AnáliseMorte: Super Metroid - Metroid 3 - Meu primeiro jogo de Terror

Faz um bom tempo que venho enrolando pra falar de Metroid, mas finalmente o dia chegou.

Pois é, curioso né, o último segredo (será?) estava no começo, dentro de outro segredo! Bem, que tal agora como recompensa você escolher o próximo artigo (se foi o primeiro a achar é claro)? Só falar "Eu achei tudo" e me dizer quais as mensagens que encontrou. Se acertar, você pode escolher o jogo que quiser, e será o próximo artigo do blog (não posso recusar). Não é a primeira vez que prometo isso, e da última vez, me esforcei tremendamente pro artigo ficar ótimo! Bem, espero que tenha gostado do texto, e da brincadeira.

E só pra constar, não enrolei por má vontade ou preguiça, mas sim por receio. Acontece que existem algumas coisas que me desanimavam à jogar Super Metroid, mas, passei por cima delas e finalmente estou escrevendo!

Espero que goste da experiência, e como de costume, não medirei esforços pro artigo ficar completo.

Boa leitura.

Super Metroid foi lançado para Super Nintendo em 1994, e eu fui conhecer ele com uns 10 ou 11 anos, não faço ideia. Só sei que fiquei meio traumatizado pois na época eu tava super acostumado com joguinhos coloridos e felizes, e do nada, me deparo com algo meio sombrio, mas ironicamente ainda bastante colorido.

A questão da franquia Metroid é que os jogos costumam ser de Terror Cósmico, misturados com Aventura, Exploração e até Ficção Científica. Mas a pegadinha está na parte do "terror". Ele não tem cenas tensas e horríveis (não em sua maioria ao menos...) nem tem jumpscares ou... pera... ele tem sim.


É complicado falar dele pois, apesar de ser um jogo com uma atmosfera macabra pra caramba, ele também é tão colorido que consegue enganar. Você não se sente jogando algo de terror, até começar a ficar com medo por causa da trilha sonora, e da composição dos cenários.

Poxa, a personagem se veste com uma armadura robusta com ombreiras e um capacete enorme, na cor Laranja! Como que isso pode ser algo de terror? Ainda por cima com inimigos que mais parecem plantinhas e animais simples de um planeta diferente (o que realmente são). Até Cavalo Marinho tem... como que isso causa medo? Cavalos Marinhos são fofos!


Mas, o jogo te envolve com uma música estranha e calma de mais as vezes. Raramente fica empolgante e quando fica, causa nervosismo pois indica que algo errado não está certo.


Os mapas são grandes e exploráveis, na verdade o mapa é praticamente um só, com setores diferentes separados por vários portais, e mano... é tanto suspense sobre o que pode ter do outro lado das portas que simplesmente assusta.

As vezes você ta andando, e de repente, a música troca pra algo muito tranquilo, com sons de computadores funcionando, como se tudo estivesse super calmo. Mas isso é um prelúdio do desastre, pois geralmente, na porta seguinte, uma horda de criaturas espera pra atacar.


Os detalhes dos mapas enriquecem essa pegada nefasta, e independente dos designs das criaturas ou da personagem principal, eles transmitem desconforto, claustrofobia, incômodo e medo.

Eis um dos motivos pra eu demorar tanto pra tomar coragem e jogar. Não é que eu estivesse assustado de mais ao ponto de evitar chegar perto, mas toda essa experiência, em minha memória soava longa e exaustiva, cansativa ao ponto de enjoar, mas ao mesmo tempo, sempre recordei com carinho da sensação de procurar e vasculhar por cada canto do jogo, em busca de mais e mais resoluções de mistérios, enquanto morria de medo de morrer ou ter alguma surpresa negativa.

Sabe o que Super Metroid lembra? Dead Space! Só que ao invés de monstros formados por corpos de pessoas dilaceradas, nós temos animais silvestres alienígenas e dinossauros piratas.

Aliás, eu nunca joguei os demais Metroids, apenas o terceiro, que é o "Super Metroid". Ele é vendido assim, mas logo na intro do jogo seu título real é revelado, e ele seria a terceira parte da franquia por assim dizer.


Esse é um dos motivos por eu demorar à escrever. Antes, eu imaginava que teria de jogar desde o primeiro pra entender a série inteira, e tecnicamente essa seria a melhor forma de analisar. No entanto, eu parei, pensei, e achei muito melhor falar do que já conheço, e depois, aos poucos, ir conhecendo o restante.

Só aí já são dois motivos: Cagaço e Falta de Conhecimento Prévio.

Mas ainda assim, eu via outro obstáculo, que era o de jogar tudo novamente.

Como citei, minha memória acusava uma experiência longa de mais, a qual eu não estava tão propenso a reviver. Eu lembrava bem que, muitos dos itens do jogo ficavam tão bem escondidos que, as vezes era preciso revirar o mapa inteiro pra encontrar uma saída, ou um simples foguetinho escondido.

S

Eu odeio a sensação de ficar perdido, e Super Metroid entrega isso de bandeja... pelo menos era assim que eu me lembrava.

No entanto, depois do anúncio de Metroid Dread (o quinto Metroid da série principal) eu comecei a sentir uma vontade tremenda de rejogar, e com certeza analisar.

Daí peguei o jogo, e mandei brasa numa tarde só, buscando entender o máximo possível pro artigo.

Então, depois de uma jogatina minuciosa... eu ainda não faço a menor ideia de como explicar tudo que apareceu no jogo.

Por mais que eu tenha explorado bem, e observado bem, há coisas, pequenas coisas, que permanecem uma incógnita.

Só que isso não é algo provocado por não conhecer os eventos dos dois jogos anteriores, pois tecnicamente, a jornada de Samus no planeta Zebes em busca do último Metroid é algo independente... ou quase né.

O jogo introduz o básico pra que entendamos o enredo sem precisarmos ir mais a fundo. Além disso, o Manual Oficial reforça alguns dados com algumas informações a mais, porém, nada que o jogador mesmo não entenda ao jogar.

Coisas que aparecem como um mistério, permanecem um mistério, a mercê da interpretação do jogador.

Apesar disso, acredito que nos demais títulos há referências e explicações que, talvez se conectem... como o soldado que aparece caído perto de um chefe, ou a própria Nave Fantasma na qual a heroína se vê obrigada a investigar.

U

Esses detalhes, eu citarei, e interpretarei da minha forma. Mas, o que eu não conseguir responder, deixarei pra artigos futuros, afinal, um dia jogarei os demais títulos Metroid, incluindo os "spinoff" (que na verdade são apenas uma nova vertente da série, chamada Prime, e uns remakes).

Por hora, vamos começar com Super Metroid.

Bem, o jogo inteiro se resume a simples missão de investigar o planeta base de um grupo de Piratas Espaciais, em forma de Dinossauros, liderados por um Cérebro Gigante (Mother Brain) que não consegue se mover por conta própria e se esconde abaixo da superfície do planeta, em uma cápsula.

Depois falarei mais dessas inusitadas criaturas, mas voltando ao enredo, a heroína, que na verdade é uma Caçadora de Recompensas à serviços de uma Federação Espacial, tem como missão resgatar um último Metroid que foi roubado pelos piratas espaciais, e pra isso, ela vai até o planeta deles e explode o mesmo.

Pois é, sem tolerância nenhuma, Samus chega no núcleo do planeta, depois de recolher tudo quanto é recurso útil pra ela (os itens e equipamentos) e aí, cria uma supernova.

Tecnicamente, quem destrói o planeta é a própria Mother Brain, que ativa a contagem regressiva pra tudo ir pelos ares (inteligente). Mas, como tudo só acontece por causa de Samus, a culpa cai sobre seus ombros.

Pra contextualizar todo esse ódio, o jogo reserva um breve momento na introdução, com inclusive uma parte falada em áudio mesmo! Isso era incrível na época, pelo menos pra mim foi, pois eu não estava acostumado a ouvir vozes e frases inteiras nos jogos, na verdade essa foi a primeira vez que ouvi uma frase num jogo, tanto que decorei.

"The last metroid is in captivity. The galaxy, is at peace.! ~Vrummm"

Gente, isso era o máximo e ainda é. Pra jogar acabei pegando uma versão "legendada" do jogo, que originalmente vinha apenas em Inglês e Japonês, no máximo tinha uma versão Russa acho. Mas, sinceramente preferi jogar a versão em Inglês mesmo pois, além da dublagem desse trecho não ter ficado legal, o texto ta traduzido errado.

Mas, o que importa, é que depois dessa lindeza de fala, vemos um relatório de Samus sobre os eventos que antecederam Metroid 3. Ela não é muito detalhista (podia ter sido bem mais, pois alguns pontos não ficam tão claros assim), mas o que ela diz já basta pra que nos posicionemos e compreendamos o que ta ocorrendo.

P

Bem, no primeiro jogo, Samus tinha sido contratada pra dar cabo aos piratas que tinham começado a clonar uma espécie nova, chamada Metroid, que tinha uma capacidade surpreendente de gerar, converter ou consumir grandes quantidades de energia. Além disso, essa espécie se reproduzia com facilidade.

E

Mas, em Zebes, o planeta dos piratas, Samus acabou sendo forçada a eliminar tudo e dar uma lição neles, pra pararem de tentar tirar proveito dos bichinhos.

