ArquivoMorte

PesquisaMorte:

terça-feira, 21 de maio de 2019

SérieMorte: Doctor Who (David Tennant)

Pois é, a primeira análise foi apenas o estopim... eu to empolgado de mais com Doctor Who então espere vários textos...



Dessa vez porém, dei uma mudada no estilo. Não é que eu não tenha me esforçado la na primeira, mas é que, agora eu meio que entendi melhor como Doctor Who funciona, assim sendo, preparei um modelo melhorado pra "SérieMorte".

Boa leitura.


Bem, a introdução que fiz no primeiro post ainda é válida, mas preciso fazer uma pequena correção.

Pelo que eu entendi, antes, cada temporada era demarcada pela partida do ator do Doctor, mas não é bem assim. Aqui, o Doctor atual se mantém, e quem parte da série é sua "Companhia". A Parceira dele é quem deixa a série, e meio que isso demarca o fim de temporada.



Juro que esperei uma transição de Doctors e me surpreendi com o desfecho, mas, até então, a ideia central é sempre haver uma perda no final, algo que realmente passe a temporada de fase.

Alias, uma dúvida que eu tinha era se cada temporada teria um "Tema Principal", que conectaria todas as histórias... e sim... isso se confirmou.

Enquanto na primeira temporada o tema era "Lobo Mau", e a mensagem multi-temporal de Rose com o poder da Tardis, aqui o tema é "Torchwood".

O legal é que na temporada anterior a palavra "Torchwood" foi dita, uma vez, no episódio do "Big Brother Espacial", e assim que notei ela no primeiro episódio da segunda temporada (na verdade um especial de Natal) já fui caçar a palavra original.

No episódio em questão, Rose ta participando de um Quizz Mortal chamado "Elo Mais Fraco". Quem erra, morre, no final da rodada. Um dos participantes é questionado sobre o material usado na confecção de uma tal Piramide, e a resposta dele é errada, é Torchalgumacoisa...



O Robô do Quizz (Ana-Droid) da a resposta certa, e em seguida parte pra outra pergunta, mas a resposta é nada mais, nada menos que Instituição Torchwood.



Dentre tantas perguntas que ocorrem, algumas delas usando palavras que Rose conhece, outras não, essa foi a que marcou o momento, mesmo sendo bem ligeira... e de fato, era um tipo de prelúdio do que viria na próxima temporada.



Todos os episódios dessa temporada (2006) citam, em algum momento, a Torchwood. E no fim, tudo se junta e foca nessa Instituição.

Em resumo, Torchwood é uma instituição secreta britânica, responsável pelo estudo e confronto aos seres alienígenas. Eles conhecem a natureza do Doctor (inclusive, tecnicamente, Doctor quem os criou, sem querer) e também, sabem da existência dos Aliens, e inclusive, eles já estão em plena atividade na época de Rose mesmo.



A ações da Torchwood acabam por influenciar muito a história de Doctor, e vice-versa, logo, o foco da temporada acaba sendo essa organização.

O interessante de Doctor Who é isso. Assistir os episódios separadamente é divertido, e todos contam uma história com inicio, meio e fim (alguns poucos se dividem em dois episódios mas ainda assim, tem meio que um final cada), mas também há a grande história por trás de todas elas juntas.

Algo que notei, é que nem todas as viagens do Doctor e sua Companhia são mostradas. Eles toda hora citam algumas aventuras que tiveram mas, nunca foram apresentadas. Isso significa que o que acompanhamos se resume ao que o Tema Principal abraça.

Ainda assim, há mais histórias possíveis do que podemos assistir, e isso abre um enorme leque de possibilidades, tanto que nessa temporada ele meio que é usado em um momento...

Existe um episódio especial e Interativo, do qual eu também falarei (com muito carinho alias) e, ele mostra um pouco disso. Sem ter qualquer ligação com o tema principal, esse episódio complementa a série, e traz muita informação útil, além de ser, mano... INTERATIVO!

Outra coisa interessante dessa temporada é que, como um tipo de Prequel de cada episódio, a BBC apresentou em sua programação "Tardisódios" que eram curtas, bem curtas, de alguns segundos, que mostravam o que ocorria antes do episódio começar. Eram basicamente chamadas, mas com cenas inéditas e que não seriam mostradas no episódio da semana, os quais ficavam se repetindo durante a programação pra anunciar o episódio e deixar aquela expectativa do que viria.



Alguns tinham pequenos detalhes que davam uns spoilers misteriosos, outros falavam algo que tecnicamente nem tem  a ver com o episódio, diretamente, mas no fim, todos despertavam a curiosidade do que aconteceria.

Mas alguns, traziam informações cruciais pro episódio em questão. Um deles inclusive eu dei graças a Deus por existir pois tinha encucado com uma coisa, e ao vê-lo, entendi melhor tudo.

Por serem trechos que não são mostrados durante o episódio, acabam por ser complementos de extrema importância, e nem sempre mera curiosidade (ou atiçador de curiosidade). Por isso, os mencionarei também.

Doctor Who?



David Tennant é um Doctor muito diferente do Chistoper. Ele é mais ativo, muito mais engraçado, mais expressivo (e exagerado) e cara, ele é genial!

É estranho isso, pois tecnicamente é o mesmo personagem, mas sim, o ator da um ar diferente ao Doctor. Aqui, ele é bem mais galanteador (não tem 1 episódio que ele não pega alguém) e além disso, ele é muito, mas muito engraçado.



Bem agitado, empolgado, ele sempre ta fazendo algo e falando, muito. Alias, por mais que ele ainda cometa erros, agora ele não parece aquele cara ingênuo de antes. Aqui ele ta mais, esperto, confuso é claro, mas esperto.



Sempre arranja uma boa solução, e sempre ta sendo inteligente. O novo Doctor também consegue explicar as coisas mais facilmente, e sim, ele ainda tem uma pá de mistérios.

Tem um momento por exemplo que ele cita um filho que teve, e ai desconversa, tão agitado, tão empolgado, que a própria Rose perde o interesse (que ela demonstra) e se distrai, rapidamente. Ele ta perfeito nisso.

Bem, como todo Doctor, ele tem uma característica que se repete em todos os episódios, sem exceção. Aqui, dele ter várias palavras muito épicas que sempre diz (Allons-y e Aha! por exemplo, e também Amazing!) ele só repete uma coisa: Por os Óculos.



Todo episódio, em algum momento, ele coloca seus óculos, seja pra olhar melhor, seja pra fazer alguma observação esperta, seja apenas por estilo, não importa, em algum momento ele vai colocar seus óculos, os quais ele não usava como Christoper.

Detalhe que no final, ele troca seus pares de óculos por óculos 3D, e nem faz sentido, é do nada, e é engraçado. Isso meio que deixa claro que não, ele não precisa dos óculos, mas os usa, sabe-se la pra que. Se bem que os óculos 3D também são importantes... mas explicarei isso depois.

Ah, esse Doctor meio que apresenta várias habilidades novas, como identificar exatamente o que algo é, sentindo o gosto; Sentir energias alheias só de se aproximar; Ler a mente das pessoas com o toque; E claro, ele tem seus equipamentos de sempre, como a Chave de Fenda Sônica.

Rose Tyler



Bem, ela ta muito mais segura de si agora, e mais acostumada às viagens, sendo bem mais esperta, e ligeira em vários momentos.



Constantemente tem a aprovação do Doutor, e ela realmente faz por onde merecer. Muitas das situações ela consegue resolver sozinha, e fica evidente seu crescimento. Tanto que, até Jackie, sua mãe, diz que ela mudou.

Alias, ela se da tão bem com a nova forma do Doctor quanto com a antiga, e rapidamente já consegue aceita-lo. Inclusive, seu amor por ele cresce ainda mais... e é triste pacas o desfecho dela.



Além disso, Jackie e Mickey também retornam, constantemente, e partem do enredo junto com ela. Ambos são melhor abordados agora mas, eu explico isso ao contar as histórias dos episódios.

Bem... é isso. Bora resumir as histórias. Lembrando que aqui eu vou contar muitos spoilers, mas, eu também farei uns comentários legais então, compensa ler.

The Christmas Invasion
O Despertar do Doctor David




Esse episódio é um Especial de Natal, que mostra basicamente o Doctor se recuperando de sua transformação, enquanto Rose, Jackie (sua mãe) e Mickey lidam com uma invasão alienígena em pleno Natal.




No final, o Doctor confronta a raça alienígena que atacou a Terra, e consegue vencê-los, poupando-os após matar o líder, e mandando todos embora, como um recado para o resto do universo, de que a Terra tem defesas.

Só que, bem no final, Torchwood atira contra a Nave Alienígena e a destrói, com toda sua enorme tripulação, o que é um genocídio. Até então, Torchwood só se revela como uma agência governamental que defenderá a Terra de toda ameaça espacial.




Doctor fica bem revoltado com isso, e declara inimizade justamente com a responsável por autorizar o disparo, uma ex-aliada, que inclusive o ajudou a derrotar os alienígenas que tentaram tomar o mundo na temporada anterior.

Comentário:


Esse episódio serve mais pra introduzir Doctor "David", além de mostrar que Rose mudou um pouco, sendo mais ativa e mais independente em vários momentos. Além disso, serve pra mostrar a Torchwood, ao menos o que essa misteriosa organização pode fazer.

New Earth
O Retorno da Última Mulher Humana




Em sua primeira viagem com o Doctor em sua nova versão, Rose é levada até uma versão futurista de uma nova Terra, após a destruição da Terra original. Vários planetas assim, com versões novas do ser humano, foram colonizados.




La, eles acabam visitando um hospital, onde o Rosto de Boe, um dos que participaram a da conferência pra assistir o fim do planeta Terra original, estava. La o Doctor meio que recebe uma profecia de que, um dia, no próximo encontro com o Rosto de Boe, ele lhe diria algo importantíssimo.




Enfim, nesse mesmo hospital, eles se deparam com a Mulher Pele, a última humana natural que existe (isso ela quem alega). Ela havia sobrevivido, pois seu cérebro se manteve vivo, e se reparou usando a pele de suas costas, do corpo original.

Mas, ela também aprendeu um estranho truque, de transferir sua mente para novos corpos, e faz isso para o corpo de Rose. Usando Rose, ela se aproxima de Doctor (quem conhece e beija nessa nova forma) e, ambos acabam descobrindo que o hospital era na verdade, um matadouro... tecnicamente.




Acontece que as enfermeiras felinas de la estavam muito a frente de sua época em medicina, tudo porque usavam humanos como cobaias no subsolo, para testar todo tipo de doenças. Posteriormente, Cassandra, usando o corpo de Rose e Doctor intercaladamente, acaba libertando as cobaias, que viram pseudo-zumbis infeciosos.




Mas o Doctor resolve tudo, curando um deles usando um coquetel de medicamentos aleatórios, e a cura se espalha entre todos. Cassandra, a última humana natural, acaba usando um corpo de um clone que ela criou para sustenta-la, e este morre um tempo depois, não antes dela ser levada ao passado, onde interage consigo mesma enquanto era realmente humana.

Comentário:


Esse episódio é bem legal, e tirando o Rosto de Boe e sua profecia, nada nele é tão importante, aparentemente. Se bem que nesse episódio Rose e Doctor se beijam muito, apesar de não ser bem ela usando seu corpo.

Alias, paguei muito pau pra atuação de Rose como Cassandra, e de Doctor também quando possuído por ela. Mas é meio estranho a técnica que ela usa pra possuir a galera...

Tooth and Claw
Lobisomen Inglês




Agora para o passado, Doctor e Rose visitam a Inglaterra antiga, e conhecem a própria Rainha. Eles acabam se disfarçando como seus guarda-costas, por curtição mesmo, e ai descobrem que tem um grupo tramando contra a realeza.




A Rainha, que transportava um caixa misteriosa (com o maior diamante do mundo) tinha sido desviada para um castelo, onde um culto tinha tomado conta. Eles serviam a um Lobisomen, ao qual inclusive endeusavam, e queriam infectar a rainha com a "doença" dele.




Depois de bastante embate, o Lobisomen se revela e ataca geral, mas Doctor e Rose, junto com as pessoas do castelo, descobrem um musgo que afasta o lobisomen. Posteriormente, eles também descobrem uma arma antiga criada para matar o Lobisomen, e posicionada convenientemente ali, naquele castelo, disfarçada de telescópio.




Usando ela, com o Diamante como munição, eles atiram um laser de luz lunar no Lobisomen que evapora. Ele era um tipo de forma de vida alienígena que veio por um meteoro e infectou um humano, e precisava se espalhar e infectar a realeza pra tomar conta do mundo. No final, meio que ele consegue arranhar a rainha, mas não fica claro se ela de fato foi infectada.




Após condecorar Doctor e Rose, a rainha os bane da Inglaterra. É bem contraditório, ela os honra e depois, os bane por serem tão misteriosos. Em seguida ela decide montar uma organização para estudar e se defender de qualquer ameaça alienígena. Essa era a Torchwood.



Comentário:


Doctor meio que acaba influenciando o tempo e espaço constantemente. Se ele não tivesse ajudado a rainha nesse período, o Torchwood nem existiria.

School Reunion
O Retorno de Sarah Jane Smith e K9




Chamados por Mickey, Doctor e Rose voltam pro presente e o ajudam a investigar uma escola com avistamentos de OVNIS. O chamado em si é mostrado durante um Tardisódio.




Disfarçados como Professor Doctor e Merendeira Rose, eles descobrem que a escola tinha sido tomada por aliens, que evoluíam fisicamente ao consumir corpos alheios, assimilando suas formas. Porém, eles já tinham evoluído pra uma forma de morcego, a qual não abriam mão, e apenas se disfarçavam de humanos.




O objetivo deles era usar a mente humana para traduzir e interpretar uma questão universal e assim adquirir conhecimento ilimitado. Eles tentam inclusive convencer Doctor a ajuda-los, e se tornar consequentemente um deus com tamanho conhecimento, mas no fim, Doctor os rejeita.

O mais interessante desse episódio é que, no meio da investigação, Sarah Jane Smith, uma antiga Companheira de Doctor Who, aparece. Ela não reconhece seu Doctor de inicio, mas depois entende que ele se regenerou, e ela mesma já viu isso várias vezes antes, e assim, Sarah e Rose rivalizam pela atenção dele.




No final, até o K9, um cachorro mecânico (Ka-Nine entende!?) vem junto com Sarah, e é atualizado por Doctor após se sacrificar pra deter os alienígenas numa enorme explosão.




Sarah, nesse período, se tornou uma investigadora alienígena, na esperança de achar Doctor novamente, e o encontra. Ela aconselha Rose a curtir sua jornada com ele, e se despede.

Comentário:


Esse episódio mostra meio que um prelúdio do que poderia acontecer com Rose. Se afastar de Doctor é meio que consequência da jornada, e pela forma que ele interage com Sarah, ela foi muito importante pra ele no passado, talvez até mais que Rose (alias, ela é a Companhia que mais apareceu em Doctor Who clássico, tendo conhecido praticamente todas as versões dele).

É nesse episódio também que Mickey entra para a Tardis, como uma Companhia também. Meio que Sarah Smith diz que Doctor precisará de um Smith no grupo, e o sobrenome de Mickey é Smith. Ele acaba aceitando o convite pra viajar com Rose e Doctor dessa vez... e Rose fica bem constrangida afinal, ele é o namorado dela, e ela gosta do Doctor... é bem estranho.

The Girl in the Fireplace
Madame de Pompadour




Com Mickey no grupo, eles viajam e vão parar, aleatoriamente, numa nave abandonada no espaço. Toda a tripulação tinha sumido, e tudo que sobrou foram "cowboys" (é uma gíria britânica pra "bagunça").




Ao explorar, Doctor encontra uma lareira, original do século 18, ali, instalada na nave, e através dela, ele acessa o passado, conhecendo e interagindo com uma garotinha de 8 anos, por alguns instantes.

Ele pode viajar para o passado através da lareira, girando com ela, mas a cada viagem que faz, o tempo passa bastante para a garotinha.




Chega um momento que ele encontra a encontra, agora já uma jovem adulta, a qual tinha desenvolvido um amor platônico por ele, levando-o em seu coração desde sua infância. No passado, ele salvou ela ao afugentar uma estranha criatura que se escondia em sua cama.

A criatura era um robô, tripulante da nave, que estava viajando ao passado e monitorando essa mesma garota.




Ela era a Madame de Pompadour, ou melhor, se tornaria a Madame de Pompadour. Uma amante do Rei da França (não pergunte, é meio estranho isso mas, pra eles era normal na época). Só que ela se apaixona pelo Doctor e a cada viagem que ele faz para seu tempo, eles se aproximam mais e mais.




É ai que um dia é revelado que os robôs da nave estavam monitorando a vida da Madame de Pompadour, não apenas pela lareira, mas por várias Janelas de Tempo criadas ao longo da nave. Eles estavam esperando ela chegar em uma determinada idade, para roubar o cérebro dela.

O motivo era simples: Devido uma avaria que a nave sofreu por uma explosão espacial, os técnicos automatas precisavam repara-la como função primária, mas, não haviam peças suficientes, então eles começaram a usar componentes orgânicos extraídos dos tripulantes da nave mesmo.




Assim, eles exterminaram os humanos que la estavam, usaram seus órgãos como partes para a nave, e nofim, precisavam apenas de uma base neural para o controle central da nave. Só que eles precisavam de uma compatível, e somente da Madame Pompadour, seu cérebro, era considerado compatível.

Apesar deles poderem controlar o fluxo do tempo (eram robôs temporais, que o próprio Doctor admira pacas) eles não tinham como ir pra época exata pra extrair o cérebro da moça, que era a idade dela em comparação a idade da nave. Na cabeça dos robôs, que estavam limitados pelas diretrizes, aquela era única forma de reparar a nave totalmente.




Quando ela atinge a idade certa, o Doctor tenta salva-la, mas só consegue quando ele destrói a conexão temporal entre a nave e a França. Pra isso ele salta por uma das muitas janelas do tempo, e em seguida, os portais se fecham.




Doctor acaba ficando no século 18, com a Madame de Pompadour, preso, enquanto Rose (ciumenta kkk) e Mickey ficam na nave, também presos (afinal sem o Doctor, a Tardis não podia ser manipulada).




Porém, a Madame de Pompadour havia transferido seu antigo quarto, de sua antiga residência, para o castelo real, onde eles estavam. Isso meio que criou uma segunda conexão com a nave. Os robôs não sabiam disso, então ao notarem que a conexão se perdeu, eles se desativam. Assim, a Madame leva o Doctor pro seu quarto, onde ele restaura a Lareira e volta pro futuro.




Alguns minutos depois ele retorna pra tentar falar com a Madame, mas ela já havia falecido, e deixado uma carta de despedida pra ele.




Doctor então volta pra Tardis, cabisbaixo (ele tava curtindo ela) e lê a carta dela, quem se declara pra ele, e diz tê-lo esperado pelo resto de sua vida.



Comentário:


Esse episódio mostra que existem outros meios de se viajar no tempo, não apenas pela Tardis, e isso é interessante. Mas além disso, o curioso é a própria nave.

Uma pergunta que ficou me incomodando era justamente o motivo da Madame de Pompadour ser a única compatível com a interface da Nave, e o motivo é simples: A Nave era a Madame de Pompadour.




Isso ao olhar dos robôs de manutenção. Acontece que a nave tinha sido desenvolvida em homenagem a Madame de Pompadour, e até mesmo a Lareira, aquela antiga que tinha sido transferida junto ao quarto para o Castelo Real, também tinha sido remanejada para a Nave. Inclusive, no fim, o nome da nave, bem como um quadro da Madame, são revelados, e ela foi batizada com o mesmo nome dela.



Como a nave tinha 37 anos, ela precisaria do cérebro de 37 anos da madame. Meio bizarro né?

Rise of the Cybermen
Viajando pra Outra Realidade



Do nada, Tardis morre.




A nave deixa de funcionar, indo parar no meio da Inglaterra, no presente, mas sem força nenhuma, deixando Doctor, Rose e Mickey presos por la. Até então, não era um problema tão grande, mas, eles descobrem em pouco tempo que aquela era outra realidade.




Algo que o próprio Doctor considerava impossível, eles tinham viajado para uma realidade paralela, puxados por algum problema que deu na Tardis. Era algo inédito e perigoso, e o Doctor precisava urgentemente arrumar a Tardis. Por sorte, ele encontra uma lâmpada ainda energizada na Tardis, e pode restaura-la, usando sua própria energia vital.




Enquanto ele e Mickey tentam arrumar a nave, Rose descobre que naquele mundo, sua mãe e seu pai viviam juntos, mas eles nunca tiveram ela. Ela então fica matutando sobre ir ver seu pai, e paralelo a isso, Mickey decide ir ver sua avó.




Doctor precisa escolher entre seguir Rose ou Mickey, e acaba optando por Rose mesmo. Acontece que a avó de Mickey, tinha falecido no mundo dele, e ali estava ele com mais uma chance para revê-la.

Bem, Mickey encontra sua avó, mas paralelo a isso, ele também descobre que sua versão daquele universo existe, e faz parte de um grupo de rebeldes que lutam contra o governo atual. Ele meio que é levado sob custódia deles.




Rose e Doctor também encontram o pai dela, e a mãe dela, e descobrem que o pai dela era super bem sucedido, e fazia parte de uma empresa enorme, a qual era liderada por um cara doido, que buscava a vida eterna.

O cara então desenvolve um corpo mecânico, pro qual planeja transferir sua mente... e ai ele da vida, em sua realidade, aos Cybermen.




Os Cybermen eram máquinas criadas a partir do corpo humano, onde os sentimentos e emoções eram removidos por completo, e eles buscavam pela abolição da dor, transformando todo ser humano em Cybermen. Doctor, em sua realidade, já enfrentou essa ameaça, sendo ela tão perigosa quanto os Daleks... e ao ver que eles estão ressurgindo, o pavor se instaura.




Mickey, junto com o grupo rebelde, e Ricky (sua versão da outra realidade) acabam indo ao encontro de Rose e Doctor na festa onde os Cybermen são ativados. Eles passam a massacrar geral, e convertê-los em Cybermens... e ai o episódio se encerra.

Comentário:


Esse episódio traz de volta um inimigo clássico de Doctor Who, além de apresentar a possibilidade de realidades alternativas.

Considerando a quantidade absurda de paradoxos que doctor acaba criando ao longo de suas viagens e interferências no tempo, é de se esperar que ele as vezes visite realidades paralelas, mas, isso não é algo comum não. Como ele mesmo explica, os Senhores do Tempo tinha certa facilidade em fazer isso, mas agora que só restou ele, ele já não se atreve a mexer com outras realidades.

Tanto, que ele julga isso impossível. A própria Tardis não deveria conseguir acessar esse campo, mas algo os levou pra la.

Alias, também é revelado, ou melhor, explicado, que Tardis é uma criatura viva e em extinção. A de Doctor é a última de sua espécie e elas são plantadas. Tardis também se alimenta de energia do universo ao seu redor, e como ela estava em outro universo, meio que a energia dela se esgota. Só que, o Doutor sacrifica 10 anos de sua vida pra reanimar um pedaço ainda energizado dela, e assim ela coleta energia suficiente para se reativar.

The Age of Steel
A Despedida de Mickey




Continuando de onde parou, Doctor acaba usando o pedaço que tem da Tardis para atacar todos os Cybermen que tentaram capturar ele e os outros. Com isso eles conseguem fugir, mas o tempo preciso para Tardis se recuperar acaba sendo prolongado.




Então, Doctor descobre que o Pai de Rose era na verdade o informante do grupo de Rebeldes ao qual Ricky fazia parte, e Mickey descobre que a sua versão "maneira" não é tão legal assim, pois os Rebeldes eram um grupo pequeno apesar de tudo.



Mas eles ainda queriam deter os planos malignos da empresa que fez os Cybermen, e assim, todos se unem.




Haviam fábricas de Cybermen por todo o mundo, e elas são ativadas em tempo real. Todas as pessoas do mundo usavam uns comunicadores na orelha, e isso faz eles ficaram praticamente hipnotizados e marcharem para as fábricas, onde seriam convertidos em mais Cybermen.




Rose e seu pai se infiltram em uma dessas fábricas, onde descobrem que Jackie dessa realidade acabou sendo convertida em um Cybermen. Enquanto isso, Mickey e Ricky se unem, mas acabam tentando fugir de um exército de Cybermens e Ricky morre no processo.

Doctor também encontra a central da fábrica, ao lado de uma moça que acaba morrendo, mas ele descobre que os Cybermen tinham um inibidor de emoções humanas, o qual poderia ser desativado.




Por fim, com ajuda de Mickey, eles desativam o inibidor e todos os Cybermens recuperam suas emoções, notando que não são mais humanos, e enlouquecendo, entrando em choque, e consequentemente morrendo.

Doctor, Rose, seu pai e Mickey, além do último remanescente dos rebeldes, fogem num dirigível e se livram do criador dos Cybermens, que por sua vez tinha sido convertido num Cybermen mestre pouco antes de morrer.

Assim, eles voltam pra Tardis, regenerada, e se preparam pra voltar pro seu próprio universo. Mas, Mickey se despede. Ele decide permanecer naquele universo, com sua avó, e ajudando os demais a se recuperarem, além de enfrentar as outras fábricas de Cybermen.



É bem triste, Rose chora pacas, mas eles vão embora, e Mickey é perdido.

Comentário:


Na primeira temporada, Doctor (Christoper) vivia chamando Mickey de Ricky. Parecia uma zoeira, agora que de fato há um Ricky, tudo leva a crer que a mente de Doctor acessa o multi-verso constantemente. É curioso, e faz muito sentido, visto que o próprio Doctor descreve sua mente como algo muito complexo.

Isso também explica como ele pode saber tanto, e ao mesmo tempo, cometer tantos erros. Se ele está em muitos universo ao mesmo tempo, sem saber, é difícil pra ele decidir o que fazer.

The Idiot's Lantern
Televisões Inglesas



Esse episódio mostra basicamente o mundo sendo dominado por televisões.




Durante a coroação da Rainha da Inglaterra, um vendedor de Televisões passa a praticamente doar elas pra várias pessoas da comunidade, numa época em que a TV era algo um tanto quanto raro. Ele faz isso pois havia uma entidade no televisor que tomava o rosto e mente dos espectadores.



Rose e Doctor desvendam o mistério e acabam com essa ameaça, mas no processo, Rose perde seu rosto. 




Doctor fica bem puto por causa disso, e no fim tudo se resolve, com ele se aliando a um jovem rapaz que o ajuda a destruir a entidade da televisão... ou pelo menos a prender numa Fita Cassete (inventada pelo Doutor).




Nesse episódio há muito patriotismo inglês, e alias, um pai idiota chega a ser confrontado por Rose, Doctor, e sua própria família... mas mesmo assim, no fim, Rose orienta o jovem rapaz a ir atrás de seu pai e buscar um reconciliamento.

Comentário:

É bem legal ver o tamanho do patriotismo de outros países...

Nesse episódio, Rose mostra o tanto que ta melhorando como parceira de Doctor.

The Impossible Planet
O Buraco Negro




Em outra viagem perdida, Tardis passa mal, fica tonta, e leva Doctor e Rose pruma estação espacial. La eles descobrem uma raça alienígena com cabeça de polvo chamada Ood e alguns humanos, que se surpreendem com eles surgindo do nada.




Após um terremoto, onde parte da estação se perde, eles são apresentados a causa: Um Buraco Negro logo acima da estação.

Acontece que eles estavam num tipo de cone gravitacional, praticamente impossível de existir, e tudo ao redor havia sido destruído e sugado pelo buraco negro, exceto o planetoide no qual a estação estava instalada, justamente por causa do cone.




Os humanos que la estavam, junto com seus escravos voluntários, os Ood, tinha viajado pra la pra pesquisar uma civilização antiga e buscar pelo que gerava o tal campo gravitacional anormal. Mal sabiam eles que ali tinha um enorme Buraco Negro, e estavam presos, mediante a pesquisa. Eles, por pura curiosidade humana, estavam escavando o planetoide e só sairiam de la depois de descobrir a origem do sinal.

Só que, as coisas pioram quando Doctor descobre que no terremoto que teve, Tardis se perdeu junto com parte da estação, caindo numa cratera. Presos la, eles são obrigados a trabalhar com a tripulação.




Posteriormente, uma entidade demoníaca passa a usar os comunicadores dos Ood, da estação e até o celular de Rose pra mandar mensagens satânicas, e também, algo possui um dos membros da tripulação, e passa a matar geral, principalmente depois que ele passa a possuir todos os Ood ao mesmo tempo.




Enquanto isso, Doctor se voluntaria para explorar a cratera recém escavada, de onde o sinal vinha, e la, encontra um portal para um abismo, que se abre. Paralelo a tudo isso, uma profecia é recitada pelos Ood possuídos, de que a Besta estava se libertando.



Cometário:


Os Ood são muito parecidos com aqueles "gatos" de Half-Life, inclusive em personalidade, visto que eles são inocentes, até serem controlados por uma entidade demoníaca, exatamente como ocorre em Half-Life.

Alias, os Oods também lembram muito o próprio Doctor. Em um momento, eles mencionam que são escravos da humanidade por opção, já que não tem nada melhor pra fazer, e além disso, eles dizem que não tem nomes, pois são todos como um único ser. Acontece que Doctor é tipo isso também, já que ele e os outros Senhores do Tempo eram conectados mentalmente (tanto que ele declara que não os sente mais, por isso sabe que estão extintos) e essa talvez é a razão dele não usar um nome.

The Satan Pit
O Capeta




Doctor desce pelo abismo, movido pela curiosidade, enquanto Rose e o que restou da tripulação tenta sobreviver ao massacre provocado por Oods possuídos.




Um dos tripulantes que acompanha Rose tava com o diabo no corpo, mas disfarçado, se passando por alguém normal. Ele não faz nada de mais além de acompanha-los na tentativa de sobreviver.




Paralelo a isso, Doctor chega ao fundo do abismo, onde encontra o corpo do Diabo, enjaulado. Aquele planetoide inteiro era na verdade uma prisão para o demônio, o mesmo visto em todas as religiões no universo. Doctor comprova a existência dele, apesar de não acreditar em tudo que ele diz.




O Diabo fala sobre cada um dos tripulantes, e também sobre Doctor, mencionando também sua origem quando questionado, dizendo ser antes do próprio tempo. Isso deixa o Doutor confuso e incrédulo pois pra ele, não fazia sentido haver algo antes do tempo. Mas ele entende que tem coisas que não sabe, e por causa disso, decide aceitar ao menos a existência do Demônio.

No fim, Doctor descobre que aquela prisão, era uma enorme armadilha. A bolsa gravitacional que se mantinha ali era pra manter o Diabo preso, e caso ele se soltasse, ele seria levado direto pro "Sol Negro", o Buraco Negro, deixando de existir.




O corpo sem mente do diabo é então jogado para o buraco negro, enquanto Rose e quem sobreviveu são obrigados a tentar fugir numa nave espacial. Só que, quando Doctor rompe o que mantinha a bolsa gravitacional, a nave é puxada pro Buraco Negro junto com o planeta, sacrifício esse que ele tinha ciência da necessidade.

A mente do diabo tava la no corpo de um dos tripulantes, tentando escapar da morte certa, e usando justamente Rose como uma refém para impedir que Doctor matasse seu corpo. Só que Rose nota isso a tempo, e consegue jogar o possuído para o espaço, o qual é levado direto pro Buraco Negro.



No fim, Doctor da muita sorte, e encontra a Tardis ali, bem do lado dele, no Abismo. Ele entra, e a usa pra resgatar uma tripulante que tinha ficado na base do abismo, e também Rose e os demais que estavam com ela, usando a capacidade da Tardis de voar com seu próprio campo gravitacional e rebocando a nave deles pra longe do Buraco Negro.

Comentário:


Esse episódio é bem filosófico, onde citam o que seria o demônio e ponderam sobre ele ser apenas uma ideia, difundida através do universo, mas nascida de um único ser.

Por mais que o corpo e mente dele tenham sido varridos pra um Buraco Negro, duvido que seja o fim, pois se fosse tão fácil assim se livrar dele, os antigos já teriam feito isso.

Love & Monsters
L.I.N.D.A




Dessa vez o episódio não começa com o doctor ou Rose, mas sim um novo personagem, um cara aleatório que busca pelo Doctor. Ele meio que faz um documentário, gravando a si mesmo e comentando sobre suas experiências com o doctor.




Ele vivenciou alguns dos eventos recentes mais importantes que atestaram a existência alienígena, como o ataque dos manequins, a nave que caiu em Londres e a Invasão no Natal. Descrevendo sua própria versão das histórias, ele acaba mostrando como o Doutor acabou influenciando ele.




Ele montou então um grupo, de pessoas que também foram influenciadas pelo Doutor, e os 5 forma se aproximando com o tempo, numa organização investigativa intitulada LINDA, e posteriormente, formando um grupo musical.




Porém um dia, um sexto membro chegou, um cara mais obcecado que os demais, que os reorganizou para encontrar o Doutor. Ele meio que tomou a liderança e de fato, os fez se aproximarem do Doutor...




O próprio cara que começou tudo encontrou Jackie, de quem se aproximou, mas ai as coisas saíram do controle. Jackie descobre que o cara era um investigador que tava atrás do Doctor e por fim, o afasta.




Nesse meio tempo, os membros do grupo passam a sumir misteriosamente, até que eles descobrem que o sexto cara, era na verdade um alien infiltrado, que absorvia quem ele tocava.




Só resta o carinha que começou tudo, enquanto foge do Alien que o queria devorar, e ai surge o Doctor, com Rose, puta da vida pelo cara ter feito sua mãe ficar triste.




É ai que eles destroem a criatura, a qual meio que é morta pelo grupo que ela absorveu, que ainda estavam vivos dentro dele, e se sacrificam juntos para explodi-lo.




Posteriormente, o Doctor consegue resgar os restos de um dos membros, uma garota, por quem o líder original tinha uma queda, e a faz voltar, apenas o rosto, numa pedra, pra ele... Daí eles namoram... é bizarro... bem bizarro... mas tudo termina "bem".



Comentários:


Amo found footage e esse episódio é bem nesse estilo, apesar de não ser la um grande exemplo disso. De qualquer forma, amei acompanha-lo.

É curioso ver uma perspectiva diferente no universo do Doctor, e ver como tudo influencia as pessoas ao redor. Alias, no final, é explicado que o Doctor lutou contra uma criatura na casa do cara que começou a história, quando ele era bem pequeno, e naquele mesmo dia a mãe do moleque morreu. Isso, junto ao desfecho trágico da perda de praticamente todos da LINDA, mostra o nível de Doctor Who.

É um tipo de terror leve, mas terror, e isso é bem bizarro.

Fear Her
A Desenhista




No tardisódio é mostrado um cara, de uma agência de investigação de crimes que menciona o desaparecimento de crianças em uma rua. Então, na real, esse cara num tem nada a ver com o episódio em questão, que da a entender que será algo sobre uma criatura que sequestra crianças.

Ao começar, o episódio já deixa claro o que é. Uma garota, quando desenha as crianças da rua, as sequestra pra dentro de suas obras, onde os desenhos ficam vivos, mas presos ao papel.




Doctor e Rose chegam juntos para assistir a próxima Olimpíada que ocorreria na Inglaterra, alguns anos no futuro, e investigam esses desaparecimentos. Como o Doctor sente as vibrações de Ions nos pontos dos sumiços, logo eles encontram a garota e entendem o que ta havendo.




Basicamente, ela tinha sido possuída por um alienígena viajante e infantil, que tinha perdido sua nave e seus irmãos, e acabou usando a hospedeira criança para pegar pessoas pra serem sua companhia, nunca dado por satisfeito.




Seus poderes, davam aos desenhos dela a capacidade de absorver aqueles que representavam, e também, ganharem vida. Com isso, um desenho que ela faz de seu pai, num guarda-roupas, ganha vida e passa a atormenta-la.




No final, o Doctor é capturado pelo desenho, e Rose sozinha da um jeito de encontrar a nave, que tinha sido enterrada na rua mesmo, recentemente pavimentada para a passagem da Tocha Olímpica.

Ai, pra revitalizar a nave, que necessitava de calor e amor, ela joga a mesma na Tocha Olímpica e, a nave atraí o alienígena que tava desenhando o Planeta Terra inteiro...



Pois é, um episódio meio confuso, mas o que importa é que no fim, Doctor carrega a Tocha Olímpica.



Comentário:

Então... esse episódio mostra mais de como Rose se tornou independente.

Army of Ghosts
Torchwood e os Fantasmas




Esse episódio começa com Rose, dizendo que contará a história do dia em que ela morreu, enquanto passeia por uma praia.




O episódio mostra Rose voltando pra casa com o Doctor, e Jackie dando um beijo na boca de Doctor (porque é doida). Ai, ela diz que eles chegaram a tempo da visita do avô dela, que tinha morrido.




É ai que começam a aparecer os Fantasmas. Projeções humanoides temporárias que caminhavam por todo o mundo. Doctor fica espantado com isso e ao perguntar desde quando isso ocorria, Jackie explica que a um tempo os fantasmas voltaram, e voltavam em horários específicos. Mas logo Doctor nota que não eram fantasmas, e tenta capturar um pra identificar sua real origem.




Paralelo a isso, a Torchwood era a responsável. Eles invocavam os fantasmas através de uma das muitas tecnologias aliens que tinham adquirido. Eles estavam avançadíssimos e explorando o máximo da tecnologia roubada, que eles julgavam deles.

Doctor identifica a origem e vai de encontro a eles, usando a Tardis, e sem querer, leva Jackie a bordo.


La, ele conhece a atual diretora da Torchwood, e é até que bem recebido, inclusive é reverenciado. Mas ela o considera inimigo e deixa bem claro isso, relembrando que a Rainha o baniu. Eles esperavam pela chegada do Doctor.




Assim, eles o levam para ajudar a entender certas tecnologias, como a misteriosa "Bola Gantz" que nem deveria existir, pois não tinha qualquer assinatura de energia, mas tava la, presente.




Na hora o Doctor identifica ela como uma Nave do Vazio, algo que podia atravessar entre as realidades e explorar o vazio entre os universos alternativos. Tinha sido justamente essa nave quem abriu a brecha que jogou a Tardis para outra realidade antes.




A cada vez que eles usavam a máquina de invocar fantasmas, eles rompiam um pouco mais a barreira entre os universos... é ai que o Doctor desvenda o que os fantasmas eram: Criaturas de outro universo tentando se projetar.

Pra variar, não eram quaisquer criaturas... eram Cybermen, vindos diretamente daquele mesmo universo que o Doctor acessou sem querer.




Então, alguns Cybermen que tinham conseguido se infiltrar na Torchwood, controlando a mente de alguns funcionários, atacam e forçam o uso da Máquina de Fantasmas, justamente pra quebrar a barreira.




Doctor que tinha deixado a Tardis sobre os cuidados de Rose (ele leva Jackie, fingindo que ela era a Rose, mais velha) acaba ficando junto com a diretora, assistindo o ressurgimento dos Cybermen em massa, junto aos fantasmas que se transformam neles, por todo o mundo.

Enquanto Rose, que acaba saindo da Tardis e tenta investigar por conta, acaba sendo capturada (o Papel Psiquico não funciona pois os membros da Torchwood tem treinamento psíquico) e encontra ninguém mais ninguém menos que Mickey, infiltrado e disfarçado na Torchwood, ambos diante da "Bola Gantz" (eu chamo assim porque parece!).




E ai, a bola se abre, assim que a barreira se rompe, e de dentro dela, ao invés de sair um Cybermen, como Mickey esperava, saem alguns Daleks, prontinhos pra EXTERMINAR!



Comentário:


Mickey volta, dizendo que Doctor erra as vezes, e isso comprova sua alegação. A viagem entre realidades era possibilitada graças a um aparato que a Torchwood da outra realidade inventou. Alias, a Torchwood da outra realidade tinha sido destruída, apesar de ser tecnicamente mais avançada, e apesar de Mickey e o pai de Rose terem vencido os Cybermens, eles fugiram pra outra realidade e bolaram esse plano de conquista.

Cara, ver como Mickey evoluiu foi épico.


Outra coisa, no momento que os Cybermen foram apresentados, eu imaginei como seria um encontro entre eles e os Daleks, e ver isso acontecer me deixou empolgado de mais!

Doomsday
A Despedida de Rose




E ai vem o episódio que eu demorei 3 vezes mais tempo pra terminar, de tanto que ri. E acredite, é um episódio triste.




Basicamente, Daleks e Cybermen aparecem na Terra ao mesmo tempo. Milhões de Cybermen por todo o mundo, e 4 Daleks.




Os Daleks tinham nomes, pois eram de um culto antigo que buscava se aproximar e entender as formas de vida, para facilitar a matança. No caso, eles fugiram da Guerra do Tempo, numa Nave do Vazio, e se esconderam para um dia, ressurgir, justamente para desfazer o que os Senhores do Tempo fizeram.




Carregando uma caixa misteriosa, eles a energizam e depois a abrem, usando o contato de um viajante do tempo (no caso usam Mickey sem querer). Paralelo a isso eles confrontam os Cybermen (é a parte que eu morri de rir) e também, encontram o Doctor, que Rose faz questão de apresentar.




Ela até se empolga ao dizer que desintegrou o Imperador Dalek, e os Daleks quase a matam, se não encontrassem os Cybermen pra confrontar.



Os Cybermen até tentam uma aliança, mas o orgulho dos Daleks é sem igual, e ai rola uma guerra.


É quando os Daleks abrem a caixa, que era uma prisão de Daleks, onde os milhões e milhões da raça estavam. E começa uma verdadeira matança, com Daleks matando Cybermens, enquanto a humanidade pelo mundo inteiro sofria no fogo cruzado.




Enquanto tudo isso ocorria, Doctor e Rose se encontram. Doctor tinha sido levado para a outra realidade através de um dispositivo e convenceu o pai de Rose, a ir para seu mundo, e ajudar.




Daí ele nota, usando seus óculos 3D, que todos que viajaram através das realidades estavam com uma radiação diferente em torno de si.




É ai que ele tem a brilhante ideia de abrir a brecha entre realidades, que levava direto pro vazio, para sugar todos que estavam com a tal radiação. Ele modifica a brecha, e faz o plano funcionar, mas para proteger Rose, Mickey, Jackie e os demais, ele pede pra todos fujam para a outra realidade, onde o portal não se abriria.

Entretanto, ao fazer isso, eles jamais poderiam voltar, pois o portal pro vazio se fecharia pra sempre.

É ai que todos fogem, exceto Rose que decide ficar pra ajudar o Doctor.




Ai, enquanto todos são sugados pro vazio, a alavanca que Rose segurava começa a baixar, e ela acaba por se sacrificar pra mantê-la ativa. Depois que todos são sugados, ela é puxada junto, não suportando a sucção, mas, bem na hora H, o pai dela aparece, pega ela e teletransporta pra outra realidade.




Assim, o vazio se fecha, Doctor fica sozinho no mundo dele, e Jackie, Rose, Mickey e o pai dela ficam la no outro universo, com Rose em prantos por ter perdido o Doctor.




O tempo passa, e Rose é convocada por Doctor que, cria uma supernova pra ter energia suficiente na Tardis pra se projetar na outra realidade e se despedir adequadamente.




Ele conversa um pouco com ela, Rose diz que o ama, e na hora que ele vai responder, a conexão é perdida... e ele chora.




Rose é dada como morta em sua realidade, mas agora estava trabalhando como defensora do planeta contra Aliens la no outro universo... e chorando pacas por não ter mais o Doctor.



Só que o Doutor não tem tempo de sofrer, pois logo em seguida uma Noiva aparece atrás dele.



E ai começa a próxima temporada.



Comentário:

Daleks vs Cybermen é a coisa mais hilária que já vi na vida.

Mano, os Daleks tiram mó onda dos Cybermen, e meu, é muita moral pra esses robozinhos.


Alias, eu não consegui deixar de comparar ambos aos C3PO e R2D2 de Star Wars. É como a batalha entre as versões malignas de ambos, e é hilário, pois ambos assustam, mas são fofos ao mesmo tempo.



Não da pra não rir... e olha que eu também chorei no final... esse é um episódio muito... mano... é incrível!


Alias, o Doctor usando o Óculos 3D nos últimos dois episódios foi algo que me fez rachar também. Nem imaginava que era parte do roteiro, eu achava que era, sei la, zoeira! E poxa, amei isso.

Por fim, a despedida de Rose é triste, mas é melhor que a morte. Considerando que quem morre em Doctor Who, realmente morre... e tipo é algo comum... tê-la em outro universo é melhor. Além do mais, nada impede que ela volte, pois o Doctor já errou muito antes.

Ah, a Jackie ta grávida, então Rose terá um irmão, ou irmã, na outra realidade.

Attack of the Graske
Episódio Interativo



Bem, existe o episódio interativo, que é até muito simples.

Basicamente, ele se passa depois da Invasão no Natal, e Doctor ta sozinho. Ele deixa Rose passeando por ai.



Daí ele escolhe o espectador para auxilia-lo, numa aventura pra impedir outra invasão alienígena.


Então, o episódio consiste em apertar botões nas horas solicitadas para escolher as ações, e isso responde bem apesar de ser um episódio de TV.

Lembra muito aqueles jogos de DVD que vem em alguns filmes, e sim, parece um pouco com aquele episódio interativo de Black Mirror.




A história do episódio é simples. Doctor salva o natal de algumas famílias com ajuda dos espectadores, sempre interagindo diretamente com eles... e o divertido do episódio é buscar pela aprovação do Doctor.


Tipo, escolhas certas fazem ele ficar empolgado, e escolhas erradas, apesar de não afetarem a história, deixam ele meio, desapontado.



O que muda, é a expressão dele, e isso é interessante de mais.




O Doutor nunca insulta seu companheiro, nunca... mas ele fica puto, cansado, e desapontado, deixando transparecer em seu tratamento e na forma como fala.

Isso ilustra perfeitamente o tratamento dele com Rose, que durante a primeira temporada sempre tinha um ar de desapontamento, enquanto na segunda, já há mais orgulho, e cara, é incrível testemunhar isso conosco.

Alias, existem coisas interessantíssimas no episódio que me tiraram muitas dúvidas, por exemplo, a Tardis e sua forma de pilotagem.




Em um momento, nós pilotamos a Tardis, seguindo a orientação do Doutor (se errarmos, ele mesmo faz as coisas). Eu sempre fiquei pensando em como aquela nave esquisita era manipulada pois, em episódios ele aparece martelando ela pra ela responder, é muito estranho... mas aqui, da pra ver que tem funções específicas em cada controle... e ela não é tão aleatória assim.

Outra coisa é a consciência que o Doutor tem sobre quem o assiste. Não apenas ele quebra a quarta parede, dando poder ao espectador com sua Chave de Fenda Sônica (a qual usa pra dar poder ao nosso controle remoto), como ele faz questão de frisar coisas como, o fato de acompanharmos suas aventuras, o fato de assistirmos a BBC (até apela pedindo pra não mudar de canal, ou o mundo explodiria) e por fim, dizendo que também nos observa!



É meio assustador? É... mas interessante pacas!

Sem contar que, apesar de ser basicamente um jogo, esse episódio é canônico... e isso é muito criativo.


Imagino como foi legal na época quando assistiram, la na Inglaterra. O próprio Doctor alega que aquele evento estava preso a um loop infinito, e se repetiria ao longo da programação, e de fato isso ocorreu pelo tempo de duração de um episódio comum.

Além disso, o episódio tinha 2 finais! Imagina, cada um assistindo seu próprio final em seus televisores! Isso é tão... mano...




Alias, um final consiste em teletransportar todos pra fora da nave onde forma capturados, o que é bom, mas deixa os vilões livres pra continuar causando problemas (e o Doutor assume a responsabilidade por impedi-los depois)... Assim, ele até diz que o espectador daria uma ótima Companhia e pensa em busca-lo qualquer dia.




E tem o final onde congela-se geral, inclusive os vilões e as pessoas, mas isso arruína o Natal de várias famílias. O Doctor fica bem irritado com isso... e apesar de não dizer, ele demonstra, mandando o companheiro atual embora e desejando só um feliz Natal.



Bem, é isso.

Agora que relatei tudo o que achei, partirei pra próxima temporada!

6 comentários:

  1. Respostas
    1. Não assisti docto who ainda, mais sei que esse ator que faz kilgrave em jessica jones tira onda.

      Excluir
    2. E gostaria de recomendar dois jogos de South Park, queria ver uma analise seu:
      1.South Park The Stick of Truth
      2.South Park™: The Fractured But Whole
      você vai adorar, pode ter certeza.

      Excluir
    3. David tem uma interpretação sem igual, não é atoa que é tão aclamado dentre os Doctors. Assista, você vai curtir sr Afonso.

      Excluir
    4. Kkkk... os South Park, mano, eles são dublados... eu joguei um pouco de cada, e paguei um pau pra eles... Pode ter certeza que os analisarei um dia... Obrigado pela recomendação.

      Excluir

CadastroMorte

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner