-se, viviam no planeta SR388 então, não tinham porque adaptar a atmosfera do setor que literalmente já adaptava!). Por mais que a Federação afirme que os X estão sabotando pra se adaptarem, na verdade eles estavam tentando destruir a Estação.

Samus é mandada pra limpar os Estabilizadores, só estendendo seu tempo ali.

No final, quando Samus tem de fugir da Estação, ela vê alguns Ovos de Metroid eclodidos, mas sem Metroids no caminho, pelo menos não até chegar no final.

Setor 2 - TRO - Setor Tropical

Como o nome sugere, esse é o setor que replica tipos de vegetações diferentes, de planetas diferentes.

Na primeira visita de Samus, há larvas andando pelos cantos, que posteriormente se transformam em Pupas. Elas só fazem a metamorfose pra Insetos Voadores quando o setor inteiro expande, e invade a Base da BSL. Isso é importante pois, essas Larvas são apenas Cópias X, não são os animais reais.

O processo de evolução dessas criaturas é algo biológico delas em vida, e não uma circunstância provocada pela cópia X. 

Logo, os X conseguem simular a evolução, desenvolvimento e crescimento de suas cópias. O que significa que com o tempo, podem se tornar mais e mais inteligentes caso consumam criaturas inteligentes.

É por essa inteligência que eles afetam o Reator e consequente fecham todas as portas, drenando toda a energia da Estação. O Parasita X acaba se fundindo a plantas que evoluem saindo do Setor TRO. 

Elas conseguem sair do Setor e invadir a Base, o que causa um grande transtorno pra Samus.

Setor 4 - AQA - Setor Aquático

Esse Setor é o que trata de criaturas aquáticas, por isso ele é cheio de tanques de água ou derivados. Porém, na primeira visita de Samus, ela encontra cabos de eletricidade rompidos, que eletrificam toda a água, dificultando a passagem.

Ela pode resolver isso, drenando boa parte da água superficial do setor, o que ajuda a continuar explorando ele. Porém, mais água e até uma parte totalmente submersa é visitada depois, não por acessos normais, mas por Dutos saindo do Setor 5.

Setor 3 - PYR - Setor Quente

De início, esse setor nem tem criaturas soltas. O Parasita X não tinha acessado ele, e Samus quem abre as portas pra isso acontecer.

Ele é um setor para criaturas de ambientes áridos ou com temperaturas elevadas, com partes cheias de areia, ou lava.

Um robô acaba destruindo boa parte desse setor, além de haver uma parte com Contagem Regressiva pra que Samus salve a Estação de outra sabotagem dos Parasitas. Eles tentam explodir tudo, modificando um Reator no Setor 3, mas é bem na hora que Samus ta explorando o Setor 5. É bem tenso correr até ele, e vencer a ameaça.

Setor 6 - NOC - Setor Escuro

Esse é um setor para estudo de criaturas noturnas, mas não chega a ser tão sombrio. Ele tem menos luz que o normal, mas não é nada que impossibilite enxergar (Samus tem uma lanterna padrão em sua armadura, pra iluminar levemente os arredores).

É nessa região que aparecem os X Azuis, saídos direto do Setor Frio após se adaptarem, por um caminho alternativo. Também é nessa parte que um X tenta impedir Samus de se equipar com a Armadura Varia, roubando ela primeiro.

Setor 5 - ARC - Setor Frio

Esse é o Setor Frio, que é impossível de acessar sem a Varia (por isso Samus vai primeiro no Setor 6), pois é congelante e Samus toma dano muito rápido enquanto estiver exposta ao frio. 

Nele é onde Samus encontra a atualização de Gelo pros Mísseis, algo que a Federação nem queria que ela pegasse. Era meio que um protótipo, escondido dela para não servir de arma, afinal é uma das fraquezas do X. 

Esse setor tem como destaque uma sombra gigante que passa por uma das salas, de tempos em tempos. Essa sombra é de um dos chefes, que estava isolado no setor para estudo, e posteriormente escapa, destruindo tudo.

É nele que ocorre o primeiro Sinal de Emergência com Contagem Regressiva. Quando Samus consegue sua arma de Gelo, ela tem de correr até o Setor 3 pra impedir que o Reator Exploda por interferência de mais um Parasita X.

Depois que o monstro que voava escapa, ele arrebenta tudo no setor, e faz com que o gelo descongele, daí algumas passagens para o Setor 4 são liberadas, permitindo uma exploração mais profunda do mapa da água.

Aliás, falando ainda da questão Metamorfose, os Parasitas X também assimilam e se adaptam em suas formas copiadas. 

Muito disso é mostrado na água, em peixes que podem se fundir, ficando ainda mais resistentes, ou os aliens humanoides que se adaptam dentro da água pra ter mais mobilidade, virando quase sereias.

Essas criaturas mostram que os X podem evoluir bem mais que apenas o natural de seus hospedeiros, eles podem criar características para se adaptarem.