Depois disso, Samus foi designada para ir até o planeta natal dos Metroids (Planeta SR388), onde eles foram criados originalmente, e roubados pelos piratas pra clonagem. A ideia era ela chegar com tudo e massacrar os bichinhos, pois tecnicamente, uma outra equipe tinha recebido essa missão e falhou (parece que os Metroids comeram geral). Daí ela vai la, mata tudo, exceto uma larvinha...

R

Ela vê um Metroid nascer, e ele a reconhece como sua mãe. Daí ela não consegue explodir o bebê e, leva ele embora. Ele era o último Metroid da Galáxia.

M

É ai que começa Super Metroid. Samus entrega o Metroid pra um grupo de pesquisadores e cientistas pra descobrirem a melhor forma de lidar com o bichinho (ele era uma tremenda fonte de energia, logo, eles iam usar ele como bateria).

E

Porém, ao partir da estação espacial onde o último Metroid foi deixado, um dos piratas de Zebes aparece e massacra todo mundo, levando o bichinho com ele.

T

Por essa razão, Samus chega com sangue nos olhos em Zebes, pronta pra explodir tudo assim que achar seu bebê.

Todo o jogo é isso, uma caçadora de recompensas atravessando várias partes de um planeta, ao estilo Liam Neeson (Busca Implacável), em direção ao centro, se equipando e melhorando pra poder superar novos setores, pra no fim, achar o que queria... ou quase.

As coisas não acabam bem pra Samus, ou pro Metroid, muito menos pra Mother Brain e sua trupe. Mas isso eu falo ao contar dos personagens.

Parte Técnica

A mecânica é simples e complicada, ao mesmo tempo.

Samus tem apenas um tipo de ataque: Atirar com seu Canhão de Mão, o que causa dano em inimigos e pode abrir Portas Azuis.

Ela pode mirar pra atirar, apontando pra cima, diagonal, ou pra baixo, e não há limites de tiros.

Ela tem como movimentação a capacidade de andar, abaixar, correr (segurando o A) e pular.

R

Até ai, ta tranquilo né? Então... cada um desses movimentos possui variáveis, que tornam ela cada vez mais complexa de mexer.

Você não precisa ser um perito na mecânica Metroid pra zerar o jogo, mas dominar os movimentos é extremamente útil e pode até cortar alguns caminhos.

O Tiro da moça tem 3 tipos de munições que podem ser pegas conforme se explora o planeta.

A primeira, é o Míssil Rosa, que causa um dano maior que um tiro comum, mas consome um míssil pra ser disparado. 5 deles servem pra abrir uma Porta Rosa.

O

A segunda é o Míssil Verde, que é muito mais poderoso, porém é um pouco mais raro de achar, e também consome munição. Ele é tão forte que apenas 1 já abre Portas Verdes.

I

A terceira, é um Gancho Elétrico. Ele causa dano, mas tem um alcance limitado, e apesar de não consumir energia, ele tem uma função mais ligada à movimentação do que pra luta. Com ela, a personagem pode se pendurar em alguns blocos específicos nos cenários, ou até certas criaturas, pra se balançar e alcançar plataformas.

D

Além disso, Samus pode coletar aprimoramentos pro seu disparo normal, deixando ele ainda melhor. 

Ela pega o Disparo Triplo, que lança 3 lasers de energia ao mesmo tempo.

É

Pega o Disparo Congelante, que pode congelar inimigos quando o ataque for letal. Assim, eles viram plataformas temporárias (mas se acertar outro disparo enquanto estiverem congelados, ai eles explodem mesmo).

O

Pega também o Disparo Perfurante, que gira e por isso acaba atravessando paredes e objetos, sendo útil pra abrir certas portas, e acertar inimigos.

D

O Ataque mais Forte que ela pega é um Disparo Duplo, que causa um dano bem alto, e é a única arma capaz de ferir inimigos com uma grande defesa.

E

E tudo isso fica mais forte é claro, com a capacidade de Carregar seus ataques antes de disparar (que por sua vez é outro dos aprimoramentos que ela pega no meio do caminho).

A

Porém, tem um disparo mó poderoso que só é pego no final do jogo, o qual pode simplesmente desintegrar qualquer coisa, mas explico ele depois.

Ao andar, Samus não tem nada de mais, além é claro da função Bola (Morph Ball). Ela pode se contorcer inteira e se transformar numa bola (isso quando o poder é pego, que é o primeiro inclusive), conseguindo assim passar por entradas pequenas.

Esse Modo Esfera por si só tem seus movimentos, que vão melhorando conforme a moça pega aprimoramentos. Começando pelo tipo de ataque exclusivo dela, as Bombas.

A Esfera pode deixar um bomba que, causa dano em inimigos no pequeno raio de impacto, mas também impulsiona a Bola. Como essas bombas se fixam no local em que são deixadas (são bombas antigravitacionais), é possível até mesmo fazer uma cadeia de explosões que eleva a Esfera pra plataformas de difícil alcance.

D

Demora, pois é preciso entrar no raio de impacto na hora certa, mas com prática, esse movimento deixa Samus ainda mais versátil.

Além disso, o Modo Bola conta com uma Granada poderosíssima, que pode destruir quase tudo que tiver na tela. Porém, essa granada consome munição, e é mais um dos equipamentos que precisa primeiro ser encontrado, pra começar a ser usado é claro. Aliás, Portas Laranjas só abrem com esse ataque.

S

Outro movimento que a bola tem é o de pular, mas isso só é habilitado em uma parte já bem avançada da exploração, onde quase nem é mais útil.

P

Ao Correr, de início Samus pega somente velocidade básica até um limite, porém depois de pegar um Sistema de Aceleração, ela acumula mais e mais velocidade, ficando rápida pra caramba, e convertendo isso em energia, que pode destruir inimigos e alguns tipos de obstáculos.

A

Essa Energia Acumulada também pode ser usada rapidamente pra alçar voo! No caso, se Samus interromper a corrida bruscamente (abaixando), essa energia gerada fica em seu corpo por alguns segundos, e caso ela pule, ela é lançada como um foguete.

Isso também rompe alguns obstáculos, mas pode ser interrompido ao contato com inimigos.

Sem contar que, Samus pode voar pro alto, ou pra Diagonal, dependendo da posição que estiver apontando na hora de voar. Da até pra voar pra frente, mas tudo depende de pura habilidade com controle... e não é fácil "pular pra frente". O porém é que, esse movimento consome energia vital.

C

O que dificulta um popuco mais seu direcionamento, é o fato de que ao Pular, Samus tem dois tipos de saltos diferentes.

E

Existe o pulo comum, onde ela apenas aponta pra atirar nos inimigos, e tem o Pulo em Giro. Samus roda no ar, simples assim.

Esse segundo tipo de pulo, que ocorre quando ela salta indo pra uma direção específica, sem atacar, serve para desencadear um movimento um pouco complicado de dominar: Pulo na Parede.

Se o jogador pressionar o botão oposto ao lado que ele está indo, perto de uma parede, e logo em seguida apertar Pulo novamente, ele quica na parede, pegando impulso e subindo ainda mais alto.

D

O problema é que isso demanda muita precisão, e é fácil errar, muito fácil.

Pior que tem muitas partes no jogo que exigem esse movimento (ou pelo menos ficam mais fáceis com ele).

Com o tempo, Samus também pega um modo Giratório que permite que ela Pule no Ar. Esse sistema faz com que ela voe praticamente, quicando em pleno ar, mas também exigindo certa precisão (tem que pular na hora certa, quando começar a cair).

A

Em soma a esse movimento, ela também pode pegar um aprimoramento que torna sua Armadura uma arma viva. Assim, enquanto gira, ela pode causar danos em inimigos, e até destruir obstáculos.

N

Isso também pode ser feito antes de pegar esse aprimoramento, mas é exigida a combinação da habilidade de Carregar Ataques somada com o Pulo Giratório, e o efeito se perde ao primeiro impacto. 

I

Falando em Armadura, Samus conta com apenas 2 aprimoramentos pra ela, diretamente falando é claro.

O primeiro faz ela ficar resistente à temperaturas altas, podendo andar mais perto do núcleo do Planeta (onde tudo é bem quente) mas ainda não podendo mergulhar em lava.

N

O segundo aumenta sua capacidade gravitacional, permitindo que seus movimentos não se alterem em baixo d'água. Tipo, na água, sem essa armadura, ela fica pesada pra caramba e lenta, nem conseguindo pular direito.

T

Algo que notei é que quando ela pega as duas armaduras juntas, ela passa a poder mergulhar em lava, mas apenas a mais clara. Ela ainda sofre dano acelerado quando fica em contato com lava densa.

E

Outro aprimoramento que ela recebe em armadura, na verdade em seu Capacete, é um Sistema de Raio X, que permite enxergar através dos objetos e rastrear (quase todas) as passagens secretas e itens escondidos.

N

Só que pra usar isso, ela precisa ficar imóvel, e usar o mesmo comando de corrida. Felizmente, o tempo fica parado durante seu rastreio, e o jogador pode direcionar o campo de visão dela no processo, pelo período que quiser. Infelizmente, nem todas as passagens secretas aparecem reveladas...

D

Ela também chega a receber acessórios por assim dizer, que podem ser encontrados ao longo do jogo. São 4 Sub-tanques, que guardam energia vital pra, caso ela tenha toda a vida drenada, eles reencham 1 bloco de vida, cada.

Samus também pode aumentar sua vitalidade coletando Tanques de Energia escondidos por todo jogo. Cada tanque aumenta em 1 barrinha rosa, que por sua vez tem até 100% de energia. Sempre que uma barrinha esvazia, a outra assume, até que todas sejam drenadas.

O

Esses são todos os movimentos que consigo me lembrar. É claro que existem mais combinações, como Correr e Pular. Mas são coisas que vão sendo descobertas na prática...

E, tem um especial que eu nunca consegui usar, mas que aparece na Tela de Demonstração do Jogo.

Antigamente (não sei se os jogos atuais fazem isso) os jogos tinham uma tela de Demonstração que surgia quando deixávamos ele parado por muito tempo ainda na tela de título. Essa Demonstração era uma cena dentro do jogo, ou uma compilação de cenas, com a "máquina" controlando o personagem.

Se não me engano, isso ocorria como um tipo de herança dos Fliperamas e Arcades, que apresentavam essas demonstrações automáticas pra atrair o público. Mas, o que importa, é que tem várias telas assim quando se deixa Super Metroid parado no título.

Todas mostram os movimentos e as peripécias de Samus, mas existe um que sempre me chamou a atenção e nunca foi explicado dentro da campanha. Um movimento em que ela desmonta sua armadura, se encolhe no meio de uma grande explosão de luz branca, que regenera toda sua energia vital em troca de munição.

Meu, o movimento de Corrida e Voo, e o movimento de Pulo nas Paredes, são coisas que o jogo te ensina através de umas criaturas pacíficas no meio de Zebes. Porém, nenhuma criatura ensina a fazer essa "bolha de luz".


Desde pequeno tentei fazer, e nunca consegui. Recentemente, com o poder da Internet, aprendi o truque... e convenhamos, não da pra descobrir isso normalmente não...

Tem que ter pelo menos 10 de cada munição no inventário (11 pra Bomba, pois será utilizada). Samus precisa estar com menos de 50% da vida (do último bloco de vida), e sem Tanques de Energia carregados. Daí, com todos esses requisitos, é preciso virar bolinha, e segurar os botões L e R, Baixo e soltar uma Super Bomba... mas não é só isso... é preciso manter tudo isso segurado até a bomba explodir (incluindo o botão de ataque).

Fazendo isso, Samus entra na bolha de luz e regera toda vitalidade (e até carrega um pouquinho de um sub-tanque) em troca de munição.

Na mesma tela em que esse movimento é mostrado, também são apresentados os Tiros Especiais, que são uma combinação dos Tipos de Disparos com a Bomba. Apenas um é mostrado (o das bolas de energia que rodeiam Samus), mas tem 4 no total.

Pra esses disparos especiais acontecerem, é preciso ter apenas 1 dos tipos de tiros ativo no inventário (da pra escolher o que está habilitado ou não) e carregar um tiro. Fazendo isso, um ataque especial sai, consumindo uma Bomba.


Tem um ataque que cria um escudo de Gelo de energia em volta de Samus, com 4 estrelas de energia girando. O que elas encostam congela (e a estrela se perde) porém, dura pouco tempo.


Tem um que atira lasers pra baixo, que depois sobem (se afastando pouco a pouco), e explodem no ar, criando um tipo de chuva de energia, que causa dano nos inimigos.


Tem o que cria esferas de energia elétrica que se expandem em torno de Samus, duas vezes, até sumirem.


E por fim, tem o que joga 4 tochas de plasma, que ficam contornando Samus, voando aleatoriamente até sumirem.


E pra finalizar, existe também as múltiplas bombas, que podem ser jogadas se Samus carregar um disparo e virar bola em seguida. Ao invés de 1 bombinha, saem várias, porém sem o sistema antigravitacional ativo, o que faz elas se esparramarem pelo chão até explodirem.

Ah, antes que eu me esqueça, o jogo conta com Mapeamento Dinâmico, onde as coisas vão sendo reveladas e demarcadas conforme exploramos.

Porém, também tem partes em que da pra coletar os Mapas dos Setores. Esses Mapas não revelam tudo (muitas passagens e segredos permanecem ocultos) mas ajudam a pelo menos se localizar, e saber a direção pra onde sair explorando.


Além disso, existem partes nos mapas em que há Recarregadores pra Samus, desde Energia Vital até Mísseis. São poucos, mas normalmente estão perto dos chefes, então são um baita alerta.


A Nave de Samus mesmo serve como regenerador. Porém ela fica estacionada na superfície do planeta Zebes e, não é nada prático (ou fácil) voltar até ela pra se regenerar, ou salvar a partida.


E tem isso também, o jogo não se salva automaticamente. É preciso achar Cápsulas Especiais pra gravar os dados. Isso inclusive aumenta muito a tensão da campanha pois, as vezes você explora tanto, descobre tanto, e sua vitalidade fica bem reduzida, levando qualquer um ao pânico, na busca de uma Salinha Segura pra Salvar.


E, é isso.

Com esse tremendo arsenal, boa parte formado de coisas roubadas de Zebes (qualé, ela chega, pega, e sai!), Samus se equipa pra completar sua missão, e causar um genocídio global, por causa de seu bebê.

Personagens

Tecnicamente, nem existem muitos personagens no jogo. Tirando os cientistas que morrem tudo ainda na introdução, nenhum outro ser humano aparece na campanha... vivo. Mas, talvez por causa de Mother Brain, ou talvez por serem uma raça alienígena bem mais avançada, as criaturas colossais com características répteis, são tecnicamente seres inteligentes, e valem como personagens, mesmo não dialogando em momento algum.

Digo isso pois são meros inimigos, chefões, mas também são o mais perto de elenco secundário e antagonismo que Samus consegue.

Samus Aran


Na época do primeiro Metroid foi uma baita surpresa a revelação de que o herói do joguinho era uma mulher. Não era comum isso. Mesmo na época de Super Metroid, ainda não era algo comum de se ver, pois o estereótipo da época era aquele do herói masculino e da princesa indefesa.

Isso muda quando se trata de Samus. Ela anda toda equipada com uma armadura gigantesca, é implacável e intolerante com os inimigos (ela não tem piedade nem de planetas!), e ainda por cima é toda contorcionista e flexível fisicamente falando, além de ter um poder enorme nas mãos, e conseguir trucidar tudo facilmente.

Ela chega a ser reconhecida pela Galáxia e pela Federação, que pelo que entendi, é uma organização que resguarda pela ordem do universo. Porém, ela é um tipo de Caçadora de Recompensas, e não necessariamente uma agente do governo. Tanto que ela costuma trabalhar sozinha.


Ela tem uma nave própria, e responde por suas ações independente das ordens que recebe. É tipo o que ela fez com o Extermínio aos Metroid, ela tinha de eliminar tudo, mas preservou um. Foi contra as ordens dela, mas quem que vai contradizer ela? Comprar briga com Samus, a exterminadora de planetas? 

Infelizmente, Samus não chega a ter interações verbais com ninguém, e mesmo tendo aliados ao longo de sua jornada, ela em momento algum troca palavras ou conversa com eles, até porque eles nem responderiam.

Algo que é meio besta, mas parece ser uma tradição da franquia Metroid, é a revelação do corpo de Samus. O jogador que consegue finalizar o título rápido, consegue ter um vislumbre de Samus sem sua armadura, as vezes até com roupas íntimas. Isso ocorre desde o primeiro título pelo que parece (lembrando, eu não joguei, mas fucei numas pesquisas e afins).

Eu nunca pude ver isso em Super Metroid, pois como fico explorando o mapa em busca dos Mísseis, Sub-Tanques e Bombas extras (muitas vezes escondidos no teto de tão difíceis de achar) eu não só demoro pra concluir a jornada (meu último gameplay, pra este artigo, levou quase 8 horas), como também nunca fiz 100% do jogo.


Meu máximo foi 95% e olha lá! Nem faço ideia de onde os 5% de itens se escondem, e provavelmente nunca saberei.

Isso sempre me fez ver a Samus no fim do jogo sem seu Capacete, porém de óculos e touca... Ou seja, eu nunca veria ela sem a armadura... a menos que não tivesse morrido alguma vez no jogo.


Em Super Metroid, quando se perde a vida, a personagem tem sua armadura detonada e fica só nas roupas íntimas, enquanto grita. Ou seja, independente do tempo que se leve pra jogar, você saberá que Samus é uma mulher, loira inclusive.

Além disso, na introdução, enquanto Samus faz seu relatório, da pra ver seus olhos através da viseira do Capacete, e ela tem olhos bem femininos.


Digo isso pois, apesar de Super Metroid ter sido meu primeiro contato com a franquia, eu não tive a tal surpresa ao descobrir que Samus Aran era uma baita heroína, pois sempre ficou na cara quem ela era.

A parte que me surpreendeu e até confundiu, foi ela tirando o capacete, num estilo meio dramático e com suspense. Sempre pensei que aquilo simbolizava algo, tipo "O Metroid ficou na cabeça dela", pois de fato, ela aparece com o rosto quase que totalmente coberto.


