DivulganteMorte: Brasil Game Show 2022 - Dia de Imprensa

Hoje eu fui pra BGS, como Imprensa!

E... confesso que fiquei ansioso de mais, e entrei em pânico umas quinze vezes, afinal eu não sou de ir em eventos, ainda mais sozinho.

Mas fui! Falarei mais a respeito, mas eu sou uma anta e quase não peguei fotos...

Me lembro da vez que fui num evento local de onde moro, de Anime, pra ver se eu e meu irmão tínhamos vencido um campeonato de desenho. Eu tive que ir solo pois na época nenhum dos meus amigos estava disponível e pra variar, eu ainda perdi no campeonato. Ironicamente meu irmão conseguiu que o desenho dele fosse pro mural de exposição, e eu não! Mancada...

Mas aprendi com isso que ir em eventos sozinho, nunca é uma boa opção. Claro que nesse caso não tive muita alternativa, afinal é a BGS! E tive a honra de ser credenciado como Imprensa em nome do DM.

E lá fui eu, de Uber pois não tenho carro, e nem consegui carona, e pra quem me conhece sabe o quão ruim sou no transporte público (aquela vez do Star Wars que o diga).

Neste artigo publicarei alguns shorts que fiz lá na BGS. Eu pensei em fazer live, mas não consegui achar a Sala da Imprensa (pois não sei ler mapas, e ainda me perdi no evento... to falando, sou caso perdido), então não consegui o Wi-Fi de lá, não no primeiro dia... Mas ainda não desisti, vou tentar até o fim!

Como não deu pra fazer Live, e eu estava super tímido, comentarei o que vi e vivi hoje.

Primeiro, ao chegar tinha uma fila gigante. Pensando que este é o dia da imprensa e o evento começa oficialmente dia 7 (amanhã), eu imaginei que não teria tanta gente. Porém, também entrou a galera de Cosplay, os Credenciados VIPs, e o pessoal Influenciador do YouTube, TikTok, etc.

Algo que achei mancada foi a questão do horário. Hoje, o horário seria a partir das 15h até 21h. Mas, mudaram do nada, e todo mundo já começou a entrar as 13h mesmo. Então o evento já tava rolando quando cheguei (e eu cheguei 13:20, achando que ia chegar cedão!)

Juntando tudo formou uma multidão, e apesar da entrada pela qual fui ser diferente, tudo meio que se misturou antes mesmo de entrar. Por mais que tivesse alguns Staffs auxiliando, muita gente formou filas desnecessárias (onde dava pra fazer 3 filas, formaram só uma, como na parte de vistoria e credenciamento).

Já dentro, era tudo imenso, com gente andando e filmando e eu panguando de timidez. Mesmo munido de um Celular, uma Bateria Extra Externa, e uma Câmera Semi-Profissional (emprestada da minha grande amiga e parceira de jornalismo blogueiro), eu mal consegui filmar ou fotografar. Parte por estar estupefato com o local, parte por ser bobão mesmo.

Mas eu ainda me recordo do que ocorreu. A primeira coisa que notei foi um Dragão Gigante mó chamativo (Stand da Lenovo). Me aproximei, e a moça me deu um panfleto de desconto de 1000 reais na compra de Notebooks. Mas, além disso, ela me disse "Quer subir no Dragão?" E eu "Meu deus, o que tem lá em cima??" e ela "Um ESCORREGADOR! E tem uma piscina de bolinhas". Por pouco não aceitei o convite... mas ao olhar pra piscina vi uma criança saindo e um pai todo alegre e pensei "Eu vou? Melhor não, muito mico". Acabei não indo, mas me arrependo muito agora... ia ser tão divertido.

Jogando Street Fighter 6!

Continuando, dei voltas e voltas até achar ele, o Stand da Capcom... pequeno e todo escondido num cantinho, mas repleto de PS5 com o jogo instalado e prontinho pra testarmos... a parte de luta... Beta 2.

É que o jogo completinho mesmo ainda não tava liberado, mas o que tinha era a sessão de combate com 8 personagens selecionáveis. Destes, eu joguei de Ken e Chun-Li, enquanto meu oponente jogou de Ryu.

Dei uma surra nele, mas não pude gravar pois tava ocupado de mais dando uma surra nele. Então eu filmei dois caras que entraram depois da gente, jogando.

Sobre o jogo... ele ta bem parecido com Street Fighter IV, com poucas alegorias como o SFV, mas um visual um tiquinho mais realista (e um efeito de partículas voando pelos impactos bem interessante).

Não muda tanto, os personagens só estão mais maduros e com roupas diferentes, mas a mecânica é a mesma de sempre, e até mais fluida que a do V.

Algo que percebi é que agora tem um narrador durante a luta inteira, que comenta cada coisinha que fazemos. Apesar do jogo não ser dublado, o narrador realmente da vida a batalha, fazendo ela ganhar um tom de Competição Assistida, e não apenas uma luta de rua.

O cara com quem joguei elogiou muito os gráficos, mas eu sinceramente não vi nada de mais. Ao nível de um PS5, parecia apenas um jogo de luta mais polido, sem nada que saltasse aos olhos de tão espetacular. Até mesmo senti falta de sombras... mas claro, a gente tava jogando a versão Beta né.

Em todo caso, achei divertido, desafiador, e repito, dei uma surra no meu rival! Duas vezes.

Passeando pelo Restante

Continuando, eu fui no Stand da Nintendo, que tava enorme, lotadíssimo de Switchs, alguns instalados com jogos próprios, outros com Virtual Console e jogos do Snes. Infelizmente todos os jogos estavam no Controle Padrão do Switch, e não em formato Joycon... eu gosto de experimentar esse formato.

Eu cheguei a jogar Zelda Breath of the Wild (sim, eu torci pra ser o Tears of the Kingdom mas não era), e mal sai da caverna direito. Eu já me esqueci todas as mecânicas, e a Staff do lado custou a acreditar que eu sabia o que tava fazendo.

Os Staffs ficavam jogando até alguém chegar e substituí-los pra curtir. Eles permaneciam do lado pra orientar, o que sinceramente foi uma ótima forma de organizar tudo. Sem filas nem nada, só chegar, pedir a vez e pronto. Cada Staff ficava no controle de uma estação de jogos.

No entanto pra compensar fui num Super Mario World e ZEREI ele... naquele meu esquema dos 10 minutos que nunca são 10 minutos. A staff do meu lado acompanhou e fez vários comentários pessoais, mas eu me senti mal pois ela que tava jogando antes de eu tomar a vez, e ela tava toda empolgada em passar por todos os mundos. Eu sou muito estraga prazeres (queria ter gravado, pena que sou tão lerdo).

Saindo de lá fui pro gigantesco Stand da Playstation (pouco maior que o da Nintendo). Meu objetivo? Jogar qualquer coisa em VR. Minha frustração? Não tinha VR. Na verdade o staff com quem falei me explicou que nesse evento não tinha nenhum VR pois o VR2 ta pra lançar e, não queriam "prejudicar o hype". Cara... eu nunca joguei em VR! Tudo que eu queria era testar isso uma vez na vida e finalmente, quando achei que daria, não deu.

Pior, no Stand só tinham jogos já lançados, e você ainda tinha que escolher qual jogar, notificar na entrada, passar por uma fila e só então jogar. Eu testei The Last of Us 2 (perdi em 10 segundos de jogo) e depois tentei jogar algum aleatório de corrida, pois era com volante... mas a fila era grande e eu simplesmente desisti. Estranho pois nem tinha gente jogando! Mas tudo bem.

No caso do Stand da Playstation, eu senti que era grande de mais pra coisa de menos. E a falta de VR me fez ficar bem desmotivado.

Haviam outros stands com competições, simuladores, e até um da Cupnoodles com uma Scape Room! E outro da Ana Maria (o bolinho gostoso) onde todo mundo tava se divertindo horrores com uns desafios premiados... mas... eu tava sozinho, e fiquei envergonhado de participar.

Fiquei na vontade, não por não poder participar (afinal nada me impedia) mas por questões de frescura mesmo. O pessoal lá era simpático, repleto de cosplayers, staffs, e uns seguranças emburrados (mas estes a gente ignora né).

Quando começou a ficar cheio de mais (pois até 16h ainda tinham caravanas de pessoas chegando, sem brincadeira), eu resolvi partir.

Mas, pra minha surpresa, minha jornada não se encerraria sem uma reviravolta!

Problemas na Saída (praxe do Max)

Ao sair, não havia sinal... de Uber. Minha internet pegava tranquilo (4G, tava 100%), e apesar de não ter conseguido a senha da BGS (por não ter achado a sala da Imprensa, mas amanhã eu vou achar, é questão de honra), eu conseguia falar com meus amigos tranquilamente.

Apenas o Uber não respondia. Achei que era erro da internet então andei pro outro lado da rua, fui no estacionamento, voltei pra dentro da Expo Center Norte, e nada de sinal.

Então na terceira saída do evento, me deparei com uma Staff uniformizada e uma fila gigante de Taxi. Ela me olhou sorrindo e disse "Vai de Taxi?" e eu, confuso, apenas confirmei. Ela correu pra chamar um dos taxistas e interrompeu ele no telefone (tava em desespero, sem exagero) e ele veio me atender, todo educado, abriu a porta pra mim. Eu nunca tinha pego Taxi.

Entrando, ele iniciou a corrida e perguntou onde iríamos, eu falei meu endereço, e perguntei uma estimativa de preços. Ele negou, disse que não era possível me dizer o valor afinal, o Taxímetro era imprevisível. Enquanto a viagem durasse, ele giraria e o valor subiria.

Eu insisti por umas 4 vezes, mudando meus argumentos (dizendo "Preciso ter uma ideia pra pagar no cartão ou dinheiro" ou então "É que dependendo posso mudar o destino") e ele disse "Vai ficar uns 180 reais." (só pra constar, o Uber, numa viagem cara, daria 60 reais).

Paralelo a isso, o Uber do meu celular simplesmente voltou a responder, assim que viramos a esquina da Expo Center Norte e nos afastamos um pouco. Vi o preço (56 reais) e imediatamente pedi pro cara me levar pra Rodoviária mais próxima. Eu sabia que tinha uma bem perto (a Tietê) mas, o motorista ainda tentou me convencer a ir numa mais distante, onde "Seria melhor pra pegar o metrô". Quando recusei ele ainda disse "Você quem sabe, nós só aconselhamos, cabe você querer ajuda ou não".

Quando desci, ainda dei gorjeta pro cara, mas a corrida que deu menos de 1km, saiu por 20 reais!

Em todo caso, na mesma hora chamei um motorista por aplicativo e pronto, eis que chega em menos de 1 minuto, com o sinal perfeito.

O motorista ainda me confirmou que, próximo a Expor Center Norte o sinal oscila e cai, por isso os Ubers evitam ali. Mas basta andar um pouquinho, que o sinal volta.

Enfim, consegui minha viagem, e estou seguro em casa.

Mas amanhã tem mais! Dessa vez irei acompanhado com minha amiga, então vou torcer pra conseguir me divertir nos eventos multiplayers!

Talvez pegue fotos melhores agora.

Enfim, é isso.

Obrigado pela leitura, e see yah!

Mano peguei fotos ruins de mais!

Postar um comentário

4 Comentários

  1. Eventos assim, são melhores quando vai com os amigos, torço para que amanhã seja melhor e quero ver fotos no escorredor de dragão 🤣

    ResponderExcluir
  2. show! queria tanto ter essa chance de jogar o street 6... no aguardo dos próximos posts!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara, o jogo é legal. Notei depois quando joguei mais, ontem, que ele tem partículas no chão. Como os monitores são pequenos, acabei não percebendo de início. Mas é muito bonito viu.

      Sem contar que agora tem uma defesa perfeita ativada com um botão só. Ela carrega conforme golpeamos, até liberar um especial de contra-ataque. É interessante.

      Excluir

Atenção: Antes de enviar seu comentário, por favor copie o que escreveu (para não perder o texto), pode haver erro ao publicar, então tente novamente.

Caso o erro persista, por favor me informe através do whatsapp (11 958017648), facebook, instagram ou tiktok.

Obrigado de mais por comentar, isso me estimula a continuar.

Emoji
(y)
:)
:(
hihi
:-)
:D
=D
:-d
;(
;-(
@-)
:P
:o
:>)
(o)
:p
(p)
:-s
(m)
8-)
:-t
:-b
b-(
:-#
=p~
x-)
(k)