O Filme Recomendado de Hoje: A Ligação

Um filme, de terror, e paradoxo temporal. Normalmente não é meu estilo falar de filmes sem serem found footage, mas, bora la!

A Ligação

Boa leitura, e evitarei spoilers.

Não sei porque a Netflix parece estar numa onda de terror sul-coreano elevada. A maioria das últimas obras que vi são asiáticas, e boas pra variar. Teve uma de found footage que comecei a ver mas que, logo me arrependi (abandona o gênero) e por pouco não descontei o descontentamento em todas as outras recomendações que surgiram, só por serem asiáticas... que bom que não o fiz.

A Ligação é um filme raro de terror que eu não sei classificar. Não consigo dizer se é terror psicológico, se é dramático, temporal, psicótico... ele tem de tudo um pouco.

É um filme muito bem estruturado, e interessante, chega a ser divertido e até nos faz tentar antecipar o desfecho, mas ele constantemente nos surpreende.

Ele começa leve, com uma proposta pra la de curiosa, mas aos poucos vai se transformando em algo assustador que, no fim, apenas nos faz perguntar: Por quê!?

Não é ruim, muito pelo contrário, é isso que torna ele tão único. Ele tem esse ar de mistério e sobrenatural, ao mesmo tempo que carrega realismo e se baseia em coisas mais mundanas e físicas pra assustar. Como eu disse, é difícil classifica-lo.

Sem dar spoilers, preciso ao menos falar qual o contexto dele...

Tudo se passa em uma casa antiga, onde uma moça encontra um telefone que recebe e faz ligação apenas pra um outro aparelho: Ele próprio, no passado.

E ai começa a história onde, aos poucos, ela usa dessa vantagem temporal para, ao se comunicar com outra moça que residiu ali 15 anos antes, ela descobre coisas que pode fazer, e explora essas possibilidades.

Sabe, o que você faria se pudesse conversar em tempo real com a pessoa que morou na sua casa no passado? Você tentaria mudar algo do seu futuro? Faria algo pra ajudar essa pessoa se conhecesse seu destino? Buscaria tirar proveito da situação pra beneficiar ambos? Pois é... isso tudo é mostrado de forma sutil e, cresce gradativamente ao longo da trama.

No entanto, enquanto temos a protagonista, tentando lidar com a surpresa da descoberta e aos poucos descobrindo as vantagens que tem em mãos, temos a antagonista, com quem ela se comunica, a qual é bem mais rápida e astuta que ela pra descobrir o que fazer com essa grande habilidade.

Saca, o que achei mais legal do filme foi o fato dele não explorar O Telefone em si. Ele nem tenta explicar como o aparelho liga os dois tempos, pois isso não é algo que os personagens buscam entender.

É curioso, pois apesar desse artifício místico ser o grande propositador de tudo o que ocorre ali, ele não é o foco da história. O foco fica nas duas moças, e como elas reagem diferente ao que acontece, e como cada uma tenta, por suas próprias ambições, aproveitar.

Elas se aliam, se rivalizam, brigam até! Numa batalha pra ver "Quem tem mais poder, quem ta no passado ou quem ta no futuro?"

É legal de acompanhar, e o final surpreende trazendo justamente, dois desfechos.

Temos um fim para a moça do futuro, e um para a moça do passado, e ambos não podem existir ao mesmo tempo, cabendo ao espectador escolher o que quer que seja real.

Essa opção não fica clara ta. Obviamente, ambos são mostrados e o segundo final acaba sobrepondo o primeiro, no entanto, é uma escolha de quem assiste se ele é válido ou não.

Me senti jogando Silent Hill, ao terminar e ver um desfecho que não era do meu agrado, sendo forçado a rejogar para obter o final ideal. É quase isso que ocorre, mas a opção é mais fácil de escolher, pois você não precisa assistir tudo de novo, apenas precisa decidir se irá parar na hora certa.

O filme encerra, e nos créditos tem o outro final. Você pode vê-lo, e aceita-lo como real e definitivo, ou ignora-lo e permanecer com o final inicial.