Setor X - Ala dos Metroids

Por fim, um setor especial pode ser visitado por Samus, antes dele inteiro ser ejetado da Estação e explodido em pleno espaço.

Era o setor de pesquisas com Metroids, onde a Federação cometia o crime de replicar esse ser, em seus diferentes estágios. Foi acertado que Metroid era perigoso de mais, afinal apesar de gerar muita energia, ele também drena vida. A Federação no entanto passou a trabalhar secretamente com eles, gerando mais e mais Metroids em sua estação.

Foi isso que atraiu os Parasitas X, e foi por causa disso que toda a história de Fusion ocorreu.

É que, a Federação também cometeu o erro de enviar os restos da Armadura de Samus para estudos do parasita, na BSL.

Esses restos se personificaram, em uma nova Samus... mas já falo disso.

Observação: Como joguei apenas o Super antes desse, eu nem sabia que o Metroid tinha essas formas maiores. Pra mim, ele apenas crescia (assim como aquele visto no final do Super), mas não... aquela forma era apenas a larva mesmo, com crescimento avantajado pelo alto consumo de matéria. Normalmente os Metroids evoluem passando por metamorfoses em pupas.

Personagens

Samus Aram

Então, no início do jogo Samus tenta se matar, atirando sua nave num cinturão de asteroides, o que explode a clássica nave Laranja.

Isso só acontece pois ela perde o controle do corpo e da mente, após um Parasita X começar a agir, parasita este que a infectou em uma missão de exploração no planeta SR-388. 

Ele tenta executa-la, mas ela se salva ao ser ejetada pro espaço antes do impacto da nave. 

Depois disso, os cientistas da Federação bancam os açougueiros em sua armadura, tentando remover as partes mas, com o parasita dominando Samus rapidamente, eles acabam apelando pra vacina Metroid. 

Samus então se torna resistente ao parasita, mas fica com sua armadura sucateada, e sem suas habilidades. 

A federação, na promessa de atualiza-la, aproveita a vantagem de seu estado "imune" e a manda pra Estação BSL, com uma nave nova, pra coletar informações.

Ao chegar na BSL, o jogo começa.

Dessa vez Samus fala bastante durante o jogo, não diretamente, mas por monólogos constantes nos Elevadores. Ela comenta a respeito da missão, e também sobre coisas do passado. É nesse ponto que uma relação com eventos de "Other M" é mencionada. Se desconsiderarmos as conversas, este parece apenas uma continuação direta de Super Metroid. No entanto, Samus viveu muito tempo até chegar em Fusion.

Ela tem um trauma, da perda de um colega, seu primeiro Navegador, Adam. Até então esse personagem nunca foi mencionado, e de fato fica um mistério sobre quando ou onde este Adam apareceu. Em Super Metroid Samus não tem nenhum navegador. A história dele só é contada em Other M, jogo que saiu 8 anos depois de Fusion, como um prequel.

Samus não explica como ou quando seu antigo comandante e navegador faleceu, mas ela faz questão de dizer como ele se comportava, e como ele a chamava, tudo pra nos preparar psicologicamente pra revelação no final. 

Acho intrigante o jeito como apresentam Adam. Na época, o Other M tava longe de existir (foi lançado apenas em 2010), e mesmo assim eles mostram como se tudo fosse de fato um evento recente, e traumatizante. Ela toma espaço da trama, no meio de uma missão perigosa, pra refletir sobre um passado que nós estávamos longe de conhecer.

Porém, isso é bem confuso de início. Até pra quem jogou o Super, e os anteriores, a repentina menção ao personagem nos faz sentir que tem peça faltando, que pulamos algum título, e que estamos perdendo dados. Mas na verdade, naquele tempo, esses dados nem existiam. Eles apenas colocaram pra que servisse de contexto para uma reviravolta posterior, e também pra deixar Samus mais humanizada.

De fato, Samus se torna mais humana aqui, mesmo que ainda seja bastante misteriosa, e raramente dê as caras.

Seu visual real, sem a armadura, pode ser visto somente quando ela morre, onde tudo explode e ela perde seu revestimento. Ou, no fim do jogo, caso o jogador pegue 100% dos itens e termine em um tempo bom (menos de 2 horas se não me engano).

Federação

Esse grupo governamental espacial é quem coordena e atarefa Samus em seu trabalho de Caçadora.

Eles estão muito mais presentes aqui, e apesar de não aparecerem fisicamente, há conversas de Samus com o QG o tempo todo, através de seu Navegador.

Em raros momentos, aparece uma terceira pessoa nas conversas, como em uma parte onde o Navegador responde todo suspeitoso, a um superior, que questiona se Samus percebeu alguma coisa.

Isso acontece pois apesar de Samus responder diretamente a eles, o grupo não parece zelar muito pela caçadora, chegando ao cúmulo de sabotar a missão, pra impedir que ela descobrisse de mais, ou tentasse impedi-los.

É que, de início, a missão de Samus é averiguar a situação do Laboratório Espacial. Eles a mandam por ela ser resistente a possível ameaça de lá, mas além disso, eles monitoram a moça, anotando suas descobertas.

