CríticaMorte: Mortal Kombat (2021)

Eu nem ia falar nada pra ser sincero, mas não aguentei.

Boa leitura...

A maldição das adaptações de games pro cinema ataca novamente.

É triste ver que algo que poderia dar tão certo facilmente, falha de forma catastrófica.

O que é este filme? Uma tentativa grotesca de adaptar outra vez o que já foi adaptado, e nem foi lá grande coisa.

Eu vi gente defendendo o filme de Mortal Kombat de 95, só que até ele foi uma porcaria em termos de adaptação. Claro que, perto deste... ambos são ruins. Mentir pra que? Não se iluda com nostalgia, a mão do Scorpion se abrindo é uma das coisas mais toscas que já existiu.

Mas vamos lá, ao filme de 2021... é um amontoado de besteiras e clichês que a maioria dos filmes de adaptação teimam em repetir.

Gente, a ideia de um filme que adapta a história de algo, seja livro, jogo, quadrinho ou anime/mangá, é contar algo que qualquer pessoa consiga entender, não apenas quem conhece o material base. É pra atrair um público novo que não se interessa pela mídia original da obra, e sim, também é pra agradar o público que já acompanha, mas o objetivo é alcançar um espaço bem maior.

E o que toda adaptação mequetrefe costuma fazer? Ser expositiva ao extremo, trazer uma avalanche de Fan Services e claro, não inovar por medo de "fugir do original".

O resultado disso sempre é algo cansativo, bobo, sem inspiração, e geralmente confuso.

O caso desse Mortal Kombat é um perfeito exemplo disso. Os caras pegaram um roteiro furado de "guardiões do planeta" e enfeitaram com elementos dos jogos que mais chamam a atenção (Fatalities) e, pronto, acharam que tava perfeito pra lançar.

Pra quem tá assistindo e conhece o universo dos jogos, é nítido o quão forçado tudo está. E pra quem nunca jogou um Mortal Kombat na vida, provavelmente nunca irá querer jogar depois de ver esse filme.

Ele causa desgosto, e afasta a atenção do público, não apenas com um roteiro podre e desanimador, mas com atuações ruins, uma trama péssima, e o que mais deveria ser o forte, é na verdade desajeitado e muito mal elaborado: As lutas.

Isso quando tem. Boa parte dos combates são baseados em coreografias de treinamento, e empurrões. Lembrei dos grandes combates da série de Supernatural, onde tudo sempre terminava com alguém indo pra parede. É muito disso que temos aqui.

Os Fatalities? São mortes exageradas e rápidas de puro gore, que tiram o mínimo de tempo de tela pra não chocar de mais. E mesmo assim, todas as cenas são feitas de forma sutil, sem pegar muito pesado, com cortes (de cena) rápidos de mais pra que não dê tempo de você sentir vontade de vomitar.

E isso é ruim? Poxa vida, lógico! O que se espera de um filme baseado num jogo em que o foco é arrancar 20 crânios do mesmo personagem quando ele é executado, é no mínimo um "Jogos Mortais" de lutinha.

Parece exagero pedir por algo tão terrível assim, mas gente, essa é a cara de Mortal Kombat! Sem frescura, um filme assim tem que ser chocante. Se ao menos tivesse sido lançado com uma faixa etária livre, até daria pra entender a leveza da obra, mas mano, ele saiu pra maiores de 18! Sem justificativa.

Mas esqueça o jogo. Nem vou comparar pois, a própria franquia de jogos peca horrivelmente ao contar sua história, afinal esse nunca foi o foco (se não me engano fizeram um soft-reboot no último MK pra tentar corrigir os tantos furos que já criaram né?).

Imagine ver um filme onde, cada personagem que surge tem que parar, fazer uma pose e dizer seu nome alto. Fala se não é o desespero de um diretor em tentar explicar quem seus atores estão incorporando dos jogos, pelo medo do público não entender?!

Gente, tem uma parte no filme que o Sub-Zero (a pelo amor, você conhece, é o ninja que joga gelinho) chega no chefe dele, que inclusive está a anos no comando e mandando feito louco nele, e diz "Amigo, meu nome não é mais esse, é Sub-Zero" quando o chefão chama ele pelo nome real.

Faz sentido isso? Lógico que não! Ao menos na trama isso não faz o menor sentido, porém pra narrativa fluir pro espectador, o diretor achou importante deixar claro que, o cara que vemos no começo de tudo, e se apresenta com um nome de gente, que era inclusive o único que usava Gelo como arma, era o Sub-Zero dos jogos (eu sei lá o nome do cara, meu cérebro entrou em estado emergencial e tá deletando tudo referente a esse filme em modo relâmpago).

Depois disso eu já imaginei o que viria. Todo personagem que surgisse diria seu nome como se fosse uma chamada. Até os mais óbvios, como o Scorpion no final... pelo amor de deus... o cara voltou do inferno pra vingar a família e, é claro que ele precisa dizer que tem um nome novo né, sem ninguém perguntar. 

Detalhe: Ele só fala japonês. Faz parte do personagem isso, e ele não entende outros idiomas, o que ele inclusive diz no começo de tudo (ele fala japonês até mesmo com o filho dele, que só fala inglês... e geral entende tudo!). Maaaas, na hora de dar o fanservice do "Get over here!" ele fala inglês.

Só isso afunda o filme inteiro? Claro ué. Mas ele consegue errar em muito mais pra ser um desastre completo.

O nome é "Mortal Kombat", mas o filme é sobre um cara impedindo que o Mortal Kombat ocorra. E de fato, nunca acontece o tal Mortal Kombat. Não oficialmente tecnicamente. É ai que tudo fica complicado.

O filme consegue complicar algo simples. Ele estabelece em seu roteiro que, o mundo tava em perigo pois a Terra perdeu o Mortal Kombat nove vezes seguidas, e na décima, seria invadida pelo outro mundo. Por isso o defensor da Terra, o deus do Relâmpago, Rayden, tava desesperado buscando guerreiros bons pra finalmente vencer uma. (Os caras colocam um texto pra explicar isso só pra constar).

Ai chega na hora H, nem rola o tal combate. Os personagens fazem batalhas campais mesmo contra o vilão que tá trapaceando pra impedir o combate mortal de acontecer e, pronto, acabou o filme. Tecnicamente, aconteceu o Mortal Kombat, mas não foi oficial, pois o vilão não queria que acontecesse. 

Incrível não? Pior que pra que tudo isso seja contado, eles se viram na obrigatoriedade de incluir um personagem novo, e genérico, pra que o espectador "se sentisse junto" com os demais personagens do jogo.

Sem enrolar, deram um filho pro Scorpion e esse filho virou um lutador bosta que só entrou pro Mortal Kombat porque tinha a marquinha de nascença de escolhido, herdada do pai.

E pra variar, ele nem é interessante. Ele tem uma família, enquanto nenhum outro personagem tem, e essa família é posta em perigo o tempo todo, mas o filme nem tem coragem de tirar ela do cara pra dar aquela "estimulada", e fica um clichê sonhador de que, esmurrar uma pessoa congelada fará ela voltar a vida.

Ele mesmo tem como superpoder a capacidade de criar uma armadura que absorve impactos, poder esse liberado nos últimos momentos do filme, que aliás, encontra essa justificativa pra habilitar os tão variados movimentos especiais dos personagens. Que poderzão hein!

Assim como nos jogos, todo personagem tem uma habilidade única pra dar seus especiais, e isso agora é justificado como uma consequência por carregar a marca de escolhido, apesar dos inimigos também terem tais habilidades e não carregarem a tal marca. Mas que seja...

Aqueles que não tem a marca, não tem também habilidades, mas podem matar alguém que tenha pra assim, substituí-lo como novo escolhido. Super equilibrado né?

Enfim, boa parte do filme é sobre o pessoal descobrindo seus poderes. O Carinha do Braço de Aço ganhando o tal braço, Sonya ganhando poder de luz rosa depois de ficar o filme inteiro chorando por não ser uma escolhida... e claro Kano (quem) ganhando o poder de lançar Laser pelo Olho! Melhor adaptação EVER!

No jogo ele lançava Laser pelo olho... porque o ROSTO DELE ERA METADE FEITO DE MÁQUINA! Aqui, é um poder que ele libera, apenas em um dos olhos... por puro fan service mesmo. O rosto dele nem é de metal mano!

Legal que escondem tudo isso no trailer, que inclusive tem TODAS as cenas mais legais do filme. Pra dizer a real, a edição do Trailer foi melhor que do filme. A parte no trailer que Sonya tá contando sobre o que é o Mortal Kombat, e que a rapaziada tem poderzinhos, é mais convincente do que acontece no filme. No filme é um negócio atropelado e sem timing nenhum.

Pra não dizer que são todas as cenas, tem uma da Milena recebendo um buraco no estomago que, é bem legal. Mas aquela Milena estragou tudo. Os caras maquiaram uma moça com batom nos cantos da boca como se fosse o Coringa, pra dizer que era a Milena (que no jogo, tem a mandíbula aberta e um monte de dentes). Ela só abre a boca assim segundos antes de ser morta... então o filme inteiro fica essa moça com um borrão vermelho no rosto. É... muito estranho.

Ah, é uma bobagem assistir. 

Não perca seu tempo, o filme é ruim. Os personagens desinteressantes e... pior que me enganou viu?

No começo dele, ele mostra a rivalidade original de Scorpion e Sub-Zero, algo que foi adaptado (nesse caso um sucesso) em forma de Filme Animado, recentemente. Daí, quando tão mostrando esse começo, é bem daora. As lutas são bem feitas, rola muito sangue (exagerado mesmo, e é louco) e aí tem a cena do Sub-Zero matando a família do Scorpion a SANGUE FRIO (perdoe). 

Então tem o Scorpion se arrastando, praticamente morto, pra salvar seu filho ainda bebê que chora na casa e pum, ele morre, sendo levado pelas chamas do inferno. A cara, isso é bizarro mas muito louco! 

Ai, na hora que o Rayden aparece, com o olho brilhando via Photoshop... ele estraga a cena. Daí pra frente, é ladeira abaixo no mundo do clichê.

Mas, foi o bastante pra me prender no filme e, depois que dormi na metade dele (sim, eu capotei, e nem era tarde!) eu me forcei a termina-lo e... me arrependi. Que desperdício.

Sério, os caras deviam assistir Silent Hill (o primeiro) pra aprender o que é adaptar um jogo. Pois meu, é tanto lixo surgindo que não me espanta Hollywood ter tanto preconceito com esse tipo de filme.

Enfim, é isso.

See yah.


Postar um comentário

11 Comentários

  1. Vejam só, um filme lixo desperdiçando tempo e dinheiro dos Fans...

    QuI nOvIdAdEeEeE!!!!!!

    Engraçado que só ouvi falar desse filme agora, e outra coisa, como consegui chegar aqui tão rápido?!
    Sla vey...

    Aquele filme de 1995 é...uma merda, na real, todas as adaptações de jogos são uma merda, algumas se salvam, mas ainda não são lá essas coisas, até porque, "bom" e "melhor filme baseado em um jogo" tem uma distancia fudida.

    Heh, até onde eu conheço seus leitores, acredito que ninguém vai ficar triste kapakapa.
    Mas se ficar provavelmente vai ser por mais um lixo de filme usando direitos de uma franquia de jogos.
    (Não consigo nem chamar isso de adaptação).



    Sub-zero matando de SaNgUe fRiO...
    Eu acho que já vi essa piada em algum outro lugar kkkk.


    si ya...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O pior que o filme parece ser fanmade, mas é oficial da Warner. O diretor ainda disse que tem planos pra continuação mano, imagina se isso ocorre!

      Excluir
    2. Fans fazem melhor, sem dúvida.

      Fans não ligam para o que os comentários do YouTube dizem sobre o filme deles, eles fazem por diversão, geralmente para fazer o que as empresas não fazem, mas que os fans queriam que fosse feito.


      O diretor deve ter problema na cabeça, que continuação seria essa?!
      A gente nem poderia dar o mérito de "continuação melhor que o antecessor" kkkkkkk.
      (Isso se fosse aceitável né...)

      Excluir
  2. Respostas
    1. Parece que piorou. Louco foi descobrir ao ver meu irmão assistindo que a animação do Scorpion tem praticamente a mesma história. Ou seja, o cara foi um gênio, tentou copiar mas não fazer igualzinho, e fez essa porcaria ai.

      Excluir
  3. Se cortasse o Cole Young da trama tenho certeza que melhoraria. Não em 100%, mas seria pelo menos um fime"gostável". Não engulo o foco que dão neste personagem zé ruela. Como fã de MK estou ofendida.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aquela clássica ideia de incluir um anônimo pra nos representar na obra, foi um tiro no é de quem já tava manco. Personagem mó nada a ver... e só ta no filme porque é filho do Scorpion e seria o único que poderia trazê-lo de volta pra derrotar o Sub-Zero... mesmo que isso não signifique nada na prática pois quem invoca o Scorpion tecnicamente é o Rayden com a kunai sangrada la.

      Excluir
    2. Exatamente. E no final, o filme se torna uma coisa que não é pra fã, não é pra iniciante, e nem para quem curte Sessão da Tarde. Acaba sendo um filme para ninguém.

      Excluir
    3. Sem nada de bom pra tirar dele. Eu sinto em admitir que um trailer conseguiu me enganar de mais. Eu só assistir por causa dele... caso contrário seguiria meus instintos.

      Excluir
  4. Cole Young e seu "incrível" poder em ter uma camiseta dourada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que absorve impactos e acende. Eu achei até que ela lançaria poderzinho mas não, só acende.

      Aliás, fui só eu que ficou esperando um poder realmente legal? Eu tava teorizando o que ele despertaria, até supus que ele vestiria a roupa de Scorpion na verdade... no fim... foi aquilo.

      Aliás, hei Sammy!

      Excluir
Emoji
(y)
:)
:(
hihi
:-)
:D
=D
:-d
;(
;-(
@-)
:P
:o
:>)
(o)
:p
(p)
:-s
(m)
8-)
:-t
:-b
b-(
:-#
=p~
x-)
(k)