AnáliseMorte: Mega Man X2 - Versus X-Hunters (Counter Hunters)

Como pretendo escrever descentemente sobre cada MegaManX, optei por re-jogar cada título com muito mais atenção aos detalhes, para relata-los aqui sem erros. 


Então agora é hora de falar do segundo título, que pode não trazer muitas novidades, mas tem seus pontos importantes pra toda a série, inclusive alguns detalhes cruciais pra compreensão de  jogos futuros.

Boa leitura.

Lançado em 1995, 1 ano após o primeiro jogo, este conta eventos que se passaram 6 meses após o Primeiro Mega Man X (Clique aqui se ainda não leu).


E basicamente... o que X fez não resolveu nada.

Derrotar Sigma e seus 8 seguidores iniciais apenas abriu as portas pra exércitos e mais exércitos de robôs ensandecidos se formarem. Na verdade, as coisas até pioraram bastante.

Primeiro que, mesmo com Sigma fora de jogo, seus seguidores continuaram surgindo, e pior, um tipo de vírus foi criado, capaz de infectar reploides, independente deles simpatizarem com os ideais corrompidos do vilão.

Isso fez com que o número de mavericks aumentasse muito, com direito a fábricas deles surgindo.


É aí que Mega Man X entra (o nome completo dele é citado o jogo inteiro, e não apenas o "X"), com a liderança da Maverick Hunters e um ataque direto às forças inimigas.

Mas, paralelo a isso, uma série de planos são tramados para acabar com X diretamente, como vingança pelo que houve ao Sigma.

É uma história um pouco mais pessoal por assim dizer, com X sendo pego no meio do caminho pelos seus inimigos, mas ainda não terminando sua missão de vida, que é acabar com os Mavericks de vez. O objetivo aqui é apenas derrotar a "X-Hunters".

Referente ao gameplay...

O jogo seguiu o padrão estabelecido no primeiro X, com 8 fases iniciais, cada uma com um chefe, itens escondidos, cápsulas com upgrades (também escondidas) e claro, os desafios de plataforma de sempre.


O diferencial está na inclusão de um Chip Gráfico Cx4, que adicionava um "efeito 3D" ainda no console de 16 bits (Super Nintendo). Esse chip vinha acoplado ao Cartucho, e isso ajudava a renderizar esse efeito, sem a necessidade de modificar o videogame. 

Pois é, naquele tempo, quando queriam lançar um jogo com um visual mais potente que o console não dava conta, ao invés de lançar um console novo, eles davam um jeito de fazer o cartucho/mídia na qual o jogo era gravado, suportar por conta própria os encargos extras.

Só que isso não é tão utilizado ainda. Tirando o primeiro chefe do jogo, que tem um visual mais "completo" e usa esse efeito de forma bem executada, os demais (que acabam usando o chip também) apenas usam um efeito de linhas, que se movem em diferentes perspectivas, dando uma sensação de profundidade, mas parecendo simplificado de mais, e com aspecto inacabado.


Pelo que notei, alguns cenários também usaram esse efeito mas, apenas pra estilizar o background. Não há eventos que incluem reposicionamento de câmera, ou uma troca de ângulos, e esse efeito gráfico está presente apenas pra dar uma melhorada no visual, não influenciando na jogatina.

Porém, isso influencia no enredo (indiretamente). Talvez no desejo de tornar a presença do chip mais perceptível, os caras incluíram ele no chefe final, de uma forma bruta, mas muito eficiente, tanto que funciona pra nos fazer memoriza-lo.

Em contrapartida, o sistema de salvamento se manteve baseado em Passwords. Ou seja, inovaram num lado, mantiveram do outro.


O pior foi removerem coisas legais que se destacaram no primeiro jogo, como a mudança dos cenários por influência uns dos outros.

Até tem leves alterações nos mapas, mas são apenas nas salinhas dos chefes, depois deles serem derrotados. Locais estes que nem são visitados depois, a menos que o jogador queira perder tempo. Sem contar que eles nada comunicam, nada adicionam a história.

O único cenário com certa interatividade, é a Base dos X-Hunters, que é visitado 2 vezes, em diferentes momentos, o que valoriza sua estrutura um pouco mais.

Tem também uma certa "transição de tempo", pelo menos notei isso em um dos cenários, com ele escurecendo depois de um longo período. Isso não influencia em absolutamente nada, mas acontece então, vale mencionar.

Nesse mesmo estilo, tem um mapa com climas diferentes (mas faz parte do próprio mapa) e um com nivelamento de água (só que é perto do fim, e isso é desfeito depois). São coisas padronizadas e reversíveis, diferente do que víamos no jogo anterior.


Confesso que senti falta de algo mais dinâmico, o que resultou num jogo aparentemente mais fácil e pouco explorado. 

Em relação a movimentação, X continua com alguns dos upgrades da jornada anterior, mas um pouco mais enfraquecidos.

Ele tem o X-Buster Carregado, que tem um pequeno detalhe rosa (resquício da versão melhorada), mas o dano é o mesmo, com 3 fases (normal, semi-carregada, e totalmente carregada), variando com o tempo que ele segura o disparo.

Ele também manteve o Dash, nesse caso sem qualquer diferença no movimento, mas com uma adaptação visual. A cor branca sumiu e agora ele se mantém azulado como o restante da armadura base. Provavelmente, ela foi desgastando com o uso (o efeito de quebrar blocos dela sumiu, reforçando essa hipótese).


X tem a capacidade de copiar movimentos de chefes derrotados, obtendo uma forma ligeiramente diferente (pela coloração), o que pode ter influenciado na transformação da Bota Dash e reajuste pra forma e coloração padrão dele, mesmo após o desgaste.


Os outros upgrades (Capacete e Armadura) se perderam, provavelmente por desgaste também, afinal o Capacete destruía blocos, e armadura tinha mais defesa, são coisas que enfraqueceram com o tempo. 

De resto, tudo é igual, sem novidades, até que a nova Armadura Especial é obtida da mesma forma, encontrando as Cápsulas de Light escondidas pelos mapas. 


Ela possuí 4 efeitos, baseados em cada uma de suas partes:

As Botas, aprimoram o Dash, permitindo que X voe brevemente, dando um Dash em pleno ar (apenas pra frente).


O Capacete consegue ficar um pouco mais útil que antes, permitindo que X rastreie itens escondidos. Só que, fazer isso bloqueia o uso do X-Buster enquanto o rastreio rolar, o que pode ser uma faca de dois gumes no meio das fases, expondo X.


A Armadura oferece um aumento de resistência, porém não apenas isso. Essa versão absorve disparos inimigos (ainda recebendo parte do dano) e o converte em energia pra um Giga Ataque. 


Esse movimento só pode ser usado quando a energia chega ao máximo, e ele causa uma destruição no campo de visão inteiro de X, eliminando inimigos e até alguns sub-chefes num único golpe.

Por fim, o X-Buster recebe um upgrade duplo, onde X passa a disparar pelos dois braços, quando o tiro fica totalmente carregado.


O primeiro disparo é aquele com um pequeno detalhe rosa mesmo, e o segundo é justamente a versão potencializada do primeiro jogo. Isso reforça o fato do primeiro buster ter enfraquecido com o tempo, com esse segundo sendo mais completo por estar novo.


O segundo disparo fica carregado em X por um tempo, caso ele não atire automaticamente junto com o primeiro (pode acontecer se ele receber algum golpe enquanto tiver carregando o tiro).


E como antes, carregar os disparos usando esse upgrade permite também carregar as armas copiadas dos chefes, causando efeitos extras e mais poderosos, que falarei quando citar os respectivos chefes.

X pode contar com alguns apoios durante algumas fases, como o Robô que ele pode subir em cima, parecido com aqueles da primeira aventura, mas agora ligeiramente alterado pra perfurar e até planar por um tempo, depois de correr. 


Ele também conta com uma Moto, também adquirida no meio da missão (nesse caso em apenas uma fase) que permite que X passe por Espinhos, e pule grandes distâncias, após acelerar.


A Moto também pode atirar, e pode pular, ser redirecionada, desacelerada, ou acelerada, conforme a vontade do jogador.


E é isso que temos, pra ir atravessando as fases tudo.

Ah é, antes que eu me esqueça, agora também há um desafio temporário, em cada fase, pra recuperar as Partes de Zero.

3 Chefes Secretos ficam pulando de fase em fase, se escondendo em salas difíceis de alcançar. Eles passam a aparecer após o Segundo Chefe ser derrotado (o jogador escolhe quais fases entrar, e quais chefes enfrentar, então não importa a ordem).


Mas, eles só aparecem até o sexto chefe ser vencido, trocando de fases independente delas já terem sido superadas ou não.

Se eles forem derrotados, X consegue as 3 partes de Zero, e destrava um final onde ele o ajuda. Porém, se eles não forem vencidos nesses encontros, X acaba tendo de enfrentar Zero no fim.

Aliás, esses três chefes também são confrontados na reta final do jogo, cada um em um cenário. Assim como o título anterior, após vencer os 8 chefes iniciais, a Base Secreta dos vilões é encontrada, e ela tem 4 fases em sequência (nesse caso, o jogador não pode escolher). 


Inclusive, o Password pras 4 fases é o mesmo, pois se o jogador sair da partida, ao retornar ele sempre volta pra primeira da sequência.

Felizmente, tomar um game-over no caso de perder todas as vidas não causa nenhuma desvantagem. O jogador apenas retorna pro inicio de tudo. O sistema de Vidas só garante um retorno no meio das fases, mas na prática isso nem difere muito.

Bem, bora falar dos personagens agora e aqui já tratarei do enredo.

Personagens

MegaMan X


Depois de acabar com Sigma e testemunhar a o modo kamikaze de Zero, X parou um pouco de filosofar sobre sua existência e partiu pra linha de frente, peitando os Mavericks que foram surgindo.

Mesmo sem Sigma, o mal que assolava os robôs e aterrorizava a humanidade persistia, e os Mavericks continuavam a surgir, cada vez mais.


Com isso, a força que os combatia passou a se organizar mais para investidas ao estilo Guerra mesmo. Tanto que, a Maverick Hunters começou a crescer.

No início do jogo da pra ver X invadindo uma fábrica tomada por Mavericks, recebido por uma saraivada de tiros, tantos, que acertam seu aliado.

Assim X descobre que está amaldiçoado e qualquer um que tente lutar ao seu lado, morrerá explodido. Primeiro Zero, depois o carinha motoqueiro verde...


Falando sério, X opta por lutar sozinho, justamente pra não arriscar seus colegas.

Não fica clara a posição de X na Maverick Hunters. Ele não assumiu a liderança, nem ta comandando qualquer unidade, e parece agir por conta própria, guiado unicamente por Dr. Cain, que agora é seu navegador.

Mas, ele é poderoso, e por ser uma das maiores fontes de problemas aos Mavericks, os próprios se organizaram para caça-lo, através dos "X-Hunters".

Por essa razão, X se vê atacando bases dos Mavericks, ao mesmo tempo que tenta escapar de suas armadilhas e contra-ataques, para captura-lo, ou destruí-lo.


As armaduras de X se desgastam com o tempo, o que fica bastante claro com o "downgrade" de algumas habilidades, e preservação de algumas características. 

O detalhe rosa no tiro de X-Buster carregado é uma bela referência ao efeito reduzido de seu disparo, com o passar do tempo. 

Aliás, X se mantém incerto sobre sua origem, e sobre seu significado e razão pra existir. Porém, ele luta com todas as forças incansavelmente, pra destruir todos os Mavericks.

Todo seu desgaste físico é um reflexo dessa luta constante, e também explica a razão dele ser o alvo principal dos robôs insanos. X pintou um alvo em si mesmo, ao ser tão implacável.

Dr. Cain


Depois de tão citado no jogo anterior, Cain aparece pela primeira vez fisicamente, se reportando à X, e informando sobre atualizações de missão.


Cain é um humano e é bem misterioso, tendo sua posição incerta mediante aos informes oficiais. De acordo com o manual original do jogo (versão EUA) Dr. Cain faz parte da divisão de inteligência, por assim dizer, do que seria a Maverick Hunters.

Porém, de acordo com os textos descritivos do personagem presentes no MegaMan X Legacy Collection, Cain era Chefe da Maverick Hunters, e ainda por cima um renomado cientista.

Só que, em jogo, ele aparece apenas como alguém vinculado a X, talvez por ter sido quem o despertou, e na lógica, ele é responsabilizado pelas ações desse modelo ainda desconhecido.


Dr. Cain administra a luta contra os Mavericks, por estes serem aparentemente sua responsabilidade também. Lembrando que a primeira leva desses robôs defeituosos surgiu depois que ele passou a criar máquinas, baseadas justamente no designe de X.

Mas, o foco nem é esse quando ele aparece. Presente em uma sala de monitoramento, Cain apenas surge pra informar as localizações dos membros da X-Hunters, com o objetivo de auxiliar do robô azul a caçar aqueles que o caçam. 

Não apenas isso, ele também mantém X atualizado sobre o status de Zero, e motiva o robô a continuar lutando com a esperança de trazer o antigo aliado de volta a vida.

Curiosidade: Na versão japonesa, os vilões se chamam "Counter Hunters", provavelmente como oposição a Maverick Hunters por inteiro, e não somente X. Sei disso pois quando joguei a versão em japonês, as poucas coisas em inglês eram os nomes dos mapas (e o nome dos vilões).


Dr. Light


Agora aparecendo apenas como uma Mensagem Automática Padrão, Light tem mais 5 cápsulas espalhadas pelos novos mapas que X desbrava.


Em todas as cápsulas, Light faz questão de chamar X de "MegaMan X". Isso é muito curioso pois, normalmente, "MegaMan" é considerado o nome do robô original, Rock (que era o Rockman, nome traduzido pra MegaMan). Chamá-lo assim, considerando que essa é uma mensagem bastante pessoal e exclusiva pra X, levanta questões sobre a natureza do reploide. 


Afinal, se Light o construiu e fez questão de dar o nome de seu melhor robô pra ele, robô este que simplesmente desapareceu e jamais é mencionado em qualquer arquivo, faz parecer que X e Rock são de fato o mesmo robô, apenas com um "X" como marco de sua atualização/crescimento. Se bem que, Light chega a chamar ele de apenas "MegaMan" as vezes (ele diz "Boa sorte MegaMan").


Particularmente, não me recordo de outro reploide ser chamado de "MegaMan". Normalmente eles tem nomes simples (Zero, Sigma, etc) ou compostos (todos os chefes tem pelo menos 2 nomes), ou seja, é coincidência de mais, tanto que seria tolice não compreender a mensagem.

Mesmo que o jogo não escancare a informação de que Rock e X são o mesmo modelo, o mesmo robô, que passou por uma atualização de segurança, essa informação fica bastante óbvia.


A única diferença de Rock e X na prática, além da altura (que seria um sinal de seu crescimento mesmo), é o Chip Vermelho na testa de X, que não existia em Rock (e há uma baita explicação pra isso no futuro), e a cor dos olhos, com os de Rock sendo Azuis, e os de X Verdes.

Se bem que nesse caso, ainda há discrepâncias, pois os olhos de X, nas artes dentro do jogo (tipo aquelas que aparecem quando ele ta testando alguma arma) aparecem na cor Azul, justamente pra mudar de coloração junto com as armaduras e poderes que ele pega.


No entanto, em todas as artes oficiais, seus olhos aparecem na cor Verde.

Claro, tecnicamente isso pode ser apenas uma consequência da animação em si, que pra não distorcer as cores dos olhos, acabou mantendo o padrão da armadura. Porém, e se de fato os olhos dele sempre foram Azuis, e só mudaram gradativamente conforme novos jogos foram feitos?!

Enfim, voltando ao Dr. Light, sua personalidade neste jogo ficou simplória e automatizada. Ele apenas diz que X deve entrar na cápsula pra ser atualizado com algum equipamento, e explica o básico desses equipamentos.


A única que fala um texto diferente, e com certa personalidade, porém ainda bastante curto, é o de uma arma secreta, pega apenas na reta final: o Shoryuken.

Na mesma pegada do "Hadouken" inserido no primeiro jogo como um bônus apelão da Capcom em homenagem a Street Fighter, o "Shoryuken" também é um movimento do jogo de luta, apenas como easter egg, sem um teor canônico.

Sendo assim, a fala empolgada de Light ao entregar esse "poder", é apenas uma frase zoeira. Ou seja, no fim das contas, neste jogo o Light ta muito mais automático.


O poder em si é um gancho flamejante que X dá ao fazer o movimento "→↓↘+Ataque". Ele voa pra bem alto, porém perde todos os demais movimentos durante o ataque (não da pra combar com Dash por exemplo, nem mesmo subir escadas). 

Esse movimento só pode ser usado quando a barra de vitalidade está no máximo (assim como o Hadouken do jogo anterior) e, ela causa um dano alto, mas não é capaz de executar qualquer chefe.


Alguns morrem num golpe só, outros sofrem metade da vida como dano, então não é um movimento tão útil assim.

Sem contar que ele só é pego no final do jogo, depois de já ter vencido praticamente tudo, inclusive, pra pegá-lo, é preciso fazer mais coisas que o Hadouken.

Deve-se coletar todos os Corações (que aumentam a vida máxima), todos os Sub-tanques (que voltam a aparecer aqui, com 4 no máximo), e todas as partes da Armadura Especial, além de todas as partes de Zero. Mas não é só isso...


Na parte final do jogo, é preciso pegar um caminho alternativo e muito difícil, com uma passagem repleta de espinhos, que X deve superar (se virando com o Dash no Ar). 


Porém, mesmo passando pelo caminho difícil, ainda é preciso ter a vitalidade no máximo, pois só assim a Cápsula Final de Light aparece, numa parede falsa. Eu me lasquei a primeira vez pois, não sabia disso, e achei o caminho na sorte mesmo, mas não tinha nada na sala onde a Capsula apareceria, justamente por eu ter 1 ponto de vida a menos por causa de um golpe que tomei pouco antes. E olha que eu tinha Sub-Tanques cheios! Se soubesse disso teria economizado tempo pra caramba.


Zero


Ele morreu.

Mas não ta morto, se não tem corpo! É a regra! E nesse caso tem corpo então, ele morreu.

Mas, ele pode voltar. Por alguma razão que X não suspeita nenhum pouco, afinal é algo plenamente normal isso, os Vilões, que são uma organização DEDICADA A CAÇAR E ELIMINAR EXCLUSIVAMENTE UM ROBÔ AZUL CHAMADO MEGAMAN X, decidiram, do nada, só de bobeira mesmo, entregar de mão beijada o corpo RESTAURADO POR ELES de Zero, quem havia explodido o núcleo 6 meses antes.


Não havia sobrado absolutamente nada de seu corpo, exceto o X-Buster (isso se X pegasse ele de Zero na campanha de X1, o que pode-se canonizar pois é uma parte dramática importante), mas assim mesmo, os vilões, MAVERICKS, conseguiram restaurar ele por completo, e só não ativaram pois não tinham o Chip Mental dele, algo que ficou com X e Cain (se bobear tava no X-Buster).


Ninguém, absolutamente ninguém, suspeita da boa vontade desses vilões, que utilizam o corpo de Zero como isca pra X, distraindo ele.


Os caras montaram um corpo pra ele, e devolveram esse corpo pra X! Pior que eles nem precisavam fazer isso.

Poderia até ser algo justificado, com tipo, "Ah, os vilões roubaram as partes de Zero e X tem de recuperar", não! Na verdade, eles construíram Zero novamente, e decidiram desafiar X, durante os ataques ele próprio.


X pistola atacando as bases dos X-Hunters, e pra tentar distraí-lo, sabe-se lá pra que, eles mandaram uma mensagem informando que Zero havia sido restaurado por eles, e eles ofereceriam seu corpo como recompensa caso X os desafiasse em combates mano a mano.


Então eles passam a ir pra regiões diferentes e escondidas dentro das bases deles próprios (INCLUSIVE UM DOS ENCONTROS PODE SER NA PRÓPRIA CEDE DE MONITORAMENTO E PLANEJAMENTO DOS X-HUNTERS), notificando X de suas localizações pra que ele os encontre, combata, e vença!

Pois sim, eles esperam que X vença. A ideia é devolver Zero de toda forma, algo que vai acontecer independente das ações de X.

Zero pode retornar de duas formas ao longo do jogo. A primeira é coletando as 3 partes nos encontros com esses chefes, que só pra constar, lutam usando uma fração de seu poder (sim, eles vão desequipados pros primeiros encontros com X!).


Só que esses encontros só podem acontecer até o 6° chefe ser derrotado. Depois disso eles param de desafiar X e aguardam na base final.

A outra forma, é derrotando o próprio Zero, no confronto final.


Sigma (que não é novidade ou surpresa alguma estar vivo ainda, afinal ele mesmo notificou X no final de MMX1), transforma Zero em seu novo "cachorrinho", lançando ele contra X antes de enfrenta-lo pessoalmente.

Nesse caso, podem ocorrer duas coisas: Sigma usa uma versão sombria de Zero (que é um reploide falso) o qual é detonado pelo Zero real (se ele foi recuperado por X).


Ou, o próprio Zero, reativado por Sigma, aparece e sem dizer uma única palavra, parte pra cima de X com todas as forças.


Nas duas situações o desfecho é o mesmo (por isso eu digo que os vilões queriam que Zero fosse recuperado por X o tempo todo), com Zero recobrando a consciência e se voltando contra Sigma, abrindo caminho pra batalha do chefão final, e ainda por cima se oferecendo pra destruir o resto da base sozinho!


Zero só volta, sem mais nem menos, e luta ao lado de X, sem ninguém estranhar o tamanho da conveniência.


Cain é responsável por remonta-lo, caso suas partes sejam "recuperadas" por X. No entanto não é ele quem o reconstruiu. Além disso, o Chip Mental que ele inclui em Zero é a única parte que eles, a Maverick Hunters, tinha em mãos.

Ironicamente, quando Zero é restaurado pelos X-Hunters, eles também usam o Chip Mental dele, roubado direto da base dos Maverick Hunters. E sim, eles se infiltram lá e roubam (algo que Cain fala pouco antes da batalha final).


Ou seja, aquele corpo, o corpo montado pelos vilões, era e em todas as versões continua sendo, um Corpo Criado Por Vilões. A única coisa que se mantém original de Zero, é o Chip dele, que teoricamente, seria tudo de importante, a menos que...

Agile, Serges e Vilen


Esses são os três vilões que se unem pra caçar X, usando 8 mavericks especiais, e uma tonelada de mecaniloides corrompidos.


Os três monitoram os movimentos de X o tempo inteiro, e parecem planejar algo muito terrível pra se livrar dele de vez, tanto que contam os segundos para começarem a agir.

Quando X elimina 2 de seus mavericks, eles ficam impressionados com a desenvoltura do reploide, e optam por intervir pessoalmente. Só que, eles fazem isso no que parece uma simples, distração.


Agile fala bem rápido, enquanto Serges é mais lento, e Vilen é extremamente lento pra falar. Isso sugere que suas personalidades são, respectivamente, de um Inquieto, um Calculista e um Lerdo.

Em batalha essas características são ainda mais ressaltadas, com Agile sendo muito rápido em tudo que faz, quase não dando tempo de reação, enquanto Serges intercala entre velocidade e precisão, plantando armadilhas ao mesmo tempo que luta, e Vilen quase nem se move, apenas contando com pura força bruta.


O que importa porém é que nenhum dos três enfrenta X pra valer, nos encontros opcionais. 

Cada um deles vem com seus equipamentos básicos de batalha, algo que fica muito claro quando eles surgem na fase final, equipados nesse caso pra vencer.

Antes eu achava que eles se atualizavam depois de serem derrotados pela primeira vez, porém eles surgem modificados mesmo se X ignorar o encontro alternativo, totalmente.

Logo, tudo leva a crer que eles armaram pra X, e essa armação envolvia Zero!


Zero foi reconstruído por Serges, que parece ser o cientista do trio (mesmo sendo um reploide). O plano parece ser de Agile (ele responde as conversas quase como se fosse o líder) enquanto Vilen meio que sobra. Ele faz parte do time, isso que importa.

Os 3 são os responsáveis pela X-Hunter, e eles respondem diretamente a Sigma.

Ao que parece, eles também são os responsáveis, em nome de Sigma, de criar o Vírus que infecta Reploides pra se tornarem Mavericks.

Esse vírus corrompe qualquer reploide, e parece ser o que usaram pra tornar Zero um inimigo provisório. Mas, na verdade... isso tudo era parte de um plano muito maior. Guarde isso.

Sigma


Por fim, Sigma ressurge com um novo corpo, e confronta X diretamente depois de enviar (ou tentar enviar) Zero em seu lugar.


Zero o trai, e esse é um ponto interessante. Nos dois desfechos possíveis, a reação de Sigma tanto antes quanto depois das ações de Zero é exatamente a mesma. 

Ao apresentar Zero (ou Black Zero), Sigma faz o mesmo discurso, de que Zero está desapontado com X e quer vingança por ter sido morto 6 meses atrás. É sigma quem fala por Zero, mas o curioso é o teor provocativo de suas frases.


O discurso só muda um pouco quando Zero é montado antes do confronto. Nesse caso ele diz que conhece o segredo de Zero, e ele estava destinado a segui-lo, mas o robô ignora totalmente o que ele diz e só ataca.


Parece que ele quer mesmo incomodar e irritar X, fazendo-o acreditar que aquele Zero tinha se voltado contra ele.

Porém, depois que Zero se rebela, repentinamente optando por destruir a base inteira, ao passo que X enfrenta Sigma, eis que Sigma indaga ao ser derrotado: "Mas, não entendo por qual motivo, razão ou circunstância, Zero viria me trair, ora, mas que lástima, ele é a última criação do doutor!"


Pois é, pois é... Sigma acha estranho, Zero, um Maverick Hunter classe SA, se voltar contra ele após ganhar um corpo inteiramente novo, e ter lavagem cerebral com o Vírus que ele mesmo criou. Nossa, que coisa estranha não?!

O mais bizarro é X cair nessa ladainha e acreditar que tudo ocorreu por acaso. 

Sigma montou um plano a longo prazo, pra acabar com a Maverick Hunters de dentro, e claro, aniquilar X, ou pelo menos torná-lo um dos seus.


Pra isso, o primeiro passo que ele precisava dar era Zero, trazê-lo de volta, e infiltrá-lo na organização.

Zero não fazia nem ideia do que lhe aguardava... mas isso é coisa pra falar em outros artigos.

Aliás, do jeito que Sigma menciona o "doutor", fica parecendo que ele ta citando um cientista antigo, talvez Wily, ou até mesmo o próprio Light. Como ele não fala nomes, apenas diz que é "A última criação do doutor", não da pra saber. Porém, nada impede que ele estivesse falando do seu próprio aliado, como "doutor", o Serges.

Afinal de contas, Zero de fato foi a última criação de Serges, pelo menos o novo modelo que ele vestiu. 

Outra coisa, o Z-Saber, que Zero passa usar aqui, é uma aquisição de Sigma! Sigma lhe deu o sabre que usou durante o primeiro jogo, em seu antigo corpo.

Nada me espantaria, se esse novo corpo de Zero na verdade fosse uma reformulação daquele corpo de Sigma, somada aos destroços de seu corpo original. Ou seja, Sigma em toda parte!

Inimigos

Tem muito robô convertido, que sinceramente não compensa mencionar. Os robôs geralmente são bem genéricos, mas, talvez um diferencial aqui seja o fato de uma boa parte deles serem fabricações de Sigma.

O vírus que ele gerou, não é apenas um programa instalado internamente, mas um sistema externo. Tecnicamente, ele aplica seu Logotipo nos alvos, e isso leva junto toda a codificação pra alterá-los. Enquanto estiverem com a marca de Sigma, eles são Mavericks aos seus comandos.

Então, todo novo maverick leva em si uma parte de Sigma. Ele próprio passou a se proliferar.

Sub-Chefes

Ao longo do jogo, algumas fases contam com chefinhos, normalmente no meio delas. Sem contar os 3 chefes especiais e opcionais, há aqueles que sempre surgem nas fases, não importa o número de vezes que os enfrente, e são meio desafiadores.

Chop Register


Começando pelo chefe que mais utiliza o chip gráfico Cx4, ele é uma Espada Holograma, gerada no meio de uma fase de Segurança. Aliás, essa fase era a própria Base dos X-Hunters.


A sala na qual ela é enfrentada, é a mesma onde Sigma e Zero surgem posteriormente. É justamente embaixo dela que Sigma se esconde, o que sugere que na verdade, ela seja uma parte dele, ainda mais considerando como ele fica depois.

Essa Espada voa, e gira, causando dano com o contato, e sofrendo dando somente na empunhadura.


Como ela se movimenta sequencialmente e frequentemente com a lâmina pra frente, brandindo em torno de si própria, acertar a empunhadura é bem difícil.

Ela não conta com Barra de Energia visível (nenhum sub-chefe tem), então é um teste de paciência enfrenta-la.

Raider Killer


Nessa mesma fase, existe outro sub-chefe (não é de se estranhar afinal, essa é a base principal dos caras, mesmo sendo usada como fase normal). Ele surge perto do final, e é um robô que se aprimora com dados do alvo.


Ao que parece, ele foi criado pra derrotar X, exclusivamente pra isso, e tem em seu banco de dados um perfil completo de X, com seus movimentos e até algumas atualizações de última hora.


Ao visitar a fase, pouco antes de encontrá-lo, X precisa passar por uma sala grande com blocos se formando. Além de ter de esquivar dos blocos, X precisa fugir de um Rastreio desse robô, que puxa suas informações pra se fortalecer ainda mais.


Quando enfrentado, ele pode vir na forma mais simples, ou na forma aprimorada com os dados puxados de X.


Cada forma tem mais movimentos, e mais velocidade, além de um tempo de reação muito menor.


Ele atira energia carregada, e salta dando disparos pra baixo. Mas, quanto mais aprimorado estiver, mais rápido ele fica (e até pode mudar a altura de seus tiros).

Sea Canthller


Esse é um chefinho que surge um pouco depois do início da fase aquática. Seu confronto é meio que opcional, pois da pra atravessar o mapa independente dele estar ativo ou não.


A questão com ele é que ele navega pelo cenário aquático inteiro, atirando em X no processo, de várias formas diferentes.

O mapa é grande, mas esse chefe, que lembra um Peixe Grande em forma de Submarino, acaba atrasando e dificultando a passagem pelo mapa.


Lembrando que, da pra atravessar todo o mapa independente dele ser derrotado ou não, mas acabar com ele antes do fim do percurso liberar uma sala secreta (acessível apenas e um dos 3 chefes secretos estiver na fase).


Da pra só ignorar ele e ir na frente, se o jogador tiver com pressa. Mas, ele acelera um pouco pra tentar alcançar X.

Pararoid S-38


Esse inimigo, encontrado num Ferro Velho, é um tipo de parasita controlador de robôs, criado em laboratório, ao que parece, nesse mesmo Ferro Velho.


Parece que os X-Hunters inventaram seu vírus usando e testando na sucata presente nesse ferro velho de robôs, o que também gerou mais um monte de máquinas parasitas, como esse inseto. Provavelmente, todos os robôs achados nesse mapa são experiências para o vírus final.

Esse robozinho em forma de inseto voador tem como habilidade a impregnação de robôs sucateados, os reativando e usando como corpo descartável.


Mesmo quando o robô corpo é destruído, eles voltam ao normal e buscam um novo recipiente. 


Tem uma versão sub-chefe, que se instala em robôs do Ferro Velho mesmo, e tem versões mais fracas aos montes pelo mapa.

Essas versões também podem infectar X, travando um de seus movimentos e os repetindo como desejarem, sem o controle do jogador.


Esse mesmo robô parasita pode ser encontrado nas fases finais, reforçando a hipótese de serem máquinas criadas pelos Mavericks, com o propósito de proliferação dos seus males.


Ele pode ser derrotado facilmente com fogo... e suas versões mais simples podem ser derrotadas com tiros comuns rapidamente.


Além disso, a versão sub-chefe aparece 2 vezes na fase, sugerindo que há vários outros como ele. Isso também fica claro pelas cápsulas ao fundo da primeira sala onde ele aparece.

Magna Quartz


Esse é um chefinho estranho, que fica no meio da fase de Cristais.


Ele fica imóvel no canto da sala, e só ataca usando alguns drones que atiram feito loucos em todas as direções, voando pela tela.


De início ele invoca apenas um drone, mas conforme a luta dura, ele chama por mais e mais (eu só durei até 2 aparecerem). Eles atiram sem parar, e não podem ser destruídos.


No entanto, apesar dele estar envolto de um cristal que o protege, ele pode ser ferido se o tiro acertar a região ocular.

Com o templo o cristal se racha e ele explode.

Chefes

Por fim, eis os chefões. Todos eles só podem ser enfrentados 1 vez (caso derrotados é claro).

Gigantic Mechaniloid CF-0


Esse é o primeiro chefe, na primeira fase, que serve de prólogo, algo costumeiro na franquia.


Ele surge em uma fábrica de inúmeros modelos diferentes de Mecaniloides, e X a invade pra acabar com o foco de Mavericks, pois essa fábrica havia sido dominada e controlada pelos vilões.

Tem vários modelos como o CF-0 ao fundo, mas X destrói o primeiro ativado, o que causa uma explosão em cadeia e destrói a fabrica inteira (ele é violento!).


Esse robô é, grande. Ele se move pulando pela enorme sala, ou apenas andando, e seu corpo tem vários pontos que causam dano a X caso ele encoste, como as mãos e cabeça.

Ele também ataca com seus punhos, e pés, tudo dependendo da altura que X se encontra, através das plataformas.

Seu ponto fraco é a cabeça, e ele não é tão poderoso, sendo apenas um vislumbre do Efeito do Chipe Gráfico novo mesmo.


Após vencê-lo, X passa a caçar os demais mavericks, cada um em uma base diferente.

Wire Sponge


Esse chefe é um tipo de planta, que aparece no fim de uma fase com sistema climático.

Ele se estabeleceu e tomou conta de um tipo de Estufa com capacidade de manipulação meteorológica. Ao que parece, o objetivo era dominar o clima pra se fortalecer, e também pra proliferar mecaniloides do tipo florestal com maior facilidade, os adaptando e fortalecendo também aos diferentes tipos de tempo.


A fase inteira tem reguladores climáticos em forma de esferas, que fazem a paisagem e clima mudar, dependendo do elemento posto nas esferas (por exemplo, jogar algo de fogo, fará o tempo ficar abafado), ou dependendo da vontade de Wire mesmo (que pré-estabelece tudo pra dificultar a passagem de X).


Os robôs encontrados nessa fase se adaptam ao clima, sofrendo com ele ou, ficando mais fortes, o que reforça a ideia de ser um tipo de "base de testes e treinamento" aos olhos de Wire.

Agora, sobre o chefe... ele é simples pra caramba.


Ele atira Espinhos, quando se pendura no teto e sobe lentamente. Estes espinhos ficam no chão, e apesar de não matarem com um simples toque (como os espinhos normais) eles atrapalham muito, e causam dano.


Outro ataque dele é o de atirar um cipó, que pode acertar X, ou o prender na parede, puxando-o na direção dela.


Ele intercala entre esses ataques, além de pular, e também se defender girando seus cipós.

Por fim, ele pode se estressar quando ta perto de ser derrotado, ficando eletrificado, e atirando raios do teto.


Ele demora um pouco pra carregar os raios (ficando imune a danos enquanto carrega), mas eles são bem aleatórios.

O poder que ele entrega pra X depois de destruído é um dos mais inúteis que X já teve em toda sua história.


Ele lança um Gancho de Energia, que causa um dano ridículo.


Quando carregado, o Gacho aumenta a distância, e pode puxar objetos... mas ele é grande de mais pra puxar coisas de buracos pequenos, e não atravessa paredes (diferentes dos bumerangues do primeiro jogo).


Seu consumo também é alto, o que torna ele muito pouco rentável.

No entanto, ele é a única arma (além do tiro carregado) que pode ferir Sigma no fim... só por ser "elétrico".

Referente a sua descrição oficial no Legacy Collection... passo. Os caras literalmente falaram "Sigma botou ele de castigo no jardim e agora ele brinca de mexer com o tempo". Sério Capcom?! Detalhe, ele nunca fez parte da Maverick Hunters (provavelmente por ser baseado numa planta, e os caras não saberem em qual unidade incluí-lo.)

Flame Stag


Num vulcão, esse chefe é encontrado extraindo e manipulando lava da montanha, através de escavação (com mecaniloides voltados pra isso) e tubulações, provavelmente para fins enérgicos (fogo gera um tipo de energia bem útil pra Sigma).

Sua fase inteira é apenas isso, um grande vulcão, com pedras e erupções, no qual X precisa se infiltrar pra localizar e derrotar essa ameaça.


Flame lembra um cervo, e é combatido no centro de suas instalações.


Seus ataques são fáceis de prever e lidar (ainda mais se o jogador se recorda do combate contra Sigma em X1), com ele pulando nas paredes em ziguezague, pra cima e pra baixo, até acertar X.


Ele também atira bolas de fogo, e pega impulso com fogo, vermelho ou azul (quando ta irritado e perto de ser derrotado, o que causa mais dano).


O poder que é copiado dele é esse disparo de fogo, com X lançando uma bola flamejante, que queima brevemente o solo também.


Quando carregado, o fogo dá um Dash Voador pra X, que pode ser combinado com o Dash Voador da Armadura Especial.


Sobre o Stag, ele era um membro da Unidade 17 (a mesma de X e Zero nas descrições de Legacy Collection) e teria desertado ao lado de Boomer Kwuanger, ambos como mavericks. Só que ele só deu as caras agora, porque... sim.

Ironicamente o cara é descrito como um vilão pitoresco que quer "bloquear o sol com cinzas vulcânicas, provocando erupções, pra trazer uma nova era do gelo". Sendo muito sincero, o cara que escreveu essa nota de rodapé na descrição do personagem em Legacy Collection provavelmente tava chapado.

Ele é um reploide focado em combustão, tanto que seus chifres são formados de fogo, apenas fogo. Ele se energiza com fogo, então qual o sentido de trazer uma era do gelo!? E que raios de ideia seria essa?! "Ah, eu vou tapar o sol aqui tio Sigma, sou do mal" Aí Sigma diz "Vai lá, ótima ideia (preciso rever quem trago pro meu time, esse ai ta piradão)".

Bubble Crab


Na fase aquática, é onde o submarino surge o caminho todo. Além disso tem várias águas vivas mecânicas flutuando atoa, só pra atrapalhar.


Não parece ter nada de importante na região, sendo um tipo de caverna mesmo, com muita água dentro. O chefe fica escondido em instalações mais ao centro.


Crab, que lembra um caranguejo esquisito, tem um dos combates mais simples de todos, por conta de uma grave falha em seu sistema de defesa/ataque.


Ele invoca uma bolha gigante em torno de si, que não pode ser penetrada ou estourada até que ele mesmo faça isso de dentro pra fora.

O problema disso é que, além dele poder saltar na direção de X com essa bolha, o que causa dano, ele tem como ataque a capacidade de invocar duas garras de energia pra cima.


Moral da história: Pular por cima dele, faz ele tentar agarrar X, o que estoura a bolha, e ainda expõe ele, que fica suspenso no ar (ou na água se tiver submerso) por um tempo.


Ele também pode invocar pequenos mecaniloides caranguejos, que podem ficar flutuando em bolhas, ou podem nadar de um lado pro outro pra acertar X.


Porém, ele sempre prioriza invocar sua bolha protetora, e tentar agarrar X pra cima.


O poder que X copia é o de invocar bolhas. Porém, elas não vem do mesmo jeito que ele usava.

O uso simples, dispara várias bolhas continuamente. O que seria ridiculamente inútil se elas não causassem um daninho legal.


Já o uso carregado, cria um escudo de bolhas em torno de si, que foram e acertam inimigos que toquem em X, renovando as bolhas em seguida. Porém, elas consomem energia enquanto X estiver usando, independente das bolhas estourarem ou não.

Um efeito extra disso é o peso afetado de X enquanto submerso. Na água, X já fica mais leve e pila um pouco mais alto, e mais lentamente. Porém, com o escudo de bolhas, ele praticamente vós de tão alto que pode pular (indo até a superfície).

Além disso, vale contar que a água nesse jogo pode ser usada como plataforma, se X pular rápido, não afundando. Um dos sub-tanques precisa disso pra ser pego, tanto do escudo de bolhas, quanto do pulo acima d'água.


Falando do Bubble, ele é um Maverick que pertenceu aos Mavericks Hunters, na Unidade 6 (Aquática). Porém, ele é um tipo de pirata ganancioso que Sigma simpatizou. Nesse ponto, descrições do personagem divergem. Umas dizem que ele era um pirata caçado pela Maverick Hunters, outras dizem que ele era um membro da organização, porém meio ganancioso... enfim, na prática, ele só é um Caranguejo isoladão.

Ele não se da bem com o Crocodilo, ponto. Se ele era mesmo um pirata, talvez era caçado por ele, e se ele era da Unidade 6 mesmo, talvez o comportamento dele incomodava o Crocodilo. Independente disso, eles são mesmo rivais. Aliás, nesse ponto dou o braço a torcer, pois além de terem essa história de fundo com rivalidade, isso é corroborado durante o jogo, pois o poder do Caranguejo afeta o Crocodilo, e vice-versa (algo incomum na franquia X, visto que normalmente o poder de um chefe só afeta outro num tipo de cadeia, formando um ciclo, sem ocorrer esse tipo de anulação).


Só pra constar, aqui tem esse esquema de elementos opostos mas, na prática, nem faz tanta diferença (na verdade, compensa mais atacar normalmente).

Crystal Snail


Esse chefe surge numa fase toda cristalizada, que parece um tipo de montanha a ser minerada, apesar de que, não há qualquer vestígio de trabalho minerador (sem carros de transporte, sem robôs mineradores, nada disso... aliás até tem um, mas é abandonado).


A invés disso, há vários robôs montados dentro dos próprios cristais, quase como se esses cristais fossem a matéria prima para eles serem gerados.

Esses robôs, que só surgem neste mapa, parecem todos versões menores do Magna Quartz. Todos com um núcleo que pode atirar lasers, mas fáceis de detonar com tiros.


No mapa também há como obstáculos blocos de cristais grandes, que só podem ser quebrados por golpes de Mechas Perfuradores (o único tipo de máquina encontrada com tal função, mas só há robôs para X equipar, sem qualquer um controlado por mavericks, dando a impressão de que estão abandonados).


Ao meu ver, essa é de fato uma montanha rica num tipo de cristal propício ao desenvolvimento de reploides e mecaniloides, e foi invadido pelos Mavericks, na pretensão de usar esses recursos pra aumentar seus números, criando novos tipos de máquinas baseadas nesses cristais (talvez os utilizando como fonte de energia).

O chefe dessa fase fica localizado bem ao fundo das cavernas, e usa os cristais como forma de paralisar seus inimigos.


Snail lembra um caramujo, com um casco indestrutível (provavelmente feito dos cristais apesar da cor muito diferente). Ele fica se defendendo completamente de qualquer disparo de X, e em breve intervalos lança cristais, que congelam X ao contato (por um bom tempo).


Ele também pode voar enquanto gira, estagnado em pontos até se lançar na direção de X.


E, quando está perto de ser derrotado, ele passa a apelar pra desaceleração do tempo. Ele faz tudo ficar mais lento pra X, enquanto ataca ainda em sua velocidade normal. Isso por algum tempo...


Bem, o poder adquirido ao derrota-lo é o de criar Cristais. X passa a congelar inimigos (não todos) transformando-os em Blocos Cristalizados, o que serve de plataforma.


Quando carregado, esse poder deixa o tempo mais lento, por alguns segundos. O problema é que X também fica mais lento, fazendo com que isso só seja útil caso ele precise realizar algum movimento muito preciso.


A história dele em Legacy Collection: Ele é um reploide que gosta de se esconder, e se escondeu de todos numa montanha de cristais, fazendo dela sua casa. Bem ameaçador não?!

Na verdade, ele parece como um dos reploides aprimorados por Sigma, transformado num Maverick pra absorver o máximo do potencial dos Cristais Especiais daquela caverna. Sua função era ser uma cobaia pra ver as reações do uso daqueles cristais.

Morph Moth


Esse é o primeiro chefe que tem transição física muito além da visual. Repare que boa parte dos chefes tem um tipo de "modo fúria", mudando um pouco seus ataques e comportamento perto da fase de derrota. Pòrém, a borboletinha é diferente pra caramba.

Sua fase é o Ferro Velho, centro de pesquisas clandestinas por assim dizer, dos Mavericks. Todo tipo de projeto estranho é encontrado lá, como robôs sucateados zumbis (pendurados no teto), e parasitas controladores de mentes robóticas, como citado anteriormente.


Um robô que pouco reparei mas também surge muito neste mapa (e posteriormente em outros) é um aglomerado daquele robozinho amarelo clássico. Sua versão comum não aparece, mas no lugar dele tem um tipo de robô de transporte, que puxa e funde sucatas desses robôs para seu corpo. Mesmo quando ele tem esse revestimento tirado, ele continua andando e, pode invocar mais.


Enfim, no fim da fase, surge Morph Moth, que de início tem apenas a forma de um casulo, que se balança e atira lixo.


Seus ataques são padronizados, com ele balançando de um lado ao outro, e depois rompendo o cabo/teia que o prende ao tento, girando rente ao solo, novamente e um lado ao outro, atirando lixo e metal sucateado pra cima.


Depois, ele joga um novo cabo/teia, e fica parado normalmente no centro da tela, criando uma espiral de lixo contínuo até se cansar, e voltar a balançar.


A questão com ele é que, isso nem é o chefe real. É apenas sua forma inicial, com ele mudando totalmente assim que chega em menos da metade da energia vital.

Quando se transforma, o cenário se expande pra cima, e ele surge como um tipo de Borboleta, que derrama pólen enquanto voa, o que causa um pouco de dano.


Além disso, ela invoca um laser poderoso na direção de X, que causa um dano absurdo, e também causa um dano equivalente quando entra em contato físico com X.

Ela é difícil de derrotar, a menos que se tenha fogo ou conheça os padrões dela.

Enfim, depois de vencê-la, o poder adquirido é o de jogar "lixo".


Na verdade, X passa a coletar detritos do ambiente e os dispara, como uma massa de material acumulado. Isso faz com que o bloco que ele joga mude dependendo do mapa em que ele está.

As vezes pode ser terra, pode ser metal, podem ser folhas, pedras, varia muito.


Quando carregado, esse golpe puxa muito mais coisas, o que cria um bloco um pouquinho maior, mas sem grande diferença. O especial desse ataque é a capacidade de puxar coisas escondidas em certas regiões (são poucos locais assim, mas há salas vazias nas quais ele puxa itens de cura).


Sabe qual a explicação desse chefe existir? Nenhuma. Ele não era um Maverick Hunter da Divisão Voadora (poderia, mas não é) nem da Divisão Espiã (poderia, mas não é), mas sim um projeto, um reploide criado sem uma especialidade definida.

Faz sentido ele surgir no Ferro Velho e se interpretado dessa forma, mas sinceramente, achei que dizer que ele é um modelo inédito de reploide, ainda em desenvolvimento, soa muito fraco.

Faz mais sentido imaginar que ele é um Reploide Casulo, que foi aprimorado e desenvolvido com base nos testes que a X-Hunters fez no Ferro Velho. Por isso, ele se converteu numa Borboleta toda energizada e poderosa.

Overdrive Ostrich


No meio do deserto, há uma instalação militar preparada pra lançar um míssil. O alvo aparentemente era a Maverick Hunters, e a instalação tinha sido invadida por um monte de Mavericks.


X invade ela pra acabar com os planos dos robôs malvados, e pra isso, ele entra todo acelerado usando uma moto que pega num armazém no meio do caminho. O mapa é isso.

Usando uma moto, ele atravessa parte do cenário, pulando entre penhascos, e atravessando o deserto até chegar ao míssil, antes mesmo de ser lançado.


Daí ele pula no míssil e o explode assim que ele é disparado (a explosão é enorme, mas X parece resistir muito a esse tipo de dano).


Daí surge o chefe, que é um avestruz robô, rápido pra caramba.


Ele surge correndo do fundo do mapa, e dá um pulo alto o bastante pra investir com tudo em X, de cima do cenário.


Esse é um de seus movimentos, que se repete caso ele saia do campo de visão de X. A sala dele é gigante, quase ilimitada, então constantemente ele sai do campo de visão de X, voltando dessa forma.

Outros ataques que usa é o de lançar lâminas de energia, tanto pra frente, de seu bico, quanto pra cima, o que se espalha caindo com alguns espaçamentos entre cada lâmina.


E, ele pode correr dando bicadas, ou saltinhos com chutes. Isso pra empurrar X e causar dano com o impacto.


Após ser vencido, Ostrich liberar suas lâminas pra X, que passa a lança-las, sem grande dano, mas elas ricocheteiam nas paredes, com um limite de no máximo 3 disparos ao mesmo tempo (as laminas somem depois de alguns segundos, ou após acertar algum inimigo).


Quando carregado, ele lança as lâminas pro alto, num espaço menor que o do chefe, mas forte o bastante pra atingir inimigos no topo do mapa, e também causar grande dano em alguns chefes específicos.


No Legacy Collection ele é explicado como um ex-Maverick Hunter, recrutado por Sigma e acolhido por ele, depois que suas asas se quebraram.

O cara era da Unidade 7 (Aérea), e teria sido afastado do serviço por ter suas asas danificadas, o que posteriormente foi corrigido por Sigma que lhe ensinou a valorizar suas outras características, como suas pernas, o que fez ele ser um velocista.

Caras, ele é um AVESTRUZ, uma ave que não voa, e tem como característica marcante a habilidade de correr. Ele foi citado como "ex voador" pra justificar sua presença na Unidade Voadora. Só que o modelo base desse reploide é justamente uma criatura que não voa. Simplesmente não faz sentido!

Fica parecendo que criaram a explicação dele ser acolhido e tal, pra mostrar que nem todo Maverick é mal, apenas mal compreendido, e também pra fazer Sigma passar por um cara estratégico que aproveita bem os recursos que tem. 

De toda forma, não entendo essa obsessão em incluir cada reploide em uma unidade diferente, baseando-se no animal no qual foram moldados. As vezes a ideia só não casa, além do mais, nem faz sentido montarem essas Unidades no tempo em que a Maverick Hunters tava começando ainda. Foi uma justificativa posterior e mais recente, pra tentar incluir os jogos originais "forçadamente" na franquia geral (quando na real nem precisava disso).

Wheel Gator


No meio de uma cidade, um tipo de Balão Alegórico em forma de Crocodilo passa a ataca-la. Esse "balão" é uma base voadora personalizada pelo Wheel Gator, que simplesmente passeia pela cidade, destruindo tudo.


X entra nele e busca pelo chefe, peitando alguns robôs genéricos de fases voadoras. Tecnicamente, essa é uma fase voadora, apesar do chefe ser do tipo aquático. Vai entender! 


Aliás, vale dizer que pelo que parece, essa nave transporta os robôs mechas pra invadirem a cidade, semelhante a nave que o Storm Eagle usava no outro jogo. Tem um grande armazém deles, e este é o local que eles mais aparecem.


Wheel Gator é um crocodilo robô, e surge na sala de comando de sua nave/base/megazord, que fica na cabeça. Mas, ele se esconde, no que parecem esgotos dentro da mesma (sinceramente, acho que a ideia original era fazer uma fase de esgotos pra ele surgir, mas mudaram de última hora).


Ele fica abaixo da água suja, jogando serras circulares na direção de X, de tempos em tempos.

Caso X fique na água, ele o pega com a boca, dando uma mordida de surpresa. Ele sai da água depois disso, por um tempo, e pode sofrer danos.


Então, ele joga mais serras circulares, que saltam pelo mapa, até se esconder novamente.


Ele tem também uma mordida especial, que pode comer disparos de X, e converte-los em energia pra contra-atacar com tiros.


E, quando se irrita, ele passa a dar investidas giratórias, perfurando a parede. Esses ataques criam fissuras nas paredes, que prejudicam X, pois ele não pode escorregar sem tomar dano. No entanto é preciso muitos deles pra fazer alguma diferença significativa, e o chefe não dura tanto.


Quando derrotado, o ataque que X pega é a Serra, que pode abrir passagens secretas, destruindo blocos.


Quando carregado, X explode uma serra e joga Energia em todas as direções... só isso.


É dito em sua descrição no Legacy Collection que ele era um aliado de Octopus (do X1) e Bubble na Unidade 6 (Aquática) da Maverick Hunters, e sempre teve certa rivalidade com o Caranguejo. Porém, acho que falaram isso só por ele ser um reploide aquático mesmo, pra entrar no "padrão", fazendo parecer que todo reploide que tem alguma relação com água, já foi dessa Unidade.

Lembrando que o conceito de Unidades Diferentes foi algo incluído com o aumento gradativo da Maverick Hunters. No começo, nesse começo, essa organização era pequena ainda, e só cresceu (muito) por causa do aumento de Mavericks. Acho um erro terrível atribuir esse conceito de unidades aos primeiros Mavericks Hunters, e foi algo feito muito no Legacy Collection. 

Magna Centipede


E por fim, na lista dos 8 chefes principais, vem o Centipede, um Inseto Robô Ninja.

Ele lembra aquele visto no X1 (Boomer Kuwanger) dando a impressão que todo robô Inseto tem características ninjas. Porém, é citado nos documentos de Legacy Collection que ele era da Unidade 0, de Espionagem, e não da Unidade 17 (assim como seu semelhante).


Aliás, é dito também que Centipede nunca traiu os Maverick Hunters. Ele foi capturado em missão, e convertido num Maverick Artificial pelos projetos de Sigma. O seu vírus foi implementado nele.

Bem, ele surge na Base dos X-Hunters, os vilões que queria acabar com X. Sua função é apenas de segurança, pois a base volta a ser explorada no final do jogo.

Essa fase tem um sistema de alerta baseado em holofotes, que ativam toda a segurança caso X seja identificado. No começo isso só aciona os robôs que atiram em X, mas posteriormente esse sistema de alerta também afeta o cenário em si.


Ele tem vários blocos, alguns esmagam o reploide só com o contato, e se movem por conta própria, servindo de obstáculos.


Mas, também há alguns blocos que se formam no cenário (alias, formam o próprio cenário... parece a mesma tecnologia do Yellow Devil da franquia clássica), batendo contra X caso ele tente atravessar. A velocidade com que caem depende do quanto ele foi visto e pego pelo sistema de alerta.


No fim da fase, perto da sala de controle, também há pontes que caem quando X se aproxima.

Vale dizer que no começo da fase, X já aparece na sala de monitoramento, onde inclusive ele mesmo era observado pelos vilões no começo do jogo.


Enfim, ao encontrar Centipede, ele ataca usando os cantos da sala.

Ele pode se teletransportar, ficando de cabeça pra baixo, no topo do cenário, ou no chão.


Ele pode disparar sua cauda (dividida em quatro partes) como se fossem bombas rastreadoras, que circulam X e o acertam depois de um tempo. 


Ele também pode jogar shurikens pequenas.


Também pode saltar na direção de X, mesmo quando ta no teto (como se controlasse a gravidade).


Inclusive, um poder apelativo que ele usa é o de puxar X com a gravidade. Caso ele pegue X, ao invés de causar dano, ele suga suas habilidades.


A cada agarrada dessas, ele reduz as forças de X, quase como se o adoecesse. Por exemplo, o Disparo Carregado passa a falhar, o Dash pode ficar muito mais lento, e até os Pulos podem perder a altura.

Tudo depende do quanto X é capturado por ele.


Ao derrotar o chefe, X recebe a capacidade lançar Explosivos Redirecionáveis (apenas pra cima ou pra baixo), que se instalam em locais e explodem depois de um tempo.


Ao carregar o golpe, ele invoca um minúsculo buraco negro móvel, bem pequeno mesmo, que também pode ser redirecionado pra cima ou pra baixo, enquanto se move lentamente pra frente, causando dano em inimigos no raio de impacto.


Com todos os chefes derrotados, a base principal dos Mavericks é localizada e invadida por X, onde em 3 fases, cada um dos chefes especiais surge, melhorado.

Violen


Um robô com uma Bola de Espinhos, esse é o músculo da X-Hunters.


Assim como os demais, ele pode aparecer nos encontros temporários pra "entregar" as partes de Zero. Porém, apesar de muito forte, ele é o mais simples dos 3 chefes.

Tudo que ele faz é jogar uma Bola de Espinhos, que bate nas coisas e balança até acertar X. Os movimentos dela são bem difíceis de prever, e são rápidos, mas, tem alguns padrões e da pra tentar esquivar.


Ele tem uma defesa grande quando a Bola ta na frente dele, mas, sempre que ele ataca, fica vulnerável.

Ele também pula, e atira pra baixo, ou pra frente. Mas, seu forte mesmo é a Bola de Espinhos.


Depois de derrotado pela primeira vez, se for enfrentado é claro, ele também surge na primeira fase final, com o upgrade de criar vários blocos no cenário, por onde sua Bola de Espinhos pode ricochetear pra acertar X, saindo do padrão.


Esses blocos podem também ajudar X, servindo de plataformas ou até escudos, justamente contra a Bola de Espinhos. Ou seja, esse chefe se atrapalha um pouco na armadilha que escolhe.


Detalhe: Ele aparece com o upgrade independente de ser enfrentado e derrotado antes, sugerindo que esse era seu poder máximo tempo todo, e ele não estava lutando a sério no encontro opcional.


Serges


Um cientista reploide bastante estrategista e versátil, ele quem remontou o corpo de Zero, e ele quem gerou as melhores armadilhas pra X.


No primeiro encontro, ele pode aparecer usando uma plataforma móvel, com um escudo projetável e impenetrável.


Porém, ele não se dá por satisfeito, e instala várias armadilhas no cenário enquanto se movimenta. Essa é sua fraqueza, pois pra instalar as armadilhas, ele precisa desativar brevemente o escudo.


Quando atacado nesse momento, ele pula muito alto enquanto atira pra todos os lados, mas isso também o deixa vulnerável, pois ao cair o escudo fica falho e, ele pode ser atingido novamente.


Mesmo se derrotado, ele volta aparecer na Segunda fase final, agora com uma nova máquina, muito maior, e mais artimanhas.


Ele aparece num macaniloide com 4 canhões a frente. X precisa ficar em plataformas móveis (pra cima e pra baixo) pra não tocar o chão com espinhos, isso enquanto o chefe lança vários tipos de disparos de energia diferentes de sua máquina. Isso lembra muito as lutas contra Wily na franquia Rock.


Depois de destruir cada um de seus canhões (que não tem barra de vida visível), ele se aproxima com sua máquina, até restarem apenas duas plataformas. Daí, a parte da frente do robô é descartada, e o robô cientista ataca por conta própria, com uma bola de energia, que explode em pontos aleatórios, e vira 4 bolinhas menores de energia.


Ele fica nessa, se movendo pra cima e pra baixo, sempre evitando ficar de frente pra X (pois ele só toma dano se for pego num disparo frontal), enquanto lança essas bolas de energia chatas, num certo padrão.


Bem, ao que parece, esse chefe é o cérebro da organização, além de Sigma é claro, sendo ele o provável responsável por todas as pesquisas vistas ao longo do jogo.


Eu não surpreenderia se Serges na verdade for um dos maiores auxiliares de Sigma, inclusive produzindo seus muitos corpos, e recursos de batalha.

Agile


Esse é o líder da X-Hunters, desconsiderando Sigma é claro, pois ele age como se estivesse no comando.

Agile é o mais rápido de todos, no combate alternativo, dando investidas com sua espada, cortando feito louco, quase sem dar tempo pra X respirar.


Ele também pula, caso X saia do chão, e lança rajadas de energia na direção do reploide, também com sua lâmina.


Ele fica nessa, até ser derrotado, e fugir.


Agile reaparece na terceira Fase Final, e vem muito, mas muito diferente.

Ele se transfere pra um mecaniloide no teto, que se move pra direita e esquerda.


Os pontos de sustentação pra ele, são descartáveis, ele cria plataformas com isso, soltando elas pra tentar esmagar X  de tempos em tempos. Porém ele permanece no topo, e cria novas plataformas.


Paralelo a isso, o chão é "remodulado", com as plataformas que ele solta, deixando sempre um buraco ao centro (que é o espaço em que ele fica no topo).


X deve evitar cair no buraco no meio, enquanto tenta acertar ele no topo, se pendurando nas paredes.

Porém, sempre que ele descarta as plataformas do topo, ele também joga bolas elétricas nas paredes, o que só atrapalha mais.


E pra variar ainda mais, ele lança mísseis de tempos em tempos, no centro da sala, que explodem e criam uma enorme bola de energia.


Ironicamente um bom truque nele é ficar na parte mais acima do mapa, acima das plataformas mesmo, em cima delas atirando. Quando ele solta as bolas de energia e as descarta, é só X esquivar, e continuar atacando.


Nesse caso, ele pode dar uma investida pro lado quando fica irritado, mas é fácil evitar pois ele alerta mudando de cor (fica todo vermelho).


Ao ser derrotado, ele clama por Sigma, pedindo por vingança. Mas ainda não é o fim.


Os 8 Teletransportadores

Uma Quarta "Fase Final" surge, sendo ela o "Boss Rush".


X entra num teletransportador, e em seguida aparece numa grande sala com 8 teletransportadores iguais.


Cada um leva pra um dos 8 chefes iniciais, e X deve derrota-los em sequência, com a mesma barra de vida.

Entre uma luta e outra, surgem alguns regeneradores de energia vital, mas são simples, e não curam tanto. Por isso, é um bom desafio enfrentar os 8 em sequência.


Pior é que, se X perder uma vida, ele volta pra sala com os chefes que já forma derrotados ainda derrotados. Porém, se ele perde todas as vidas, todos os chefes retornam nessa sala.

Vale dizer que, quando um chefe é derrotado, seu teletransportador desliga. Cito isso pois tem algo que falarei posteriormente e, é importante.

Zero


Vencendo todos, Sigma manda uma mensagem de voz pra X dizendo "Se lascou, eu voltei". E começa a batalha final, novamente na Base dos X-Hunters, aquela que X já havia invadido antes.


É a mesma fase no começo, mas quando chega onde o Chefe Espada surgiria, Sigma e Zero aparecem.


Detalhe, que nesse ponto, entrar na fase original do Centipede só leva pra esse mesmo evento, e se torna impossível visitar a fase inteira, sempre parando em Sigma.


Bem, como mencionado, Sigma provoca X com seu Zero, seja o falso ou o real. Quando é o Zero Falso, X recebe a ajuda de Zero, que destrói o fajuto e ainda abre caminho pra Sigma.

Quando é o Zero real, X tem de enfrenta-lo, e isso é bem tenso, pois vira uma fase extra pro Sigma.


Sempre é preciso atravessar o inicio da fase, com seus sistemas de alerta e afins, e enfrentar Zero, que não é nem um pouco fraco, e então ir direto pra batalha de Sigma, pois Zero antes de ser derrotado decide ajudar.

Em luta, Zero é implacável. Ele é mais rápido que o Agile, e pior, ele ataca de longe e de perto. Sempre dando 2 Tiros totalmente carregados, e uma espadada, ele dá uma investida em X.


Ao chegar perto de X, ele da um Giga Ataque no chão, esmurrando o solo, e jogando pedras pra todos os lados.


O golpe é tão forte, que destrói o cenário ao fundo.

Mas, Zero tem certos padrões de movimento previsíveis, mesmo sendo muito rápido, da pra vencer sem nem tomar um dano, pulado sobre ele (assim como o caranguejo) pra ele propositalmente usar o Giga ataque, e assim ataca-lo pelas costas.


Só que, ele é rápido pra caramba, e se X demorar, ele defende com a espada e ataca com agilidade.


Enfim, com apenas 1 barra de vida sobrando, Zero se alia e decide explodir a base toda, seguindo o caminho normal da fase, enquanto X fica responsável por vencer Sigma, passando por um buraco que Zero abre no murro.


Então, rola a luta final.

Sigma


Wolver... digo, Sigma, surge com garras e tem movimentos rápidos pra caramba.


No solo, ele avança em X com fúria, batendo nele com tanta força que X ricocheteia nas paredes, sem tempo de reação.


Daí, X é praticamente forçado a ficar nas paredes, escorregando, esperando uma brecha pra atacar.

Só que Sigma usa um ataque no qual ele some, e reaparece vindo do topo da sala, com suas garras, diretamente na cabeça de X.


Ele também pode invocar esferas de energia, que vão uma a uma na direção de X (da pra esquivar).


Por fim, ele também carrega um golpe de energia que vai rente ao chão, até metade da parede. 


Se X conseguir escapar de tudo e atacar, Sigma tem seu corpo destruído, mas não é o fim.

Sigma assume uma forma de Vírus, apenas isso, todo em linhas, usando e abusando do chip gráfico Cx4.


Ele não tem barra de vida, mas muda de cor conforme chega perto de ser derrotado. De início ele é verde, e precisa mudar de prisma até a cor vermelha.


Sigma Vírus tem como ataque a capacidade de lançar Energia pra baixo, de tempos em tempos, varrendo o mapa de um canto ao outro. Da pra escapar pulando sobre sua cabeça flutuante.


Ele também invoca mecaniloides, vários deles, geralmente 2 por vez. Ele literalmente projeta e dá vida a esses robôs (provando que Sigma chegou num nível assustador).


Esses robôs liberam itens de regeneração, as vezes, o que pode servir de suporte à X.


Entrar em contato com Sigma causa dano, e pelo que notei, quebra parte da regeneração de X (notei que os sub-tanques curavam só metade depois disso).


Além disso, quando Sigma fica Vermelho, ele além de ser muito mais rápido, também passa a ficar invisível, ressurgindo em partes da sala, tentando prender X dentro dele.


Detalhe: Sigma só leva dano do Buster Totalmente Carregado, ou, do Gancho de Energia Elétrico inútil.

Vencendo, Sigma explode, diz que não é o fim, reclama da traição de Zero, e pronto.


O Final

X começa a filosofar sobre sua existência, como sempre, e agora que a X-Hunters foi aniquilada, ele pode se focar mais em massacrar os Mavericks. Ainda por cima, agora ele tem Zero do lado de novo, de quem ele não suspeita, mas deveria.


Durante os créditos, os nomes dos inimigos aparecem, e X é visto em uma moto indo na direção oposta ao que o jogo costuma ir (logo, ele estaria voltando pra base ou algo assim, apesar de não ser preciso viajar fisicamente pois ele pode teletransportar).


E no fim, Zero aparece e dá um tiro.


Ironicamente, esse jogo te premia caso faça o "mínimo", diferente do costumeiro em jogos...

Se você terminar o jogo sem pegar as partes da armadura especial e sem pegar as partes de Zero, tudo ficará bem mais difícil (jogar sem carregar os tiros especiais, e sem ter defesa aumentada, é realmente difícil), mas o final muda um pouco, pelo menos os créditos.


Zero aparece correndo junto com X, ou pelo menos o encontra no meio do caminho. Ele surge parado, por quem X passa direto, e em seguida ele aparece dando um dash e ultrapassando X.


Além disso, no final, ao invés de aparecer o Zero dando um tiro, aparece o Black Zero.


Sim, é só isso mesmo.

Os Mistérios de Mega Man X

Porém não acabei ainda.

Mega Man X2 é talvez o jogo da franquia com o maior número de mistérios não resolvidos que já vi.

De início, achei que eram apenas pontos mal programados e que, forma disfarçados pelos criadores do jogo... mas... é tudo estranho de mais pra ser sincero.

Tem coisas que parecem ter sido postas por alguma razão, mas não tem nenhum efeito ou significado aparente. Apenas... chamam a atenção.

Por exemplo, se o jogador ficar no começo da fase do Crocodilo (Wheel Gator), e esperar, por muito tempo, vai notar que o cenário escurece, anoitecendo. Fica bem bonito, com os prédios ao fundo se iluminando, e a noite chegando... Só que isso demora, e é algo que raramente alguém nota (a fase não exige permanência longa, ela é curta) além de não influenciar em nada, seja no cenário, seja nos inimigos. Nada muda, só fica de noite.


Nessa mesma fase, há um ponto estranho, no qual a câmera se reajusta, quase como se mostrasse um local secreto, ou um ponto importante. X apenas entra num ponto e, se andar pro lado, a cena centraliza esse local. Porém, não há nada lá! Absolutamente nada, sem interatividade, sem segredos, apenas... o fundo do mapa com um penhasco. Porque focar essa parte se não há nada lá?


Outras fases, como a fase dos Climas, ela tem certa influência pelas ações do jogador, mas... apesar de tempo Chuvoso e tempo Abafado afetar os inimigos, o que o Tempo Nublado faz?! Eu não percebi nada, e sinceramente, achei irrelevante usar esse recurso pra superar a fase. Fica parecendo que tem algum segredo dependente disso pra ser achado, mas, não há.


A fase do deserto também, tem uma máquina que gera uma Tempestade de Areia, mas somente em uma parte (da pra supor que serve pra esconder a base). X pode destruir ela, ou ignorar e passar por cima mesmo (a areia nem empurra ele só pra constar), e isso não afeta em absolutamente nada no jogo (no máximo, tira a tempestade, que polui visualmente o cenário, mas que não desacelera ele, nem empurra ele pra trás, nada disso). O motivo dessa máquina existir? Como eu disse, pode ser apenas algo pra disfarçar a base, mas... se ela não influencia em nada, porque coloca-la? X chegou la da mesma forma.


Esses mistérios parecem coisa boba, eu sei, mas aí vem o maior de todos: O Teletransportador Destruído.

Na fase de Boss Rush, tem um Teletransportador certo? Pois é, do lado dele, tem um todo destruído, que nunca é explicado dentro do jogo!


Pode-se teorizar o que quiser a respeito dele, mas, se é algo sem importância ao ponto de nunca ser explicado, porque ele tem destaque?!

O destaque ta no fato de estar todo destruído, quando teletransportadores em desuso apenas desligam. Não faz sentido. Fizeram questão de criar o modelo dele todo quebrado e incluíram nessa parte, mas sem motivo nenhum.

Não há nenhum inimigo desaparecido ou, nenhum caminho antigo referenciado (o X1 não usa teletransportadores na Boss Rush), então, qual o sentido disso?

Pois é, nenhum. O jogo não explica, a franquia não explica, e fica a critério dos jogadores teorizarem.

Não creio que haja tipo, um easter egg que ninguém nunca notou nesses locais, ou algum segredo minuciosamente escondido neles, porém, que é bem estranho, e suspeito, isso é.

Minha teoria?! Bem, os programadores esqueceram de incluir eventos nesses locais e ficou por isso mesmo. 

Ou, no caso do teletransportador quebrado, talvez Sigma bloqueou esse caminho propositalmente pra esconder alguma coisa, talvez o Black Zero, ou o próprio Zero real. No entanto, não seria melhor só desativar ele? Porque, destruir?!

Enfim, quem sabe um dia eu saiba as respostas. Por hora, no entanto, é isso.

Obrigado pela leitura!


See yah!

Postar um comentário

12 Comentários

  1. Sim...a nostalgia...ela é...sniff...real.


    Megapés é muito bom vey, me enche os zói de lágrimas lembrar dele...sniff....



    Falando nisso, essas áreas do final provavelmente os desenvolvedores tinham ideias para enriquecer a lore talvez, mas não deu tempo de incluir...ou talvez eles estejam pensando em...

    nah, só um erro mermo kk.


    Mas pense bem, esse jogo foi lançado 27 anos e três dias antes de mim, ai a gente dá um desconto, e isso foi impressionante, eu não achei ninguém na web falando desses detalhezinhos (ou erros, sei la).


    enfim, belo texto sr carinha, bem pequeno inclusive rs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No fundo ainda acho que não foi preguiça de programação, mas sim um grande segredo que ninguém descobriu até hoje. É praticamente impossível considerando que, já destrincharam esse jogo traduzindo e portando pra diferentes plataformas, mas... já pensou!?

      Em todo caso, ta com cara mesmo de serem apenas detalhes que, tinham pretensão de ser algo mas faltou tempo.

      Faz parecer que o jogo foi posto no mercado incompleto, né?!

      Excluir
  2. Ótimo texto e dessa vez já digo isso de cara... megaman x2 foi o jogo que mais incluíram segredos e potencial pra explorar no x3 mas eu acredito que houve um racha na equipe e o x3 saiu aquela decepção, eu concordo contigo nas teorias,não faz sentido reconstruir o Zero só pra entregar se ele não fosse um cavalo de Troia e o pior é tentar explicar isso e sempre ouvir um: "Ah,mas o Inafune"... mano,o Inafune não é o porta voz da franquia,ele apenas se vendeu como se fosse.
    E tudo isso me faz imaginar como seria um maverick hunter x2 com todas as loucuras que o Inafune colocou no primeiro,nesse jogo o dr. Cain é muito presente,mas no remake do psp Inafune mata o cara, realmente eu queria saber como esse abacaxi seria descasacado.
    E que venham mais sr. Morte.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu sr Mário, é bom que to conseguindo rever estes jogos e tirar algo produtivo deles. Nessas horas percebo o quão simples fui no início.

      Inafune... é triste quando os fãs vangloriam membros da equipe e ignoram detalhes como o projeto em si, ou todos os outros envolvidos. Por essa razão eu ignoro a produção na maioria das vezes e opto por olhar o jogo pelo jogo... é o método mais seguro. Pessoas mudam com o tempo, mas o projeto, este permanece do jeitinho que foi lançado.

      Mesmo em remakes ou relançamentos, não da pra esconder o original... é justamente como disse a respeito de Cain no Maverick Hunter X. Fica nítida a falta de inspiração e descontinuidade quando pegamos esses remakes... o jeito é desconsiderar e continuar interpretando.

      Eu inclusive já vi várias matérias que citam o "criador" da franquia, e alegam que ele "não quis dar respostas pra abrir interpretações aos jogadores". Soa mais como um "ele não tem como responder pois perdeu o controle". Quando se envolve várias mentes criativas juntas, designers, músicos, produtores, editores, o resultado final vira um verdadeiro mutante em crescimento, que um único representante jamais dará conta de definir.

      Eis nosso trabalho como jogadores além de nos divertir: Precisamos compreender o projeto como um todo.

      Meu sonho é conseguir provas irrefutáveis da teoria ZeroRush, ou então do RockX... nesse dia eu ficarei satisfeito kk.

      Vamos pro próximo sr Mário!!!

      Excluir
    2. Faz muito mais sentido Zero ser o Proto man mesclado ao Rush e o X ser uma Atualização do Rock,eu imaginava isso sem sequer ter jogado os jogos do nintendinho,apenas jogando a série x, Inafune era desenhista dos primeiros jogos,produziu o 8, x4 e o x5 apenas,além do maverick hunter x,mas insistem em dizer que o cara tem as respostas,ele não tinha ideia do que fazer e inventou o zero ser criado pelo dr. Willy,algo que nunca foi sequer pincelado antes,quanto ao que é dito no jogo o zero poderia ser a última criação do Light, Willy ou até do Serges,mas o que mais faz sentido pra mim é o Light.

      Excluir
    3. A primeira coisa que veio à minha mente na frase do Sigma também foi o Dr. Light. Se encaixaria na trama, ver Light trazendo um mal antigo de volta sem querer, e justificaria as Cápsulas que ele plantou, justamente pra fazer de X a única frente à esses males, que ele já havia previsto de certa forma. Todo o esforço com partes aprimoradas ganharia muito mais sentido assim.

      Nessas horas me afasto um pouco da teoria do Sigma ser Wily, mas eu também ainda acredito que de alguma forma Wily infectou as tecologias futuras, e isso teria dedo dele também, não de uma forma direta, mas no background saca...

      Mas, o jeito é jogar os outros títulos e tirar a prova real!

      Excluir
    4. Pra capcom é muito mais interessante os fãs teorizarem e discutirem do que eles cravarem uma verdade absoluta,de certa forma concordo,desde que comecei a jogar megaman imaginar o que teria acontecido era quase tão bom quanto jogar.

      Excluir
    5. Eu só espero muito que os executivos não abandonem essa característica, e mantenham seus clássicos com esse viés interpretativo.

      Fico receoso depois de DMC5.

      Excluir
  3. Megaman X2... o que posso falar sobre essa maravilha de jogo? vamos ver... Considerando que a série X tem 8 jogos... e que o x1 é disparado pra mim o meu jogo favorito da franquia... o x2 ele fica... em 6º posição... (WTF?) mas porque essa injustiça se esse jogo é maravilhoso? apenas por eu ter tido pouco contato com ele e muito mais contato com os demais jogos... porém esse jogo é muito bom!!!

    Meu primeiro contato com ele foi jogando na casa do meu vizinho... ele alugou o cartucho do jogo e tava jogando na casa dele, acabou que me chamou pra lá pra jogar também e ficamos tentando passar da fase do crystal snail... aí alguém chamou ele pra fazer alguma coisa e ele saiu e deixou eu jogando sozinho... não consegui passar de fase, troquei por outra e matei o chefe jacaré e o borboleta... ele voltou e ficou reclamando porque saí da fase de cristal sem matar o chefe (que ingratidão...)

    Enfim, quando cresci, comecei a ter acesso a internet e finalmente descobri os emuladores, pude jogar essa peróla e finalmente enfrentar tudo sozinho de boas (ele até hoje sei que não terminou o jogo).

    Tem um monte de coisinhas legais pra se falar, assim como tem elementos a criticar, mas em geral é um jogo bem bacana.

    Acho legal as novidades em relação as armaduras (CARAMBA COMO AMO ESSE X BUSTER NOVO MANO!) presentes no jogo, os chefes também são bem legais... as musicas... bem, não sou muito fã delas mas tem algumas bem bacanas!

    Legal ver o zero retornando, bacana a interação com os X-hunters (apesar de se analisar criticamente é uma mecânica que não usaram de forma adequada... mas é um jogo antigo, então dá pra deixar passar...).

    Quanto as vezes em que são citadas nas falas dos personagens o nome Megaman X... que eu saiba o x2 é um dos jogos com as traduções mais zuadas entre a versão japonesa e americana... então creio que seja apenas um erro.

    Ademais, não vi muito motivo para se usar um chip novo para ter alguns efeitos tridimensionais no jogo, entendo que era novidade mas dava para utilizar em outros jogos ou até de alguma outra forma no jogo...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pior que na nossa infância as fases que hoje são simples e fáceis de superar, eram bem complexas e desafiadoras. Eu lembro bem de ter empacado em vários jogos que hoje eu tiraria de letra.

      Revê-los é bom, mas nunca será como antes kk.

      Sobre o chip... acho que queriam inovar e nem souberam como. No fim ele não agrega em nada mesmo.

      E sobre o nome, pior que eu fui dar uma pesquisada e justamente neste jogo, X é chamado de "Rockman" e não apenas "X". Isso veio da versão japonesa mesmo. Bem esquisito não?!

      Enfim, Sr Sieg, obrigado de mais por ler!!

      Excluir
    2. Com certeza, tantos desafios que os jogos já nos deram que hoje são coisas simples de lidar... mas a gente acha isso porém dá pra ver que muita gente ainda apanha bastante desses mesmos jogos (geralmente gente que jogava no passado e simplesmente precisou parar... e quando retorna hoje em dia não tem mais as "manhas").

      Esse negócio de Rockman/Megaman é complicado... creio que se fosse citado mais vezes nos jogos seguintes poderia fazer um paralelo bem legal... talvez fosse até algo considerado na epoca mas decidiram voltar atrás.

      Excluir
    3. Esse "voltar atrás" que me mata. Os fãs apenas aceitaram que existe essa enorme lacuna vazia quando um dia ela já foi preenchida, temporariamente rs. A troca da cor dos olhos do X mano! Isso é inadmissível! Como que todo mundo aceitou?! É errado, é erradíssimo!

      Mas é, uma pena kkk. A realidade é essa.

      Excluir

Atenção: Antes de enviar seu comentário, por favor copie o que escreveu (para não perder o texto), pode haver erro ao publicar, então tente novamente.

Caso o erro persista, por favor me informe através do whatsapp (11 958017648), facebook, instagram ou tiktok.

Obrigado de mais por comentar, isso me estimula a continuar.

Emoji
(y)
:)
:(
hihi
:-)
:D
=D
:-d
;(
;-(
@-)
:P
:o
:>)
(o)
:p
(p)
:-s
(m)
8-)
:-t
:-b
b-(
:-#
=p~
x-)
(k)