SérieMorte: Servant

Uma série, que me pediram pra ver e analisar, e convenientemente, me agradou um bocado.

Segue o que achei de:

Servant


Boa leitura

Sim meus caros, sem sinopse, sem introdução, sem qualquer menção do que se fala essa obra, foi assim que fui apresentado a ela e é assim que a apresentarei a vocês!

Servant me pegou de surpresa por vários fatores, mas bora mencionar o primeiro:

Logo de cara, cometi um erro, que acabou se tornando um baita de um acerto.

De começo, tudo parecia só um monte de suspense, eu não sabia exatamente o que tava vendo nem o que eu deveria esperar, aquele que tinha me recomendado não tinha dito nada. Então, eu realmente achei que aquele suspense todo e aquelas referências aos montes iriam ser respondidas ao longo da série.


Sabe quando algo começa já te jogando um monte de spoilers do que virá, mas de um jeito que só te deixa ainda mais encucado? Personagens agindo estranho, diálogos misteriosos, trocas de olhares, coisas assim? Pois é, é o que rola de mais nesse começo de episódio.



Por exemplo, logo de cara ta rolando uma festa, e tempos dezenas de personagens. Não da pra saber quem é protagonista e quem não é, mas, como a câmera acompanha a Serviçal, logo me vi acreditando que ela era a principal. Daí, ela começa a agir estranho com tudo o que acontece. As reações dela são estranhas. Ela aprece desconfortável com aquilo tudo, e com medo, pânico, perdida... mas não tem nada de mais ali!

Ai do nada aparece uma mulher, uma das convidadas e diz "Você ainda está aqui?" com um olhar de reprovação. Estranho! Pouco depois essa mesma mulher fala algo como "Ela jamais vai nos perdoar pelo que fizemos com ela!". Meu?!



Ai essa mesma mulher diz "Onde está o bebê, preciso fingir segura-lo um pouco também." Que??

Então, a serviçal, que aparentemente também é baba da criança, sai em desespero, sim, desespero, atrás do bebê, que simplesmente se perdeu na multidão. Algo muito estranho ta rolando.



Não obstante, tem outros personagens agindo bem estranho. O cozinheiro, no inicio de tudo, prepara uma torre de guloseimas com uma carne que tirou da geladeira, enquanto faz um monólogo sobre a placenta de seu filho. Seria ele o pai da criança?



O Rony Weasley aparece na festa, e do nada olha pro vídeo do batismo da criança, e entra em pânico. Ele diz "Volta o vídeo" e pausa na imagem de duas pessoas aleatórias no fundo. Então ele faz cara de paisagem, e sai da festa, com uma faca na mão. Mano???



Ele então se encontra com um negão num carro, e diz "Você achou? Se achar, pode matar" O cara do carro diz "Meu, eu vou ser preso" e o Rony diz "Mermão, sem frescura, vai na fé e atropela!" (Rony, tu num era assim não mano, tu mudastes).



Tem a mãe da criança, que faz questão de dizer como foi seu parto natural no meio da sala (graças a deus não vimos) e em seguida, deixa seu bebê com algum aleatório da festa, e vai atrás de uma menininha com uma boneca, com um olhar psicopata. 



Ela senta na escada com a menininha, pergunta o nome dela, fica interessada na boneca, pega ela... e do nada tem uma visão de si mesma segurando seu bebê morto nessa mesma escada. Ai ela joga a boneca no chão, e a menininha fica com a mesma cara que eu fiquei: "Porr4 mano, se era pra jogar no chão não pegava né, vacilona!"



Meu, tudo fica muito estranho, e vai ficando mais e mais, até a cena em que a baba/serviçal entra no quarto do bebê e vê uma senhora com ele no colo, a qual diz "Ola florzinha". Ta, chega, foi ai que parei.



Nesse momento eu tava com meu limite de perguntas no máximo. Sabe, quando começo algo eu tenho uma certa tolerância de dúvidas pra manter, ou então me perco e já era, nunca mais consigo responder. Quando chegou na tia com o bebê e a cara da babá de "Vei, me borrei", eu tive que parar e checar se tava vendo a série certa, ou ao menos o episódio certo.



E não é que era sim a série certa? Em rápida pesquisa descobri que não apenas era uma série do gênero suspense com terror psicológico, como também tinha o dedo de ninguém mais ninguém menos que M. Night Shyamalan.

Ao ver isso eu já pensei "Ah ta, agora faz sentido."

Antes, num passado longínquo, eu nem sabia quem esse cara era. Foi quando fiz um review sobre "A Visita" (um found footage que eu adorei) que um leitor me abriu os olhos.