Eles a usam como uma cobaia, não só pra ver até onde sua resistência chegava, mas para estudar o comportamento do Parasita X.

É que, para a Federação seria vantajoso dispor de uma ferramenta tão versátil quanto um Parasita que Replica Corpo e Mente dos hospedeiros, algo que é muito reforçado pela anomalia que surge destruindo a BSL: SA-X.

SA-X

Os restos da armadura de Samus dão forma a uma nova Samus, intitulada "Samus Aram X" ou apenas SA-X. O parasita X assume essa forma, junto com as habilidades e equipamentos de Samus. Mas o que chama a atenção da Federação é o fato dela "pensar" como a Samus original.

SA-X não fala, mas suas ações contra a BSL são uma evidente tentativa de detê-los. Ela até ataca a Samus original, várias vezes, sendo uma ameaça constante... mas ela o faz como forma de parar a Federação e seus estudos irregulares.

Samus é contra o uso do Metroid, afinal ela mesma já presenciou e viveu as atrocidades que ele poderia causar nas mãos erradas, e lutou muito pra evitar que isso acontecesse. Descobrir que a própria organização que a emprega estava fazendo uso dessa criatura para tirar proveito, faria ela agir contra imediatamente.

Foi isso que SA-X fez ao se personificar. Sua natureza percebeu a presença de Metroids na BSL, onde ele havia sido confinado, e inicialmente ele escapou pra se proteger. Porém, conforme foi se adequando a mente e corpo de Samus, o parasita passou a lutar pra encontrar os Metroids e elimina-los, assim como queria destruir toda a BSL e suas pesquisas, mesmo que isso custasse sua própria existência.

Samus não faria diferente, e de fato, ela não faz. 

Não é difícil imaginar como a Federação queria usar o Parasita X, tanto que, eles estavam observando bem de perto tudo o que cada um dos SA-X fazia, paralelo ao que Samus fazia, e estavam empolgado com a ideia de terem um exército de Samus. E sim, haviam pelo menos 10 SA-X ao mesmo tempo na BSL.

Os Parasitas X se reproduziam por osmose, então a Federação estava permitindo a evolução e propagação deles propositalmente, sacrificando tudo na BSL por isso.

No fim do jogo, eles próprios vão buscar o projeto de ciências, mas Samus os impede fazendo o que sabe fazer de melhor. Ela também busca impedir a Federação, mesmo que pra isso tivesse de se sacrificar, por isso que no fim, quando a Federação ordena que ela recue, ela faz questão de explodir tudo.

Observação: SA-X possui, além da mesma armadura, as mesmas armas que Samus tinha em Super Metroid, como o Míssil Verde (que explode portas resistentes), e o Salto Espacial Eletrificado (que tem cor diferente).

Isso recebe certo destaque em sua aparição inicial, justamente pra mostrar que ele é a personificação daquela Samus. Isso faz ele ser muito mais poderoso do que a Samus atual, pois ela era mais forte do que agora em Fusion. E é por isso que ele consegue, por exemplo, explodir paredes inteiras.

Navegador

Apesar de estar sempre em contato com Samus, e dar dicas essenciais para ela avançar, o Navegador é apenas uma Inteligência Artificial de Suporte, que foi disponibilizada pela Federação para orientar a Caçadora de Recompensas.

Porém, quando Samus nota os reais planos de sua organização, ela decide se voltar contra eles, e tem o apoio dessa IA, por incrível que pareça.

É que, pouco antes de decidir jogar tudo pro ar e destruir a BSL, Samus chama sem querer a IA de Adam, lembrando de seu antigo colega (na verdade ela já chamava a IA assim, mas apenas pra si mesma, nunca em voz alta, quando fala isso em voz alta, a IA reage). Isso faz a IA reconhecê-la, e automaticamente assumir o comportamento de Adam, afinal, ela era formada com a mente do falecido comandante.

Só por isso, Samus ganha um plano perfeito para deter tanto os Parasitas X, quanto os Metroids que a Federação havia replicado: Destruir a BSL e o Planeta SR388 numa tacada só.

Adam

Por fim, eu não sei quem Adam foi, mas o fato dele ter sido usado pra gerar a IA de suporte significa muito pra Samus. 

Ela só confiava nele como seu comandante, raramente obedecendo ordens de outros. Por isso que talvez a Federação usou a mente dele como modelo, para tentar regulamentar Samus, e mantê-la sob controle.

Mal sabiam eles que Samus e Adam se davam bem pois tinham princípios parecidos. Assim como ela menciona, Adam se sacrificaria pelo bem maior, algo que fez por ela, pra salva-la no passado (sem dar detalhes). Então, esse resquício do velho Adam faz quase o mesmo, mas usando os recurso de sua mente e controle sobre a BSL pra guiar Samus nos momentos finais.

Apesar dele agir como assistente na maioria das vezes e um pseudo vilão em nome da Federação na rota final, Adam é um aliado, um dos poucos em quem Samus pôde confiar.

