ArquivoMorte

PesquisaMorte:

domingo, 1 de setembro de 2019

AnáliseMorte: Kingdom Hearts 3 - O Final de um Inicio.

Demorou, mas finalmente, está pronto, meu "GigaArtigo" sobre KH3.


Tem muita coisa, então prepare-se...

_________________________________________________________________________________

© 2019 DivulganteMorte 
AnáliseMorte criada por ShadyMorte, distribuído por DilvulganteMorte, Inc. e Tecnologia do Blogger, Inc. Todos os Direitos Reservados. 
© Spoiler  
Informações Reveladoras sobre produtos ©Disney, ©Disney/Pixar e ©SQUARE ENIX. Todos os Direitos Reservados (dos spoilers viu).

_________________________________________________________________________________

Boa leitura.


Se quiser dar uma lida nos trabalhos anteriores, só clicar aqui: Kingdom Hearts

Introdução

Difícil conseguir escrever sobre KH sem me estender tanto quanto antes, considerando o tanto que me empolgo sempre que começo a falar do assunto, mas irei me esforçar, prometo, e farei tudo pra ser o mais breve e direto possível, porém, completo.



Kingdom Hearts 3 é o encerramento de um arco, e inicio de outro. Ele completa a longa história desenvolvida ao longo dos vários jogos lançados até então, enquanto também introduz subliminarmente uma nova trama.

Ele literalmente conclui e finaliza uma história, uma grande história, de uma forma épica, ao mesmo tempo que apresenta muito conteúdo novo, e muitos elementos que só serão devidamente desenvolvidos futuramente.



Por isso é justo dizer que ele é o final e o inicio de algo. O Fim do arco da Organização XIII, e o inicio de uma nova história, uma que irá focar mais no que é abordado no jogo de Celular (mas falarei melhor disso em outro artigo).

Todos os mundos mostrados em KH3 são originais. Este é alias o primeiro jogo da franquia que conta com filmes da Pixar em seu universo, e isso faz parte da nova cara, do novo arco. Existem elementos do antigo arco, mundos antigos, que são revisitados, referenciados, relembrados, mas eles tem sempre um destaque especial e são postos propositalmente como diferentes.



Por exemplo, o mundo do Hércules, que é o primeiro visitado, ele é o único da Disney revisitado que é devidamente desenvolvido e pertence aos jogos anteriores, mas, ele serve pra mostrar que é o fim.

Além disso, além de ser um encerramento, ele também não faz parte de KH3, mas sim, de KH 2.9, como é inclusive mencionado previamente em sua introdução.

Depois quando eu falar dos mundos irei citar os demais que fazem parte do antigo arco e explicarei porque eles não são tão desenvolvidos, e tudo fará sentido.

Bem, nesse jogo também não há qualquer participação de personagens de Final Fantasy (os "finalfantasyanos"). Não sei ao certo porque foram removidos do universo KH, sendo que os Moogles ainda se mantem presentes, estes sendo os únicos elementos de Final Fantasy remanescentes, mas talvez, a Square Enix queira desenvolver algo mais com a própria Pixar e Disney.



Inclusive, foram elaboradas tramas muito boas para os filmes Pixar no universo KH que prometem expansões não cânones bem curiosas, das quais falarei em breve.

Também há uma interessante obra fictícia que muito lembra Final Fantasy mas, carrega outro título, dentro do universo Pixar, da qual também falarei daqui a pouco. Isso faz pensar que a Pixar e a Square, junto com a Disney, planejam algo grandioso para o universo Kingdom Hearts.

Por fim, já adianto que, essa é a história que eu mesmo disse que seria impossível me fazer derramar uma única lágrima, tamanha minha alegria ao ver o ressurgimento de tantos personagens. Todo mundo volta, todo mundo. Ainda assim, chorei, horrores, no último segundo, mais de uma vez (eu terminei o jogo mais de uma vez, e chorei todas as vezes).

Chega a ser desonesto o que fizeram com o final, pois após uma aventura sensacional, repleta de pontos altos e vitórias, e sim, vários momentos de derrotas com reviravoltas onde o herói se supera várias e várias vezes, surge um desfecho terrível, onde ele simplesmente vence, mais fracassa, ao mesmo tempo.

Como isso? Explicarei la no final, mas prepare seu coração.

Técnica

KH3 é um Action RPG com Elementos de Hack&Slash, sem tirar nem por. Eta jogo bão se você gosta de apertar 1 só botão e ver luzes pra todo lado. É isso que acontece.



Com o Xis, temos a Ação de descer a Chavada na galera do mal.


Com a Bolinha, podemos pular, e com isso da pra descer a Chavada no ar também.



Com o Quadrado, podemos Defender, ou Esquivar (se apontarmos pra alguma direção) o que permite evitar ataques, e continuar dando Chavadas.



Para lançar Magias, é preciso seleciona-las com os direcionais, manualmente, e atacar com o Xis em cima da magia desejada. Se tiver Mana suficiente, ela é lançada, e quando a barra de magia se esgota, ela se restaura automaticamente depois de um tempo.



Cada magia consome uma quantidade relativa de poder, mas a magia "Cura" sempre consome a barra inteira (sendo geralmente boa pra resetar a barra pra que ela se renove). Além disso, da pra criar atalhos para as magias usando Gatilhos do Controle, mas pra isso é necessário configurar no Menu (não é complicado), onde ao se pressionar o Gatilho (L1) vai direto pra barra de magias, e é preciso apenas apertar o atalho respectivo da magia pré-configurada (um dos 4 botões principais). Tudo isso, pra dar Chavadas, só que mágicas e em elementos diferentes.

Por fim, com o Triângulo, podemos fazer especiais, que consistem em dar mais Chavadas, só que com muito estilo, um estilo surreal e agora sim, algo único.

Na verdade o Triângulo é o botão que mais serve ao jogo, pois ele permite falar com personagens, como os npcs, e lojas (moogles).



Além disso, permite coletar objetos e itens dos cenários, ou interagir com eles.



Esse também é o botão que ativa os especiais, como mencionado, os poderes que não se limitam tão somente ao que as Chavadas são capazes mas, estão relacionados a elas.

Acontece que, conforme se ataca, uma barrinha se enche. Essa barrinha é simbolizada por 3 setas. Quando as 3 aparecem, um poder é ativado, e é possível usa-lo apertando Triângulo.



Essa barrinha depende tanto dos ataques físicos quanto mágicos realizados, mas não é apenas ela que gera os especiais. Também da pra gerar especiais aleatoriamente, conforme se luta, pela configuração dos aliados do protagonista, ou pelos equipamentos dele mesmo, ou então pelos inimigos do mapa.



Existem inimigos que, aleatoriamente, podem aparecer marcados como alvos verdes. Se atacados dentro do tempo limite antes do alvo sumir, um especial circense é gerado. Esse especial é bem... único... e é mais uma diversão letal do que tudo, causando um enorme dano em área enquanto o herói e seus amigos brincam.



Além de tudo isso, tem o fato do protagonista contar com 3 Keyblades diferentes ao mesmo tempo, pela primeira vez. Ele pode alternar entre elas usando o direcional, desde que as tenha equipadas (o jogador escolhe quais as 3 que usará antes da luta, no inventário).

Cada Keyblade tem mais de 1 forma, pra variar. A cada vez que a barrinha de especial carrega, a Keyblade pode mudar de forma e ficar muito mais forte, e inclusive, deixar de ser uma chave, e virar outro tipo de arma, como um Martelão, um Ioiozão, coisas assim. Ai deixam de serem Chavadas na galera pra virarem Pancadarias mesmo.

O que inclusive é bem divertido além de dinâmico só pra constar, pois além de trazer a tona um dos elementos anteriores de KH, as "Forms" só que bem mais animadas e justificadas (não é só a roupa, mas a arma), ainda faz render e valer a pena a troca de armas constante, não apenas por mera melhora de força, mas pra gerar combos também, ou só pra se divertir.

E tem a possibilidade de usar até 3 keyblades intercaladas, permitindo guardar as formas quando elas forem alcançadas e usá-las só quando desejado. O tempo só é consumido quando a arma tá equipada, assim sendo possível realizar grandes combos inclusive de especiais.



Aliás, KH3 busca utilizar e misturar elementos clássicos KH com o que foi mostrado em DDD, ou seja, aquelas acrobacias loucas tão presentes, sendo possível subir e andar em paredes livremente...



Pular e voar por aí... Isso antes mesmo de liberar a habilidade de voar, onde pulando na parede, da pra dar um impulso com quadrado...



Mas perto do fim do jogo, é possível voar segurando o botão de bolinha...

E muito mais, tudo dependendo é claro do que estiver equipado na grade de habilidades com os pontos (AP) que são conquistados pelos leveis, por itens que aumentam o Ponto Máximo em +1, ou por equipamentos.

E claro, o protagonista pode equipar vestimentas e acessórios, além de suas 3 Keyblades. O número de vestimentas e acessórios máximo aumenta conforme seu level cresce, com base em suas escolhas no início do jogo (isso sempre ocorre).



Itens também podem ser usados, e até equipados em atalhos rápidos, mas é preciso equipa-los também no inventário do personagem como um equipamento, sempre antes de lutar.

Além disso, há sempre os aliados, Donald e Pateta, que equipam respectivamente um Cajado e um Escudo, além de também terem Vestimentas e Acessórios, os mesmos do protagonista.



A cada mundo visitado surge um aliado novo, e ele tem suas próprias habilidades, level, e equipamentos, sendo possível também equipa-lo com as coisas que tiver no inventário se quiser. Mas, esse aliado sempre fica apenas nesse mundo.

O bom é que dessa vez, os aliados permanecem o tempo inteiro com o protagonista, não apenas em cutscenes, mas em batalha, e em movimentação também, sempre. Tudo fica mais rico e interativo.

A movimentação é tão fluida, mas tão fluida, que as próprias cutscenes se misturam e somam ao gameplay de forma quase indistinguível, exceto por aquelas que são visualmente muito mais trabalhadas e evidentemente cinematográficas. Mas, boa parte do jogo é em tempo real.

Existem muitas funções extras, e cada mundo tem suas pequenas particularidades, então, será melhor falar delas ao descrever os mundos, mas adianto que KH3 é uma jornada enorme.

Antes que me esqueça, também há um sistema de Mira e Tiro, e varia bastante dependendo do momento, do lugar e da situação. O protagonista consegue atirar com suas Keyblades, e algumas são até otimizadas pra isso, mas todas podem disparar lasers de energia, mirando por um tempo.

Isso permite também "teletransportar" para determinados pontos demarcados no mapa, apertando o Quadrado, ou realizar diferentes tipos de ataques, dependendo da arma e da forma equipada, e da quantidade de Alvos marcados. O número de alvos possíveis é estabelecido com base num contador que se recarrega numa barrinha laranja.



Na hora de mirar, o tempo fica mais lento, assim é mais fácil ir movendo o analógico pra selecionar os alvos, mas o tempo só fica assim enquanto essa barrinha durar, Se 30 ou mais alvos forem pegos, um ataque especial e bem forte é feito, variando de arma pra arma.



Além disso tem outros momentos de tiro, mas eu falarei quando descrever os mundos.



A única coisa que eu preciso deixar de fora da descrição dos mundos é a Nave Gummi.

Nave Gummi

Esse elemento, presente desde o primeiro jogo, nunca foi do meu agrado. 


Particularmente falando, sempre achei chata a ideia e o sistema de montar sua própria nave e viajar pros novos mundos, pelo tempo perdido no trabalho em vão.



Ver que insistiram tanto nisso pra chegar basicamente em lugar nenhum me fez perceber que, ou os caras tem planos grandiosos pra essa coisa, ou simplesmente tem uma fanbase que adora esse sisteminha e eu simplesmente não faço parte.



Ainda é preciso usar a nave pra viajar pros planetas, mesmo o herói conseguindo abrir portais diretamente pra eles agora, pelo menos contextualmente.



Na prática, os portais dele sempre levam ele anos luz de distância dos planetas, e ele precisa pilotar até eles. Os portais mesmo quase não fazem sentido seguindo esse sistema das naves Gummi mas, okay.



Agora, o jogo é livre. Com a nave pode-se ir pra qualquer direção no espaço, dentro é claro do campo espacial, que é bem grande (e pela velocidade da nave, fica ainda maior).

É possível acelerar, acelerar bastante, atirar, e mover ela pra cima, baixo e lados, pra virar.

Existem asteróides e alguns inimigos só que, batalhas só ocorrem em pontos específicos e previamente mapeados. Por isso, da pra evitar, apenas saindo da direção dos sinalizadores vermelhos na bússola.

Existem também segredinhos como cristais e pequenos planetoides, mas é coisa boba pra liberar novas peças pra nave.

Também há constelações, que podem ser fotografadas para liberar prêmios.



E aliás, sim, o protagonista agora tira fotos.

Ele carrega consigo um Gummifone, um celular, pra conversar com sua turma, que é parte do enredo, e além de ter acesso a alguns joguinhos pra passar tempo, e a um backup do livro do Grilo Falante, E-Book (New age!), ele também pode usá-lo pra fotografar as coisas, pra, principalmente, capturar imagens do Mickey escondidas por aí.



Essas imagens dão prêmios, quanto mais são encontradas, e ainda liberam um final secreto.

E bem, é isso. Agora bora falar dos mundos.

Mundos

Mundo de Hércules



O primeiro mundo encontrado por Sora e seus amigos é o de Hércules, agora guiado por seu coração, o que ocorre no final extra de Kingdom Hearts Dream Drop Distance. Ele abre o caminho na busca de uma dica de como recuperar seus poderes, uma vez que acordou sem as habilidades que deveria ter adquirido após passar pelo exame de Mestre, e Hércules é a primeira pessoa que ele consegue lembrar que passou por uma situação de perda de poderes e recuperação recente.



Assim sendo, seu coração o leva direto pra esse mundo, mas ele não chega no Coliseu como de costume. Dessa vez ele vai parar em uma montanha aleatória, onde ao chamar por seu amigo, acaba dando de cara com Hades, e posteriormente descobre seus planos recentes.



A versão atual do mundo de Hércules é a parte final do filme original de Hércules, abordando aquela parte final onde os planetas se alinham e os Titãs são usados por Hades para atacar o Olimpo e derrotar os outros deuses. Mesmo com as mudanças que ocorreram ao longo das várias intervenções dos Keybladers ao longo dos jogos, Hades mantém seu plano original e inclusive, descarta o auxílio de Malévola e Bafo, os quais fazem uma breve aparição.



O foco desse mundo é introduzir as mecânicas novas de KH3, além de nos fazer conhecer o desfecho da última grande história ainda não finalizada adequadamente, a própria do universo Hércules. O curioso é que ela é sim encerrada exatamente como no filme original, mesmo com todas as interferências, e até mesmo mudanças que e "erros" chegaram a ser corrigidas com pequenos adendos.



Bem, no final, Hércules e Sora se unem para deter os planos de Hades e enquanto salvam Tebas, e resgatam várias pessoas, passeando pelo vasto e inexplorado novo ambiente da cidade grega, o deus da morte ataca o panteão ao lado dos Titãs.




O diferencial desse mundo está nas pessoas sendo salvas, que dão recompensas.


Posteriormente, Sora e seus amigos sobem as montanhas até o Olimpo, enfrentando no caminho um titã velho conhecido...



E no fim, chegam no topo onde resgatam os deuses, e enfrentam todos os Titãs juntos.



Com o Olimpo salvo e Hades mais uma vez frustrado, e o segredo de Hércules revelado a seus amigos (que até então não sabiam de sua divindade), ele decide permanecer com sua amada Meg e ai, a aventura termina.



Sora vai nesse mundo para recuperar seus poderes, mas não consegue aqueles que queria, apenas algumas novas habilidades, entretanto, sai esperançoso e confiante nos conselhos de Hércules em seguir em frente lutando até o fim.



É assim que ele começa sua verdadeira jornada, guiando-se pelo seu coração, rumo a sua aventura no verdadeiro Kingdom Hearts 3.

Toda essa jornada é considerada Kingdom Hearts 2.9.


Mundo do Crepúsculo



Depois de um reencontro com Yen Sid, e Mickey e Riku, onde todos os planos são postos em ordem, e atualizados, os heróis são direcionados a suas respectivas aventuras. O rei e seu amigo iriam dar um jeito de resgatar Aqua, depois de irem buscar armas novas Merlin, quem estava treinando Kairi e Axel na arte da Keyblade.



Sora e seus amigos, equipado com uma nova roupa, iria buscar sua própria jornada independente, e assim, ele viaja novamente.



Perdido no espaço, ele descobre seu Gummifone, e ao ter contato com um dos seus novos aliados, decide buscar por Roxas, e uma forma de recupera-lo. Assim, ele usa seu coração pra abrir uma rota para o Mundo do Crepúsculo.



La, ele encontra Hayner, Pence e Ollete, fugindo de uma horda de Heartless, e já começa a aventura ai. 



Sem corações eram novidade no mundo do crepúsculo, afinal ali só haviam Incorpóreos na época de Roxas e a Organização, mas depois de um pouco de luta, eles conversam, e Sora explica que ta la pra tentar descobrir uma forma de resgatar e reaver a antiga forma daquele que ele sabia que ainda existia dentro de seu coração.



Após mostrar a icônica foto de Roxas com as cópias dos 3 amigos da versão virtual da Cidade do Crepúsculo, os verdadeiros decidem ajudar Sora a buscar por pistas dele no mundo real, e assim, eles passeiam pela cidade verdadeira.



Essa versão é bem menor que a versão vista em Kingdom Hearts 2. Geograficamente, é bem fidedigna, sendo semelhante, e até bem grande, além de riquíssima em detalhes e população (tem muitos npcs andando e conversando por toda parte) o que da mais veracidade ao fato de ser uma cidade.



Mesmo não sendo muito grande, tem agora uma parte com um "Cinema ao Ar Livre" onde passam filmes dos jogos de celular (depois falo disso) que Sora pode curtir. São na verdade os próprios jogos, mas são tratados como desenhos animados mesmo, e quando Sora os joga, é como se o realismo fosse altíssimo (pra quem nunca teve contato com tecnologia, deve ser mesmo). Curioso que Sora faz participações especiais nesses jogos e ele próprio não nota que é ele ali, sendo assistido por todos.



A parte da floresta é maior também, mais ampla, e é repleta de inimigos, mas só pode ser acessada por uma pequena e breve passagem pelos esgotos, diferente do grande caminho antes visitado na cópia virtual.


Depois disso, tem a mansão, que não é acessível, exceto por cutscene. Do lado de fora é a única parte que da pra visitar, mas no geral, é isso. La, Sora tenta entrar na versão virtual da cidade, sem sucesso, ai um aliado deles consegue, remotamente, pegar os privilégios do controle do terminal de la pra estudar melhor a fonte da outra Cidade Crepúsculo, e buscar por Roxas. Assim sora continua sua aventura, pra outros mundos.



No caminho até a mansão, ele encontra o Ratinho do Ratatouille, e o salva de alguns inimigos. Posteriormente, ele se converte em um aliado de um recurso secundário do jogo, que eu falarei depois.



