AnimeMorte: One Piece - 7° Temporada - Ilha das Mulheres - Amazon Lily

Apesar de também fazer parte do arco "Marine Ford", tecnicamente a história da Ilha das Mulheres é um arco a parte, que se destaca por ser a aventura solo de Luffy.

Respondendo o que houve após a trágica separação da tripulação, a jornada dos Chapéu de Palha ganha vários desvios, e destes o principal é o do capitão.


Porém, essa é uma temporada diferente até de mais do que Oda geralmente cria e mostra, com muito mais apelo sexual do que eu imaginaria testemunhar em One Piece, tanto que há até aviso de cenas de nudez antes dos episódios (mesmo que não vá tão além do aceitável).

Mesmo assim, até que é bem engraçada, e importantíssima pro desenvolvimento de One Piece, nem de longe se parecendo com "filler".

Enfim, bora falar mais a respeito, mas serei breve, pois esta temporada é a mais curta até então, com apenas 14 episódios.

Boa leitura.



"Amazon Lily" ou "Ilha das Mulheres" nos revela pra onde cada membro da tripulação foi após o ataque misterioso de Bartholomew Kuma. Curiosamente, é quase como se ele tivesse enviado cada membro pra um lugar que ele sabia que eles deveriam ir.

A maioria dos episódios mostram Luffy, indo parar num lugar completamente inapropriado pra ele, mas que acaba se mostrando algo essencial para que ele cresça, e esse lugar é o que dá título a temporada.


A Ilha das Mulheres é uma terra proibida para homens, habitada apenas por mulheres, poderosíssimas e treinadas em Haki, a técnica que até então ninguém na tripulação dos Chapéu de Palha conhece, mas já enfrentaram várias vezes sem perceber.

Nela, ele precisa descobrir como reencontrar seus companheiros, mas também precisa superar o maior obstáculo de todos: O harém que Sanji provavelmente mais desejou na vida.


Com milhares de mulheres semi nuas que nunca viram um homem na vida, Luffy é assediado sem ligar muito pra elas, e no fim ainda arranja uma namorada de mão única (só ela que tá apaixonada), que pra variar é uma Shichibukai.

O negócio é muito... esquisito. Luffy é inocente e não pensa em coisas adultas, porém é jogado num lugar onde isso o tempo todo é escancarado em nossa cara, quase explícito em certos momentos.


Mas, tudo acontece com o propósito de mostrar como ele se aproxima da Shichibukai, que se apaixona por ele, mesmo ela sendo a "mulher do amor".

Essa aproximação faz com que ele ganhe um aliado poderoso numa guerra que está por vir, e ele mesmo opta por ir pra essa guerra, atrás de Ace, seu irmão.


A notícia sobre a execução pública dele finalmente alcança Luffy, e ele precisa escolher entre procurar seus amigos, ou tentar resgatar Ace, e no fim a decisão dele é a mais fácil, por conta da sua posição, quase como se Kuma tivesse preparado o terreno e os eventos para que ele não tivesse bem o que escolher.


A Aventura de Luffy


O arco em si só mostra Luffy num verdadeiro harém, e há muitas cenas de conotação sexual, inclusive uma dele totalmente nu, na frente da mulherada, falando dos próprios testículos, que elas desconhecem.


Tem cenas em que elas mexem no corpo dele, dão banho, e cara, é tudo bem engraçado (apesar de também esquisito).


Como Luffy não tem malícia, e as mulheres da ilha também não (afinal elas não conhecem homens), fica tudo na piada e inocência, e olha que são todos adultos.


Luffy acaba descobrindo sobre Haki na surra que toma das mulheres, e ao tentar fugir, ele acaba conhecendo a rainha delas, a Rainha Cobra, que tem o simples poder de transformar pessoas que sentem atração física por ela, em pedra.


Boa Hancock, que além de Shichibukai é uma pirata famosa, líder das Kuja, e que ainda é a rainha/imperatriz e guardião da Ilha das mulheres. 


É uma mulher arrogante, quase desprezível, que usa sua beleza pra atrair as pessoas e manipula-las. Apesar de ser respeitada, poderosa, e a imperatriz da Ilha das Mulheres, ela é muito repulsiva em personalidade. Contudo, sua beleza engana a todos.


É uma usuária de Akuma no Mi, mas que na ilha é vista quase como uma deusa, herdeira dos poderes da Medusa, assim como suas irmãs, também usuárias de Akuma no Mi, mas do tipo zoan, e podem se transformar em cobras.


Detalhe legal esse pois, apesar de não existirem duas Akuma no Mi iguais, no caso das de animais, elas tem raças diferentes de um mesmo animal.


O curioso é que no fim da sua história Luffy consegue conquistar a atenção e coração da Rainha da ilha, e sim, ela se apaixona por ele (sendo o primeiro romance real da história). Luffy não sente atração por ela (nem por ninguém aparentemente), então ele não cai no poder dela, e isso faz ela se interessar por ele.


Depois ela simplesmente se apaixona, e passa a fazer tudo o que ele quer, inclusive levando ele escondido embaixo das roupas, junto ao próprio corpo (pro prazer dela), num navio da marinha, pra prisão onde Ace está.


