AnimeMorte: Saga of Tanya the Evil

Sei que tenho uma lista de promessas pra escrever sobre, e garanto que já to providenciando tudo. Enquanto os artigos não saem, eu acabei seguindo uma recomendação de uma amiga e assisti a esse anime.

Normalmente, não falo muito de animes, porém não consegui me segurar e não quero esquecer a experiência que tive ao assistir:

Saga of Tanya the Evil



Esse não é um anime de terror, apesar de conter algumas poucas cenas meio tensas. O tema dele também é pesado, pois aborda diretamente a Primeira Guerra Mundial, de um jeito mais fantasioso.

Curioso? Bem, prepare-se pros spoilers, de leve ta, e boa leitura.


Quando comecei a assistir Tanya, foi pelo YouTube, e achei estranho ter um anime novo, ainda por cima dublado oficialmente, disponibilizado gratuitamente.



Foi ai que percebi que é um tipo de manobra do Crunchyroll pra divulgar seus produtos. Ele é um site pago de streamer de Animes, que eu inclusive uso pra acompanhar alguns que eu curto. Basicamente, é o Netflix dos animes (perdoe a comparação, mas é isso mesmo), com direito a animações exclusivas e coisas do tipo.

Apesar de eu usar o Crunshyroll, não conhecia Tanya, e nem me interessaria por esse anime se visse só a capa. Não é, nem de longe, um gênero que me atrai.

O tema "guerra" não me agrada nenhum pouco, não apenas por eu nunca conseguir captar as referências históricas, ou entender qualquer coisa sobre a geografia explicada, ou tão menos entender de armas ou patentes, mas simplesmente por ser um gênero que não me desce.


Dois lados, muitas vezes iguais, mas com ideais diferentes, mandando pessoas pra se matarem por esses ideais em massacres legalizados!? Eu não consigo engolir isso.

Ainda por cima, nessa história, os caras vem e colocam Feiticeiros! Outra coisa que eu não curtia, mas que, acabei me interessando bastante recentemente.


Cada exército, além de soldados comuns, tem seus soldados feiticeiros, que podem voar, com auxílio de dispositivos mecânicos (cada país tem seu próprio meio de voar por meios arcanos), e as magias, são apenas balas encantadas com perfuração e poder de fogo maior, disparadas pelas armas normais mesmo.


Eles também podem projetar escudos mágicos pra segurar projéteis alheios. Isso da um baita reforço, mas não é tão comum, pois Feiticeiros são um tipo de infantaria especial.


Pois é, temos feiticeiros, no meio da Primeira Guerra Mundial. Esse é o background superficial da trama desse anime. Só que as coisas vão muito além disso, e é esse "além" que me prendeu e surpreendeu.

Essa primeira guerra mundial, com trincheiras aos montes e o mesmo poder bélico da época, além de se passar quase na mesma data, tem tudo em comum, exceto os Feiticeiros, correto?! Então, o próprio anime faz questão de deixar claríssimo que isso não é mera coincidência, ao incluir outro elemento na trama: Reencarnação.


No segundo episódio, também disponibilizado gratuitamente no YouTube pela própria Crunshyroll, é contado que na verdade, o protagonista tem um tipo de rixa/aposta contra Deus, quem ele chama de "Existência X", por desacreditar em sua existência. É em torno disso que o anime gira.

Esse personagem, como forma de ter sua fé iniciada/testada, foi reencarnado em um novo mundo, onde sofreria e passaria por perrengues, até que reconhecesse a existência de Deus. Só que a teimosia desse personagem, fez ele se tornar um rival a altura da divindade, com ele batendo de frente, e inclusive, criando toda sua estratégia para vencer a Existência X, e provar, tecnicamente, que Deus não existe, pro próprio Deus!


Bizarro né? Mas é interessante acompanhar a jornada de um ser que tem uma ideia formada e não quer mudar, nem mesmo com a prova ali, na sua frente, e que prova hein.

