AnáliseMorte: Kingdom Hearts χ - Union Cross (Parte 3)

Pois é, acabou. 

O jogo de celular de Kingdom Hearts chegou ao seu desfecho e, apesar de ainda não ter sido totalmente encerrado, ele já teve todos os serviços descontinuados (como venda de moeda e tal) e, teve sua resolução da campanha.

E cara, que demora viu. Foram anos, contando um pedacinho da história por mês, até chegar numa conclusão que... surpreende, mas é ainda cheia de mistérios.

Mas, não vou enrolar, bora direto pro texto.

Boa leitura.

Caso queira ler os artigos anteriores de Union Cross, só clicar aqui.

E se quiser ver algum outro artigo sobre Kingdom Hearts, já escrevi quase sobre a franquia inteira (ta faltando só 1 jogo). Só clicar aqui.

Diferente dos outros artigos sobre Union Cross, neste irei focar muito mais na campanha, afinal de nada adianta saber como o jogo funciona ou como foi sendo atualizado ao longo do tempo, uma vez que nem compensa mais jogar pelo lado "online". Apenas pela curiosidade da campanha.

Só pra constar, perto do fim de sua existência, o jogo abriu um sistema de Loja em que dava pra finalmente utilizar os Pontos obtidos ao longo das missões pra trocar por algo útil, normalmente upgrades pras medalhas. No começo tudo era só com Jewell, mas os pontos foram sendo adaptados.

Chegaram a implementar um sistema que acelerava as partidas, deixando as lutas bem mais rápidas, e até a movimentação pelos cenários acelerada. Nem sei se cheguei a falar disso antes, mas me lembro que achei isso o máximo, pois encurtou muito o tempo, ainda mais com os Especiais automáticos e tal.

O ruim é que, toda partida demorava pra iniciar pelo tempo de loading das fases. Não sei se era minha internet, mas era chato ouvir a musiquinha tocando sempre que a batalha terminava, e demorava pra ir pro menu principal, pra uma nova missão ser feita. Na verdade tudo meio que demorava.

Falando em loading, não sei se já mencionei isso, mas era mó legal martelar a tela do celular matando os Sem-Corações enquanto esperava as atualizações, constantes que só, mas ao menos divertidas por causa disso.

Enfim, conforme foi se aproximando do final, a loja foi se tornando cada vez mais flexível até chegar no ponto de vender até mesmo Benefícios pras Medalhas, por valores bem pequenos de Jewell. 

Ah, apesar da moeda do jogo não poder mais ser comprada, ela ainda é usada em alguns negócios, e pode ser obtida por entrar diariamente, ou completar missões. Viu, nada de pay-to-win.

Outra coisa, naquela compra de Medalhas ao Azar, só começaram a vir Medalhas Poderosas, o que é praticamente pro jogador ficar forte de uma vez por todas, sem precisar gastar nada.

Ixi pior que tinha novidade pra caramba, mas nem compensa falar afinal, acabou! Fiquei triste mesmo pelo meu Espírito Bichinho... eles nem eram canônicos na história, mas eu adorava enfeitar o meu, e no fim até consegui deixar ele com todos os status! Era bem legal.

Sobre a campanha...

Tá bem confusa e ao mesmo tempo, esclarecedora. Na verdade a campanha original do jogo era a Guerra das Keyblades, que contei no artigo original, mas ela foi estendida com o tempo e surgiram várias respostas pra toda a franquia. Essa parte da campanha coloca Union Cross na história principal de uma forma bem mais direta.

Muita coisa foi finalmente revelada nas demoradas atualizações, e eu preferi esperar chegar logo no final pois, se fosse publicando coisinha por coisinha eu faria uns 30 artigos só de Union Cross, e eu odeio esse tipo de coisa. Esperando, demoraria mais mas, eu teria tudo o que quero falar e poria de uma vez aqui.

Grandes dúvidas foram respondidas, como "Pra quem Ava entregou o Livro?" ou "Quem é o traidor?" e acabou que, nem importa tanto assim viu.

Aliás, como praticamente tudo já foi mostrado, já da pra traçar um perfil dos personagens enquanto se fala disso, ou seja, sem os tantos mistérios que o jogo foi alimentando com o tempo, agora é possível listar os personagens com um perfil amarradinho de cada um...

Equipamentos?!

Antes de falar dos personagens, vou falar dos... equipamentos?! É curioso isso pois dessa vez não é algo que o jogador controla... é apenas... coisas, importantes de mais, existentes no jogo que, se você não entender não vai compreender o restante.

Cápsulas Salva-Vidas (Lifeboards)

Os Salva-Vidas são cápsulas que permitem transitar através de mundos diferentes, e tempos diferentes. Mas aquela regra do Coração viajando sem o corpo que Xehanort faria depois, também se aplica a essas cápsulas.

Elas podem transportar normalmente pessoas entre mundos, no caso, são usadas pra levar os Dandelions pra fora do Mundo Virtual, pro mundo Real. Mas, em caso de levar pra épocas diferentes, é preciso seguir as duas regras: É necessário ter um corpo ou receptáculo pro Coração na época destino, e é preciso que alguém se recorde da pessoa que está viajando pra ela poder se projetar.

Caso contrário, a viagem não funciona. Isso parece ser bem importante, até que alguns personagens apenas dão uma de Sora e ignoram as regras.

Livro das Profecias

Já falei dele no outro artigo de KHUx, mas vale recordar que, ele é o Livro que registrou tudo que já ocorreu.

Detalhe que aparentemente ele não conta apenas os eventos até a Guerra das Keyblades, mas muito além dela. Como as Medalhas e os Mundos visitados são projeções baseadas nesse livro, a existência de Sora, e todos os eventos que ocorreriam em KH, já estavam premeditados.

Aliás, o Livro não é usado apenas pra recriar as Medalhas, mas também pra dar forma aos Mundos que eles visitam. No primeiro artigo falei e descrevi bem a aventura do Protagonista nos mundos da Disney, mas na verdade todos aqueles mundos são Data Mundos. Versões criadas no mundo digital pra replicarem os originais, que nem existiam ainda só pra variar!

O Livro das Profecias, é quase como um Diário do Grilo, e como ocorre la em KH Re-Coded, é possível fazer cópias inteiras dos mundos por esses registros. O que vemos em Union Cross é isso sendo posto em prática, porém usando um livro que registrou tudo do futuro.

Assim, os mundos tiveram seus backups no mundo digital antes mesmo de existirem. O pior é que isso não só foi usado para que os Keybladers do passado enfrentassem a Escuridão, antes mesmo dela realmente existir (por isso que tem os Sem-Corações por todo canto nos mundos que visitam), mas também para estabelecer "Pontos de Retorno"... Malévola usou isso sem nem saber.

Mundo Digital

Só pra contextualizar mesmo... o Mundo Digital é aquele que foi criado usando uma cópia baseada no Livro das Profecias. Daybreak Town tá incluso no pacote.

O mundo principal é também uma mera cópia, o que é revelado apenas no final do arco da Guerra Keyblade. A guerra já havia acontecido no mundo real, mas para preservar os Dandelions, uma versão cópia da cidade foi gerada, onde eles continuariam existindo sem problemas (eles foram levados pra la, sem nem saberem ou perceberem, através dos Salva-Vidas ao que parece).

Quando eles descobrem isso, lutam pra deixar o mundo Digital, só que o mundo Real não era mais um lugar seguro...

Personagens

Ao falar dos personagens, irei contar partes da história do jogo. Leia tudo e entenderá, mas no inicio pode soar meio confuso.

Mestre dos Mestres

Ele aparece muito agora, e antes era um dos personagens exclusivos e misteriosos do filme. Porém, sua presença é em conversas paralelas aos eventos de todo o jogo. Aliás, a campanha se divide em 4 núcleos dessa vez, sendo um do Mestre dos Mestres, um da Malévola, um dos Dandelions, e um do Protagonista que controlamos. Todos acabam se conectando no final, mas são contados paralelamente.

O Mestre aparece as vezes em diálogos misteriosos, explicando seus objetivos e também, mostrando que ele é bem manipulador. Ainda com seus trejeitos, ele explica bem quem é, mas ainda sem revelar sua verdadeira identidade.

MoM (Master of Masters, não Melody of Memory) criou Daybreak Town, e a versão Data da cidade também, com o objetivo de Trancar a Escuridão.

Acontece que uma parte do seu grande plano era tentar acabar com a existência da Escuridão, prendendo ela num mundo artificial que ele poderia manipular como quisesse. Ele conduziu a experiência mas, não deu tão certo.

Ele já previa isso, então planejou a destruição completa das duas cidades, ao mesmo tempo em que forçaria a Escuridão a se encarnar, tudo pra tentar elimina-la.

Só que ciente que isso também poderia não funcionar, ele montou a estratégia da viagem no tempo através da sua Keyblade. A mesma Keyblade que observava o futuro para gravar no Livro das Profecias e ele passou pra Luxu, era seu Ponto de Salvamento no futuro, ou no tempo que ele desejasse, pra que pudesse ressurgir.

Ele fez isso para que pudesse encontrar um momento propenso para enfrentar a Escuridão definitivamente. Então, MoM apenas precisaria esperar que os outros fizessem todo o trabalho, pra surgir e assim vencer a Guerra contra as Trevas.

Aliás, ele também tem encontros e diálogos com a própria Escuridão, sem qualquer confronto físico, e ambos eram amigos antigos... uma briga velha que se estenderia muito mais...

Luxu

Ele apareceu agora, em conversas com o Mestre dos Mestres, recebendo sua função de carregar a ainda misteriosa Caixa Preta, e a Keyblade observadora, exatamente como no filme. Mas aqui, MoM nem esconde que vai usar isso tudo pra poder voltar no futuro.

Luxu questiona bastante seu mestre, e aprende tudo que precisa pra seguir em sua missão. Também descobre coisas como o fato de Daybreak Town ser apenas uma simulação descartável, e o fato dos outros Mestres também serem, nos planos de MoM, peças à se sacrificar para um bem maior.

Ele até mesmo descobre que o Mestre tinha manipulado a todos apenas pra que tudo fosse destruído mesmo, pois seu maior objetivo era ir ao futuro, na nova era onde a Escuridão já havia se proliferado.

MoM chega a chamar Luxu de traidor pelas costas, dizendo que está contando com isso inclusive, pois ele sabe que no futuro ele acabaria burlando a mortalidade, passando sua mente pra diferentes corpos ao longo do tempo, até chegar em Braig, tudo pra cumprir os planos dele, mas ao mesmo tempo, ferrando com todos os outros... pelo menos é o que eu acho.

Se bem que, a forma como Luxu se porta perto do final da história é muito suspeito. Ele respeitou as ordens de MoM até o fim (afinal ele jamais abriu a Caixa, e carregou a Keyblade com o Olho adiante), mas ainda assim, ele aparece num embate estranho com Brain e, até mesmo assume sua forma (o que indicaria que ele tomou seu corpo, porém o próprio Brain aparece depois, salvo).

Aliás, Luxu tem seu encontro com a Escuridão enquanto carrega alguém num Capuz Branco, e ativa o Salva-Vidas pra ela. Pra ser sincero é meio suspeito se é de fato Luxu, pois a própria Escuridão demora a reconhecer ele (que por sua vez confirma, mas ao mesmo tempo, não da tanta confiança).

Bem, a própria Escuridão acha estranho o fato dele estar interferindo nas coisas, uma vez que sua função é apenas observar. Mas ele próprio diz que, dentro das regras, ele estava se comportando muito bem. Além disso, ele responde a pergunta dela sobre o que estava no manto, com a frase "Uma semente de luz pra ser plantada no futuro, o verdadeiro Dandelion."

Tudo indica que era Strelitzia, mas ela estava desacordada... e não da pra ver seu corpo no manto... é estranho de mais.

Ele até diz que enfrentaria a Escuridão nessa parte mas, não mostra o resultado.

Ira, Invi, Gula, Ava, Aced

Todos eles tiveram sua última participação mesmo na guerra das Keyblades. Depois disso sumiram e não deram as caras até o ressurgimento la em Kingdom Hearts 3, nos tempos modernos de Sora.

O problema é que, pelos planos de MoM, a ideia era usa-los como receptáculos para a Escuridão, justamente pra ela tomar forma e assim, se tornar vulnerável e perecer na própria Guerra. MoM sabia que a Escuridão existia em 13 partes, e dessa forma ele conseguiria eliminar 5 delas... mas... como Luxu deu um jeito de trazê-los de volta no futuro (ainda não foi revelado como exatamente ele fez essa proeza), ao que parece parte do plano foi derrubado ai.

Talvez por isso ele considere Luxu um traidor no fim das contas... Afinal deu um jeito de evitar o sacrifício deles. Mas o que importa é que eles voltam, exceto Ava...

Ela foi possuída pelas trevas e ao que parece, foi derrotada e destruída como um receptáculo da Escuridão querendo ou não. Isso não é mostrado, mas sabemos que ela foi controlada quando é revelado que ela guiou Ventus pra matar Strelitzia...

E também, ela é a única que não aparece no encontro futuro.

Ephemer

Esse é um dos Dandelions que também era um grande amigo do Protagonista de Union Cross, o qual independente de quem quer que seja, tem uma significativa importância no desenrolar dos eventos, por sua existência.

Ephemer no caso acabou por ficar pra trás durante os eventos finais do jogo, preferindo permanecer ao lado de Skuld e o Protagonista, e ele até lamenta pelo final trágico que todos tem.

Acontece que, quando os Dandelions descobrem que estão num Mundo Digital, Ephemer e o protagonista acabam tentando sair usando rotas de fuga, abrindo assim acesso pro Mundo do Detona Ralph. Depois, enquanto o Protagonista permanece lá (falarei depois) investigando, Ephemer volta pros Dandelions na cede e encontra a verdadeira saída... o que demora bastante.

O primeiro a descobrir como sair de verdade é Brain, mas depois ele repassa para os demais e no fim, eles montam um plano pra que todos escapem, apesar de existirem poucos recursos.

Ephemer é um dos que ficam pra trás aguardando até que Brain e os demais descubram formas para que saiam todos do mundo digital, e daquela linha do tempo, isso pois estava tudo condenado.

O Mundo Digital de Daybreak Town seria aniquilado, como parte de um plano maior pra derrotar a Escuridão. Porém, o que não sabiam é que o mundo Verdadeiro de Daybreak Town também seria destruído, também como uma medida para tentar acabar com a Escuridão.

Assim sendo, eles teriam não apenas que escapar do Mundo Digital, mas do mundo Real (pulando pra outra linha do tempo). E ai as coisas ficam um pouquinho complicadas.

Ephemer é um dos que no final não conseguem escapar da linha do tempo, mas consegue sair do mundo Digital. Porém, ele sobrevive a grande destruição de toda forma, pois sua cápsula de Salva-Vidas aparece flutuando no meio dos destroços.

Ele também é o fundador de Scala ad Caelum, uma cidade criada pra combater a escuridão assim como Daybreak Town era, e foi criada justamente ali, em cima dos destroços. Ele foi homenageado com uma estátua na praça central.

Essa é a cidade que Sora visita no final de KH3, e foi onde Xehanort cresceu.

Skuld

Essa moça é uma das Dandelions que também vira amiga do Protagonista. A questão com ela é que, ela parece não ter sobrevivido ao desfecho.

Depois de tudo que ocorre, Skuld luta ao lado de Ephemer contra a Escuridão e acaba ferida, mas ela é salva por ele, posta num Salva-Vidas e levada pra Daybreak Town real. No entanto, tudo já estava por um tris, e as coisas desmoronam.

Ela e Ephemer entram nos Salva-Vidas novamente, mas sem alguém pra administrar o sistema, eles acabam apenas ficando lá, deitados, enquanto o castelo cai em cima deles.

Posteriormente, apenas Ephemer é visto na água com o Salva-Vidas (pelo menos a silhueta dele). Não fica claro se Skuld também sobreviveu, ou se deu erro no sistema e ela foi enviada no tempo, ou se por alguma razão só a cápsula dela foi destruída, mas não tem qualquer indicação do destino dela.

Ventus

Ele tem muita coisa curiosa revelada aqui. Tinha sido bastante estranho ver ele nos tempos antigos, uma vez que ele é um dos personagens principais já nas aventuras modernas de KH. Porém, depois que sua origem é devidamente revelada, as coisas fazem mais sentido... pelo menos um pouco mais.

Ventus era um dos muitos Keybladers de Daybreak Town, e não era pra ser um dos Dandelions. Ava tinha escolhido Strelitzia e ai Ventus apareceu e a matou, tomando o Livro das Profecias dela e assumindo seu posto.

Irônico que a própria Ava guiou ele pra fazer isso, ou seja, nem precisava matar Strelitzia! Era só tirar ela da ordem e por Ventus. Ava vacilona...

Ambos fizeram isso pois foram possuídos pela Escuridão, a qual tinha outros planos. O que houve com Ava depois permanece um mistério, mas Ventus se infiltrou nos Dandelions e sobreviveu a Guerra.

Depois disso, ele só se revela como Escuridão quando é desmascarado como assassino de Strelitzia. Ele confessa, e ai a Escuridão acaba sendo exposta. Até então, ela estava escondida pois queria ser levada pro Mundo Real, junto com ele.

Então, uma vez que se revela ela combate os Dandelions incluindo Ventus, sendo derrotada apenas por ele, que acaba absorvendo ela outra vez. Ventus era uma pessoa tão pura e cheia de luz que simplesmente atraia a escuridão pra si, e ela se funde com ele, dessa vez forçada pelo próprio Ventus. Mas era apenas uma das partes da Escuridão, ainda haviam 12.

A ideia de MoM era se livrar das 13 partes da Escuridão, usando tudo quanto é tática que no fim, só falha. Uma das partes acaba se salvaguardando no corpo de Ventus, e futuramente, desenvolve uma personalidade fora da consciência coletiva que as 13 partes participam. No fim, ela vira Vanitas.

Ventus por outro lado, acaba sendo jogado no tempo por um Salva-Vidas (a mando de Brain) e vai parar no meio do deserto, onde é encontrado por Xehanort, já velho, quem extrai a parte Vanitas dele, e passa a guiar ambos pra seu próprio plano.

É assim que o jovem vai parar no tempo de Aqua e Terra, apesar de ser do passado. Agora, como o Salva-Vidas funcionou? Isso ainda não foi explicado.

Fato é que na cena em que ele é encontrado, já no deserto, a pessoa que o faz não parece o Xehanort velhinho, e não da pra reconhecer a silhueta. Mas, provavelmente alguém o recepcionou primeiro (afinal era preciso ter alguém que se lembrava dele, naquele tempo) e depois ele foi pras garras de Xehanort.

Brain

O primeiro Dandelion a descobrir a verdade por trás de Daybreak Town, Brain é (assim como o nome sugere) o mais inteligente do grupo, apesar de também ser o mais enigmático no início.

Ele foi o escolhido por Ava pra carregar o Livro das Profecias com Todas as Páginas, e é o conhecedor da Traição de um membro dos Mestres e tal, porém ele também acaba sugerindo que surgiria um traidor no meio dos Dandelions, algo que de fato ocorre. Inclusive, Ava conta sobre o fato de MoM ter praticamente escolhido por ela com uma lista.

Mas, o que importa é que Brain acaba vasculhando bastante pelo passado dos antigos Mestres até encontrar a Sala de Controle, na qual descobre que toda a cidade, e os mundos que eles visitavam, eram meras cópias de algo real. Eles estavam presos em um mundo artificial. 

Todos os Dandelions eram sobreviventes da grande Guerra, que acabou com todos os outros Keybladers. Porém, com as cópias dos mundos, até mesmo esses Keybladers ressurgiram, e estavam la vivendo suas vidas como se nada tivesse ocorrido (é justamente isso o que acontece com o Protagonista).

No entanto, ao invés dos Dandelions estarem fora do sistema, eles também haviam sido inclusos, justamente para salva-los da guerra que já havia ocorrido no mundo real.

Ao descobrir isso, Brain busca por uma forma de sair daquele mundo e voltar pro verdadeiro, levando consigo os demais Dandelions, e no fim, ele encontra os Salva-Vidas. Da mesma forma que eles tinham ido pra lá, eles poderiam sair usando esses dispositivos.

Ele só acha isso por pura conveniência pois um inimigo estava tentando ativar justamente esse recurso, a Escuridão junto de Malévola, e Lauriam pegou ambos no flagra, os enfrentando, mas destruindo uma das cápsulas sem querer. Quem encontra os Salva-Vidas é o Lauriam, em sua busca implacável por sua irmã, mas Brain assume a investigação pelo local posteriormente.

Bem, quando o grupo dos Dandelions para de desconfiar uns dos outros e toda a verdade sobre Strelitzia vem a tona, ele decide tira-los de lá o quanto antes, e levar todos pro mundo real. Mas isso era potencialmente impossível, uma vez que as cápsulas poderiam apenas fazer uma viagem por vez.

O problema nem era tirar todos de lá, mas sim leva-los pra outro lugar depois de chegar no mundo real. O mundo Real também estava condenado, por causa da Guerra e dos planos do Mestre, e tecnicamente o Mundo Digital era o mais seguro, pois apesar de estar pra ser destruído, era apenas uma forma dele entrar no Modo Descanso.

Todos dentro do Data-World iriam dormir, junto com o mundo, pra serem despertados posteriormente, se e caso se as coisas se resolvessem no mundo de fora. Porém os Dandelions não podiam esperar por isso, uma vez que eles próprios teriam de fazer as coisas se resolverem.

Daí vem a solução de usar os Salva-Vidas pra, não só voltar ao mundo real, mas para pular pra outro tempo depois disso. Ao fazer isso esses equipamentos se perderiam, e não daria por exemplo pra mandar de volta pro mundo Virtual pra resgatar outras pessoas.

Isso é um problema pois de todos que estavam presos no mundo de dados, apenas 5 poderiam sair (não dava tempo pra levar todo mundo pra fora, pois os mundos já estavam colapsando). De 7 Salva-Vidas, tinham restado somente 5. Um havia quebrado (no mundo de dados, por causa da luta de Lauriam contra Malévola quando ele encontra a sala) e o outro tinha sido usado pra levar Malévola ao tempo dela. E é, Malévola sozinha ferrou com dois Salva-Vidas.

Brain pensa um pouco e decide alguma coisa que ele não conta, levando consigo Ventus (desacordado já pelo combate contra a Escuridão), Elrena e Lauriam, e deixando um Salva-Vidas pra uso emergencial. 

