AnáliseMorte: Lollipop Chainsaw


Zumbis! Carnificina! E erotização desnecessária da protagonista. Eis:

Lollipop Chainsaw


Um jogo divertido, politicamente incorreto, mas divertido.

Boa leitura.

Esse é um jogo que chamou minha atenção de mais, não pelo fato da protagonista ser uma líder de torcida com saia curta e top que, fica pulando de um lado pro outro e fazendo posições indecentes involuntariamente (a maldade ta nos olhos de quem vê), mas pelo fato de ser um jogo com zumbis!!!

Sério, eu não to mentindo, o que mais me atraiu foi o fato de ter zumbis, e curiosamente, são todos os tipos de zumbis. Zumbis lentos, Zumbis corredores, Zumbis mutantes, Zumbis musicais... tem tantas variações que quase se iguala ao Plants Vs Zumbies!


E é legal isso, pois o foco é ver os diferentes tipos de mortos-vivos e suas referências, e claro, exterminar tudo de uma vez.

Além desse detalhe, existe um humor ácido com besteirol o tempo inteiro. São zumbis fazendo coisas estranhas, pessoas falando bobagens, ou até mesmo as ações da protagonista, que chegam a beirar o estúpido.

Mas não é por ela ser ignorante, muito pelo contrário, a protagonista é bem inteligente e versátil, além de poderosa, mas, ela pertence a um mundo que apenas ela, e aqueles que convivem com ela, entendem.

Daí, muitas vezes quando ela faz uma piada ou um comentário, isso mistura o fato dela ser ingênua em alguns assuntos, mas astuta em outros, e gera momentos engraçados, ou vergonhosos.

Digo tudo isso pois, cara, é um jogo com uma moça que luta e esquarteja mortos vivos, usando uma motosserra enorme, e movimentos acrobáticos de líder de torcida. Isso seria empoderador por si só, mas ela faz tudo isso usando seu uniforme padrão de líder de torcida, ou seja, algo meramente provocante e nada protetor.


Mesmo não tendo defesa alguma, suas esquivas e saltos a ajudam muito a superar os monstros terríveis que tentam devora-la, e a diversão ta ai! Um jogo de hack&slash com criaturas bizarras e engraçadas ao mesmo tempo, e muito sangue, brilho, e movimentos.

Ah, sim, o jogo não evita a brutalidade explícita. Temos muitas decapitações (isso até faz parte da história) e esquartejamentos estampados na tela. Além disso, é sangue pra todo lado, o que lembra bastante outro jogo: No More Heroes.

E não é por menos, o responsável por ambos é o mesmo cara, o Suda51, code-nome de um cara meio louco que adora fazer jogos com um estilo animado e sangrento, ao mesmo tempo, usando e abusando do cel shader. 

As histórias completamente viajadas mas, tratadas como normais, também parece ser um padrão dele. Antes, um jogo com um assassino ranker que usa um sabre de luz e enfrenta um monte de gangues, e agora, uma caçadora de zumbis com uma motosserra.

O bom é que funciona. É um jogo simples, curto, mas realmente divertido, desafiador e animador.

Jogabilidade

Sem delongas, bora falar como tudo funciona.

Primeiro, a nossa protagonista possui uma Motosserra Monstruosa que pode cortar qualquer coisa, desde carne, ossos, até metal, madeira ou concreto. É realmente forte, e com potencia ilimitada.


Usando tal arma, ela pode fatiar tudo com vários movimentos diferentes, além de conseguir alguns upgrades conforme avança em sua aventura, o que vai dando mais habilidades pra arma e variando suas capacidades. Ela também pode executar os inimigos, fazendo finalizações realmente dolorosas.


Além disso, ela conta com seus pompons, aquelas coisas emplumadas que as líderes usam pra animar geral enquanto ficam pulando e dançando. Ela os usa como armas também, que servem para atordoar os inimigos, com golpes que não causam dano, mas, facilitam as finalizações.


Intercalar entre a serra e os pompons permite gerar combos, que podem arrasar hordas inteiras facilmente, com golpes giratórios e decapitações subsequentes. 


É possível comprar movimentos novos e combos novos, com moedas que caem dos inimigos, em lojas de pirulitos que aparecem ao acaso no longo da jornada. Existem inclusive dois tipos de moedas: Ouro e Plantina.

As de ouro servem para comprar movimentos, itens de cura (Pirulitos), alguns outros tipos de consumíveis (já falo deles) e upgrades para a personagem, que melhoram suas capacidades físicas como Resistência, Força, Velocidade, etc.

As de platina servem pra comprar colecionáveis, imagens da galeria, roupas diferentes (que não afetam em nada a jogatina) e músicas.


Dependendo da pontuação do jogador ao eliminar os zumbis, podem cair mais moedas de ouro, e algumas de platina, sendo esse último tipo o mais "raro".


Também como objetivo de conquista tem alguns pirulitos dourados escondidos nas fases, o que ajuda na pontuação após encerrar cada fase. Isso não afeta muito é claro, mas, é legal pra quem gosta de "troféus".

Da pra achar pirulitos jogados pelas fases que ficam estocados no inventário, até o máximo de 5. Eles curam a energia vital da protagonista, e são o principal alimento dela... estranho né?

Bem, além dos cortes normais da serra, ela ganha algumas melhorias que servem pra superar as fases, e são basicamente presentes de aniversário.

Temos uma melhoria que deixa a arma muito mais motorizada, praticamente virando um veículo, que a protagonista pode usar pra dar uma acelerada.


Mas, apesar disso ajudar a correr muito, e passar por rampas e afins, esse movimento superaquece a Motosserra, deixando ela inutilizada por um tempo caso não seja resfriada com água. 


Nas fases em que é necessária, tem pontos com água espalhados pelos cenários e percursos, justamente para resfriar a arma.

Outro aprimoramento é o modo Atirador. A Serra vira um tipo de arma que atira projéteis reais, e consegue explodir cabeças alheias facilmente.


Nesse modo, ela pode mirar e atirar, mas isso consome munição, que só pode ser restaurada via compra na loja, ou se for achada no chão, geralmente sendo derrubada por inimigos.