Como Shichibukai, ela foi convocada para ajudar na guerra contra o Barba Branca, mas ela não queria participar (botando o título em jogo inclusive), mas ela aceita só pelo Luffy.


Tudo isso é contado com muito humor, e exageros, mas tem suas cenas épicas, como quando Luffy esconde a marca da escravidão nas costas de uma das irmãs da Cobra.


Isso pois, as três irmãs mentem sobre o poder da Akuma no Mi para o povo, e só assim podem reinar. 


Elas três foram escravas dos Tenryuubitos e, ao saber que Luffy deu um murro em um, elas só aumentam ainda mais o respeito por ele (aquele murro foi satisfatório).


É explicado que escravos deles carregam a marca no corpo, mas tanto a Cobra quanto vários outros, incluindo o novo amigo polvo de Luffy, já foram escravos.  E uma vez escravo de um Tenryuubito, sempre escravo (jamais podendo ser livre, quanto mais reinar).


Mas, outras histórias menores são pinceladas, como o grupo de libertadores de escravos liderados por Homens-Peixes que se desfez, mas foi quem salvou a Cobra quando criança, ou o último Shichibukai ainda não revelado, que parece ser um Homem-Peixe.


Esses casos provavelmente serão melhor explicados no futuro.


O Paradeiro dos Demais


Os últimos episódios do arco contam brevemente onde cada um dos membros do Chapéu de Palha foram parar, e é curioso como seus destinos parecem tender para suas evoluções.


Enquanto Luffy passa a ter mais contato com Haki, e ainda ganha uma forma de chegar em seu irmão, os demais acabam indo pra lugares que parecem melhorar suas habilidades, conhecimentos, e até personalidades.


Aliás, Luffy chega a usar acidentalmente um Haki conhecido como "Haki do Rei". Apenas reis podem fazer isso (Boa Hancock consegue usar), então todas as mulheres se impressionam com isso. É um poder muito parecido com o que o ruivo usou no passado pra salvar Luffy do animal marinho, e também o poder que o braço direito do Rei dos Piratas usou pra fazer todo mundo dormir em Sabaody. Certamente será algo que ele desenvolverá.



Paradeiro de Nami



Nami acorda em uma ilha dos céus, resgatada por um pesquisador meteorologista. 


Curiosamente, isso condiz com as habilidades e gostos dela por previsão do tempo, mas o lugar em que ela foi parar é avançadíssimo, usando tecnologia elemental que ela ainda não entende.


No pouco tempo dela nessa região, ela já aprende a usar técnicas muito mais poderosas com seus bastões, parando inclusive um tornado.


Mas é só o começo de sua aventura. E claro, considerando esse arco, tem uma cena echi dela tomando banho, só pra mostrar a tecnologia das nuvens de banho quente.




Paradeiro de Franky



Franky vai direto pra uma região fria, de tanguinha mesmo, e ele quase morre por causa disso. Porém é salvo por um velho, uma criança, e um cachorro robô. 


Acontece que curiosamente, a ilha na qual ele vai parar é a mais tecnológica da Grand Line!


Estranho justo o ciborgue do grupo ir pra ilha onde ele pode se atualizar, e nem demora muito, pois ele já recebe alguns upgrades, mas com falta de refrigerante, ele sofre também alterações em sua personalidade, ficando muito mais culto graças ao puro chá.


O mais interessante é que essa é a mesma ilha onde aquele criador famoso de tecnologias da marinha, o misterioso Vegapunk, nasceu.



Paradeiro de Chopper


A rena médica foi direto pra uma ilha onde aves gigantes dominam, e onde humanos são tribais. 

    
Ele não é visto como humano, nem como animal, então é caçado por todos.


O curioso é que Chopper sempre se sentiu mal por esse estado dele, e agora ele tem a oportunidade de treinar isso, vivendo direto na natureza, buscando seu próprio espaço em um lugar completamente hostil (não é bem vantajoso, mas pode ser muito bom pra ele).



Paradeiro de Sanji


O cozinheiro tarado foi pra uma ilha onde seu lado pervertido será testado. 


Ao invés de ir pra uma ilha cheia de mulheres poderosas, ele vai parar numa ilha cheia de seres femininos, mas de vários gêneros diferentes.


É uma ilha onde todos se tornam mulheres, mas nem todos são fisicamente mulheres. Então Sanji fica confuso, e vai ter de aprender a lidar com isso.



Paradeiro de Robin



A arqueóloga vai pra uma região histórica, em que a própria história ainda está se construindo a mais de 700 anos. 


Uma ponte, que liga duas ilhas ainda não mencionadas, e que está sendo construída por escravos, prisioneiros, e civis que não concordam com o Governo Mundial.


Tamanha atrocidade é testemunhada por Nico Robin que é capturada, após conhecer uma doce e inocente garota que só quer conhecer o mundo (mas nasceu ali, e nunca terá essa chance). 


E agora, como prisioneira, ela tem de praticamente iniciar, instaurar e liderar uma revolução. Bem a cara da Robin.