Esse mundo é pequeno pois também é apenas uma visita rápida e referência ao passado de Kingdom Hearts. Tem algumas aparições da Organização, que eu comentarei depois, mas o que importa mesmo é que esse mundo serve como gancho pra história de Roxas e sua conexão com a nova jornada de Sora.

Mundo da Rapunzel



A jornada inicia pra valer quando ele começa a acessar os mundos novos, como o de "Enrolados", o filme da Disney em Animação 3D sobre a Rapunzel.



Sora visita a mesma história do filme, e influencia ela, bem como sempre costuma fazer, mas, dessa vez, ele segue a Ordem. Acontece que, depois do Exame para Mestre Keyblader, ele teve ciência de que é preciso tomar cuidado no que se faz nos mundos visitados, pois suas histórias não devem ser afetadas, para não prejudicar a Ordem Natural das Coisas. O trabalho dos Keybladers é resguardar a Ordem, lutando contra os Heartless, Incorpóreos, e qualquer ameaça a Ordem dos mundos, por essa razão eles tem as chaves, e o pleno acesso a esses vastos mundos.



Assim sendo, ele toma parte da história, se passando por personagens que faltam no enredo, ou apenas se disfarçando como parte desse universo. Mesmo Donald e Pateta sendo meio diferentes do comum, ninguém nota seus aspectos (é uma liberdade Disney), e o mesmo ocorre pra Sora. Porém em casos mais extremos, a magia de Donald adapta eles ao mundo, como aconteceu la no passado em Pequena Sereia e Rei Leão.



Em Enrolados, não é necessário adaptação. Sora e seus amigos se encontram com o aliado de Rapunzel e consequentemente, são incluídos na trama, por ele mesmo. A inclusão ocorre naturalmente, por decisão dele, então isso não afeta negativamente a história, já que um personagem da própria história puxa Sora e introduz ele como parte. Assim, o enredo prossegue normalmente e paralelamente ao que é visto no filme original.



O legal é que é tudo um enorme passeio, seguindo o roteiro, Rapunzel faz um acordo com seu sequestrador, para que, em troca dos tesouros de sua torre, na qual ela foi confinada por sua mãe durante toda sua vida, ela só deseja ser levada até a origem das luzes que aparecem no céu na noite do seu aniversário.



Sora e seus amigos viram guarda-costas do casal em sua jornada rumo a cidade de onde as luzes saem, por causa das criaturas nefastas, estas que não fazem parte do roteiro. Ainda assim, tudo vai se ajustando, com o auxilio de Sora.



No fim do passeio, repleto de encantos e surpresas, sempre por parte de Rapunzel e seu vislumbre com o novo mundo (e também arrependimentos repentinos por supostamente magoar sua mãe fugindo), Sora enfrenta criaturas bem poderosas e acaba até se separando dela, e conhecendo sua mãe, a bruxa, que só queria seu cabelo mágico no final das contas.



Rapunzel consegue conhecer a cidade, dançar bastante e até vira parte do jogo, dançar (o que lembra muito a jogabilidade de A pequena Sereia).



Esse mundo é mais voltado para pequenos favores para Rapunzel em sua aventura até a cidade do que para as batalhas ou aos impedimentos às distorções do enredo, como pegar passarinhos pra ela...



Ou brincar na água, ao mesmo tempo que se passeia pela vasta região florestal repleta de monstros.



Um diferencial é por exemplo, os momentos que Rapunzel ajuda Sora a passar por penhascos, balançando em seus cabelos... Mas isso só dura na primeira viagem por esse mundo, enquanto ela e Flyn são aliados.



Ela deixa de ser uma aliada no fim, quando o cabelo dela é cortado num ato de amor, mas enquanto aliada, ela ajuda muito com seu cabelão.


Alias, pra quem não conhece o filme de Enrolados, pois é, sinta-se perdido. A história do filme não é minuciosamente contada. Apenas alguns pontos são revelados, o básico do básico, e são bem fieis até: Rapunzel, foi mantida numa torre durante toda sua vida, tendo seu cabelo longo e loiro tratado por sua mãe, morena. Ela, seduzida pela curiosidade ao ver milhares de luzes todos os anos voando pela janela, decide abraçar um invasor de sua torre, e fazer um acordo com ele.



No caminho, ambos acabam meio que se apaixonando, e descobrem que as luzes, eram balões soltos em homenagem a princesa desaparecida do reino, durante seu aniversário. Rapunzel ainda não nota as coincidências, mas sua mãe a persegue, e acaba se unindo a capangas para capturar o amado de sua filha, e fazê-lo passar por um bandido que a abandonou. Assim, ela a acolhe, diz que o mundo é cruel, e a leva de volta pra sua torre do isolamento onde seria protegida novamente.



La, a ficha dela cai, e ela nota que é na verdade, a princesa desaparecida. Ao confrontar sua mãe, descobre a verdade, que suas madeixas são mágicas e a mãe que ela tanto amava era uma bruxa que usava seu cabelo para ter juventude eterna, só isso. Por fim, ela é forçada a ficar na torre, até que seu amado vai regata-la, uma vez livre dos capangas.



No final, ele é assassinado na frente dela, mas ela implora por uma chance de salva-lo, sendo impedida segundos antes, enquanto canta sua música mágica que faz seus cabelos brilharem, e seu amado corta seu cabelo, fazendo ele perder todo o brilho e ela ficar morena. Assim, a bruxa entra em desespero, envelhece rapidamente, e cai dura de cima da torre. Ele, por outro lado, antes de morrer, é salvo por uma lágrima de amor que cai da princesa, que o cura.


A mesma história acontece, só que no lugar dos capangas, temos um membro da Organização XIII, e ao lado do amado, temos o herói Sora e seus amigos para ajuda-lo.

Mundo do Toy Story



Algo diferente ocorre com os mundos Pixar, e é até bem curioso, pois parece que será um padrão de KH: Disney será uma luta para manter a Ordem, enquanto Pixar será uma jornada por uma possível continuação.



Bem, Sora entra no mundo dos brinquedos vivos de Toy Story, já dando de cara com Woody, Buzz e seus poucos e remanescentes amigos. Acontece que o quarto de Andy foi invadido com criaturas malignas, vários Sem-Coração, alguns disfarçados de brinquedos. Todos espalhando a desordem, mas o pior é que vários dos brinquedos de Andy, e até mesmo o próprio pirralho, sumiram.


Nesse mundo, a desordem já tomou o controle, pois o sumiço afetou a história que surgiria após Toy Story 1. Assim sendo, Sora entra no mundo em que ajuda os personagens já estão vivenciando a bagunça, mesmo assim, ele se passa por um personagem de um Jogo de Vídeo-Game, que surge exclusivamente no Toy Story visto em Kingdom Hearts (com um visual de Final Fantasy, mas totalmente fictício, chamado "Verum Rex") e assim, mantém a Ordem, ao menos por sua parte.



Alias, antes mesmo da aventura nesse mundo começar, um tipo de Trailer de "Verum Rex" é mostrado, e até confunde.




Parece que estamos em outro jogo, mas no fim é só Rex assistindo ao trailer do jogo que ele é fan.



Seguindo adiante, ele e seus novos amigos, partem para uma loja/shopping cheio de brinquedos amaldiçoados pelas trevas, em busca de respostas para o que houve com os demais brinquedos de Andy. Não há pessoas pelas ruas, nem pelas casas, mas tudo é bem amplo e explorável, com algumas limitações é claro, mas é bem maior do que o que era visto antes em outros jogos da franquia.



No "shopping" em questão, é preciso passear pelos andares e pelas muitas grandes lojas repletas de brinquedos, só que, nenhum deles tem vida, nenhum deles é como Woody e Buzz, os aliados desse mundo, ou os outros poucos brinquedos que estão juntos. Na verdade, todos parecem apenas brinquedos possuídos por Heartless ou pura maldade mesmo, e chegam a assustar, com movimentações quebradas (que lembram stop motion) e pausadas, além de bem mecânicas e sem qualquer emoção.



O destaque dessa fase fica mais pra possibilidade de usar Robôs Gigantes como Armamento e lutar contra outros inimigos que também o fazem, além de acessar certos locais com esse recurso.



Rola até um super Easter Egg de Final Fantasy (um Cactus, que é um monstro recorrente na franquia) que ajuda a passar por uma parte de difícil alcance e bloqueada, que precisa ser montada com blocos magnetizados por esses robôs.



Tudo isso é coisa nova, incluída por causa das distorções e confusões causadas pela presença dos inimigos. Acontece que o mundo visitado de Toy Story é uma cópia do verdadeiro, e apenas alguns personagens reais foram arrastados pra la, sem notarem. Por essa razão, eles acreditam que estão em seu mundo, mas na verdade, estão num tipo de simulação.



Tem até um momento que Sora entra num tipo de jogo de vídeo-game cheio de Robôs Gigantes, mas é apenas uma desculpa para colocar um monte de robôs em uma luta desenfreada.



Pra quem não conhece, Toy Story é a história de um mundo onde os brinquedos tem vida, graças ao amor das crianças que brincam com eles. Eles não falam com elas, é claro, mas quando ninguém os vê, eles conversam e brincam entre si. Nesse mundo, um cowboy chamado Woody conhece um astronauta chamado Buzz, que é o brinquedo novo de seu dono, Andy, e acaba competindo por atenção, tecnicamente, até descobrir que há espaço no coraçãozinho do garoto pra muitos e muitos brinquedos.


Em resumo, um resumo muito do resumido, é isso... mas a aventura na qual Sora surge, Woody e Buzz já viraram amigos de longa data, provavelmente depois dos eventos do primeiro filme e migrando pros eventos do segundo filme, mas, eles foram levados para uma outra realidade, pra serem estudados. Mas depois eu falo melhor disso.


Mundo do Frozen



O mundo de Frozen é bem simplificado na verdade. É basicamente uma montanha de Gelo e Neve que Sora e seus amigos sobem e descem o tempo inteiro.



Isso acontece pois eles entram no meio dos eventos do filme Frozen, já dando de cara com Elza tendo seus chiliques de gelo e tacando o "Let' it go" em tudo. Assim, geral congela, mas por alguns momentos, eles interagem com ela. Ao fazê-lo, se apresentam como visitantes do reino de Arendelle, para não prejudicar a Ordem.



Elza segue seu caminho até o topo da montanha onde constrói seu castelo de gelo, e é la que ela simplesmente começa a cantar. Rola a música clássica, e sim, Sora, Donald e Pateta fazem aparições, mas não participam da cantoria. Ainda assim é algo bem mais cara da Disney esse momento.


Depois disso começam as quedas. Os heróis defendem Elza de criaturas malignas que não pertencem a esse mundo. Mesmo ela tendo la seus poderes de gelo, acaba que ela não ajuda em nada. Pelo contrário, ela acaba mais ajudando uma vilã a criar todo um desvio de roteiro que mantém Sora e seus amigos fora da história dela por um longo tempo.



Boa parte do mundo é num Castelo de Gelo, mas não é o de Elza, e sim, um subterrâneo criado pelos vilões que nem desse mundo são, mesclados com o gelo que Elza gerou e a negatividade presente nele. Esse Castelo é subterrâneo, ao que parece, ou pelo menos fica fora de acesso ou visão de qualquer habitante da história, o que justifica o fato disso não interferir em absolutamente nada do enredo. É literalmente um enorme desvio, onde os heróis precisam ficar girando acrobaticamente em pilares de gelo pra acionar câmaras giratórias, ou elevadores, num tipo de labirinto congelado repleto de inimigos.



Há momentos de surfe no gelo, onde Sora precisa atirar em inimigos enquanto surfa numa linha mágica congelada. É algo bem rápido mas, vale mencionar.



Depois de sair desse lugar, eles chegam no topo da montanha, mas são jogados pra longe, graças a vilã da Organização XIII, que gera uma Avalanche que leva eles pra bem longe e mais abaixo na montanha, fechando inclusive a passagem anterior. Alias, a decida da Avalanche é um tipo de puzzle de surfe na neve, sem luta mas, com direito a esquiva dos Dragões gigantes de gelo que tentam devorar os heróis.



Depois de descer tudo, eles conhecem a irmã de Elza, o "namorado" dela, o animal quase falante da história, e Olaf, o Boneco de Neve, que acabam tendo de ajudar a remontar num puzzle bem engraçado.



Daí pra frente é mais distrações, e ai eles sobem de novo, até que encontram Elza, só que ela, ingrata, não quer visita, e invoca aquele Gigante de Gelo que joga todo mundo pra longe, outra vez, pra variar (depois de uma lutinha). É nessa parte que a irmã dela acaba sendo ferida no peito por gelo, e com isso, recebe a maldição de congelar se não encontrar o amor verdadeiro.



Depois disso, começa uma nova escalada, mas, no meio do caminho, Elza é vista sendo carregada pelo "pretendente" de outro reino, o verdadeiro vilão da história, que acaba nem interagindo pois os heróis nem tem tempo de participar direito do roteiro, de tantas distrações, ai eles tentam ajuda-la, mas acabam sendo distraídos por mais contratempos, como inimigos que surgem e pra variar, a tempestade de neve que é gerada pelo emocional abalado de Elza.



Aquele Gigante de gelo, criado por Elza pra expulsar os intrusos, acaba virando um aliado nessa parte, e eles forçam contra a tempestade pra chegar até o Reino e ajudar Elza e sua irmã. Inclusive, encontram o "namorado" dela, que descobrem não ser bem um namorado, e sobre a maldição do amor verdadeiro (os grupos estavam separados o tempo todo, sendo que Sora, Donald e Pateta foram afastados da história pelas distrações, então a história correu exatamente como no filme).



Daí, quando eles conseguem chegar no Mar Congelado de Elza, já se deparam com a cena final, dela sendo quase esfaqueada pelo "pretendente" e sua irmã se sacrificando por ela, antes de ser completamente congelada, entrando na frente.



É ai que uma luta final, contra um Heartless gerado da maldade presente no "pretendente" ocorre, separando Sora mais uma vez da trama principal, e levando ele pra outro cenário, depois é claro de mais um encontro com a vilã da Organização XIII, e depois, quando ele volta pro lago, Elza conseguiu mostrar o quanto ama sua irmã, liberando ela do feitiço que ela mesma jogou sem querer, e em seguida descobre como reverter seu descontrolado poder de gelo, descongelando o reino inteiro, que não pode ser visitado pelos heróis pois é ai que a história termina.



A participação de Sora, Donald e Pateta nesse mundo é bem menos presente e influente do que nos demais, o que sim, é uma pena. Da a impressão que tiveram preguiça de desenvolver o universo de Frozen mas, tem uma explicação bem sólida pra isso, mas depois eu comento melhor sobre. Ao menos ele conseguiu manter a Ordem.


Mundo do Monstros S.A.



Algo diferente ocorre no mundo de Monstros S.A., onde Sora e seus amigos se adaptam na forma de Monstros, e ficam bem bizarros (principalmente o Pateta).



Num cenário totalmente noturno, eles chegam na fábrica de Gritos em plena renovação, pois essa história é continuação do que é visto no primeiro filme (sendo o segundo filme, "Academia Monstro", um prequel). Aqui, eles acabaram de descobrir que Risos são melhores que Gritos, e já estão se adaptando ao novo tipo de extração. Além disso, a Porta da Buu foi totalmente reconstruída, e ta novinha em folha, e diferente do que muitos acham, Sulley, o monstrão Azul, não foi visitar ela só 1 vez, mas sim TODAS as vezes.



Ele criou o habito de ir la brincar com ela até ela dormir, como seu monstro do armário particular. O legal que apesar dele ser monstruosamente assustador (padrões Pixar), ele deve gerar vários Risos ao menos com ela. Pra quem não lembra, ou não sabe, no filme, Sulley assustava crianças para conseguir os gritos e era o melhor disso. Nesse mundo, gritos eram a melhor forma de energia, até que descobrem por acidente que risos são melhores.



Quando descobrem isso, o Mike Wazowski, que era o assistente e melhor amigo do Sulley, e super atrapalhado, vira o melhor coletor de risos da fábrica, sendo que Sulley vira seu assistente, invertendo os valores e papeis. Alias, tudo isso ocorre por causa de um vilão monstro chamado Randall que tenta tirar proveito dos gritos e tinha Buu como seu alvo principal, mas ele tinha sido isolado no final do filme...



O problema, é que agora Randall voltou. Sua porta também foi reconstruída, por alguém de fora desse mundo, só pra causar tumulto, e ele ganhou um exército de "monstros malvados". É ai que Sora chega a tempo de ajudar, se misturando aos monstros pra salvar a Fábrica dos Risos antes dela voltar a ser a Fábrica de Sustos.



Esse mundo conta com passeio pelas portas, onde Sora surfa e se pendura nas esteiras das portas, além de atirar, e apesar de serem momentos breves, são os mais marcantes.



Também tem partes da segurança da própria fábrica que foram sabotadas, causando vários transtornos, com direito a momentos de esquiva e rebaixamento, além de mais tiro.



E por fim, tem momentos de incêndio, onde o vilão decide literalmente tacar fogo na fábrica pra queima de arquivos. É bem tenso, mas Sora ajuda os monstros a salvar o enorme mapa, e até mesmo aquela equipe Anti-Criança, aparece pra ajudar a apagar o fogo, mas eles não chegam a lutar contra os monstros ruins, pois ficam ocupados tentando apagar o fogo (Sora e os outros precisam lidar com as criaturas).



O mais interessante é que nesse mundo, além de Sem Corações, tem Unverseds, por causa do membro da organização responsável pela influência negativa nele.



O cara queria a todo custo fazer o pesar, o mal, a negatividade dos gritos voltar a dominar esse mundo, então fez o que fez, só pra provar um ponto de sua tese. Mas no fim, os monstros ajudam Sora tanto quanto Sora ajudou, fazendo o melhor uso das Portas possível.



O vilão desse mundo não acaba virando um heartless nem nada assim, e nem chega a lutar, pois perde bem antes disso. Ele é despachado pro mesmo destino do filme, outra vez, e agora, Sora tranca a porta com o poder da Keyblade, o que simplesmente faz ela virar poeira estelar.



Como os outros filmes Pixar, esse gera um tipo continuação, o que é muito interessante, pois essa é uma continuação totalmente própria pro mundo Kingdom Hearts. Não é canônica, por enquanto.


Mundo do Piratas do Caribe



Talvez o melhor de todos os mundos em Kingdom Hearts, quando Sora visita Assassin's Creed 4 - Black Flag... digo... Piratas do Caribe 3, é muito legal!



Basicamente, Sora é distraído o tempo inteiro, pra não atrapalhar na história pesada e complexa dos Piratas lutando pelo domínio do mar contra a Marinha que se aliou ao Pirata nefasto dos mortos, o Devy Jones (Capitão Polvo). Mas nada impede que ótimas cenas como o encontro dele com Jack Sparrow, dentro do Baú de Devy Jones, naquele deserto gigantesco, navegando no Pérola Negra, com ajuda de milhares de Caranguejos Brancos, ocorram.



Alias, Caranguejos Brancos, são praticamente a parte principal do jogo, o grande easter egg e foco do que tinha no filme e foi puxado pra cá, e meio que explicado melhor. Sora e seus amigos, até começam a aventura em auto-mar, mas ai caem no "fim do mar" e vão parar onde Jack estava, é la onde tem o primeiro contato com Caranguejos Brancos.



