ArquivoMorte

PesquisaMorte:

terça-feira, 1 de outubro de 2019

AnáliseMorte: Bloodstained - Ritual of the Night

Tan-ran-ra... nop... esse não.

Hoje irei falar de um jogo onde um personagem passeia por um Castelo, matando um monte de demônios e monstros, e até vampiros, indo e vindo enquanto mapeia tudo até chegar ao seu destino:

Bloodstained - Ritual of the Night.


<Tem spoiler>

Boa leitura

Qualquer semelhança, não é mera coincidência. Bloodstained é feito pelo mesmo criador de Castlevania (Koji Igarashi), o qual inclusive fez questão de fazer o máximo de referências e cutucadas possíveis ao seu antigo jogo.


Isso se deve ao fato dele ter saído da atual detentora dos direito autorais de Castlevania, que por sua vez, não ta nem ai pra fazer jogos mais, mas ainda insiste em manter seus títulos fora do mercado.

To falando da Konami, a mesma produtora e assassina de séries "bobinhas" como Metal Gear Solid, o próprio Castlevania e... deus... Silent Hill. Não esconderei meu ódio para com essa empresa e o descaso deles com esses títulos.



Eu sei, muitos falam do quanto eles feriram a moral do mundo gamer ao descontinuar esses jogos tão consagrados mas, de fato, dói só de lembrar o caso de P.T. (que ainda rende surpresas até hoje! Ontem mesmo li uma noticia de um cara que achou um corpo dentro de uma banheira numa porta do P.T.). E talvez, a consequência das ações da Konami sejam justamente, a saída de seus grandes nomes e tentativa de reerguer as séries sob um novo manto.



O Hideo Kojima por exemplo, ta la fazendo o possível pra trazer o espírito de Silent Hill de volta ao mundo, na forma de "Dead Stranding", e Koji Igarashi fez o mesmo, buscando através da iniciativa kickstarter, produzir um jogo independente que fosse sucessor espiritual de seu amado título.



Agora... deu certo? Ou foi tipo o caso de Mighty Nº9 do criador de Mega Man? No caso de Mega Man, o criador acabou saindo da empresa (Capcom) mas, eles ainda assim continuaram fazendo jogos... demoraram alias, mas diferente da Konami, a Capcom acabou tirando suas franquias do freezer, como Resident Evil, Devil May Cry, e Mega Man, e fez muito bem com todos eles (mesmo Mega Man 11 não sendo "tudo aquilo", foi um bom jogo, e um bom retorno, e eles estão pra lançar um novo jogo da saga X!). Acabou que o "sucessor espiritual" por parte dele pareceu genérico de mais, e não ficou bom não.



Mas e quanto a Bloodstained? Nessa onda de grandes diretores tentando retornar jogos por conta própria, sem a aprovação da empresa, e contornando esse obstáculo com o uso de novos títulos e recursos alternativos como a própria Kickstarter (onde recebem doações de fans para a produção), Koji conseguiu criar algo no mínimo decente?

E a minha resposta é: Num é que conseguiu!?

Bloodstained é Castlevania, só que com outro nome. Tudo que tinha nos originais foi replicado aqui, e até que melhorado. Esse jogo lembra alias muito mais o "Castlevania Symphony of the Night" pela jogabilidade e construção em geral da arquitetura e dinâmica, junto com o "Castlevania Dracula Chronicles", por causa do visual gráfico 2.5D e um tema mais "Anime".



Talvez a única falha aqui seja a trilha sonora, que não é ruim, muito pelo contrário, é muito boa, mas, perto e em comparação ao padrão Castlevania, deixa muito a desejar, e não marca em absolutamente nada (eu não consegui ficar com nenhuma musiquinha ecoando na cachola, e isso ocorre em Castlevania com praticamente toda as musicas, em todos os jogos).

Mas isso não impede de terem boas trilhas sonoras e do jogo se orgulhar o suficiente pra render bons momentos até que memoráveis e meramente contemplativos, como o simples ato de sentar num piano e tocar música.



Convenhamos, esse é mais uma homenagem à Castlevânia e um resgate ao gênero e a origem, do que uma tentativa de iniciar uma franquia nova ou coisa do tipo. Em alguns momentos há até referencias mais do que diretas ao outro título, e até algumas patadas a empresa que fez descaso com ele.

Ainda assim, buscam aqui dar uma nov roupagem ao tema, criando um jogo independente de seu antecessor espiritual, e criando uma obra até que bem divertida, envolvente, e interessante, além de bem dinâmica.

Jogabilidade

Controlamos uma personagem chamada Miriam, que é um tipo de experimento humanoide chamado Fragmentario, capaz de absorver energia demoníaca e replica-la. Por sua natureza. quanto mais ela absorve essa energia, mais corrompida ela fica, só que ela é bem resistente a essa corrupção (e isso a torna tão especial)



Ela anda, pula, e ataca. Pode também esquivar, pra trás, e dar rasteira, se estiver abaixada.



Ela pode equipar dezenas de armas diferentes, de suas próprias botas, a adagas, espadas, lanças e até armas de fogo, e cada arma tem um efeito, alcance, dano, e velocidade de ataque diferente.



É preciso trocar as armas pelo menu, e não tem uma troca rápida (o que é uma chatice). 



Até há um Cristal Demoníaco que libera um tipo de troca de "Configuração da Personagem", mas isso nem se compara a uma forma rápida de troca de armas, pois precisa configurar cada um dos slots, e ainda precisa ir melhorando esse cristal com o tempo, e cara, cada novo equipamento, é preciso reconfigurar tudo, é chato.



Mesmo assim, a longo prazo, torna-se indiferente o fato de ter de entrar no menu, equipar arma, sair do menu, usar arma, entrar no menu, equipar outra arma, sair do menu, usar outra arma, entrar no me... você entendeu.



Tendo em vista que são muitos equipamentos diferentes também, passamos bastante tempo reequipando nossa Miriam e reexplorando os mapas, e sim, sempre iremos ir e vir por todo lugar.



Mesmo que pareça uma jornada exaustiva, repetitiva e chata só de pensar, na prática não é. As coisas fluem muito bem e sempre há algo novo a se descobrir em cada cantinho do castelo, ou dos mapas adjacentes.

Tudo é tão fluido e conectado que eu cheguei a explorar 100% do mapa sem nem ao menos tentar! Sério, eu só sai fazendo o que o jogo pedia pra fazer e no fim, 100%.



Conforme andamos, o mapa é revelado e podemos retornar depois naquele ponto pra reexplorar algo que não podia ser acessado antes. Existem vários baús que ficam em pontos secretos, as vezes em locais altos de mais pra se alcançar, as vezes em pontos aparentemente impossíveis, mas uma hora ou outra será possível pega-los. A sorte é que no mapa sempre fica apontado onde estão.



Há também paredes secretas, mas mesmo não sendo tão fáceis assim de se achar ao azar, batendo, conforme avançamos acabamos encontrando recursos alternativos que nos auxiliam nessa empreitada.



Existem equipamentos, como acessórios, e alguns deles provém poderes extras pra personagem, alguns nem são considerados "poderes", pois só servem pra fazer zoeira, como um barulho engraçado ao falar, ou deixar a câmera mais perto, ou mais longe...

Mas tem também aqueles que ajudam, como o Monóculo que permite olhar paredes falsas, além de recolher itens caídos no chão.



E tem uns que misturam as duas coisas, tipo transformar em monstros, o que permite fazer certos movimentos, ao custo de PV constante.



Tem também Familiares, que são inimigos que ao invés de darem seus cristais, preferem se entregar por inteiro e passam a seguir Miriam como aliados. Ela pode usar um de cada vez, e eles upam junto com ela, ficando mais fortes e dando diferentes formas de suporte.

Alguns atacam, outros auxiliam com magias defensivas, e tem a fadinha que ajuda mostrando onde tem caminhos falsos.

Esses recursos servem na exploração dos mapas, o que só vai facilitando ainda mais o jogo.

