O Filme Recomendado de Hoje: Mussum - O Filmis

Apesar de não ser fã de obras nacionais, me senti atraído de mais pela premissa deste filme ainda nos trailers. Eu nem me interesso por Trapalhões ou Samba, e mal conhecia o personagem Mussum, pois não foram da minha época, mas tinha algo ali que me chamava pra obra.

Não por menos, ao assistir apenas variei de humor, entre gargalhadas e prantos, eu sorri e chorei em igual medida, inundado por fortes emoções e, preciso recomendar isso.

Enfim, falarei pouco, mas o bastante sobre o filme.

Boa leitura.


O que é "O Filmis"

"Mussum" é um filme de 2023 inspirado na vida de Antonio Carlos (falecido em 1994), conhecido por seu personagem Mussum, participante dos "Trapalhões", um programa televisivo de humor dos anos 80/90,  em que ele falava tudo com "is" no final, e também membro de um grupo de samba famoso chamado "Os Originais do Samba", onde tocava Reco-Reco e cantava.

Sua vida já foi inclusive contada em um Documentário intitulado "Mussum, um Filme do Cacildis" de 2019, mas diferente dele, este não usa cenas reais, apenas excelentes reencenações de eventos reais, com uma narrativa mais dramatizada, porém com bastante humor.

Se parar pra pensar, o filme em si não tem nenhuma grande reviravolta, é apenas a história de um homem conquistando seu espaço no mundo, após batalhar bastante, e sendo impulsionado por sua mãe. Porém tudo isso é contado com muito carinho e esmero, detalhes e facetas, apresentando uma pessoa relativamente comum, e nos aproximando dela até que sintamos o mesmo que ela, e isso é o que nos fisga.


Os Atores sendo Atores

Também conhecido como Carlinhos, ele tem sua vida pessoal contada em paralelo a vida artística. Quem retrata ele é Ailton Graça, personificando Carlinhos na vida adulta, mas também fazem o papel de Mussum os atores Thawan Lucas (na infância) e Yuri Marçal (na juventude).

Muitos outros atores são retratados por outros atores, como o caso dos trapalhões onde Renato Aragão (Didi) é retratado por Gero Camilo, Dedé Santana por Felipe Rocha e Mauro (Zacarias) por Gustavo Nader, todos excelentes inclusive.

Por se tratar de uma representação dentro da sétima arte, ver a reencenação de programas de televisão e shows de música, sem usar imagens reais, foi algo lindo. Inclusive, o trabalho para reinterpretar tudo foi tão bem feito, que o resultado ficou com qualidade de documentário, com cenas tão realistas que convencem que tudo foi exatamente daquele jeito.

O interessante disso é que, uma vez que a reprodução televisiva é compatível com o que foi real, quando mostram as cenas de vida do personagem, elas também soam muito reais, aumentando a intensidade das mensagens passadas a todo momento.


Uma História de Vida

O longa de pouco mais de 2 horas mostra todo o crescimento de Antonio Carlos, carregado de humor e drama, e nunca fica chato de assistir. Ele é tão bem estruturado, com cortes bem executados, e uma narrativa clara, que não da pra não se deixar levar pela narrativa.

Em momento algum o filme endeusa o personagem, limitando-se a mostrar ele como uma pessoa real, com erros e acertos, escolhas, e muito disso ocorre com um tipo de metalinguagem implícita em meio aos diálogos e eventos.

O filme fala do alcoolismo dele, sem falar diretamente sobre isso. Ele mostra o personagem bebendo, mostra ele suando bastante, mostra possíveis consequências do excesso, mas em momento algum fala sobre isso.

Os personagens interagem sobre a vida, sobre suas decisões ao longo de suas vidas, tanto em questão de carreira, quanto na vida social, amorosa, e principalmente na vida familiar.

A ligação dele com a mãe recebe um gigantesco destaque, e isso sustenta a mensagem final, assim como os maiores e mais emotivos momentos de todo o filme.

Difícil não sentir a dor junto com as perdas, quase como se fosse nossa vida ali retratada. E isso é algo impagável.


Um Filme de Época

Além da carga dele, há vários eventos históricos mostrados juntamente da evolução de Mussum. O filme acaba não sendo apenas sobre ele, mas sobre a cultura brasileira, a televisão, o cinema, e o mais curioso é que o filme consegue a proeza de falar a respeito disso, e agradar até mesmo quem não gosta de coisas do gênero.

Nem todo mundo é estudante de cinema e entusiasmado com obras tematizadas, na verdade isso afasta uma certa gama de espectadores, que não querem perder tempo assistindo aulas de história. Porém, aqui tudo é mostrado com humor e leveza, retratando situações como se fosse o dia a dia de qualquer um, e fazem isso bem até de mais.

Foi justamente uma cena dessas que me jogou pro filme, pois foi ao assistir a cena de bastidores dos Trapalhões, onde Mussum conhece Zacarias, que eu simplesmente senti obrigação em procurar o filme pra ver tudo o que rolava antes e depois daquilo.

Me senti satisfeito em conhecer o mundo dos artistas pelo outro lado, ver o surgimento de programas televisivos, e o término também, aprender como o mercado funcionava na época e como os contratos eram assinados, e tudo isso enquanto via Carlinhos se transformar em Mussum.


O Amor de Mãe

Por fim, apenas não posso deixar de dizer o quanto me comovi com a proximidade dele com a mãe. Difícil não se identificar com o amor ilustrado, e ainda mis difícil não sofrer por isso.

A mensagem final do filme, sobre o significado da vida, é absolutamente tocante:

"Se você teve escolhas, você viveu bem."

Na verdade mensagens assim existem aos montes ao longo dele, e a cada instante da pra tirar uma lição valiosa. Essa foi a que me prendeu, mas há tantas e tão poderosas que tudo que posso fazer é recomendar que assista.

Nem falo sobre qualidade técnica pois tudo me agradou muito. E olha que eu nem gosto de Samba (tenho problema no pé), e mesmo assim fiquei alegre com o que ouvi, e imerso na obra.

É apenas muito bonito, simples assim.

O filme ta no Telecine (pra assistir fiz uma gambiarra pelo Amazon Prime). Esse é daqueles filmes que vale a pena parar tudo pra acompanhar.

Enfim, é isso.

Só queria falar um pouco a respeito.

Obrigado pela leitura, e se assistiu o filme, me diz o que achou.

Gostaria de saber.

See yah.

Postar um comentário

2 Comentários

  1. Legal, minha mãe é da época do personagem e adorava, depois vou recomendar pra ela. Minha mãe não é muito de filmes, quando colocamos um ela passa na frente da tv vez ou outra,
    depois sai, ignora a maior parte e no final diz que foi horrível kkkk mas acho que esse aí ela pode gostar

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tomara que ela goste hein, quando assistir, me diz o que ela achou por favor.

      Minha mãe só assiste dorama e vídeos no tiktok, então não consigo a opinião dela a respeito... sem contar que quando fui recomendar, ela ainda mandou um "Nem gosto desse personagem". Mas eu disse que o filme ia muito além do personagem, e ela prometeu que um dia, talvez, assistirá.

      Excluir
Emoji
(y)
:)
:(
hihi
:-)
:D
=D
:-d
;(
;-(
@-)
:P
:o
:>)
(o)
:p
(p)
:-s
(m)
8-)
:-t
:-b
b-(
:-#
=p~
x-)
(k)