Paradeiro de Usopp


Usopp foi pra uma ilha onde deverá sobreviver a todo custo, um arquipélago formado por territórios hostis, onde até plantas são uma ameaça. 


Mas, ele tem um amigo, um cara mascarado chamado Heracles, que surge e poderá ensina-lo suas técnicas de sobrevivência.


Justamente ele terá de se virar em um ambiente tão perigoso, mas também recebe as ferramentas para evoluir em coragem e autonomia.



Paradeiro de Zoro e Perona


E por fim, o espadachim. 


Ele acorda todo quebrado, na ilha sinistra em que minha personagem favorita foi parar, Perona, a usuária da Akuma no Mi Fantasma, que foi a primeira vítima de Kuma lá em Thriller Bark.


Ela havia escolhido a ilha, mas foi forçada a ficar la sozinha.


Porém, com Zoro, ela tem um aliado, e começa a se converter em "boazinha", ajudando ele, curando suas feridas, tentando doma-lo, mas no fim criando uma possível aliança.


Estou torcendo pra ela entrar pra tripulação! (Sonhar nunca é de mais). Apesar dela ser meio possessiva com Zoro e provavelmente ser um baita problema pra ele, afinal quem é seu counter é Usopp.




Paradeiro de Brook


Brook simplesmente é invocado num ritual satânico, numa ilha que está praticamente em meio a guerra civil, a Ilha da Pobreza.


Seus potenciais súditos foram capazes de tentar vender a alma pra derrotar seus inimigos, e por pura coincidência, o caveira humana surge em meio ao ritual (engraçado que assisti isso do lado da minha mãe, e foi difícil explicar).


Apesar dele provavelmente ter conseguido ver calcinhas alheias, ele agora terá de lidar com um culto, e livrar essa terra dos males, mesmo ele sendo visto como um ser maligno erroneamente.




Apenas o Começo


Repare que cada tripulante foi jogado em um ambiente no qual se desenvolverá. Porém estão todos muito dispersos, e tudo que os conecta é o Vivre Card que dividiram pra se encontrar em Sabaody.


Não creio que se encontrarão tão cedo, ainda mais por Luffy estar indo direto pro olho do furacão, resgatar Ace antes da execução mais famosa desde a morte do Rei dos Piratas.

A questão é que não é só isso. Todos estão se mobilizando, afinal o Barba Branca é poderoso e já está iniciando as manobras pra destruir a marinha.


E pra piorar, Ace está mal, e recebe a visita do avô, que apesar de ser da marinha, provavelmente não pode ajudar ele.


No que tudo isso vai dar eu ainda não sei. "Ilha das Mulheres" ou "Amazon Lily" é apenas uma parte do grande arco de Marine Ford. Mas falta muito pra parte realmente importante começar.

O jeito é esperar a Netflix dublar... afinal estou lutando contra minha própria curiosidade. Mas, tem no Crunshyroll... legendado... estou quase assistindo por lá.

Aliás, em termos de mistérios, nada foi de fato respondido. Até o caso do Mantra e do Haki, que parecem ser a mesma coisa, ainda está só por alto. Provavelmente isso será explicado melhor depois, mas agora ficou claro que esse poder é essencial pra Luffy e os demais crescerem.

Enfim é isso.

Obrigado pela leitura.

See yah.

Postar um comentário

6 Comentários

  1. Amazon Lily...
    Tem umas cenas bacanas nessa mini saga, mas o negócio vai pegando fogo a partir das seguintes...
    Gosto muito dessa que vem agora...
    Mesmo parecendo ser muita coincidência aonde cada um foi parar, tem um motivo plausível para isso ter acontecido...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Kuma é estrategista certeza.

      Eu to ansioso pelo próximo arco, na real to me segurando pra não começar a assistir logo do jeito que dá. O famoso time skip tá próximo né?

      Excluir
    2. Eu não me seguraria... porém, pelo que vi na internet, creio que até abril já tenha todas as temporadas de antes do time skip dubladas...

      Essa partezinha que começa agora é a minha favorita de toda a série.

      Excluir
    3. Esperar até abril por dois arcos vai ser fogo de mais. Vi que tem Impel Dawn antes de Marine Ford... E daí fui pesquisar e tudo que ouço falar é "time skip". Sr Sieg nunca fiquei tão ansioso!

      Excluir
  2. Eu tenho o costume de sempre assistir anime legendado, com o tempo acostuma e inclusive passei a preferir assim. Mas tô falando isso só pq quero que veja logo e escreva sobre, senão eu também não vou saber o que aconteceu. Então assiste aí hehehe

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu gosto de assistir legendado também, porém eu fiz um acordo com meu irmão de acompanhar junto dele (e ele só vê dublado pq não enxerga bem), caso contrário eu dou muito spoiler. Acredite, eu conversando sou uma máquina de spoiler sem controle.

      Mas já to assistindo rs.

      Excluir
Emoji
(y)
:)
:(
hihi
:-)
:D
=D
:-d
;(
;-(
@-)
:P
:o
:>)
(o)
:p
(p)
:-s
(m)
8-)
:-t
:-b
b-(
:-#
=p~
x-)
(k)