Detalhe: Itens consumíveis são bem raros, e não tem "Frangos" escondidos nos blocos. Na verdade, mesmo as Poções que a protagonista pode comprar são recursos limitados. Ela pode carregar apenas 5 por vez, de cada tipo, e tirando os itens culinários (depois falo deles), ela não tem mais nada pra se regenerar. Até tem umas magias, mas não compensam.



Além disso, o PV e PM dela aumentam conforme ela encontra os itens especiais que aumentam isso. Mesmo ela Passando de Level conforme mata inimigos, isso nada tem a ver com sua vitalidade máxima. Se bem que, seus atributos aumentam um pouco, e sua resistência e regeneração de PM também. Mas não há regeneração de PV (Vitalidade) automática, o que é bem tenso (tirando com algumas habilidades, e certos equipamentos, mas é algo lento e risório de tão irrelevante na regeneração).



Bem, temos outros equipamentos também, como as Armaduras. Elas normalmente servem pra aumentar a resistência física e a diferentes elementos e efeitos negativos, como envenenamento ou fogo, gelo, etc. Mas, tem também aqueles que servem pra mudar o visual...

E aqueles que servem pra dar efeitos extras, como causar dano ao tocar nas coisas, um dano pequeno, mas útil pra afastar inimigos fracos, e quebrar tochas, que alias, sempre soltam Moedas ou Itens de Regeneração de PM.

E tem até um equipamento que da imunidade a espinhos, o que é muito útil em certos momentos.



A PM é utilizada para realizar magias, e tem duas formas básicas de se fazer isso: Realizando um especial com a arma, ou com o Cristal Demoníaco.



As armas de Miriam podem ter especiais ou não, é na base da sorte. Ela pode fazer um especial realizando movimentos secretos, como "dar hadouken". Dependendo da arma, a quantidade de dano é enorme, mas a quantidade de PM consumida também.



Agora, os Cristais Demoníacos consomem energia com apenas um botão, e já lançam a magia incumbida neles, sem serem gastos nem nada.



Só que Miriam só pode equipar 1 Cristal por vez, um de cada tipo (são 5 tipos de cristais, Vermelho, Amarelo, Branco, Azul, e Rosa). Dois dão habilidades normalmente pacíficas, e dois dão habilidades de dano, e os Brancos são fixos e dão habilidades de suporte.

Cada demônio derruba um cristal diferente, e uma vez que Miriam o absorve, ela domina sua habilidade. Sempre que ela equipar o cristal dele, ela pode usar essa habilidade indiscriminadamente, até sua PM acabar. Mas, sua PM se regenera (cada vez mais rápido conforme seu level aumenta) sozinha com o tempo.



Cada ataque gasta uma certa quantidade de PM, e alguns são bem melhores e úteis que outros. Cada jogador pode montar sua estratégia, e eu acabei montando uma bem apelativa...

Tem dois ataques que eu considero os melhores: Pilares de Fogo e Porquinhos Voadores.

O Pilar de Fogo é um poder conquistado de um Gato demônio gigante. 



De inicio, ele lança só 1 Pilar mesmo, que causa dano pra cima, mas fica um tempo na área e isso causa geralmente uns 3 hits em quem pisar nele. E são hits fortes. Ele consome também pouca PM (30 apenas, que é uma quantidade relativamente baixa).


É possível melhorar os cristais, através de um Alquimista aliados. Assim, eles ficam bem mais fortes, e eu fiz isso com esse do pilar. Eles podem chegar até o nivel 9, e com isso, eu chegava a lançar 9 Pilares de Fogo pra frente, usando apenas 30 de PM, sem restrições.



O ataque do porco então é outro que eu considerei apelativo de mais. Ele consome ainda menos PM, acho que 15 se não me engano, e lança um porquinho voador que fica ricocheteando nas paredes e inimigos, causando um dano ridiculamente alto em cada impacto.

Ele é gordinho, e rápido no voo, além disso, o porquinho fica um bom tempo no mapa indo de um lado pro outro até sumir. O curioso é que não tem limite máximo de porquinhos pra se invocar, então da pra cobrir o mapa de porquinhos e deixar a festa do bacon rolar.



Somando isso, aos poderes especiais de Cristais Brancos, e dava pra fazer grandes estragos.

Os Cristais Brancos, diferentes dos demais, costumam ficar equipados permanentemente na personagem. Assim, eles sempre vão dar a habilidade que ela conquistou. Essas habilidades são passivas, e são coisas como Pulo Duplo, ou Inverter o Mapa Inteiro!

Sim, em dado momento do jogo, a personagem passa a ter o poder de inverter a coisa toda com um único movimento. Isso da a oportunidade de literalmente por tudo de pernas pro ar, e eu usei e abusei disso em chefes.



Ficar no telhado, tacando porquinhos, nunca foi tão divertido!



Existem mais e mais poderes, e conforme jogamos, somos levados a conquista-los. Alguns, pegos de chefes, como a Mão pra Mover Objetos, ou o Laser Teletransportador, são poderes essenciais pra prosseguir no castelo.

Mas tem poderes essenciais também pra jornada, que pegamos de inimigos comuns, aleatoriamente, como o poder de Nadar. Ele na verdade é apenas a habilidade de Jogar Água, pega de um inimigo aquático comum. Mas sem ele, não da pra prosseguir na história.



Pra pegar os cristais de inimigos comuns, há chances baixas, e é preciso ficar lutando e lutando até cair. Assim, vai da sorte do jogador ficar preso nessa parte do jogo ou não.

Mas, o curioso é que o jogo nos faz passar por essa parte, e outras, naturalmente.

Há NPCs que dão dicas no caso de perda. Eu mesmo acabei ficando perdido em alguns momentos, por bobagem, e os npcs diziam o que fazer.

Por mais aberto que pareça, o jogo é totalmente linear, e não tem como seguir em frente sem ser pelo caminho certo, por mais que se tente "pegar um atalho" no fim sempre acabaremos indo pelo caminho que o jogo quer.

Bem, temos alguns NPCs pra nos auxiliar, e o que achei curioso é que, pela primeira vez, TODOS os recursos de um jogo foram devidamente utilizados por mim.

Eu nunca me vi forçado a usar todos os itens, ou todas as coisas de um jogo, e aqui, eu tive que fazer isso, ou simplesmente não jogaria.

E não me senti incomodado, o que é realmente curioso. Geralmente não gosto de obrigações, mas nesse caso, achei interessante e até divertido.

Então, temos um NPC Alquimista, que nos permite fazer duas coisas: Equipamentos, e Comida.



Pela alquimia, ele permite pegar itens que caíram de monstros e fabricar diferentes armas, consumíveis e equipamentos, como Acessórios, que alias, servem pra dar benefícios ao jogador.



Agora, pela Culinária, ele permite fazer diferentes pratos de comida que dão atributos temporariamente. Esses pratos, também feitos com itens que caem de monstros, somados a condimentos vendidos por um outro NPC, ou pegos de um outro jeito (já falo dele), servem pra uma quest secundária curiosa.



Existe uma NPC idosa que ta faminta e cara, ela come de mais. Ela da equipamentos e armas boas pra caramba, em troca de pratos simples, mas pra isso precisamos dar um jeito de descobrir o que ela quer, olhando o balão que aparece na mente dela. É fácil comparar as imagens com o menu do que o Alquimista diz que podemos fabricar, mas o divertido da quest ta em procurar os itens pra cozinhar, e ir fazendo os pratos pra velha.



Tem um NPC que planta coisas, ele só serve pra isso, plantar. Existem 3 condimentos que não conseguimos em lugar algum, somente com ele: Arroz, Batata e Milho. Só que a horta dele é pequena, então podemos plantar apenas 1 de cada vez. Sempre plantamos algo, e demora um pouco pra cultivar. É legal isso.



O restante das coisas são vendidas pela outra NPC, uma Freira, acompanhada de uma Menininha. Ambas vendem coisas diferentes pra gente, como armas, consumíveis, comidas, e equipamentos. Além disso elas compram Cristais, o que ajuda a movimentar nossa carteira.