A ideia dele era sair pro mundo real, e de lá administrar o sistema pra salvar todos seus amigos (se sacrificando por eles). Tecnicamente ele era o Líder dos Dandelions (confiado por Ava) então, na cabeça dele era o justo a se fazer. Ele ficaria pra trás enquanto todos escapariam.

Porém o cara não tinha uma ideia muito boa do que fazer, e ia improvisando. Primeiro ele decidiu mandar Ventus, Elrena e Lauriam nos Salva-Vidas pra fora de Daybreak Town. Sim, tecnicamente ele fez viagens no tempo com eles, porém ele não tinha uma solução pra onde eles cairiam, uma vez que ele precisava criar Pontos de Retorno pra eles (um corpo para seus corações voltarem, e alguém que se lembrasse deles).

Ele deixa isso pra resolver depois (já botando os três em risco tecnicamente) e ai continua lá em Daybreak Town, com 2 Salva-Vidas sobrando. Nessa hora Luxu aparece, e ambos conversam... é quando ele começa a ponderar sobre o que fará a seguir.

Luxu relembra das condições para as viagens no tempo, depois de perguntar sobre o que ele faria com os demais Salva-Vidas que sobraram, e o que tinha feito com todos os outros. Ele até diz que, irá mandar eles de volta pro mundo de dados, pra que Ephemer, Skuld e o Protagonista saiam (aquele que ficou de reserva serviria como terceiro pra ele sair), tecnicamente condenando todos eles a ficarem ali na Daybreak Town verdadeira, pra ai sim buscarem uma forma de sobreviver à destruição que viria.

Porém, Luxu monta algum plano mirabolante de última hora que salva ambos. Ele diz "Você é esperto... uma pena que só tem uma vida né?" e ai, as duas Cápsulas de Salva-Vidas aparecem no mundo digital pra Ephemer e Skuld. 

Quando eles usam, Daybreak Town já tá em colapso no mundo real, mas não tem sinal nenhum de Brain ou Luxu. Os caras apenas sumiram, e não tinha mais nenhuma Cápsula pra usarem... fica uma tremenda incógnita sobre o que fizeram.

Mas depois, é mostrado que tanto Luxu quanto Brain viajaram no tempo... como? Não da pra saber. Mas ambos aparecem no futuro, e pra variar, cada um em uma linha do tempo diferente (aparentemente). Além disso, Luxu passa a usar o rosto de Brain.

Não da pra saber o que Luxu fez. Se ele tomou o corpo de Brain pra que ambos sobrevivessem, ou se ele bolou um truque de última hora pra conseguir viajar no tempo. O fato é que, ambos aparecem vivos ainda.

Brain surge em Scala ad Caelum, a cidade que foi construída em cima de Daybreak Town, erguida por Ephemer. Logo, ele aparece muito mais no futuro.

Inclusive, ele já era esperado, e um personagem misterioso chamado Sigurd o recebe, com o chapéu dele.

Luxu aparece andando no Deserto da Guerra Keyblade, carregando a Caixa Preta e a Keyblade Observadora, mas o curioso é que ele tira o capuz e sua face é a do Brain. 

Luxu conhece algum truque pra viajar no tempo quebrando as regras, ou um método diferente de mais. Ele fez isso com Brain, consigo mesmo, e também com os outros Mestres (no final de KH3). Resta saber o que ele ta fazendo.

Ah, outra coisa: Aparentemente, Brain é avô do mestre de Aqua, Ventus e Terra.

Eraqus, que foi colega e melhor amigo de Xehanort em Scala ad Caelum, era neto de um dos antigos Keybladers que lutaram na Guerra. Ao que parece, Brain é ele, apesar de estar um pouco longe de seu tempo.

O parentesco também é sugerido pela Keyblade que ele carrega, que é a mesma que Eraqus usava (e Aqua usou um pouco até sepulta-lo). Keyblades personalizadas costumam ser apenas de uma pessoa, e da pra considerar que seriam passadas de geração pra geração pela conexão sanguínea.

Strelitzia

A mocinha que só sofreu injustiça atrás de injustiça. Ela era pura, tão pura, que foi simplesmente executada pela escuridão.

É estranho isso considerando que, seria mais fácil pra Escuridão possuir Strelitzia e escapar como uma Dandelion, do que usar Ventus pra isso. Mas por alguma razão ela decidiu dessa forma. Uma das partes da Escuridão tomou Ava, e a outra Ventus, e ambas atacaram Strelitzia pra pegar seu posto como Dandelion.

Apesar de morta, a garota ainda continuou causando. Primeiro com seu irmão, Lauriam, que era um Dandelion e não descansaria até descobrir a verdade sobre ela.

Depois por alguma razão ela passou a aparecer como um tipo de bug no sistema de Daybreak Town. Aliás...

A cidade virtual foi feita com memórias de todos os Keybladers que já haviam perecido na Guerra, porém como Strelitzia morreu antes do backup ser feito, sua mente não deveria estar na cidade, sem contar que ela era uma Dandelion, e não seria copiada pois deveria sobreviver pelo outro método (nenhum Dandelion recebeu uma cópia). No entanto, uma das pessoas salvas no sistema acabou vendo ela, quase como um fantasma, e assustada procurou por ajuda, chegando até Lauriam.

A investigação sobre Strelitzia ter conseguido voltar ou não chega a um empasse, no qual é revelado que viram alguém parecido com ela (com um capuz branco) andando ao lado de alguém com um capuz preto, e deixando a cidade.

Além disso, Luxu é mostrado usando um dos Salva-Vidas pra enviar uma pessoa, embrulhada com um capuz branco, pra algum ponto no tempo. Não há qualquer explicação, apenas que tudo faz parte de seu plano.

Strelitzia também aparece vestindo um capuz branco em visões que Lauriam tem dela, o que corrobora a semelhança.

Mas, ela também aparece em espírito confortando seu irmão quando ele praticamente desiste de tudo. Não fica claro se é o bug, se de fato é ela, ou se tem algo mais acontecendo.

E no fim, tudo acaba com o mistério. Pra onde ela foi? Ela sobreviveu? Teria como ela ser trazida de volta? O próprio Lauriam menciona que daria pra levar uma pessoa feita de Dados pra fora do mundo de Dados, praticamente trazendo ela de volta a vida (olha a solução pra trazer Sora de volta ai!), mas no caso de sua irmã, como os dados dela não estavam na cidade, não tinha como salva-la.

Lauriam

Esse rapaz é mais conhecido no futuro como Marluxia, o anagrama de seu nome como Incorpóreo da Organização XIII.

Ele era um dos Dandelions, escolhido por Ava e MoM para sobreviver à Guerra das Keyblades. Porém, sua irmã, Strelitzia, quem também tinha sido escolhida mas não sobreviveu, o fez mergulhar numa obsessão pra encontra-la a todo custo.

Lauriam é uma pessoa gentil, assim como todos os outros, e bastante dedicado, ainda mais em sua investigação. Ele consegue chegar nas respostas, apesar de não gostar nenhum pouco, e descobre que Ventus matou sua irmã.

O cara é pego pela fúria e quase mata o garoto sufocado, porém a Escuridão se revela bem nessa parte, tirando um pouco do peso da culpa dele e deixando claro que tinha algo maligno por trás.

Mesmo assim, mesmo depois de confrontar a Escuridão e depois escapar pro Mundo Real, Lauriam ainda deseja dar um jeito de trazer sua irmã de volta. Então ele mantém esse como seu plano principal, inclusive depois de viajar no tempo.

Não fica claro como ele viajou, pois apesar de ter usado o Salva-Vidas junto com Elrena e Ventus, não havia um Ponto de Retorno pra ele, não havia alguém no futuro que se recordasse dele, ou um corpo pra ele ir. Na lógica ao menos, não havia. Porém ele surge num campo de flores, no futuro, não se sabe em qual tempo, ou em qual mundo.

De alguma forma ele também foi escolhido por Xemnas como um dos Incorpóreos da Organização XIII, mas ainda não foi revelado como Xemnas o encontrou e se foi mesmo o próprio Xemnas que o transformou, ou apenas aproveitou a situação. Pode ser que a solução que Brain encontrou pra salvar o pessoal todo tenha sido a criação de Incorpóreos, mas... não da pra saber.

A única coisa que se sabe é que Lauriam virou Marluxia, e como Marluxia ele permanece procurando Strelitzia. Engraçado que apesar de tudo ele não usa uma Keyblade como Incorpóreo, diferente de Roxas, por exemplo.

Falando em Roxas, e Ventus... e Marluxia... agora tudo faz sentido!

Marluxia é o líder da divisão responsável não apenas por "torturar" Sora no Castelo do Esquecimento la em Re-Coded, mas também por procurar o corpo de Ventus (que estava escondido naquele mesmo castelo, porém trancado por Aqua). Nunca ficou claro a razão de Marluxia ser o líder, uma vez que ele nem era o principal antagonista, e também não era um "Xehanort" da vida...

Porém, sabendo que ele e Ventus tinham um passado, é bem possível que Xemnas tenha usado isso como motivação pra fazê-lo colaborar. Ele estava buscando por Ventus, por suas próprias razões como Incorpóreo, pelo passado que tiveram, e não por querer ajudar nos planos de Xemnas.

Elrena

O caso dela é ainda mais complexo. Elrena é conhecida no futuro como Larxene, a sua Incorpóreo. O problema com ela é que a verdadeira Elrena teria morrido na Guerra das Keyblades a muito tempo, e aquela que escapou do mundo de Dados foi apenas uma Cópia dela, a versão Backup.

Lauriam leva Elrena junto por ela ter sido a pessoa que viu Strelitzia por último, como um fantasma. Só que quando ela fez isso, ela já estava no mundo de dados, e apenas os Dandelions eram pessoas reais salvas naquele lugar. Os Keybladers que participaram da Guerra foram evaporados...

Elrena não aparece usando Keyblades, mas ela é uma Keyblader pois, tem seu Chirithy, e ele só aparecia pra Keybladers. Por isso não acredito que ela era apenas uma habitante "civil" salva por conveniência... 

A questão é que no final, ela acaba sendo uma das resgatadas pra fora do mundo de dados, e ela de fato aparece fisicamente no mundo real, ou seja, ela é a prova viva de que é possível levar um pessoa feita de dados, pro mundo real, sem consequências. 

Pra variar ainda mais, depois de usar o Salva-Vidas pra sair do mundo de dados, ela ainda usa pra viajar no tempo, empurrada por Brain junto com Lauriam e Ventus. A questão é que ela também não deveria ter um Ponto de Retorno, mas mesmo assim, aparece com seu corpo intacto em outra linha do tempo.

Como que Brain e Luxu fizeram essa proeza é um dos novos grandes mistérios de Union Cross, que só será revelado em outro jogo afinal, Union Cross acabou.

Escuridão

A Escuridão tem 13 partes, todas elas respondendo coletivamente como se fossem uma só. Foi pra detê-la e destruí-la que o MoM bolou uma cacetada de planos, um mais complexo que o outro, mas todos infrutíferos. Na verdade ele meio que causou ainda mais problemas.

A Escuridão sempre existiu, e seu objetivo é se proliferar. Ela deseja se espalhar por todos os mundos e impregnar tudo e todos, até consumir tudo. E ela consegue.

A existência dos Heartless é uma consequência da proliferação da Escuridão, algo previsto no Livro das Profecias, e impossível de impedir. No entanto, MoM queria a todo custo acabar com ela, então ele foi conduzindo a história para tirar proveito dos pequenos furos que haviam, espaços não registrados, ou apenas não detalhados, e assim ir bolando sua grande e ainda misteriosa estratégia.

A Escuridão tem 13 partes, cada uma sendo guiada por MoM pra um receptáculo específico. Isso pois, a Escuridão em si não pode ser tocada, é intangível. Ele apenas queria que ela fosse pra corpos que ele pudesse dar conta, então ele criou os receptáculos ideais, seus próprios e mais leais seguidores, e os preparou para que a Escuridão tomasse conta. Os 5 Mestres Antigos eram os receptáculos da Escuridão.

Com isso, foram 5 dos 13, em teoria. O problema é que apesar da Escuridão de Ava ter obtido sucesso ao possuí-la, e aparentemente os outros 4 também, não da pra saber se elas foram arrastadas junto para o futuro, afinal Luxu os levou de alguma forma, e também não tem como saber se a que tava em Ava foi destruída junto com ela, se é que ela foi destruída (outra coisa que não fica claro).

1 das Escuridões estava em Ventus, e assim permaneceu, se transformando posteriormente em Vanitas (com consciência individual, o que sugere que no tempo em que ela surge, as demais já foram de alguma forma vencidas ou afastadas, ao ponto de se desconectarem). Logo, foram 6 de 13.

1 acaba saindo do Mundo Digital e indo pro Real através de Malévola, inclusive sendo essa parte aquela que a ensina sobre como os Salva-Vidas funcionam, e também a ajuda a viajar para o futuro. A ideia dessa parte era criar pra si mesma um Ponto de Retorno usando Malévola, logo, a Escuridão pretendia viajar no tempo.

Mas, Luxu parece impedir ela de alguma forma, se é que a impede de fato. Ele aparece a confrontando posteriormente e não da pra saber o resultado. Então, são 7 de 13.

4 Partes da Escuridão são arrastadas junto com o Protagonista pra Ponte de Conexão com o Mundo de Detona Ralph, mas as entradas e saídas são trancadas, com o poder da Keyblade, por dentro e por fora. Isso ocorre no Mundo Digital, ainda por cima, e toda essa versão foi posta em Modo de Descanso. Assim, são 11 de 13.

Ao que parece, 1 parte sempre acompanha MoM, como um velho amigo (ela vive se apresentando assim), e apesar de não possuí-lo (ela não pode atravessar o manto negro que ele e Luxu levam), parece também não se afastar dele, apesar de sempre ficar oculta, sendo assim 12 de 13.

A Escuridão tem 13 partes, mas uma delas permanece oculta, e pode estar em qualquer lugar, ou pessoa, ao longo de toda história.

Porém, o grande objetivo dela é apenas se proliferar pelos mundos, e se multiplicar. Isso já aconteceu em KH, sendo que talvez as 13 partes nem sejam mais tão importantes. Talvez, destruí-las não fará a Escuridão partir de vez.

Chirithy

Ah, a revelação mais louca do jogo talvez seja essa, em segundo lugar. Os Chirithy, que são Espíritos criados por MoM para auxiliar os Keybladers, acabam adormecendo junto com eles no fim.

E desse sono, surge uma fusão estranha: Sonhos.

Os Espíritos dos Sonhos, ou só Dream Eaters, são criaturas que existem aos montes nos mundos dos Sonhos, permanecendo por lá sem uma origem aparente, além dos sonhos em si. Pura balela. Eles são na verdade a fusão dos Chirithy com os corações de todos os Keybladers adormecidos após a Guerra das Keyblades.

Quando o mundo digital de Daybreak Town foi adormecido, seus habitantes, as cópias dos Keybladers que morreram na guerra, foram adormecidos juntos. Algo muito incomum aconteceu então, com eles se convertendo em Dream Eaters, e caindo no universo dos sonhos.

Os mundos que adormecessem então iriam pra esse mesmo lugar, e até mesmo Keybladers poderiam ir pra lá, como Sora e Riku fazem em Dream Drop Distance, além do Jovem Xehanort, etc.