Claro que tudo vai ainda mais além, e fica mais e mais interessante, com coisas como o fato da forma reencarnada, acabar sendo uma garotinha, que pelos seus conhecimentos na vida anterior, do outro mundo, se sobressai e se converte num gênio espetacular da arte da Guerra.


Ainda tem o fato dela ter vantagens e favores, bençãos, de Deus mesmo, que de inicio tenta, no meio do sufoco que Ele mesmo a coloca, dar agrados pra assim fazê-la assumir sua fé. Só que não funciona.

A menina, simplesmente contorna todas as situações, sem precisar da ajuda divina, e faz questão de esfregar isso na cara da Existência X. E mais uma vez, é bem engraçado.

Achei esse ponto, o de ser um personagem que viveu no mundo em que vivemos, revivendo em um mundo fantasioso mas que reflete a realidade passada do nosso mundo, algo interessante de mais, pois nos aproxima muito do personagem.


O que ele pensa, é o que pensamos. O que ele decide, é o que decidimos, tudo com base na história, e nos fatos históricos, dados, erros, acertos, coisas pelas quais nossa sociedade já passou, ele ta ali passando e tem essa baita vantagem, de conhecer o futuro, mesmo que de um mundo diferente, mas semelhante.

Legal também que ele consegue por em prática seu plano de provar que o mundo não precisa se curvar perante um ser divino, pois ele mesmo desenvolve sua vida inteira com base em dados, estratégias sociais, e até militares, o que sim, faz Deus apelar.

Deus oferece pra ele um poder sem igual, em troca de orações, o que é outro ponto legal.

O personagem não acredita em Deus, está o tempo todo lutando pra provar que a Existência X é uma farsa, e ai, a Existência X faz questão de força-lo, com uma benção suprema, a orar pra ele sempre que quiser usar essa benção!


Acontece que, essa menina nasceu com poder mágico sem igual. Um dos dons que a Existência X deu pra ela. Ela usa esse poder pra se alistar no exército, o que lhe daria vida garantida apesar dos riscos, contando que a idade (9 anos) a faria ser jogada para locais seguros.

Com o poder mágico que ela já tinha, ela consegue se destacar muito, o que a faz ir pras linhas de frente! Ainda pra variar, Deus faz questão de criar um item que aumenta muito mais o poder dela, e com isso, ela se torna imbatível, mas vive entrando em riscos mortais.


O louco é que, na aposta que foi feita entre ambos, se ela morrer, ou melhor, quando ela morrer, ela não reencarnará mais. Então a única chance que ela tem pra convencer a Existência X que Ele é desnecessário, é essa.

Fala se não é uma briga no mínimo curiosa?!

Pra usar o poder supremo, que sempre a salva de enrascadas, ela precisa fazer preces em voz alta, declarando a existência de Deus. Claro que, isso vai contra os ideais dela, mas, ela faz para ter poder, e ai, cai na armadilha, ainda que não admita ter fé.


O anime mostra bem mais, pois ele também foca nos aspectos da Guerra. Não só sobre Tanya, o anime nos mostra a trágica realidade da guerra e o quanto isso afeta soldados, civis, e etc.

Sempre com humor, e meio que negligenciando noções éticas sobre o que é realmente certo ou errado, a história nos joga no meio de uma guerra sem saber pra qual lado torcer.


Tanya é claramente uma vilã de sua própria história. Ela não é má, porém age buscando tirar proveito das situações, manipulando pessoas e a realidade em torno de si, pra sempre conseguir sobreviver mais, e obter mais sucesso na vida.

Por isso que o título da obra torna-se perfeito.

Bem, eu não posso falar mais, alias, o que disse é só o básico do básico pra ter uma noção do que o anime fala. Com cenas de ação belíssimas, uma animação sensacional, e uma dublagem maravilhosa, eu recomendo que assista.

Como eu disse, os dois primeiros episódios da pra ver no YouTube:



O restante, só no Crunshyroll mesmo (ou na net você encontra). Veja!

Agora, se quiser ler o mangá, também compensa. O anime tem apenas 12 episódios mas só trata de um arco, que fica em aberto logo no fim.