Dinheiro é algo difícil de conseguir, então sair vendendo nossos cristais repetidos é sempre muito bom, pena que pagam pouco. Na verdade, fizeram a economia de um jeito tão balanceado que, "descobrimos um filho pra cobrir o outro". É cruel.

Tem uma NPC que pede coisas pra gente, equipamentos diversos, para colocar no túmulo de pessoas que morreram na vila. Ela serve justamente pra que sacrifiquemos aqueles equipamentos repetidos que temos, ou que cacemos coisas novas.



Tem uma NPC vingativa que pede pra que cacemos uma porrada de monstros pra vingar a morte de seus amigos e parentes, e cara, quanta gente morreu. Ela serve pra incentivar a caça de inimigos, o que acaba facilitando a conquista de cristais (mas são quantidades pequenas de inimigos, geralmente 5 inimigos de cada, o que é pouquíssimo e algo que se faz automaticamente ao prosseguir jogando).



Tem também um NPC cabeleireiro, que na verdade é um demônio renegado, que decidiu fazer o bem, usando sua forma amaldiçoada pra cortar cabelos. Ele serve pra personalizar Miriam, mas vai muito além de só mudar sua cabeleira...



Da pra mudar sua roupa, olhos, cor de pele... e... pois é, cor de pele... olhos... o cara faz cirurgia plástica com as mãos tesoura dele.



Legal que ele tem um quadro da Freira ao fundo, e isso da um pequeno spoiler do fim do jogo, considerando que ele é um demônio né.


Bem, tem também um NPC bibliotecário que empresta uns livros, que servem só pra dar uns upgrades básicos nos atributos. Coisas simplórias e até dispensáveis, nem fazem muita diferença, e no inicio ele empresta 1 livro, depois 2, depois 3, e depois da até pra pegar todos os livros de uma vez (se vencer ele numa luta), e só ai fazem diferença. O curioso é que ele ta aqui como uma referência a Castlevania, visto que o bibliotecário é ninguém menos que o próprio Drácula... mas falo disso depois.



Alias, o jogo não se salva sozinho, pra salvar, é preciso ir em salas com um sofazão estiloso e sentar. Tem também salas com Vidraças que teletransportam pra outras salas com o mesmo quadro, por todo o castelo, o que serve como Fast Travel.



São recursos usados em praticamente todo jogo estilo Metroidvania, com esse tipo de exploração e re-exploração de mapa, mas o estilo muito lembra, como sempre, Castlevânia Symphony of the Night.



Agora, bora falar um pouco dos personagens:

Miriam



A protagonista é um moça que, ficou adormecida por um bom tempo e por causa disso, foi salva. Acontece que, ela faz parte de um experimento de alquimia bem do polêmico, onde somaram pessoas a essência demoníaca do tinhoso satânico, só pra ver se conseguiam controlar as coisas do mal.

A obsessão em tentar invocar os seres do capiroto foi tamanha, que sacrificaram essas pessoas tudo e no fim, até deu certo, invocaram os demônios tudo, mas, arruinaram o mundo no processo... ai pra tentar corrigir tudo, desfizeram a bagaça, sacrificando todas suas pesquisas e escondendo tudo de todos, ai com o tempo geral meio que esqueceu.

As pessoas que eram transmutadas em meio demônio por causa dessa combinação, acabavam ficando cobertas pelos cristais demoníacos que eram acoplados nelas, e esses cristais iam se desenvolvendo e tomando conta do corpo delas até subjuga-las completamente. O bom é que antes de morrerem, elas ganhavam poderzinhos.

Mas, algumas pessoas eram mais tolerantes, desde jovens, e essas eram usadas com mais frequência, e expostas a mais e mais cristais. Duas delas tinham enorme destaque, Miram e Gebel. No fim, ambos foram selecionados pra participar do Ritual Final que invocaria o próprio tinhoso na Terra (não o tio Lu, mas um menor, chamado Bael), só que quando tudo começou a sair do controle, decidiram esconder a bagunça, e sacrificar todos os "Fragmentarios", e botar a culpa dos demônios que surgiram no mero acaso mesmo (falaram que foi um vulcão que fez os demônios se libertarem do inferno, e que eles que salvaram o mundo com ajuda dos Fragmentarios sacrificados... aham!).



Só que, antes do ritual acontecer, misteriosamente, Miriam caiu num sono profundo e os cristais dela não puderam ser usados. Daí usaram só o Gebel mesmo. Deu certo, e errado porque nunca se deve mexer com essas coisas do capeta... quem mexeu morreu, e todo mundo se fu-d-e-u...



Resumo da ópera: 10 anos depois de esconderem tudo, um castelo veio das profundezas do inferno, trouxe encosto de tudo quanto é tipo, e o mundo foi tomado pelo caos uma vez mais!

E só ai, 10 anos depois, Miriam acorda, e junto com um Alquimista que ta tentando desfazer a merd4 que seu povo fez, e mais uma galera da igreja, buscam enfrentar o castelinho e quem sabe, reverter a bagunça toda. Alias, Miriam foi tratada, e agora além de ser mais tolerante ainda aos cristais, ainda consegue reverter o controle deles sobre ela, graças a uns remédios que o Alquimista vem fazendo.



E é isso. No caminho pro castelo, Miriam acaba descobrindo que seu irmão de consideração, Gebel, ta de volta, e ta controlando o Castelo, fazendo alguma coisa por ali que não vai dar certo.

Johannes



O Alquimista que ta auxiliando Miriam é esse cara. Ele não tem segundas intenções, aparentemente, apenas quer corrigir o erro de seu povo.



Quem fez as pesquisas com os demônios foram os alquimistas, e é tudo culpa deles. Hoje, eles tão tudo em extinção, tecnicamente, por causa do que fizeram, e ele é um remanescente que busca a redenção.



Através de dar o auxilio a Miriam, e também guia-la, ele segue na frente até um vilarejo que ta todo ferrado na base do castelo do demo.

E é la que ele se instala e aguarda por sua aliada, dando tudo o que ela precisa e fazendo tudo por ela sempre que ela pede. No fim, ele até da uma força com sua alquimia da braba, mas na batalha que é bom nada.

Dominique



Ela é uma freira que, vende coisas. Ela também deu um navio e convocou Johannes e Miriam pra ajudar a lidar com o castelo.



Meio que na base da vingança, ela está fazendo o possível pra enfrentar os demônios, e além do alquimista e da semi-demônio, ela também chamou um caçador de demônios, e ta todo mundo la passeando a pedido dela.

Só que, as orientações dela são bem confusas. Ela manda eles se espalharem, ninguém trabalha junto, e pior, ela própria parece manter segredo de todos.

Por mais simpática que seja, ela é estranha, e mesmo depois que é revelado que seus pais morreram por causa dos demônios e tudo que ela quer é vingança, o fato dela conseguir ir e vir pelo castelo sem problemas é muito estranho.

Alias, ela compra os cristais de Miriam, e diz que se Miriam carrega muitos, pode ficar amaldiçoada ou coisa do tipo... mas eu carreguei um monte e nada acontece. Na verdade, isso tem mais a ver com o segredo dela, mas depois falo disso.


Anne



Essa é uma das poucas sobreviventes da vila que foi devastada com o surgimento do castelo. Não sei porque tem gente ainda tentando viver ali, mas ta né.



Anne sobreviveu, e decidiu ficar do lado da Freira, aprendendo os truques do comércio, só isso.

Zangetsu



Esse é o Caçador de Demônios, contratado pela Freira pra ajudar na crise do castelo. Ele odeia tanto demônios, que odeia Miriam por tabela. Ele até ataca ela algumas vezes.



Zangetsu é fechado, isolado, prefere fazer tudo sozinho, aparentemente, e sempre ta na frente. Ele acaba por tomar a dianteira em vários momentos.

Existem situações em que ele se torna inimigo, e outras em que vira aliado, mas no final, a verdade é surpreendente.

Alfred



Ele é um cara que aparece no castelo e parece estar contra todo mundo, demônios, pessoas, geral. Ele também é um alquimista e não tem suas intenções claras, tirando o fato de estar principalmente querendo derrotar Gebel.