Ou seja, aqueles bichinhos fofos tudo são pessoas que adormeceram junto com Chirithys, e tão presas no mundo dos sonhos, até que o mundo real delas seja acordado, a versão Data de Daybreak Town.

Aliás, é bem estranho isso. Os mundos copiados, que carregam pessoas copiadas, podem chegar a esse ponto de serem praticamente mundos próprios com vida! Só de existirem, eles já existem! As possibilidades acabam sendo infinitas desse jeito.

Não apenas Sora poderia ser trazido de volta a vida através daquela cópia dele, preservada pela Organização XIII em Re-Mind, como qualquer pessoa poderia! Em Kingdom Hearts, praticamente tudo, se tiver um backup, pode voltar.

Se bem que, pode ser que os Chirithys sejam um tipo de "vida extra" pra quem eles acompanham. Os Keybladers que morreram na Guerra tinham todos seus próprios espíritos guardiões, e talvez isso tenha transferido seus corações pro mundo digital, onde poderiam adormecer.

Sora não tinha nenhum Chirithy consigo... exceto aquele que ele ajuda a resgatar... do Mundo Final... e leva pessoalmente até Ventus (seu antigo dono)... que coincidentemente já compartilhou o coração justamente com... Sora... Seria essa a solução?

Malévola

O caso de Malévola é um dos que eu fiquei confuso pacas no começo, mas ai entendi e pensei "Caracoles". Ela foi a primeira viajante do tempo na franquia Kingdom Hearts! Tirando Xehanort... ta... tem muitos... mas ela foi!

Em Kingdom Hearts 1, Malévola é transformada em um Dragão, forçadamente, tendo seu coração extraído pela Keyblade por Riku, que só faz isso pra mostrar que ela era um capacho dele.

Porém, nesse momento ele (que tava com Xehanort no corpo) sela o destino de Malévola como um dos maiores vilões de Kingdom Hearts, pois a bruxa acaba usando o que aprendeu com Xehanort mesmo, pra viajar no tempo.

Até aquele momento, ela era apenas uma bruxa da Disney que tinha seguido os planos de Xehanort pra obter mais poder, com o esquema das 7 princesas de coração puro e tal. Mas, ela também pegou várias informações como aquela sobre Viajar no Tempo caso o Coração fosse extraído.

A forma como Xehanort viajou no tempo foi abrindo mão de seu corpo e levando seu coração pra época que queria, onde ele já havia existido é claro. Sabendo disso, ela aproveitou que o vilão tava descartando ela e guiou seu coração pra onde tudo começou, na época em que conheceu os Keybladers, em Kingdom Hearts Birth By Sleep, onde foi derrotada pela primeira vez.

Só que mesmo assim, as coisas não saíram como ela queria. Seu coração viajou pro passado, exatamente pra época em que ela era apenas uma vilã Disney tentando ferrar com a Bela Adormecida, mas a versão desse passado é muito anterior a que ela queria.

Ela viaja pro tempo antes mesmo da sua história existir! Ela viaja pro tempo de Daybreak Town, a Era dos Contos de Fadas, a época em que seu mundo era apenas uma cópia, registrada por um Livro das Profecias, do que viria a se tornar no futuro, e projetado para que os habitantes de Daybreak Town coletassem luz.

Pois é, Malévola acaba encarnando sua versão Data, no passado distante, num tempo antes mesmo dela existir de fato. Como a projeção da cópia era bem real, a versão dela também era. Mas ela ainda não sabia disso.

Ela tenta até tirar proveito da viagem e mudar seu futuro, mas as coisas não ocorrem como ela se lembra, e outros Keybladers aparecem pra impedi-la, diferentes dos que ela já havia enfrentado. Isso deixa ela confusa, afinal não era aquela a história dela. E aí a Escuridão aparece, explicando tudo.

Malévola tinha saído de seu tempo pra ir num passado que ela nem existiu de fato, provando que só de ter uma cópia da pessoa, uma versão digital mesmo, já bastaria pra que o Coração viajasse até lá. Só que agora ela tava presa ali, pois pra voltar ao futuro ela precisaria fazer o caminho inverso, e nenhum Keyblader abriria o coração dela assim, de bom grado.

Mas a Escuridão tinha a solução. Os Salva-Vidas, cápsulas que permitiam transitar entre as realidades e até mesmo através do tempo, porém tinham alguns requisitos.

A Escuridão guia Malévola ao Salva-Vidas e a faz voltar pro mundo real. Ela nem sabia que tava só numa cópia, mas serviu de receptáculo pra Escuridão deixar o mundo digital, já ferrando assim com um dos planos de contingência do MoM, o que já era previsto.

Depois disso, a Escuridão convenceu Malévola a usar o Salva-Vidas pra fazer um salto no tempo, de volta pro tempo de origem dela. Só que nesse caso, ela perderia o corpo dela, pois o corpo não acompanha a viagem, apenas o coração. Como regra da viagem também, era necessário que alguém naquela época se lembrasse dela, mas isso não era um problema afinal, ela já tava bem conhecida.

Então, apesar de duvidar da Escuridão, Malévola aceita. Nessa hora aliás, ela recebe a informação de que sua existência era confirmada pelo Livro das Profecias, algo que a própria Escuridão conhecia também. Tecnicamente, Malévola já deveria saber disso já que ela veio do futuro, então ela existiu no futuro de toda forma, mas ela queria a confirmação assim mesmo, de que a viagem funcionaria.

Quando viaja, ela não leva a Escuridão consigo, mas ela serve de Ponto de Retorno pra Escuridão uma vez que agora ela conhecia sua existência. Pra onde Malévola fosse, a Escuridão poderia ir.

Malévola retorna então pra Torre de Yen Sid, carregada pelo seu corvo, no início de Kingdom Hearts 2. Ela o faz pois as 3 fadas lembrariam dela, e isso já cumpriria o requisito de encarnação, que é exatamente o que acontece, fazendo com que ela volte.

Legal essa revelação, pois dessa forma, a Malévola que aparece em KH2 é bem diferente em termos de conhecimentos do que a de KH1. Mas, ela ainda não pega a informação sobre a Caixa Preta, o que da entender que entre KH2 e KH3, algo acontece pra fazer ela se tornar obcecada pela Caixa Preta.

Eu achava que isso teria ocorrido em Union Cross mas, ainda não.

Protagonista


Por fim, vale falar dele, nós!

O personagem que controlamos, que recebe o nome que quisermos (momento link), não é apenas nossa representação no universo de Kingdom Hearts... é algo muito mais importante.

Além desse personagem em particular ter um vinculo com Ephemer e Skuld, algo que eles nunca esquecerão (poxa Ephemer chora no final por causa dele!), ele também é basicamente o grande vilão da trama principal!

Eu fiquei chocado quando no último capítulo do jogo, o Protagonista vira o vilão. Ele acaba se voltando contra Ephemer e Skuld, alegando ser a Escuridão e estar possuído, e dizendo que ou eles o ajudariam por bem ou por mal.

Na luta, seria legal controlar Ephemer ou Skuld, mas nós controlamos o próprio Protagonista, e não é nada fácil.

Os jovens são bem poderosos e tem muito HP, além de ser meio desagradável ataca-los sabendo que são aliados, e que não é algo bom, nem justo. Mas, com o término da luta, apesar do Protagonista vencer, Ephemer usa sua Keyblade pra abrir um portal e enviar tanto ele, quanto as demais Partes da Escuridão presentes, pra um lugar distante (a Ponte de conexão entre o mundo de Ralph e o deles).