Esse diretor é simplesmente fantástico, e incompreendido. Todas suas obras (ou ao menos grande maioria) são focadas em "Plot Twist". Pode-se dizer até que esse é o grande talento dele.

Filmes como, "A Visita", "A Vila", "Fim dos Tempos", "Sexto Sentido", "Corpo Fechado", "Fragmentado", "Vidro", "A Dama na Água" (eu tinha confundido com "A Forma D'água"), e etc, são tudo obras dele. E o que tudo isso tem em comum? O final explode nossas mentes.


Sabendo que tem dedo dele nessa série, já imaginei que, seria normal ter tantas dúvidas logo de cara pois, o final viria com o propósito de nos surpreender. Só que meu, eu já tava no final!

Assim como errei uma vez ao ver um anime, que agora não me recordo o nome, eu também comecei essa série pelo episódio final, sem querer.

Por ser uma série original do streeming da Apple, eu tive que assistir por "opções alternativas" na internet, e meio que dei o azar de pegar um site que catalogou de trás pra frente. Me ferrei, ou quase.

Eu até que dei uma baita sorte em assistir até a cena da moça com o bebê, pois isso deu uma melhorada na experiência final!

Ao iniciar a série já comecei a assistir pelo episódio final. Claro que eu não percebi isso logo de cara, na verdade eu só notei quando cheguei nos 20 minutos, que foi quando resolvi parar e ver o que eu estava assistindo.

Já com um monte de dúvidas na mente, eu comecei a assistir para respondê-las e num é que funcionou? Eu ainda me vi surpreso e perplexo com tudo o que cada episódio foi me mostrando, e mergulhei de cabeça e sem qualquer expectativa em tudo o que a história propunha, mas mano, aqueles 20 minutos acidentais fizeram uma diferença sem igual.

Do que ela fala?

Então, eis a parte interessante. Não da pra saber!

Na verdade, tem um foco principal: O Bebê.



Sim, tudo gira em torno de uma criança, um bebê, que nos é mostrado logo no inicio. Boa parte do mistério circunda ele e sua existência, além de sua natureza, mas, as coisas se perdem justamente ai.



Não nos é escondido a trama principal: Uma mãe, traumatizada pela perda do filho ainda bebê, recebeu um boneco "Reborn" (uma boneca ultra realista) para substitui-lo, o qual ela cuida como se fosse seu bebê mesmo. Tudo é como uma simples forma de mantê-la sã e afasta-la da memória traumática, até ela estar forte suficiente para suportar a perda. Porém, no meio dessa farsa, ela decide contratar uma baba pra criança.



Até ai, beleza, mas as coisas começam a ficar estranhas na segunda parte da trama: Com a desaprovação do marido, a esposa passa a dar moradia e um salario pra jovem baba que, estranhamente, não parece demonstrar qualquer desconforto ao cuidar de um boneco, ainda por cima, ela faz questão de trata-lo como um bebê vivo, dando alimento, trocando fraldas, ninando, etc, independente da mãe da criança estar presente ou não. O marido estranha isso até que um dia, o bebê chora.



Sim, do nada a criança aparece viva! Meu, eu arrepiei quando isso aconteceu, e fiquei igualmente espantado. De cara pensei "Maluco que mandinga foi essa?" pois, de fato, tem vários rituais bizarros que a baba faz durante o episódio inteiro... entretanto... o mais legal é que, a resposta "sobrenatural" é conveniente, sim, mas igualmente e convenientemente descartada logo em seguida.



O marido mesmo, no episódio seguinte, deduz que a Baba trouxe uma criança sequestrada pra sua casa, e a trama da série passa a girar em torno disso. Eles começam a duvidar da procedência daquela criança, pois viva ela realmente está. Uma resposta mística esta longe de passar pela cabeça deles, e logo surgem acusações e investigações. Um detetive particular é contratado (primeira resposta, aquele cara do carro, era um detetive!), e a história caminha nessa linha.



É muito curioso como eles deixam, no episódio inicial, todo o ar sobrenatural, pra no segundo deixar um ar mais voltado pro investigativo e incriminatório. Pra aumentar ainda mais as suspeitas, a identidade da baba é supostamente falsa, pois a verdadeira está morta! Algo checado em sua terra natal, logo, tem uma farsante, sequestradora de bebês, vivendo na casa dos caras! Mas, quem disse que isso se sustenta???



Da mesma forma que a baba tem seus segredos, aquela família também tem. A morte do bebê é desconhecida por todos, exceto os membros mais próximos da esposa e marido. O irmão dela (o Rony Weasley), o pai dela, e a moça que deu o boneco. Só essas pessoas sabem que a criança morreu. 



Então, depois de descobrir que não há nenhum bebê desaparecido, e deduzir que talvez, o bebê seja na verdade um filho bastardo da baba mesmo, que tentando tirar proveito da família, e conseguir uma vida pra si e pra sua criança, se colocou nessa situação (inclusive, são destacados momentos em que, por exemplo, a baba dorme com o bebê ao invés de deixa-lo dormir no berço, algo muito maternal pra uma simples babá), o marido e seu cunhado decidem aceitar aquilo, meio reclusos, mas aceitam.



A mãe por outro lado, nem nota a diferença! Ela ta tão traumatizada e afastada da realidade que, pra ela, seu filho, o boneco, ou o filho de outra pessoa, da tudo na mesma, ela só queria um bebê, e trata tudo como se fosse seu Jericho... ou será que era mesmo seu Jericho??



Sim, a série fica jogando com isso, brincando com essas múltiplas possibilidades, sem assumir nenhuma. Seria o bebê real, ressuscitado? Seria uma ilusão generalizada? Seria uma farsa levada adiante por propósitos individuais? Seria uma paranoia psicológica? Até mesmo Teoria de Conspiração entra no jogo! Quando a estranha família religiosa da babá chega.

Um tio, que mais parece ter acabado de sair do túmulo (com hábitos noturnos bem bizarros), e claro, a Tia, aquela moça que segura o bebê no episódio final!



Ambos extremamente religiosos, tentam levar a babá embora, dizendo que ela tem outros pra ajudar, e que aquela família não tem deus em suas vidas. Pois então, a família luta pra mantê-la. A mãe por amor a moça, que simpatiza com ela e cria um tremendo carinho, e o pai, por medo dela levar a criança, ou, por medo de ser tudo um golpe tramado por eles.



Até juntar dinheiro eles juntam, pra tentar subornar. Mas no fim, tudo fica em aberto.

A Babá, por exemplo, ela na verdade escolheu aquela mãe, por motivos particulares. Quando criança ela foi entrevistada por ela, algo que ela mesma faz questão de mostrar ao assistir um vídeo. 



Alias, a mãe era uma jornalista famosa, que fazia questão de gravar todas suas matérias automaticamente. A Babá adorava assisti-la, e depois é revelado que ela cresceu como sua fã.

Só que, ela também pertencia a um tipo de culto religioso, que passou por algum tipo de massacre, ou um evento que não terminou bem. Independente de qual tenha sido o desfecho, ela deveria se manter isolada, mas fez questão de ir até sua ídolo e viver um pouco com ela, ajuda-la, e trazer sua alegria de volta, seu bebê.



Independente do fato daquele bebê ser o original trazido de volta do além, ou um substituto, ou uma ilusão (sim, pode ser qualquer um dos 3), ele foi posto ali como um presente, mas, é igualmente tirado quando ela descobre a verdade, e fica desiludida com sua ídolo.

A mãe, matou o bebê, sem querer, mas matou.



Meio que isso faz a babá desmoronar, desejar castigar a mãe (e ela castiga), e no fim, ela parte, levando consigo seu presente.



Ah, eu adoraria poder contar tudo da série mas, não da!

É uma série de apenas 10 episódios, cada um com em torno de 40 minutos, em média (geralmente menos).

Seu real significado depende de quem assiste, e acho que ai que ta seu maior brilho. Ela não tem qualquer resposta definitiva, ela deixa tudo em aberto para que preenchamos com nossa imaginação.



Se temos tendência a imaginar coisas sobrenaturais, encontraremos um prato cheio nesse sentido, com várias respostas, principalmente relacionadas a ressurreição. Tem muito disso.



Se o o caso é enxergar interesse pessoal em tudo, acredite, vai ter muito disso. Se pá até mesmo um pouco de traição você vai encontrar. Você vai ver muita manipulação e tramites, alguns deles geniais.



Agora se você é daqueles que vê o lado psicológico, acredite, não tem como não se sentir satisfeito com essa obra. Por exemplo, da muito bem pra terminar a série com o pensamento "Sempre foi um boneco". Soa forçado? Talvez, mas pare e pense, todos tão perturbado de mais ali, e se pra eles, o boneco ganhou vida mas, nunca deixou de ser um boneco?



Mas pros mais voltados pra conspiração, tem também a opção de acreditar na possibilidade de um grupo religioso estar por trás de tudo o que ocorreu, um grupo que não apenas superou a morte, como aprendeu a domina-la!



Pior que, da até pra incluir os céticos e suas opiniões descrentes na série. Tudo foi apenas um jogo de edição bem feito, e no final, todos foram enganados, por uma moça do interior que, tentou tirar proveito de uma família, mas percebeu que seu bebê estava em risco e ai, decidiu por ele na mala, assim como fez quando chegou, e foi embora, pra viver com seu grupo.



Servant é uma série repleta de mistérios e respostas, mas, depende de quem assiste, depende da sua perspectiva.


Eu curti, e recomendo.


Ah, ela me lembrou muito o filme "A Órfã", e a natureza misteriosa, meiga e suspeita da babá. Eu esperei ela se revelar na verdade uma sociopata daquelas bem perversas, e na real, tem um pouco disso também (entra na categoria da galera que espera cosias mais voltadas pras manipulações).


Também lembrou bastante, ainda mais com a premissa do bebê boneco, um curta que assisti até que bem recentemente, chamado "The Dollmaker". Ele fala de uma mãe que perdeu o filho muito jovem, e pra resistir ao trauma, ela e o marido contrataram um cara que fez um boneco "mágico", que com o toque dela, tomava a forma de seu filho. Só que tinham "condições" pra mágica funcionar, e consequências a longo prazo.


O desfecho desse curta é no mesmo nível de Servant. Alias, eu recomendo que assista também, eu vou deixar o vídeo do YouTube aqui mesmo, só ativar as legendas.



Será que vale tudo pra superar um trauma?

M. Night Shyamalan na Série


Então, sabe, esse diretor tem outra característica que se repete nos filmes, e lembra muito o que a Marvel faz com o Stan Lee: Ele faz aparições especiais.

Todo filme dele, tem ele no meio fazendo alguma ponta, como algum personagem secundário ou apoio de elenco. Até mesmo "Avatar" tem ele, e sim, "Avatar: a Lenda de Aang" é dele também.

O doido é que, eu jurava que ele apareceu nessa série, e eu tava muito certo. Tem um entregador de comida que aparece em alguns episódios. No primeiro alias, ele aparece desfocado, e eu na hora disse "Olha ele ali!". Só que, pelo desfoque de imagem, não dava pra ter certeza.



Então, em um outro episódio, ocorre muita interação com esse personagem, que se mantém de costas. A mãe recebe algo dele e ele tenta segurar o bebê, e ela diz "Não, ele não fala com estranhos" e da um pé na bunda do Shyamalan. Ficou muito obvio que era ele, não só pela voz é claro, mas a montagem de cena em si, que não tinha qualquer propósito na história, mas tomou vários segundos.



Então, é oficial, ele ta na série assim como nos filmes.

É isso.


See yah.



Postar um comentário

10 Comentários

  1. cara a forma da agua e do guillermo del toro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Falha minha, é "A Dama na Água", já corrigi. Obrigado sr. Eu confundo os nomes as vezes.

      Excluir
    2. o que vc achou desse a dama na agua? dizem q do meio pro final ele fica bem ruim rs

      Excluir
    3. Eu acho ele um dos filmes ruins do M Night. Vi ele umas duas vezes, e nunca entendi a parada da Ninfa misturada com o lobo que existe feito de mato, é tudo muito... místico... naquele hotel.

      Talvez quando eu assisti eu não tinha idade mental adequada, seria bom ver novamente. Mas, as lembranças que tenho são ruins.

      O que me deixa na dúvida são alguns conhecidos que dizem que gostam desse filme. As vezes tão confundindo com a Forma D'água que nem eu rs...

      Excluir
  2. Finalmente Max, esse era o ultimo que faltava dessa ultima leva e pois bem... eu ja conheci essa desde a epoca de lançamento no ano passado, e o que tenho a dizer é que, o primeiro ep foi sensacional, ja os 3 eps seguintes achei uma chatice toda a trama da investigação, ja do 5 ao ultimo o nivel voltou a subir(e muito) e tiro chapeu pro espetacular penultimo ep ("Jericho"), ja o final bem... vamos ver o que vem nessa segunda temporada quando sair. E falando em temporadas, não se vc viu tambem, mas fiquei extramamente decepcionada com essa terceira que saiu do Castlevania, a primeira foi ok, a segunda foi bem legal e parecia que ia ter um futuro promissor com essa terceira mas no fim foi uma puta encheção de linguiça, a animação continuou boa como sempre, mas o ritmo(que ja era lento) e os dialogos idiotas ficaram ainda piores, é... uma pena.
    Algo que tenho a dizer sobre esse Shaymalam é que tentei ver esse tal de Dama dagua uma vez e não aguentei, não consegui mesmo, ai eu descobri que foi esse mesmo cara que fez o Ultimo Mestre do Ar... que é não tão ruim como muitos dizem... mas é fraquinho infelizmente, e, bem longe de ser negra como vc mesmo sabe, mas achei uma atitude extramamente rascista fazer os dominadores da agua brancos(os bonzinhos) e só os do fogo com atores morenos(os malzinhos). Espero um dia encontrar algo interessante desse senhor, ja que essa serie nem conta, se não me engano ele só dirigiu, a mente por tras da bagaça foi um senhor que deixaram o nome ofuscado por ser um novato desconhecido(atitude bem idiota mas ok).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi uma leitura longa, que bom que chegou ao fim... por hora né rs. Obrigado pela paciência moça.

      Alias, eu não sabia que você já conhecia a série, bom saber hehe.

      Sobre Castlevânia, eu quase comecei a assistir a terceira temporada, mas ai lembrei que se eu começar vou ter de cumprir uma promessa que fiz a um tempo, de que assim que terminasse ela eu faria uma super análise falando das 3 temporadas. Só que eu nem lembro mai do que tinha na primeira e segunda temporada (teria de assistir de novo) e poxa, ainda ouvi falarem que a terceira não ta tão boa... imagina a porcaria que o post ficaria... mas, um dia eu vejo. De qualquer forma, na dúvida, culpe a Konamilixo.

      Então, sim, é o mesmo que fez a adaptação do mangá/anime, alias, a mudança da nacionalidade do povo do fogo foi pra incluí-lo no elenco... pelo menos é a única justificativa que encontro. O assistente do líder do fogo la (acho que é rei do fogo, ou imperador do fogo, eu não lembro mais) era o Shyamalan. Meio que ele próprio caber na história, pelo menos é assim que eu vejo kkk.

      Ainda assim, mesmo sendo um dos filmes mais criticados dele, eu até que gosto. Agora a Dama da Água não da não. Concordamos nesse sentido.

      Sobre os créditos não serem dele, de fato! Ele é um dos produtores, e se não me engano nem no último episódio ele participou, mas por ser o nome mais "pesado" meio que destacaram ele. Acabei me levando por isso mas, tomei cuidado pra não falar tanto dele (se bem que acabei falando, desculpe).

      Bem, é isso.

      Excluir
  3. Avatar é cartoon Max kkkkk por mais que sim, pareça bastante um anime, e tu é fã de Ultimos Mestre do Ar?????? Kkkkkkkkkkkkkkk.... ta... a parte do mano que o mano do fogo coloca a mascara e "ajuda" o Avatar e depois o contrario foi sensacional mesmo... mas pelo amor de Deus cagaram com os dominadores da pedra e botatam uns atores que só Deus sabe quem é kkkkkkk

    Vc zuando a Konami?? Iti malia kkkkkkkk assim eu tenho um orgasmo kkkkk

    Pra mim esse papinho de "mal compreendido" é balela, é a mesma coisa do Zack Snyder, ou o cara é bom ou não é, simples assim, ficar passando mão na cabeça de gente que só tem ideia boa mas não consegue por em tela é burrice.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi mal, eu não conheço muito dessa história, assisti pouco e só o que passava na tv, meio que nunca terminei as histórias. Eu sei que tem várias sagas e tal, tipo, cheguei a ver um pouco da lenda de Koha (acho que é isso) mas, não sou nenhum fã não, desculpe por errar.

      Porém, o que fizeram com os dominadores da pedra foi bizarro, hilário, e sim, desnecessário. Fazer o que né?!

      Ah, a Konami não presta... se isso te anima, é estranho, mas que bom kkk.

      Fato, os bons sempre conseguem fazer aquilo que idealizam, se não conseguem, não são bons... bateu uma bad agora hein... rs

      Excluir
    2. Maaaaax... não é anime baseado em manga nenhum kkk nem mesmo japones isso é kkk é Cartoon, parece anime mas não é kkkkk

      Vc ta conseguindo bastante nesses ultimos posts, por acaso ta recebendo dicas de alguem?! Nâo vejo um nivel tão elevado seu desde os posts de 2014/2015/2016

      Excluir
    3. Ta... rs... eu entendi isso e fiquei com vergonha agora.

      É só uma boa fase minha querida. Só uma boa fase.

      Excluir
Emoji
(y)
:)
:(
hihi
:-)
:D
=D
:-d
;(
;-(
@-)
:P
:o
:>)
(o)
:p
(p)
:-s
(m)
8-)
:-t
:-b
b-(
:-#
=p~
x-)
(k)