Ele ta em busca do irmão de Miriam e quer destruí-lo a qualquer custo, além disso, ele quer seu Livro, um Livro de nome estranho que eu nem lembro mais, e que pode controlar os demônios.



Dito isso, fica evidente que ele se converte num inimigo, pois acaba cruzando o caminho de Miriam e, com poucas palavras, se declara um oponente.

Gebel



Por fim, temos Gebel, o irmão de consideração de Miriam. Ele era o outro que tinha uma tolerância excepcional aos cristais demoníacos, e depois do ritual, ao invés de perecer, ou sucumbir, ele apenas sumiu.



Ele então reapareceu, um tempo depois, servindo aos demônios. Acompanhado de um demônio feminino estranho, que fica nas suas costas, e carregando um Livro estranho, Gebel está no controle do Castelo, fazendo algo misterioso.

Quando Miriam está chegando no castelo, Gebel a recepciona, e quase nem a reconhece. Por alguns instantes ela faz ele recobrar a consciência mas, o demônio que está com ele logo o faz voltar aos planos originais e o leva pra longe. Miriam percebe que Gebel ta sendo de alguma forma manipulado.

O objetivo no inicio então passa a ser deter Gebel, impedindo ele de realizar o que quer que ele queira realizar com o livro, o castelo, e os demônios. Aparentemente ele queria invocar Bael, o demônio dos demônios, mas Miriam nutre o objetivo de tentar salvar seu meio-irmão, e tira-lo da influência do encosto que nele está.

Orlock Dracule

Ao passar pela estranha biblioteca do castelo, onde os livros te matam, encontramos a salinha do bibliotecário mestre, que não é bem um mestre, apenas o carinha que cuida dos livros. Ele fica sentadinho na dele, e te empresta livros, e se apresenta como O.D., ou, Orlock Dracule.



Ele é um vampiro, o próprio conde Drácula, que aqui ta como bibliotecário mesmo. No Castlevânia Symphony of the Nighty, tinha um bibliotecário que comercializava coisas e ficava exatamente na mesma posição que O.D., mas la, ele era até mais útil que ele. A referência ta ai.



Legal que até mesmo o buraco atrás da cadeira dele tem, onde da pra surrupiar algumas coisas pela sala de baixo, e no fim, da até pra zoar um pouco o Drácula após vencê-lo... mas falo disso depois.

Inimigos

Bem, da pra contar a história do jogo inteira só pelos chefes. Falar dos inimigos em geral nem compensa pois, são tantos, e muitos são apenas cópias uns dos outros. Alguns são até interessantes mas, é coisa de mais. Importante mesmo está nos chefes, que são pouquinhos:

Vepar
Mulher Gigante no Mar

No inicio Miriam está num barco, com o Alquimista. Eles estão chegando na ilha onde o Castelo surgiu e o vilarejo foi devastado, e ai, o barco é atacado por uma porrada de criaturas malignas.



Depois de peitar um monte delas, Miriam chega na proa, e tem seu primeiro encontro com seu meio irmão, suspeitando que ele está sendo manipulado.



É ai que, antes dele responder aos estímulos dela, a demônio que o acompanha o envolve em uma lua de sangue e ambos somem, dando lugar ao chefão. Eis que surge "Vepar", ou como eu chamo "Peituda do Mar".



Uma Mulher gigantesca, metade monstro, metade peitos, ataca o navio de um monte de formas diferentes, tanto da ponta da proa, quanto de trás do barco, de baixo, jogando água, criaturas, batendo com tentáculos, é um saco.



Mas ela é grande pacas, e da pra acertar ela facilmente. Além disso ela fica praticamente parada só no canto direito da tela, até fazer seus movimentos de ir pro fundo ou coisas do tipo, e enquanto permanece nessa posição, é um alvo fácil.



Eu apelei nela com um mosquetão. Dei um monte de tiro nela. As Armas de Fogo tem munição infinita, e o tiro vai bem longe até (a bala se desfaz em certa distância).



Vencendo, o barco atraca na praia do castelo, Miriam conhece vilarejo todo lascado, e passa a viajar pelas redondezas, buscando o paradeiro de seu maninho.



Miriam ganha desse chefe o poder de invocar seus tentáculos pra causar dano alto em área no mapa.


Zangetsu
Cara da Espada

No meio do caminho, um misterioso cara de vermelho aparece e diz que vai sentar a espada em Miriam. Na verdade eles nem falam muito, ele só cai pra luta e cara, é bem difícil.



Seus golpes são fortíssimos, mas ele sempre fica vulnerável depois de realizar um ataque, o que da uma boa chance de contra-atacar... de preferência por trás dele.



Eu apelei pra Botas. Na verdade, essa arma é a mais rápida e combada de todas, acabei pegando uma durante a jornada até chegar em Zangetsu, que além do chute normal, da uma facada. Isso sempre da 2 golpes consecutivos.



Por ser um arma realmente rápida (os chutes de Miriam são que nem da Chun-li) ela quase não deixava o cara atacar, fazendo ele entrar em estado de atordoamento direto.



Após vencê-lo (morri muito), ele se apresenta devidamente, e a luta alias é interrompida, pela freira, que explica quem ele é. Ainda assim ele se mantém como um aliado distante e ainda se diz uma ameaça pra Miriam, por ela ter em si um pouco de demônio.



Com isso Miriam continua sua jornada pelo castelinho.

Craftwork
Janela Traumatizada

De um lado pro outro, fazendo os desafios, conquistando cristais de demônios, conhecendo novos locais, chega uma hora que com certeza Miriam acabará se perdendo. Mas, ela sempre pode e precisa voltar pro "acampamento" de seus aliados, onde vende, produz e compra coisas, e também pega conselhos. Zangetsu nunca ta la, mas sempre deixa um ou outro conselho através da Freira, pra Miriam.



As vezes até da pra encontrar ele, mas ele sai antes de Miriam poder entrar, e ai fica aquele climão chato. 



O cara evita ela a todo custo. Bem, uma das dicas de Zangetsu é pra procurar a Mão que tudo Move, e doma-la... é algo assim. Isso serviria pra tirar um bloco do caminho de um demônio numa carroça que oferece suporte pra Miriam poder passar pro outro lado de uma ponte caída do castelo.



Só que, essa tal mão, quando encontrada, é um chefão complicadinho. 


Ele é enfrentado numa igreja do castelo, e é basicamente a janela da igreja, endiabrada.



Em forma de mão de vidro, ela anda e ataca, pegando blocos e jogando contra Miriam, ou dando socos e dedadas.



No fim, depois de derrotada, Miriam pode invocar a própria criatura pra segurar o que tiver em sua frente, enquanto tiver PM (que é consumida sem parar durante a invocação).



Tem um bloco, que se mantido intacto e longe da mão, durante a luta, permite que Miriam pegue um Familiar muito forte, um Cavaleiro Prateado. Ele ajuda muito.



Com a mãozinha, ela consegue ajudar o demônio da carruagem e pega uma carona pro outro lado inexplorado do castelo.


Andrealphus
Coisa Branca

Passeando mais pelo castelo, e tendo mais desencontros com Zangetsu, Miriam acaba notando que mesmo depois de explorar praticamente tudo, ainda há locais que não pode ir. É ai que ele da a dica que ela pode pular mais alto com a ajuda do poder do Demônio que Pula.



Ela vai por uma torre cheia de engrenagens...


E chega na Biblioteca, no caminho até vê Gebel, e o velhinho interrompe o encontro, tentando lutar contra ele, mostrando que ele não era aliado do cara. Mas ele também não se alia a Miriam, apenas segue o Framentario e sua parceira demônio.


De fato, na região da Biblioteca é conde se encontra Gebel, bem la no topo da torre, mas ainda tem tempo pra enfrentar o cara. Miriam nem sabia pular direito...


La ela conhece o Dracula, que empresta uns livros se ela quiser.

Daí ela encontra essa... coisa. Eu sinceramente não consigo imaginar onde estava a criatividade dos caras na hora que decidiram fazer o chefe que daria o poder de "Pulo Duplo", e ai fizeram essa coisa prateada, com pernas e braços que mais parecem espadas.



Acho que a ideia era ser um pássaro pesado pelos adornos, e sem asas... mas tipo, ficou muito... prateado. Sei la, achei esse chefe estranho, além de pouco desafiador. Ele só anda e pula pelas poucas plataformas que tem no cenário.


Vencendo a luta (que é bem desinteressante), ganha-se o poder de dar Pulo Duplo!



Mas ele ajuda uma merreca na verdade. São poucos locais que da pra acessar com isso, pois a altura não é la tão alta assim.

Valac
Dragões Gêmeos da Torre

Ainda assim, da pra ir e subir mais longe, e Miriam consegue explorar melhor as Torres Gêmeas, onde ocorre uma transição de mapa muito interessante.



O mapa gira, e isso é bem curioso e dinâmico. Antes dessa fase que quase que inteiramente assim, tem um pequeno trecho giratório na entrada do castelo, que explora um pouco da profundidade 3D. Mas aqui, isso é levado ao extremo, e contornamos o mapa todo, subindo a torre, dando voltas e interagindo com o cenário de uma forma que eu não sei como não pensaram antes em jogos do gênero (se bem que no Nier Automata tem algo assim, e acho que em Castlevania Lords of Shadow - Mirror of Fate também).



Enfim, depois de se divertir e ficar tonto dando voltas e subindo nas torres, chegamos nos Dragões. 




Ambos, cercando Miriam e tentando devora-la, as vezes atacando ao mesmo tempo (beijoca de dragão)... 


Mas na maioria das vezes andando pra frente e pra traz com espaço suficiente entre eles pra Miriam ficar atacando.


Eu quase nem os enfrentei pois nessa hora já tinha upado a habilidade das Colunas de Fogo, e apesar da luta ser em cenário giratório, eu apelei horrores. Depois de tacar fogo nos dragões e é queda livre.



O poder que eles entregam é uma invocação da cabeça deles que sobra fogo. Quase nem usei, pois meu fogo era melhor!



A luta deles serve mais pra abrir caminho na base da força pelo castelo, e pra pegar o item pra foto.

Glutton Train
Trem Vivo

Miriam precisava, por alguma razão, ir para fora do castelo, acessando o trem que sai dele e descobrir pra onde ele ia, e não há lugar melhor pra procurar respostas do que a internet! Mas nessa época não tinha internet então foram ver nos livros mesmo.



Bem, Miriam precisava na verdade de credenciais para acessar o trem (sim, os demônios seguem regras de segurança!) e para isso, ela pede ajuda do Bibliotecário Mestre. Ele até da as credenciais, mas ela ainda precisava de uma Foto. Pra tirar a Foto, ela precisava dos materiais (brometo de prata), junto com o equipamento que convenientemente, a Freira tinha conseguido.



Ela consegue esses materiais depois da luta contra os dragões gêmeos, e ai vai la tirar sua foto. Na época que o jogo se passa, não existiam fotografias (eu me daria bem como retratista!), e a Igreja meio que tava engatinhando na criação disso.



Os demônios por outro lado já manjavam pacas dessa técnica, por isso que Drácula sabia como ajudar Miriam e tal.



Depois de conseguir suas credenciais, finalmente ela vai la viajar de trem (sim, é uma volta do caramba pra fazer isso tudo, e tem que voltar pro Drácula pra dar a foto e combinar com o Bilhete Único).



Daí Miriam vai pro trem, e no caminho da de cara com Zangetsu, mas dessa vez ele não rivaliza com ele, pelo contrário, ele se oferece pra ajuda-la.



Ambos seguem lutando lado a lado no passeio de trem, e Zangetsu é bem forte. Ele também da suporte as vezes com suas correntes, ajudando a passar por certos obstáculos.



Tudo ocorre enquanto um cronômetro conta regressivamente.


Eles avançam lutando contra demônios humanoides (ninjas, coelhinhas da playboy, harpias, etc) até chegar na sala do maquinista, que na verdade, é um demônio gigante.



A luta nem pode demorar muito, por causa do cronômetro, então ele não é tão difícil. Sem contar que Zangetsu apela, defendendo os projéteis do chefe com sua Katar, e dando golpes fortes pacas.


Eles dão uma surra nele e ai chegam no local desejado, um laboratório secreto, fora do castelo. Zangetsu agradece alias, e vai na frente, sozinho.

Bathin
Saúde Bicho Rápido

O laboratório, onde inclusive encontramos a Freira, o que é muito, mas muito suspeito. Ela meio que colocou Zangetsu pra ir pra outro lugar, mas ele foi contra as ordens dela, por isso que trabalhou com Miriam, e ela acaba não gostando nenhum pouco disso. Alias, descobrimos que os alquimistas faziam pesquisas com coisas proibidas por ali.



Ai investigamos, lutamos contra demônios e alquimias falhas, e no fim encontramos mais uma coisa bizarra e toda colorida.



O chefe que surge, é uma criatura que usa espelhos pra se mover, com lasers, além de atacar com sua velocidade. É bem genérica porem em sua forma, parecendo sei la, um bicho estranho... bem no estilo daquele prateado, só que esse é escuro. Eu diria que são demônios alterados por alquimia... sei la mano.



Ao derrota-lo, o que não é difícil (eu apelei pra Espada Voadora que era minha arma na hora, e fogo), ganhamos seu poder de viajar através de lasers.



E assim, voltamos a explorar o castelo todo, só que por um novo ângulo, em novos cantos.


Abyssal Guardian
Dragão Grandão

Na biblioteca, outro chefe é encontrado. Um dragão que ficava escondido onde não dava pra alcançar antes, nem pulando, mas agora da com o teletransporte por laser.



Ai ele é... só um dragão na verdade. É grandão, forte, tem fogo e essas coisas de dragão, mas não voa.



Depois de morto ele nem da poder (fiquei pasmo!).



E ai continuamos a explorar os locais proibidos da biblioteca, que mais parece um açougue de tanta serra que tem por toda parte. O lugar é bem perigoso, e ainda tem umas Cabeças de Dulaham que petrificam, só pra atrapalhar (Cabeça de Medusa é passado... kkk).



É mais fácil destruir o dragão, apelando pros poderes que eu apelei (Fogo, meu ataque predileto) do que passar pela fase cheia de espinhos e fatiadores. Alias, ele nem é bem um chefe de verdade, pois é um inimigo comum no mundo do verdadeiro vilão... onde todos os inimigos são versões gigantes dos normais.



Por isso que ele não da um poder. O especial dele tem chances de cair, como qualquer cristal de monstro normal. E cai de outros dragões normais, o mesmo especial.

Gebel
Ainda não.

E ai chegamos nele, se quisermos. Da pra enfrentar o próprio Gebel, ali, na dele, todo fortão, com tudo quanto é poder demoníaco.



Ele é bem forte mas, não é indestrutível, e na apelação do fogo e espada voadora ele até que fica fraco. 


Alias, dentre os muitos ataques dele, tem até uns que lembram as clássicas bolas vermelhas do Drácula (essa frase não ficou boa).


Mas, quando a Lua, ao fundo, fica vermelha, e ele é derrotado... da Game Over!



O final não parece certo, pois de fato não é. O alquimista encontra Miriam fora do castelo e diz que a responsabilidade agora é da Freira e da Igreja, e ambos vão embora, dando lugar a uma tela de Game Over... é estranho.


Ainda não é a hora de enfrentar Gebel, pois a Lua não é afetada por nada que Miriam faz... a Lua era o real problema.


Bloodless
Moça do Sangue

Explorando mais o castelo, nota-se uma enorme fonte de sangue que tem um caminho apontado no mapa, pra baixo. Mas não da pra descer.



Miriam recebe uma dica de Zangetsu através da Freira (ainda com frescura) de que precisa buscar a moça do sangue, e ai, ela a localiza.



Depois de bastante procurar, Miriam chega no único banheiro do castelo inteiro (imagine o desespero!), que fica num local mó alto, quase impossível de se chegar, cheio de Sinos.



E pra variar, pega uma mina no flagra tomando seu banho matinal de sangue.