Nessa hora, a Escuridão agradece pela ajuda e pensa em usar o poder dele pra reabrir a passagem e voltarem pra sala dos Salva-Vidas, mas o Protagonista revela que enganou geral.

Ele disse estar possuído pra distrair a Escuridão, e impedir que eles atacassem seus amigos. Além disso, ele queria que eles o acompanhassem pro selamento, e usa a sua Keyblade pra trancar a passagem pelo lado de dentro.

Resumindo: Ele trancou pra sempre a conexão entre o mundo de Detona Ralph com o mundo Digital de Daybreak Town, parecido com aquele momento que Riku e Sora trancam pra sempre a passagem pro Kingdom Hearts (na verdade eles trancam a passagem e Riku junto com Mickey vão parar no Reino das trevas, pois aparentemente a porta que leva pro reino de Kingdom Hearts devia se abrir dos dois lados).

Mas a questão nem é essa. No momento em que ele se sela, e prende junto as 4 partes da Escuridão que o acompanharam, ele acaba caindo em sono profundo junto com todo o resto.

E nesse sono, ele começa a se conectar com os demais corações que também estavam naquele estado. Todos os demais Keybladers, enquanto viravam Dream Eaters.

Pra variar, ele se recusa a dormir, e seu Chirithy diz que caso ele não durma, seu coração iria se desfazer e reencarnar em uma nova vida.

É ai que ele tem uma visão do futuro, e vê quem seu coração viraria: Xehanort.

O Protagonista vislumbra o nascimento de Xehanort, e um pouco do inicio de sua nova vida, até que ele simplesmente some.

E é, nós controlamos a encarnação passada de Xehanort o tempo inteiro!

E sim, Xehanort nasceu com cabelos brancos já. Daora.

Xehanort

Ele não aparece de fato na história, apenas como um flashfoward do que o Protagonista viraria, numa visão do futuro. Mas, vale citar coisas como seu nascimento, pois acredito que isso não vai ser mostrado em outro jogo...

Primeiro, é mostrado que Xehanort nasceu numa cidade que pelo chão, é Scala ad Caelum. Então de fato ele nasceu ali, e foi levado pras Ilhas do Destino, pra depois de jovem retornar pra sua cidade natal.

E quem levou ele, a mandos de uma moça (que provavelmente é a mãe de Xehanort... e se parece muito com Skuld), foi um misterioso senhor encapuzado (sempre tem algum capuz envolvido).

Esse senhor parece ter cuidado dele por anos até ele chegar na pré-adolescência, e só parou pois morreu. Aí depois disso Xehanort conheceu a entidade encapuzada (que é ele do futuro), e foi levado de volta pra Scala ad Caelum, onde estudou pra ser Mestre Keyblader.

Mas daí pra frente é outra história... alias já volto nessa parte mas agora, gostaria de resumir a história do único mundo Disney inédito de Union Cross...

O Mundo de Detona Ralph

Antes de explicar a razão dele aparecer nessa história, vou contar de forma bastante resumida o que ocorre nesse mundo: É exatamente a história do filme "Detona Ralph".

Sempre que os Keybladers visitam um mundo Disney, eles interagem com a história original. Existem algumas exceções, que ocorrem quando eles passam por partes intermediárias da história, ou acessam eventos posteriores aos originais dos filmes. Mas no geral, é sempre a mesma história dos filmes, com algumas adaptações por causa da presença dos Keybladers.

Por regra, eles não devem interferir, pra não afetar a Ordem. Mas, na época dos contos de fadas a galerinha de Daybreak Town não se importava muito com isso... afinal eram apenas cópias né?! Eles podiam não saber, mas os Mestres Antigos sabiam por isso, permitiam.

Provavelmente essa regra de "não interferência" tenha surgido por parte de Ephemer em sua nova fundação da cidade, ou até depois disso... mas o que importa é que... eles visitam o Mundo de Detona Ralph, original mesmo.

Ao que parece, na tentativa de escaparem da Daybreak Town Digital, os Keybladers abriram uma ponte entre os mundos digitais. O mundo de Detona Ralph é equivalente ao mundo de Tron, ou seja, é um mundo essencialmente Digital, apesar de também ser um mundo próprio.

Ao acessa-lo, o Protagonista e Ephemer sem querer levam alguns Sem-Corações, que começam a impregnar esse mundo. E ai começa a história:

Logo de cara o Protagonista acha que Ralph era um vilão, porém ele não era... ou não queria ser. Quem assistiu o filme lembra, Ralph tinha cansado de ser o vilão do jogo e queria ser um Herói, por isso ele abandona o jogo. Isso se repete, inclusive depois dele lutar contra o Protagonista.

Depois de derrotado, Ralph conversa com o Protagonista e explica seu ponto, sendo seguido por ele, e até confrontando Felix na festa corriqueira no topo do prédio do jogo. 

Quando ele se irrita, ele decide provar que pode ser um herói, procurando uma Medalha de Herói, e foge pro Jogo de Tiro, onde Ralph já tenta se infiltrar como um dos soldados.

No meio disso, um dos insetos é infetado pelos Sem-Corações bugados, e vira uma anomalia do sistema. 

Pra ajudar a enfrenta-lo, o Protagonista e Ephemer lutam ao lado da Sargento Calhoun.

Depois disso, Ephemer deixa o protagonista cuidando da situação enquanto volta pros demais Dandelions. Ao que tudo indicava, aquela não era a saída, mas como um pequeno grupo de Sem-Corações havia atravessado, o Protagonista precisava encontra-los e destruí-los.

Ralph então pega a medalha que queria e foge com uma nave, indo direto pra outro jogo, o da Corrida Doce. La, os eventos são parecidos com o do filme, com Ralph conhecendo Venellope, e ela roubando a medalha dele pra poder participar da Corrida Doce.

Felix acaba tentando seguir Ralph, e se junta com a Sargento (por quem tem uma quedinha). Ambos vão pro jogo da Corrida Doce, não apenas por Ralph, mas por causa de um inseto que o segue. O Protagonista escuta isso e acaba indo atrás.

O Protagonista chega antes (poderes da Keyblade) e acaba conhecendo Venellope, e a ajuda a se inscrever na corrida, mas ai o Rei Doce impede a inscrição alegando que ela era um glitch e não poderia participar de forma alguma, nessa hora, surge um monte de Sem-Corações.

Depois de confrontar eles, ainda surge Ralph todo melecado de doce, e é confundido com um monstro, sendo enfrentado uma vez mais pelo protagonista, enquanto Venellope se inscreve na corrida.

Mas, depois de conseguir se inscrever, Venellope acaba tendo seu carro destruído por um grupo de Sem-Corações bugados, pra não conseguir participar.

Eles tinham sido incluídos no sistema para aquela função, pelo próprio Rei Doce, que se aproveitou dos Sem-Corações que invadiram o jogo pra, atrapalhar ainda mais Venellope.

Ralph, que só queria a medalha de volta, acaba salvando Venellope ao atacar os monstros, junto com o Protagonista. Mas o carro se perde no processo. É ai que ele descobre que ela jogou a medalha como uma Moeda pra se inscrever na corrida, e agora precisava ganhar pra recuperar.

Só por isso, ele decide ajuda-la, levando ela pra fazer um Carro novo, na fabrica de doces. Enquanto ele fabrica junto com Venellope, o Protagonista enfrenta um monte de Sem-Corações que tentam sabotar tudo.

E quando o carro fica pronto, eles treinam as habilidades de motorista da jovem, sempre com o protagonista enfrentando os Sem-Corações que o Rei Doce tinha colocado no caminho deles.

Nessa parte, Venellope se aproxima muito de Ralph, e da de presente pra ele uma Medalha de Doce que ela mesma fez.

Nesse meio tempo, Felix chega no jogo, buscando por Ralph para fazer seu próprio jogo voltar a funcionar (sem ele, as coisas estavam ficando complicadas e o jogo estava sendo considerado com defeito, podendo fechar a qualquer momento). Aí ele vai no Castelo do Rei Doce, e é preso como invasor.

O Rei Doce decide parar de tentar sabotar Venellope e tem um encontro com Ralph, informando falsamente que se Venellope vencesse a corrida, ela acabaria resetando o jogo, e consequentemente, apagando a si mesma, pois ela era apenas um glitch. Ele mente que estava protegendo ela o tempo todo, e pra tentar fazer Ralph deixar de ajuda-la, e ajudar a ele, ele entrega a Medalha que ele tanto buscava.

Ralph tenta argumentar com Venellope, tenta convencer ela a desistir da corrida pelo próprio bem dela, mas ela não escuta, ainda mais quando vê Ralph com a Medalha de Herói. Pela teimosia, Ralph detona o carro que ambos fizeram juntos.

Então ele vai embora de volta pro jogo dele, triste, e ela também fica arrasada. Mas, o protagonista acaba seguindo ele e tenta entender o que houve e ajudar. É quando eles veem pela tela do arcade que no fliperama do Jogo Doce, Venellope tava estampada, provando que ela não era um glitch, mas sim um personagem do jogo.

Ambos voltam pro jogo de Venellope e interrogam o Bill Azedo (capanga do Rei Doce), e descobrem tudo o que o rei fazia, inclusive que ele tinha removido Venellope das memórias de todos os personagens dali, mexendo no código fonte do jogo.

Daí, eles vão até o castelo libertar Felix (que o mordomo também revela ter capturado), e pedir para que ele conserte o carro de Venellope.

Felix arruma, e eles levam pra Venellope que tinha sido capturada também. Daí, ela se reconcilia com Ralph e ambos correm pra corrida.

Lá, um monte de insetos bugados com sem-corações surgem, multiplicados daquele que seguiu Ralph.

A Sargento chega bem nessa hora pra ajudar a enfrentar a infestação que ela notou que ia acontecer pois, ela que levou Felix até o jogo, e Venellope vai direto pra corrida.

Enquanto o Protagonista e os outros enfrentam os insetos, ela acaba tendo de enfrentar o Rei Doce, que se revela Turbo, o primeiro glitch real que já existiu. Ele danificou o próprio jogo num glich, e fez outro jogo também ser danificado tentando se misturar. E aí, encontrou um disfarce no jogo de Venellope mas, mudou o código fonte pra ninguém nunca descobrir.

Ele não ia deixar ela terminar a corrida, pois tudo resetaria e ele seria apagado, já que ele era o glitch. Mas ela consegue escapar e retomar a corrida, até que muitos mais insetos aparecem e prejudicam ainda mais o jogo. Até o Rei Doce acaba sendo atacado e consumido pelos Insetos no processo.

Pra variar, a corrida acaba não podendo ser encerrada pois a linha de chegada é destruída. E pra variar mais ainda, os insetos tomam tanto controle do sistema que praticamente condenaram o jogo. Dessa forma, os personagens evacuam do jogo, pra segurança deles, pois glitchs não podem deixar seus jogos de origem (e os insetos que tinham se proliferado eram simplesmente glitchs por causa dos Sem-Corações).

Só que Venellope, por sua condição no código fonte, também não podia sair do jogo. Por conta disso, Ralph pega a prancha voadora da Sargento Calhoun, e tenta criar um Pilar de Luz (pra atrair os insetos assim como ele fez no jogo em que ganhou a Medalha de Herói). O truque que ele usa é o mesmo do filme, derrubando Mentos em Coca-Cola.

Ele se sacrificaria no processo, levando o protagonista junto, pois ele acompanha Ralph pra dar suporte na luta. Pra piorar tudo, surge o Rei Doce, transformado num monstro bizarro misturado com Insetos. Ele tenta impedir e gera uma luta longa que só toma o tempo dos heróis, até que o mentos cai, rumo a explosão garantida.

Daí, Venellope não aguenta ficar esperando, pega seu carro, abusa de seus glitchs de teletransporte, e salva Ralph e o protagonista, levando ambos pra longe da explosão de Mentos.

E aí eles assistem os insetos indo pra morte doce. Até o Turbo/Rei Doce/Inseto voa na direção da luz e morre. Personagens que morrem fora de seus jogos originais, morrem pra sempre.

Depois, Felix conserta a Linha de Chegada da corrida, e Ralph empurra Venellope em seu carro, resetando o jogo.

O protagonista fica um pouco pra trás, enfrentando um último inseto mutante, misturado com Sem-Coração mas, muito estranho. Ele fala. Ele diz "Não é você" e ai enfrenta ele. Mas no final, é destruído.

Tudo volta ao normal, incluindo Venellope, que assume sua identidade de Princesa Venellope (ela era uma das Novas 7 Princesas... tecnicamente... apesar disso ter ocorrido no passado).

Assim termina a história, com Venellope dizendo que apesar de ser princesa, jamais deixaria de ser amiga de Ralph, ou uma corredora cheia dos hacks de teletransporte.

O protagonista deixa esse mundo, tendo derrotado os Sem-Corações, mas ainda restava a dúvida sobre quem era o alvo real daquele Sem-Coração estranho no final. Que aliás, era um "Nightmare"... o oposto dos Dream Eaters.

Depois disso, ocorrem os eventos que levam o Protagonista a se sacrificar pra salvar todos seus amigos. Ele é jogado justamente na ponte entre o mundo digital e o de Detona Ralph. Mas, ele tranca tudo, junto com as 4 partes da Escuridão que estavam la.

Como ele reencarnou como Xehanort, é possível que as Escuridões dali também tenham dado um jeito de "reencarnar", ou apenas sair de alguma forma diferente. Provavelmente, os Nightmares são resultados da Escuridão tentando escapar do mundo dos Sonhos... isso é bem possível na verdade, e até lógico.

Além disso, uma vez que o mundo de Detona Ralph foi "trancado", ele é um daqueles mundos que Sora jamais poderia visitar. Mas, ele convoca Ralph como aliado... e como foi mostrado nos jogos anteriores, aliados são um sinal de que o mundo daquele personagem será parte da franquia em breve (o Galinho nunca foi... mas o fato das Animações 3D Disney sim).

Ou seja, talvez Sora, ou algum outro membro da equipe, acabe encontrando o mundo de Ralph, entre aqueles que haviam sido selados sem razão aparente. Quem sabe existam até mais mundos nessa mesma situação.

Aliás, é muito provável que Venellope seja uma das novas 7 Princesas, se é que isso será utilizado. Daí teria ela, Rapunzel, Elza, Anna, e Kairi, até então.

Enfim, Union Cross acabou, mas ainda existe um jogo dentro dele que está em desenvolvimento.

E o processo é exatamente o mesmo: meses de espera pra cada atualização com os episódios novos.

O jogo, ou divisão de jogo, é o Dark Road, que é a história do Jovem Xehanort.

Eu já comecei ele, to no Episódio 4 (e agora deu uma parada), porém pensa num jogo ainda mais enrolado.

Dark Road é... ah deixa pra outro artigo. 

Nele eu conto do que se trata certinho, mas vou esperar lançarem todos os Episódios mesmo. Fica chato ficar teorizando atoa, e atualizando coisas o tempo todo.

É isso.

Espero que tenha curtido... ou ao menos entendido. Na real fiz isso mais pra registro, afinal to vendo que vou esquecer isso tudo até concluir o Dark Road. Enfim, se quiser ler mais artigos... visite a Lista da Morte, só clicar aqui.

See yah!

Postar um comentário

0 Comentários