O legal é que, da mesma forma que o filme em si se randomiza em gêneros, os finais também abraçam essa característica.

Um traz uma lição de moral, uma solução e ao mesmo tempo, uma evolução pra protagonista. Ela aprende a aceitar as perdas, a aceitar quem realmente é, e claro, respeitar as pessoas que importam... Algo bem puxado pro lado dramático, mas que se enquadra em tudo o que acompanhamos.

No entanto, o segundo final é sobre terror e horror, ele mostra a antagonista obtendo o que deseja, e superando seus obstáculos usando daquela artimanha mal comentada, o telefone.

Um anula o outro, totalmente, por isso cabe ao espectador escolher. Eu, escolhi o primeiro, pois ele encerra a experiência de forma satisfatória, e não cancela o terror visto.

O segundo apenas, estica a trama indeterminadamente, e isso faz parecer e praticamente obriga a conclusão de que, haverão continuações, que ninguém está a salvo, que tudo vai dar ruim pra sempre.

É complicado, mas divertido, e agradável.

Esse é um filme de terror com elementos temporais e paradoxais que me lembraram em muito "Efeito Borboleta". Só nos pontos em que as realidades se adequam às alterações, isso já fica evidente. Mas o que mais me conectou a esse outro filme foi, o aspecto indescritível do gênero que ele proporciona. 

Seja terror, seja drama, seja temporal, o filme conta algo legal de se conhecer, e traz reflexões curiosas sobre, como cada pessoa é.

A parte em que por exemplo, a antagonista é torturada, e elementos sobrenaturais são trazidos a tona, me fizeram criticar a torturadora, e até mesmo torcer pela "vilã", quando na realidade... aquilo fazia sentido.

Desculpe esse pequeno spoiler mas, preciso fazê-lo:

Em uma cena, uma xamã tenta exorcizar uma moça, alegando que seu futuro trará muitas mortes assim como ela viu em cartas de tarô. Nessa hora eu pensei "Caraca, olha o que a religião ta forçando ela a fazer com a pobre moça", e ai, quando o tal futuro ocorre, eu pensei "Meu deus, porque ela sobreviveu?! Não acredito que torci por ela".

Em um ponto do filme até tentam colocar mais alguns elementos que subvertem as características da "Xamã Torturadora", fazendo ela realmente parecer mais benevolente do que era. No entanto, isso nem era necessário. Já fica enraizado na gente o amargor de torcer por um personagem que, não era nada bom, nem inocente, apenas pela perspectiva errada que tínhamos. 

Pois é, o filme é isso.

Eu recomendo muito que veja, ele não tem nada pesado de mais, apesar de terem situações impactantes pra caramba.

Veja, e entenderá... é melhor que Dark.

See yah.

Postar um comentário

9 Comentários

  1. esse filme foi uma belíssima surpresa! sabia q vc não me deixaria enfurecido 2 vezes hehe. adorei os finais e prefiro o segundo. gosto de vilões rs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amém! Ainda bem que acertei uma sr Ivan, eu já ia pensar "Eta pombas, o que houve comigo?!".

      Mas o sr é maldoso, aquele segundo final é... trágico de mais!

      Excluir

  2. "Veja, e entenderá....é melhor que Dark."

    Kkkkk.
    Se pá isso não é tão difícil......em contexto geral é bem fácil de se ultrapassar Dark nesse sentido de pArAdOxOs.
    (Emoji ^ ^ kkkk.)
    Problemas....bem, enfim.


    Olha só que triste....(olha só que drama.)
    Esse é o penúltimo texto que eu vou ler hoje....sniff....passou tão rápido, parece que foi ontem que eu tava lendo os textos sobre a tua vida, sobre o primeiro texto......o texto sobre a história sombria do Relâmpago Marquinhos....poxa, passou tão rápido!
    Eu espero que tenha um último post no final do ano....pra ler enquanto não é possível dormir, rs.




    Aliás, eu já vi esse contexto em algum lugar, duas pessoas... Ligadas por uma única casa, mas que na verdade elas estão separadas e em tempos diferentes...
    Ou será que é só um déjà vu? Rs.
    Pode ser também, isso acontece direto kkk.
    Mas pode ser que eu já tenha visto um filme assim...mas, enquanto eu num me lembro.(pode ser que esse filme nem existe também kkk.)

    Eu fiquei bem surpreso agora, tu mudou a fonte e...parece que isso vai ser permanente?
    Eu sla, mas eu gostei da fonte, ela dá um ar de profissionalismo, e também porque ela é mó BuNiTiNhA kk.
    (Bunitinha é a minha foto....olha esse link, da vontade de ficar o dia inteiro olhando ele mexer....kkkk.)

    Problemas mentais a parte....
    Eu gostei da análise, e eu diria que
    ....eu prefiro o 2 final....
    Tá eu sei, mas como diria o Sr. Omar:
    "- Trágico...."
    Kkkkk.
    Bem isso mesmo...o final é:
    "- Trágico"
    E bem mardoso também, mas é agradável de ver e pensar que...vai ter mais merdas acontecendo na vidinha dessa mulher. Rs.

    Bem, enfim.....si ya senhor carinha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem um filme romântico que usa esse mesmo conceito temporal... mas eu nunca nem assisti, é algo como "A Casa no Lago" sei la.

      Cara, se sempre fala da fonte... na real, quando eu mudei o layout do blog a fonte mudou junto, EM TODOS OS ARTIGOS. Isso me deu uma dor de cabeça pois, eu não tinha o hábito de alterar ela na edição. Depois, eu fui buscando a melhor fonte pra leitura, e cheguei a deixar a padrão mesmo... mas o sr citou tanto quando eu trocava pra uma que eu gostava mais que, eu preferi sempre fazer esse esforço extra na edição. Só preciso lembrar de formatar kkk.

      Existe um site chamado Waybackmachine.com ou algo assim, vai nele e pesquisa o "divulgantemorte.blogspot.com.br" ou o "divulgantemorte.com", e veja como era o blog no passado. La tem alguns artigos salvos na formatação antiga, eu ia adorar que visse kkk. Eu sempre fico salvando por la, pra não perder esses textos caso, algo ruim ocorra. Nunca se sabe né!?

      Enfim , pode acreditar, vou fazer um texto decente. Não faço ideia do que escreverei (de verdade, nem imagino, vou fazer com o coração) e seja o que Deus quiser.

      Você tirou o link que se mexe T_T.

      Credo, todo mundo com quem falei preferiu o segundo. Seus monstros!


      Excluir
    2. Tá....eu vou ver, vai ser divertido haha.

      O Link que se mexe é especial cara, ele tá numa pasta chamada:
      "Arquivos importantes"
      Por que tipo, eu adorei ele...eu poderia ficar minutos olhando pra ele, ele é tão.... fofo kkkkk.

      Eu vou ver....vai ser legal.....(eu espero... brinkadeira, vai ser legal sim kkkkk.)

      Excluir
    3. Meu Deus....eu achei aqui.
      E olha só...tem 60 páginas, sendo que o seu blog tem 67 eu acho....vish, minha memória é ruim.
      Mas, eu queria entender o que seria isso, me fale um artigo que esteja na formatação antiga rs...
      E eu espero que eu note a diferença kkk.
      Porque...saca, memória ruim.

      Excluir
    4. Eu não salvei todas as páginas la, apenas os artigos de jogos filmes e séries...

      A formatação seria... letras diferentes, cores, a estrutura da página... vish, todos estavam assim na época. Além disso o layout era totalmente diferente.

      Excluir

Atenção: Antes de enviar seu comentário, por favor copie o que escreveu (para não perder o texto), pode haver erro ao publicar, então tente novamente.

Caso o erro persista, por favor me informe através do whatsapp (11 958017648), facebook, instagram ou tiktok.

Obrigado de mais por comentar, isso me estimula a continuar.

Emoji
(y)
:)
:(
hihi
:-)
:D
=D
:-d
;(
;-(
@-)
:P
:o
:>)
(o)
:p
(p)
:-s
(m)
8-)
:-t
:-b
b-(
:-#
=p~
x-)
(k)