A animadora também tem seus movimentos especiais dependendo da situação, onde pode usar suas técnicas acrobáticas pra explodir a cabeça de vários zumbis ao mesmo tempo, pulando neles um por um, geralmente pra atravessar buracos ou coisas do tipo.

Ela também pode interagir com certos objetos, seja pra saltar alto, ou pra apenas abrir passagens. Geralmente, quando alguma interação diferente surge, é preciso participar de Quick Time Event (apertar os botões certos nas horas certas)...


Toda hora tem algo diferente pra se fazer, as vezes guiando a serra, as vezes pulando e golpeando, as vezes só girando em barras de "striptease", enfim, é tudo bem variado. 


Mas com certeza a coisa mais diferente é o Nick, o namorado da protagonista.


Ela pode arremessar ele nos inimigos, pode usa-lo como munição, pode balançar pra pegar moedas, enfim, ela pode usar ele pra tudo quanto é coisa.

Legal que ela também pode usar o namorado pra controlar corpos de zumbis... alias, o Nick é só uma cabeça, assim ele pode ser acoplado em alguns zumbis específicos e andar, mediante aos comandos certos, enquanto sua namorada lidera ele (dançando e pulando, além de recitar versos pra incentiva-lo).


É hilária a razão pra ele ter ficado assim, mas apesar de não ter um corpo, ele fica muito mais útil e até crucial pra aventura graças a esse empecilho.

Pra ser usado, é preciso consumir um Ticket especial. Fazendo isso, uma roleta com as possibilidades dele surge, e vai na sorte! O que sair, é lucro, dependendo do momento.


Por alguns segundos ele pode ser girado, causando atordoamento em todos os zumbis que acertar. Isso é ótimo pra facilitar a decapitação de geral.


Também por alguns segundos ele pode virar a munição da arma, sendo disparado e voltando. Ele não causa tanto dano quanto uma bala normal, mas é capaz de atordoar.

Ele também pode ser sacudido no meio da batalha, por um tempo, soltando moedas e até pirulitos. Isso é bom em alguns momentos, mas pode ser bem ruim quando precisamos cumprir alguma meta em tempo limite, visto que não da pra cancelar uma vez que o efeito começa.


Há também um especial "passivo", que se ativa as vezes (eu não entendi as condições para que isso ocorra, mas acho que tem a ver com a quantidade de tickets no inventário, que vai até o máximo de 9). As vezes, quando a personagem morre, ela tem a chance de voltar caso tire o Nick na roleta.


Mas a roleta não é nada fácil. Gira rápido e tem vários X. Até quando é pra usar alguma habilidade dele ativamente, tem X caso não se tenha obtido a habilidade ainda.

Aliás, como o jogo salva automaticamente, em caso de derrota, a protagonista volta no início da última batalha ou evento que teve. As vezes, não faz muita diferença (exceto no rank, que é subtraído uma pontuação pra cada derrota), mas tem vezes que volta tanto, mas tanto, que da até um desanimo.


Bem, pra finalizar, a protagonista pode entrar em frenesi quando sua barra Especial se completa. Ela carrega a cada zumbi morto, ou com Estrelas pegas no chão, e uma vez carregada, ela pode ativar.

Por um certo tempo, uma música bem agitada toca e ela fica brilhando. Todos os ataques que ela fizer matam instantaneamente, inclusive "sub-chefes", e pra melhorar, ela pode fazer mortes sequenciais e ganhar bastante dinheiro.


Sempre que ela decapita mais de 3 zumbis ao mesmo tempo, ou explode mais de 3 zumbis muito rápido (com a arma), ganha-se moedas extras que vão se multiplicando pro número de cabeças arrancadas.

Os zumbis só morrem se forem decapitados, logo, por mais que ataquemos e cortemos seus braços, pernas e até troncos, eles permanecessem viv... não... de pé... também não... inteiros... não... vish... eles continuam!


Seus objetivos: Devorar. Nosso objetivo: Destruí-los.

É só isso. As vezes, tem pessoas que pedem socorro e precisamos resgata-los derrotando os zumbis próximos, e evitando que eles drenem a barra de vida dessas pessoas. Caso elas morram, se permanecerem inteiras (explosões são catastróficas), elas viram zumbis poderosos (quase chefes).


Aliás, sim, tem níveis de zumbis. Alguns chegam a brilhar de tão fortes que são e usam especiais, além de terem nome próprio. Mas a maioria são comuns, alguns tendo habilidades únicas que são desafiadoras, mas no geral, todos morrem igualmente.


Exceto é claro, os chefes de verdade. Estes sempre geram batalhas espalhafatosas e terrivelmente difíceis e longas, continuando de pé até mesmo depois de serem decapitados.

Alias, acho uma boa falar das criaturas, mas antes, vou falar dos personagens.

Personagens

Julliet


Essa é a líder de torcida, que começa a aventura já comentando sobre seus parentes, e seu namorado. Ela ainda menciona que é seu aniversário, e seu único objetivo é encontrar seu namorado, e depois comemorar seu dia.

Ela também já diz logo de cara que é de uma família de caçadores de zumbis, onde todos são exímios na profissão, cada um com seu estilo.


Pra variar, no caminho pra escola onde encontraria seu namorado, começa um apocalipse zumbi. Ela logo começa a lutar e destruir as criaturas mas seu objetivo é somente achar seu namorado.

Detalhe: Ela é viciada em pirulitos, sua maior fonte de nutrição.

Em personalidades, ela é esperta, mas ao mesmo tempo ingênua. O tempo todo faz comentários, zombarias, as vezes tão malucas que ela parece insana, ou muito sarcástica, mas ela só diz com inocência mesmo.

Apesar disso, ela é muito maliciosa, e faz questão de fazer comentários sacanas sempre que pode. Ela fala muito com seu namorado, mostrando o quanto gosta dele, e o quanto o admira, apesar de as vezes nem parecer nada de mais.

Por exemplo, ela é fluente em Japonês, e manja de Artes Marciais, e quando apresenta seu "sensei" pro namorado, ela logo se empolga com o fato dele saber que "Sensei" significa "Professor" em japonês, e recita um discurso enorme no idioma oriental.

Claro que o namorado nada entende, mas ela permanece impressionada com ele.