Pra quem não assistiu o filme, eu explico: Eu não sei.



Na verdade, eu assisti, algumas vezes até, mas é bem confuso pra dizer a verdade. Ele é muito bom, mas ele é bem sombrio em comparação aos outros filmes de Piratas do Caribe (o que da certa estranheza a escolha pra adaptação considerando a censura que o primeiro filme teve ao ser adaptado no segundo jogo de KH) mas, rolam algumas ajustadas leves de câmera, pra esconder as partes feias, e como o protagonista fica longe da história principal o tempo inteiro, ou pelo menos a maioria dele, quase nem faz diferença conhecê-la.



A parte que importa mesmo, são os Caranguejos Brancos. Eles na verdade (spoiler) são fragmentos da Deusa do Mar, a Calypso (Calipsoooo... foi mal... tenho problemas). O filme explica, sem explicar, mas ela ajuda Jack desde o instante que ele pisa no mundo dos mortos, até sua saída, e permanece ajudando, com seus fragmentos.



Ela só assume essa verdade no final, quando fica gigantesca, e depois se divide em milhares de caranguejos, voltando ao mar. É meio complicado entender isso, que ela estava com Jack la no deserto e tal (eu mesmo custei pra entender...), mas em KH isso é um pouco mais abordado.



Tia Dalma (como ela se chama em forma humana e disfarçada) é a verdadeira aliada dessa jornada, mantendo o Keyblader afastado da grande história nos momentos em que ele não é necessário, e preparando-o pro verdadeiro embate, contra o Kraken.



Bem, toda a história do filme gira em torno de quem controlará o mar, ao pegar o Baú do Davy Jones, que contem seu Coração. Quem pegar e esfaquear o coração, substituirá o mesmo com seu próprio, e assim, ganhará o domínio pleno das águas dos oceanos, com direito a controlar o navio imortal que recolhe as almas dos mortos, o Holandês Voador, e o próprio Kraken. Só que, os piratas querem impedir isso, ai tem toda a viagem até o mundo dos mortos pra buscar Jack (que morre no segundo filme, talvez por isso pularam ele em adaptação) e que tava na verdade preso no Baú do Davy Jones (eu sei la o que isso significa, mas é com ose no mundo dos mortos tivesse uma divisão só pras almas que o cara coleta, que ele também chama de seu Baú, só pra confundir mais). Só que Sora já chega la dentro, encontrando ele, e sua aventura começa com uma luta já depois de um monte de cutscenes.



Eles saem do mundo dos mortos, e são atacados por monstros em pleno mar aberto. Ao invés de rolar uma batalha marítima, acontece uma luta aérea, onde sora literalmente pula nas costas de heartless voadores e atira contra um Dragão gigante.



Ele também pode surfar em nuvens de fumaça expelidas pelos inimigos, e se isso não bastasse, ele pode simplesmente pular na água e nadar, mas nessa parte, o foco é a luta no ar.



Depois disso, Sora acaba se separando dos piratas, e se encontra naufragado com Donald e Pateta numa ilha isolada, com Jack ao seu lado. La, ele encontra um Navio novinho em folha, depois de nadar pra caramba, e lutar contra alguns inimigos marinhos e águas-vivas.



Daí pra frente, o jogo vira um ode a Assassin's Creed Black Flag. Sora pode pilotar o navio, que achou, com dois tipos de visões possíveis, uma do Timão...




E tem a visão de fora do barco (mas eu preferi jogar com a visão de dentro do barco mesmo).


Da pra atirar contra outros navios que aparecem, e se ele acertar os pontos fracos, consegue abate-los num único disparo. Alias, esses navios são pilotados por heartless.



Pode também acelerar, levantar um escudo de água provisório, e se derrubar muitos inimigos, pode até fazer especiais bem mentirosos... mas né, é Kingdom Hearts.



Em algumas lutas, um navio mais forte aparece, e depois de conseguir quebrar todos seus orbs de proteção, ele é invadido ao estilo pirata, e rola luta a bordo, tendo tesouros valiosos como recompensa no naufrágio.



E se tudo isso não bastasse, há ilhas, espalhadas pelo vasto mar, que podem ser conferidas na carta náutica.



Elas podem e devem ser visitadas e exploradas, em busca de Caranguejos Brancos, Símbolos do Mickey e tesouros. É muito louco como as ilhas são grandes e vastas, e as explorações ocorrem tanto acima quanto abaixo delas, é algo que é divertido e muito longo, e nos faz perder horas sem nem perceber.



Pra variar, ainda temos o Porto Principal, Port Royale, onde é possível explorar em busca de mais caranguejos brancos, que Jack mesmo pede pra fazê-lo em certa parte da aventura. O legal, é que enquanto em KH2, o mapa de Port Royale era bem minúsculo, mas bonito de certa forma, esse é estonteante e gigante.



Praticamente replicaram a ilha inteira, ao menos tudo o que é visto no filme, com pessoas andando, comerciando (eu vi um cara trocando ideia com umas mulheres da vida... mas passa batido pra crianças hein, pois o diálogo não é explícito), sem loadings, apenas o passeio livre pela vasta paisagem, do que parecem ser duas cidades separadas (sim, da a entender, de tão grande que é, que são duas vilas diferentes) e a prisão, que também é acessível. Até aquele ponto, onde Jack foi quase enforcado, a praça do sino, ta no jogo, tudo com uma fidelidade visual e geográfica riquíssima.



E da pra pular na água ainda, e sair nadando, inclusive embaixo dela.



Deus, que parte linda do jogo, e grande.



Nem da pra notar que é tudo mera DISTRAÇÃO! Pois enquanto o jogador ta la curtindo isso tudo, a história do filme ta rolando, e quando Sora decide ir ajudar, já ta no final da aventura, com a luta final dos piratas no mar, e o Kraken aparecendo.



Ah, os Caranguejos Brancos servem pra upar o Navio, que pode chegar até o nível 9. Ao alcançar esse nível, libera-se o Pérola Negra em Port Royale e da pra escolher com qual navio navegar, só pulando nele e velejando por ai.



Porquê eles servem pra upgrade? Bem, o navio que Sora achou, é feito de Caranguejos Brancos, da mesma forma que o Jack Sparrow que ta com ele.



Acontece que a Calypso manteve ele distraído, com essa cópia do Jack, e com um navio pra ele, dando o suporte pra ele evoluir e ficar forte, pra ajudar na luta final pelos mares.


No fim, Sora chega a lutar, derrota o Kraken e o Holandês Voador ao lado dos piratas, e assiste o estranho embate pelo Coração de Davy Jones, onde Will Turner é ferido mortalmente, e Jack decide que pra salva-lo, a melhor forma era ele removendo seu coração e colocando no baú.



Assim, Jack usa a mão de Will pra esfaquear o coração, matando Davy Jones e tomando o navio, e o oceano, pra Will. O tenso é que tem uma maldição nisso ai (sempre): Quem tem o coração no baú, permanecerá 10 anos no mar, e 1 dia na terra.



Ai Will naufraga com o navio, mas retorna no final, regenerado, e comandando o mesmo, pra mostrar pra marinha quem manda no mar: A pirataiada mermão.



Bem, o navio do Sora se transforma em caranguejos brancos depois, e é ai que fica claro que ele era a Tia Dalma. Logo, ela tava com Sora o tempo todo, sendo seu aliado.


Mundo do Big Hero 6



O último mundo, da Marvel (yep!) com a Disney, eis Big Hero 6, mas numa continuação.



Os heróis estão se adaptando ao novo Baymax, quando surgem as ameaças monstruosas de outro mundo, os Heartless e Incorpóreos. Sora ajuda, e depois disso, é convidado para a base secreta deles: A garagem de Hiro.



La, um novo panorama do grupo é mostrado, onde o garoto se tornou meio que o navegador da equipe, enquanto os demais fazem o trabalho pesado, incluindo Baymax. Creio eu que, considerando a influência de Sora, ele tenha alterado algo na história de certa forma, mas isso não prejudicou a Ordem.



Inclusive, ele conta que é um "Super Herói" e os monstros que eles enfrentaram são seus arque-inimigos, explicando o básico para o grupo que conhece, sem revelar de mais (talvez, esse seja o mundo que substituirá Hércules futuramente).



Pela forma que Hiro age, da a entender que ele duvida de suas capacidades e forma de contribuir ao grupo, quase como se tivesse sofrido algum ferimento muito sério em batalha. Creio eu que na história original que se seguiria, ele teria perdido os movimentos das pernas ou algo assim, e ficaria desmoralizado, mas Sora aparece e isso salva ele desse destino, mas ainda assim, ele fica se sentindo menos "útil" que os demais.



Só que nada foca nisso, na verdade todos ficam mais surpresos pelo "Keybladers 3", e acabam oferecendo um treinamento básico para eles, pra analisar seus movimentos. É quando rola um passeio pela San Frantokyo (eu sempre leio um palavrão...), em vários aros virtuais, com lutas contra inimigos virtuais, gerados pelo banco de dados de Hiro.



Alias, Sora não usa nenhum disfarce nesse mundo, nem Donald ou Pateta, mas ele usa um Óculos que Hiro prepara pra ele que permite ver tanto os sinalizadores virtuais, quanto inimigos gerados, e as barreiras na cidade (pra limitar a exploração).



Depois disso, os membros do Big Hero 6 se inspiram nas habilidades de Sora e decidem se atualizar, cada um criando novas diretrizes para que Hiro desenvolva.




Depois de um bom tempo, todos se atualizam com sucesso, com a ajuda de Sora, Donald e Pateta.


Mas ai também surge um novo inimigo, usando uma tecnologia antiga, os Microbots, modificados (em forma de cubos). O grupo passa a caça-lo, mas logo no primeiro embate, todos acabam derrotados.



Depois disso, descobrem que tem dedo de inimigos do Sora nisso ai, e que o mesmo visitou a dimensão onde os microbots foram jogados e os removeu de la, mas pra piorar, Baymax também foi removido.



No filme, o grupo de heróis se forma pra combater justamente essa ameaça, os microbots, que são uma tecnologia criada pelo próprio Hiro, mas que são roubados por um vilão e usados contra ele. No fim, Baymax se sacrifica, num portal dimensional, pra salvar Hiro que sempre viajava em suas costas, e uma moça que tava presa em outra dimensão. O robô fica pra trás, mas seu chip de memória original é levado, e usado pra criar um novo Baymax.



Bem, o novo vilão, depois usar seus microbots pra quase acabar com o grupo, e ter o ponto fraco deles descoberto por Hiro em sua base de comando, acaba se revelando e, traz a tona Baymax, o antigo corpo, com um chip maligno.



Hiro tinha desenvolvido um chip de batalha para Baymax, que fica em seu antigo corpo, mas não era essencial. Ele tinha somente comandos perversos, e ele o fez quando estava com raiva, mas tinha superado isso. O vilão, decide usar esse chip, que nesse mundo é como um coração, para provar que a essência do mal pura é a perfeição. Assim, ele recolhe todos os dados dos microbots e coloca no chip, e depois, coloca ele no corpo antigo de Baymax, criando assim um Baymax do mal.


Hiro fica de fora da luta, mas é bem difícil pra ele superar o encontro com seu velho amigo, mesmo ciente que aquele não é mais o mesmo Baymax, e que o novo que ele fez ta com a memória antiga. Assim, Sora que cuida da luta, montado no Baymax novo.



Depois do confronto, o robô se descarrega, e Hiro decide destruir o chip, independente de ser seu coração. É uma escolha difícil mas, ele faz pelo bem de todos, e pra variar, ele manja muito de programação.



Então ele cria um novo chip, e assim, faz um segundo Baymax surgir no corpo do original, usando a memória original.



Ai fica tendo 2 Baymax no Big Hero 6.



Bem, esse mundo tem como destaque somente o esquema da visão virtual, e o passeio pela cidade. É só um mapa, bem grande, e alto, com vários prédios, mas nem se compara ao que é visto em Piratas do Caribe. Quando Sora libera a habilidade de Vôo, fica bem pequeno visto de cima.



Da pra surfar muito nos cantos das pontes e estradas, além do metrô, e da pra voar nos balões meteorológicos clássicos da cidade.


Além disso, tem os desafios dos heróis, mas não são nada além de passar por aros voadores no menor tempo possível.

Mundo do Ursinho Pooh



Merlin acaba convocando os heróis pra um chá no restaurante do minichef la na Cidade do Crepúsculo. La, ele apresenta o Livro do Pooh, mais uma vez com problema na capa.



Só que dessa vez, nenhuma página foi arrancada. Sora entra no livro sem desperdiçar tempo, e encontra seu amigo, alias, todos seus amigos, e um novo, o elefantinho (tudo tem um visual mais animado nesse mundo).



Todo mundo logo de cara, presente, na Casa do Coelho, chega a ser estranho pois a premissa sempre era todo mundo sumir, e Sora ir reencontrando um por um. Só que, aqui, todos só o encontram.



Ele então descobre que ninguém se esqueceu dele, nem mesmo Pooh, o que não explica o fato da capa ter perdido sua imagem.



É ai que ele decide ajuda-los num jantar, e da uma mão pro coelho na colheira de verduras, frutas e flores. São 3 puzzles, basicamente iguais, com algumas pequenas diferenças.



Verduras, ele precisa jogar as frutas certas na direção que quiser, com a força certa e controlada, pra que atinja um número grande ou pequeno (depende do objetivo que o jogador quer) pra combinar o máximo possível, apagando o que foi combinado, e o que combinar em sequência.



Se muitas combinações são feitas, o Coelho se empolga, pula na plantação e sai combinando tudo manualmente também até se cansar. O objetivo mesmo é fazer ponto até pegar bastante verdura. Da pra pedir ajuda do Tigrão que sai pulando na horta também, mas eu nem precisei.



Na de frutas é quase a mesma coisa, só que as frutas rolam pra baixo de tempos em tempos...



Então tem que ser rápido pra acumular pontos antes que chegue na base e encha o campo de frutas. Da pra pedir ajuda do Elefante, quando um bastante frutas são coletadas, mas eu nem prestei atenção nisso na adrenalina (só notei agora, ao ver as fotos, acredita?). Acredito que ele drene um pouco das frutas no campo.



No de flores, que é mais pra que Pooh tenha mel (ele coleta mel usando as flores, é um plano bem esperto do coelho, pois onde tem muita flor, tem polinização, e assim, tem mais abelha, logo, mais mel.



O jogo é a mesma coisa, só que o Topeira ajuda de vez em quando com um especial onde cava por baixo e faz combinações rápidas, desde que seja carregado.



Depois de ajudar todo mundo, e todos ficarem felizes, Sora entende o que houve. Ele não foi esquecido, apenas não faz mais falta. É meio cruel, mas, ele parou de visitar Pooh, as histórias aconteceram, e com o tempo, ele começou a virar uma página antiga, só isso.



Chega a ser curioso, a cada renovação da capa do livro, uma nova imagem aparece, mas Sora nunca se perguntou "O que houve com a anterior?", então, é isso que acontece. As histórias novas vão substituindo as antigas, e por mais importante que um amigo seja, com o tempo, outros surgem (mensagem pesada kkk).



Claro que não é exatamente isso que quer ser passado, pois no fim, Sora diz não esquecerá Pooh e vice versa, e buscará ser mais presente na vida de seus amigos (irônico... irônico pacas, pois aparentemente, ele jamais voltará, e já pressentia isso).



E com uma única viagem, encerra-se a passagem pelo mundo de Pooh.


Mundo das Sombras



Esse não é um mundo totalmente visitado. Na verdade, Riku e Mickey entram bastante nele, graças a habilidade que Mickey desenvolveu com a Keyblade do mundo das Sombras que obteve na aventura com Aqua. Ele pode entrar e sair de la quando quiser.



La, eles buscam por Aqua. Demorou, mas eles finalmente estão indo ao seu encontro, o problema é que ela já está perdida nas trevas.



Na primeira viagem, Riku quebra sua Keyblade clássica de tão pesadas que as lutas são la, e isso ocorre com os Sem-Coração mais simples mesmo, que la, ficam poderosíssimos. Imagina o que houve com Aqua durante os 10 anos que ficou la, andando, sem sua arma (a Keyblade dela a deixa em dado momento).



Depois eles voltam com um armamento melhor, mas ainda assim é bem difícil (nessas horas, Riku é controlável). Quando Aqua aparece, ai sim as coisas ficam tensas, pois ela pega a Keyblade nova de Mickey e desce o sarrafo em Riku, até que ele invoca Sora.




Curiosamente, nessa parte da história, Sora tava já indo ao encontro de Riku.



Ambos se encontram na mesmo momento em que precisavam, usando O Poder do Coração. Uma conexão entre os corações que a Keyblade pode gerar. Assim, uma porta direto pro Reino das Trevas se abre, levando Sora pro lado de Riku, e pra salvar sua pele na batalha contra Aqua.



Alias, Sora é ajudado pela Keyblade de Aqua, que tinha se projetado nas Ilhas do Destino, a terra natal de Sora, e onde eles se conheceram (mas ele não se lembra). A Keyblade o ajuda a encontrar o melhor ponto pra se conectar com Riku.


Mundo do Fim



Sora morre.


Na verdade tem tantos momentos em que coisas como a morte ocorrem que, fica até difícil lembrar tudo, mas ele morre definitivamente dessa vez, mas não é exatamente o fim.



Acontece algo bem pesado, e ele perde todas as esperanças, e acaba se entregando, com isso, seu corpo, e seu coração, ambos, são destruídos, sem tempo pra gerar Heartless ou Incorpóreo, ele apenas morre.



Mas, ele da sorte, pois um elo com a Keyblade o vincula com o Mundo do Fim.



Acontece que Sora já passou por esse mundo outras vezes mas não chegou a notar, ou pelo menos nunca deu importância. Em sua jornada, ele já esteve a beira da morte, ou entre os mundos, e entre a vida e morte, e esse mundo esta la. Assim, ele foi percebido, mas nem sempre ele notou.



Dessa vez, ele não teve escolha, ele simplesmente surgiu la e de la não pode mais sair. Sora foi projetado no mundo das Almas.



Coração, Corpo, Mente, e agora, Alma. Esse conceito ainda não tinha sido totalmente apresentado em Kingdom Hearts. Almas são como as Mentes, as memórias mesmo. Alias, acho que nem é justo separa-los pois, são basicamente a mesma coisa. Apesar de uma alma poder ser gerada do nada, nascendo de memórias novas... na prática, é a mesma coisa, só que almas tem uma existência física a parte do coração.



Curioso isso né? No mundo do fim, Sora encontra várias Almas, em forma de Estrelas. Ele próprio seria uma, mas ele acaba mantendo sua forma física, pois de alguma forma, seu corpo o acompanhou ao mundo do Fim.



O problema alias, é que o seu corpo se fragmentou espiritualmente em várias e várias partes, em vários e vários Soras, e ele precisa montar tudo antes tentar se tornar um único Sora novamente e reassumir seu eu verdadeiro.