Animais Espaciais Salvos

Outros aliados são os bichinhos que ela resgatou do falecido Planeta Zebes. 

O Pássaro grandão agora tem um filhote, e os 3 macaquinhos continuam agitados e saltitando. Todos eles estavam alojados na Estação Espacial, para estudo.

Eles acabaram sendo os únicos sobreviventes da invasão X, e são resgatados pela Caçadora, que os reconhece de antes.

No fim, eles retribuem mais este salvamento, agora pilotando a nave dela e a resgatando. Fato é que eles sabiam pilotar naves (fizeram isso pra fugir de Zebes antes).

Eles realmente não tinham sido infectados com o parasita (Adam faz questão de falar ao vistoria-los e protegê-los na nave de Samus). E se não fosse por eles, ela teria morrido na explosão.

Inimigos

Bem, existem muitos alienígenas mas, como todos são meras cópias feitas pelos Parasitas X, acredito que já será suficiente falar dos Chefes. Aliás, não sei a razão de em Wikis por ai chamarem estes chefes pelos nome reais deles, ou mudar como é o caso do "Neo Ridley", sendo que todos eles são na verdade "X" transformados. Seguindo o padrão de Samus mesmo, o certo é chamar eles de "Nome-X", por isso usarei esse padrão.

Arachnus-X  - Chefe da Base da Estação

O primeiro chefe, é uma cópia de um Tatu Bola espacial chamado Arachnus, que a BSL estudava. 

Apesar de sofrer dano somente pela frente, todos seus ataques são frontais, o que dificulta isso. Ele ataca com suas garras, criando ondas de energia... 

Pode virar uma bola indo em direção á parede... 

E pode tacar fogo, mas é fácil evitar isso tudo usando os cantos penduráveis do cenário pra sair do seu alcance. Daí Samus precisa atacar nos breves intervalos que ele dá.

Quando derrotado, o primeiro Super Parasita X aparece. Uma versão toda revestida de X, que não pode ser tocado. Samus precisa expor o núcleo e enfraquecê-lo (o que o fragmenta a cada ataque, soltando X menores), até ele explodir e restar nada mais do que o X para absorver.

Sempre que esses Super Parasitas são absorvidos, uma característica de seu antigo hospedeiro é passada pra Samus. Logo, ela aprende coisas que os chefes faziam. Aqui, ela reaprende a Morph Ball, mas não como uma função mecânica de sua armadura, e sim como um poder, tirado de Arachnus pelo X.

É importante isso pois seguindo a lógica, não daria mais pra ela perder essa habilidade, uma vez que está atrelada ao seu DNA agora.

Estátua Chozo-X: Chefe do Setor 1

Fazendo alusão as muitas Estátuas Chozo vistas em Super Metroid (que entregavam os upgrades de Samus lá em Zebes), um X assume essa forma e finge ser um suporte, até Samus se aproximar e ele se revelar um Super Parasita X.

Acontece que, os parasitas X preferem copiar coisas orgânicas e vivas para sobreviverem, e na lógica uma Estátua não seria viável. Porém, a BSL tinha amostras dessas estátuas em meio a várias outras criaturas vivas, e elas tem aparência de seres vivos, e o X caiu no bait.

Quando os X assumiram o controle de tudo, acabaram tomando a forma de algumas estátuas, se condenando a uma existência inativa e imobilizada. De certa forma, Samus salva esse X ao destruir parte da Estátua e libera-lo.

Tecnicamente, ele só queria dar um abraço de agradecimento.

Esse é um do poucos chefes que não é enfrentado na forma Mimetizada, e o Super X já assume a defensiva de cara.

Observação: De tempos em tempos, ele dispara um raio de energia, baseado no poder que tomou da Estátua Chozo real.

Ao vencer, Samus absorve esse poder, ganhando a capacidade de Carregar seus disparos naturais. E repito, na lógica esse poder se tornou permanente nela, pois faz parte de seu DNA, e não apenas da armadura.

Zazabi-X - Chefe do Setor 2

No mapa das plantinhas, Samus encontra um chefe que parece um... bem... um negócio indecente gigante que pula. 

É uma forma alienígena bastante esquisita, mas a BSL tinha sob sua proteção para estudos, até ser morta e clonada pelo X.

Samus derrota a forma copiada atacando dentro do corpo da criatura pulante, até ela reduzir de tamanho. Ela só se torna vulnerável quando ataca caindo lentamente. 

Depois de enfrentar o Super X que sai dela, ela absorve o poder de Pular Alto e pular como Morph Ball. 

Serris-X - Chefe do Setor 4

Outra criatura protegida pela BSL e tecnicamente extinta agora é o Serris, uma criatura aquática rara, que tinha como principal característica a velocidade em que nadava. A Federação queria replica-la mas, o X matou a última pelo que parece. 

Quando Samus vai verificar os sinais de vida saídos do viveiro da serpente, ela já vai preparada pra lutar, mas com a esperança de encontrar a criatura ainda viva. Só tem esqueleto na água.

