SérieMorte: Supernatural

Não faz ideia de quanto tempo esperei pra falar de Supernatural, e na verdade eu nem sei o que falar!

Eu aguardei pelo momento certo, pensei em como faria esse artigo, e bem, agora que ela terminou, bora falar de tudo, conceito geralzão mesmo!

Supernatural

Sim, é Sam e Dean rapaize!!!!!!!!!

Boa leitura.

Não minto, assisto saporr4 desde que saiu, e acompanhei episódio por episódio toda bendita semana, seja TV, seja via streaming, seja via torrent, seja via sites piratões, eu sempre fiz todo o possível pra dar um jeito de assistir, e... tiveram momentos que eu xinguei, outros em que chorei, outros em que xinguei por chorar e chorei por xingar... Supernatural é uma montanha russa de emoções, binárias... vai de choro a xingo e é isso kkk.

Eu sei, parece até que não curto a série, apesar de ter acompanhado ela pelo que... 10 anos? Sempre tive a esperança de que ela voltaria a ser como nas primeiras temporadas (frase essa de todo mundo que acompanha, to ligado) e fico feliz em dizer que: Nop, não voltou não... mas terminou de forma honrada.

Aqui vão entrar minhas críticas e desabafos sobre a série inteira e, seja o que deus quiser.

Ah, eu conheci ela pela minha mãe alias... engraçado isso... mas minha mãe viu o primeiro episódio na TV e disse "filho, a mulher queima no teto!!! vem ver" e eu fui assistir já no final. Depois conseguir assistir ele inteiro é claro, quando passou a reprise, mas eu já tava mais avançado e tinha visto vários outros episódios quando ocorreu.

Lembro que eu e um amigo vivíamos pensando em sermos caçadores! De verdade, por influência da série, pois de certa forma ela nos fazia acreditar que aquilo podia ser real... tudo por causa do mistério constante... é ai que... eu preciso falar...

O que raios ocorreu com ela ao longo de sua produção?

Depois que o criador deu tchau tchau pra ela, os caras esqueceram o que Supernatural significava e decidiram focar em... bromance! Isso é até zoado em um dos episódios em que de fato, falam muito da configuração de cada episódio e a característica sempre presente de que, em algum momento, os dois irmãos caçadores de monstros devem sentar e ter uma DR.

O caminho até aqui (Carry on my wayward soooon) começou com os carinhas simplesmente juntos pra procurar o papai e vingar a mamãe, numa série repleta de mistérios, e criaturas assombrosas escondidas num véu muito fino de dúvidas e curiosidades. Meu, era de fato "Supernatural", era algo mágico, assustador pelo que não víamos, muito mais do que pelo que víamos.

O episódio que vem na minha mente quando penso "O que era Supernatural?" é aquele do Avião. Mano!!! Um enxame escuro impregnou alguém num avião e o derrubou. Esse mesmo enxame é visto em outras partes do episódio, e nos fazem pensar "O que é aquilo?" No fim, permanece o mistério, em teoria, mas na prática aquilo era um tipo de demônio. Meu, meu... perfeito!

Como explicar... as coisas estavam ali, fantasmas, monstros, demônios, até "anjos", mas era tudo envolto de mistério. Cara, o próprio pai dos moleque tava perto deles o tempo inteiro, e só eles num viam! Mas... era tudo em prol do mistério e é isso que fazia a série ser tão incrível.

Até que, do nada, decidiram partir pra ação frenética, cota de decapitação por episódio, repetição de criaturas, mortes e ressurreições constantes, e roteirizações deus-ex-machina pra que, os heróis sempre fossem os fodões e claro, pessoas com maquiagens.

Demônios: Olhos Pretos, Vampiros: Dentes Afiados, Fantasmas: Translúcidos, Lobisomens: Olhos Amarelados e Presas. Os "monstros" passaram a ter isso, maquiagens simples, e todos eram detidos por decapitação. Sério, até fantasmas! Apareceu um? Corte com uma Faca de ferro pois, ferro afasta eles... depois busque o que sobrou de seu corpo vivo e queime após salgar. Easy.