Mas, era apenas um delírio infantil na má interpretação da cena. Depois que descobri que quem corre pra terminar recebe o "prêmio" de assisti-la desequipada, pensei "Pra que esse fanservice pervertido?".

Parece até meio desrespeitoso com a personagem, mas, eu queria ter conseguido. 

Aliados

Samus não tem nenhum parceiro direto, mas ao longo de sua aventura em Zebes, se depara com vários aliados por conveniência.

Alguns dos animais e nativos do planeta acabam prestando algum tipo de suporte, mesmo que involuntariamente.

No caso, os animais, tem 3 tipos que auxiliam Samus.

O Pássaro, é uma criatura que corre, e deixa seu ovo (o filhotinho mano!) pra trás. Ele começa a correr quando vê Samus, e entra num ciclo interminável de tentativa de fuga.


Ele que ensina o movimento de voar, pois é algo que ele utiliza. 


Isso lembra até Dark Souls, onde os movimentos você aprende observando os npcs, e não recebendo um guia ou algo do tipo.


Os "Duendes" são criaturinhas orelhudas, que ficam pulando nas paredes e tentam ensinar Samus a imita-los.


Nesse caso, fica muito claro que eles estão ensinando Samus, pois eles chamam por ela, esperam ela observar, e aguardam por ela no caminho da escalada. 


No fim do percurso, um deles ainda ensina como entrar numa passagem secreta, e fica esperando por Samus.


Mesmo eles não se comunicando verbalmente, eles são auxiliares que voluntariamente ajudam a caçadora.

Porém, tem um terceiro animal que ajuda, e não pode ser considerado um inimigo, mesmo ele causando dano caso Samus entre no caminho.

Na verdade, existem duas criaturas assim, mas como uma delas parece mais um robô do que tudo, e ele parece sim querer ferir Samus, nem vou mencionar ele nessa parte.


Enfim, o animal que to falando é um tipo de Tartaruga, que fica numa região profunda de Zebes. Ele tem o que parecem filhotinhos ao redor de si, e começa a girar de um lado pro outro rente ao solo, voando pra cima quando Samus sobe em seu casco.


Apesar disso parecer mais um método pra afasta-la dele e suas crias, esse animal também ajuda ela a alcançar uma plataforma muito alta (antes de pegar a habilidade de Pular no Ar Girando).


No entanto ele nem é lembrado no fim do jogo na hora do resgate, então pode ser só considerado um inimigo pacífico mesmo.

Bem, outro aliado que está sempre presente, mas pode se tornar um inimigo, são os Homens Pássaros (Chozo). Ou, apenas as Estátuas deles (Torizo, é como nomeiam o sistema de segurança dessas estátuas robóticas).


Aparentemente eram uma raça que habitava Zebes antes dos piratas invadirem, e acabou sumindo. Existem estátuas deles por todo o planeta, com Cápsulas nas mãos, segurando Upgrades pra Samus.


Na lógica, eles são aliados por oferecerem esses aprimoramentos. Por outro lado, podem apenas ser relíquias antigas deixadas no planeta que Samus viola ao pegar seus artefatos e assimila-los.

Curioso, que apesar de vários dos encontros serem apenas a coleta dos itens, existem alguns poucos nos quais as Estátuas tem maior interação.


3 Deles seriam combates, onde as Estátuas se ativam pra atacar Samus. A primeira da mó medo, pois pega desprevenido. 


E a segunda é fortona, esquiva dos ataques, mas não chega a assustar (apesar de surgir quando menos se espera).


A terceira morre antes mesmo do combate, e é encontrada pulverizada pelo Metroid.


Também tem um momento no qual uma dessas estátuas Carrega Samus por um caminho de espinhos, quase servindo como um meio de transporte de Zebes. Mas na verdade parece apenas uma armadilha que falhou, ou um atalho escondido.


Esses seres humanoides com cabeça de pássaro parecem ter sido extintos, e apesar de Samus enfrentar algumas estátuas vivas, elas parecem apenas robôs, e não necessariamente essa raça.

Vale mencionar que a Raça Chozo teria sido a criadora dos Metroids, ao lado da própria Mother Brain. Na verdade o líder dos Piratas Espaciais é uma Inteligência Artificial com composição orgânica, também criada pelos Chozo, e que os ajudou por um tempo... mas depois falo disso.

Inimigos

A lista de piratas espaciais se mistura com a de criaturas do planeta Zebes... pelo menos é assim que eu enxergo. Não da pra ter certeza se um monstro é um pirata ou um simples animal defendendo seu território, pois todos são criaturas alienígenas hostis.

Mesmo entre os chefes, fica meio vago quem é um Pirata. De fato, os 4 chefes principais tem suas estátuas bloqueando o caminho pra Base da Mother Brain, e precisam ser derrotados pra que algo saia das estátuas e o caminho se abra (esse algo parece até pequenos espíritos). Só que, nem todos parecem ser voluntariamente piratas.


Pelo que entendi, alguns inimigos são mesmo Piratas, outros são só criaturas manipuladas por Mother Brain e seus poderes Telepáticos, ou até mesmo seres meramente usados por quererem proteger seus habitats. Eu até falaria de tudo, mas vou focar apenas nos que considero mais importantes, como os chefes, sub-chefes, e algumas criaturas.

Spore Spawn


Esse monstro planta é um mini-chefe, não sendo um dos Piratas Principais, e na verdade nem um pirata é.


Ela é apenas uma planta de Zebes, geneticamente modificada pelos piratas, pra ser usada como sistema de segurança da base deles.

A batalha contra ela apresenta muito bem o tom de Metroid, pois é serena, calma, com uma música igualmente tranquila, porém é uma batalha intensa assim mesmo.


Tudo que a planta faz é se mover de um canto ao outro de sua sala, pendurada no teto, enquanto esporos caem e ferem Samus lentamente.

As vezes, ela se abre (talvez pra checar os arredores) e nesse meio tempo, é possível causar dano em seu núcleo. Ela não pode ser ferida pelo lado de fora.


A sensação que temos nessa batalha é de estarmos sendo digeridos lentamente pelo planeta Zebes, o que é bem incômodo.

Conforme a planta sofre danos, ela vai mudando de cor e acelerando seus movimentos, até explodir.


Depois ela murcha, e morre, virando uma plataforma e abrindo caminho.


Cara, ela só era uma plantinha, mantida em cativeiro e pulverizada com toxinas diretamente na raiz pra transforma-la em uma mutante. Eu sempre achei estranha a estrutura da entrada desse chefinho, pois ao lado da porta, há cilindros suspeitos (achava que eram bombas!). Ao que parece, esses cilindros tem a substância que altera a planta, como parte do experimento.


Ou seja, ela era bombardeada com substâncias pra ficar grande e forte, talvez por isso ela seja tão "lenta", pois estaria dopada. Combina com a música de seu mapa inclusive.

Kraid


Esse no entanto é um dos chefões, e um dos Piratas Espaciais mesmo.

Na prática, Kraid é um dinossauro gigante e barrigudo que atira espinhos de seu corpo.


Sua sala é enorme, revestida por espinhos e plantas, e ele só sofre dano quando sua boca se abre.


Pra que isso ocorra, Samus tem que dar um jeito de alcançar sua cabeça enquanto ele se move, e atingir um tiro nela, o qual precisa passar pelas garras de Kraid que ficam abrindo e fechando à sua frente.

Apesar dele ter movimentos pouco pensados, parece que Kraid é bastante espertão, ou pelo menos tenta ser.


Acontece que pouco antes de enfrenta-lo, tem um mini-Kraid com os mesmos ataques (porém reduzidos é claro), o qual fica no final de um longo corredor.


Ele é fortinho, mas pode ser destruído rapidamente com um simples míssil. Por muito tempo eu pensei que era tipo um filhotinho de Kraid protegendo a mãe e se sacrificando no lugar dela, mas que lógica há por trás de uma ação assim?

Na verdade, aquilo é um tipo de armadilha inspirada em algo que ocorre no primeiro Metroid.

Kraid lá também era um chefe, mas era pequeno, exatamente como o Mini-Kraid. Daí, em um dos caminhos até ele, ele deixava um clone seu pra enganar Samus.

Aqui ele faz praticamente o mesmo, mas erra no tamanho do clone.

Além disso, no início de sua batalha, ele tenta se esconder de tão canalha que é. Primeiro mostra apenas sua cabeça, e depois acaba saindo do chão completamente, revelando seu novo formato gigantesco (ele evoluiu muito desde seu encontro antigo com Samus).


Quando ele morre, afunda na terra, mas provavelmente nem morreu de verdade, apenas fingiu pra fugir.


Aliás, chefes de Super Metroid sempre estão atrás de portas vivas com um Olho que ficam piscando. Só tem 4 chefes, além do final, e ao que parece essa proteção na entrada é uma característica da Mother Brain (tipo, ela se proliferando pelo planeta pra observar tudo).


Crocomire


Esse mini-chefe é encontrado na região mais quente do planeta, o que parece ser próximo do núcleo, cheio de lava. Apesar de ter características reptilianas como os outros piratas chefões, ele provavelmente é apenas um animal de Zebes que sofreu experimentos.