A criatura surge uma sala depois, já copiada, e é extremamente veloz, além de sofrer dano somente na cabeça.

Ela acelera seus movimentos sempre que atingida por um disparo, e Samus tem de fugir evitando cair na água (pois ela fica pesada). A criatura pode se mover por todo o cenário, mas tem certos padrões.

Samus pode escapar da maioria dos movimentos se pendurando pelos cantos e plataformas.

Após vencido, o Super X revela seu corpo protegido. Nessa forma ele não ataca com tiros, mas, ele se move mais rápido que Samus na água, o que dificulta muito o combate caso ela esteja submersa.

Ao ser derrotado, ele libera o Poder de Correr pra Samus. Repito, por ser uma absorção de poder, tecnicamente, Samus nunca deverá perder sua velocidade novamente.

Robô de Segurança B.O.X. - Setor 3 e 6

Esse chefe aparece duas vezes, na primeira sem estar infectado, e bastante funcional.

Ele destrói boa parte do setor 3, e tenta impedir o acesso ao Super Míssil que Samus precisava equipar. De início parece que ele está sob controle dos X, mas na verdade, ele estava agindo por ordens da Federação, com uma baita falha de comando.

Mesmo que isso não seja dito em parte alguma, é suspeitíssimo uma máquina de segurança apenas sair destruindo tudo, sem o menor respeito pelo patrimônio e pesquisas da BSL. Sem contar, que em certa parte do jogo, a Federação alega que não queria que Samus ficasse forte ao ponto de vencer os SA-X, pois queriam estuda-los. Razão pela qual devem ter tentado sabota-la.

Porém, é bem provável que o robô tenha confundido Samus com o SA-X, por isso passou a ataca-la desenfreadamente. Isso também explica a razão dele não seguir os padrões de outros chefes (ele não tem o Portão de um Chefe, e ele foge depois do primeiro encontro).

O robô na primeira luta atira Granadas de Fogo e dá investidas, saltando e andando. Ele pode ser evitado por Samus com ela se pendurando no teto, mas as granadas criam pilares de fogo móveis.

Ele sofre dano apenas enquanto se move, e somente em uma pequena fissura entre suas defesas, por cima. Conforme danificado, a parte que protege seu cerne some, revelando um grande cérebro orgânico no meio da máquina, fazendo com que fuja pra se proteger.

A segunda vez que ele aparece, é depois de Samus tentar acessar a região proibida no fundo do Setor NOC. O alarme de segurança atrai o robô que acaba mais uma vez destruindo o caminho e arrebentando paredes, tudo para atrair Samus pra um local mais aberto e sem pontos seguros para ela, sem nada pra se pendurar no topo, e com água no chão.

A água fica eletrificada por causa do robô, que tem energia vazando junto com fumaça de tão quebrado que está. Além disso, ele aparece infectado com um Parasita X. Essa infecção só foi possível por causa dos ataques de Samus na primeira luta, que expôs a parte orgânica dele, o cérebro.

Samus pode destruir blocos de Super Bomba pra liberar alguns pontos pra se segurar, e assim evitar contato com a água e o robô.

Quando derrotado, o Super Parasita X que sai dele entrega uma atualização pro Canhão, o Tiro que Atravessa Paredes. Esse poder é obtido irregularmente, e só com ele Samus consegue violar a zona de segurança e acessar a área proibida, desmascarando a Federação e seu projeto Metroid.

Observação: O único chefe que não tem uma "Porta de Chefe" é esse robô, em ambos os encontros, o que torna suas aparições e combates bem inesperados.

Parasita X com Proteção - Chefe do Setor 6

Perto de obter a Armadura Varia, Samus é atrasada pois um Super X destrói a capsula de atualização, e absorve o poder pra si.

Então ele surge sem precisar parasitar outra criatura, e apenas melhora sua própria defesa, aumentando de tamanho, e ganhando um escudo ainda mais forte, formado por versões menores de si mesmo, o rodeando.

Enquanto se move, Samus detona cada um dos mini X com mísseis, até deixa-lo vulnerável, e combater sua forma grande, seguida pela menor, reduzindo-o até poder absorvê-lo, e resgatar a Varia.

Neste caso, o upgrade é da própria Federação, enviado pela plataforma de atualização, porém o X interviu, e o absorveu (o que sugere que os X podem absorver e converter Dados em material Orgânico). 

Como sempre, este é mais um traço adicionado ao seu próprio DNA, mesmo sendo algo originário da Federação, uma vez que foi absorvido pelo X, também foi por Samus e sua armadura integrada.

Cientista-X - Pseudo Chefe do Setor 3

Quando Samus recebe o alerta de que vai tudo explodir por causa de alguém mexendo no reator no Setor 3, ela corre e encontra um cientista, mexendo nos controles.

Porém era apenas um Super X mimetizando um falecido cientista, que nem chega a lutar, apenas retorna a forma parasita e ataca.