Mas ainda assim, sua forma espiritual se mantém transparente, mas humana. E essa forma interage com as estrelas no outro mundo, estrelas essas que lamentam por seus assuntos inacabados.



Alias, nesse lugar, não ficam todas as almas, mas apenas aquelas que ainda tem assuntos pendentes no mundo dos vivos e se recusam a partir, mesmo não tendo como voltar. Isso só ilustra ainda mais a precária situação de Sora.



A sorte dele, é que no mundo real, alguém estava mantendo seu corpo, e seu coração, vivos, ou ao menos motivados a viver: Kairi. Por isso ele continua agarrado a essa vontade de continuar, ao ponto de se projetar.

Assim ele luta pra voltar, e no final, consegue.



Nesse mundo, ele tem ajuda de um gatinho espiritual fofo, que está preso la. Esse gatinho pertence a outro Kingdom Hearts, o de celular, e ele quem da as dicas de como sair, se convertendo num aliado de Sora, mas ainda mantendo distância.



Também é nesse mundo que Sora encontra a alma de Naminé, que saiu do corpo de Kairi quando ela foi derrotada (sim, todos foram derrotados e chegaram a um estado parecido com o de Sora, mas acabaram presos por uma criatura sombria. Kairi está em uma situação diferente, mas ela acabou sendo separada de Naminé). La ele consegue ajuda dela, de certa forma.



Ele conhece uma outra alma, que tem destaque, com voz falada, mas, não tem seu nome revelado. Eu jurava que era Xion (falarei dela depois) mas, não era ela. Então não da pra saber quem é. Mas ela diz seu nome pra Sora, em voz baixa, e ele fica surpreso. Ela diz que é segredo, e ele promete tirar ela de la, mas fica bem misterioso.


Cemitério de Keyblades



O Grande cemitério o palco da batalha final. Ele apareceu em Birth By Sleep, e ta de volta, agora com direito a vários e vários momentos épicos, sendo inclusive cenário de um tipo de Paradoxo Temporal.



Bem, o cemitério de Keyblades é onde todas as armas daqueles que lutaram na Grande Guerra da Keyblade morreram. Essa guerra é contada no jogo de celular, onde cada jogador incorpora um dos membros do exército, e vive suas aventuras antes, durante e após a guerra (é complicado, mas eu explico na análise própria dele).



Tem vários momentos épicos nessa parte, lutas em campo aberto, um labirinto com 13 chefes sequenciais bem poderosos, e tem até um Mar de Inimigos Aberto ao meio... mas esse é em cutscene.



O que importa é que, é aqui que os heróis são derrotados, e mortos (sim, mortos), e é aqui onde eles vencem, ao mesmo tempo. É aqui onde a profecia da Luz sendo totalmente apagada pelas Trevas se conclui, e aqui onde ela é reescrita, tudo graças a Sora.



A parte mais importante, é a luta contra as trevas personificada. Quando todo o mal dos Sem-Coração se acumula e ataca os heróis, acontecem duas coisas: Primeiro todos morrem, depois todos vencem.



Na primeira vez, a ocorrência é catastrófica, um pequeno erro causa a queda de todos, e é por isso que Sora morre. Mas ele reverte isso, e é ai que o Paradoxo é gerado.



Na segunda vez, Naminé ajuda Sora, trazendo um aliado novo pra esse mesmo cenário, nesse mesmo evento, e mudando completamente a história. Quando isso ocorre, o jogo vira e um outro evento incrível surge.



Sora ganha forças pra enfrentar o mal em pessoa sozinho, mas com seus amigos lhe dando forças, e nessa hora, literalmente, os Keybladers do passado lhe dão suas forças.



Todas as Keyblades do cemitério voltam a vida e ajudam na luta, voando pro ataque e respondendo aos comando de Sora. O ataque poderoso que é gerado, é ilustrado pelos nomes de cada jogador do jogo de celular (queria ver o meu la! mas provavelmente não colocaram o nome de todo mundo né!).



Pra iniciar o ataque, um dos protagonistas da história do celular aparece, e oferece seu suporte. É assim que a batalha é vencida.



Depois disso, é história.

Mundo do Passado



Kingdom Hearts é aberto, no final das contas. Tudo era um plano muito bem orquestrado por Xehanort, o vilãozão desde o princípio. Cada mundo visitado, cada batalha gerada, tudo era parte do plano. No final, tudo da certo, e ele consegue o que queria.



Ele conquista χ-Blade, a Keyblade mais poderosa de todas, a única e verdadeira, a original da qual as demais forma copiadas e criadas. Ele a usa pra abrir o verdadeiro Kingdom Hearts, e com ele, chega ao seu próprio mundo, sua cidade natal. La, ele da inicio ao seu plano final, o reinicio de tudo. Ele quer apagar todos os mundos e cobri-los de trevas, aniquilando toda a vida, pra que das trevas surja a vida novamente, vida pura, a luz. Ele quer meio que produzir o "segundo Big Bang", com ele ali, pra liderar a nova existência, pelo caminho da pureza.



Só que Sora vai atrás dele, com ajuda de seus amigos, ele usa o Poder do Coração pra se ligar a Xehanort e alcança ele em seu mundo, e la, o enfrenta de várias formas...



Com isso, a história chega ao seu desfecho... mas acredite, ainda ta muito longe de realmente acabar... tem muita coisa que eu não contei. Falarei de cada personagem agora, individualmente, e explicarei de forma resumida suas histórias. Espero que assim fique bem fácil de compreender a história de Kingdom Hearts 3 em seus mínimos detalhes.



Esse mundo é o mundo onde ele passou sua infância. De alguma forma, Xehanort saiu de la e foi parar nas Ilhas dos Destino quando se tornou adolescente, e esse mundo ficou inacessível por algum motivo, pelo menos, parece deserto. Ele só vai pra esse mundo, pois Sora usa os "Vinculos" que ele tinha no tempo pra tentar tranca-lo. Como a versão Infantil dele jamais foi usada por seu grande plano, a tentativa era válida... 

Personagens

Sora

O protagonista, desde o primeiro jogo, sempre foi o centro de toda a franquia, toda a história. O elo da amizade de todos, o hospedeiro do coração de muitos, literal e figurativamente. Sora chega a sua última aventura.



Tudo o que podia ser feito, foi feito, exceto se tornar Mestre Keyblade. Ele conseguiu todas as habilidades de um, mas ainda não foi condecorado como um. Não deu tempo para isso.


Sora manteve guardado em si o coração de Roxas, Ventus e Xion, três pessoas com suas próprias e trágicas histórias, e no fim, ele fez questão de fazê-los ressurgir no mundo, individualmente, independentemente, e livres para viver.



Sora protegeu vários mundos, e trouxe a ordem pra eles, auxiliou vários personagens de muitas realidades e os ensinou o quanto a amizade pode ser poderosa e reconfortante.



Sora salvou Riku das trevas, e o guiou direto para a luz, como um farol, ao ponto de fazê-lo se converter no único condecorado mestre Keyblader da nova geração. Sim, aquele que tinha mergulhado de cabeça nas trevas, usado como fantoche pelo mal para um plano sombrio, se perdido e ficado cego pela escuridão, se converteu num mestre, tudo graças a Sora.



Ele ajudou Donald e Pateta a encontrarem seu rei, todas as vezes possíveis, e no caminho, estes se tornaram seus maiores e inseparáveis parceiros e aliados.

Sora criou um laço tão forte com tantos, que seu coração pode leva-lo a qualquer lugar, só com a mera vontade. Ele esta ligado a própria amizade.



No fim, até mesmo os vilões, aqueles mais nefastos, se converteram, em aliados. Até mesmo o mais terrível deles se tornou um aliado, e cedeu-lhe o poder maior: A χ-Blade.

Sora é a Luz.


E no fim, ele salvou Kairi.

Pateta e Donald

Nunca saíram do lado de Sora, e quando saíram, foi por força maior. Eles estiveram com ele ao ponto de ser o complemento de suas maiores fraquezas.



Donald o estressado, Pateta o bobalhão, ambos cresceram ao lado do herói e juntos, viraram os maiores heróis dos mundos.



Donald se tornou um arcano exemplar, capaz até mesmo de conjurar uma magia tão poderosa, mas tão poderosa, que sozinha aniquilou um inimigo que ninguém deu conta, além dele é claro (mas se esgotou com isso).



Pateta, é genial, e sempre conseguiu bolar as maiores estratégias para contornar as situações mais precárias, sempre visando proteger o grupo inteiro.



Agora, os dois estão em completa comunhão com Sora, e fazem vários ataques em parceria com ele, e no fim, eles são sua salvação.

Riku

Mestre Riku, com seu novo visual, entregue por Yen Sid, acabou perdendo sua Keyblade sombria clássica, que quebrou em batalha no mundo sombrio, a qual ele deixa pra trás.



Mas, no lugar, ele ganha uma Chave (de Carro ao que parece) muito mais forte, e mais robusta, e é implacável. Não chega a ter as formas que Sora tem, mas ainda assim, ele é poderoso, e tem seu próprio estilo de luta.



Riku tem o dever de resgatar Aqua, não apenas por ser um mestre, mas por ter o poder de Acordar. Essa ligação permite que mesmo que esteja perdido nas sombras, ele consiga sair e voltar pra luz, usando sua força de ligação. Isso lhe da uma segurança maior la.



Aqua deveria ter essa capacidade, mas ao que parece, não tinha energia suficiente pra isso, ou nenhuma ligação forte em mente. Mickey deveria ser sua ligação, mas acho que como ela perdeu sua Keyblade, ficou presa.

Enfim, Riku se tornou confiante, e muito ligado ao seu amigo, mas ele tem seu próprio fantasma, literalmente. Ao seu lado, tem um Riku espiritual, que o acompanha mas só ele vê. É o Riku Cópia que morreu a muito tempo, e ele conheceu.



Ele acaba o reencontrando nos domínios das sombras, e se liga a ele, e essa conexão serve de redenção pra ambos no final.



A cópia, que foi feita la no Castelo do Esquecimento (KH Re-Chain of Memories) era pra servir aos planos da Organização, mas criou consciência e no fim, se converteu num aliado em seus últimos suspiros. Antes de morrer, ele se redimiu e lamentou não poder existir, pois já existia um Riku. Só que, sua mente permaneceu vagando no domínio das trevas, até que Riku ficou em perigo e se ligou a ele.



Daí em diante, seu espírito o seguiu, e o auxiliou, esperando o momento certo para agir.



As pesquisas em cópias artificiais de corpos é algo que a Organização XIII estava fazendo e Riku foi a primeira que deu 100%, sendo assim, eles colocaram isso em prática mais vezes. Quando uma cópia vazia ressurge, o espírito tira proveito e... bem... depois falo disso.

Rei Mickey

O Rei, poderoso, acaba guardando suas forças pra luta final e, não usa pra nada no final das contas.


Ele pode parar o tempo, tem dons excepcionais, mas acaba por ficar de lado em muitos momentos.



Mickey parece meio cansado, não sei exatamente por que, mas ele não parece com poder total, e nos momentos em que luta, não está em seu máximo.



Mas, ele continua lutando, e se redime, reencontrando seus antigos aliados e reunindo a turma toda.

No fim, o rei volta a reinar.

Kairi

Tadinha, ela vira uma Keyblader, fica treinando por muito tempo, e faz um baita preparo, mas no final...



Bem, Kairi ama Sora, isso é evidente. Durante seu treinamento em uma floresta isolada onde fica com um baita homão ruivo, ela passa o tempo escrevendo cartas que jamais serão entregues para Sora, dizendo o quanto o ama.



Ela muda seu visual inteiro, vestindo as roupas que Yen Sid preparou pra ela, e até corta o cabelo, pra ficar linda pra seu amado.



E pra lutar que é bom, bem... Kairi deixa a desejar. Legal que antes de ir pra Guerra ela reencontra Aqua e a mesma a reconhece de quando a jovem de rosa vivia em Radiant Garden. Kairi nem lembra dela, mas Aqua sim.



Ela infelizmente não se desenvolveu bem em batalha, pois não teve nenhuma experiência tirando aquele embate na Torre da Organização XIII. Então, ir do treinamento direto pra Guerra é bobagem.



Acaba que ela é feita de capacho, sem exagero, e pra piorar, é usada como refém.

Apesar de ser uma das 7 Guardiãs da Luz originais, escolhidas para a guerra, ela é substituída por uma aliada de última hora, mas é levada em troca. Isso muda o jogo completamente, e o pior, muda o destino de Sora.

Kairi vive no fim...

Lea/Axel

Ele deixa suas Chakrans para assumir a arte da esgrima com uma Keyblade de Fogo irada, só que, ele era melhor com Chakrans.



Como Kairi, Axel treinou mas não teve experiência de batalha real e foi direto pra guerra, isso causou uma desvantagem severa pro grupo inteiro, e até mesmo uma humilhação diante o inimigo, pra Axel.



Ele não se decide bem pra como quer ser chamado. Lea é seu nome como humano, Axel é seu nome como Incorpóreo, depois que entra pra Organização XIII. Ele gosta de seu nome Incorpóreo por lembrar de seus amigos da época, mas, Lea é seu nome verdadeiro, e ele também teve amigos nessa época, então é complicado.



Lea foi amigo de Ventus, quando criança. Eles se encontraram em Birth By Sleep, e viraram amigos em uma brincadeira de frisbe (onde inclusive, ele se inspirou pra aprender a lutar com Chakrans). Curiosamente, ele nunca se esqueceu de Ventus, e vice versa.



Nessa mesma época, ele também era amigo de Isa, um garoto de cabelo azul com quem brincava. Ambos se tornaram membros da Organização XIII, por causa de uma garota.

A história é revelada em um documento secreto, mas depois explico melhor isso.



Bem, como Axel, ele conheceu Roxas, que era a cara de Ventus (afinal, foi o Incorpóreo que se formou à imagem de Ventus, dentro de Sora), e com ele criou uma tremenda amizade, mesmo não tendo sentimentos aparentemente.

Na mesma época, além do Saix (o incorpóreo de Isa) ele também criou uma enorme amizade com uma nova recruta da organização, a Xion. Só que, ela foi apagada de sua memória, esquecida, por consequência do destino.



No fim das contas, Axel se converteu num vilão, mas ai conheceu Sora, que também era a cara de seus amigos, afinal os carregava em si, e com ele criou outro vínculo. Ao término de sua luta contra ele, acabou se aliando, e morreu, como incorpóreo, para descobrir que quando isso ocorre, as formas humanas voltam a vida. Logo, sua forma "Lea" retornou.



Como Lea, ele escolheu voltar ao lado de Sora, e seguir o caminho da Keyblade, treinando para ser um dos 7 Guardiões da Luz, só que como citei, ele não teve muita experiência na área e já foi direto pra guerra, tomando uma surra e sendo humilhado logo de cara, para Saix, seu antigo aliado, que decidiu regredir ao lado dos vilões como incorpóreo.

Axel pode até não ter se tornado um Keyblader exemplar, e perdido logo em sua primeira luta (que foi meio que trapaceada afinal, foi contra um chefe poderoso e pra piorar, um grande amigo antigo já todo tunado) mas, no fim das contas, ele ainda ajuda muito na jornada, e encerra como um dos Guardiões da Luz.

Ele quase morre, porém, isso ajuda a despertar um dos guardiões mais importantes da aventura, que estava do outro.

Xion

Então, Xion é uma personagem exclusiva de "Kingdom Hearts - 358/2 Days", ela foi apresentada e removida da série nesse mesmo jogo, mas vestígios dela foram inseridos vagamente em vários títulos, principalmente nos últimos lançamentos.



Ela é uma Cópia, como o Riku Cópia, só que ainda mais perfeita, tanto que foi incluída no grupo da Organização XIII como um membro reserva. Sua existência entretanto só é completamente explicada ao longo do jogo, mas há vários resumos e explicações pra apresentar sua trama antes de alguns títulos como o DDD e o próprio 3.



Xion foi fabricada como um teste para os planos definitivos da organização. Ela seria um receptáculo perfeito para eles quando decidissem assumir uma forma viva completa, mas ela falhou pois acabou ficando instável por causa da influência de Roxas e Axel. Ambos desenvolveram uma amizade profunda com ela, e acabaram criando nela, uma alma, alma essa que por si só, gerou seu próprio coração, um coração que não foi aceito pela Organização.



Ela foi criada como uma combinação da forma de Kairi com Sora, com inclusive partes do coração de ambos, com o propósito de ser uma portadora da Keyblade totalmente leal a causa da Organização. Deu totalmente certo, e ela nasceu já servindo aos propósitos do grupo, mas, conforme se envolveu com seus amigos, e aprendeu com eles, começou a questionar sua existência.



Quando a Organização decidiu descarta-la, como um projeto falho, afinal o objetivo inicial era apenas ver se daria certo a criação de um corpo artificial para hospedar a alma deles, acabou que ela decidiu lutar por sua própria existência. Ela mesma enfrentou seu carrasco, que foi justamente Roxas, seu melhor amigo.



Foi justamente por causa da perda dela que Riku e ele chegaram a se enfrentar, e Riku teve de apelar para o poder sombrio (e mudou de forma, para aquela forma Ansem permanente).



Bem, assim que ela perdeu, ela foi esquecida, apagada, pela maioria. 



Ainda que la no fundo, restassem resquícios de sua existência na mente daqueles que se importavam com ela, ela acabou sumindo. Até que a Organização a trouxe de volta.



Xion retorna na Guerra, do lado dos vilões, como uma dos 13 Guerreiros das Sombras. Porém ela é a mesma de antes. É como se a Organização tivesse regenerado a mesma mente, num novo corpo, por isso ela volta com os mesmos poderes, e ainda na dúvida se deve mesmo lutar, e recuando um pouco na hora de executar seu antigo amigo, Axel.

Sora nota isso, se lembra dela na hora, e ele entra na frente, e num simples diálogo, a convence de mudar de lado. Sora faz Xion recuar um pouco no meio da batalha e, ao mesmo tempo, a convence a poupar Axel, o que libera a pequena parte que havia dela dentro dele, de volta pra ela.

Nesse momento, algo ainda mais incrível acontece, mas eu falo daqui a pouco.

O legal é que, Xion, que até então tinha sido esquecida, é relembrada por todos. Axel, que sempre chorava sem lembrar porque, se recorda de sua amiga querida, e ela volta pro lado certo. Ela se torna completa, com Alma, Coração, e o Corpo, Artificial, porém Real, e assim, Ela sai do grupo dos vilões, e vira um dos Guardiões da Luz, ali mesmo, no meio do campo de batalha.


Aqua

Mesmo depois de tudo que ela fez, e do tanto que ela lutou, Aqua não conseguiu esperar muito mais sem sua arma na praia do mundo das sombras, mesmo acompanhada de Ansem, o Sábio.



Depois dos eventos de "Birth By Sleep 0.2", Aqua poderia até ter esperado tranquilamente, e resistido um pouco mais, mas deu o azar de entrar no meio dos planos da Organização XIII.



Ansem, o Perseguidor, o Incorpóreo que tomou o nome do verdadeiro Ansem, foi até o mundo das trevas busca-lo, só pra ajuda-lo a concluir os planos da Organização. Seu objetivo era encontrar uma misteriosa garota, que não tem seu nome revelado, apenas é citada (eu imaginei que era Naminé, mas as coisas sugerem que seja outra pessoa).