Ficou algo genérico de mais, e a limitação da produção em investir nos "efeitos" foi ficando cada vez mais evidente. Dragões... nunca esquecerei do episódio em que apareceram dragões, e eles eram... pessoas normais com... olhos diferentes.

Tudo era isso gente, e perto daquele mistério irado que rondava os episódios no inicio, a repetição da maquiagem zoada ficou cada vez mais batida, ao ponto de pensarmos "Que merd4...".

Continuei assistindo na espera de, voltarem ao mistério, ao lado mágico, ao esquema do "Veja menos, sinta mais". Só que isso raramente ocorria. Tinham sim alguns episódios que pareciam revigorar a fórmula, como é claro a chegada do Castiel. Como ele chegou, onde mal sabíamos a extensão do poder divino de um anjo, e temíamos pelo que não era mostrado... aquilo foi genial...

Mas logo se perdeu em algo monótono onde Anjos viraram parte do elenco principal, e pronto. Algo que antes tinha sido referenciado como "Extremo do Mistério". Cito o episódio em que Sam testa sua própria fé, buscando e acreditando que um anjo era responsável por umas anomalias, e no fim, descobrindo que era só mais um fantasma qualquer, mas ainda mantendo aquela fé, no que não podia ver e que não haviam registros de ser real... Gera mó discussão pessoal aliás, pelo que me lembro, Dean desencorajava a crença de Sam, e no fim, ele próprio começa a questionar.

Depois que os anjos se revelaram, virou balbúrdia. O Paraíso foi mostrado, o Inferno foi mostrado, com uns erros bizarros de continuidade e lógica...

Tipo, pra anjos aparecerem diante humanos, e não queimarem seus olhos com sua glória, eles precisavam encarnar em pessoas que se ofereciam pra isso. Literalmente possuir gente, por um tempo ao menos, pois nem todos os corpos resistiam... ok...

Só que, em vários episódios eram mostrados diálogos desses mesmos anjos, no Paraíso, mantendo seus corpos humanos, e até aqueles que nem tinha incorporado tinham corpos humanos. Gente?! Qual o sentido? Se eles tavam no paraíso pra que usar os corpos carnais? Se tavam entre eles? Nunca fez sentido isso.

Claro, era pra que os atores aparecessem, mas meu, isso é Supernatural! Pra que ficar mostrando tudo o que acontece nos bastidores do que Sam e Dean virão a enfrentar? Nunca foi necessário, e ao meu ver, isso foi o que estragou muito a série.

O Inferno então, foi ainda pior. Demônios eram tidos como seres horripilantes, que ninguém podia encarar sem vomitar. Mas, eles incorporavam pessoas pra poder enganar e seduzir os seres humanos, e assim conseguirem seus pactos e suas almas novas né... Só que...

Até no Inferno eles mantinham esses corpos encarnados. Inclusive quebrando a lógica pois, o inferno não é algo físico, mesmo sendo mostrado como físico.

Parece até que esqueceram o encerramento perfeito de uma das temporadas onde Dean é mostrado no inferno, preso em correntes e... MEU DEUS AQUILO ERA O INFERNO!

Eles lutaram tanto pra impedir que a alma dele fosse levada pra la, eles fugiram dos Cães do Inferno (vo falar disso!!!), e era mó medo pois, cara, será que seria tão cruel assim? E porr4, foi CRUEL DE MAIS!

Ai do nada, decidiram que o Inferno seria representado por um corredor com portas e grades e, uma sala principal pra geral conversar. Quê?!

Os cães... eles são um exemplo de como a fórmula do mistério era essencial pra tudo funcionar. Quem viu como eles foram apresentados na certa ficou assustado.

Os Cães do Inferno eram horríveis, assustadores e eram aqueles que recolhiam as pessoas quando os pactos encerravam. Apenas quem fosse o alvo podia vê-los, e isso foi tão bem mostrado, ou melhor, não mostrado, que ficou perfeito.

Dean corre deles, mas Sam não os vê, ninguém além de Dean, assustado, pode vê-los. Em outras caçadas ambos passaram pelo mesmo, onde se depararam com vítimas sendo esquartejadas pelo que eles não podiam ver ou deter... e ai Dean era o alvo, com medo constante no olhar. G-E-N-I-A-L.

Irônico que não tinha como estragarem isso, até que em uma das temporadas mais recentes eles conseguem Matar um desses cães, e o corpo aparece, mostrando que é um cachorro comum mesmo... Mano?! Aliás, nesse ep o corpo aparece rapidamente ta, mas da pra ver que não é nada como eles descreviam.

Meu, se não tem como mostrar, não mostra!

E não era falta de aviso. O criador da obra (que depois de sair teve ela trucidada por outros showrunners) era Eric Kripke, e ele tinha sua forma de contar e mostrar as coisas, pendendo pro terror, mistério e suspense. Inclusive, ele usava uma paleta de cores mais monocromática, puxada pra preto e cinza, que não era só um erro de edição, mas algo proposital para passar uma mensagem.

Mesmo depois de sua praticamente saída, na quinta temporada (onde ele quase nem se envolveu), há um episódio em que ele literalmente mostra a troca de cores em tempo real, informando aos espectadores, mas também a própria produção, que havia mais em Supernatural do conversas e ação.

Quando "Deus" aparece pela primeira vez, como Chuck, aquilo era o toque do diretor, de que tudo devia ter acabado (e acabou) quando Dean morreu no fim da quarta temporada, e tudo dali em diante era algo feito sem rumo, como os livros de Chuck sem publicação.

Supernatural foi cometendo vacilos, acertos e erros constantes, e como eu disse, formou uma montanha russa. Uns episódios eram perfeitos, outros eram estranhos, outros tavam no meio termo.

O que importou no fim foi que, ao menos eles souberam encerrar.

No meio de tantas reviravoltas onde salvar o mundo era o foco, eles conseguiram lembrar de algo importante pra justificar o fim de tudo.

A série era sobre uma dupla de irmãos caçando monstros, salvando pessoas, o negócio da família, que ai no fim, não pareciam mais saber pelo que lutavam.

Dean, um cara boa pinta, pegador, descolado, que manjava das caçadas, e era hiper treinado, tendo como foco de sua vida, proteger seu irmão mais novo, e manter os negócios de seu pai falecido em dia.

Sam, um cara esperto, tímido, um pouco desengonçado, mas tão forte quanto seu irmão. Ele tinha como objetivo proteger seu irmão, e não ser um peso morto, além de auxilia-lo com os negócios, mesmo que isso significasse jamais ser uma pessoa normal, o que ele mais queria.

Em muitos episódios flertaram com a ideia de Dean e Sam obterem o destino que tanto queriam. Dean chegou a virar um caçador exímio, Sam já teve sua vida normal algumas vezes. Mas nunca era perfeito, nunca estiveram satisfeitos com a vida perfeita. Aliás, Dean também já conseguiu ter uma vida normal e ainda assim não era o suficiente.

A série não tinha como terminar, não de um jeito em que eles estivessem satisfeitos, e de fato, encerrariam sua participação na própria história.

Foi ai que em uma bagunça maluca onde até "Deus" entrou na trama, como VILÃO, eles acharam a saída.

O céu tava errado, o inferno tava errado, então e se a jornada dos heróis não fosse pra salvar o mundo, mas sim, salvar a pós vida.

Eles lutaram tanto pra corrigir o que o vilãozão ai tinha criado. Eles corrigiram o Céu, e o Inferno, para que quando as pessoas morressem, tivessem seus derradeiros destinos, justos.