Ela não tem tempo de se vestir, então improvisa um vestido com sangue mesmo e ai, rola a batalha, que eu confesso, é difícil.



A moça do sangue é forte pois pode sugar energia vital de Miriam pra regenerar a própria... 



Além de causar muito dano com sua menst... digo... com a nojeira que ela vai jogando pra todo lado, usando seu guarda-chuvinha e essas paradas.



É tanto sangue, mas tanto sangue, que fica parecendo que ela é a chefe final do jogo, visto que até mesmo seu ataque principal cita o título do jogo.



Mas na real ela não é nada não, é só uma vampira, provavelmente esposa do Dracula, que tava tomando banho e ficou muito brava por ser interrompida.



Depois de derrotada, ela tem seu cristal sugado e ai, Miriam passa a poder sugar sangue alheio, mas esse poder não presta pra nada.



Só serve pra esvaziar a fonte de sangue no hall do castelo, e abrir passagem pro subterrâneo, local que ainda não tinha sido explorado.


Alfred
Carinha das Poções

La descobrimos câmaras bizarras, e caminhos misteriosos, cheio de cavernas no subterrâneo, com elevadores e máquinas transportadoras de minerais e coisas do tipo. Tem vários pontos de acesso pra outros cantos do castelo que não dava pra entrar antes, por causa de obstáculos no lado oposto, mas agora tudo fica mais fácil e liberado.



É nessa parte que pegamos o poder de nadar, ou na verdade o "improviso", pois na verdade nunca aprendemos de verdade a nadar. Mas é com essa habilidade que conseguimos atravessar as águas do subterrâneo pra avançar mais.


Ai, durante nossa exploração (que curiosamente, vai de água pra um deserto subterrâneo), nos deparamos com câmaras circulares, lembrando as torres gêmeas, mas um pouco mais simples.



Além de uma passagem selada com magia... 


E então encontramos uma com Alfred, o velhinho tosco que toda hora aparece por ai. 




Ele diz que conseguiu levar Miriam pra longe e que fez selos suficientes e pode funcionar, e começa a atacar.



A luta contra ele é numa sala giratória, e ele fica dando voltas e jogando poções com vários e vários efeito diferentes, como explosões, lentidão, ácido, coisas assim.



No fim, demora, mas ele é derrotado, e foge.



A magia da porta é desfeita e ai Miriam pode prosseguir, sem entender nada do que aconteceu. Ela encontra um fragmento demoníaco depois da luta contra ele, que permite andar de baixo d'água. Isso permite usar a habilidade de Teletransporte com Laser dentro d'água, logo, abre alguns caminhos.


Doppelganger
Eu não tenho esses poderes!

Ai ela vai explorando, e explorando, até chegar num local bem isolado e no quinto dos infernos onde encontra um novo laboratório! Ainda por cima pega a Freira, mais uma vez num local inóspito (e dessa vez pudera, é longe pacas) e batendo um papo com o velho alquimista, com ele chamando ela de exorcista, e dizendo que não deveria ter confiado nela... é beeem suspeito.



Depois que ele vai embora, ela se defende pra Miriam dizendo que na verdade, ele se referia ao fato dela ter tentado se vingar cegamente dos demônios depois do que fizeram aos seus familiares e amigos no passado, mas que hoje ela ta de boa... sei...



Então ela vai embora e logo em seguida, encontramos um novo "homunculus", uma cópia de Miriam!



O chefe é a própria Miriam, usando um monte de habilidades que eu mesmo nem sabia que podia usar.



É treta vencer, mas depois de apelar pro fogo, e muitos itens de cura, é vitória.



Só que eu fiquei bem empolgado pra conseguir o Dragão que dava patada, mas quando consegui, nem gostei.



Alias, o dela parecia muito melhor, mais acabadinho e definido (a grama do vizinho). Esse é o especial pego de Dragões.



A Doppelganger tinha poderes muito melhores, como uma rajada de fogo que ia bem longe, e eu não encontrei. Mas, não importa, eu me virei até o fim com o que eu tinha.



O poder que ela dá é bem inútil. Ela cria uma sombra que faz o mesmo ataque de Miriam, praticamente colada nela. Só que além de consumir PM feito água, o dano da sombra é muito menor que o normal (ele aumenta conforme o Cristal é melhora, e por mais que seja fácil melhorar, pois pede só Biscoitos, eu nem tentei).


Bem, depois disso ela continua descendo mais.

Orobas
Corpo de Cavalo???

Explorando o quinto dos infernos, Miriam literalmente começa a se arrepender de fuçar onde não devia, e as coisas vão esquentando.



Ela chega em outro chefe, um que é tipo um dinossauro que inverte o mapa. Legal que Zangetsu chega a dar a dica, pela freira, que Miriam precisava buscar o inimigo que desafiava a gravidade, e cara, esse chefe foi o melhor chefe de todos.



Não por ser desafiador, pois ele é muito genérico. 




É um bicho esquelético que pula no teto e joga uns negócios e lasers.


Mas o legal dele é o poder que se conquista após derrota-lo: Reverter a Gravidade.



Sim, o jogo vira.



Tudo gira! O mapa todo! Chão vira teto, teto vira chão, com todo o mapa, tudo, em todo lugar! E da pra reverter quando quiser.



Partindo daí, o jogo fica totalmente explorável, ou praticamente... ainda tem locais impossíveis de se alcançar, por incrível que pareça, mas praticamente todo o castelo pode ser revirado de cima a baixo, LITERALMENTE! E as coisas mudam muito.

Daí é re-exploração. Mas é divertido e descobre-se muito!

Demônio Virtual

Algo que se descobre por exemplo, é um chefe secreto dentro da Biblioteca, no telhado dela, escondidinho. 



Ele fica dentro de um livro, e é basicamente: Um Jogo!



Alguns demônios selados em um jogo, acabam sendo enfrentados por Miriam, e é bem curioso. É uma fase totalmente inesperada, em gráficos de 16 bits, e o chefe, é um demônio voador que solta fogo, muito forte, muito mesmo.



Derrotei ele apelando pra uma técnica que aprendi com os porquinho.


Além dele, tem todo uma fase artística, com ninjas e temática nipônica, portais Tori que teletransportam, e coisas que nem parece ser no mesmo castelo. Mas é tudo la, apenas em locais que não eram acessíveis normalmente.



Legal que, tem também a torre dos Sinos, que invertendo tudo, da pra chegar no topo caindo.



E por ai vai... é uma loucura.

Zangetsu - Round 2

E é la que enfrentamos Zangetsu, novamente, mas agora pra valer.



Ele quer testar o poder total de Miriam, e ver se ela é capaz de vencer o verdadeiro inimigo.



A batalha é mais intensa, ele usa vários elementos, e apela um pouco mais... mas...



Eu usei o ataque do Bacon Invertido! Ao inverter a tela, e jogar Porcos de do telhado pro chão, eles ficam rebatendo formando uma coluna mortal pra quem tocar.



(Muahuahuahua!!!)

No fim, Zangetsu capota e conta que na verdade suspeita que o verdadeiro inimigo não é o irmão de Miriam, mas o demônio com quem ele se aliou. Aquele que ta com ele está manipulando ele, e Zangetsu está atrás dele a tempos.



Apenas a lâmina dele pode feri-lo, mas o demônio se esconde dele, então Zangetsu precisava ter certeza que Miriam era forte pra carregar sua lâmina e pegar o demônio de surpresa. E sim, Zangetsu da sua espada pra Miriam, uma espada muito forte, capaz de ferir a Lua Vermelha.

Gebel - Round 2

Ao enfrentar Gebel, dessa vez com a espada de Zangetsu, a luta é a mesma coisa (só que agora com Bacon Invertido!)



Mas, quando a Lua fica Vermelha, é sinal que o demônio ta próximo, ai é preciso corta-la.


Na verdade na primeira vez eu exagerei um pouco na dose... e não deu tempo de "matar a lua" antes dele morrer pro bacon, ai deu game over. Nesse caso, o demônio ri, e comenta sobre Miriam servir no lugar de Gebel, aparentemente tomando controle dela (por causa da quantidade de Cristais).


