O Filme Achado de Hoje: The Alien Report - Um Found Footage sem Direção

Um absurdo cinematográfico, que não serve pra nada além de uma exibição de maquiagens e nudez corporal. A história dá sono, se é que tem história, e o máximo que acontece no filme é um monte de recortes aleatórios de filmagens e sons exagerados, postos fora de contexto e misturados, para causar estranheza.


Mas o que conseguem além disso, é causar confusão, e ainda por cima eliminar qualquer semelhança com Terror, Horror, Suspense, Ficção Científica, Thriller ou até mesmo Documentário. O filme finge ser "found footage", sabe até construir boas justificativas para existir, mas ele se perde na parte mais importante de todas: Ser um filme.

Na base da revolta, falarei tudo que achei.

Boa leitura.



Ser um Filme?


Um filme não é só botar efeitos especiais, efeitos práticos e tacar tudo em tela enquanto alguém narra textos dissertativos. Um filme precisa contar uma história, ou no mínimo passar alguma emoção, e não apenas mostrar um monte de coisas soltas e sem lógica.

"Alien Report" nem mesmo consegue se passar como um filme abstrato pois, ele tenta dar sentido pras besteiras que mostra, através da narração. A história em si não é nada de mais, e se bem dirigida poderia muito bem ser boa, ainda mais com as excelentes imagens que produziram.


O erro disso é totalmente do diretor (Patrick Donnelly), pois havia potencial na trama, no conceito, nos efeitos e até na edição. Tem um filme bom escondido nessa bagunça toda, faltou apenas encontra-lo e dar forma a ele.


A História



Um cara é abduzido por aliens desde criança, e tá cansado de ser abusado por eles sem ter provas. Então agora que ele é grande, ele aprendeu a mexer com câmeras, e construiu uma especial escondida em seu Aparelho de Audição, passando a registrar os ET quando é levado pras naves.


Ao invés de levar pras autoridades e denunciar os Alienígenas por abusos, ele opta por postar tudo no YouTube. Como só tem troll na internet, ele decide então rearranjar as imagens que coleta das abduções, como um documentário, de péssima qualidade.

Daí ele investe suas economias em 30 câmeras, instala elas em tudo que é canto, e sai pela cidade andando de bicicleta, caçando os Homens de Preto. 


Isso pois, ele insiste que é perseguido por carros de vidro escuro, e sempre que os encontra eles fogem e depois somem. Então munido de suas câmeras, um aparelho de quebrar vidros de carros, e sua bicicletinha, o caçador de alienígenas sai correndo atrás de carros aleatórios envolto de pura paranoia.

O cara não tem família, não tem amigos, não tem emprego, não tem vida! Tudo que ele faz é andar pela rua caçando carros, enquanto narra imagens aleatórias de alienígenas fazendo testes sexuais nele e em outras pessoas. 


O filme é isso, com algumas boas cenas filmadas, mas encaixadas no pior momento possível, começando pelos ETs.


Os ETs



NA INTRODUÇÃO do longa, já mostram os ETs ali, escancarados, peladões, e ficam com eles encarando a câmera por horas!

O filme inteiro consiste em mostrar o garoto desfilando pelas ruas de bicicleta, paralelo as cenas dele na nave dos ETs, com eles encarando a câmera.


Tudo que os ETs fazem é encarar, e apesar de serem bem maquiados (os efeitos são realmente muito bons, nem parece filme de baixo orçamento), o mistério sobre a existência deles, que deveria ser o sustento do filme, se perde ao taca-los na câmera o tempo inteiro, e por períodos exaustivos de tão longos.


E nem tentam distorcer a imagem ou fazer algo pra fingir que não é fácil tirar fotos e gravar vídeos desses cientistas espaciais. O próprio filme conta que os ETs desligam câmeras e aparelhos eletrônicos com o poder da mente, e só não fazem isso com o Aparelho de Audição pois ele é considerado como "parte do protagonista", tipo um Marca Passo ou um Membro Protético. 


Como um filme, ele deveria se aproveitar desse material para conduzir a narrativa, e assim surpreender, e até mesmo espantar com as aparições, e não apenas escancara-las aleatoriamente. Pior que nem chega a assustar, o filme podia fazer cortes bruscos com aparições rápidas, dando a entender que as imagens teriam se misturado na gravação, mas não, ele opta por deixar os Aliens parados feito dementes, encarando a câmera (sem estranhar ela), enquanto o protagonista nos diz o que estamos assistindo, POIS ELE TAMBÉM ASSISTE!


Em alguns momentos, o filme tenta fazer isso, mas são momentos errados. Como quando um ET entra na casa do cara, vai até a cama dele, e sufoca ele na brutalidade pra levar pro laboratório espacial. A cena em si seria boa, se não estivesse NO FINAL DO FILME, justamente depois do protagonista já ter sido levado pra nave trezentas vezes, e a existência do Alien, assim como sua fisionomia, já ter enjoado de tão constantemente apresentada.


Poderíamos até entender que, durante a edição, a pessoa fictícia que achou o filme e o montou, teria ilustrado as cenas que o protagonista narra para assim dar mais veracidade para o que ele fala, o que em teoria é muito bom. Mas na prática isso apenas não funciona, pois mais parece que ele está editando e narrando o que viu em tempo real, e faz toda a graça do tema "Abdução" se perder.

Se desde o começo já temos certeza que os ETs existem, e são aquilo que ele ta mostrando o tempo todo, porque ficar com medo de aparições? As cenas do carro fantasma de alguém perseguindo e espionando ele, que poderiam ter um mistério grande e até causar certo medo, simplesmente ficam ridículas nesse contexto.


Não há mais mistério, o que vamos esperar? Sem reviravoltas, o filme apenas perde sua única carta na manga, e passa a causar sonolência.

Pois ele não tem ação, não tem diálogos (afinal é só o protagonista no elenco, o resto é tudo coadjuvantes que mal aparecem), não tem nada que prenda nossa atenção.


Filmes assim, a gente quer ver os ET olhudo aparecendo, com de preferência aquela musiquinha do "Gugu"/"Arquivo X" tocando ao fundo. Mas colocar um monte de ET pelado encarando a gente é muito feio, é sério, é muito desagradável de assistir.

Aliás, antes de acabar o filme nos revela que uma das ETs tá grávida do protagonista, numa cena linda que leva dias pra acabar, dele tocando a barriga desnuda dela. 


Ou seja, os ETs fazem experimentos sexuais com os humanos pra procriar, e fazer mais experimentos sexuais com mais humanos. 


Desperdício de Material



Eu imagino como o longa ficaria muito melhor de assistir se, no começo fosse essa parte chata do garoto buscando os carros, e aos poucos descobrindo e comprovando que eles não são normais (como quando o carro some em um beco, e assim que o cara vira pra câmera da bicicleta, aparece um homem estranho atrás dele, num corte rápido e sem explicação nem conclusão), sustentando a teoria principal dele.


E depois sim, a abdução acontecendo, com a primeira aparição dos "Grays" sendo aquele do quarto dele, e depois as cenas rolando em sequência, mostrando um verdadeiro e longo terror em meio ao sequestro espacial, com geral peladão.


O filme se favoreceria ainda mais da proposta de devolver o cara, com as cicatrizes no rosto dos implantes que os aliens fizeram, em pânico sem poder provar o que viu e vivenciou, pela perda das imagens. Imagina se o governo, ou alguém do lado dos Aliens, surgisse e pegasse tudo dele, deixando só aquela que ninguém sabia que ele tinha.


Ele chega a perder os cartões de memória, de tudo que estamos assistindo, mas isso ocorre no tempo errado da história. Ele perde quando ainda está filmando, e até mesmo já ASSISTIU E FEZ UPLOAD das provas de que os alienígenas existem. A ideia era falar que tudo que estamos assistindo, é uma edição feita em cima dos cartões de memória, que alguém achou, combinando os depoimentos dele em seus vídeos, com as bizarras imagens dos aliens. Porém, como ele também interage com essas imagens, essa ideia fica perdida.


Imagino se tivessem feito o oposto, com ele voltando da primeira abdução registrada, ainda vivo é claro, e tentando mostrar pro mundo no YouTube, percebendo que ninguém dava crédito, e só então entrando em pânico.


Nas cenas em que ele diz que não consegue mais dormir por medo de ser abduzido, que procura locais público para descansar, e que ainda está sentido dores pelo corpo das cicatrizes que surgiram, dá pra sentir o que a produção pretendia criar. 


Seria aquela clássica progressão de filmes do gênero, com nada acontecendo no começo, muita dúvida e suspense, e no fim a entrega satisfatória das bizarrices. Essa fórmula sempre é repetida, pelo simples fato de ser o que funciona! 


O diretor quis mudar isso, mérito dele pela audácia, mas a entrega do produto final foi uma tragédia muito mal contada, explorada e editada.



O Pior é o Final



O triste é quando o filme acaba, e nos créditos apenas abandona o gênero. O que era um found footage, morre no instante em que fazem questão de nomear cada um dos coadjuvantes que apareceram, inclusive o pessoal peladão.


E pior que isso, mostram o making-off dos ETs, revelando o pessoal sendo maquiado pra atuar.


Em filmes do gênero Found Footage, a proposta e principal justificativa pra história ser contada com recursos de baixo orçamento, é obrigatoriamente de ser realista. Esse é o mínimo que se espera em algo assim.


Pode ser filme de comédia ou terror, bom ou ruim, o que faz compensar assistir algo mal filmado, é a sensação de que aquilo pode ser real.


Então vem um filme desses, que não engana em momento algum, e simplesmente desiste no fim. Já que não enganou, ele joga a toalha e nos diz "É tudo falso, agradeço a todo esse pessoal pelo apoio".

É triste, só isso. Ao invés de nos prender com teorias, o filme nos rejeita com a mensagem que tudo que assistimos, foram só um monte de imagens cinematografadas. 


E olha que no final dele ainda rola uma ponta pra continuação, com as almas da galera abduzida aparecendo e dizendo que vai apoiar o cara, e um grupo de pessoas achando as filmagens que ele perdeu, para edita-las e levar a público. 


Mas, de que adianta continuar uma trama que finge ser real, mas se auto desmente no fim?!

Se pelo menos a história causasse alguma sensação além de mera confusão, talvez compensaria assistir. Pena que não é assim. 


É só um filme de YouTube... mas eu esperava muito mais... pois ele tinha muito potencial.

É isso.

Foi mal se falei algo que não devia, mas essa foi minha opinião.

Obrigado pela leitura.

See yah.

Postar um comentário

0 Comentários