Aqua estava conversando com Ansem nesse momento, sobre Sora e as coisas que estavam acontecendo no mundo da Luz. Ele tinha acabado de surgir la (Ansem, quando se explode, vai pro mundo das sombras, ao invés de "morrer") e assim, ela tenta enfrentar o vilão, desarmada, mas é derrotada facilmente.



Ela é jogada no abismo das trevas, e se afoga na escuridão, sendo consumida pela solidão. Ansem até tenta salva-la, e quase consegue, aceitando o pedido de ajuda do Ansem vilão, mas, como ela ataca primeiro, acaba que o cara não tem escolha se não, abatê-la.



Quando Riku e Mickey a encontram, ela já ta totalmente subjugada pela escuridão, e joga na cara de seu antigo amigo que ele a abandonou. Mickey fica bem pra baixo só pra constar (o que reforça o fato dele ta mais desanimado) e ai, Aqua enfrenta Riku. Mas, Sora aparece, e juntos, trazem a luz de volta pra ela.



Sora inclusive quem a tira de dentro da água quando ela afunda, fazendo alusão a uma das aberturas (de KH 0.2 mesmo) quando ele a salva, desse mesmo destino. Alias, a abertura do jogo solo de Aqua é um enorme spoiler de Kingdom Hearts 3.



Ela nem acredita que ta no mundo da Luz quando acorda, acha que as Ilhas do Destino caíram na escuridão, mas ai, quando percebe que é tudo real, e ela ta livre, ela fica muito feliz.



Uma vez salva, Aqua vira a chave principal para a jornada em busca dos demais Guardiões da Luz se completar, afinal, faltava 1. O grupo era composto por Sora, Riku, Mickey, Kairi e Axel. Com Aqua, tinham 6, mas eram necessários 7 guerreiros para a guerra contra a Organização, para frustrar os planos de Xehanort. O último escolhido ideal seria aquele preso dentro de Sora, Roxas ou, Ventus. Mas, para libertar Roxas, eles precisavam encontrar um corpo pra ele, e isso era bem complicado, e para encontrar Ventus, era preciso primeiro encontrar Aqua, já que só ela sabia onde ele tava. Assim, quando eles a encontram, ao menos seu corpo fica alcançável.



O problema é que Ventus ainda estava desacordado.

Ventus

Ele foi preso em um sono profundo, quando seu coração encontrou refúgio em Sora, a criança que conheceu nas Ilhas do Destino. Isso ocorreu depois que ele enfrentou sua outra metade, Vanitas, e lamentavelmente, Ventus acabou apelando pra essa alternativa pra ser salvo.



Por mais que a Organização buscasse seu corpo, ninguém jamais encontrou, pois Aqua o escondeu muito bem. Ela o trancou em um castelo, preso numa dimensão completamente codificada que apenas ela sabia abrir. Como ela acabou arrastada pras trevas, essa dimensão se perdeu. Mas agora ela leva Sora e os demais para Ventus.



O problema é desperta-lo. Mesmo sabendo onde seu coração está, com indícios corriqueiros de Sora, toda hora dizendo coisas em prol de Aqua, e sempre buscando fazer coisas espontaneamente como se seu coração o levasse a tal, acabam não entendendo bem como extrair a parte de Ventus sem afetar Sora, já que ambos cresceram praticamente como um.



Por azar, ou sorte (no fim das contas), Vanitas segue Aqua até o esconderijo de seu "irmão" e tenta roubar seu corpo pra ser completo, e no confronto, Aqua é posta em perigo (nessa hora, Aqua é controlada pelo jogador). Por mais forte que ela seja, ela tava meio fraca ainda por ter acabado de se libertar das trevas, e assim, o coração de Ventus entra em harmonia com o corpo, e ambos despertam juntos.



Ventus acorda com sangue nos olhos e desce o sarrafo em Vanitas, vencendo a luta e já completando o grupo pra batalha contra a Organização XIII, que dizia-se completa já (eles estavam se reunindo novamente).



E sim, Ventus volta antes de Xion, porém, ele não é o único que volta. E alias, ele agradece Sora por ter cuidado do coração dele todo esse tempo.


Terra

O complicado de Terra é que ele foi totalmente manipulado por Xehanort pra servir aos seus planos multi-temporais. Enquanto Aqua foi pras trevas, e Ventus adormeceu, Terra simplesmente perdeu tudo. Ele nem pras trevas pôde ir, e nem dormir conseguiu. Seu corpo foi convertido em Incorpóreo, seu coração em Heartless, e nenhum deles era totalmente seu, pois sua Alma foi corrompida no último segundo, pelo próprio Xehanort.



Acontece que, para poder cumprir seus planos, Xehanort precisava agir no presente, passado e futuro de si mesmo. Pra isso, ele abandonou seu próprio corpo, coração, e mente. Ele se dividiu de todas as formas e viajou no tempo, buscando diferentes receptáculos ao longo dos tempos, um deles, foi o próprio Terra.



No presente, após o confronto contra os elegidos de Eraqus, seu amigo de infância, Xehanort usou o corpo e coração de Terra como receptáculo de sua mente.

A Mente dele então lutou contra a de Terra, pelo controle do corpo, e venceu (ele era muito poderoso). Ele subjugou o jovem, que estava confuso por causa da escuridão, e acabou o controlando, assim, ele transformou seu corpo em "Terra-Xehanort", ou apenas, Xehanort.

Terra por si só se manteve perdido, sem corpo, sem coração, sem poder ir ao mundo das trevas, sem poder morrer, e sem poder renascer como incorpóreo, pois Xehanort usou sua forma de "Terra-Xehanort" pra criar "Xemnas". Assim, o que restou de Terra, foi sua mente, que buscou se alojar em algum lugar. O "Heartless" criado, não foi Ansem, pelo contrário, o próprio Xehanort se manteve consciente em sua forma "Sem-Coração" existiu além do tempo, e alcançou tanto sua própria forma Jovem, quanto Riku, la no futuro, criando assim "O Elo" entre os tempos.



O único local que ele encontrou, foi sua antiga Armadura, uma peça clássica dos elegidos de Eraqus, mas ele não pôde fazer muito (é possível enfrenta-lo como um chefe secreto em KH2 se não engano).

Então, durante a Segunda Guerra da Keyblade, é Terra o grande salvador.



Acontece um pequeno deslize na última hora. Todos vão assim que Ventus acorda, e quem aparece pra recebê-los é Terra-Xehanort. A Organização XIII deu um jeito de restaurar todos os Receptáculos Perfeitos que Xehanort teve ao longo de seu plano, e fez deles seus grandes elegidos para a guerra, sendo Terra-Xehanort o 13º, e o primeiro a encontrar os 7 Guerreiros da Luz.



O problema é que ele é forte de mais, e já chega desestabilizando o grupo, acaba com Aqua, Ventus, depois Kairi, Axel, e pra variar, Donald sacrifica toda sua força vital pra lançar uma magia muito forte que lança ele pra longe, mas ainda assim, cai.

Isso faz Sora ficar bem abalado, e pra piorar, todos são cercados por Sem Corações, e a escuridão domina, todo mundo é atacado pelas costas, todos caem, todos são consumidos pelas trevas, um por um, só restando Riku e Sora, e no fim, mesmo com Riku tentando motivar Sora, mesmo com ele pulando na frente e se sacrificando pra mostrar que estão todos ali lutando por ele, todos morrem.

É nesse momento que Sora vai pro Fim, e encontra Naminé, quem oferece sua ajuda espiritual. Ele diz que depois que voltar, fará tudo pra recuperar seu corpo, e ela, diz que não vai deixar isso barato, e diz que acha que consegue contactar Terra dali. Ela então pede pra ele confiar nela.



Ao voltar, Sora não retorna pro momento em que saiu, mas pro momento em que chegou na guerra, antes mesmo de Terra-Xehanort aparecer. Assim que ele aparece, na hora que vai dar o golpe que desestabiliza o grupo, ferindo Aqua, Terra, em sua armadura (na verdade, a armadura de Terra, com sua alma) aparece, e enfrenta ele, de igual pra igual.



Isso deixa a batalha mais equilibrada, mas ainda não é o ressurgimento de Terra.



Ele só volta mais pra frente, depois que Terra-Xehanort vence a armadura, ele volta no Labirinto que Mestre Xehanort cria pra batalha contra os 13 Receptáculos. Nesse labirinto, uma das lutas é contra o próprio Terra-Xehanort, e mais alguns (as lutas são sempre em grupos).

Quando ele é derrotado, Terra reaparece, só que agora numa forma de Sem Coração. Ele tomou essa forma para poder ajudar seus amigos mais uma vez, numa hora em que eles estavam tentando alcançar seu coração, dentro de Terra-Xehanort, e mal sabiam eles que ele nem tava mais la dentro.



É ai que ele usa a ajuda de Sora pra extrair Xehanort de dentro do corpo dele, e toma seu lugar, recuperando assim, sua forma verdadeira. Terra ressurge, completamente, depois que Terra-Xehanort é totalmente derrotado.



Ai, ele se une ao grupo, como mais um dos Guardiões da Luz.


Roxas

A muito tempo, Roxas se tornou um só com Sora, aceitando seu destino como parte do jovem Keyblader colecionador de corações.



Ele, e Naminé, voltaram respectivamente para Sora e Kairi, mas Sora sempre se recusou a aceitar que Roxas era apenas uma parte dele. Na verdade, Roxas tinha sua própria personalidade, um caso especial de Incorpóreo, onde ele gerou um coração próprio.



Roxas então, mesmo aceitando ser apenas parte de Sora, acabou se tornando um dos objetivos dele. Depois da conversa que ambos tiveram no mundo dos sonhos, Sora decidiu que faria de tudo pra dar a Roxa sua própria existência. E é esse uma das alternativas que Sora encontra pra completar o grupo contra a Organização.



Mesmo depois de Aqua e Ventus se unirem ao grupo e o completarem, Sora ainda não desiste de salvar Roxas e Naminé, ainda mais quando descobre que Naminé ainda existe dentro de Kairi, ou existia (ela acaba sendo separada na base da força). E no fim, quando menos espera, ele consegue isso.



O membro extra é Roxas, aquele que chega por último. Ele vem como uma estrela cadente no instante que Xion se rebela contra a Organização XIII, e é um momento épico.

Xion, relutante em ferir Axel, é ameaçada pelos seus antigos aliados. No mesmo instante, de dentro de Sora uma luz sai, e do céu, traz Roxas. Ele veio direto de outra linha do tempo, tecnicamente, trazido pela conexão de seu coração, em Sora, sua Alma, suspensa em outro tempo, e Xion, em perigo.

Aquele instante foi o suficiente para leva-lo a um corpo Cópia vazio com ajuda de alguns membros da Organização que os traíram, e assim, Corpo, Alma e Coração, formam um receptáculo perfeito para que Roxas ressurgisse.

Ele renasce, no presente, pra lutar ao lado de seus amigos, na hora perfeita, em que Xion também renasce!

Assim, Roxas, Xion e Sora, lutam lado a lado pra proteger Axel! Uma pena que Kairi acaba sendo levada nesse instante.

Chip e Dale

Os dois esquilos são meros coadjuvantes desde o primeiro jogo, responsáveis pela manutenção da Nave Gummi. Eles também são ótimos cientistas, ao ponto de serem os responsáveis pela criação do Gummifone.



Graças a eles, várias vídeo-conferências são possibilitadas, então é mais do que justo ao menos cita-los.



Legal que Sora é uma porcaria com tecnologias então, até se adaptar, ele fica boiando.




Alias, o Grilo também ta presente, mas ele sempre fica escondido nas roupas de Sora. Tudo que ele faz é registrar as aventuras, agora no Gummifone mesmo.


Yen Sid

O Mestre de Mickey, quem ensinou-lhe a Arte da Keyblade, aqui finalmente pisa fora de sua Torre.



Além de dar novos visuais aos heróis, ele acaba ajudando na Guerra num momento crucial, indo pro campo de batalha, e abrindo um mar de monstros com sua magia, só pra que os Guardiões da Luz, seus 7 Elegidos, passem em segurança.

Ele, Donald e Pateta ficam pra trás enquanto Sora, Riku, Mickey, Kairi, Axel, Aqua e Ventus avançam com plenas energias para o confronto final, contra a Nova Organização XIII, no Labirinto que é feito pelo Mestre Xehanort.



É ai que pequenos grupos são formados, e lutas de 3 a 4 membros rolam. Pense, 3 a 4 vilões ao mesmo tempo, peitando os heróis, em duplas ou trios! É bem tenso, mas depois contarei cada uma das lutas.

Merlin

Ele treinou Kairi e Axel mas, não parece ter se esforçado muito não. Ele parou pra tomar chá, no restaurante do Minichef.


Alias, Tio Patinhas, o tio do Donald, é o chefe do Minichef... só pra constar. Ele meio que cansou de vender apenas Sorvete de Sal Marinho e abriu um Restaurante com o ratinho la na Cidade do Crepúsculo.

Data Sora

Apesar de não aparecer nenhuma vez, Data Sora é citado várias vezes, e inclusive uma grande linha de diálogo dele é recitada pelo próprio Sora.

Data Sora foi uma cópia virtual de Sora, gerada para estudar as Cópias Virtuais dos Mundos durante uma crise que rolou em "Kingdom Hearts - Re-Coded". Engana-se quem acredita que esse não é um jogo de importância pois, acaba que é um dos mais importantes pra narrativa de KH3, já que ele engloba e endossa o enredo secundário.



Cópias de Mundos é algo de importância enorme, e no fim das contas, vem sendo um dos métodos utilizados pela Organização para seus estudos. Eles inclusive estão usando isso para manter seus planos em prática nos dias atuais, e até criaram uma rota alternativa em caso de falha do plano principal.

Os mundos podem ser copiados, e as cópias são tão reais quanto os mundos reais. Não apenas o mundo virtual no qual Roxas esteve confinado era um exemplo disso, mas outros também são... lembre-se disso.

Copia Riku

Por fim, Copia Riku também é de crucial importância apesar de não aparecer tanto. Eu o citei, mas não disse qual era seu plano verdadeiro.



Ele queria um Corpo, só isso.



Mas ele não queria um corpo pra si, ele queria um corpo pra Naminé.



Corpos artificiais também fazem parte da história de Kingdom Hearts, mas nunca estiveram em foco. Agora, recebem mais destaque. Copia Riku foi o primeiro da geração perfeita... Xion a segunda... e a própria Nova Organização XIII foi toda a terceira geração perfeita.



Esses corpos, são basicamente cascas vazias, e sem forma, além da mera forma humanoide. Eles se remodelam com base na Alma e Coração que os preenche. É com isso que os Incorpóreos ou Sem-Corações conseguem assumir formas físicas humanas perfeitas, em teorias, para que Xehanort conclua seu plano. O legal é que na prática, da realmente certo.

Nova Organização XIII

Xehanort Adolescente


Quando pequeno, Xehanort treinava para se tornar um Mestre Keyblader ao lado de Eraqus, seu melhor amigo. Ambos tinham planos de se converterem juntos, nos guardiões da luz. No fim, eles cumpriram esses planos, mas passaram por um grande perrengue.



De uma partida profética de um xadrez muito estranho, a uma Segunda Guerra Keyblade, Xehanort foi se afundando nas trevas para alcançar a luz e no fim, apenas no fim, foi salvo.



O Xehanort Adolescente conheceu sua versão mais velha, já como Mestre, e tomada pela vontade de liberar o poder de Kingdom Hearts, e assim, decidiu se unir ao plano de si mesmo. Esse encontro ocorreu graças a viagem temporal de Xehanort, quando este deixou sua própria existência e levou sua mente (vestida em trapos marrons) para o extremo passado.



Xehanort, em sua adolescência, vivia nas Ilhas do Destino (coincidentemente) ou ao menos, foi la que conheceu sua versão futura convertida em gasparzinho. Uma vez ciente dos planos, ele passou a tramitar ao futuro constantemente, mentalmente, se projetando inclusive em sonhos, gerenciando assim de forma mais direta o que seu eu mais velho queria.



No final, ele próprio optou por migrar ao futuro, em uma forma física alternativa, gerada num Corpo Artificial, como uma das versões bem sucedidas de Xehanort e assim, um dos membros perfeitos da Nova Organização XIII.

Terra Xehanort

Outro que surgiu como versão perfeita de Xehanort, no corpo original.




Terra-Xehanort foi usado primeiro como o corpo para que a mente de Xeharnot se estabelecesse nas viagens do tempo, depois de contactar sua versão mais jovem. Basicamente, Xehanort fez a viagem perfeita quando se dividiu em três partes e tomou o corpo de Terra para si.



Sua mente se tornou um só com o dele, fato, mas ao mesmo tempo, ela também criou o portal para poder viajar no tempo (foi o momento que Xehanort se esqueceu que era Xehanort, exceto o nome logo, ele deixou o corpo depois de convertê-lo em um receptáculo para retornar assim que concluísse seu plano).

Terra-Xehanort depois se dividiu, propositalmente, em Xemnas e Ansem (o Perseguidor, que só recebeu sua forma mesmo quando entrou em contato com Riku), usando o corpo e coração originais de Terra, corrompidos com a essência de Xehanort, e no fim, cada parte seguiu o plano individualmente.



Ai, quando ambos foram derrotados, Terra-Xehanort voltou a sua forma, trazendo também a mente original de Xehanort (assim como ele queria), pro tempo que ele queria. Em sua forma completa, e uma vez lembrando plenamente de quem era, ele concluiu o plano, reconvertendo os membros da Organização XIII que precisava e buscando aqueles que queria pra Nova Organização XIII.



É ai que surge o novo grupo, e o primeiro membro da Nova Organização, e o 13º tecnicamente.


Claro que, nem tudo saiu como ele planejou, pois no final, Terra-Xehanort perdeu o corpo original pra mente verdadeira de Terra.

Xemnas


Ele, o Incorpóreo que foi gerado da combinação de Terra com Xehanort, e criou sozinho a Organização XIII inicial, acabou derrotado de muitas formas por Sora, mas fez tudo que Xehanort queria, no fim das contas.



Mesmo assim, Xemnas não é apenas uma mera cópia do vilão, ou contraparte dele. Ele criou uma personalidade própria, e tinha seus objetivos. Ele queria muito criar uma existência própria, e foi motivado por isso. Claro que essa motivação era parte da manipulação estratégica de Xehanort, que já tinha pensado em tudo... mas no fim, Xemnas se tornou independente racionalmente, ao ponto de ser sim um indivíduo, mesmo acreditando que não tinha um coração (algo que é lógico visto que é um Incorpóreo).



Tanto que ele é escolhido como um dos membros pra nova Organização XIII, recebendo sua forma em um Corpo Artificial. Pra isso, o grupo gerou corpos orgânicos que assumem a forma das mentes e corações que o incorporam. Vários experimentos tinham sido feitos pela própria organização com esse propósito e o resultado foi excelente, graças a um membro específico.