Ao conseguir enfraquecer Gebel e cortar a Lua na hora certa, Gremory se revela.



Ela era um demônio que estava controlando Gebel o tempo todo, e após ser exposta, tenta fugir, pra sua própria dimensão com o livro, mas ela é seguida por Zangetsu.

Gebel acaba livre, mas pelo uso excessivo e desenfreado dos cristais, ele acaba sucumbido aos efeitos colaterais e petrifica, morrendo em seguida. Daí, apesar de redimido e livre, Miriam o perde, mas precisa caçar a verdadeira vilã.



Na verdade, Miriam precisa localizar a Lua de Sangue pelo castelo, e corta-la (ficava num corredor, bem suspeito). Fazendo isso, sua dimensão é acessível.



Essa dimensão é uma versão aumentada de partes do castelo, com alguns inimigos feito gigantes.



São os mesmos demônios, antes fracos, mas agora poderosos que só, pois ficaram enormes.



Ao entrar nessa dimensão alias, Miriam se depara com Zangetsu, Alfred, e seu amigo alquimista. Alfred, que tentou peitar o demônio sozinho, acaba ferido mortalmente, não antes de contar que só ta ali pra impedir que ela use o livro.




Ele conta pra seu antigo pupilo, o alquimista, toda a verdade, pede perdão pra Miriam por atrapalhar ela tanto, e falece. Alias, é revelado que ele quem fez ela dormir, pra protegê-la. Além disso, Alfred era contra os rituais dos alquimistas desde o começo, e sempre tentou detê-los. Seu fim foi injusto.



Daí Zangetsu segue em frente, buscando o demônio, e Miriam vai logo em seguida, depois de conhecer a verdade: Aparentemente, a Freira e Gremory eram aliadas! A Freira estava trabalhando para auxiliar o demônio em seus planos, por isso manteve o grupo tão separado o tempo todo.



Todos ali tinham objetivos em comum, mas a Freira estava mantendo eles distantes de propósito, enrolando eles, fazendo buscarem coisas secundárias, e pior, fazendo eles evitarem comunicação. Se eles tivessem lutado juntos desde o inicio, teriam vencido muito antes, mas, por causa dela, tudo terminou assim.

Valefar
Money, Money, Money, Money!

No meio da exploração, chegamos em um demônio apostador. Ele é um gigante que brinca com dinheiro e simplesmente ta la pra atrapalhar.



Ele é forte até, mas, apelando é que se vence. 


Ele até tenta se proteger botando espinhos no telhado, mas nós precisamos pegar um equipamento que da imunidade a espinhos pra chegar nessa parte do jogo, tecnicamente, então... azar o dele.


Um demônio que usa dinheiro a rodo pra lutar, na hora lembrei da lojinha. Como a Freira foi exposta, ela sumiu la da loja, mas em seu lugar ficou a menininha mesmo. Curiosamente, a menina não sabe na natureza nefasta de sua antiga parceira, e vive elogiando ela.


Gremory
Mina Feia

E ao conseguir chegar no mais profundo e gélido, e afastado canto da outra dimensão, que passa a ser a personificação do próprio inferno congelado mesmo, encontramos Zangetsu peitando Gremory.



Ele usa todos seus poderes restantes pra tentar selar os poderes de Gremory e impedir sua fuga. 



Ele consegue, mas em troca, perde sua vida. Ele é sugado por ela pra um portal sombrio e, adeus Zangetsu.


Gremory é um demônio muito forte, que usa vários poderes baseados em luz sombria e lunar, como seu especial quando a lua de seu corpo fica carregada, onde ela lança um laser que circula o mapa.


Tem também mini luas bumerangue que ela lança na direção de Miriam.


Ela também invoca braços que circulam o mapa.



Mas é vulnerável a técnica da Legião de Bacon Invertida, desde que Miriam fuja de seus ataques, e descubra onde ela vai surgir, pois ela também fica teletransportando dentro da Área. É bom quando ela para pra jogar seu Laser Final.


Além disso, ela toma apenas dano Critico da Lâmina de Zangetsu, o que é ótimo pra aumentar o dano final.



Após vencê-la, ela da um poder de Teletransporte a Curto Alcance, que permite viajar para locais que ainda não dava, pois não tinham entrada mesmo, passando inclusive pela parede.



Usando esse poder, Miriam chega no chefe final de verdade.

Dominique
Traidora!

A Freira, se revela após a morte de Gremory, diz que continuará seus planos, e ela quem tava com o livro. 



Quando encontrada, ela se entrega aos cristais demoníacos que coloca em seu próprio corpo e assim, vira uma personificação demoníaca.



Ela é sim bem forte, atira muito, da chicotadas, e é difícil de escapar dela, pois fica grudada em Miriam sempre que pode.



Mas da pra apelar com, sei la, TUDO O QUE TIVER E MUITA COMIDA POIS É DIFÍCIL DE MAIS!



Depois de fazer o milagre de vencê-la, de nada adianta, pois ela já tinha começado a invocação que queria. Ela tinha invocado Bael, o demônio mais forte de todos ali, e tava só enrolando a gente mesmo.



Quando vencemos, o ritual acabou e Bael surge.

Bael
Cabeças

Dominique se une a ele e fica nas suas cabeças, girando com o mapa. Ele é basicamente isso, três cabeças gigantes girando e soltando um monte de poderes diferentes.



Ela também fica apelando com alguns poderes, mas no fim, é só USAR MAIS TUDO QUE TIVER E MAIS COMIDAS POIS A COISA É DEMORADA!



Pra variar, as cabeças se regeneram se demorar muito...



Mas, da pra vencer, se não desse o jogo não teria fim.



E da pra usar Bacon Torrado livremente...


Com Bael vencido, e a freira, resta apenas selar o castelo.



O Alquimista então aparece e nos ajuda com isso, seguindo o que seu mestre lhe disse antes de morrer, ele termina todos os selos dele e usa o livro pra acabar com o Castelo.



Eles saem então daquela dimensão, e assistem o castelo sumir.



Morreu gente? Morreu. Mas o que importa é que todo mundo saiu feliz... menos o vampiro.


O.D.
DEVOLVA OS LIVROS!

Quando se entra na outra dimensão, se exploramos todo o mapa principal, e pegamos os livros do Dracula, tem um livro, de Força, que ele não gosta de arriscar a não-devolução. Então, ele vai atrás.



Ele aparece la, no inferno congelado, e faz questão de tirar a carteirinha da biblioteca da Miriam, e diz que ela é vacilona. 



Ele fala que ela foi longe de mais com o livro dele, e que ele não vai deixar ela ir sem devolver. Ai ele da uma surra nela.



E que surra. O.D. é um vampiro bem apelão, e talvez sua maior apelação seja sua capacidade de parar o tempo.



Ele pode paralisar o tempo, e lançar magias de vários elementos pra todos os cantos, dando muito dano.



Claro que sua fraqueza é Bacon!



Depois de vencê-lo, o que é difícil, ganhamos o poder de Parar o Tempo! Isso serve bem, se tivermos PM suficiente pra manter a habilidade funcionando.



Ele também passa a usar um óculos com nariz falso, como forma de humilhação, la na biblioteca. Ele não morre alias, afinal é um vampiro (o que significa que a moça de sangue também não morreu) e vai pra la, servir eternamente a Miriam. 




Ele até abre mão de todos os livros e que se dane.



Alias, ele vai embora junto com o castelo, logo, tadinho.

Extras

Existem outros chefes secretos além do chefe virtual, e eles ficam em salas especiais que só abrem com chaves específicas, pegas ao longo do gameplay. Essas salas são "homenagens".

Salas Secretas

Chefe do Cassino (Konami)

Esse chefe é basicamente uma máquina de apostas, com direito a um demônio feminino ao fundo, sensualizando. Ele fica sorteando seus poderes e, de tempos em tempos, da mordiscadas.



É uma senhora referência a própria Konami, que prefere investir em Pachinco do que nos jogos que realmente importam.