Eles próprios conferem isso, num final em que, inevitavelmente, ambos morrem. Não é triste, pois a série havia quebrado a barreira do mistério da pós vida, então, mostrar eles ali, foi a saída mais interessante.

Eles corrigiram o paraíso, que antes era individual, uma ilusão constante pra cada pessoa, e agora era praticamente um novo mundo, compartilhado entre todas as almas, com o que elas mais desejavam.

Eles corrigiram o inferno, que antes era uma desordem com os demônios desejando mais do que precisavam, e consumindo as almas, e voltaram ao modelo "ponto de condenação". O foco dos demônios passou a ser torturar as almas ali, e não ir pro mundo real pra coletar mais almas.

E tudo isso, sem que anjos ou "Deus" aparecessem. São citados, e olha que o novo "Deus" que Sam e Dean botam no lugar do vilão, meio que era melhor amigo deles, quase um filho pra eles. Mas ele próprio diz "Irei me retirar da história, pois esse foi o erro do outro".

O mistério retorna! O episódio é cheio de referências a isso. Um demônio aparece conduzindo as pessoas pro mal, mas não interage. Um vampiro do passado surge, citando que tem algo maior que ele por vir, mas isso encerra ali, pra dar lugar a morte de Dean.

Morte simples, que aliás, não chega a ser decepcionante. Ele havia se tornado fraco uma vez que "Deus" parou de sustenta-lo com o poder do roteiro. Então, ele morreu lutando, num mero acidente, e decente.

Dean morreu tanto... não me espanto por ele ter apenas esperado Sam deixa-lo partir pra finalmente descansar. E talvez, era esse seu grande sonho: Poder descansar.

Sam por outro lado queria ter uma vida normal, e ele consegue isso depois, envelhece, e só então encontra seu irmão. Gente, isso foi bonito, e também foi o encerramento perfeito.

Ignoraram muita coisa da série pra isso? Talvez... Nunca esquecerei de Jesse Turner, o anticristo esquecido da quinta temporada que apenas... sumiu. 

Para resolver isso, a produção decidiu apagar os demais universos, e claro, apagaram todos os coadjuvantes interessantes. Tudo foi deletado, pra então sobrar apenas Dean e Sam e, o fim. Um pouco cruel é claro, mas no contexto, é o justo, e o esperado.

Ainda bem que eliminaram a possibilidade de ter spin-off, pois Supernatural só resistiu tanto, pelo carisma dos atores de Sam e Dean, e talvez Castiel. A série não tinha mais o que contar, o universo "sobrenatural" foi transformado em algo tão transparente que, não tinha mais mistério algum, e isso era o atrativo.

Imagina criar uma série gangster sobre os monstros de Supernatural? Seria terrível, já era só no conceito, pois os monstros não eram interessantes, não do jeito que os pintaram, e maquiaram. Pior que consideraram isso hein.

Ah... como encerrar? Eu não sei. 

Tem tanto que eu gostaria de falar, mas... 10 anos de série meu, eu não sou capaz de lembrar tudo. Logo, qualquer coisa, comenta, a gente conversa sobre. Se não, tranquilo também. No fim, o que importa é que terminou, e terminou bem. 

Eu gostei do que acompanhei, mesmo tendo me decepcionado em muitos pontos. Se você nunca assistiu, veja, talvez curta um pouco.

É isso!

See yah!!!!!!


Postar um comentário

15 Comentários

  1. É...
    xo ver o que posso falar aqui...

    Acompanhei um pouco dessa série já...
    No início, quando passava na Tv aberta, meus amigos do colégio eram viciados na série... e eu sempre fui receoso de acompanhar o que é popular na hora kkk

    Viviam falando sobre e nessa epóca comecei a ficar acordado tarde da noite e assisti uns eps perdidos e parecia legalzinho...

    Só fui voltar a assistir mesmo quando minha ex começou a acompanhar e eu peguei já a partir da temporada que castiel apareceu e acompanhei umas 3 temporadas acho... era legal, bacana, então, num dia desses, fui tentar assistir do inicio...

    Mas só gostei mesmo das duas músicas que ouvi... o clássico Carry on my wayward son... e Highway to hell... de resto, não curti a série e nem terminei a primeira temporada.

    Tenho vontade de um dia conseguir assistir tudo de novo (pois eu gostava quando assistia com a ex), mas nem sei se irei assistir mesmo...

    E vendo sua análise aí, fiquei mais desanimado pra ir atrás... mas quem sabe um dia né? kk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Um dia né.... um dia.

      Supernatural é complicado... ela agrada e desagrada na mesma medida. O sr tem um histórico curioso com ela, talvez a nostalgia o ajude a finaliza-la... um dia... mas se não o fizer não perde nada.

      Muitos episódios frustram, e vários arcos são encerrados de um jeito brochante. Mas, tem seus momentos divertidos (o Trickster, a Fada, Scooby-Doo, o gato kk... etc).

      Obrigado por comentar... significa que importou né xD. Isso me anima, e é muito bom ver o sr Siegmeyer!

      Excluir
  2. Seria bonita, serie formosa... serie BEM FEITA, que serie maravilhosa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não discordo em tudo, mas em parte... ela teve suas baixas. Mas é num geral sim, maravilhosa.

      Excluir
    2. Eu fui sarcastica maxwell kkkkkkk eu no maximo vi um ou dois ep dessa fita.

      Excluir
    3. Na verdade eu so imitei o dialogo do seu madruga, que sem cultura...

      Excluir
    4. Ah, entendi. Mas pra mim, é uma série boa.

      Excluir
  3. "Cleyton é um ótimo nome para um tatú bola doméstico"

    Olha o sobrenatural aí....tatú bolas...que isso, é Du demoniu esse bixo....
    Mintira....eu só não gosto quando o Cleyton vira uma bolinha, porque aí ele para de fazer cosquinha em mim com aquelas patinhas pequenas dele......

    Meu, é isso que acontece quando não se sabe o que falar....vai pros MaTiNhOs e só fala aleatóriedades kkk.
    Bem....eu lembro dessa série, Caramba, essa série é mais véia que eu (mintira, é Naum)
    DEIX anos meu, é ano pra um caralho.
    Nem imagino como ela sobreviveu tanto tempo, ainda mais com essas...decadenciais entre os EPS bons kkk.
    E engraçado que eu nunca assisti, esse artigo serviu pra eu ver que...eu provavelmente nunca vou ver rs.


    E aliás, as maquiagens ficaram mau feitas por causa do baixo orçamento kkkk.
    (Até parece.....os cara sobrevive 10 anos com samerda e vai falar que não tinha orçamento pra MAQUIAGEM kkkk.
    É só preguiça dos maluco mesmo.)


    Bem....enfim, si ya senhor carinha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah para, da uma chance!! Ve pelo menos o primeiro e o ultimo episódio (imagina que daora kkkk). A série tem mais altos do que b... não... ela tem muitos baixos... sério, nem da pra falar isso. Mas os poucos altos que tem são tipo gigantes, como o episódio do Scooby Doo!! Sei la se deu pra entender kkk.

      Enfim, eu amei ela, e saca que o amor é meio cegueta né.

      Legal que minhas primas de Minas Gerais amam de mais essa série, inclusive os episódios "ruins", então se elas lesse messe artigo (espero que nunca leiam kkk) ficariam bravas!

      Excluir
    2. Literalmente....
      Quando nós estamos sob esse sentimento a parte do cérebro dedicada a lógica é quase que.... desligado.
      Tá, ele não desliga, mas ele para de trabalhar como antes, e tipo.....faz sentido pacas você gosta tanto dessa série dessa forma....(brinkadeira)

      Deve ser a nostalgia...tipo, acompanhar isso desde os primórdios, a dez anos...meu deus....mas é normal, eu tenho isso com uns desenhos animados kkkkk.

      Excluir
  4. Então, eu era grande fã da série, principalmente as 5 primeiras temporadas em que eu assisti diversas vezes (diversas mesmo), depois disso eu assisti até o último episódio da última temporada, um por um, simplesmente pela teimosia de não abandonar uma série que tanto amei. Mas doeu tá, doeu muito.
    Na minha opinião, a série se perdeu com a saída do Eric kripke, eles tinham um universo maravilhoso criado, com regras (muitas regras), mistérios, profecias e que foi escalonando até chegar no ápice que foi a quinta temporada. Para mim esse era o ápice, eles saíram de dois caçadores de fantasmas a dois irmãos combatendo anjos e demônios. Beleza, pra mim aí era o teto. Só que aí eles resolveram arrebentar com esse teto de uma vez, os caras matavam dragões, fadas, deuses, praticamente todas as mitologias morreram nas mãos deles, a morte morreu na mão deles kklkk pqp velho. Olha, vou tentar não ser redundante e não ficar repetindo o que você disse, mas focar em outros problemas, já que não faltam.
    A ideia dos anjos foi completamente colocada no chinelo e pisada diversas vezes, os anjos eram criaturas poderosas e temidas (até os demônios morriam de medo), aí no final os anjos eram normalmente um maluco de terno dando soco ou batendo com aquela maldita faquinha de alumínio (pqpppp). Pra piorar, a batalha final entre Miguel e lúcifer iria destruir o mundo de tão caótica, daí quando finalmente eles conseguem se enfrentar (em sei lá qual temporada) os malucos saem simplesmente no soco brother, no soco, o lúcifer se não me engano ainda lança uma bolinha de fogo pra fazer diferença (e fica ridículo). Além disso, todas as criaturas poderosas da série se resumiram a dois poderes, a telecinese e o estalo de dedos que faz tudo, pô cara, a primeira vez que lúcifer estala os dedos e explode o Castiel na tela é uma parada absurda, eu fiquei chocado na frente da tela, mas aí eles pegaram esse simbolismo e extrapolaram até eu não aguentar mais, era estalo de dedo aqui e ali o tempo todo que até o Thanos teria inveja.
    Outros problemas, a banalização da morte... Quando o Sam morreu ao final da segunda temporada e o Dean ao final da terceira foi de quebrar o coração, depois disso quase todas as mortes se tornavam insignificantes, simplesmente. Todo mundo podia voltar, inclusive nessa tentativa frustrada de voltar a ser o que era a série trouxe de volta personagens que não precisavam voltar cara, Gabriel foi o exemplo perfeito, a morte dele era emblemática, lutando contra o irmão, aí do nada não, ele tava o tempo todo sendo torturado por um demônio que até então ninguém nunca tinha ouvido falar, ah cara, que merda hein (pra simplesmente depois se livrar do cara sem nenhum peso mais, era melhor ter deixado o cara quieto na cova dele).
    Cara, o comentário foi tão grande que vou ter que dividir em dois.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Em adição, tu lembra do episódio do detetive do FBI que vira amigo do Dean? Todo mundo preso numa delegacia cercados por possuídos e no fim, depois que o Dean e o Sam vão embora chega a Lilith e mata geral? Tipo, naquela época, as mortes inclusive dos coadjuvantes tinham um peso. Eu lembro de ter ficado abalado pela perda dos personagens. Depois disso virou moda morrerem e voltarem.

      Apesar de eu ter gostado da ideia dos anjos, inclusive amei Castiel, eu sei que foi isso que matou a série. Isso que rompeu os limites. Ainda na quarta temporada, muita coisa foi se perdendo (parecia até que o Eric tava desanimado sei lá) e de temidos os anjos foram já virando os engravatados certinhos. Tudo desmorona quando rompem o véu dos monstros.

      Tinha tanto mistério, era tudo mais humanizado, Sam e Dean corriam riscos e a qualquer momento era possível perdê-los. Depois não, só viraram dois marmanjos decapitando geral. E lembra que antes tinha todo uma discussão sobre o que eles deviam ou não matar? Eles queriam executar geral, mas os inimigos eram tão bem montados que no fim, a gente ficava na dúvida se foi certo ou não por um fim neles.

      Excluir
  5. O colt que só não matava 5 coisas na criação, mas que no final foram umas 15, já tava quase um revólver comum. A faca que matava demônios que ninguém se importava mais pq todo mundo tinha uma faca de alumínio. Os rituais de exorcismo também se tornaram totalmente irrelevantes (uma pena). Os níveis de poder estagnados (como expliquei sobre o estalo que faz tudo). Até a batalha final pra mim foi totalmente sem sentido, tem uma linha clara em que Deus fala "qual a parte de onisciência você não compreende?" E eu falo, beleza, o cara sabe tudo mesmo. Mas não é que não sabia? Tanto que perdeu. O céu era quase um tribunal cheio de advogado de terno, o céu era um lugar branco sem graça demais, cheio de gente de terno. Dean matou Hitler. Mundo de Oz não posso esquecer kkkkkkk. Assim, se eu tiver que continuar não vou conseguir parar, me ajude.
    E por incrível que pareça, sempre vou guardar essa série no coração, fiquei tão triste quando resolveram lançar os Winchesters, vi que era só mais da balbúrdia que tinham criado, só que se passava antes da série original ser uma balbúrdia, mas pelo menos cancelaram, esquece isso aí. Então eu tenho que discordar em um ponto, pra mim a série não soube terminar, acho que ela foi forçada a isso, precisava, não tinha mais o que sugar, mas entendo que muita gente gostou e é isso. Enfim, mais uma análise sua que eu acho e não posso deixar de comentar kkkk agora acabei, até a próxima.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Temos o mesmo sentimento pela série. Inclusive a razão por termos encerrado ela foi a mesma kkkk, então te entendo totalmente sr. Eu nem sabia se escrevia sobre, ou como escreveria, afinal é tanta coisa pra falar. Mas que bom que deu certo.

      Eu parei pra assistir Os Winchesters... cara eu fiquei tão arrependido kkk. É uma série boba de mais, estilo Riverdale com pegadas de Flash. Negócio fica trazendo personagens que conhecemos como a Rowena ou o Trickster, só pra lembrar que é no mesmo mundo de Supernatural. Mas já nessa série os caras cometem os mesmos vacilos, e pior, agora é tudo mais novelado. Uma tragédia. Quando terminar de ser lançada vou assistir pra fazer um review e apagar da memória (se eu tiver coragem).

      E, ao meu ver, o fina lda série só fez exatamente o que rolou no fim da 3° temporada. A Morte de Dean seguida pela continuidade de Sam sem ele. Mas agora com as últimas palavras de Dean guiando a vontade de Sam e não um demônio sedutor querendo abusar dos seus poderes.

      A separação do divino também foi uma correção que julguei essencial. Era tão melhor antes de tudo começar a aparecer kkkk.

      Eu preferia ter visto a série reerguer, mas me contentei com o Sam velhim.

      Sr Ed, obrigado como sempre!!!

      Excluir

Atenção: Antes de enviar seu comentário, por favor copie o que escreveu (para não perder o texto), pode haver erro ao publicar, então tente novamente.

Caso o erro persista, por favor me informe através do whatsapp (11 958017648), facebook, instagram ou tiktok.

Obrigado de mais por comentar, isso me estimula a continuar.

Emoji
(y)
:)
:(
hihi
:-)
:D
=D
:-d
;(
;-(
@-)
:P
:o
:>)
(o)
:p
(p)
:-s
(m)
8-)
:-t
:-b
b-(
:-#
=p~
x-)
(k)