Isso se repete em vários momentos em que aos olhos dele, ele é incrível, mas na real ele é alguém bem normal... pelo menos até ela começar a mexer com ele.

Nick


Um jovem rapaz da escola que, não é tem nada de tão especial. É bonito, esperto, tem pinta de esportista, mas no geral, é só alguém comum. Mal sabia ele que sua namorada era uma caçadora de zumbis, toda cheia de mirabolâncias.

Ele estava esperando por ela na escola, quando do nada os mortos começaram a devorar os vivos. Ainda assim, ele permaneceu esperando por ela, até que ela chegou.

Ele salva a vida dela, pulando em um zumbi que ela se aproximou (achando que era ele), sem saber é claro, que ela conseguiria se defender facilmente. Ainda assim, foi nesse ato heroico que ele foi mordido e condenado a ser um zumbi.

Legal que o jogo até "acaba" quando ela percebe que seu namorado foi mordido, afinal, o objetivo dela teria acabado ali. Mas, ela decide lutar pela vida dele, e usa seus conhecimentos mágicos pra salva-lo.... parcialmente.

É engraçado que ele é mordido no braço, perto da mão, e como ela tinha uma motosserra ela poderia apenas cortar esse membro fora e impedir que a infecção se proliferasse, mas, ela decide decapitar ele, e salvar apenas a cabeça mesmo.


Magia é a resposta ta, ele permanece respirando, falando, vivendo, apenas com a cabeça, sem nada mais conectando ou dando suporte além de pura magia. Ele até questiona o como, mas, magia.

Isso torna tudo hilário pois, ele é uma cabeça, que fala pra caramba durante a aventura, e flerta, conversa, discute e questiona a namorada que o carrega, o tempo inteiro!

Ver os dois pombinhos discutindo a relação no meio das lutas é legal, ainda mais com ele não tendo nenhuma outra alternativa a não ser acompanha-la, nem mesmo quando ele fica bravo e decide parar de segui-la, que opção ele tem?! Ela o carrega na cintura, bem no bumbum, e pronto.

Também é meio desconcertante quando ela vai apresentar ele pros outros, afinal, ao invés dela tirar ele da cintura e carregar ele pra que converse, ela só vira de costas e... bem... é realmente desconcertante visto que ela ta só de saia, sendo até meio vulgar.


O bom é que esse lado é meio que ninguém leva pelo lado sacana ou pervertido, muito menos tentam tirar proveito da situação. Talvez pelo fato dela interagir apenas com as pessoas certas, afinal, existem os coadjuvantes (Carinhas pra Salvar) que sempre falam alguma merd4 quando a encontram.

Mas nesse caso, os coadjuvantes só soltam uma frase ou outra, geralmente sem qualquer importância ou relevância e somem. Frases como "Estou menstruada" ou "Meu presidente favorito é esse" ou coisas mais vulgares. Caso alguém mexa com ela, Nick ta ali só de olho.


Ele é útil na aventura, seja como um "equipamento" ou "arma", ou apenas como alguém com quem Julliet conversa. Considerando que muitos momentos de exposição do roteiro se dão graças a interação de ambos, ele é essencial para que a história seja melhor explicada.

No fim, ele também é crucial pra resolução, mas depois eu falo disso.

Sensei Morikawa


Em dado momento, o mestre de Julliet aparece pra explicar um pouco do que tava havendo.


Ele fala a origem dos zumbis, mencionando que eles saíram de uma realidade alternativa (entre 3 realidades) e que algo estava trazendo eles. Também acaba dando a missão de procurar a origem do que tava trazendo eles, e destruir, para a mocinha.


Ele quem a teria treinado (além é claro da família dela). Todos os movimentos ninjas que ela domina, foram graças a ele, e ele faz questão de dar uma demonstração ao esquartejar vários zumbis como se fossem peixes.

No fim das contas, por mais que ele tente ajudar, ele acaba falecendo ao ser atacado por zumbis. Claro que isso não é o fim, e como um fantasma/anjinho, ele permanece falando com Julliet, a orientando, e até mesmo da mais dicas próximo do fim.

Ele também é crucial pro desfecho, mas depois explico.

Cordelia


Na família dos caçadores, existem 3 irmãs. Julliet é a do meio, a popular. Cordelia, a mais velha por outro lado, é a radical. Sempre e veste de forma mais irada que as demais, além de se portar de um jeito mais bruto e violento. 

Ela ainda se da muito bem com a família, mas seu estilo de luta é mais definitivo, inclusive, ela usa armas de fogo pra suas caçadas.


Como um tipo de sniper, ela as vezes aparece pra dar suporte a irmã, além de dar dicas do que fazer. Quando ela atira, é sempre pra executar, e ela é muito boa nisso.


Rosalind


Por outro lado tem essa moça que é a mais nova, também caçadora mas, muito desastrada e imprudente. Ela chega a comprar um ônibus escolar sem razão alguma, que ela nem sabe pilotar, e manda brasa pra matar os zumbis com estilo, fazendo muito mais bagunça do que o aceitável.

Ela é bem atrapalhada, e muito infantil, além de não ter ideia ao certo do que gosta ou desgosta. Ela vive dizendo "Isso é tão assustador, e divertido!!!" como quem ama o perigo.


Ela não demonstra ter habilidades refinadas de luta, nem ter qualquer tipo de arma própria, tanto que boa parte da história ela é uma vítima. Ela até consegue se manter viva e forte, mas, ela sempre ta sendo raptada por alguém.

Mesmo assim, ela não é vista como fraca. Na verdade, ela acaba sendo vítima pela sua tremenda imprudência, mas ela é tão bem preparada e protegida quanto o resto de sua família.

Gideon


Ele surge perto do final, mas antes mesmo é bem mencionado. O pai da família de caçadores, também bastante radical, que vive fumando um charuto e é implacável em suas caçadas. Cordelia puxou ele, mas Julliet também tem seus traços quando o assunto é lutar.

Ele fica bastante orgulhoso quando ela monta um plano de invasão na frente dele, o que mostra que ele ama o fato das 3 seguirem os passos da família, independente de seus estilos.


No entanto, ele não aprova muito o namorico de sua filha. Inclusive, ele acha muito mais perigoso ele não ter corpo do que se tivesse. É engraçado ouvir os diálogos deles, principalmente quando sua filha diz que seu namorado tem uma ótima língua. Mano, Nick entra em desespero tentando explicar  opai dela quase o mata... ou termina de matar.