Mesmo em sua última derrota, Xemnas não é de todo mal. Ele ainda deseja apenas existir, e por isso concorda com Xehanort, seguindo seus planos até o fim.

Ansem, o Perseguidor


O Sem-Coração, que organizou a invasão dos vários mundos e liderou a desordem dos Sem-Corações, fazendo com que o mal brotasse do interior de todos, também é apenas uma parte de Xehanort, que foi manipulada para seus fins maquiavélicos.



De inicio, Ansem tomou o nome do verdadeiro Ansem, um cientista, e passou a estudar os Sem Corações com uma sede de poder tamanha ao ponto de, como um, lidera-los.



Mas ele também foi derrotado, por Sora, e frustrado, não antes entretanto de concluir a parte que auxiliava os planos de seu progenitor.

Ansem (Sem-Coração) tinha como grande objetivo coletar os Corações puros de 7 Princesas, usando como desculpa um monte de coisas, mas na verdade, era tudo para servir aos desígnios do Mestre Xehanort.



No fim, Malévola, e até Riku, foram fantoches, do Fantoche, que foi derrotado, para ser trazido mais uma vez a vida, num Corpo Artificial, como um dos Membros da Nova Organização, já que serviu tão bem como um dos receptáculos perfeitos de Xehanort.



Ansem e Xemnas se juntam pra influenciar Sora a buscar por Roxas, mostrando justamente que é possível haverem duas partes de um mesmo ser existindo ao mesmo tempo (mesmo eles fingindo que querem contradizer essa verdade). Ambos permanecem existindo, mesmo depois de destruídos, e são a prova concreta de que Sora pode trazer Roxas de volta, de algum jeito.



Serve de inspiração, proposital. A Organização estimula Sora a encontrar os Guardiões da Luz o quanto antes e até ajuda, indiretamente, de propósito, pois pra eles era parte dos planos.



Eles precisavam que Sora fosse bem sucedido.

Riku Xehanort


Outro que volta dessa forma, num corpo artificial, é o próprio Riku, daquele tempo em que foi possuído por Ansem, o próprio Sem-Coração de Xehanort mesmo, antes dele assumir a forma humanoide independente.

Riku-Xehanort surgiu quando Riku se entregou às trevas, seguindo Malévola e entregando os poderes da Keyblade para o mal, mesmo ele sendo o primeiro elegido da mesma. Ele acabou fazendo isso por poder, e foi salvo por Sora.



Durante a busca pelos corações das Princesas, pra abrir Kingdom Hearts de alguma forma, Riku possuído por Xehanort falha, e o Xehanort (como Ansem) sai, revelando seus planos, que na verdade eram apenas parte dos reais planos, do real Xehanort. Tudo não passava de um fragmento do plano definitivo. Alias, Xehanort, que possuí Riku, é o Heartless do original, que se manteve intacto e aguardando por ele, para completar a "viagem no tempo".



Riku pode ter se tornado um dos Guardiões da Luz, com o tempo, mesmo depois de ser assombrado por Ansem, mesmo depois de ter assumido a forma física adulta desse que se passava por Ansem, e mesmo depois de quase sucumbir às trevas novamente, ele acabou vencendo e se tornou Mestre, mas, sua versão jovem ainda era a melhor versão aos olhos de Xehanort.

Assim sendo, ele a replicou, em um corpo artificial, com a mesma mentalidade, uma versão possuída por uma cópia de sua mente, criando então um Riku-Xehanort novamente.



Mas, pro azar dele, isso ajudou mais ainda os Guardiões da Luz, pois aquele Cópia Riku, que passou a seguir Riku, aproveitou um momento de fraqueza desse corpo artificial, para toma-lo pra si.

Ele extraiu a mente do Riku maligno, e ao invés de possuir o corpo e passar a viver, como sempre quis, ele cumpriu sua promessa pra Naminé: Ele a salvou.

Eram raros os Corpos Artificiais que Nova Organização criou, então ele acabou recolhendo esse corpo para que assim que a guerra terminasse, Naminé pudesse usa-lo como seu.

Ele e a mente maligna de Riku se vão, mas deixam o receptáculo vazio caído pro verdadeiro Riku usar quando a guerra terminar.

Vanitas


Ele foi trazido de tempos remotos só pra se converter num membro da Nova Organização XIII pois foi uma das marionetes de Xehanort mais perfeita já feita.



Vanitas é a extração de todo o mal existente em Ventus, da época que o jovem ainda era completo. O Ventus, visto ao lado de Aqua e Terra, e treinado por Eraqus, é apenas uma parte de quem um dia realmente foi, adotado por Eraqus em sua época. Antes disso, ele já tinha vivido bem mais...



Xehanort tentou conseguir uma arma poderosa usando esse jovem, extraindo o mal dele, e forçando uma luta entre ambos, a parte boa e ruim. A arma seria a verdadeira Keyblade, capaz de abrir o Kingdom Hearts, só que deu errado. Mesmo assim, Vanitas se tornou um grande aliado de Xehanort, como seu seguidor, tomado e dotado somente de escuridão.



Além disso, ele era capaz de criar e gerar seres proeminentes de puras trevas, sem necessidade de corações ou coisas assim, criaturas geradas apenas dos sentimentos negativos, só do mal mesmo.

Vanitas acabou sendo único, e tinha um ódio e obsessão tremenda por seu irmão, Ventus, ao ponto de aceitar tudo o que Xehanort lhe incumbia, só para atingi-lo, e ambos criaram uma aliança intransponível.



Agora, mesmo depois de décadas, ele volta, forte como sempre, e traz sua legião de Unverseds, para servir ao Mestre Xehanort, para a Guerra das Keyblades. E mais uma vez, caça seu irmão.

Mesmo depois da derrota iminente, mesmo depois de cair perante a lâmina cruzada de Sora e Ventus, Vanitas acaba se mantendo de pé, sendo o único da Nova Organização XIII que simplesmente vai embora da Guerra, após a derrota, mas sem deixar o lado maligno.



Como ele mesmo diz, ele é apenas escuridão, e sua semelhança com Sora, é justamente pra ilustrar o quanto ele simboliza o lado mal, o lado ruim, de Ventus. Vanitas é apenas escuridão, Ventus é apenas luz, e essa é a natureza de ambos, que um dia foram um, mas agora são separados.

Sora custa a aceitar isso, mas Ventus entende, e deixa ele partir.


O mundo de Monstros S.A. é alvo justamente de Vanitas, pois ele deseja mais do que tudo provar que a tristeza e o pânico, é melhor que o sorriso e felicidade. Esse mundo é real, por isso é uma continuação.

Braig/Xigbar


Quando humano, ele era Braig, um atirador que se uniu voluntariamente a Xehanort, para conquistar uma Keyblade para si. Ele sempre foi um Atirador incrível, e acabou agindo contra Aqua, Ventus e Terra, virando um vilão.

Posteriormente, incluído no grupo de pesquisas de Ansem, o Sábio, para cuidar de Terra-Xehanort, quando ele é encontrado, justamente para ficar de olho nele, até que ele despertou sua mente maligna e roubou a identidade de Ansem, Braig acabou virando aliado do vilão novamente, e foi convertido em um Incorpóreo, mudando de nome, pra Xigbar.



Ele passou a acompanhar Xemnas, como seu primeiro seguidor, e continuou servindo Xehanort em seus planos, como um grande atirador, sendo derrotado no final, ao lado dele.

Quando retornou ao corpo humano, como Braig, ele encontrou logo de cara, Terra-Xehanort, e logo de cara foi convertido mais uma vez em Xigbar, um Incorpóreo.

Mesmo que surpreendido pelo recém restaurado Terra-Xehanort assumir sua identidade, relembrando exatamente do plano original, Xigbar optou por segui-lo, como incorpóreo mesmo, e passou a fazer parte da Nova Organização XIII.



O problema é que Xigbar não é apenas um carinha qualquer que optou ser vilão...




Por mais que seu objetivo fosse um dia conquistar uma Keyblade, sua obsessão em acompanhar Xehanort tinha outro motivo, um bem mais surpreendente, que é revelado apenas no final.

Após ser derrotado uma última vez, ele retorna a sua forma humana como Braig novamente (é o que sempre ocorre com os Incorpóreos), só que agora, ele decide reassumir sua identidade verdadeira... mas depois falo disso.

Isa/Saix


Isa era o melhor amigo de Axel, quando ele era humano (que na época se chamava Lea). Ambos entraram para o grupo de pesquisas de Ansem, o Sábio, propositalmente, e acabaram por se converter em membros da Organização XIII, arrastados pela maré.



Isa era muito jovem, e ao lado de Lea brincava e tentava invadir os laboratórios misteriosos de Ansem. Quando conseguiram, descobriram a existência de estranhas pesquisas com pessoas... o que por si só já os afugentou. Nessa época, Terra-Xehanort já tinha começado a dar indícios malignos.

Porém, eles descobriram uma garota, sem nome ou aparência revelada. Essa garota era aparentemente alguém resgatado de outra linha do tempo, que vinha sendo estudada por Ansem e os seus cientistas, incluindo seu novo aprendiz, "Xehanort". O problema é que as coisas estavam saindo do controle já, e os dois amigos acabaram se aproximando dessa garota em meio a isso.



Pouco tempo depois, poucas visitas clandestinas depois, a garota sumiu, e Isa, preocupado, optou por se candidatar ao estágio do laboratório de Ansem, junto com seu amigo Lea, pra poder invest Foi ai que ambos entraram pra equipe, que estava prestes a ruir e trair Ansem, sob comando de "Xehanort", quem iria tomar seu nome, e converter todos em Incorpóreos.



Convertidos, Lea virou Axel, e Isa, virou Saix, mas ainda estavam motivados a procurar a garota misteriosa, como um segredo entre eles.



Só que, Axel conheceu Roxas, depois conheceu Xion, e foi se afastando de Saix, e do plano original, que era simplesmente encontrar a garota misteriosa e resgata-la de algum jeito.

Ele por outro lado continuou subindo na patente da Organização, que tinha sido o novo grupo formado pelos cientistas convertidos, e pra isso foi se tornando cada vez mais forte. Ele tinha que chegar o mais perto da liderança, e conquistar a confiança, para conseguir informações suficientes para localizar a menina. Ele nunca esqueceu disso, diferente de Axel.



No fim entretanto, Saix sucumbiu ao poder. Ele conseguiu virar o braço direito de Xemnas, mas não descobriu nada sobre a menina que queria. Ele até se aproximou de outra que surgiu, Naminé (ao que parece ela não é a mesma), mas no fim, não descobriu o paradeiro daquela que procurava.



Então, depois que voltou a ser Isa, após derrotado como Incorpóreo, ele ainda escolheu se unir à Nova Organização XIII, motivado pelo mesmo objetivo: Encontra-la.




Novamente como Saix, com muito mais poder, e mais tomado ainda pela ira lunar, Saix quase matou Axel. Só em seus últimos momentos, se arrependeu, e lamentou ter perdido a amizade com ele, além de admitir sentir sua falta.

Talvez depois, como Isa de novo, ele voltaria pro lado certo agora.

Marluxia/Lauriam


Ele ainda não tem suas motivações totalmente explicadas. Isso ainda está em desenvolvimento no jogo de celular, mas o que já foi revelado foi seu nome verdadeiro, quando era humano, antes de virar membro da Organização XIII, e a época de onde veio.




Ele se chamava Lauriam, e era um dos Keybladers da Era das Fadas, o tempo precioso que veio antes mesmo da Guerra das Keyblades. Ele foi inclusive um dos sobreviventes, e ainda mais, ele foi um dos que lutou ao lado de Ventus, e outros guerreiros muito mais antigos...


Sua motivação, aparentemente, tem a ver com sua irmã, Strelitzia, que sofreu uma baixa muito injusta... mas isso é outra história.

O que importa, e é mostrado, é sua versão já como Marluxia.




Ele surge esquecido, por Sora inclusive, pois quando lutou contra ele, foi no Castelo do Esquecimento, sendo inclusive o líder da divisão que causou o embate contra o jovem.




Ele quem usou Naminé pra sabotar a mente de Sora, e assim extrair informações, gerando Roxas, e coisas do tipo. Marluxia foi o grande vilão da época, mas Sora nem se recorda, pois tudo isso foi apagado.



Ainda assim, o Ceifeiro das Pétalas não é um vilão, totalmente.




Suas motivações nunca foram muito claras. O Castelo em si era um ponto de vários experimentos, e a organização perdeu metade de seu grupo ali. Mesmo assim, Marluxia se recorda de tudo, inclusive de Sora, e depois que voltou ao seu corpo humano, como Lauriam, ele optou por retornar ao lado da Organização.



Ao que parece, o que o motivou a entrar e lutar ao lado de Xemnas tem a ver com sua irmã, e ele continua fazendo isso, por isso o fato de aceitar se reestruturar em Incorpóreo uma vez mais, pra ter as habilidades de um, e continuar servindo, agora diretamente a Xehanort, demonstra que ele ainda tem muito o que fazer.

Curiosamente, Marluxia protagoniza o plano B da Nova Organização XIII, que independe do próprio Xehanort (visto que no desfecho, ele próprio deixa de ser uma ameaça). Esse plano B resume-se a influenciar e reservar novos mundos, com um propósito simples de recomeçar tudo, em caso de falha.

Não há bem uma falha, no final, mas as coisas não terminam como queriam, o que significa que Marluxia não obteve o que desejava, aparentemente. Mesmo que em seus suspiros finais como Incorpóreo ele tenha se lembrado de tudo, faz sentido ele continuar seguindo o Plano B.

Larxene (Elrena)


Ela também optou por retornar à Organização XIII, mesmo depois de ter sua segunda chance. Ela foi esquecida, e como Marluxia, ela pertenceu à mesma época.



Só que sua motivação ainda não foi apresentada no jogo de celular, por hora, mas seu nome é Elrena




Larxene é uma Incorpórea elétrica muito mais expressiva que os demais que, acabou por auxiliar no Castelo do Esquecimento, e no fim, foi eliminada com o grupo de pesquisas.

Só que depois de voltar a ser humana, ela escolheu voltar a ser Incorpórea só pra ajudar outra vez Xehanort em seus planos.



O curioso é que Larxene, e Marluxia, seriam antes Portadores da Keyblade, então, talvez, na história do jogo de Celular, eles perderão essa habilidade de alguma forma. Mas, aqui, eles estão lutando pra recuperar algo.




Larxene também auxilia no Plano B, e ela inclusive deixa bem claro um desses planos e mostra que a Nova Organização está muito avançada.



O Plano B em questão é Separar e Manter em Conserva 7 Novas Princesas de Coração Puro.




Só isso, eles simplesmente pegaram 7 mundos com princesas e copiaram eles, coletaram as princesas, e as trancaram nesses mundos copiados, para viverem normalmente, enquanto eram vigiadas por eles, mantidas em segurança, até que fossem necessárias, se necessárias.

O Mundo de Rapunzel, e o Mundo de Frozen, são Cópias, sendo Rapunzel, Elza e Anna (a irmã de Elza), as princesas, e seus corações os alvos da Organização, que já estão conquistados. E sim, pelo que a vilã diz, no mundo de Fronzen, 2 corações de Princesas são achados ao invés de apenas 1, ou seja, Elza e sua irmã são consideradas Corações de Luz.



Ao invés de mantê-las adormecidas, eles deixaram elas vivendo mesmo, em seus mundos copiados, e Sora aparece testemunhando isso. Ele quase atrapalha mas, acaba não influenciando em nada, só descobre que a Organização tem seu segundo plano, mas ainda não se toca da realidade.


No mundo de Rapunzel, Marluxia quem aparece, e revela que as novas princesas é uma realidade, uma alternativa mesmo, e que Sora já não pode fazer nada.



Sora foi pra la alias, por acaso, mas é apenas um dos mundos que a Organização já tem sob seu controle.


No mundo de Elza, é Larxene quem aparece, e faz questão de brincar com seus poderes de manipulação no mundo copiado.

Suas habilidades padrões como Incorpóreo são Eletricidade, mas ela usa e abusa de Gelo, tudo pela sua capacidade de manipular a estrutura do mundo em si. Diferente de Marluxia, que busca manter a Ordem, Larxene é extrovertida de mais e acaba por se exaltar.



Ela deixa tudo muito claro, que esse é um mundo copiado, quando para o tempo, pra conversar com Sora, em uma bolha. Esse tipo de poder é algo que apenas um Keyblader Master é capaz, ou que um Administrador pode fazer. Sendo esse um mundo "Virtual", ela pode simplesmente travar o sistema pro encontro e pra ameaça, e também pra fazer uma pequena demonstração de poder.



Sora fica bem abalado nesse momento, e realmente funciona com ele (ela para o tempo pra ameaça-lo bem na hora que Elza salva sua irmã) e no fim, ele nem comemora o desfecho do mundo direito...



Isso explica porque o mundo de Frozen é pouco visitado (Larxene ta brincando com ele).

Luxord


Ele também retornou para seu corpo humano após ser derrotado, mas decidiu voltar a forma Incorpórea, para ajudar Xehanort.



Mas, diferente de Larxene e Marluxia, Luxord ainda não teve sua origem revelada, nem seu período, muito menos objetivo.



Luxord é obcecado por jogos, e faz todo o possível pra relacionar tudo a apostas. Da última vez, seu encontro foi no mundo de Piratas do Caribe, e não deu outra, ele retorna pra mais uma rodada, nesse mesmo mundo.



Agora, seu objetivo aqui é buscar pela Caixa com o Coração. Em um momento, da a entender que ele e seu aliado buscavam pela Caixa misteriosa que segue sendo um mistério até o término do jogo, mas também tem um momento que dão a entender que só querem estudar como funciona um Coração fora do corpo.



Na verdade, o aliado dele buscava a Caixa com o Coração, e ele, buscava a Caixa Misteriosa. Mas, no fim, ambos se frustram.




Fato é que Luxord sabia da tal caixa misteriosa, e talvez sabia até mais do que os demais membros, mas não revela nada.



Independente do motivo, Luxord, e seu aliado oculto, ficam nesse mundo e são distraídos igual a Sora.




Luxord chega a protagonizar um momento hilário em que confronta o bafo de Jack Sparrow... mas no fim, não há nenhum embate direto com ele, nesse ponto.



Apenas uma corrida de Barcos mesmo, e uma batalha em auto-mar.




No final da jornada, ele luta, como um dos membros da Nova Organização XIII, por opção, mas mesmo após derrotado, ele não revela porque se voltou ao lado do mal outra vez.

Pelo contrário, ele chega a ajudar Sora, dando-lhe uma carta (que não é revelado pra que serve) e se despede, antes de retornar ao seu corpo humano misterioso.

Fato é que a versão humana dele continuará o plano, talvez, pois se ele aceitou ajudar Xehanort novamente, algo tem.

Mestre Xehanort


E aqui vem Mestre Xehanort, o vilão que manipulou essa lista toda acima, só pra ver o circo pegar fogo, porque queria 13 chaves.




Sim, tudo isso foi pra fazer uma guerra de propósito, com o intuito de gerar 13 chaves sombrias, que juntas, formariam a χ-Blade, verdadeira, sendo ela a única capaz de invocar o Kingdom Hearts.