Logo, ao que parece, ele é um pobre bichinho, que acaba sendo usado pra guardar um dos caminhos. Provavelmente é um dos experimentos de Mother Brain com a fauna do planeta, transformando uma criatura fofa numa arma.

A questão é que, apesar dele ser terrivelmente poderoso e resistente, o lugar em que ele é alocado é nocivo pra ele. Sem contar que ele é encontrado praticamente enjaulado, visto que não há saída de seu território (a entrada é por cima, e ele não parece conseguir subir).


Ele é imune a qualquer tipo de dano, mas tem o hábito de se afastar quando recebe um tiro na fuça. Com isso, ele acaba recuando até um poço de ácido que o mantém preso em seu posto, e isso corrói todo seu corpo.


Ele é um dos chefes que me traumatizou. É que, ele é bem fofinho (mesmo sendo um dinossauro) e quando ele cai no ácido, ele grita de dor, afunda e vai sendo corroído, conforme derrete e berra. É assustador.


Além disso, da pra ver algo nadando por baixo do solo até o lado oposto, e quando vamos checar, ele aparece em formato de caveirinha, derruba uma parede do outro lado, dando mó susto, e morre.


Gente, ele era só mais um dos experimentos cruéis dos Piratas Espaciais!

Phantoon


Esse chefe é outro exemplo do terror de Metroid, sendo um fantasma que assombra uma velha nave espacial em Zebes.


Tecnicamente, ele não é um "fantasma" de verdade, mas sim uma raça alienígena multidimensional, que se alimenta de energia vital e prefere se instalar em locais como estações espaciais ou naves, pra consumir.


Como ele tem um aspecto fantasmagórico, e ainda por cima pode influenciar os arredores causando instabilidades e até mesmo criando massas de energia translúcidas que parecem almas de pessoas que morreram no ambiente, ele tem tudo pra ser uma criatura sobrenatural, mas é apenas mais um alienígena Pirata Espacial.


Ele parece seguir com os Piratas Espaciais justamente por navegar nas Ondas Cerebrais da Mother Brain, e ser influenciado por ela. Talvez ele seja um membro acidental por acabar caindo no controle dela, e serve como um de seus capachos.

Pouco antes de ser encontrado, toda a nave na qual ele se esconde aparece morta, desativada e com os robôs de manutenção praticamente sucateados. Ela só volta ao normal, depois que ele é "morto".


Sua luta consiste nele sumindo de um lado pro outro, invulnerável a qualquer tiro.

Além disso, ele invoca as almas residuais geradas pelo seu consumo de energia, e as joga na direção de Samus.


Ele só passa a sofrer dano nas poucas vezes em que se solidifica, e expõe seu olho.


Depois de destruído, como citado, a nave recupera a energia mas, permanece danificada, aparentemente.


Existem algumas questões sobre a Nave Fantasma. Eu mesmo nunca entendi o que ela era, pois parecia uma estação abandonada, e até pensei que talvez fosse referência a algum jogo anterior.


Mas, aparentemente, essa seria a nave que o povo pássaro usou pra chegar em Zebes bem no passado... mas isso é algo pra teorizar em outro artigo.

O que importa é que, Phantoon pode muito bem ser mais antigo que a própria Mother Brain, e calhou de ficar sob seus comandos posteriormente. Ou seja, apesar dele assumir um posto de Pirata Chefão, ele não é necessariamente um, apenas está sob controle de Mother Brain, por existir num plano em que as Ondas Cerebrais dela o afetam. Outra vítima do sistema.

Botwoon


Esse é outro Mini-Chefe, que acaba surgindo no caminho de Samus, não por querer impedi-la, mas para preservar por seu habitat.


Nesse caso, ele é uma simples serpente marinha gigante, que se esconde entre as paredes da região aquática de Zebes, totalmente submersa. É outro dos animais do planeta que, foram escravizados pelos piratas invasores.


Diferente dos outros mini-chefes, ela não parece "presa", pois criou os buracos na parede por onde pode transitar. No entanto, a sala de seu confronto é totalmente fechada, sugerindo que Mother Brain tentou prende-la pra fins de segurança do setor.


Independente dela poder escapar ou não (nada garante que não exista algo bloqueando seu caminho do outro lado da parede esburacada), a criatura permanece na região, e acaba cumprindo sua função de atacar intrusos, mesmo que seja algo contra a vontade dela.

Sua luta é bem simples, com a criatura sendo vulnerável apenas a tiros na cabeça, e buscando se proteger se escondendo na parede ao fundo, em buracos.


As vezes ela acaba colocando a cabeça pra fora pra atirar contra Samus, alguns projéteis de energia (talvez essa tenha sido a modificação que ele recebeu pelos Piratas), mas ela também nada pelo mapa de tempos em tempos, ficando sempre vulnerável.


Após vencer o caminho acaba se abrindo (a jaula dela explode né) e Samus avança mais na jornada.

Draygon


Esse é um dos chefes mais curiosos que vi. Primeiro que, diferente do Kraid, ele tem realmente "filhotinhos" pelo planeta. Eles aparem antes mesmo de Samus chegar ao seu confronto, e apesar de se esconderem, eles atacam com bolas de energia (numa região de areia movediça, junto com a parte marítima do planeta).


Não são armadilhas ou iscas, são apenas os filhotes tentando evitar que Samus chegue ao chefe... mas aparentemente é por motivos diferentes dos demais piratas.


Eles podem ser hostis a princípio, mas não chegam a aparecer muito. Eles só surgem em uma parte do mapa, com areia movediça, e são levados pela areia, o que da a entender que é um evento coincidente, apenas isso. Apesar de que, a coloração dos que aparecem na areia é um pouco diferente da dos que aparecem junto do chefão...

Antes da luta contra Draygon, esses mesmos seres aparecem (o nome deles é Evir) e não são nem alvejáveis, passando direto por Samus depois de fazer uma "dança". O que muda neles, é o fato de terem a cor mais esverdeada e olhos vermelhos.


Aliás, a dança deles é até famosa pois, eles escrevem uma mensagem de "amor" no ar (Keiko Love), feita por um dos programadores como um easter egg  (que só ele sabia até confessar em entrevista). Curioso que essa pequena declaração subliminar leva tanto tempo, que faz tornar-se evidente que as criaturas estavam no mapa, apenas não feriam Samus (se tornando assim animais pacíficos).


A preocupação deles está em afundar na terra e invocar Draygon, que seria o progenitor deles.

A batalha contra Draygon pode ser vencida de duas formas. Como ele se move rápido pela água (toda a luta é submersa) e pode até mesmo sair do mapa, ele é bem difícil de alcançar. Além disso, ele tem escamas pela cabeça e costas que resistem qualquer impacto.


Porém, seu ponto fraco é sua barriga, e ela fica justamente na mira de Samus (quem acaba ficando no fundo do cenário). Da pra vencer apenas atirando na barriga quando ele aparece, mas demora.

Ele pode atirar teias, ou apenas sair nadando, e tem a capacidade de agarrar Samus enquanto pica ela com seu ferrão.


Quando ele faz isso, ele se move de um canto ao outro, e Samus não pode acertar disparos nele pois fica de costas e praticamente imóvel, nem mesmo podendo virar Esfera. Porém, é possível usar o Gancho Elétrico pra prendê-lo em uma das partes eletrificadas do cenário (que antes são Canhões que atiram pra dar suporte a Draygon).


Inclusive, destruir os 4 canhões é uma ação bem pensada pra facilitar a ação de acertar o Gancho Elétrico.

Fazendo isso, enquanto Samus segurar o botão, ele é eletrocutado junto com ela, e pode ser morto assim, pois o dano que ele recebe é bem maior que o que Samus recebe.


Depois que ele é abatido, ele cai no fundo da água, e seus filhotes surgem pra levar seu corpo embora, afundando com ele.

Fica óbvio que ele foi meio que sepultado por eles, e é algo bem triste de ver... Duvido muito que eles tenham levado ele pra "devorarem" ou pra tentar regenerar... e a sensação de luto fica bem perceptível.


Ele é um chefe, e tem até sua estátua como um dos Piratas Espaciais Principais, no entanto tudo leva a crer que ele foi manipulado pela Mother Brain, até mesmo chantageado (provavelmente as custas de seus filhotes).

Seu cenário, armado até os dentes, talvez seja mais para mantê-lo preso do que pra fortalece-lo, tanto que na prática é justamente esse cenário que o liquida.


Talvez, sua movimentação livre e ampla não fosse total. É muito mais provável que ele "saia de cena" para cantos não mapeados, mas ainda delimitados por paredes que, impedem que ele deixe a sala. Tanto que diferente de seus filhotes, ele não pode ser visto fora dela.

Além disso, os filhotinhos aparecem fora mas, são mais escuros e com olhos de outra cor, além de serem levados pela maré por assim dizer. É possível que tenham tentado escapar mas não conseguiram, ficando "sujos" no processo e sendo empurrados de volta.

Fato é que, ele só aparece aqui, em Super Metroid, enquanto todos os outros Piratas Chefões tem sua presença em outros jogos. Na lógica, ele é um pirata provisório, num alto cargo (talvez por ser poderoso, muito mais que os demais animais controlados pela Mother Brain e usados em suas experiências).

Metroid é cruel.

Ridley


Esse é o eterno rival e antagonista de Samus, e cara, é um pterodátilo!


Ridley é um réptil voador que pode atravessar o espaço (sei lá como) voando sem nem precisar respirar. Tanto que ele aparece na Estação Espacial pra raptar o Metroid, e ainda por cima sabota a mesma pra tudo explodir.


Ele é tão forte, mas tão forte, que consegue derrotar Samus, caso o jogador perca o confronto, mas acaba indo embora deixando ela pra morrer antes de finaliza-la (como tudo ia explodir, ele apenas pega o Metroid e vai embora).


Mas, no primeiro confronto com ele (que é logo na abertura do jogo) caso Samus vença, ele apenas finge que vai embora, deixa o Metroid cair e voa na direção dele com toda velocidade, pegando em pleno ar e escapando da estação galáctica.


Pra persegui-lo, Samus usa sua nave, indo até Zebes.


Bem, ele acaba levando o Metroid bebê pra uma câmara onde ele é explorado e estudado pela Mother Brain. O objetivo dos piratas? Clonar ele, novamente, e abusar de suas habilidades parasitais pra obter poder.

Ridley acaba ficando responsável por manter o Metroid preso pros estudos, mas as coisas dão errado um pouco antes de Samus chegar.


Ao que parece, o Metroid escapa, e começa a causar problemas pra Mother Brain, consumindo energia, matando criaturas, e até mesmo se multiplicando. 

Nesse meio tempo, Ridley acaba confrontando Samus num combate na região mais quente do planeta, perto do núcleo.

Em ambos os combates, seus ataques consistem em voar, bater com a cauda, e atirar fogo.


No entanto, no confronto final, ele acaba ganhando mais ataques, e o mapa é muito mais alto, o favorecendo bastante (visto que ele voa). Pra variar, o solo tem lava nos cantos, e Samus fica bem encurralada.


Ele as vezes acaba se aproximando muito do solo, e salta com sua cauda, tentando acertar Samus, e nessas horas ele fica mais vulnerável aos ataques dela.


Ele não tem nenhuma defesa impenetrável, contando apenas com a distância e seus movimentos rápidos pra escapar dos golpes da caçadora. Porém, no fim, ele é derrotado e destruído.


Observação: A entrada pro território e confronto de Ridley é uma caverna esculpida de forma que lembra ele um pouco. Só existem 2 cavernas esculpidas dessa forma no jogo, uma pro Ridley, e outra na entrada pro território do Kraid.


Apesar de não serem tão parecidas com eles, é curioso que apenas esses dois Piratas Espaciais tem seus territórios personalizados.


Mother Brain


Com todos os capangas de Mother Brain mortos, a entrada pro seu verdadeiro esconderijo se abre.


Considerando que a Estátua com os 4 chefões principais bloqueava o caminho, pode-se interpretar que, na verdade, eles tinham os códigos de acesso pra entrada, ou algo assim.


Uma vez que são derrotados, é como se Samus pegasse esse código e acionasse a entrada, rompendo totalmente a segurança.

Mother Brain já havia sido derrotada antes, como mostrado na introdução do jogo, algo que ocorreu ali mesmo em Zebes, nos eventos de Metroid 1.


Porém, de alguma forma ela sobreviveu e, foi regenerada em outro ponto, ainda mais protegido. Legal que o local do combate anterior é o primeiro ponto que Samus visita (provavelmente indo acertar as contas com Mother Brain logo de cara), o que justifica a mudança da entidade pra um local ainda mais profundo e escondido.

Mother Brain não é apenas um cérebro gigante que pode controlar animais com a mente, e cruel o bastante pra sacrificar aliados em prol de sua própria segurança. Ela é uma Inteligência Artificial Biomecânica criada pelos Homens Pássaros, pra dar suporte em suas pesquisas.


No entanto, ela se desenvolveu tanto, que não só tomou controle de Zebes inteira, como provavelmente teve algo a ver com o fim dos homens pássaro. E pior ainda, os Piratas Espaciais, ela não era líder deles desde o começo, ela só passou a controla-los depois que eles invadiram Zebes!

Essa criatura é muito inteligente, porém, depois que é derrotada por Samus, ela detona o planeta inteiro.

Pelo que li, aparentemente Mother Brain quis fazer algum tipo de queima de arquivo se livrando de tudo, mas não me surpreenderia se ela tivesse armazenado sua mente em outro lugar, ou feito um tipo de backup antes da derrota.


Como ela havia se conectado ao planeta (algo que pode se deduzido com as Portas Orgânicas por exemplo), talvez sua derrota desencadeou o sistema de autodestruição não só de sua base, mas do planeta Zebes inteiro.


Mas, duvido que ela de fato morreu, não estranharia se ela ressurgiu em outro Metroid.

Aliás, pelo que vi, este é o único Metroid em que a Mother Brain cria um corpo e peita Samus diretamente. Geralmente ela fica só no armazenamento dela, usando sua base como arma, mas dessa vez ela própria se levanta, tipo um grande dinossauro, com pernas e braços.


A batalha final é bem difícil e impossível de vencer, pois depois de quebrar o receptáculo dela, o cérebro se transforma pegando Samus de supetão.


Na forma de dinossauro, ela anda, da pisoteadas, move a "cabeça" e ainda lança vários tipos de lasers e disparos psiquicos. E quanto mais dano ela recebe, mais rápida e mais apelativa ela fica, vomitando, jogando coisas, atirando energia.


Tanto que no final, ela apela atirando um grande feixe de luz que esculacha com heroína. Mother Brain quase mata ela, só é impedida por causa do Metroid.




E por fim, chegamos no bebê que causou esse problema todo.


Os Metroids são basicamente parasitas, como mencionei la em cima. Eles se ligam ao alvo e drenam toda sua energia, acumulando ela em si. Apesar de ter apenas um Metroid agora, ele acaba se reproduzindo depois que escapa, e aparecem mais alguns que acabam iniciando o caos pra Mother Brain.


Pode-se dizer que Samus chegou a tempo de fazer uma rápida limpeza e impedir uma nova proliferação, visto que o Metroid bebê tinha fugido já, e tava consumindo geral, partindo do centro do planeta.

Ele quase ataca Samus inclusive, na verdade ataca, e drena parte de sua energia, até perceber que era sua "mãe" e deixa-la viva.


Seus filhotes acabam se desenvolvendo bastante até Samus os enfrentar, e todos são bem poderosos, resistentes, e prendem nela facilmente se a alcançarem (difícil largar), drenando energia no processo.


Existem alguns "Metroid Falsos" que podem ser encontrados em uma parte do planeta, enjaulados. Provavelmente são experimentos da Mother Brain pra, uma vez mais, clonar a criatura e se aproveitar de suas capacidades, mas o projeto é meio falho e essas versões são bem mais fracas.


No caso do Metroid bebê, este cresce muito, e no fim acaba voltando pra ajudar Samus a derrotar a Mother Brain.

Primeiro ele drena sua energia vital, pulando no cérebro dinossauro até ele entrar em modo "Descanso" (igual as Estátuas de Homens Pássaro, o que sugere que a Mother Brain usou a tecnologia deles pra criar um corpo). 


Depois ele deposita essa energia em Samus, regenerando sua vitalidade.

O problema é que nesse meio tempo, Mother Brain acorda, se levanta, e ataca o Metroid. Como ele tava causando problemas, ela provavelmente queria se livrar das duas ameaças, Samus e Metroid, ao mesmo tempo.


Mas, apesar do Metroid morrer, e explodir, jogando os resíduos que restam de si em Samus, a moça acaba ficando ultra poderosa (e pistola, seu bebê morreu!) e ganha um Laser todo poderoso, que bota Mother Brain em seu lugar.


Logo depois do monstro explodir de vez, e virar poeira, o planeta entra em Modo Destrutivo e ela acaba tendo de fugir.


No caminho pra saída, através de atalhos que se abrem, ela pode resgatar o Pássaro e os Duendes, todos na salinha onde ela pega a bombinha da esfera, e luta contra a primeira Estátua de homem pássaro. É um desvio que custa um tempinho, mas compensa pois, os bichinhos merecem viver.


Só a Tartaruga que não sobrevive.

No fim do jogo, depois que o planeta explode, Samus é vista saindo em sua nave, e ao fundo da pra ver uma luz deixando o planeta também (que só aparece quando os bichinhos são salvos). Isso significa que eles escaparam, talvez usando a Nave Fantasma (restaurada por Samus) ou alguma nave de fuga pequena.


E é isso.

Metroid morre, Mother Brain morre, os cientistas da estação morrem, todo mundo morre. Mas, Samus escapa viva, e com suas duas missões antigas concluídas: Destruiu Zebes e seus Piratas; Erradicou todos os Metroids;

Ou seja, tudo que ela faz em Metroid 3, é corrigir seus erros em aberto nos jogos anteriores, matando um monte de escravos de Mother Brain, destruindo uma espécie inteira (ou várias né, pois vai saber quantos outros bichinhos inocentes se foram em Zebes) e explodindo um planeta.


Super Metroid é um jogo aterrorizante, divertido, mas com uma história meio pesada se parar pra pensar. Genocídio puro!

Mas, valeu cada segundo.

Tanto, que to até pensando nos próximos. Um dia, quem sabe surjam artigos dos demais Metroids!? Eu to bastante curioso.

Mas por hora, é isso.

Dependerei do feedback!


Já adianto, as vezes demoro muito, mas é tudo com base na motivação! Quanto mais cobrarem, mais rápido surge, pois tudo gira em torno de interesse e motivação!!!


See yah!

E ai, conseguiu achar todos os easter eggs?

Postar um comentário

24 Comentários

  1. belíssimo texto como sempre man. pensava que só eu tinha ficado com medo quando jogou esse jogo a primeiravez... mas o pior de tudo é que eu era extremamente noob e não sabia o que fazer no jogo... tenho vergonha sóde lembrar disso. mas eu era criança, tou perdoado hehe. parabéns pelo incrivel senso de dedução e cuidado com os detalhes. ler suas analises sempre me animam.continue assim sempre!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxa, obrigado sr Ivan, e estamos juntos no trauma infantil. Quantas crianças a Nintendo atormentou!!! rs.

      Aliás, feliz de mais que gostou do texto... eu achei ele curto, mas fiz o possível pra contar tudo que pude. Até pensei em falar das criaturas tudo, mas confesso que achei que ficaria muito "lotado".

      No caso, amo quando o jogo me faz cair nas teorias e interpretações, e quando elas fazem sentido, eu fico pensando "Manoo, como nunca vi isso!?". Fico feliz por ter gostado.

      See yah sr!

      Excluir
  2. super metroid é legal, pena que joguei o metroid fusion primeiro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ao menos o sr jogou, eu só conheço ele de nome e vista =/.

      Os únicos Metroid que joguei foram o Super, e um pouquinho (praticamente nada) do Other M. Também vi o começo de Prime mas, fiquei com medo de continuar.

      Excluir
  3. Respostas
    1. Boa, tem mais 6 escondidas srta Bia.

      Excluir
    2. Preguiça de procurar, mais facil contar as vezes que vc falou a palavra bichinhos...

      Excluir
  4. Apareci finalmente 😎

    Super metroid... Tenho uma vaga lembrança desse jogo... E o motivo é bem simples: Joguei apenas 1 vez ele, no emulador de super nintendo no celular, durante uma aula teórica na auto escola em 2013 :>)

    Tive a impressão do jogo ser bem bacana, porém por ter pouco tempo naquela época não dei o devido valor ao jogo e acabei não o terminando... (Inclusive é até engraçado lembrar porque comecei a jogar porque vi um outro colega na sala jogando, e foi esse mesmo colega que me emprestou o Castlevania symphony of the night uns anos antes enquanto eu fazia o 6° ano no colégio... Pois eu olhava a capa do castlevania e achava meio "meh" então nem jogava... Aí ele me emprestou e conheci o mundo dos metroidvanias... Deixo até aqui meu obrigado a ele por isso :-d)

    Vamos lá, nem tenho como falar muito sobre o jogo pois joguei ele muito pouco, porém é interessante ver que tudo que o gênero oferece se encontra aí e tenho que dizer que Super Metroid é o Dead Space da Nintendo. (Creio que você concorda comigo nisso certo? :-) )

    O clima do jogo é semelhante (obviamente Dead Space tem suas particularidades que aumentam o fator tensão em relação a tomar sustos e horror gráfico) porém o super metroid sempre arranja uma forma de deixar o jogador meio apreensivo e ainda assim com vontade de avançar.

    Depois de ler tudo vou até arranjar um tempo pra jogar e dar um retorno aqui :)

    Quanto aos segredos escondidos... Não sei se encontrei todos...

    Segui a mensagem até a interrogação... Encontrei a mensagem com 100% de camuflagem sombria (estilo naked snake no metal gear solid 3 [o único que terminei até então...])
    Gosto muito da capa desse jogo e de tudo que ela diz em uma "simples" imagem...

    Uma personagem de armadura, atirando em um pterodáctilo (Dino crisis?) Enquanto olha pro outro lado (nem mirou, só disparou) e o pterodáctilo faz uma cara tipo "isso dói desgraça"...
    Até a possibilidade de escolher mais um jogo pra ter análise :>)

    A propósito, é muito legal ler a matéria com esses desafios escondidos.
    Tem muita coisa que você pode aplicar e torna bem mais interessante, pois você fica mais atento aos detalhes e gera vontade de interação (até porque na última vez que dead space chegou a ser citado por aqui foi justamente quando cheguei) 8-)

    Enfim, ótima matéria mano!
    vou ficar atento as atualizações.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Haha, você achou quase todas, pelo menos é o que parece. Não sei se sua citação sobre Dead Space foi uma referência a um dos segredos do artigo, mas de fato, um deles é "Super Metroid é o Dead Space da Nintendo".

      Pelo seu jeito de falar, acredito que encontrou 5 dos 7 segredos! E os únicos que não vi referência no comentário foram o do Feedback (se bem que você disse que vai arranjar um tempo pra "dar um retorno", seria uma referência?) e o do Metroid, que são relacionados por assim dizer (seu comentário é um mistério kkk).

      Achou o segredo das letras no início né, pela sua frase creio que sim. Considerando que seguiu a mensagem, e ainda achou tanto a camuflada quanto a da imagem... ao menos 4 já foram. Pela sua frase extremamente específica de Dead Space (e a carinha) provavelmente achou a dos SubTanques.

      Foi bem! Se ninguém mais achar as demais, o prémio é seu sr Siegmeyer... mais uma vez. O sr é bom em achar esses segredos.

      Se quiser escolher, só falar, e se puder me diz se achou os 2 que acredito que faltam (se não achou, dei uma boa dica kkk).

      A Bia achou 1 (e parece ter desistido) o sr achou no mínimo 6. Fiquei feliz pra caramba por isso... achei que ninguém se interessaria pela brincadeira kkk.

      Interessante a forma como conheceu Super Metroid. O Super foi o único que chegou a jogar? Pela especificidade da memória acredito que sim... Estamos juntos nesse barco kkk.

      No meu caso, eu conheci o jogo pela fita mesmo (tenho ela até hoje, toda desfigurada pois a capa manchou).

      Cara, esse seu amigo só tem recomendações boas. A capa as vezes engana.

      Bem, obrigado de mais pela presença e pela busca no artigo sr!!! E, caramba, 2 pontos kkk

      Excluir
    2. #Partiuresponder

      Da mesma forma que você fez uma postagem misteriosa eu me esforcei pra deixar referências ocultas (e também pro pessoal não pegar as referencias que eu coloquei de mão beijada kkk).

      Confirmo a citação... é que não sei botar texto em negrito, senão tinha destacado ele pra ficar mais óbvio :-d

      Confirmo a do feedback também, dar um retorno é promessa pra voltar e fazer render mais aqui.

      Teve a referência dos segredos no texto, a referência ao dead space das fotos, a referência da capa, a camuflagem também.

      A dos subtanques não tenho certeza... porque não joguei o suficiente pra entender kk subtanque me lembra megaman X (inclusive, na epóca do SNES nos jogos do megaman X ele carregava 4 subtanques, a partir do playstation mudou pra 2 pra vida e 1 pras armas.)
      E nessa questão do subtanque, os quadradinhos referentes a vida da samus (ao ficarem apagados) lembram a coluna do isaac, quando levava dano ficava marcado com uns apagados também...

      eu gosto desse tipo de interação, como falei no comentário anterior, aumenta a vontade de investigar a matéria... fica um metroidvania no artigo... você explora, encontra uma pista, que vai ser usada pra avançar em outra parte e liberar um conhecimento novo... a pessoa se sente explorando também.

      Eu lembro claramente de ver ele jogando super metroid, aí perguntei qual era o jogo e ele me contou, no dia seguinte, baixei também e fiquei jogando enquanto tava na aula (olha o bom exemplo...), por causa dele tive meu primeiro encontro com a franquia... se não me engano na parte de trás da caixa do Snes tinha uma imagem referente a super metroid e levei anos pra saber a qual jogo pertencia.

      Além disso, quando estudei com esse colega no ensino fundamental, eu tinha um playstation 1 e já tinha visto a capa do castlevania nas bancas e tal, mas nunca tive o interesse pois a capa não parecia interessante o suficiente... até que conversando com ele, ele falou sobre o jogo, sobre o castelo que ficava invertido e me emprestou o jogo... ao colocar já gostei... a música de entrada com o richter belmont indo até o drácula, o jogo todo com uma pixel art maravilhosa (amo esse tipo de gráfico), então gamei no jogo... devolvi o dele e fui logo comprar o meu e não descansei até zerar e começar a consumir tudo de castlevania kk
      Realmente ele tinha bom gosto... até começar a focar só em futebol... aí infelizmente divergimos de opinião :p

      vou dar uma olhada aqui na lista morte pra selecionar algo legal 8-)

      Excluir
    3. A do subtanque é a do Dead Space kkk. Você notou ela pelas imagens, mas nem percebeu a dica pra pegar: A primeira imagem (com a letra S) tem a foto da Samus olhando pra um "Subtanque" (o item de energia, eu nem sei como chamar, pois também me lembra os subtanques de megaman) enquanto é observada. Seguindo ela, todas as imagens tem as letras pra formar a frase que você achou, e a última (com a letra O) também é um Subtanque (a frente de Samus) seguido pela frase "Esses são todos" no começo do parágrafo. Isso era a dica pra achar kkk.