No fim, ele faz um baita sacrifício e é até comovente, mostrando o quanto suas filhas o amam.

Elizabeth


Ela não aparece fisicamente, exceto no final em cutscene, mas ela é a mãe, uma dona de casa totalmente aleatória aos eventos zumbis. Inclusive, ela parece se importar muito mais com o aniversário da filha do que com o que ta ocorrendo ao mundo.

Sem bem que todos da família se importam com o aniversário, todos dando presentes pra ela quando se encontram pela primeira vez.

Bem, o tempo todo ela liga pra sua filha, interrompendo o jogo, pois Julliet para tudo pra atendê-la (outras ligações, com dicas de como jogar e conselhos também acontecem, mas as da mãe ela sempre atende). O legal é que nunca é nada pertinente, são desabafos, comentários sobre coisas aleatórias, ou apenas menções bobas e coisas do dia-a-dia.


No final, ela prepara um bolo, mas, as coisas ficam um pouco sombrias pois, tem todo um clima macabro. Ela não se vira, e tem uma música de suspense, dando a entender que ela virou um zumbi ou algo pior. Mas, isso é meio que um final "incompleto". Pois, pra ver o final certo do jogo, é preciso salvar todos os carinhas no caminho.

Detalhe que depois de ver esse final, surge a opção pra ver o final bom e tal. Essa opção só aparece se o pré-requisito for feito.

Swan - O Emo


Por fim, vale mencionar o grande antagonista da trama. Ele é um dos estudante, com estilo "emo", que vive excluído e meio depressivo.

Ele quem invocou os zumbis tudo, de outra dimensão, usando um ritual sombrio, tudo pois não se sentia aceito na escola.

Matar a todos foi a melhor solução pra que ele se sentisse bem, e apesar de bizarro, é meio tocante isso.


Ele invoca 5 zumbis supremos que lidera para seu plano definitivo: Zumbificação do mundo.

E ele até chega a estourar os próprios miolos pra isso, pois como parte do ritual, ele precisaria estar morto.

Tudo isso, ele faz por ter sido excluído, inclusive menciona Julliet, como aquela que nunca lhe deu bola.

Ele é um tolo, mas, quase obteve êxito em seu plano estranho. 

E agora vem os zumbis, no caso, falarei dos principais e paralelo a eles, citarem algumas das criaturas que aparecem nos seus respectivos cenários:

Zed - Zumbi Punk


O primeiro mapa do jogo, assim como a missão de encontrar Nick, é apenas um prologo. Você aprende os movimentos e enfrenta zumbis, sem nada de especial. Nele, não há um chefão final, apesar de ter um Zumbi com um Cilindro de Gás como sub-chefe no final da fase.

Ao longo dela, há vários estudantes zumbificados, afinal é a escola, com ônibus tombados e tombando o tempo todo, e muitas explosões.


Também há helicópteros, mas eles são usados pra resgatar alguns jovens sobreviventes que Julliet salva. Uma hora eles também são derrubados, mas no geral, são uma parte significativa no jogo.

Bem, a fase na qual o Zumbi Punk surge é a seguinte, onde permanecem na escola, só que com mais destruição.

Primeiro surgem zumbis com explosivos e zumbis pegando fogo. Quando ambos se abraçam, tudo explode.


Tem também policiais zumbis, que atiram com armas de fogo e apitam, feito loucos. São como sub-chefes.


Além dos estudantes zumbificados e pra se resgatar, tem alguns esportista, além de incêndio e explosões por todo canto.

Destaque fica pros jogadores de basquete, que protagonizam um desafio no meio das fases. É preciso decapitar um certo número de zumbis jogadores antes do tempo acabar. Todo zumbi que perde a cabeça, tem a mesma diretamente jogada na cesta de basquete.


Pra atrapalhar, tem alguns zumbis de defesa, impedindo que as cabeças passem pelas cestas, e algumas líderes de torcida zumbi, que ficam dando cambalhotas, e quando perdem as pernas, continuam andando, com as mãos.


Tem também uma voz que narra o desafio, mas não chega a ser revelado quem era (provavelmente o cara emo).

Também tem zumbis explosivos em carrinhos de mão. São quase como bebês em carrinhos de bebe, esperneando com a "fralda" cheia de explosivos.

É no término dessa fase que o Sensei morre, e é também onde Julliet encontra um super bolo cheio de explosivos pra ela. Assim, os zumbis estavam querendo ferrar com o dia dela, era algo pessoal.


Bem, ao escapar de tudo isso, surge o emo, que mata o sensei e invoca os chefes zumbis.

Na fase de batalha contra o primeiro chefe, é um único e simples cenário, com a luta rolando desde o início tecnicamente. É um antigo ferro velho cheio de carros empulhados, e zumbis, só que são zumbis "fanboys".

Eles dançam e curtem o som do zumbi mestre, que por sua vez, fica num palco, visível de longe. Ele canta Punk, e no meio da correria de Julliet pra alcança-lo, ele solta Palavras Mágicas que voam e explodem onde ela tiver.


Ao alcança-lo, depois de vários quick time events, rola a intensa batalha.

Ele fica de longe cantando feito louco, e se move rápido de um lado pro outro, dando investidas as vezes.


Ataca-lo quando ele para pra "curtir sem som" é o ideal, até que ele enfraquece, atordoa, e é serrado ao meio.

Porém ele continua de pé, junta as duas metades e continua sua movimentação, ainda mais acelerado e maluco.


Ele também atira algumas palavras ofensivas de longe, que da pra desviar.


Depois de corta-lo uma segunda vez, agora na horizontal, ele se remonta uma vez mais e muda um pouco a luta, invocando uma série de caixas de som empilhadas, que ele sobe e fica jogando energia até ser derrubado.


É preciso destruir todas as caixas de som, até que ele fica sem ter pra onde pular. Mas, ele invoca uma última caixa, gigantesca, sendo preciso apenas cortar ela na horizontal.

O corte é demorado, e ele de cima da caixa joga palavras mágicas pra atrapalhar.


Mas assim que a caixa é totalmente cortada, ele cai é fatiado mais uma vez, e entra em desespero, atirando palavras pra toda parte até ser decapitado junto com seu microfone. 


O microfone era sua "arma zumbi", a fonte de seus poderes.


Antes de ser completamente eliminado, ele recita uma frase estranha, e assim, termina sua participação.


Vikke - Zumbi Viking


Saindo da escola, Julliet vê um enorme navio voador viking com um Zumbi Baterista Viking. Além disso, Cordelia ta pendurada no navio, seguindo ele pra ataca-lo.


Depois de jogar seu presente, ela parte com o navio, e cabe a Julliet alcança-la e ao presente.

A fase em questão é um pouco mais aberta, ainda bem linear, mas com percursos longos em prédios nos quais Julliet precisa saltar, usando a Motosserra Acelerada (presente do Sensei antes de morrer).

Ela passa por ônibus, obstáculos, e acelera em meio aos zumbis de sempre, com destaque aos Jogadores de Futebol Americano, que são sub-chefes, aos montes, que são grandes e até que bem fortes, além de rápidos quando fazem a posição de ataque.

Outro zumbi que vale destacar é o voador. Alguns zumbis que perdem as pernas passam a voar livremente, com o sangue os empurrando como propulsores. Pra serem derrotados, é necessário o uso da Arma de Fogo, que é o presente de Cordelia.

Tem também mais uma etapa do jogo de basquete, mas dessa vez aparece um zumbi alto na defesa, que resiste muito mais a danos. Ele não deixa nenhuma cabeça passar enquanto não for morto.


Passando por isso ela chega no navio, saltando em sua direção usando a motosserra. A irmã dela já não estava mais enfrentando o zumbi, mas Julliet assume a luta.

O Viking é meio fácil e simples. tudo que ele faz é ficar de longe, dando investidas quando pode e atirando eletricidade.


Uma vez cortado ao meio, a parte de baixo permanece se movendo, enquanto a parte de cima passa a voar, sendo ela um desafio chato.


Pra derrota-los, é preciso atirar com a Arma de Fogo, pois só assim ele é acertado.

Ai, quando enfraquecido, ele é decapitado.


Mas, mesmo depois de perder a cabeça, ele continua lutando, pois no final sua cabeça fica gigantesca.


E na prática o combate é o mesmo, apesar dela ser mais violenta e rápida, e ficar girando de um lado pro outro as vezes.


Derrotado, ele recita a mesma frase estranha, evaporando em seguida. O navio então cai.

Mariska - Zumbi Hippie


Da queda, Julliet e seu namorado vão parar numa fazenda, onde ela tem um pesadelo, vendo seu namorado zumbificado.

Depois de acordar do pesadelo ela passa pela fazenda, matando os zumbis e explorando, dentro da linearidade é claro.


Um diferencial dessa fase é o fato de terem zumbis animais, como galinhas, vacas e até cavalos.


Mas eles não são tão desafiadores, principalmente as vacas e cavalos, que são pacíficos até serem atacados.


Além deles, tem alguns zumbis fazendeiros, e zumbis gordos, que são apenas mais resistentes mesmo.


Destaque da fase fica pros cogumelos. As vezes, Julliet corta cogumelos que prendem ela em brizas completamente drogadas.


Uma é quando ela assume um trator de fazenda e precisa matar, fatiando, um monte de zumbis, sem danificar o veículo. Tudo isso ao som de "You Spin Me Round" da "Dead or Alive".


Aliás, a "Lollipop" das Chordettes, toca sempre que ela entra nas lojas. As músicas meio que casam bem com as situações do jogo, e algumas são bem famosas.

Enfim, outro destaque fica pras Galinhas Gigantes Zumbis! Sim, no meio da briza, surgem esses bichos enorme que são até que bem desafiadores, com suas investidas constante, quase valendo como chefes.


Chega um momento que aparece uma com 3 cabeças, ROBÔ! Super difícil (valeria como chefe se não fosse mera alucinação). 


Tudo isso ocorre enquanto Julliet corre atrás do ônibus de Rosalind, que desenfreado sai atropelando zumbis, construções, tudo.


De inicio parece que ela ta sem freio, ou que o ônibus ta com defeito, e Julliet chega a defendê-lo de hordas, pedras que caem, e explosões. Tudo pra preservar Rosalind.


Só que uma hora o ônibus para, e ela diz que conseguiu consertar, mesmo sem ter qualquer noção de como o veículo funciona. É ai que é revelado que na verdade, sua irmã tava sendo manipulada pelo zumbi chefe o tempo todo, o qual usa entorpecentes para seus ataques.


Ele usa isso nela, e começa a luta de chefe. Num local totalmente alucinógeno, ela surge flutuando com seu instrumento zumbi, um Gusli.


Ela é um tipo de hipster que simplesmente se envolve numa bolha gigante e atira bolhas e energia negativa.


Uma vez enfraquecida com ajuda da arma de fogo, ela cai, e é preciso dar a volta no cenário, rápido com a motosserra, pra assim corta-la. 


Mas ao dividi-la, cada metade cria o restante do corpo, fazendo surgirem 2 zumbis. Ainda assim, na mesma hora, cada uma das zumbis se divide em duas partes, criando assim 4 zumbis hippies.


As 4 ficam voando em suas bolhas no centro do mapa, mas não apenas isso, cada uma faz um ataque diferente, um movimento diferente.


Umas criam tratores, e pilotam ele pra tentar fatiar Julliet, sendo impedidas apenas caso ela acerte suas bolhas.

E outras invocam Galinhas Gigantes Robô, que atacam bicando, até serem impedidas com a bolha da invocadora atacada.


Com o tempo cada uma vai sendo derrotada até restar apena uma e ela ser novamente fatiada. Mas, outra vez, ela invoca outras de seu corpo, dessa vez surgindo 8 de uma única vez.


Só que elas ficam girando como loucas no centro do mapa, invocando diferentes eventos. Sejam explosões com mísseis, bolhas explosivas...

Ou uma enorme mão que persegue Julliet.


Enfim, elas ficam nessa até todas serem abatidas, restar apenas uma e ela ser fatiada uma vez mais. Só que nessa última vez, o Gusli vai junto.


Assim, como os demais, ela recita uma frase estranha, a mesma, e depois de declara paz e amor pra geral, ela esfumaça.


Josey - Zumbi Tecno


Daí Julliet acorda, no mesmo lugar onde ela caiu do navio, bem onde toda a loucura viajada começou. Na verdade ela tinha sido drogada pela zumbi hipster logo no começo, e nem tinha saído do lugar.

Rosalind entretanto permanecia sequestrada, agora por outro zumbi, que liga pra Julliet e diz ao que veio...

Só que, a voz dela é toda digitalizada e carregada no auto-tune. Isso faz Julliet dizer que ele ta fazendo cosplay do Stephen Hawking, e pede pra ele parar e entregar logo a irmã dela.

O zumbi meio que faz uma aposta, desafia ela a encontra-lo e vencê-lo, e só então, libertaria Rosalind.

Com isso eles partem pra nova localização, no meio da cidade, num prédio focado em fliperamas e jogos. Porém, ela tem a carona muitíssimo bem vinda de seu próprio pai, quem vai resgatar a filha.


La, eles montam o plano de invasão, e enquanto o pai dela sobe pelo lado de fora do prédio, ela vai por dentro. 


Até seria um caminho simples, os zumbis são todos zumbis nerds que ficam focados nos vídeo games e só atacam, se forem atacados, no começo é claro. Depois que ela destrói os equipamentos geral pira.


Alguns são zumbis com rádios, que aumentam as capacidades físicas dos demais enquanto estiverem vivos, sendo um tipo de destaque.

Além dos zumbis, tem jogos. Cada andar acaba levando Julliet prum tipo de jogo de realidade virtual aumentada, onde ela precisa superar o desafio pra continuar subindo.

Os jogos variam entre um tipo de Pac-Man, gigante, que ela é o fantasma, o qual precisa fugir em um labirinto de vários Pac-Mans.


Tem outro que é um jogo de portas, em que ela precisa entrar nas portas certas depois de derrotar zumbis, pra conseguir subir andares e acessar elevadores.


Tem um em que ela precisa derrotar zumbis dançarinos num palco, com auxilio de uma barra americana...

Outro é uma referência ao Ping-Pong de arcades antigos, em que ela precisa destruir os zumbis, enquanto se esquiva dos blocos que vem e vão pela sala.


Por último tem um em que ela sobe um prédio por fora, atirando contra zumbis que jogam mísseis e carros, além de naves estranhas que atiram vacas, tudo de forma pixelada.


Passando por tudo isso, sendo a última etapa bem difícil pois qualquer erro, é game-over, o chefe aparece.

Ele é um Zumbi Tecladista Dançarino, mas não é tão difícil.


Na verdade, tudo que ele faz é se equipar com um disco voador e ficar voando, atirando bombas virtuais.


As vezes ele cria escadas e fica fora de alcance, sendo preciso subir as escadas pra atirar nele. A única forma de acerta-lo é atirando, mas ele cai pro primeiro corte da serra.


Sua segunda forma é também sua última forma, e é em um cenário diferente. Sua nave fica gigantesca e ele tenta fugir carregando Rosalind, preparando um tipo de ataque supremo enquanto Julliet tenta impedi-lo.


Enquanto ele carrega, o que gera contagem regressiva, Julliet precisa andar do lado de fora da nave e destruir cada um dos postes de energia, que são eletrocutados periodicamente pelo zumbi tecladista no centro, protegido por uma cúpula.

Depois de destruir tudo, o zumbi fica atordoado e exposto, e é atacado novamente. Mas, ele não morre, apenas tenta barganhar. Ele pede pra não ser morto, pois se isso ocorresse a irmã dela morreria junto.


Até então, o zumbi tinha prometido entregar a irmã dela caso ele perdesse a luta, então ele tava descumprindo a própria regra.

Em meio as ameaças, o pai de Julliet estava de baixo na nave, onde encontrou a outra filha, sendo carregada. Ele a resgata e manda Julliet detonar tudo.


Dai tanto o zumbi quanto sua nave são serrados ao meio e tudo explode, com ele virando fumaça e recitando a frase estranha, e Julliet escapando.

Lewis - Zumbi Roqueiro


Então, todos reunidos, planejam o ataque final ao último zumbi mestre. Eles montam o plano e partem pra um tipo de construção abandonada.


Antes da fase inciar, Nick meio que briga com sua namorada, ficando sem vontade de acompanha-la, mas ela continua forçando ele a ir junto. Ele fica bem chateado com o fato de não ter liberdade (e corpo). Aliás, a irmã mais nova maquia ele por zoeira.


Nessa parte tem de tudo, com hordas e hordas de zumbis, bem mais que em qualquer fase, porém, o diferencial é que Cordelia ajuda, atirando com sua sniper de longe.


Algo curioso são os Zumbis de helicóptero, que ficam jogando zumbis periodicamente até serem derrubados. Até então eles já apareciam, mas normalmente estava em queda livre, agora, eles tem certo controle.

Tem um momento em que a Rosalind decide ajudar, e tanto atrapalha quanto ajuda, com uma Bola de Demolição indo na direção dos zumbis, e de Julliet. Ela é meio maluca.


Em uma parte Julliet precisa subir um elevador de carga, com limite de peso, e os zumbis que caem precisam ser fatiados antes do peso ficar grande de mais. É bem difícil.


No fim, ela enfrenta uma última enorme horda de zumbis, e seu pai aparece.

Ele com um soco, ele derruba um objeto que cria um efeito cascada e termina explodindo o centro da sala, abrindo assim caminho pra batalha final.


Só que apenas sua filha entra, e la da de cara com o emo, e o último zumbi, os dois juntos. Mas, o emo só apresenta seu último aliado e foge.


A luta contra o Zumbi Roqueiro é longa. Ele usa uma guitarra metralhadora poderosíssima, e uma moto toda equipada com armas de fogo.


Ele também fica dando voltas no cenário, e investidas, muito rápidas, além de ser protegido por barreiras de energia quando ta correndo fora do cenário.


Ele também invoca de tempos em tempos vários zumbis, que apesar de lentos, atrapalham a mira nele.


Tudo isso, faz com que seja difícil acerta-lo e perto, ou de longe, mas as vezes ele da investidas e fica dando cavalo-de-pau, o que deixa ele vulnerável, além de as vezes ficar atordoado no centro da sala por superaquecimento na moto.

Pra variar, ele também contra-ataca os golpes de Julliet, gerando um quick time event de quem aperta mais rápido pra vencer.


Mas, depois de receber o primeiro corte, tudo fica ainda mais difícil.

Ele perde as pernas e começa a voar, mas pra variar mais ainda, sua moto é transformada num tipo de elefante robô grande no qual ele se acopla. O robô usa armas de fogo e serras circulares pra atacar, enquanto da várias investidas muito rápidas.


Ele é vulnerável apenas quando superaquece, mas com isso, não demora tanto até receber dois cortes. Sim, nessa forma ele precisa ser cortado duas vezes, e ainda assim, não é a última.


Depois de perder os braços de seu robô, ele transforma a moto novamente, fazendo um robô um pouco menor, mas com rodas bem potentes e muitas armas.

Ele passa a dar investidas bem mais rápidas e contínuas, além de atirar feito louco sempre que pode, com suas metralhadoras.


Uma hora a máquina fica superaquecida, demora, mas quando isso ocorre ele pode ser atacado, até ser cortado, três vezes! Sim, ele precisa ser cortado e finalizado 3 vezes nessa forma.

Ai sim, ele é derrotado. Mas, ele recita a frase estranha quando vira poeira, e o emo surge cantando vitória.


Ele diz que ocorreu tudo conforme planejado, e pra piorar, diz que Julliet era importantíssima em seu plano, e fez seu papel direitinho.

O ritual de invocação dos zumbis só ficaria completo se os 5 zumbis mestres fossem mortos, e antes disso, recitassem a conjuração para transferir o poder para seu verdadeiro mestre, o invocador. Assim sendo, ele estava com toda a energia que precisava pra fazer a última parte...

Ele da um tiro na própria cabeça, e isso o mata na hora.


Sua morte era necessária para que o verdadeiro mestre fosse invocado e trouxesse o fim do mundo. É ai, que ele se invoca o verdadeiro chefe, de seu corpo flutuante com sua cabeça que conta tudo o que ocorreu com ele, o quanto sofreu por ser excluído na escola, e o quanto queria se vingar.

O chefão final, o mestre de todos os zumbis, é um tipo de Elvis Presley gigantesco, em todos os sentidos.

Killabilly - Zumbi Gigante


A última fase é uma rua reta, com o zumbi gigantesco ao fundo. 


Julliet só precisa chegar até ele. Quem a orienta é o fantasma do Sensei, que liga pra ela e da as dicas do que fazer, direto do além.


Pra atrapalhar, o zumbi gigante joga carros aos pontes, destrói os prédios criando obstáculos, destrói o chão, sendo possível atravessar apenas com pontes criadas pelos carros que o próprio zumbi joga.


Tem também muitos zumbis no caminho, e tudo isso somado ao fato da cidade ficar caindo aso pedaços de tempos em tempos, fica bem difícil alcança-lo.

Por fim, ele também atira laser pelos olhos, o que é realmente difícil de evitar.


Mas, mesmo depois de chegar nele, é só metade do caminho. A luta final é terrivelmente complicada e demorada.

Primeiro ele agarra Julliet, e ela não pode se mover. Ele precisa receber tiros nos olhos pra sofrer qualquer dano e largar ela, mas demora.


De tempos em tempos ele atira zumbis, e almas malignas, pra acertar Julliet em sua mão, e também tenta dar petelecos, mas, da pra esquivar serrando a mão dele, o que faz ele mexe-la conforme a vontade de Julliet. Da pra ir pros lados apenas, mas isso já ajuda.

Pra ter munição, os zumbis voadores que ele atira podem ser serrados, deixando cair um pouco de bala.


Bem, uma vez que seu óculos é danificado e ele fica irritado, ele tenta engolir Julliet, mas ela escapa.


Então, rola a luta em cima de um prédio. Apenas a parte de cima do corpo dele é enfrentada, onde primeiro é preciso esperar ele se aproximar pra atacar.

As mãos dele podem ser serradas, dando um pequeno dano, mas, os dedos se regeneram depois de cortados.


Além disso, ele da golpes no solo batendo as mãos, o que atordoa e machuca Julliet caso ela seja pega no raio de impacto.


Ele as vezes começa a brincar de carrinho, com carros repletos de zumbis, jogando um carro de cada parte do corpo, até do topete e da boca.


Os carros explodem depois de atirados mas deixam alguns zumbis.

Depois disso, ele sempre fica mais afastado possível, e enquanto dança ao estilo Elvis, joga alguns zumbis explosivos.

E ainda por cima, ele pode lançar seus lasers pelos olhos.


Ele também pode atacar com um carro que não explode na hora, depois dele brincar um pouco, e o carro fica perseguindo Julliet por um tempo até de fato explodir.

Por fim, ele ataca co ma língua gigantesca, ficando vulnerável por alguns instantes até sua língua voltar.


Uma vez derrotado, ele fica irritado, tenta esmagar Julliet, mas ela se protege serrando tudo (tem que ser rápido ou da game over e tudo volta da cidade mesmo, da correria).


Então, enquanto Julliet tenta fatiar o zumbi grandão, o fantasma do sensei liga dizendo que ela precisa ataca-lo por dentro.


Mas, antes dela tentar, o pai dela surge, com sua moto, lotado de explosivos, voando em queda livre na direção do zumbi.


Ele explode depois de dizer o quanto ama sua filha, e arrebenta a mandíbula da criatura, abrindo assim espaço pra Julliet entrar.


Ela lamenta entretanto, perde as esperanças depois de ver como seu pai acabou, mas Nick, mesmo estando bravo com ela, a motiva, diz pra ela honrar a morte de seu pai, e diz o quanto ele confiou nela. Isso funciona.


Ela pula na boca do monstro e anda por suas tripas... até chegar no seu núcleo. Era o corpo do emo, com sua cabeça morta no chão.


O corpo dava controle ao zumbi gigante, mas, ela precisava dar um jeito de explodir tudo.

É ai que o sensei liga dizendo que, a única solução seria usar Nick, afinal, ele podia se conectar ao zumbi gigante e dar o comando de auto-destruição, já que ele era indestrutível.

Com isso, Julliet fica ainda mais triste, e se recusa a usa-lo, mas Nick diz que é pra isso que ele existe e está ali, e que finalmente será útil. 


Ele se despede, diz o quanto a ama, e é conectado ao zumbi, recebendo um beijo.


Assim, tudo explode, depois de Julliet escapar.

Triste né? Mas não acabou... 

Assim que morre, Nick se vê flutuando, ainda sem corpo, no espaço sideral. 


O sensei fala com ele, ainda do além, e diz que o que ele fez foi um ato heroico e imensurável, o qual seria recompensado.

Ele salvou os mundos, então, ele ganharia uma chance de viver novamente. Seu sacrifício rende um retorno ao mundo dos vivos, com direito ao seu corpo de volta... porém...


O sensei diz que os caras da administração celestial cometeram um errinho ao trazê-lo de volta... mas, era melhor que nada, e ainda diz na maior cara de pau pra deixar aquele corpo super feliz, e aproveita-lo bastante com sua namorada.

Ao voltar, Nick vê sua namorada chorando no chão, e se aproxima feliz dela. Ela fica igualmente feliz, mas, ele tava bem mais baixo.


Ele tinha sido ressuscitado com o corpo do sensei. Até tinha total controle de tudo mas, era o corpo de um velho baixinho... 


Mesmo assim, a alegria volta aos olhos de sua amada, e pra melhorar, o pai dela aparece com as suas irmãs.


Ele estava vivo, só tinha perdido um dos testículos na explosão.

Todos ficam felizes, e voltam pra casa, num crédito que mostra eles correndo em meio a todas as fases.


Chegando em casa, eles encontram a mãe dela, que por sua vez está estranha, melancólica e de costas...


Ela fala pouco, e assusta a todos... mas ai surge a opção de ver o final feliz...

Ela se vira, com um bolo, e presenteia sua filha.


Todos festejam, Nick da seu presente pra sua amada...


E fim.


Então, o que achou?

A história de Lollipop Chainsaw não é aquela coisa genial, mas é bem divertida.

O jogo não é longo, nem tão desafiador, mas é bem legal, e compensa a experiência.

Bem, é isso.

Espero que tenha curtido.

See yah!

Postar um comentário

8 Comentários

  1. Após uns dias sumidos, faço meu retorno e vejo este joguin aqui...

    Vamos ver... eu conheci esse jogo nos tempos em que ele foi lançado, assisti o trailer e achei legal, mas levei anos pra poder ter ele em meu alcance... quando finalmente consegui, deixei guardado por mais um tempão até que um dia fui experimentar...

    Não consegui zerar ele, fui até um pouco antes do chefe viking, porque apesar de curtir bastante hack'n slash, eu tava achando este jogo em específico bem repetitivo...
    Pra piorar, tinha os malditos "troféus" no ps3... que eu tinha costume de colecionar então ficava travado em alguns cantos pra fazer conquistas e não avançava... acabou que abusei do jogo e deixei ele encostado de novo.

    Hoje, superei esse negócio de troféu e até tenho interesse em dar outra chance ao jogo, depois que li, descobri algumas coisas que não sabia (porque não avancei o suficiente pra ver kkk) e realmente pode me render uns momentos de diversão...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Confesso que parei umas 3 ou 4 vezes ao longo desses anos, justamente antes do Viking ^^. Parece uma maldição desse game... a linearidade e falta de desafios aparentes incomoda, e meio que faz a gente parar. Mas, a longo prazo compensa, pois as facilidades se misturam às variedades.

      É um jogo que, é curto, mas divertido... e quando digo curto é pela simplicidade mesmo.

      Tente zerar, é legal rs. Espero que curta.

      Sr Siegmeyer, obrigado por comentar hein...

      Excluir
    2. O problema é que nem dá pra estimar uma data pra jogar de novo... meu ps3 quebrou e sai vendendo os jogos...

      Nem tenho ele mais... fora que mudei a plataforma pro pc, então fica ainda mais difícil...

      Sempre que aparecer algo bacana por aqui eu vou me summonar pra comentar kk

      Excluir
    3. Mudou pro PC? Uai, faz que nem eu, pega o RPCS3 e manda ver na emulação. Apesar de eu ter o jogo no Xbox360, eu zerei ele pelo PC mesmo, e a compatibilidade é 100%. O emulador de PS3 ta muito bem na fita.

      Excluir
    4. Já tem emulador decente pra ps3? ahhh então vai dar certo demais kk

      Vou atrás então pra conferir!
      Arigatou u.u

      Excluir
    5. Tem sim, e como eu disse, zerei esse jogo pelo emulador sem qualquer problema (nem mesmo quedas de frame). Outros jogos que eu testo e tão perfeitos: Silent Hill Downpour (não vou zerar, mas é bom ver que ta pegando bem) e Metal Gear Solid 3 (o de PS2 ainda é bugado, a versão de ps3 ta até melhor). God of War 3 ta quase bom, e Red Dead Redemption também. Os Kingdom Hearts tão bons. The Last of Us eu não testei, mas pelo que vi ta começando a ser otimizado.

      Excluir
    6. Só noticia boa... Quando eu jogava no ps3 sempre tive interesse em pegar o Silent Hill Downpour... o Metal Gear Solid 3 foi o primeiro jogo que platinei no ps3 (e como amei jogar aquele jogo vici, saudades desse clássico, ao menos ainda mantenho a mídia comigo)... Red Dead Redemption é outro jogo que ainda ta guardadinho aqui mas nem cheguei a experimentar... Kingdom Hearts é outro que fico enrolando pra jogar mesmo sabendo que é bom...

      Enfim, ficar sem ps3 não vai ser tão ruim... pena que minha conta tá lá cheia de jogos... sem poder ser usada... ç.ç

      Excluir
    7. Triste pelo PS3 man, mas, calma... no PC tu pode conseguir jogar tudo isso.

      Excluir
Emoji
(y)
:)
:(
hihi
:-)
:D
=D
:-d
;(
;-(
@-)
:P
:o
:>)
(o)
:p
(p)
:-s
(m)
8-)
:-t
:-b
b-(
:-#
=p~
x-)
(k)