Provavelmente terá mais temporadas, pois há o mangá onde a história continua. Nela, há mais detalhes, só que também, há grandes diferenças, como nos encontros entre a divindade e o protagonista.

No Mangá, A Existência X se personifica na frente dele.



Enquanto no anime, Ele fala através das pessoas paralisadas no tempo, e até mesmo através de animais, ou objetos (ri muito com a cena do pombo).


Sinceramente, acho que a versão do anime ficou muito melhor, abordando até a ideia de que "Deus não tem forma" ou que "Deus está em todos", e plantando a dúvida sobre a Existência X realmente ser Deus ou não.


Mas isso também cria alguns furos, como na parte em que Tanya esta limpando a arma dela e é questionada sobre a razão de sempre fazer isso, mesmo fora de batalha, e ela pensa "Se a Existência X aparecer, quero estar preparado pra destruí-la!".

Essa ideia fica vaga uma vez que até então a existência X só surge através de corpos alheios, deixando claríssimo que ela não pode ser enfrentada fisicamente. Já no Mangá, isso faz sentido, pois eles se encontraram fisicamente e na cabeça do protagonista, daria pra enfrentar, pois é algo palpável, visível, real.

Adaptação a parte, da pra relevar. O anime consegue contar bem sua história, e mesmo eu que não entendo bulhufas sobre guerra, consegui entender.


Como a primeira guerra se desenrolou, a razão de um conflito entre 2 continentes ter afetado e atraído os demais pro combate, e as consequências das derrotas e vitórias. Tudo fez sentido. Agora, só não entendi bem o motivo do estopim da guerra.

Seja motivos políticos, econômicos, geográficos, sociais ou étnicos, nada disso é diretamente retratado. Não há preconceito, não há conquista de territórios por algum motivo válido. Há os eventos, mas não tem os motivos explicados.

Chega a ser meio incômodo até, ver por exemplo um grupo de soldados confrontando um exército que é completamente despreparado pra guerra, e eles só massacram eles, como "Alvos Vivos", sem tentar conversar, negociar ou interrogar.

Isso reflete um aspecto simples da guerra, a de que "Soldados seguem Ordens", e pronto.

Não importa os motivos, não importa as consequências, pela perspectiva dos soldados, acompanhamos apenas ordens sendo executadas, ponto final.

Então, é assistir e torcer por missões duvidosas e conflitos suspeitos, mas sempre com bastante humor e, com uma reviravolta final de revoltar.


Ah, se liga na opening, só pra dar aquela empolgada:



Bem, espero que goste.

Postar um comentário

8 Comentários

  1. bem interessante a historia , vou assistir depois apesar de nao ser o tipo de anime q eu goste ;
    poderia fazer analises de animes que sao mais pro terror ,queria umas indicaçoes desses tipos rs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Animes um pouco mais horripilantes né? Eu adoro esse tipo, mas acho que a temporada atual ta um pouco fraca nesse sentido. Eu to esperando uns "Corpse Party" da vida, e na ausência, to acompanhando Madoka Magica, apesar de não tar nada horripilante. Irei pesquisar um pouco e ver se encontro algo realmente "perturbador" que me empolgue a digitar.

      Vlw sr!

      Excluir
    2. seu blog e muito bom cara parabens, vou ficar de olho caso vc ache algo desse tipo e faça uma analise vlw ;

      Excluir
    3. Obrigado sr! Eu vou me esforçar mais e mais pra trazer coisas boas, e sim, pode deixar que to correndo atrás de algo bem louco.

      Excluir
  2. Entao tu paga crunchyroll? Riquinho...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não! Pior que não, eu uso a conta de um amigo pra assistir rs. Que foi? Eu sempre dou um jeito de ver as coisas kkk.

      Excluir
    2. Tsc... eu também te adoro... srta Bia... rs...

      Excluir
Emoji
(y)
:)
:(
hihi
:-)
:D
=D
:-d
;(
;-(
@-)
:P
:o
:>)
(o)
:p
(p)
:-s
(m)
8-)
:-t
:-b
b-(
:-#
=p~
x-)
(k)