Carpinteiro (Kickstarter)

Esse chefe, que está numa sala com uma grande serra, é uma referencia aos que apoiaram a produção do mesmo. 



Simples pessoas, aparentemente sem nada de especial, mas difícil pra um caramba de derrotar, que taca facas e invoca demônios muito fortes. Chuva de bacon neles.



Ele só invoca 3 Demônios, e apesar de fortes, depois de destruídos ele não invoca mais. Além disso, ele não sabe jogar suas facas pra cima, apenas na diagonal. Então ficar acima dele jogando porquinho é bem funcional.


Demônio Aventureiro (Belmont)

Esse é bem óbvio, um demônio na forma de um aventureiro, comum chicote, que joga faquinha, machado, cruz bumerangue, e vem do que parece ser outra dimensão? Eis um Belmont zumbi!



Legal que tem outra referencia aos Belmonts. Quando Miriam entra na outra realidade, o mapa é chamado de "Beemont". Vai dizer que não é referência!?

Sem contar que a ideia de um demônio por trás do chefe final, que precisa ser revelado pra que o final verdadeiro apareça, depois do castelo invertido ser passado... isso é tudo visto em Symphony of the Night, e é o mesmo aqui, só que de um outro jeitinho. Tudo referência.


Corre Belmont... a Konami ta indo te atacar!
Sala Celeste (????????????????)

Não sei. Sério, o mistério dessa sala é tão misterioso que nem pesquisando eu descobri ou entendi.



É uma sala, com um monte de caixas de música, cada uma com uma música diferente, em velocidade diferente, mas que até parece meio semelhante, e tem uma mesa, com duas cadeiras.



Se sentamos em uma delas, qualquer uma, por um tempo, na oposta surge um fantasma, uma silhueta na verdade, de Miriam sentada. Só isso.



Ela ficará la enquanto estivermos sentados, se levantarmos, ela some.

Teve uma hora que eu lancei um laser teleportador na direção dela e tudo bugou. Miriam entrou no chão, e nem usando um item que faz ela teletransportar pra loja, deu pra sair. Só resetando o jogo mesmo.



No final das contas, não tem o que fazer nessa estranha sala.

Monstro do Trem

Existe um monstro secreto, que é difícil, mas não é um chefe. Pra invocar entretanto é meio demorado, e derrota-lo também, assim pode-se considera-lo ao menos uma criatura especial ao ponto de ser mencionada. Ele surge no Trem, e só aparece se sentarmos em uma cadeira específica, que faz Miriam olhar pela janela.



Depois de uns minutos olhando, ela meio que começa a piscar...



E no fundo, começa a aparecer, voando, esse monstro.



Ele então da um jumpscary, e começa a luta.



Seus poderes consistem em jogar maldição, e correr de um lado pro outro.



A maldição dele, além de fazer o PV ficar pela metade, drena uma quantidade alta por segundo, sendo mortal.



Mas, inverter o mapa ajuda, pois apesar dele ser rápido, ele não pula, e nem alcança Miriam no teto. Com armas grandes da pra acertar ele com golpes normais.



Ele não da nada de interessante, seu cristal só aumenta a resistência a maldições, mas, ele é legal e curioso de se encontrar, e reaparece se reembarcamos e repetimos o processo.

Ninja Corredor


Esse demônio é totalmente pacífico. Fica na outra dimensão, e tudo que faz é apostar corrida com Miriam.



Se ela vence, ele morre e da seu cristal pra ela. Esse Cristal, único (ou seja, é tecnicamente um chefe), permite que ela corra em altíssima velocidade ao consumo de um pouco de PM.



É bem útil, pena que é pego no final do jogo apenas. Antes desse poder, tem um especial de Espada Montante que permite correr em linha reta, mas consome muito PM, e interrompe a corrida bruscamente sempre que tem um obstáculo, pra causar um dano muito alto. Eu usei esse ataque pra vencer a corrida... se bem que tem outras etapas com obstáculos, mas não é difícil.



Enfim, Bloodstained é uma homenagem divertida à Castlevânia que, é curiosa, e tem várias outras adições por vir. Eu sei que tem coisas que não falei, como por exemplo alguns poderes de Miriam, ou alguns equipamentos que fazem referencia a outros jogos, mas, são coisas pequenas, meros easter eggs.

O principal mesmo eu já disse.

O jogo possui aparentemente múltiplos finais, mas, eu só peguei o de Miriam com o Alquimista. Não sei se é possível salvar o samurai vermelho, ou até mesmo o irmão dela, ou o velhinho... mas vai saber...

Pelo que vi, a Freira se torna toda poderosa e corrompida por causa dos cristais que Miriam vende pra ela, talvez, se jogarmos sem vender nenhum cristal, isso mude. Talvez, se jogarmos sem pegar cristais, Miriam não seja usada no ritual no final, e sim, ela foi manipulada só pra ser usada pro ritual de Bael.

Existem DLCs por vir, aparentemente, que trarão talvez novos finais... mas por enquanto é isso. Tem um segundo jogo, chamado "Bloodstained - Curse of the Moon", talvez um dia eu analise.


Mas por enquanto, é isso.

Espero que tenha curtido.


E, see yah!

6 comentários:

  1. show man. mesmo querendo jogar esse jogo acabei lendo tudo rs. adoro seus textos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sr Ivan, fico tão feliz por ter curtido (e meio triste por ter dado tantos spoilers!).

      Obrigado mesmo sr... e poxa, o jogo é legal, se vai se divertir.

      Excluir
  2. VIVEMOS EM UM MUNDO TOXICO, OU MELHOR, COM PESSOAS TOXICAS, PESSOAS QUE FAZEM DE TUDO PRA MOSTRAR QUE ESTÃO COM RAZÃO, E QUE ELES ESTÃO CERTOS ACIMA DE TUDO. Hoje em dia se vc gosta de uma coisa que é nova vc recebe o rótulo de que é "fã nutella", se vc gosta de algo das antigas vc recebe o rótulo de saudosista e ultrapassado. Agora pra exaltar o que é melhor pra ti vc tem que DESMERECER, REBAIXAR E HUMILHAR as outras coisas, só o que é bom pra vc presta, agora as coisas são assim, legal né?! Agora uma coisa nova ou ela é a melhor coisa do mundo, ou uma tremenda porcaria ou um tremendo lixo, não existe mais espaço para as coisas descentes ou com pontencial, não deixam né mesmo?! Ou é 8 ou 80 né mesmo?! Vivemos em um mundo onde ser feminista agora é um "crime", não que eu faça parte da "causa feminista" pois muitas mulheres feministas hardcore são chatas pra caralho mesmo, mas ainda assim agora ser feminista é um "problema" maior do que ser machista, pq os homens tem que ser sempre os exaltados não é mesmo?! Estamos chegando num ponto onde esses HUMANOS MISERAVEIS E NOJENTOS tem até preconceito contra vegano... VEGANO, O NIVEL DE RETARDAMENTO MENTAL PIORA CADA VEZ MAIS. Quem sabe o Thanos estava certo(e estava), superpopulação, muita gente que merecia estar morta vive, e os inoscentes e fracos são PISADOS, HUMILHADOS E ATÉ MORTOS. E QUEM VAI MUDAR? FALA PRA MIM QUEM VAI MUDAR ISSO? ACHA QUE DEUS SE IMPORTA COM ISSO? ACHA QUE DEUS SE IMPORTA COM AGENTE? Acho que eu no lugar dele ficaria deboa se importando com o que REALMENTE MERECE se importar, pois ele deu os avisos não deu? Ele deu as chances não deu? Agora fala pra mim, que progresso o LIXO da humanidade teve?! Me fala!? Não a esperança para um melhoria nessa terra... ela nunca ira melhorar, NUNCA, NUNCA MESMO, O DOWNGRADE SERA CADA VEZ MAIOR.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa... srta Bia, isso foi meio... revoltante...

      Bem... eu não sei o que dizer.

      Excluir
  3. Esse jogo deveria se chamar bloodstained ritual of the inversed bacon

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rs... cada jogador cria seu ritual... mas pra mim esse é o título ideal.

      Excluir

CadastroMorte

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner