SérieMorte: O Livro de Boba Fett

Sinceramente eu nem queria gastar meu tempo pra ver essa série, pois apesar de ter amado a primeira temporada de Mandaloriano, e curtido a segunda... eu não fiquei nem um pouco empolgado com a ideia de uma série inteira focando o Boba Fett. Ainda por cima algo focado em "política" no planeta menos interessante que Star Wars já mostrou, e teima em mostrar em tudo quanto é obra: Tatooine, o planeta desértico com 2 Sois.

Mas aí... vou la passar o tempo só pra matar a curiosidade e, num é que o negócio é bom?! E eles tão contando justamente a história desse planeta já tão explorado, mas que na verdade não foi não.

E é com bastante surpresa que venho aqui escrever, o que achei dessa nova história Star Wars.

Tem spoilers, não muitos mas tem. Vou maneirar um pouco caso queira assistir, mas ainda assim compensa avisar. 

Boa leitura.

O primeiro, segundo e terceiro episódios focam muito no flashback de Boba Fett, pra explicar como ele sobreviveu àqueles eventos de "O Retorno de Jedi", como perdeu a armadura (a qual ele recuperou em Mandaloriano, e eles nem perdem tempo mostrando isso) e como recuperou sua nave. 

Porém, o mais interessante é o foco que dão na história do Povo da Areia (Os Saqueadores Tusken), nos mostrando a cultura deles, e os apresentando de forma muito mais construída do que qualquer um dos filmes já tinha feito.

Aliás, fizeram questão de destacar o paralelo às terras indígenas e as tribos nativas que, foram subjugadas por colonizadores ou tecnologias, e ao defenderem seus territórios, formas de vida, cultura e até mesmo recursos, foram tachados de "vilões".

Eu mesmo ao assistir Star Wars pensava no quão chato o Povo da Areia era, e como prejudicava as pessoas no planeta que já tava todo zoado, a troco de aparentemente nada. Como na corrida de Pods em "A Ameaça Fantasma" onde nunca esqueço de achar ridícula a atuação desses personagens, atirando e comemorando sem razão nenhuma, nas naves que só tavam lá competindo uma corridinha inofensiva. 

E mesmo sabendo que desde sempre isso era uma crítica sim às terras indígenas, eu só pude entender isso perfeitamente agora ao ver as tribos de perto. O que é triste, muito, pois só comprova o quanto eu (particularmente mas, acredito que outros também estejam nesse meio) banquei o tolo e incompreensível.

O Quarto episódio é mais voltado pra política e construção da reputação do Boba Fett, não na base da violência, mas do poder, acordos, e preparos. Parece chato, mas não é, pois realmente da pra acreditar na implacabilidade do cara, mesmo ele nem movendo um dedo.

Aos poucos ele vai montando seu "exército", com aliados que conquista na base do respeito... e uma boa dose de roteirização é claro.

O quinto é um episódio de Mandaloriano, dentro da série Boba Fett. Nem tem nada do Boba Fett nela só pra constar. Literalmente, fizeram um tipo de "Piloto da Terceira Temporada" e lançaram aqui.

É um episódio excelente, que conta como Mando está, quais seus planos, o que ele anda fazendo, e de certa forma tapa vários buracos de uma vez só: O que houve com os outros Mandalorianos, haverá consequências por ele mostrar o rosto? O que ocorreu com a Lança de Beskar? O que Mando fará depois de Grogu? Qual a história do Sabre Negro e como ele é usado? Como Mando vai viajar pelo espaço agora, qual é sua nova nave? O que ele faz da vida agora, e Grogu vai aparecer? 

Sim, tudo isso é respondido, e o episódio tem apenas 50 minutos... sabe o melhor? Ele não soa corrido, nem acelerado, e muito pelo contrário, ele tem momentos alongados, que por incrível que pareça, comunicam, e muito! 

Por exemplo, Mando andando ferido pelo Sabre Negro durante uma de suas missões. É mostrado todo o trajeto dele, a negociação, ele no elevador SEM CORTES (tirando o da perna dele é claro) ele mancando, e por fim, ele encontrando uma forma de se curar... Parece algo chato, mas o cenário, as interações, a forma como Mando se comporta, a trilha, tudo amarra tão bem que é gostoso de assistir. 

Você se recorda que apesar de poderoso, Mando se cansa, tem fraquezas, e permanece misterioso. Uma história perfeita, onde contaram muito em pouco tempo, sem correr. Parece impossível, e ainda por cima teve ação (muito bem feita) efeitos especiais de encherem os olhos, soluções que em momento algum dependeram de roteirização artificial, e ainda por cima tiveram easter eggs e referências como o BD-1 (é o mesmo que co-protagoniza o jogo Star Wars - Jedi Fallen Order) e a Nave que Mando ta pilotando agora: É a N-1 Starfighter, a nave que Anakin Skywalker pilotou ainda criança, e ajudou no combate espacial, lá em "A Ameaça Fantasma".

Isso sim é a forma correta de usar fanservice! E mano, ainda teve muito mais. Falando a real, o quinto episódio de O Livro de Boba Fett é a melhor coisa que assisti referente a Star Wars até então.

Mas, a presença e até foco em Mandaloriano permaneceram nos dois episódios seguintes. O sexto acaba por também ser um episódio disfarçado da terceira temporada de Mandaloriano, com direito ao retorno de Grogu, R2-D2, Ahsoka e principalmente Luke Skywalker! Aliás, quem interpreta o Luke fisicamente é um ator novo chamado Graham Hamilton, que sinceramente, ficou idêntico (se usaram algum efeito pra deixar mais parecido ainda, é imperceptível! Mas devem ter usado).

Uma pena que tecnicamente o final desse episódio acaba dando brecha pra que os eventos da Terceira Trilogia de Star Wars ocorram (não que ela não seja cânone, mas eu bem que gostaria que os eventos da série descartassem ela, o que provavelmente não acontecerá). Fica bem perceptível que mesmo sem citarem os eventos futuros, estão preparando o terreno pra eles, talvez na esperança de tapar buracos e quem sabe "salvar" aquela história.

Então, encerrando assim tanto a história de Fett quanto a de Mando, a série conclui em seu sétimo episódio, com uma pequena guerra pelo bem do planeta desértico, e Fett finalmente conquistando o direito de mandar em tudo ali. Nesse ponto ao meu ver a série deu uma queda de qualidade... não em seus efeitos, mas na artificialidade dos eventos. Tudo foi resolvido às pressas, e a gravidade da situação não pareceu tão alarmante assim, mesmo sendo.

Além disso, ficou um pouco vago alguns detalhes, como, o que raios é a Especiaria de que tanto falam? Era um tipo de droga? Fica subentendido que sim, mas eu perdi a parte em que mostram a razão disso ser tão importante ou perigoso.


Por fim, o Mandaloriano, que ajuda Fett no combate final, consegue um novo objetivo por assim dizer, e é algo satisfatório de assistir (e o palco pra nova temporada onde a dupla dinâmica continua sua jornada pelo espaço foi armado).

Repleto de referências, como um pistoleiro chamado Cad Bane que aparentemente foi professor do Boba Fett (eu não conheço tudo sobre Star Wars, as animações mesmo eu não assisti tudo, então por mais que já tenha visto esse personagem, eu não sei sua história ou origem, então me baseio nas interações dele com o Fett e, é isso que fica parecendo), sendo seu rival até o fim, ou então mais uma participação despretensiosa do BD-1, a série termina de forma morna eu diria.

Mas vale a pena assistir, razão pela qual vou evitar falar mais a respeito.

São só 7 episódios, e por incrível que pareça, uma trama política, geográfica e histórica sobre um planeta arenoso e quase inóspito, tribos indígenas alienígenas, e um caçador de recompensas desejando ser presidente do mundo do crime, é mais agradável de assistir do que podemos imaginar.

Star Wars surpreende viu.

Agora... só não entendi porque chamaram de Livro se isso é uma série...

É isso.

See yah!

Postar um comentário

14 Comentários

  1. Incrível como o melhor episódio da série é onde o próprio protagonista só é citado nos últimos 5 minutos, pra você ver...
    E o mais daora é que o Mando é um personagem totalmente original, e mesmo assim ele já rouba a cena com seu sabre negro e matando geral dos alienígena com cara de buldogue.

    Achei o personagem do Boba fett bem desinteressante, e o fato dele usar a armadura e o tempo todo ficar tirando o capacete me dá um pouco de desconforto, eu sinto como se ele não merecesse aquela armadura...sei lá.

    A série como um todo foi bem morna, mas apesar disso eu gostei bastante, meio que depois de Duna e ver uma série que se passa em um planeta desértico ser desse jeito foi bem decepcionante rs.
    Mas Star Wars faz milagres e ver o Luke treinando e carregando o Grogu que nem ele fez com o yoda já dá uma satisfação enorme, por sinal eu nem percebi a mudança do ator do Luke, talvez eu seja meio desligado, não sei, mas não percebi, pra mim era computação gráfica, fiquei observando os movimentos dele nas cenas e eu senti que ele era CG, mas não é, e me senti tapeado kkkk.


    Agora, uma série que eu to bem animado é a do Obi-wan, to curioso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tivemos basicamente a mesma experiência então. Só que, eu não consegui notar o CGI do Luke kkk. Fiquei impressionado de mais.

      Eu nem assisti Duna, mas fiquei pensando que toda essa insistência em falar de Tatooine tinha algo a ver, pois Star Wars se inspirou em Duna né?

      E, eu também to ansioso pela do Obi-wan... e nem vou ficar surpreso se agora contarem a história daqueles carinhas pequenos de Tatooine kkk.

      Só torso pra que, manerem no fanservice e invistam mais em enredo. Só de ter os atores originais dos filmes já vai valer a pena.

      Excluir
  2. Caro Shady Morte

    Começo dizendo que gostei do seu texto, sendo direto e reto sobre o assunto, que sinceramente, não valeria mesmo a pena esticá-lo.

    E sobre o assunto em si, eu sinceramente achei um pouco irregular a "minisérie", e meio confusa sobre sua real intenção, ja que se inicia dando a entender que vai ser uma trama interessante (embora nem tanto), depois simplesmente muda pra outro foco, que mesmo sendo interessante até, com bons usos de referencias inclusive, soa meio desconexo com a proposta inicial. E tambem, termina de uma maneira não muito satisfatória, dando a entender que "tudo isso" nem era tão importante assim, apesar de anteriormente dar a entender que era.

    Irregular é a palavra ideal para se referir a isso, na minha visão pelo menos.

    E não faz o menor sentido esse titulo mesmo.

    Abs,

    Bea Ospreay.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Srta Bia, novamente agradeço por comentar e saliento que fico muito feliz com isso.

      Buscarei sempre me adaptar sobre o que quero falar e tentar fazer o melhor modelo possível. Estou animado com o fato desses dois últimos artigos terem funcionado bem e comunicado corretamente o que eu desejava. Em mim sempre há aquela vontade de não fazer por receio ou medo, mas é bom saber que no fim, dá certo (ou quase sempre né).

      Essa irregularidade está mesmo presente, e é realmente constante. Não chega a causar incômodo nem prejudica o enredo mas ao mesmo tempo, dá esse ar, como você disse, de mesmice sem importância. O protagonista da outra série acabou tomando a cena e o arco original do protagonista (que não se basta tanto sozinho) se encerrou ainda na metade.

      Você disse tudo.

      Bem, obrigado por aparecer srta Bea, por ler e comentar.

      Sempre seja bem vinda.

      Excluir
    2. Koroi parese até que to leno a carta de despedida do D. Pedro II vey, ki tanto de desenvoltura com a escrita rapaiz.

      Excluir
  3. Ótimo texto,já a série...
    Gostei do Mandaloriano e quando o Boba apareceu eu fiquei entusiasmado, o cara todo impiedoso,usando o mandaloriano pra atingir seus objetivos e no final matando o mordomo do Jabba e tomando o trono foi demais,imagina minha empolgação ao ver que haveria uma série do segundo vilão favorito dos fãs de guerra nas estrelas.
    Aí a série começa e o vilão impiedoso e ardiloso se torna um panaca total,sem explicação,na boa,os produtores viram a cagada que ficou e resolveram encher de easter eggs e fan service os últimos episódios,a série fracassou,decepcionou e dificilmente vai voltar numa segunda temporada.
    O mandaloriano se tornou o que Boba deveria ter sido,se a Disney tivesse liberado o personagem quando foi requerido pelo criador da série.
    E aqueles jovens motoqueiros coloridos??? Power Rangers?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu preferi ignorar aquilo. O recrutamento dele de cada personagem foi... desagradável de acompanhar. O wookie de pelos negros todo daora, o time coloridão das motos, os dois servos do jabba, até o carinha com rabo na cabeça... geral sem graça e inserido de forma bastante forçada. Porém, serviu pra mostrar que o cara tem sorte.

      Sinceramente, ainda bem que erraram no Fett pois, assim nasceu o Mando e meu, que personagem excelente. Eu fiquei bastante temeroso com o final da segunda temporada pois, qualquer tentativa de continuar tinha tudo pra ser ou repleto de easter eggs gratuitos e fan service, ou um personagem modificado, sem objetivos e descaracterizado naquilo que mais se destacava nele. Felizmente, a série do Fett serviu pra reconstruir o Mandaloriano.

      E sim, não há razão pra uma segunda temporada dessa série (talvez por isso limitaram o título).

      Enfim, obrigado sr Mário. Como sempre me deixando motivado com suas palavras. Bora pro próximo!

      Excluir
    2. O que mais me deu raiva foi que os parentes do Jabba tentam matá-lo com o Chewbacca motherfucker,eles derrotam o wookie e logo depois os parentes voltam e dão presentes pra ele?!?
      A chinesa é a melhor personagem, matadora e inteligente,ainda curte mulher...

      Excluir
    3. O problema dos primos foi resolvido por mágica. Roteirização pura.

      Sinto pena da galera que carrega eles pelo deserto na velocidade da luz.

      O presente do monstro grandão sentimental foi muito forçado. Assim como o Chewbaca Das Trevas entrando nos aposentos do Fett, bem no tanque curador que fica aparentemente mó escondido, sem ninguém notar. Guardas pra que?!

      Ele é quase tão ninja quanto a moça kk.

      Excluir
    4. Bem pontuado,sr. Morte,como dizem,quanto mais a gente pensa,mais defeito encontra...
      Ultimamente eu só assisto as coisas da Disney pra achar defeito e não gostar,a propósito, vai ter review do peacemaker?

      Excluir
    5. Vai ter review de Peacemaker sim. Aquela abertura não me deixa parar de assistir. Aliás, um comentário a respeito: Conforme a série progride a abertura muda... mesmo sem mudar. O efeito dela é diferente a cada episódio, com ela indo do hilário, pro muito hilário e agora meio... triste. É complicado, mas muito do artigo vai ser sobre isso.

      Excluir
    6. Eu também, to ansioso pra encerrar logo.

      Excluir
Emoji
(y)
:)
:(
hihi
:-)
:D
=D
:-d
;(
;-(
@-)
:P
:o
:>)
(o)
:p
(p)
:-s
(m)
8-)
:-t
:-b
b-(
:-#
=p~
x-)
(k)