      Você é bom nisso sr Siegmeyer! Até esse que achei que era o mais difícil tu achou de boa kkk. Na próxima não vou pegar leve, vou aumentar o tipo de recompensa mas também vou deixar muito mais difícil de encontrar.

      Por hora, é seu direito escolher o próximo artigo. Tô ansioso pela escolha.

      Excluir
    4. Como não cheguei muito longe no jogo e já faz um tempão que joguei, fiquei em dúvida se era um subtanque mesmo o item, achei bem semelhante ao do megaman mas nem tinha ligado ele a dica ;>)

      Achei por sorte né? kk (sou muito sortudo kkkk)
      Eu topo esse desafio! 8-)

      Eu dei uma olhada na lista morte e ia até pedir por Megaman Legends 2, mas tive uma surpresa ao ver que já tem um destaquezinho nele...

      Sei que esse não ta na lista da morte... mas, aproveitei que citei um nome de um jogo no primeiro comentário, e na lista notei que não tem nada relacionado a essa série... então queria meio que solicitar algo relacionado a Metal Gear Solid... mas deixo a seu critério se você prefere analisar seguindo a ordem cronológica ou por lançamento... (e eu to ligado que esse é um jogo que dá trabalho... mas é maravilhoso esse jogo mano)

      Excluir
    5. Noooooooooo, torci pra escolher o Legends 2 ou o MegaManX, pois ambos já tão engatilhados com a bala na agulha (nem sei se a frase tá certa, mas oia a trapacinha ai kkk).

      Mas, seu pedido é uma ordem. Conforme as regras, Metal Gear Solid será o próximo post do site (aliás, como eu acabei de terminar um, vou incluir as imagens e postar, e depois disso já começo a analisar MGS).

      Se importa se for o 3 - Solid Snake? Eu cheguei a começar ele (mas acabei parando por contratempos... 4 vezes... é...) Se não for uma boa, posso começar do primeiro ou do que decidir melhor.

      Excluir
    6. Se não me engano eu já tinha comentado a respeito de você continuar o Megaman Legends 2 né? (Inclusive ontem tava relendo a análise do Megaman Legends)

      Amo a franquia Megaman X também x-)

      Então pra não deixar batido... Publica eles também :>) :-d

      Metal gear solid eu joguei o 2, 3, 4, peace walker... Mas eu só terminei mesmo o 3...
      E isso já é suficiente pra mim dizer o quanto é incrível essa franquia... Sei os spoilers dos outros jogos todos e um dia vou terminar todos eles também!
      Então você não podia ter escolhido melhor!

      Uma pena que você tenha parado algumas vezes... Eu considero o jogo complexo... Não é pra qualquer um querer aprender as mecânicas e apreciar a história (o 4 eu mal joguei justamente pela quantidade de coisas que tem pra se aprender e eu não tava a fim no momento) mas o 3 me prendeu rapidinho e logo consegui aprender as mecânicas e a história ia me interessando mais a cada segundo... (Ainda platinei essa delicia no ps3)

      Excluir
    7. Recebi várias cobranças do Legends 2. Não só no blog, um do leitores chegou a me mandar mensagem no whatsapp pra pedir por isso. Então eu botei ele no cronograma de urgentes.

      Já adianto que, eu gostei e não gostei ao mesmo tempo do MGS3. É que, ele tem filmes de mais, e é totalmente focado em Guerra. É algo que não curto muito. Mas, depois do que passei com Clock Tower, acho melhor expandir os horizontes e me abrir. Além disso, quando fiz o artigo de Tanya eu tava com o mesmo preconceito por Guerra, e acabei curtindo.

      Na última vez que joguei o 3, eu cheguei longe, e tava gostando (mesmo também não curtindo jogos Stealth), e pelo que me recordo tinha acabado de derrotar um cara camuflado que ficava nas árvores.

      Eu ia continuar, mas cheguei a parar pois a luz acabou logo depois de enfrentar esse chefe, e perdi o progresso.

      Mas, agora não tenho desculpa, estou com ele acima dos outros.

      Se tudo correr bem, o próximo post será MegaMan X (já terminei o texto então não posso adiar) e logo em seguida focarei em Metal Gear.

      Agora vai sair!!! (eu to ansioso).

      Excluir
    8. Bom saber que tem mais gente querendo essa análise do legends x-)

      Meu primeiro contato com um Metal gear solid foi justamente com o 4... levou horas pra instalar no ps3 e quando comecei a jogar sabia nem o que tava fazendo de tanta coisa que o personagem podia usar...
      Na mesma hora tirei o jogo e só uns meses depois que coloquei o 3 (era o legacy collection pra ps3...), antes dei uma pesquisada... vi que ele era o primeiro na cronologia, então experimentei, fui aos poucos, cometendo uns erros aqui e ali, jogando sem pegar dicas, sendo bem ruim no stealth, prestando atenção na história... mas ainda assim achei legal a jogabilidade e queria platinar o jogo, então fui jogar de novo, tentando o modo pacifista, sabendo me esconder bem e o jogo foi me ganhando a ponto de lá estar eu mais uma vez agora na dificuldade mais alta e esse jogo me ganhou...

      A música tema desse jogo... é uma das minhas favoritas, ainda tentei jogar o 2 mas não curti tanto, joguei o peace walker depois e até gostei pois achei bem parecido com o 3, mas não cheguei a terminar ele.

      De toda forma eu compreendo que realmente dê uma desanimada... um tempo atrás fui jogar o 3 no psvita mas nem tava tão empolgado, fui avançando aos poucos, mas depois de um tempo tava doido lá jogando sem parar kkk

      Quanto a megaman X, vai dar bom meu caro! atualmente estou jogando o Megaman X Collection no pc... estou terminando o X3 (falta só as conquistas dele e aí vou pro Megaman X Collection 2... finalmente enfrentar o X7...

      Excluir
    9. Estranho, eu tinha respondido mas parece que não publicou...

      Mas, bem, eu peguei essa versão do Collection pra jogar, e pode crer que logo vou terminar. Provavelmente vou jogar as versões de Ps2 e PS3, além da versão de 3DS. Como prometido terei de fazer um artigo pra lá de completo.

      Cara, certeza que eu tinha feito o comentário... lembro que disse que o post de MegaMan tava praticamente pronto e publicaria ainda ontem... e assim o fiz.

      Eu hein... Mas, agora é focar em MGS3!!!!

      Excluir
  5. Eu buguei...meu cérebro travou [Understanding.exe stop working]

    E tudo isso por causa de um Déjà vu que meu cérebro ainda insiste em gerar toda vez que vejo a capa desse artigo...



    Posso, como provavelmente estou doido, mas lembro me profundamente de já ter visto um artigo do Super Metroid, e quando pesquisei sobre, boom, não tinha mais, só tem esse...


    O que diabos aconteceu? Me droguei para escrever um comentário e tive alucinações e tais alucinações viraram memórias a longo prazo?! Estou vivenciado uma fantasia produzida por uma série de devaneios criados pelo meu cérebro para argumentar a favor da existência de uma realidade que ele insiste em acreditar que existiu mas que nunca houve de fato?!

    Meu...










    Logic.exe stop working
    .
    .

    Matrix need to restart, please wait...






    Brisa a parte, o que raios aconteceu?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dessa vez não houve republicação, isso posso afirmar.

      Pode ser o efeito Mandela agindo... (eu mesmo também achei familiar a capa e imaginei já ter publicado ela, inclusive chequei a Lista da morte pra ter certeza, mesmo sabendo que não fiz).

      Porém, talvez você esteja confundindo os "AvisosMorte" com artigos. Houve um tempo, antes da página no facebook existir, que eu criava esses avisos com coletâneas de capas, onde falava o que provavelmente eu traria de novo ao blog.

      Não só isso, existe um artigo (RapidinhaMorte) "Os 20 melhores Jogos da Minha vida" em que eu falo de Super Metroid. Ironicamente o texto é bem parecido (parece até um super resumo do artigo kkk).

      https://www.divulgantemorte.com/2019/12/rapidinhamorte-os-20-melhores-jogos-da.html

      Deve ter sido isso rs.

      Bem, espero que tenha gostado, e sr Wilson é muito bom tê-lo de volta, fazia tempo que não o via.

      Excluir
    2. Tu foi cirúrgico agora, foi isso mesmo.


      No artigo "20 melhores jogos da minha vida" você cita que quase todos os jogos listados tem um artigo próprio, e para aumentar a minha convicção, quando escrevi o comentário, disse que "eu já li todos os artigos desses jogos" (o que de fato aconteceu...eu acho...é) então implantei na minha mente que além de existir um artigo, eu já tinha lido ele...




      Memória é um negocio compricado, muita gente ainda acha que Nelson Mandela morreu na década de 90...





      Mas eu ~ainda~ não to louco...eu acho.

      Excluir
    3. Calma sr! Até eu me confundi e eu que tava escrevendo!

      Calhou de acontecer, fazer o que.

      Excluir
Emoji
(y)
:)
:(
hihi
:-)
:D
=D
:-d
;(
;-(
@-)
:P
:o
:>)
(o)
:p
(p)
:-s
(m)
8-)
:-t
:-b
b-(
:-#
=p~
x-)
(k)