SérieMorte: A Garota de Fora (The Girl From Nowhere) - 2° Temporada

Me rendi à série e finalmente assisti a segunda temporada, que apesar de ser mais curta, é bem mais intensa.

Pra antecipar: Sim, ela manteve a qualidade da primeira, e na verdade, foi muito além. Cada episódio dessa temporada está mais pesado e medonho, inclusive alguns assustam e perturbam, mas são todos ótimos.

Além disso, há um diferencial extra, que comentarei a seguir, então...

Boa leitura... TA CHEIO DE SPOILER.

Pra começar, sim, essa temporada foi muito mais louca que a primeira. Bem mais violenta, melhor dirigida, e com boas edições. Nenhum episódio desagradou, e pra variar manteve o quesito "antologia" como foco.

São várias histórias de terror psicológico, gráfico, social ou sobrenatural, em cenários escolares, sem conexão. Pelo que me disseram a grande ideia por trás de "A Garota de Fora" era se basear em eventos terríveis de escolas tailandesas e ensinar alguma coisa.

Porém, a série acabou se expandindo. Agora, além da Nanno, a eterna justiceira onipresente, onisciente e onipotente, além de imortal e com a possibilidade de interferir no livre arbítrio de qualquer um (exceto as suas vítimas, pois ela não quer), eis que surge uma rival.

Na verdade a própria Nanno da vida a essa personagem, sem querer querendo, a srta Yuri. Odiável que só... mas quase tão poderosa quanto Nanno.

Apesar de agora terem duas personagens em comum em todos os episódios, nenhum deles desvia do objetivo original: Contam histórias medonhas e surreais que se passam em escolas diferentes, e até realidades diferentes, com protagonistas próprios que precisam lidar com seus próprios erros.

Só que, dessa vez há dois carrascos no meio da brincadeira. Por um lado temos Nanno, uma entidade justiceira que tenta fazer suas vítimas raciocinarem e talvez, talvez, se redimirem. Mas no máximo, as pessoas saem perturbadas, e dificilmente ela fere ou mata de verdade (tem suas exceções na primeira temporada, mas sempre são escolhas das vítimas). 

Agora, do outro lado temos Yuri, uma psicopata que quer ver o circo pegar fogo, matando quem ela considerar ruim, e alimentando o terror e ódio no coração das pessoas. Ela é bem mais cruel, e prefere matar mesmo e que se lasque. 

Aliás, depois vou fazer uma lista comparativa dos poderes das duas moças superpoderosas...

Enfim, quem acaba se ferrando nessa brincadeira são os alvos da justiça. Aquelas pessoas que tavam errando em suas vidas e Nanno decidiu intervir... levando Yuri em sua sombra sem querer. Essas pessoas da segunda temporada desejariam estar na primeira... se tivessem sobrevivido (calma, nem todo mundo morre vai... mas ta bem mais letal).

O legal dessa temporada é que, nessa guerrinha entre as duas personagens, elas acabam levando a picuinha delas adiante até o final, mesmo "pulando entre realidades". 

Repito que, nenhuma das histórias é conectada, e todas tem seu próprio mundinho, sua própria escola, protagonistas e estilo. Mas, quando Nanno e Yuri aparecem, além de alimentarem a punição dos personagens, elas ainda desenvolvem a própria trama entre elas, pouco a pouco.

Inclusive, é quase como se cada episódio tivesse duas histórias paralelas: O personagem sendo punido, e a guerra das entidades.

Só pra constar, os protagonistas agora são sempre mais interessantes e, é difícil não nos apegarmos, afinal não bastasse o erro terrível que eles enfrentam, ainda ficam no fogo cruzado das entidades... Por mais errado que estivessem, vê-los sofrer não é agradável (sério).

O que eu tenho mais pra dizer? Bem, irei falar dos episódios individualmente. Como eu achei todos ótimos, vou deixar uma breve descrição, e depois comento um pouco a respeito.

Episódio 1: Gravidez

Essa é a melhor história pra iniciar a temporada, pois extrapola no estilo antológico nosense. Basicamente, é a história de um cara pegador que não se importa em engravidar as garotas tudo da escola... até que um dia ele sente na pele como é ficar grávido, depois de se envolver com Nanno, a novata.

Esse é um episódio que aborda o tema da gravidez na escola, e além da negligência dos jovens que acabam passando por isso, também mostra o descaso de algumas famílias, e de como tudo se torna meio banal quando acham isso algo totalmente natural (jovens engravidando e abortando como se não fosse nada). Até que, a parte viajada surge, e o cara engravida, com todos considerando isso "normal", mas o tratando exatamente como ele tratava as meninas com quem se envolvia. Ele paga por tudo, passando por tudo... e no fim, Nanno deixa ele com a cria e vai comprar cigarro.

No caso de Yuri, ela não aparece totalmente. Ela apenas faz uma breve aparição pra deixar um bilhete por cara dizendo "Quem que te engravidou mesmo?" jogando o cara contra Nanno e fazendo ela ter um certo peso na consciência, afinal, ela de fato gerou uma criança ali. No final ela também deixa um recado, com várias fotos de Nanno rabiscadas e destruídas... mas ainda é um mistério.

Episódio 2: Amor Verdadeiro

Numa escola somente pra garotas, as dívidas acabam ficando altas de mais e o diretor decide convertê-la numa escola mista, mesclando ela com uma escola de garotos. O problema é que a Coordenadora da escola é totalmente contra e faz de tudo pra manter suas meninas puras, criando várias regras de distanciamento e afins. No final, graças a um aplicativo de relacionamentos, ela descobre que sua neura a impedia de descobrir seu amor verdadeiro.

Então, esse episódio mostra a negação de uma professora em aceitar que os jovens precisavam experimentar relacionamentos (não no teor sexual, mas sim, precisavam se envolver, pra se descobrirem). Ela o faz pois na juventude ela própria não soube lidar com seus sentimentos, e passou por uma perda (a melhor amiga, que ela amava sem entender, morreu ao fazer um aborto por causa do namorado). Bem, a problemática na verdade nem era essa, e Nanno tava na brincadeira pra fazer a professora parar de ser tão rígida, e no fim, ela até apelou pra tática da violência, induzindo a professora a agredir um aluno.

Só que pra sua surpresa, a verdade vem a tona graças a um aplicativo que ela mesma criou (pra causar mais confusão), e a professora descobre estar apaixonada por outra professora. É bem fofo. 

Yuri aparece no aplicativo, mandando uma mensagem pra Nanno.

Episódio 3: Minnie e as Quatro Almas

Numa escola particular, uma garota cheia da grana e encrenqueira, além de mentirosa, se pendura no pai pra consertar seus erros na base da grana. O problema é que numa noite ela sai dirigindo um carro bêbada, e esmaga 4 colegas. O problema maior é que uma das colegas era Nanno, e ela, junto com as outras 3, passam a assombrar a garota, pois seu dinheiro acoberta a verdade... ou quase.

Um dos melhores episódios (meu favorito) ele tem uma pegada bem mais sobrenatural. Apesar de sabermos que Nanno é imortal, ela assume sua morte nesse episódio pra sustentar a lição de moral real. Seu objetivo era apenas atormentar a garota até ela assumir a responsabilidade pelo crime de trânsito, mas ai vem Yuri. Essa moça, aparece pouco e só pra acabar com a farra de Nanno e apesar da tortura psicológica e até física que a vítima já havia passado, ela encerra com suicídio induzido.

E acredite, essa personagem sofre horrores. A tortura que ela passa nas mãos de Nanno (é feita numa sequencia de sonhos realistas, mas ainda assim é bastante impactante), e o acidente pelo qual ela passa no fim, já eram o suficiente pra fazê-la confessar e assumir seus crimes, mas a Yuri tira esse direito dela, entregando provas incontestáveis do crime pra mídia, e pra variar, ferrando a imagem do pai dela também, tudo pra fazê-la optar pelo suicídio, que ela mesma faz questão de ajudar.

Esse é o primeiro encontro pra valer da Yuri com Nanno, onde ela é reconhecida, abrindo espaço pro episódio seguinte.

Episódio 4: Yuri

Um episódio de origem, contando de onde essa Yuri saiu. Porém, não é relacionado com o anterior, ou qualquer outro.

Yuri era uma garota que se vendia pras duas amigas ricas na escola, fazendo suas vontades em troca de presentes e pequenos pagamentos. Nanno vê isso e tenta se infiltrar pra ensinar uma lição, mas mal sabia ela que as três moças eram muito mais malignas do que aparentavam. Elas usavam outras alunas pra fazer vídeos de estupro e vender, lucrando com isso. Yuri, por ser a "capacho", acaba sendo usada por Nanno como aliada pra desmascarar as duas, mas no fim, ela se revela ser mais traiçoeira ainda.

O que dizer desse episódio? Ele é cheio de reviravoltas, e o desfecho onde nos é revelado que Yuri tava manipulando geral, é bem tenso. Porém, ela morre no final, na mesma banheira que Nanno (como sempre, ela tinha sido assassinada). Essa morte é o começo do problema maior...

Assim como é mostrado na abertura dessa temporada, o sangue da Nanno gera uma outra pessoa. É daí que Yuri surge. Ela ingere o sangue dela na banheira, depois de morta, e desperta. Só que ela não volta a vida apenas, ela volta com parte dos poderes de Nanno.

Só que, considerando que essa personagem é uma senhora manipuladora, ela ter as habilidades da Nanno acaba sendo uma pedra no sapato pra justiceira.

Algo que curti é que esse episódio funciona perfeitamente isolado, mas também funciona muito bem em conjunto com os demais. É um tremendo exemplo de como uma Antologia deve funcionar. Há conexões? Sim, mas são sutis, e não interferem nos enredos de forma alguma.

Aliás, só pra constar, Nanno não cria a Yuri de propósito, isso é um puro acidente (acredito que nem ela conhecia esse efeito do seu sangue). Mas, ela nota a existência da Yuri nova logo no fim do episódio, e opta não agir e ver no que ia dar.

Episódio 5: SOTUS

Veteranos iniciam calouros da forma mais bullyinável que se pode imaginar. Liderados por um jovem completamente perturbado e sem noção de limites, os veteranos pegam bem pesado com os novatos, até que as coisas saem muito do controle e, o líder executa Nanno. Por incrível que pareça, a escola acoberta o ocorrido, e ele é transferido pra uma nova escola onde é iniciando e situação se inverte, com ele sendo alvo dos trotes abusivos, pelas mãos da própria Nanno.

Sim, Yuri ta no episódio desde o começo, e até parece que ela e Nanno vão trabalhar juntas, mas na verdade é apenas uma guerra fria e competitiva, pra mostrar as reais intenções e discrepâncias de ambas.

O ex-veterano em questão é um babaca, mas a própria Nanno sabe que ele também já sofreu com os trotes, e tenta fazê-lo relembrar o quão são ruins pra que não os repita com mais ninguém. Agora Yuri quer tortura-lo, fazê-lo sofrer, e claro, matar se possível. Ela quer o caos, e o cara paga por isso.

Episódio 6: Libertação

Nanno se matricula em uma escola onde as regras são antigas e absolutas, com até mesmo a fotografia sendo afetada (fica em preto e branco, e em formato 4x3), mas ela faz todo possível pra levar a anarquia e fazer com que essas regras obsoletas sejam deixadas de lado. Confrontando a Coordenadora, e qualquer outro que entre em seu caminho, ela combate o sistema até encontrar um empecilho chamado Yuri.

Então, esse episódio mostra a Nanno combatendo o sistema de regras com suas cores, se matando pra fazer os jovens da escola, e até os professores se bobear, entenderem que o sistema estava errado e era hora de lutar pra corrigi-lo. Mas, Yuri aparece e diz que ela é lenta de mais, acelerando o processo mas, instaurando o caos e desordem. Partindo da morte de Nanno, ela executa a vítima da vez (a coordenadora) e tenta levar o caos adiante...

Mas Nanno aparece mostrando que ela quem manda, usando os corpos descartados do episódio pra atacar Yuri e leva-la à justiça... provisória. Ela sabe que não da pra detê-la ali... Curioso aliás que o episódio se encerra com a própria Nanno surpresa, pois a ideia era ela quebrar as correntes dos alunos, fazendo eles voltarem a ter "cor" na vida, mas ao sair e leva-los pra fora da escola, tudo continua preto e branco, mostrando que na verdade, os métodos dela não adiantaram e nada e ninguém mudou ali.

Ta, foi por causa da Yuri e a visão distorcida dela da justiça, mas ainda assim, foi um fracasso pra Nanno.

Episódio 7: JennyX

Só que fracasso maior está aqui. Jenny é uma estudante que faz vídeos pras redes sociais, com apoio de seus pais, pra lucrar com a fama digital. Apesar dela curtir o que faz, seus pais se aproveitam muito e a sufocam, e ela chora no ombro de uma nova aluna chamada Nanno, quem lhe da uma solução no mínimo duvidosa: Fingir o próprio suicídio, pra escapar da vida de fama e obrigações.

A ideia de Nanno era fazer a jovem se impor e tomar o controle da própria vida, mas ela vai muito na onda e demora um pouco pra compreender o recado, o que da tempo de Yuri intervir. A víbora aparece desmascarando a jovem, a fazendo cair numa teia de eventos que só tornam a situação dela extremamente e exageradamente ruim.

Nanno chega ao cúmulo de abusar de seus poderes outra vez, mudando a realidade e tirando a identidade da protagonista da história. Ela o faz pra fazer Yuri quebrar a cara e perceber quem manda, mas isso ferra muito a vida da jovem Jenny, levando ela pra um estado de desespero, injusto.

Nanno estava sendo injusta, muito, pra demonstrar poder pra sua rival. O desfecho é ela perdendo seus poderes, ao menos os de regeneração, pois ela própria duvidava de si mesma. Yuri só debocha, pois era exatamente o que ela queria: Tirar Nanno de campo pra ela assumir, e matar geral.

Episódio 8: O Julgamento

O último episódio, começa com Nanno no trauma, com medo do futuro que virá, e alucinando com Yuri pra variar.

O episódio foca muito mais ela, do que a vítima em questão, que seria a mãe de uma garota hemofílica. Inclusive, Nanno aparece justamente nessa "realidade" pois seu ferimento ainda não havia se curado. Talvez ela tava buscando respostas...

Enfim, ele conta a história de uma jovem que não se cura de ferimentos, e é cuidada por sua mãe, que além de professora é enfermeira da escola, e tem outras funções também, substituindo professores que deixaram a unidade. No entanto, essa mãe tinha um segredo e aparentemente deixava sua filha doente de propósito.

A primeira grande reviravolta do episódio é quando Nanno descobre que a moça tinha uma boa justificativa pro que fazia, e o verdadeiro alvo era pra ser a garota hemofílica, que por sua vez já estava sobre cautela da Yuri.

E aí, as coisas acontecem, ao ponto de Nanno morrer, aparentemente definitivamente, pois ela tinha perdido suas habilidades regenerativas.

Pra piorar, Yuri usa o próprio sangue pra passar as habilidades dela pra vítima nova, que se revela uma assassina sórdida. Isso encerra o episódio, com a mensagem de que Nanno é passado, e agora a coisa vai ser mais violenta pra quem cometer erros, pois quem ta no controle são um banto de psicopatas.

Porém, no fim mesmo, Nanno aparece só de olho.

Ou seja, Nanno não morreu de fato, mas estava observando sua cria... Yuri.

Os Poderes

Bem, Nanno tem como habilidades, até então: 

A capacidade de ir pra onde quiser (inclusive realidades alternativas); 

A habilidade de manipular mentes alheias; 

Imortalidade e Regeneração; 

Clonagem, podendo criar quantas versões de si mesma quiser; 

Força elevada (ela segura o pulso de uma vítima sem qualquer problemas); 

Conhecimento sobre tudo em seu entorno (ela sempre sabe das coisas, até do que ela nem viu); 

Capacidade de ver o futuro (ela sonha, e acontece... simples); 

Capacidade de alterar a realidade como desejar; 

Poder de levar a mente das pessoas pra Sonhos Realistas que ela manipula; 

E ao que parece, pode infectar pessoas com seu sangue, transformando-as em versões mais fracas de si mesma, porém com as personalidades de seus corpos originais.

Yuri tem como poderes:

A capacidade de ir pra onde quiser (desde que Nanno esteja la); 

A habilidade de manipular mentes alheias (mas em pequena quantidade, e por indução); 

Imortalidade e Regeneração; 

Conhecimento sobre tudo o que Nanno sabe (ou seja, tudo); 

E o poder de passar o sangue de Nanno adiante.

Certo certo, ao que parece ela é em mais fraca, e jamais substituirá Nanno, mas ela tem um jeito muito mais violento de agir, e não liga se suas vítimas morrerem, algo que é diferente de mais de Nanno. Ela ao menos tentava ajudar.

Todos os episódios acabam abordando temas sociais e escolares bem pesados, e desde a atuação, até os efeitos, e as locações, estão ainda melhores que na primeira temporada. A direção e edição também tá mais organizada, apesar de ainda seguir aquele método de múltiplos diretores.

Sinceramente, eu to ansioso pra uma terceira temporada, se é que existirá. 

Foi um prazer assistir e escrever, espero que goste e, desculpe os spoilers, eu não me contive.

See yah!

Postar um comentário

4 Comentários

  1. Sempre tenha cuidado, nunca se sabe quando uma nanno vai ir ao ser trabalho ser a pessoa nova(mas acho que seria pior a Yuri) uahaaha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Yuri seria um pesadelo muito maior... a Nanno ta até sussa kkk. Só ser esperto (eu me ferraria).

      Excluir
  2. Na terceira temporada iria aparecer a Nannuri...


    Ok, isso foi péssimo, mas fazer o que kkkk.



    Esses dias (mês retrasado kkk) entrou uma mina estranha na escola, e sua aparência era suspeitosamente...específica....




    Espero que não seja a Nannuri disfarçada por 2 meses...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que neura, nem grila, ela não parece sair das escolas tailandesas kkk. Mas quem nunca teve alguém novo na escola né? Dica: Torne-se amigo.

      Excluir
Emoji
(y)
:)
:(
hihi
:-)
:D
=D
:-d
;(
;-(
@-)
:P
:o
:>)
(o)
:p
(p)
:-s
(m)
8-)
:-t
:-b
b-(
:-#
=p~
x-)
(k)