Pelo que parece, o parasita usou a mente do cientista pra reprogramar o sistema e mais uma vez tentar destruir a BSL. Por isso ele não luta, ele não tinha força física, apenas mental. Isso atrai a atenção da Federação, e a possibilidade replicar suas maiores mentes, de um jeito ainda melhor que o sistema IA.

Vencer ele restaura o sistema, e libera um Tiro melhorado e mais espalhado pra Samus.

Yakuza-X - Chefe da Estação BSL Sem Energia

Quando a energia elétrica acaba de toda a Estação, é por causa desse chefe, um Yakuza replicado, que parece com uma aranha, mas com 6 patas.

Ele anda pelas paredes em uma sala bem funda que Samus cai, e fica se movendo pra todo canto, atirando bolas de fogo, e tentando agarra-la, pra joga-la de volta no chão com força em queda livre.

Ele tem 2 formas, sem contar o Parasita X, pois assim que suas pernas são detonadas, ele começa a girar ensandecido, voando de um lado ao outro em alta velocidade, jogando uns vermes de tempos em tempos.

Derrotando-o, o Parasita X toma forma, e após vencer mais este desafio, a habilidade de Voar Girando é absorvida. 

Neste caso, é mais uma característica do alienígena, e não um mero equipamento (se baseia na versão dele sem patas e seu mecanismo de defesa em voar girando). Mesmo que Samus já tenha feito esses movimentos antes, agora é algo biológico e entrelaçado com seu DNA. Pelo menos na lógica.

Nettori-X - Chefe do Setor 2 Sem Energia

Após recuperar a parte elétrica ao vencer a aranha, Samus ainda precisa descobrir a origem de cipós e plantas que tomaram toda a sala, e assim chega no Setor 2, onde se depara com a cópia de Nettori, uma Planta enorme.

Diferente dos demais chefes, este é composto por muitos seres aglomerados. O Parasita X tentou copiar uma Estátua Chozo, como lá no começo, mas dessa vez a cópia se expandiu e acabou afetando toda a flora local. Por isso, ele não só copiou a estátua, como todas as plantas que a cercavam.

Esse chefe apenas dispara esporos, do topo, enquanto fica parado no canto. Depois que sua parte superior é destruída, ele passa a atirar Lasers Triplos, mas permanece sem se mover.

Vencê-lo é complicado pois as plantas que ficam na parte inferior são armadilhas cruéis, que ao morderem Samus (caso caia nelas) simplesmente não soltam mais, gerando uma derrota inevitável.

Os esporos vem aos montes e empurram com o dano, e o ponto fraco é somente a Estátua Chozo, por isso é bem fácil cair enquanto tenta atingi-la no canto da tela.

Vencendo, todas as plantas morrem junto com a Estátua destruída, e o Super Parasita assume sua forma costumeira pro segundo combate, seguido de absorção.

Aliás, ela usa os Lasers Triplos do Chozo também, periodicamente.

Ele entrega esse Laser Triplo, e provavelmente era um elemento natural da Estátua Chozo verdadeira, que se converte num traço do DNA de Samus.

Nightmare-X - Chefe do Setor 5

Esse chefe é um robô, com partes orgânicas. Ele surge de forma bem suspeita após a Federação apontar uma falha nos sistemas do Setor ARC. Ele sempre esteve lá, mas só se torna uma ameaça após infectado pelo X.

Era ele o monstro que gerava a sombra sempre que Samus passava pelo setor, e quando ele é infectado, ele destrói tudo, se tornando o chefe.

Ele tem basicamente 3 etapas de batalha, mudando um pouco a aparência, e principalmente alterando suas ações. De início ele voa em ziguezague e só recebe dano com tiros vindos por baixo. Seus braços e resto do corpo são imunes, e bloqueiam facilmente os disparos, sendo preciso ficar vulnerável aos encontrões dele, pra poder atingir. Paralelo a isso, ele dispara energia dos canhões nos braços.

Depois de algum dano, ele passa a manipular a gravidade, negando o dano de Mísseis (que não conseguem pegar impulso pra subir). Nessa parte apenas o Canhão causa dano, e ele passa a voar ainda mais perto do chão.

Na terceira etapa, seu rosto derrete, e ele passa a voar por todo o cenário, em círculos, recebendo dano somente pela frente, no rosto ferido. Nesse caso, Samus precisa tentar manipular e prever onde ele parará de girar, pra atirar, seja na diagonal ou reto.

Uma vez vencido, ele se converte em Super X e depois, libera uma Armadura nova, a Gravity.

Nesse caso, a armadura que Samus pega não era um upgrade da Federação, mas sim uma característica desse chefe e sua manipulação gravitacional. Este é mais um dos poderes vinculados ao DNA de Samus, o que torna ela naturalmente resistente a influência gravitacional.

A armadura dela é alterada, e claro, sem a armadura ela perde esses efeitos, porém a armadura faz parte dela agora, logo... ela não perderia por nada.

Ridley-X - Chefe da Estação BSL

Esse é o escandaloso Pirata Espacial arqui-inimigo de Samus, sempre dando as caras de alguma forma.

O pterodátilo berrador espacial reaparece aqui, mesmo após sua fatídica derrota em Super, agora como um dos materiais de pesquisa da BSL. É possível vê-lo congelado ainda na entrada da BSL, numa sala abaixo de zero, com direito a uma trilha de suspense.

Aparentemente eles pegaram seu corpo e estavam estudando, ou preservando pra algum fim científico. 

Ele acaba se "libertando" perto do final do jogo, quando um X consegue adquirir resistência ao frio e invade a câmara dele, destruindo seu corpo, e criando uma cópia dele.

Ridley-X é o encontrado no Setor 1, como um chefe nas tubulações, e de início ele tem a mesma forma de Super Metroid, mas ele muda pra um novo estilo assim que o X consegue dominar seus poderes. Tecnicamente, ele o penúltimo chefe, pois os próximos acabam sendo uma luta sequencial.

O combate com ele é padrão Ridley: Grito, Bolas de Fogo, Caldadas e Voo.

Ele tenta dar investidas em Samus as vezes, capturando-a e levando pro alto pra deixo derruba-la. 

E fica atacando com o rabo.

Ao ser vencido, o X que o copiou assume sua forma atacante, e depois libera o Pulo Elétrico, mas logo em seguida vem a etapa final do jogo, e mal da pra aproveitar esse poder pra explorar.

Assim como todos os poderes adquiridos de cópias de X, Samus obteve este como uma característica de Ridley, poder inspirado talvez em suas bolas de fogo.

SA-X

E por fim temos ele, ou eles, ou elas. Samus Aram - X é o clone de Samus, a partir de sua armadura combinada com o Parasita X.

Mas, ele passa a se multiplicar pela nave, então vira e mexe ta pelos setores causando algum tumulto.

De início ele se aproveita do avanço de Samus pra acessar novas regiões e explorar antes dela, mas depois ele começa a invadir locais com seu poder bruto, sempre vários passos a frente da caçadora.

Isso pois SA-X tinha as memórias dela, e os poderes de sua armadura original. Ele é tão implacável que nenhuma luta contra ele é permitida até que seja a hora certa do combate. Caso Samus tente, ela é facilmente derrotada sem tempo de reação.

SA-X aparece as vezes, andando por corredores e vasculhando arredores. Samus sempre deve se esconder, ou em um caso mais tenso, fugir.

Mesmo quando ela obtém o Míssil Congelante, que é a maior fraqueza do Parasita X, o SA-X aprende a resistir e no máximo fica brevemente congelado, sem tomar dano algum.

Isso pois também há um momento que nada lhe causa qualquer arranhão, que é quando ele descobre os Metroids e tenta destruí-los.

SA-X ignora Samus, e apenas ataca desesperadamente os Metroids, isso enquanto o setor inteiro é ejetado e explodido. Ele faz questão de segura-los, pra se sacrificar junto deles.

Ao ver isso, Samus tem a mesma ideia, e decide eliminar a BSL inteira pra se livrar logo de todos os X. Ela de início desobedece as ordens do navegador, que informa que a Federação estava a caminho pra capturar todos os X. Mas, assim que ele se identifica como Adam, ambos montam um plano perfeito pra acabar com tudo, sem perder a vida de Samus. Isso a surpreende.

O objetivo passa a ser jogar a Estação no planeta mais próximo, justamente o planeta dos X e dos Metroids, mas pro seu azar, no caminho pra sala de controle, um SA-X tenta enfrenta-la.

Provavelmente ele queria derrubar a estação também, mas eles entram em conflito e apenas lutam. SA-X usa todos os poderes de Samus, e ainda é muito veloz, sem contar que causa dano com o impacto (algo que Samus não faz). Diferente dos outros chefes, ele não muda de cor conforme vai morrendo, e a luta pode parecer infrutífera a princípio, sem clareza do que realmente funciona nele.

Mas, Samus não tem opção de fuga, e precisa usar o que tem pra vencer, acertando ele através das paredes, congelando, e escapando de seus tiros pulando pelo ar.

Conforme ele se abala fisicamente, sua forma muda, dando lugar a uma criatura monstruosa e grande, porém mais fácil de vencer. É o X se adaptando e tentando se tornar mais forte pra sobreviver.

Ele passa a apenas pular, muito alto e atravessando objetos, pra cair rápido na cabeça de Samus, onde ela estiver. Como não teve tempo de se adaptar ao novo corpo, ele não sabe atirar com o canhão, por exemplo, virando apenas uma besta insana. 

Ao vence-lo, o Super X surge, usando o Disparo de Gelo como arma pra se proteger, e como de costume rola a batalha até ele perder as defesas.

Mas no final, ele não é absorvido, pois consegue fugir.

Ômega Metroid

Sem esse obstáculo, Samus da andamento à missão final. 

