AnimeMorte: One Piece - 5° Temporada - Arco Thriller Bark

Apesar de até então ser o menor arco em quantidade (menos de 50 episódios, do 326 a 381), ele é um dos mais interessantes, contraditórios, e diferentes que One Piece já mostrou até agora.


No começo pensei que era tudo filler, pois ele parece muito com algo completamente distante de One Piece, mas conforme a história avança, tudo mostra um outro lado que não dávamos atenção até então, e revela que, a história é realmente muito maior do que imaginávamos.

Falarei mais a respeito a seguir, seguindo aquele velho modelo de sempre.

Boa leitura.

Especial de Halloween


"Thriller Bark" é uma temporada/arco estilo "halloween". É quase como um especial do dia das bruxas, mas é uma história oficial do mangá, que diferente daquele arco tosco do Foxy, tem muito pra contar, somar, e implementar no contexto geral do anime.


O mais curioso ao meu ver foi o fato deste ser o arco que explora a evolução dos DEFEITOS dos protagonistas. É o completo oposto do costume, onde a cada nova temporada as histórias evoluem seus personagens mostrando superarem suas falhas e aprimorarem suas virtudes, já aqui o que ocorre é o destaque de todas as falhas de todos dos Chapéu de Palha, e uma amostra de como até isso pode ser útil, nas circunstâncias certas.

Inclusive quando comecei eu pensei "Não tem nada pra evoluir numa aventura assim, acho que nada será ensinado ou aprendido aqui", e fiquei chocado ao ver que, todos os personagens tiveram um enorme crescimento nesse arco, talvez não fisicamente, mas espiritualmente.


Tema este que condiz perfeitamente com a ideia do arco, e também foi abordado no timing ideal para o que virá, pois, essa história chega no exato momento em que tudo em One Piece está prestes a mudar pra sempre.


Muita Morte, sem Mortes


Em meu artigo anterior, cometi o grave erro de dizer "Ninguém morre, que chato", sendo que a morte de Merry era apenas o pontapé pra algo terrível que virá. Condizente com isso, o arco de Thriller Bark nos joga numa matança repleta de corpos, cadáveres e o tema "morte" explícito, apenas pra nos preparar, e preparar os Chapéu de Palha, pra realidade do mundo.


É uma jornada puramente espiritual, e os inimigos vistos aqui não são fortes na questão física, mas em como podem  abalar e mexer com a psique dos protagonistas.


Tenso que, tudo começa bem chatinho. Além de terem mais alguns fillers e filmes pra se pular, como todo o arco original pra Televisão, a história de "Thriller Bark" não começa de um jeito muito empolgante. Na verdade é apressada, sem graça, e já introduz um personagem novo na tripulação, tão rápido que faz todo o esforço de Nico Robin e Franky soar perda de tempo.


Mas, é apenas um método para nos desconcentrar, e não permitir que antecipemos o que ocorrerá. Pois, apesar da fórmula ser exatamente a mesma de sempre, com uma introdução em um ambiente "acolhedor" porém misterioso, depois um problema grande surgindo que abale todos do bando, e por fim as sequências de combates épicos mas igualmente esticados para render tempo de tela, tudo funciona de forma estranhamente distorcida.


A temática é com terror, mas não assusta. Ainda assim, apela muito pro sobrenatural, que demora um pouco pra ser explicado (mas é explicado). Ainda por cima com a introdução de Zumbis, e até pessoas imortais, toda a ideia de morte cai por terra (o que apenas reduz muito mais as chances de baixas ocorrerem futuramente).

Até o Going Merry volta! De outra forma sim, mas rompendo com o luto bruscamente, e dando a impressão de que não há consequências irreversíveis. Porém, é tudo uma impressão, um conforto prévio que vai sumindo conforme a verdade surge.


Quando nos tocamos que toda a proposta desse arco é mostrar justamente como a morte, o fim, a perda e o luto é pesado, ai a gente começa a sofrer por antecipação.

É que, uma vez que eles se dão ao trabalho de explicar que não há forma de reverter a morte, e que caso isso seja feito, tudo só vai piorar... bem... isso é uma mensagem para que nos preparemos, mensagem essa que eu captei bem, e já estou temente pelo que pode acontecer, ainda mais com as citações ao Ace, ainda um mistério completo sobre seu paradeiro.


Muito Flashback


Uma falha terrível deste arco é a quantidade absurda de flashback e repetições. Acabou se tornando tão comum, que são muitos os episódios que começam só depois de 15 minutos de introdução. Considerando que o tempo médio de episódio é 20 minutos, imagina a frustração!


E o pior é que nem da pra pular os episódios, pois os 5 minutos de história costumam ser importantes, mesmo que posteriormente se repitam umas 3 ou 4 vezes.

Os detalhes importam, aparentemente, e a impressão que fica é que os animadores pegam 2 ou 3 quadros de uma página do mangá, e dão movimento pra eles, repetindo várias vezes, mudando ângulos, fazendo aproximações, e enrolando pra consumir tempo de tela e render mais e mais episódios.


Daria facilmente pra cortar tudo isso, e o anime cairia de 300 episódios pra 50. Aliás, eu estou assistindo as sagas já animadas, e prontas, mas imagina a tortura de quem acompanhou isso episódio por episódio. É muito frustrante.


A Evolução dos Personagens


Brook


Geralmente eu começaria pelo capitão, mas tecnicamente Brook é um capitão. Esse que era um personagem que sempre me chamou a atenção (já vi seu design antes), é o novo membro da tripulação, recrutado ainda nos primeiros episódios.


É um pouco estranho isso, já que Franky e Nico tiveram temporadas inteiras para serem incluídos no time, e mal foram explorados ainda. Porém, Brook é adicionado apenas por ser um esqueletão.

Além disso, ele conta duas histórias totalmente absurdas sobre sua origem, e levanta suspeitas pela facilidade com que aceita entrar pro grupo. Claro que isso não é sustentado (numa continuidade bem ruim de eventos) e ele deixa o bando, atraindo todos pra um lugar que eles iriam de qualquer forma.


Brook é encontrado em águas sombrias repletas de neblina, caminho esse obrigatório pra chegar na próxima ilha. Essa região, chamada de Triangulo de Florian (inspiradíssimo no Triângulo das Bermudas), é um local assombroso, e essa recepção já mostra tudo o que todos enfrentarão.


Ele é um usuário de Akuma no Mi, que comeu a fruta da Ressurreição. Porém ele não sabia de seu efeito até morrer. Quando morreu, ao lado de toda sua tripulação, apenas ele voltou, um ano depois, com seu corpo decomposto.

Assim, ele é tecnicamente imortal, mas não tem certeza por isso teme morrer, e permaneceu ali naquelas águas por 50 anos, navegando no que restou de seu navio, um verdadeiro navio fantasma.


Porém, isso não é tudo, pois ele também não tem sombra ou reflexo, e isso não tem relação com sua fruta. Na verdade, ele também foi vítima de um pirata que rouba sombras, ali naquelas águas, e vive escondido da luz do dia, pois uma vez que não tem sombra, seu corpo seria destruído caso entrasse em contato com a luz do sol.

Logo, Brook é um morto vivo vampiro, e é só a introdução para as bizarrices que surgiriam diante a tripulação.


Mas, depois de superarem tudo que a "Thriller Bark" traz, sendo este uma ilha ambulante assombrada por mortos vivos e monstros, que na verdade é o maior barco do mundo, Brook é auxiliado, tem sua sombra recuperada, e entra pro bando definitivamente.

O problema é que ele é um zero a esquerda a princípio. Nada nele realmente parece adicionar ao grupo. Ele é músico, mas além de "música" não ser uma das coisas mais importantes nas aventuras dos Chapéu de Palha, já tem um músico no time, recém adicionado, o Franky.


É que, Franky gosta de tocar músicas pra expor seus sentimentos, com um violãozinho dele. Na lógica, ele já supre a falta de um músico pirata (algo que Luffy comentou apenas umas 3 vezes ao longo de toda sua jornada).


Tem mais, o estilo de luta de Brook é esgrima, e ele é um famoso espadachim do passado, mas já existe o Zoro no time com a função de espadachim.


Brook é pervertido, um tiozinho safado que pede pra ver as calcinhas alheias, mas já tem um tarado no time, o Sanji.


Ele também é engraçadão, atrapalhado e medroso, mas ironicamente também já tem alguém com essa função no time, o próprio Usopp.

E por ai vai, fazendo parecer que Brook é um peso morto pro time... literalmente.


Mas é apenas o começo da história é claro, tem muito mar pro Brook se provar.

Aliás, é respondida uma das dúvidas mais antigas do anime, o que pra mim foi um pouco desanimador, mas depois explico o que.


Monkey D. Luffy


O capitão tem como maior defeito sua ingenuidade, e também falta de seriedade. Como Luffy sempre age antes de pensar (se é que pensa), e ainda é obcecado por seus sonhos, isso acaba colocando ele numa posição vantajosa nessa história, ao invés do que costuma acontecer.


A trama é sobre o grupo entrando em uma ilha repleta de mortos-vivos, mas Luffy não perde tempo brincando e vai direto pro chefão. Isso é uma sábia decisão equivocada, que acarreta nele sendo capturado, e posteriormente transformado em um vilão.


O legal da saga é isso, o pirata que rouba sombras usa elas para dar vida a cadáveres, unindo a força física do corpo ressuscitado, com o espírito de luta do dono da sombra. Assim, ele pensa em fazer um antigo gigante lendário, ganhar a força de Luffy, e até consegue, mas também faz ele receber um pouco da personalidade do capitão.


Assim, o gigante renasce, mas distraído, facilmente confundível, e muito bobo. Demora até ele se estabilizar e levar as coisas a sério, mas até isso acontecer, a tripulação do Chapéu de Palha fica repleta de vantagens na luta, conseguindo superar o que seria insuperável.


Outra coisa que se destaca em Luffy é o hábito de fazer seu corpo ir ao extremo, sem se importar com as consequências. Isso acaba servindo bem aqui, pois além dele liberar uma forma nova e totalmente temporária (o Nightmare Luffy), ele também mostra pra todos na tripulação o quanto é qualificado pra ser o capitão, e o tanto de dor que carrega por todos.


O "Nightmare Luffy" é apenas uma forma muito poderosa que ele adquire quando absorve 100 sombras alheias. 


A descoberta de que as sombras também carregavam uma cópia do poder de luta das pessoas, e técnicas, faz com que Luffy (com ajuda de alguns coadjuvantes) consiga atingir uma força inigualável, usando o poder do inimigo contra ele.


Pura negligência, incorporar a força do inimigo em si, mas até isso ajuda a vencer, pois quando o inimigo tenta imitar Luffy (afinal, as sombras eram poder dele), isso é o que o derrota.


Aliás, Luffy também usa o Gear Second e o Gear Third, inclusive usa ambos ao mesmo tempo. A sorte dele é que quem recebe as consequências é Zoro.



Roronoa Zoro


Depois de perder uma de suas espadas, Zoro ficou naturalmente mais fraco, mas ele contorna isso obtendo uma nova lâmina, de um dos zumbis mais fortes.


Na lógica, ele nunca descobriria isso, se não fosse sua obsessão cega por duelos. O Espadachim que ele enfrenta, é o zumbi que tem a sombra de Brook, e o enfrentamento nem se dá pela sombra, ou pela espada, mas sim pelo desejo de enfrentar uma lenda.


Isso acarreta em Zoro encontrando uma espada de lâmina negra lendária e pesada, que servirá a ele para melhorar ainda mais suas técnicas.


Paralelo a isso, Zoro também salva Luffy de uma morte certa, se colocando no lugar dele. Zoro acaba tendo de receber toda a dor acumulada da luta de Luffy para si, o que praticamente esquarteja seu corpo.


Mas ele resiste, por causa de sua teimosia e casca grossa, e incapacidade de aceitar a derrota. Isso faz ele ser muito mais poderoso, e também demonstra o tamanho do respeito que ele tem pelo capitão.


Dr. Chopper



Apesar de não ser ainda um personagem forte do grupo, agora Chopper tem sua mentalidade posta em jogo. Seu respeito por um antigo médico renomado chamado Dr. Hogback, que por sua vez passou a estudar como fazer ressurreição (usando a técnica do chefão com manipulação de sombras para isso), acaba caindo por terra quando ele próprio testemunha a crueldade envolvida nesse tipo de estudo.


Exumar corpos, costura-los e remonta-los para usar como receptáculo de sombras, é desumano. E isso é muito mostrado justamente para fazer Chopper pensar sobre os limites da medicina.


Seu respeito logo dá lugar a repúdio, e seu ídolo se converte em inimigo. 

Até chegar nele, Chopper é aterrorizado pelos males da ilha, ao lado de Nami e Usopp, o trio de desbravadores mais fracos e covardes, que inclusive são os primeiros a explorar a ilha. 


Aliás, a ilha tem forte influencia de contos como "O Monstro de Frankenstein" e "A Ilha de Dr. Moreau". Seria inclusive uma mistura dessas duas ideias, onde os zumbis seriam inspirados no monstro, com corpos costurados e modificados para andarem novamente, e algumas criaturas seriam híbrido de humanos com animais, costurados e também modificados para serem melhores que apenas humanos.



Namizo


O lado interesseiro de Nami é aquele que a coloca no rumo certo, a fazendo recuperar tudo o que foi roubado de seu navio, sem ela nem saber disso.


E em termos de combate, ela não cresceu tanto, mantendo suas técnicas tempestuais e elétricas, isso quando ela acorda. Boa parte do arco ela fica desmaiada.


O destaque nela fica pra amizade que faz com o inimigo, pra tirar proveito e encontrar tesouros. Essa amizade, onde ela se apresenta como "Namizo", apesar de ser falsa no começo, se torna real depois, e o inimigo vira um baita aliado.


Tanto a sombra dele, quanto o original. Acontece que as pessoas que tinham a sombra retirada e colocada num zumbi, não eram exatamente como os zumbis. Mas, as personalidades coincidiam, e a ligação entre sombra e corpo original se mantinha independente do quanto afastados estivessem.


Isso faz com que a personagem Lola seja muito parecida, tanto enquanto zumbi hipopótamo, quanto capitã de sobreviventes da ilha, e a amizade delas duas acaba chegando até o corpo real da capitã, que posteriormente vira um dos poucos amigos reais de Nami.


Seu nome, "Namizo", é algo fictício que ela usa pra se passar por um homem, apenas em palavras, e convencer a hipopótamo zumbi que ela não é uma ameaça pro seu romance. É tudo uma besteirada.


Aliás, um cara por quem Lola era apaixonada, tenta abusar de Nami, e até tenta casar com ela, tudo forçado. O cara ainda por cima tem o poder de ficar invisível, o que só torna ele ainda mais doentio.


Quando ele aparece, tentam fazer algumas piadas Echi, e até rola nudez total da Nami (claro que censurada pela posição de câmera e vapor). Isso acaba não combinando com os traços do Oda (na minha opinião). Fico me perguntando como o homem fera invisível tapou a boca da Nami se ele estava usando as duas mãos pra segurar ela contra a parede. No mangá também tem a mesma cena.


Não apenas isso, há piadas escatológicas, de peido, e com duplo sentido. Chega a ser bem esquisito de assistir.



Usopp/Sogeking


Esse evoluiu muito, sem mudar nada! Usopp descobriu que seu pessimismo, sua fraqueza e sua insegurança o tornam poderosíssimo, nas circunstâncias certas, encontrando inclusive alguém que ninguém, além dele, seria capaz de vencer.


Uma usuária de Akuma no Mi, dos tipos mais fortes, a do Fantasma, que a permitia controlar o espírito de luta do inimigo. 


Na lógica, ela tirava toda a vontade de viver de quem quisesse, jogando-o em uma depressão profunda, mas Usopp é naturalmente imune a isso, por já ser depressivo ao extremo.


É curioso que, normalmente não "shipo" personagens, mas Perona e Usopp formam um casal fofíssimo. E olha que sei que o amor da vida dele é a garota de sua ilha natal, mas ao mesmo tempo, vi uma química surreal entre ele e Perona.


Ela sente pena de Usopp ao vê-lo resistir ao seu poder, e até o apoia. Depois disso mesmo levando a luta a sério, ela apanha feio, perdendo pra estratégia dele, pras técnicas e pra insegurança de Usopp. É simplesmente um dos combates mais divertidos de se assistir, pois Usopp vence de verdade, sem precisar de "ajuda do roteiro", e sem ter poderes especiais surgindo do nada.


Tirando é claro sua segunda personalidade, que o ajuda a se motivar. Sogeking agora é mais que só um disfarce, é o início da bipolaridade de Usopp. Ele não fica mais corajoso quando veste a máscara, mas ele se sente mais confiante, e isso basta pra fazer parecer outra pessoa.


O pouco que é mostrado de Sogeking, o Rei dos Atiradores, já é o bastante pra criar precedentes de um guerreiro mascarado poderosíssimo. Além disso, Usopp faz valer seu título, e realmente é um tremendo atirador. Usando os Dials em um super estilingue, ele ficou muito mais poderoso, desde que não seja posto na frente de batalha.


E detalhe, ele ganha da garota sem machuca-la. Ele vence mentindo, atirando, fugindo, chorando. Usopp vence sendo Usopp.



Sanji


O lado pervertido de Sanji é o que se sobressai aqui. Tanto seu cavalheirismo exagerado (até com inimigas) e seus hábitos safados, acabam virando uma arma que ajuda o grupo.


Primeiro por conta de sua sombra, retirada e posta em um corpo de Pinguim com cara de Cachorro, que acaba sendo um cavaleiro com Nami e evita ataca-la.


Depois, ele acaba ficando tão possesso em encontra Nami, que liberta uma fera interior flamejante (que na verdade é só exagero gráfico), parecendo até o Ace com fogo. Ele derrota um dos inimigos mais fortes da ilha graças a esse poder, se superando nos chutes.


O inimigo era o homem invisível, um usuário da Akuma no Mi da Invisibilidade, que inclusive era algo que Sanji desejava secretamente. Aliás, é mais uma vez mencionada a Enciclopédia de Akuma no Mi, com Sanji dizendo que o fato desse cara ter comido a única fruta que ele queria, arruinou um de seus sonhos (nunca nem citado antes).


O Homem Invisível tem a personalidade parecida com a de Sanji, é pervertido, espiona garotas no banho (faz isso com Nami também) e é abusivo de mais. Ele tenta forçar casamento com a Nami desacordada, mas Sanji a salva, sem ela nem saber.


Esse cara também tem uma modificação física com partes e músculos de animais inseridos cirurgicamente em seu corpo, pelo médico da ilha. Isso mostra que também há a possibilidade de infundir poderes nos usuários de Akuma no Mi, e melhora-los além do limite.



Nico Robin


Nico Robin agora está mais solta, apesar de ainda não ser tão expressiva. Ela já chama todos na tripulação pelos nomes (algo que ela não fazia antes), e ainda tenta melhorar seus poderes. 


Suas habilidades agora estão muito mais dinâmicas. Ela é capaz de criar asas de mãos, e voar por 5 segundos, ficando fraca depois, mas se recuperando rápido até.


E também pode criar "membros" maiores aglomerando suas partes juntas pra formar algo grande. Tudo isso gasta muita energia, mas ela parece estar evoluindo rápido.


Nunca vejo romance em One Piece, mas esse arco é um prato cheio pra shipar a galera. Enquanto a química de Nami e Sanji é inexistente, Nico e Franky parecem um casal perfeito.


Vistos lado a lado várias vezes (quase todos os eventos são com eles em dupla), eles se dão muito bem, muito fácil, e parecem realmente se gostarem (mesmo que não haja indiretas pra isso). 


Um confia plenamente no outro, e parece haver até admiração entre eles. Sei lá, parecem muito um casal.


Franky


Falando dele, o cara mal entrou e já tem que competir por atenção com mais um membro novo. Porém, Franky é único, e insubstituível, não só pela sua maquinaria pesada acoplada, ou seu humor descarado. Ele é um carpinteiro, e faz isso valer e fazer a diferença.


Ele constrói cosias no meio da batalha, mais de uma vez, e realmente é crucial pro progresso da aventura. O cara faz mó ponte com escombros, em segundos, e isso salva a todos. Sem contar que ele tem ideias em tempo real, que tornam sua parceria com Usopp muito promissora.


Falando em parceria, com a chegada de Franky, todos na tripulação parecem ter curtido a ideia de se unirem. Eles lutam juntos, formam combos, combinam suas habilidades e mais de uma vez são vistos colaborando uns com os outros.


Nem todas as combinações são uteis ou bem sucedidas, mas só de ver a tripulação lutando em conjunto, percebe-se o quanto ele os influenciou com suas táticas.


Aliás, no final do arco, surge outro Cyborgue, que é muito mais forte que ele, mas é muito breve. É um dos Shichibukais, e ainda um servo do Governo Mundial, que só não aniquila a ilha inteira pois é desafiado pelo Zoro. Talvez ele se inspire em algumas de suas características.



Thousand Sunny


O navio que substituiu Merry é muito eficiente. Ele tem um sistema de docas, que pode liberar embarcações menores para missões fora dele. 


Uma libera um Tubarão Submarino pra missões subaquáticas.


Outra libera o Waver de Nami, modificado por Franky.


E uma libera o Mini Going Merry, um barco construído por Franky, em homenagem ao Going Merry, para transporte de 4 membros.


Ainda tem o sistema de Rodas, para locomoção motorizada pelo mar, e o sistema de propulsão por gás, que faz o barco sair voando.


É um senhor navio, e a tendência é ficar ainda melhor com o tempo, pois Franky está sempre se aprimorando e tendo ideias.



Mistérios e Respostas


Os Shichibukais


A tripulação acaba dando de cara com um Shichibukai, um pirata chamado Gecko Moria, que mais parece um vampiro gigante. Ele tem como poder a Akuma no Mi das Sombras, e pode manipular sombras como bem entender.


É interessante ele surgir justo agora, pois outro Shichibukai é o Barba Negra, que entrou no lugar do Crocodile. O curioso é o fato do Barba Negra usar a Akuma no Mi das Trevas, que difere da das Sombras pelo tipo de Akuma no Mi. A das Sombras é uma Paramecia, a das Trevas é uma Logia.


O poder das sombras dá controle pelas sobras alheias, e não pela escuridão. Enquanto a das Trevas dá controle absoluto sobre a escuridão, permitindo o usuário a se transformar e controlar as trevas, como um "Homem Trevas".


Os dois tipos são apavorantes, e tem muitos usos, e ainda por cima os dois aparecem praticamente juntos na história. Enquanto Ace enfrentava o Barba Negra, Luffy enfrentava Gecko Moria.

E não é o único Shichibukai a aparecer, outro que surge é o Bartholomew Kuma, o cyrborgue do governo, modificado pelo cientista lendário da marinha chamado Vegapunk (ainda meramente citado), que pra piorar é usuário da Akuma no Mi da Pata.


Ele pode usar patas que tem nas mãos para repelir qualquer coisa que queira, como o ar, a dor alheia, energia, e o próprio espaço. Ele é extremamente forte, e ainda é mandado pra executar Luffy antes dele derrotar outro Shichibukai.


Porém, ele desobedece as ordens no fim, com Zoro pedindo pra ser levado no lugar do capitão. Kuma chega a recusar a proposta, mas ele diz que os libertaria caso Zoro sobrevivesse a toda a dor acumulada no corpo de Luffy.


Zoro sobrevive.


Outros Shichibukais já foram vistos, como o Flamingo, um que pode manipular o corpo de qualquer pessoa, e o Mihawk, quem Zoro sonha em derrotar.



Laboon, A Baleia Gigante da Promessa



Tem a Baleia Gigante do início da segunda temporada. Laboon batia sua cabeça contra a entrada da Grand Line, enquanto esperava por seus antigos amigos piratas que prometeram voltar. Eu jurava que, por causa da data ,era o próprio Gol D. Roger o pirata amigo dela, mas na verdade era Brook.


É revelado que Brook fazia parte da tripulação que havia prometido voltar por ela, e tem uns 5 episódios só lembrando disso. Aliás, um episódio INTEIRO é recapitulação narrada do episódio de Laboon.


A questão é que, Brook foi o único sobrevivente da tripulação, e agora entra pros Chapéu de Palha com o sonho de dar a volta na Grand Line e reencontrar Laboon.


Sendo sincero, achei bem bobinha a história. Jurava que teria algo muito maior, e é tocante sim ver como tudo aconteceu, mas ao mesmo tempo é muito demorado pra explicar nada com nada. Mas o final, com a música de Brook, é bem... pesado, e memorável.


Brook era de uma tripulação completamente genérica, seu capitão era totalmente genérico, não tinha nada de especial nele (nem sei como chegaram tão longe na Grand Line), e no fim eles perdem o capitão pra uma doença, e Brook que assume o comando, sendo que ele era só o músico da tripulação.


Tudo jogado, contado de qualquer jeito, achei que seria algo muito maior. Torcendo pra outras revelações não serem decepcionantes.


As Testemunhas


Um mistério fica no ar, que é a questão dos sobreviventes das Sombras. Tipo, como Moria é derrotado, ele perde todas as sombras que possuía, que voltam aos seus respectivos donos pelo mundo.


O problema é que o Governo Mundial declara que a derrota dele não pode vir a público, e todos que sobreviveram devem morrer como queima de arquivo, incluindo a Tripulação do Chapéu de Palha, e todo que salvaram.

Mas isso não acontece, pelo menos não em tela.


Quem recebe a ordem (o Kuma) liberta a todos, e vai embora sem mata-los.


Eles acabam voltando pra neblina depois, e uma criatura gigante aparece atrás deles (dita como um mal que existiu lá muito antes do Thriller Bark, o navio de Moria), e fica por isso. Na lógica eles seriam arrastados pra algum tormento e sumiriam pra sempre, mas enquanto aos muitos outros que recuperaram suas sombras?


Forma mais de mil sombras devolvidas, e algumas memórias viajam com elas. Então, é mais do que óbvio que perceberiam que Moria foi derrotado. Mas, não houve consequências ainda.


Vivre Card


O papel que Ace deu pra Luffy na segunda temporada, tem seu significado explicado. Lola da um pra Nami também, e ela conta que esse é um item do Novo Mundo.


É um pedaço de papel, conectado com o DNA de seu dono. Assim, caso ele seja rasgado, suas metades se atraem independente de onde estejam, funcionando como um tipo de bússola para revelar onde seus amigos e familiares estão, para que possam ser reencontrados na Grand Line (mesmo sem um Eternal Pose).


A questão é que o de Ace começa a sumir com fogo, o que seria impossível (eles não podem ser queimados), mostrando que Ace estava em perigo.

Só que Luffy decide não levar isso a sério e continuar sua jornada, sem nem ter ideia do que seu irmão está passando. 


O Paradeiro de Perona


Cara, ela sumiu legal por confrontar o Shichibukai das patas. Ele fez ela desaparecer da face da terra, e não é explicado pra onde ela foi.


Me preocupo por ela pois, ela precisa aparecer mais (apenas virou minha personagem favorita, simples assim)! Diferente por exemplo do Doutor maluco dos zumbis, que merecia ter morrido mas escapa, ou o Homem Invisível, também descartável.


Mais uma vez, ninguém morre, tirando os muitos zumbis (que o anime faz nem serem tão interessantes para descarta-los). Além disso, suas memórias em parte voltaram com as sombras para seus donos, então é como se nunca tivessem morrido.


E aliás, uma forma que encontram de derrotar os zumbis é usando Sal, que anula o poder do Moria sobre as sombras, se for na quantidade ideal, pois teria o mesmo efeito da água do mar. Curiosamente, isso significaria que caso alguém que comeu a fruta do diabo coma muito sal, essa pessoa teria seu poder enfraquecido. Mas essa lógica talvez só se aplique aos zumbis, por uma questão até meio mística.


E bem, Thriller Bark, o maior navio do mundo que é basicamente uma ilha dos horrores, termina com muita destruição, mas zero baixas.

Luffy e os outros escapam de uma luta impossível de vencer, mas o destino parece muito perigoso, ainda mais com os alertas do próprio Moria sobre as dificuldades do Novo Mundo, que nem ele venceu.


Moria sobrevive aliás, e nem é deposto de sua posição como Shichibukai, afinal não querem dar crédito à vitória de Luffy. 


E Ace foi capturado pelo Barba Negra, como um de seus primeiros trabalhos na cadeira dos Shichibukais.

O que virá agora eu não sei, mas parece que coisa sombrias vão rolar.

See yah!

Postar um comentário

12 Comentários

  1. Meu Deus você se rendeu a One piece...estou chocado mano! kkkkkkk.
    Nunca achei que você era muito um cara de animes, ai agora eu entro no blog e vejo que tu já assistiu quase 400 eps KKKKKKKKKKKK Meu Deus eu to chocado de verdade (não posso ficar mais de 2 dias sem entrar no blog que você aparece sendo um otaku mano)
    Um dia, UM DIA, talvez daqui a uns anos, eu dou uma chance pra one piece, posso me apaixonar ou odiar, acho que não é muito a minha cara (até porque eu nem assisto anime)
    Mas até lá vou continuar lendo tu escrever sobre (mesmo sem entender nem um caralho de informação rs).

    É isso, see yah!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pior que se parar pra pensar, já foram quase 400 episódios... nem eu imaginaria que chegaria tão longe. Mas o anime segura a gente... tirando os fillers e flashbacks, é mó legal a história.

      O enredo de One Piece é todo costurado, pouco a pouco partes novas vão sendo encaixadas pra formar o todo. Acho que nem eu entendo direito ainda. Não faço a menor ideia do que esperar.

      Sr Wilson, see yah e obrigado mano.

      Excluir
  2. pt 1
    Olha só... 2 analises de One Piece no mesmo mês... que interessante... eu me empolguei tanto no futurama que avancei 5 temporadas já (referencias kkk) então é entendível isso...
    Vamos lá... Thriller Bark... não é minha temporada favorita, mas gosto mais dela do que a anterior por exemplo... Aparece a Peroninha... Kuma também... O samurai Ryuma... Brook... Lola... muito personagem legal.

    Tem muito humor nessa temporada, as piadas com os zumbis e criaturas são tops

    Vamos seguindo em ordem:

    Flashbacks...
    É um recurso muito útil, porém nesse caso muito utilizado, e a série vai usar bastante isso para puxar muito do que já vimos e vamos acabar revendo no decorrer da série... o ponto é que quando elas incrementam até são aceitáveis... porém tem alguns pontos em que vai realmente encher o saco...

    Brook...
    Eu gosto e não gosto do Brook... no inicio não curtia muito, porém, mais adiante ele tem seus momentos de brilho e é interessante ver a evolução da Akuma no mi dele e suas habilidades de esgrima (hoje em dia curto bastante esgrima)... quanto a seu papel como músico, é dele de fato... Apesar do Franky fazer suas pontas nisso, mais pra frente ele abandona por completo e fica com o cargo de reparador apenas.
    Fora que por causa dele se apresenta o samurai Ryuma, esse personagem vem de uma outra obra do Oda, é apenas uma história curta que conta o passado dele, então é interessante ver essa participação de quando o Oda ainda não produzia a série One Piece, o mangá você encontra como Wanted, é um compilado de pequenas obras do autor.
    Fora que Ryuma e a nova espada do Zoro tem uma importância gigantesca no futuro da obra.

    Cara, gosto muito do Luffy Nightmare, até ganha uma ponta de espadachim, Inclusive lembre bem desse dia que o luffy empunhou uma espada pela primeira vez... referências futuras virão kkk

    Zoro... praticamente vem dessa cena com o Kuma o quanto o povo endeusa o Zoro... é entendível o quanto ele suporta... porém vamos com calma, o cara é foda mas mantenhamos o pé no chão kk

    Sanji... Seu ódio por não ter conseguido a Akuma no Mi na invisibilidade vai ter retorno mais para frente... até mais do que seu próprio sonho de conhecer o All Blue...

    Nami... Nami mesmo não sendo uma super personagem, tem essas cenas com a Lola que gosto muito, principalmente aquela que a Lola deveria reagir mal a saber que a Nami é mulher e ainda assim trata ela com o maior carinho... (tenho muita raiva do maldito bicho que a trata mal).
    Lola e o Vivre Card dela vão ter muita importância ainda, e tem 2 histórias de capa dela no mangá que são bem legais de acompanhar. (divertidas e que trazem uns spoilers de coisa que até hoje tem gente que pode não saber).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. pt 2
      Chopper... legal ter um vilão médico para ter esse conflito com o Chopper, porém o bixinho ainda vai sofrer pra se destacar na série... ele só tem serventia como suporte passivo e ainda assim são poucas as vezes que ele vai roubar os holofotes pra ele...

      Franky e Nico Robin... desde aí você já vai notando que eles tem uma quimica e que é até mais explorado em alguns pontos mais adiante, é legal ver como ele consegue bolar umas soluções criativas para construir coisas... e mais a frente ele conseguirá evoluir bastante disso e a robin também tem muito a evoluir ainda, porém é legal ver como mudou a maneira dela se relacionar com todos.

      Usopp/Sogeking... O grande herói retorna... Eu amo essa batalha que o Usopp tem com a perona, muito divertida (Ps. Eu também shippo a perona com o Usopp, inclusive os unicos figures que tenho de One Piece são justamente deles... tenho 1 Usopp, 1 Sogeking e 5 Peronas), incrivel ver como o Usopp derrota ela apenas com suas táticas loucas mesmo depois de sofrer muito.

      Quanto ao Going Merry... ele tem muitos aparatos que podem ser usados, bem legal ver a dedicação que o Franky e os demais carpinteiros colocaram nele para recordar o Merry e ao mesmo tempo incrementar o poder do navio fazendo ele ter alguns pontos chave ao chegar e sair de situações mais adiante.

      Shichibukais... Gecko Moria por mais idiota que pareça no momento, travou uma batalha pesada no passado com um personagem bem importante, se não me engano os detalhes serão revelados mais adiante... Kuma é um personagem que vez ou outra vai aparecer a partir de agora e que sua importância vai aumentar mais e mais... Os demais Shichibukais que faltam também logo vão aparecer.

      Quanto a tripulação do Moria, todos os que apareceram ainda vão ter alguma relevância futura, mesmo que curta, você vai saber o destino de cada um.

      Muita coisa legal vem dessa temporada... e as que vem agora em sequência são bem interessantes.

      Excluir
    2. Ahhh eu amo comentários tão complementares assim! Eu não fazia a menor ideia que o samurai que enfrentou Zoro era até de outra história. Pensei comigo "Será que cito o nome dele? Vai que no futuro contam mais do passado dele... pareceu importante" mas também pensei "Ah, se um dia forem falar dele, vão fazer uns 15 flashback de qualquer forma, deixa pra essa época".

      A vantagem dos flashbacks ai... poupa trabalho de lembrar. Mas te juro que, podiam cortar hein.

      Eu imagino o estrago que Luffy faria com espadas. E digo mais, eu fico pensando se há a possibilidade dele usar espada de metal que anula poder da Akuma no Mi. O Zoro mesmo podia fazer o mesmo (achei que a nova espada dele teria esse metal). Seria um jeito de criar um super counter e vantagem.

      Poxa, imagina o Franky feito só desse metal! Cara, eles tão perdendo é tempo. Depois que a Nami ouviu da Marinha que esse metal é usado pra afastar os Rei dos Mares nos navios da Marinha, ela devia já ter mexido os pauzinhos pra adquirir um pouco desse material. Aliás, foi algo que esqueci de mencionar lá na quarta temporada...

      Excluir
    3. Aha! Então não fui só eu quem notou os romances em evolução do Franky/Nico e Perona/Usopp... aliás... 5 só da Perona!? Caraca mano! Isso que é curtir a personagem. Eu confesso que to pensando em fazer uma escultura dela... então não te julgo.

      Torço pra ela voltar, queria inclusive que ela entrasse pra tripulação viu. E digo mais, acredito que Oda só tirou ela aqui, pois se ela entrasse junto do Brook ia puxar muita a atenção pra si. Mas a esperança é a última que morre! Deixe-me sonhar.

      Brook é tenso, eu adoro o design dele, a caveira com black power, eu antes achava que era o Usopp sabia?! Tipo, ele depois de morrer, por achar o cabelo parecido. Mas não, ele é muito diferente.

      Gostei do charme dele, todo culto. No pouco que li do mangá por curiosidade, vi que as falas dele são todas formais, até mais que na dublagem. Mas ainda acho que ele tem de lutar pra merecer um lugar no bando, e até agora eu não vi muito significado nele.

      O Franky por exemplo, o cara simplesmente chegou com tudo, já melhorou em 700% a dinâmica do time, só com as ideias dele. E Nico sendo mais simpática, mas ainda meio distante, passa o recado de que ela tá buscando se incluir no time. Eu fiquei feliz quando ela chamou a galera pelos nomes... tem um baita significado.

      Enfim, to assistindo mais.

      Excluir
    4. Tem saga mais pra frente que tem uns 5 episódios de flashbacks... o bom é que quando isso acontecer, são flashbacks realmente uteis e interessantes...

      Quando serve só por recordação prefiro uma pequena citação, melhor do que relembrar 5 minutos de uma cena do passado...

      O problema desse mineral é conseguir ele... creio que até o momento só vá ser explorado como algemas e como essa mecânica dos navios... porém mais adiante tem mais uso do Kairouseiki...

      Quanto ao caso de usar o mineral como counter das akumas no mi... logo aparece um conceito para isso, um pouco confuso no inicio porém melhor organizado ao decorrer da série... e que vai gerar uns bons questionamentos até a chegada da explicação sobre.

      Franky vai evoluir muito no quesito metal, uma pena que quando isso acontecer vai mudar muito o visual dele, gosto muito do design base dele...

      Perona é parte do trio favorito (Sogeking, Perona e Bon Clay), gosto muito dela, ela reaparece ainda, mas vai demorar um bucadinho para isso...

      Quanto ao Brook... poderia dizer que ele realmente só vai ter peso na série quando começar o "One Piece Shipudden", até lá ele segue sendo um esgrimista habilidoso mas sem explorar muito os poderes dele e seu dom com a música.

      Mas deixo esses detalhes futuros para comentarmos quando chegar o momento adequado...

      até lá vá assistindo porque a partir de agora o negócio esquenta bastante...

      As temporadas seguintes são todas interligadas e até curtas comparadas as demais, para mim são as melhores, com mais peso e mostram que outros personagens podem ter tanto peso quanto os mugiwaras.

      Excluir
    5. Meu medo é querer pular os flashbacks e perder algo importante. O bom é que eles centralizam o que é cena repetida de antes, ou mudam a saturação da imagem. Pelo menos isso né.

      Faz sentido Franky mudar fisicamente quando faz upgrade, estou me coçando aqui pra não pesquisar como ele ficou, pois fiquei curioso.

      Em tempo, a fruta do Brook é bem... ambígua né? O poder dela pode muito bem ser algo que evolui com o tempo... seria uma mão na roda ter um uma Phoenix Down pra tripulação... imagina, ele assumindo o "Manto da Morte" (oha, eu piro as vezes).

      Bon Clay... lembrei dele agora, outro personagem interessante, e com um senhor potencial viu.

      One Piece Shipuden... agora sim to curioso. Vai ter time skipe?! Tipo... eu sei que o Sanji ganha barbicha, vi uma arte dele a um tempo, mas passa quantos anos?!

      Mas beleza, serei paciente! Meu medo é começar a avançar rápido de mais pela curiosidade e passar da animação. Não quero a tortura de acompanhar semanalmente rs.

      Excluir
    6. Infelizmente nem sei dizer quais os flashbacks que poderia pular vici...

      Mais adiante você conhecerá o novo Franky (e o resto da tripulação) e aí me diz o que acha da mudança deles...

      A fruta do Brook (assim como a de todos os usuários que seguirem reaparecendo) ganha novos usos... evoluem bastante suas habilidades...

      Bon Clay é maravilhoso... logo você terá noticias dele...

      Tem um time skip, se não me engano de uns 2 anos como Naruto também teve...

      Excluir
    7. Não aguentei a curiosidade, fui ver o quão diferente o Franky ficou... meu, ele mudou completamente! Vai ser um choque quando isso acontecer... espero que não prejudique a dinâmica dele.

      Ele parece ter se inspirado no cara das Patas... ta enorme...

      Aha, então provavelmente estou teorizando certo... Brook vai ser o suporte ressuscitador do time. Ai sim!!!

      Falando do Bon Clay, acho estranho quando o pessoal nem lembra do poder dele. Quando algum personagem é visto fazendo algo que normalmente não faria, ninguém nem fala que pode ser ele. Tipo a Nico na temporada anterior... poderiam ter pelo menos pensado que ele tinha reaparecido e tava causando... senti um pouco de falta disso.

      2 anos de vazio narrativo? Eles foram presos??? Como que pode o Luffy ficar esse tempo todo sem ter sua história mostrada... mais uma coisa me deixando curioso.

      Excluir
    8. Logo suas duvidas quanto ao time skip vão ser explicadas, quanto ao Franky... eu não gosto do Design novo dele, porém, ele ainda segue sendo um personagem bacana e até mais explorado do que antes.

      Quanto ao Bon Clay, se você acompanhar as histórias de capa vai entender o porque de ele não ter reaparecido ainda, aonde se encontra e mais alguns detalhes...

      Excluir
    9. Já até comecei a nova saga. Nunca ri tanto com o Sanji fake kkkk.

      Ahhh me conta ai, o que o Bon Clay tá fazendo? Isso vai ser contado no anime? Ou é algo que só tem no mangá?

      Excluir
Emoji
(y)
:)
:(
hihi
:-)
:D
=D
:-d
;(
;-(
@-)
:P
:o
:>)
(o)
:p
(p)
:-s
(m)
8-)
:-t
:-b
b-(
:-#
=p~
x-)
(k)