O pior de tudo é que ele consegue mesmo fazer isso.

Depois de tentar invocar Kingdom Hearts com uma χ-Blade falha forjada com Ventus...



Depois de tentar invocar Kingdom Hearts com os Corações das Princesas...



Depois de tentar invocar Kingdom Hearts com o poder dos Corações Extraídos por Sora...



Ele mostrou que eram só distrações. Seu plano era invocar com uma guerra mesmo.




Então ele fez isso tudo pra juntar todo mundo e forçar 13 lutas, das 13 lutas, independente do vencedor ou perdedor, ele pegaria a Chave gerada, e a usaria.

Xehanort completa seu plano e ai, é fim.




Ele queria só isso, abrir Kingdom Hearts, pra usar a origem da luz e apagar a existência de tudo, sugando a luz inteira de volta e reiniciando a vida.

Ele seria o percursor de um novo mundo, uma nova vida, uma nova existência, sem injustiça, sem impurezas, sem as tretas que convenhamos, ele mesmo andou causando (sínico).

Só que Sora impede ele, o segue usando seu coração.

Luta contra ele, no seu mundo natal, onde ele invoca 12 corpos extras de si mesmo.

E no fim, o cara consegue fazer a proeza de perder! ELE PERDE!

Com Kingdom Hearts, e a χ-Blade do lado, o miserável perde!




E Sora, mesmo com ira, ódio, pela sua amada morta, ainda tem moral pra conversar com ele, e perguntar por quê.


Todos os amigos que Sora salvou em sua jornada aparecem, e escutam o discurso de Xehanort, e no fim, o próprio se encontra com Eraqus.


Ele, o antigo mestre de Aqua, Ventus e Terra, havia morrido pelas mãos de Xehanort no passado, seu melhor amigo, mas ele se resguardou, dentro do coração de Terra.

Ele então se revela, e conversa com seu amigo, dizendo que no fim, é isso, a luz venceu, e pronto.


Ele diz que χ-Blade, e o Kingdom Hearts, deve ficar no controle da luz, e da justiça, e de alguém decente pra liderar, e pede a espada.


E Xehanort, na humildade, rejeita ela pra mão de Eraqus Gasparzinho, e entrega ela pra mão de ninguém mais, ninguém menos que Sora!

O vilão, que fez essa bagunça toda, confia ao herói, o poder máximo!



E ele, ao lado de seus amigos, sela o poder de Kingdom Hearts.


Xehanort, acaba morrendo em seguida, mas é perdoado por seu amigo, e ambos rejuvenescem em espirito, voltando à época que eram apenas jovens melhores amigos e sonhadores, e ascendem ao outro mundo.

Mas ainda tem muito mais história...

Aliados

Demyx


Esse cara também é um dos membros da Organização XIII que por opção, voltou pra Nova Organização XIII, mas ele é um caso diferente. Ele não tem seu corpo original revelado, nem seu nome original revelado, nem sua época ou origem, por isso sua motivação permanece um mistério, mas, ele é uma pessoa boa.



Tanto que, ele se converte num aliado mesmo depois de se tornar um Incorpóreo!




Demyx volta pra Organização XIII, por livre e espontânea vontade, ao lado dos demais, e parte de sua memória se perde quando se converte em incorpóreo mas, ele ainda tem seus objetivos, só que, um pouco é revelado perto do final do jogo.



Ele é deixado como "reserva" na Nova Organização, assim como foi feito com ele na antiga (com a entrada de Xion, antigamente, ele que tinha sido posto no banco). Sendo assim, ele não fica muito feliz com isso. Demyx sempre foi bem extrovertido, até mais que Larxene, e na sua batalha contra Sora, chega a ser espantoso quando o herói joga na cara dele que ele só ta "fingindo" emoções que ele não tem (alias, da forma como ela fala com ele, ela deve amar o cara).



Só que na verdade, parece que Demyx tem planos secretos por trás de sua infiltração na organização, parecido com o que Isa e Lea tinham. Ele e outro membro também tinham seu acordo para dar um golpe final no grupo e tirar proveito na hora certa, e eles o fazem.



Demyx trai a Nova Organização, quando ninguém suspeitava dele, levando um Corpo Vazio para o outro time, o grupo que tava ajudando os aliados de Sora, sem pedir nada em troca.



E pra variar, ele ainda leva Ansem, o Sábio, que tinha acabado de ser levado pela Organização, de volta para o lado da luz.



Demyx simplesmente frustra boa parte do Plano B da Organização XIII, sem que ninguém suspeitasse dele, mas isso também é graças ao outro traidor...

Vexen (Even)


Desde o começo, Even é citado como uma peça chave para uma das soluções possíveis pro problema do grupo de Sora.



Sem Aqua, no caso de falha de Riku e Mickey, todos contam com Sora e sua tentativa em recuperar Roxas, de algum jeito. Uma forma para fazer isso seria conseguir um corpo pra ele.

É difícil isso, pois diferente dos outros Incorpóreos, Roxas nunca teve uma forma humana própria (ele é derivado de Ventus e Sora). Sendo assim, um corpo próprio pra ele era impossível, ao menos, até as pesquisas de Even surtirem resultado.



Even estudava formas de criar vida artificial, isso muito antes da Organização existir. Ele inclusive se uniu a Ansem para esses estudos, e depois que Ansem foi traído, ele se manteve ao lado do Falso Ansem para ter apoio em suas pesquisas e continuar tendo sucesso.



E ele teve. Financiado por Xehanort, Vexen, o Incorpóreo de Even, conseguiu criar Cópia Riku, Naminé, Roxas, Xion, e chegou ao resultado que tanto queria, os Corpos Artificiais Perfeitos.

Receptáculos sem forma, que se reestruturavam e adaptavam ao coração e mente que era alojado neles, permitindo assim que qualquer um ganhasse vida.


Ele quem é o aliado secreto de Luxord no mundo de Piratas do Caribe, mas por razões diferentes dele.


Bem, Vexen se tornou um membro importantíssimo pra Organização XIII, e também pra Nova Organização XIII, mas, ele era o Traidor.



Vexen estava ao lado de Demyx, e ele tinha um plano. Por mais que ele parecesse um cientista obcecado por suas pesquisas, ele queria mesmo redenção pelos seus erros. Ele então seguiu os planos de Demyx, na aliança que ninguém jamais suspeitou, entre dois membros que nunca nem se envolveram, e tramou contra a Organização.



Quando Ansem foi tirado do mundo das Trevas, Vexen quem o resgatou das garras do Organização, e o entregou pra Demyx. Além disso, Vexen quem entregou um corpo fresquinho para Demyx levar.



Ele fez questão de contribuir para o grupo da luz, para ajuda-los a ter uma vantagem.

E no fim, isso realmente ajudou.

Vexen, mesmo como Incorpóreo, foi um grande aliado.

Ansem, o Sábio


Apesar de ter morrido naquela explosão ao tentar atrapalhar Xemnas em "Kingdom Hearts 2", Ansem foi meramente arremessado no Mundo das Trevas. La, isolado, ele encontrou Aqua e ficou trocando uma ideia sobre o mundo atual.



Na verdade, eu jurava que esse encontro com Aqua era antes de sua morte, mas é depois. Ansem foi traído pelos seus seguidores uma vez, e se disfarçou como DiZ. Depois ele se revelou e teve seu trágico fim.

Mas ai, por coincidência, ele se encontrou com Aqua. Ele não teve muito tempo porém, pois logo em seguida, Ansem, a versão Incorpórea que tomou seu nome, já regenerada como membro da Nova Organização XIII, faz questão de ir la busca-lo, para usa-lo pra encontrar "a garota".



É nesse momento que Aqua tenta defendê-lo, Ansem até tenta barganhar para salva-la mas, no fim, ela mergulha nas trevas, e ele acaba sendo levado assim mesmo.



Na Cidade do Crepúsculo, onde ele iria acessar os informes secretos sobre a tal "garota" pra Organização, forçado pelo outro Ansem...



O grupo de Hayner que tava de tocaia aparece, ciente que Ansem estava de alguma forma sendo refém, e é legal que Hayner tenta dar uma voadora (virou até meme) em Ansem das Trevas e toma uma surra, sendo salvo, estranhamente, por Incorpóreos brancos.



Era Vexen, ajudando eles a resgatar Ansem, e depois disso, ele mesmo leva Ansem para Demyx fazer o "trabalho sujo". Vexem precisava manter as aparências, e paralelo a isso, ele estava trabalhando com Luxord, la no mundo de Piratas do Caribe, como o misterioso observador.



Ansem retorna pro mundo da luz com ajuda dos vilões, e dos heróis, numa aliança improvável.



E no fim, ele ajuda o grupo a recuperar Roxas, com o corpo extra... mas...


A misteriosa garota não é Aqua, afinal ela ta ali, e é arremessada nas trevas pelo vilão ali mesmo. Não é Naminé, pois não faz sentido fazer mistério com seu nome. Não é Xion, pois a mesma já tinha sido despertada independente de Ansem ajudar ou não, então fica pairando o mistério, e da pra relacionar ela com a Estrela que Sora conversa no Mundo Final... mas depois falo disso.

Ienzo (Zexion)


Bem, Ienzo é um dos seguidores de Ansem, que acabou o traindo pra seguir sua versão falsa, mas se arrependeu disso quando voltou a forma humana, assim que sua versão Incorpórea, Zexion, foi destruída, e decidiu trabalhar com os mocinhos dessa vez.



Ele então tomou controle do laboratório de Ansem, em Hollow Bastion (que não aparece por completo, apenas na hora que ele conversa pelo Gummifone) e fica auxiliando Sora e seus amigos com informações e pesquisas.



Ele quer a todo custo compensar seus vacilos, e fica muito comovido quando Ansem volta a vida, na sua frente, trazido por Demyx.



Ele pede perdão, e Ansem entende que ele não fez nada por mal. Alias, Ienzo era bem jovem na época que a trairagem rolou, e ele não entendeu que "Xehanort" tinha tomado seu nome, e aquele não era o verdadeiro Ansem, por isso ele compreende que Ienzo foi manipulado.



Logo, ambos passam a trabalhar juntos pra corrigir todos os vacilos.




Ainda bem, pois Ienzo é um grande cientista, e um aliado magnífico, sem contar que, sem ele, Roxas não conseguiria voltar, pois depois que Demyx traz o corpo, e Ansem, é Ienzo quem prepara o corpo pra Roxas.

Aeleus e Dilan (Lexaeus e Xaldin)

De todo o enorme elenco, infelizmente Aeleus e Dilan são mudos.




Não sei se foi falta de dubladores, ou apenas espaço pra incluir mesmo, mas os personagens não tiveram diálogo algum, mesmo tendo presença.

Ambos são as formas humanas de Lexaeus e Xaldins, dois incorpóreos da Organização que tinham certa semelhança física, por serem robustos. De fato, a forma humana também se parece, pois ambos eram meio que os seguranças do laboratório.



Depois que voltam, eles estão no mesmo posto, e decidem ficar do lado de Ienzo mesmo, ajudando no laboratório. Não há clareza alguma sobre a razão de terem se unido a causa de Xemnas, e nem chegam a ser desenvolvidos. Nem há diálogos.



Eles só se mantiveram do lado do bem mesmo, e estão revoltados pelos que decidiram ir pro lado do mal de novo, como Even (que fez isso pra atrapalhar o grupo dos vilões de propósito).

Tem outros personagens que não chegam a ser dublados ao longo da história, como o Phil de Hércules, mas creio que é por falta de elenco mesmo. E não faz diferença isso, no fim das contas.

Alias, o jogo não é dublado em Português, mas nenhum KH foi, nem ao menos legendado, no máximo é em espanhol, então, paciência!

Extras


Existem entretanto personagens extras, que não estão totalmente relacionados ao enredo principal, mas estão presentes e vale muito a pena mencionar:

Malévola e Bafo

O tempo todo eles aparecem, mas eles não são nem vilões, nem aliados, e muito menos influenciam em qualquer coisa da história.



Tudo que fazem é buscar por uma Caixa.




Hora ou outra aparecem ao fundo procurando por uma misteriosa Caixa Preta, e em alguns momentos encontram coisas, mas se recusam a interferir nos assuntos, seja da Organização, seja de Xehanort ou seja de Sora.

Na verdade, Malévola faz questão de manter distância.




E é bem estranho isso, considerando o quanto ela estava envolvida no inicio de tudo. Agora ela segue sua própria narrativa.



E na verdade, ela da indícios de fazer parte da trama futura, afinal, a Caixa em questão está relacionada a essa trama.



Tem uma parte em que Malévola diz saber o que há dentro da caixa, que apesar de tudo, se mantém misteriosa até o fim, mas é bem provável que seja isso mesmo.


Ela menciona que há o Livro das Profecias, só isso (ou diz que precisa encontrar o livro, o que sugere que a Caixa tem a ver com ele).




Alias, Malévola sabe disso pois, ela está relacionada com o Jogo de Celular, onde acabou conhecendo coisas que não deveria. Ela foi a primeira a sair do conto de fadas.



Bem, continuando, Malévola está em busca dessa caixa, e no fim da história, ela encontra. Só que não fica claro se ela será uma vilã, uma aliada, ou manterá a neutralidade, pois igualmente, não fica clara sua posição no Jogo de Celular.



Por mais que ela tenha uma origem vilanesca, isso destoa conforme ela conhece a natureza da realidade em que vive, e pode ser que seu acordo com aquele que conheceu tenha feito ela mudar de lado. Por isso, não da pra saber.

Além disso, no final de KH2, ela se tornou uma aliada, então nunca se sabe. Sem contar que já há vilões na história vindoura, e estes não são a Organização XIII...

Naminé

Ela voltou!




Depois de ter ajudado Sora com Terra, ela foi trazida de volta a vida, pela combinação de Ansem, Ienzo, e o corpo que Riku Cópia resgata para eles.

No fim, ela comemora ao lado dos heróis, antes de provavelmente começar a chorar muito... mas eu falo disso depois...

Personagens de Celular


E tem ele. Numa brevíssima aparição, um dos protagonistas do jogo de celular surge, oferecendo ajuda pra Sora.



É bem na hora que Sora ta enfrentando a Escuridão Total, com todas suas forças, depois de resgatar todos seus amigos.

Na verdade, ele morre, ai quando volta, ele precisa resgatar a alma de cada um de seus amigos...


Ele só não encontra a de Kairi, quem acaba indo atrás dele especificamente (ela era quem estava mantendo ele vivo no mundo real).

Assim, ambos voltam juntos no tempo, e lutam uma outra vez, e é quando Terra surge, e a escuridão envolve todos uma segunda vez, quase vencendo, mas, os Espíritos do Passado resolvem dar uma força.

São eles todos os jogadores do game de Celular, e quem os lidera, Ephemer, é um dos protagonistas, um dos amigos do seu avatar.

Ele oferece a ajuda, e some junto as milhares de Keyblades que voam...



O que significa que, tragicamente, ele já se foi.


No jogo de celular, atualmente, a Guerra das Keyblades já rolou, e todo mundo já morreu, inclusive os jogadores, exceto os protagonistas. Há 6 personagens humanos, Keybladers, que não "morreram", o resto é tudo "banco de dados". Os jogadores mesmo são só arquivos que continuam existindo (é um jeito estranho de dar continuidade a história, depois da guerra, mas funciona). Nós acompanhamos a história deles de longe, e nos aventuramos, sem ter a noção de que somos apenas dados, arquivos do que fomos um dia (é como a história do Data Sora).

Pois então, Marluxia é um desses 6 personagens, o que significa que ele não ta morto, mas virou Incorpóreo no fim do jogo de celular (que a história ainda está em atualização). A Larxene, por outro lado, é estranhamente uma das pessoas que morreram na Guerra, tecnicamente, logo, ela seria só um Banco de Dados... mas de alguma forma ela volta... como Incorpórea (quero ver a explicação). O resto até então não foi explicado.

Esse cara, como apareceu como espírito, não virou incorpóreo, ou seja, ta morto mesmo.

Spoiler... é fogo isso.


Alias, Ventus também é um dos 6 personagens tá, mas no caso dele, em algum momento ele conhecerá Xehanort já como Mestre e será dividido em 2, ai perderá a memória e será adotado como elegido de Eraqus.

Chirithy


Esse gatinho fofo também é do jogo de celular, e na verdade, ele aparece apenas no Mundo do Fim, para falar com Sora e explicar o que houve com ele... ainda assim, é estranho sua presença.



Chirithy não ta morto, pois ta totalmente físico la, mas quando questionado, ele diz pra Sora que ta esperando um amigo, que pode nunca ir busca-lo, pois hoje está com seus novos amigos.

Bem, esse amigo que ele menciona, é Ventus, e isso fica bem claro no final do jogo, pois Chirithy decide parar de esperar, deixa o mundo Final, e vai ao encontro dele.

Ventus era membro do grupo Dandelion, os escolhidos para continuar protegendo o mundo das Fadas e a luz, depois da Guerra das Keyblades, e manter essa história escondida. Algo deu muito errado e esse grupo deixou de existir, mas Ventus seguiu vivendo, mas sem recordações de nada.

No fim, Chirithy volta pra ele, e ele o recebe feliz... mas talvez não tenha se lembrado (o gatinho tava tímido, ele deve ter recebido por reflexo, mas não por ter se lembrado do amigo... ainda assim, é melhor estarem juntos).

Chirithys são como espíritos guardiões dos Keybladers. Todos tinham um, na época dos Contos de Fadas, e eram seus parceiros leais. Só que desapareceram, juntamente com os Keybladers. Mesmo na época de Xehanort e Eraqus, já não haviam mais.

Ao que parece, o último é esse, e ele volta pra Ventus.

Eraqus


Mestre Eraqus morreu, assassinado por seu melhor amigo, o Mestre Xehanort, quando ele se rebelou e mostrou seus verdadeiros planos, em Birth By Sleep.



Ambos eram amigos de infância, treinaram juntos e não, eles não eram rivais. Na verdade Xehanort sempre teve muita admiração por Eraqus, e mesmo sabendo que a probabilidade de seu amigo virar Mestre antes dele, ele torcia pra acompanha-lo, como seu braço direito.

Ambos são o inicio e fim de tudo. Eraqus e Xehanort o tempo todo são mostrados jogando uma partida de Xadrez, meio maluca, onde as peças ficam em relevo no tabuleiro.



Parece que essa partida ditou o destino de ambos, pois tudo o que aconteceu em suas vidas, e também na jornada de Sora, segue minuciosamente as jogadas no xadrez Keyblader.



Mas, no fim, Eraqus vence a partida contra Xehanort, que admite a derrota, e isso também é um vislumbre do futuro. Curioso eles não lembrarem disso.

Alias, sabendo do final de Kingdom Hearts 3 agora, eu fico pensando... será que esses eventos são totalmente o passado? Ou seriam... o futuro?! (Tan ran raaaam Oo).

Invocações


Bem, antes de terminar, há algumas invocações que Sora faz durante suas lutas. Essas invocações, também chamadas de Vinculos, são justamente chamados que ele faz pra personagens com quem tem alianças ou terá, para lutar.