Ao redirecionar a Estação para se chocar com o planeta, Samus precisa correr pra sua nave e escapar a tempo. Sem opção de salvar sua recente vitória contra o SA-X (que não é uma luta fácil de primeira), ela precisa correr em 3 minutos, pra escapar.

Apesar da saída não ser tão distante, e todas as portas se trancarem nos caminhos que poderiam fazê-la se perder ou dar voltas, Samus encontra um último obstáculo: Metroid.

Um Metroid Ômega eclodiu exatamente onde a nova nave de Samus estava, e nada de nave. No caminho de retorno até a Base da Estação, Samus vê algumas crisálidas desse mesmo Metroid. 

Ele foi crescendo, passando pelos estágios de Larva, Alfa, Gama e Zeta, até virar um Ômega. Foi um Metroid que escapou da Área Proibida, sem que o SA-X ou Samus notassem.

Os Metroids que a Federação criou eram mais rápidos em crescimento e evolução, por isso ele se torna um Ômega tão rápido.

Ela precisa enfrentar a criatura, ainda na contagem regressiva.

Ele tem 2 movimentos apenas, bater com a pata, que tira muito dano e atordoa por alguns segundos, e andar pra frente ou pra trás.

Samus não pode feri-lo, com nada, não importa quanto tente, e ao tomar um golpe ela quase morre.

Porém um X aparece, o mesmo que ela derrotou, que toma a forma de SA-X novamente, agora pra se livrar desse Metroid. 

Os tiros dele são melhores, e atingem a criatura causando um pouco de dano, mas ele acaba sendo atingido pelas garras do monstro, faminto por carne de X (começa até a babar), e apenas regride pra forma natural, prestes a ser devorado por seu predador.

No entanto Samus o absorve, e assim recupera uma forma bem mais parecida com sua original (ainda com detalhes falhos). E assim ela também recupera o Tiro de Gelo capaz de ferir o Metroid.

A luta consiste em se aproximar e atirar em seu peitoral, evitando suas garras na hora que ele avança e bate. Isso não é difícil, mas como o tempo permanece correndo, é algo que tem de ser feito o mais rápido possível. 

Em caso de derrota, Samus precisa enfrentar o SA-X outra vez, correr contra o tempo, ver todos os eventos, e tentar vencer.

Final

Conseguindo a vitória, Samus escapa com ajuda dos animais resgatados, e a IA de Adam: Eles haviam deslocado a Nave dela para fora assim que viram o Metroid, e só voltam quando tá tudo seguro.

E assim, Samus se salva, e leva seus amigos junto.

O Planeta SR388 explode com o impacto da gigantesca Estação BSL, e tanto Parasitas X quanto Metroids explodem junto.

Samus agora teria de responder à Federação, mas, ela não se importa, ela não liga pro que farão com ela... apenas quer que as coisas sejam feitas do jeito certo, e está feliz por poder contar com alguns poucos aliados, incluindo seu falecido Adam.

E fim, graças a Samus, Adam, e os bichinhos do espaço.


Ou seja: Salve eles no Super Metroid, ou Samus morre no Fusion.

Bem... acho que falei de tudo do jogo já. 

Não vejo necessidade em contar a história pois, acabei falando de tudo ao contar sobre os personagens e chefes. Também não vejo razão pra explicar coisas como a Evolução Metroid, ou o que é a Federação, pois essas informações pertencem a outros títulos.

O mesmo vale pra verdadeira história de Adam, e quem ele foi. Por mais que seja algo interessante, na época era apenas um clifhanger pra um jogo futuro.

O mais importante mesmo é que... Samus teve uma leve mudança na roupa, no final (afinal ela consegue restaurar boa parte da armadura) e trocou sua nave por inteiro, pela nova nave rosa. 

(F: Laranjinha.)

De resto, acho que é isso.

Obrigado pela leitura...

E se quiser mais textos assim, por favor, veja a Lista da Morte!

See yah!

Postar um comentário

4 Comentários

  1. Show de texto Man! Joguei esse jogo a muitos anos atrás. Tinha o sonho de ter um game boy advance, que foi onde o jogo foi lançado, mas, sem grana, tive que apelar para meios alternativos hehe. Amei esse jogo. Para mim, o melhor Metroid q já joguei. Tenho muita curiosidade de jogar Metroid prime! Cara, esqueci Metroid prime! Dizem ser incrível e adoraria um texto seu sobre. Belo trabalho cara!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse é bom mesmo, eu nunca tinha jogado, mas um colega no trabalho falou tanto dele, que acabei dando uma chance e não me arrependi.

      No caso do Prime, é um dos que to curioso. Mas antes dele eu tenho a obrigação de jogar o Other M. Eu to curioso pra entender mais da história.

      Aliás, obrigado sr Ivan!!!

      Excluir
Emoji
(y)
:)
:(
hihi
:-)
:D
=D
:-d
;(
;-(
@-)
:P
:o
:>)
(o)
:p
(p)
:-s
(m)
8-)
:-t
:-b
b-(
:-#
=p~
x-)
(k)