Em "Kingdom Hearts 1", ele fazia isso com alguns personagens ensinados ao longo da trama que em "Kingdom Hearts 2" nos é revelado que de fato saiam de suas histórias e iam ajudar Sora. Esses Vínculos então são como conexões que ele cria e, por isso, são poderes grandiosos, que consomem todo o poder mágico de uma vez e duram alguns segundos, mas causam grandes danos, além de terem efeitos exclusivos.

Mas, o mais curioso disso, é que essas invocações costumam trazer spoilers de mundos futuros que serão apresentados em jogos que ainda virão, e aqui, algo parecido ocorre...

Sonhos


Essa invocação traz o primeiro dos Oniris, aqueles Espíritos que Sora e Riku criavam no mundo dos Sonhos durante o treinamento pra virar Mestre, que foi sabotado pela Nova Organização XIII.



Bem, Sora fica pulando por ai, com ele, causando dano.




E pode Finalizar, invocando todos os demais Oniris de uma vez só, fazendo uma avalanche de sonhos, dando um golpe letal em área e varrendo os inimigos.



É uma referência a KH DDD, mostrando que ele ainda tem seu vínculo com os Sonhos.




Alias, Ventus menciona pra Aqua que ele sonhou com aquilo tudo enquanto dormia, logo, ele de fato estava feliz enquanto assistia Sora e Riku nos sonhos.

Detona Ralph


Por outro lado, essa invocação é louca de mais. Do nada, Detona Ralph aparece direto do mundo dos Games e ajuda Sora!



Ele monta blocos, que iluminam inimigos, e os paralisa.



Pode também dar investidas, causando pequenos impactos...



E pode quebrar os blocos tudo de uma vez só, destruindo junto todos os inimigos que estiverem paralisados.




O mais curioso dessa invocação, é que Ralph nunca conheceu Sora, e vice versa. Esse mundo ainda não tinha sido visitado em nenhum Kngdom Hearts, até o lançamento de KH3. Ele se torna uma invocação do nada, depois que Sora acessa sem querer o Mundo dos Games, na batalha contra os Robôs (o Xehanort Adolescente joga ele nesse mundo, mas é muito rápido), e isso é uma dica...



Depois de KH3, uma atualização chegou no jogo de celular, trazendo justamente, o mundo de Detona Ralph!


Isso foi inédito, pois no jogo de celular, até então, não tinham mundos "originais" desse tipo. No máximo eram os mundos das histórias de Kingdom Hearts, mas da Disney não.

Esse foi o primeiro mundo que trouxe algo da Disney pro jogo de Celular com exclusividade, e agora, cruzando as informações, da pra deduzir que de alguma forma, Sora irá aparecer no jogo de Celular... o que faz muito, mas muito sentido! Considerando o final secreto é claro... mas eu já explico...



É legal que essa invocação é um spoiler do final trágico de Sora...

Simba


O amigo leão de Sora aparece como um espírito. Eles já se encontraram nos 3 jogos, e agora, Simba é a invocação mais forte.



Ele Pula, causando dano forte de fogo.



Ruge, explodindo tudo ao redor.



E pode explodir no ar, causando um golpe final que detona tudo.



Pequena Sereia

Também como Espírito, por ter sido uma aliada anterior, ela ajuda num tipo de dança letal.




Sora e ela intercalam entrando no solo e saltando, jogando água. Quanto mais alto se pula, mais água se joga, e mais dano se causa. E pra pular mais alto é preciso pular no ritmo certo.



Depois disso, eles finalizam girando juntos e jogando água pra todos os lados, como um enorme e lindo chafariz.



Stitch


Outro em forma de Espírito e reluzente, por ter sido um aliado antes, Stitch surge com sua arma a laser criando triângulos de energia com Sora.



Ele demarca o campo, conforme o jogador arrasta os personagens.




Quando o tempo acaba, todos os triângulos formados são erradicados com lasers vindos do céu em disparos mortais, que detonam tudo que tiver dentro.


Minichef

Tecnicamente ele não é uma invocação, mas ajuda muito. Pra encontra-lo, da pra faze-lo indo no menu principal, entrando no restaurante, ou indo até o próprio Restaurante na Cidade do Crepúsculo.



Ele não consegue cozinhar sozinho, por isso pula na cabeça de Sora e o manipula pra suas proezas, assim como fazia no filme do qual saiu (Ratatouille).



Aqui, ele trabalha pro Tio Patinhas, mas se Sora o ajudar, ele faz pratos pro herói poder usar em suas lutas. Os pratos aumentam atributos e deixam ele mais forte durante um tempo. Eu particularmente não cheguei a usar nenhum, mas tem um monte.



Existem 4 tipos de pequenos puzzles na hora de cozinhar, e dependendo do desempenho do jogador, os pratos saem melhores.



Tem o desafio de quebrar os ovos, que consiste apenas nisso, quebrar 1 ovo. É preciso mover o analógico e apertar o botão certo na velocidade e hora certa.


Tem o desafio de temperar a comida, onde Sora fica jogando o tempero de um lado pro outro, e precisa agarrar o mesmo apertando o botão certo, na hora certa.



Tem o desafio de flambar a comida, pra isso é preciso girar a garrafa com líquido flamejante na dose certa, e depois por fogo na hora certa.


E tem o desafio de cortar legumes. Tem só que cortar legumes rápido e trocar pra próxima leva. Quanto mais rápido, melhor.




Todos esses puzzles são ligeiros, não gastam nem 5 segundos direito. E tem duas listas com comidas possíveis. Porém, é preciso coletar ingredientes primeiro.

Da pra comprar ingredientes, alguns, na loja Moogle, ou, da pra pegar por ai, em florestas, ou na água. Sempre tem algo bom pra cozinhar. 

Armas


Sora também tem suas muitas Forms, mas o destaque mesmo fica pras Armas, e não pras roupas. Apesar de que as roupas mudam também.

Keyblade Normal



A primeira Keyblade, quando Sora consegue a Form dela, ele passa a dar Combos mais Fortes.

Keyblade Escudo


Essa é a arma que ele pega no mundo do Hércules. Ela é mais focada em defesa, e de inicio, é como uma Keyblade comum.



Mas quando se transforma, vira um Escudo. Ela passa a ser arremessada nos ataques, e causa danos elétricos.




Além disso, se algum ataque for defendido, ela absorve ele, em até 3 golpes. Assim, o próximo golpe desferido, ao invés de jogar o escudo, faz Braços Gigantes de Nuvem que esmurram os inimigos, com base nos hits acumulados.



Os combos dessa arma tendem a finalizar com o elemento raio, e dano em área, e são bem fortes.




Pra variar, quando ela ta se esgotando, ela Finaliza virando uma Biga com Pégasos Elétricos que passeiam pelo mapa causando dano elétrico no campo todo.


Keyblade Estrela

Essa é a arma pega na Cidade do Crepúsculo.




Depois de transformada, ela vira uma arma de tiro estelar, causando disparos de energia, ao invés de dano físico. Legal que da pra andar enquanto atira.



Ela também habilita o sistema de Mira e Disparo Rápido com R2, o que causa bastante dano.

Ela tem uma segunda forma, que se carregada, faz ela virar um enorme Canhão.



Nessa forma, ela lança Bolhas de Energia que Estouram nos inimigos.

Ela é mais lenta assim, mas muito mais forte.

Quando finaliza, ela da um disparo laser potente, e volta a sua forma Keyblade.

Keyblade de Brinquedo

Ela é conquistada no Mundo de Toy Story




Quando se transforma, ela vira primeiro um Martelo, inspirado em Woody, que da um dano forte e impactos poderosos em área.



Seus combos sempre finalizam com golpes em área, fortíssimos.




Ela tem uma segunda forma, quando carregada uma segunda vez em cima dessa, onde se inspira em Buzz, virando um tipo de Luva Foguete.



Nessa forma ela da golpes rápidos pra frente, com socos que perfuram.



Ela também passa a priorizar combos no ar, dando mais golpes voando.




Quando ta esgotando o tempo, a Luva vira um gancho que prende um inimigo e o bate de um lado pro outro, até a arma voltar a ser uma Keyblade.


Keyblade Encantada

Essa arma é pega no mundo de Rapunzel.



Ela é mais baseada em golpes arcanos, e por si só, é bem forte.



Ela da golpes mágicos a distância, jogando magias de luz e finalizando seus combos com canhões de luz em giratórios.



É bem forte, mas ela ainda faz algo melhor: Ao se esquivar, ela cria Cópias de Sora.




Até 4 cópias paralelas a ele, e ai, quando ele ataca, todas elas atiram magia junto, mas apenas magia simples, de luz, que acelera o disparo até finalizar.



Quando a forma esgota o tempo, ela cria uma Torre alta e invoca duas cópias, lançando Luzes pra todos os lados e causando dano em todos os inimigos.


Keyblade Monstruosa

Essa é pega no mundo dos Monstros S.A.




Ela primeiro tem uma forma de duas Garras feitas de Portas, e é toda mecanizada. Permite atacar rápido, e ao invés da esquiva, ela faz ataques giratórios. Na verdade, todos seus ataques são giratórios, mas ela perde a Defesa completamente, e a Esquiva ganha essa potencializada.




Ao carregar novamente, ela assume uma segunda forma, de Ioios Gigantes, em que passa a causar golpes rápidos, e de médio alcance.



Nessa forma ela fica bem rápida, e é bem divertida, além de ser uma arma de golpes em área.



Só que sua finalização é individual, dando um tipo de Mordida em um único inimigo.



Keyblade de Gelo

Essa é pega no mundo de Frozen.



Ela primeiro se transforma em duas Garras de Gelo, que causam danos rápidos e congelantes.



Ela inviabiliza a defesa, e em troca, passa a causar golpes giratórios (sim, a mecânica é a mesma das Garras de Portas).



Ela tem uma segunda forma quando carregada de novo, virando Patins de Gelo.



Nessa forma, ela permite movimentos mais rápidos, e deixa Sora dando chutes de gelo.



Ele causa vários combos assim, e se esquiva com mais facilidade e agilidade.



Ao finalizar, ele cria um lustre de gelo e detona ele pra todos os lados.



Keyblade Pirata

Essa arma é pega no Mundo de Piratas do Caribe.




Ela tem basicamente duas formas, e são ambas bem parecidas. A primeira é uma Lança, baseada em um navio (ela é a junção no manche com a vela), que Sora usa pra lutar Esgrima.



Quanto mais se ataca, mais água e outras Lanças ela invoca, e causa dano em área.



A segunda forma é uma Bandeira, e cria um golpe em volta de Sora.



Mas no geral, ela não parece tão diferente da Lança inicial.



Sua finalização invoca o próprio Kraken, que pega tudo e espanca com seus tentáculos, seja em terra mesmo.



Keyblade Microbot

Essa arma tem apenas uma forma, mas é muito poderosa, e é pega no mundo de Big Hero 6.



Basicamente é uma Luva Turbinada que permite agarrar os inimigos e dar golpes bem fortes.



Ela praticamente voa na direção dos inimigos, o que ajuda muito a causar golpes de médio alcance.



Sua finalização invoca uma bomba de microbots que ataca tudo ao redor de Sora.



Keyblade de Mel

Essa é pega no Livro do Pooh



É praticamente idêntica em funcionalidade a Keyblade Estelar, só que ela lança Mel e Abelhas ao invés de laser.



Em sua segunda forma, que também é um canhão, ela explode Mel, só isso.



Keyblades Especiais

Tem outras Keyblades que eu não coletei ainda... mas quando pegar, faço questão de atualizar aqui (se eu pegar).


Uma delas é, curiosamente, a Keyblade que eu deveria ter pego antes de começar o jogo pois ganhei como prêmio do jogo especial de celular (mas eu nem sei como habilitar ela, pois meu código sumiu).

Alias, dentro de KH3, existem jogos antigos no Gummifone, naquele estilo antigão. 



Alguns deles aparecem no jogo de celular, e foram meio que promocionais antes do lançamento, dando como premio uma Keyblade única no lançamento.



No KH3, tem bem mais joguinhos, e se zerar todos eles, ganha-se uma Keyblade única também... mas eu ainda nem encontrei todos, quem dirá zerar todos.

São meros puzzles.

Anti-Sora


Essa forma não usa Keyblade, na verdade Sora fica impuro quando assume ela, e não pode equipar mais Keyblades, mas ele fica muito rápido e forte.



Seus golpes levam ele direto pro inimigo não importa a distância.



E seus combos são muito fortes, usando suas garras pra causar danos altíssimos.



Sem contar que ele pode usar um especial que consome sua energia vital pra causar dano.


Quando seu HP ta acabando, Sora pode fazer um especial que espalha escuridão pra todos os lados e causa dano em todos os cantos.




Essa forma se libera sozinha, quando Sora ta quase morrendo e carrega as 3 setas de energia. Pode acontecer dele se irritar e liberar a Anti-Forma... isso acontecia no KH2, mas aqui, é muito mais relacionado ao enredo, principalmente no final.



Ela tem um tempo de duração um pouco maior que as Keyblades Forms, e apesar de drenar a energia vital, quando ela termina, Sora volta ao normal.

Nessa forma Sora também não pode usar Magias, Invocações ou Itens.

Inimigos

Estou quase terminando. Irei falar brevemente dos inimigos do jogo, só pra não perder o costume.

Sem-Corações

Temos uma legião deles, e boa parte já vimos nos outros jogos.


Há alguns novos, e o curioso é que vários eu tenho certeza que são do jogo de celular. Como os Arqueiros, ou os Ovos, eles são Sem-Corações novos, mas que vieram do Jogo de Celular, pro KH3, ou será que são antigos?

Fato é que alguns evoluíram, como sempre... os Magos por exemplo, que agora tem bem mais efeitos e luzes, mas no geral fazem basicamente o mesmo de quando surgiram pela primeira vez.

Temos alguns Heartless de Areia que são novidade, e bem resistentes...




E alguns adaptados aos novos mundos visitados, mas isso é talvez pelo fato de Sora e seus amigos encontrarem novos cenários. Novos tipos de Heartless são comuns em novos ambientes, como os Brinquedos, por exemplo, no mundo de brinquedos... é normal isso.

Incorpóreos


Os Incorpóreos não evoluem, então não tem diferenças com relação ao que mostravam antes. Como agora não tem os movimentos de esquiva em Triângulo, os Brancos com Ziper por exemplo, não tem todo aquele desafio de antes, mas aparecem.



Não são todos os Incorpóreos da Organização XIII (os Serviçais) que surgem, mas grande maioria sim, e alias, alguns novos, dois pra dizer a verdade: os de Marluxia e os de Larxene.




Os de Marluxia são ceifeiros, como ele, que se plantam no solo e giram. Eles são bem rápidos, e ficam imunes a dano quando se plantam.


Os de Larxene são ninjas elétricos, como ela, e atacam kunais elétricas além de serem também bem rápidos.



É que, na época que Marluxia e Larxene enfrentaram Sora pela primeira vez, os Incorpóreos Servos ainda não foram usados, no lugar, eram usados os Sem-Coração de Cartas, baseados nas memórias de Sora. Então dessa vez, os Incorpóreos inspirados nesses dois surgem aos montes.

Os demais já foram vistos antes.


Tem um especial, o do Saix, que é um Incorpóreo de Espada que Pula, ele é praticamente um chefe secreto, encontrado na missão dos Documentos Secretos, quando é preciso revisitar todos os mundos atrás de cristais Rosa pra enfrentar desafios de luta pra conseguir Acessórios especiais e os tais documentos, contando mais sobre a história de alguns membros da Organização (como do próprio Saix).



Ele é bem mais forte que os outros Espadas vistos em KH2, e não tem outros ao longo do jogo, só que isso não é por ele ter "evoluído" e sim, por ele ter entrado em fúria, assim como o próprio Saix no fim do jogo.

Unverseds


Essas criaturas também marcam presença, visto que Vanitas ta na Organização agora. E aparecem no Mundo de Monstros S.A., ao invés de Incorpóreos ou Sem-Corações.



Antes disso, eles só foram vistos em Birth By Sleep, como inimigos de Ventus, Aqua e Terra, e é legal Sora notando a diferença do Simbolo neles.



No fim, estão la mais por causa de Vanitas, e são só criaturas geradas pelo mal dele mesmo, afinal, ele tem um ponto pra provar.

Comidas Sem-Coração


Lembra dos Cogumelos Heartless que um dia viraram Cogumelos Incorpóreos? Esqueça cogumelos, pois agora que temos um "minichef" pra preparar comidas, surgiram novos "inimigos" de diferentes sabores.


Pelos mundos, há Pudins Heartless, com Frutas acima da cabeça. Cada Pudim libera um desafio, sem qualquer penalidade, e que premia com a Fruta que ele carrega.


Eles não somem depois de se concluir ou falhar na missão, e da pra repetir tranquilamente, só falando com eles novamente. E pior que os desafios nem são complicados, geralmente são coisas simples como Equilibrar o máximo sem ser atingido pelos grandões...


Ou tirar foto deles na melhor posição possível...


Coisas assim rolam, e diferente dos Cogumelos, o jogador não precisa se matar pra descobrir o que eles querem, o objetivo é anunciado antes do desafio começar.

Mesmo eles sendo Sem-Corações, não são inimigos de verdade.

Chefes


Eu poderia falar dos inimigos individualmente mas, acabaria demorando muito, e convenhamos, não é a parte mais interessante. Acho que, da pra resumir melhor ao falar dos Chefes, que são o ponto alto das batalhas em cada parte do jogo. Além disso, já vou contar a história do jogo junto.

Então, vamos aos Chefes:

Sem-Coração Grande


Depois que Sora e Hércules salvam a maioria das pessoas em Tebas, e enfrentam vários Sem-Corações, surge um grandão, como chefe.


Posteriormente ele fica meio genérico, mas, como ele é considerado chefe, e serve de passagem pra outra parte do jogo, quando Sora e Hércules se separam, é importante menciona-lo.


Na verdade, depois que ele é derrotado, Sora e Hércules ainda andam um pouco juntos, até que Hércules decide ir até o topo da montanha mais rápido e sobe no Pégasos, deixando Sora, Donald e Pateta com o caminho mais longo.


Titãs


No mundo do Hércules, o primeiro, os mais fortes são os Titãs, invocados por Hades. Ele até aparece, mas na verdade, age através deles.

Titã de Pedra


O primeiro Titã é enfrentado isolado. Ele tenta impedir Sora de subir a montanha que leva pro Monte Olimpo. Esse chefe já foi usado antes por Hades, e curiosamente, isso é mencionado antes da aventura começar. Talvez por isso ele é usado no inicio, como um chefe isolado.



Após alcançar seus pés, desviando das pedras que ele joga (Sora corre na parede), Sora precisa lutar contra seu corpo, até fazê-lo cair, e subir pelas pontas até suas cabeças, onde o enfrenta.



Depois o herói invoca uma Montanha Russa e senta a porrada no Titã, vencendo a luta.



 Titãs de Fogo, Tornado e Gelo

Depois de passar pelo Olimpo tomado por Heartless, Sora encontra Hades, com os Titãs, já tendo derrotado os deuses, e capturados Zeus.



Ai, rola uma luta contra 3 Titãs de uma vez só!




O Tornado no meio, o Gelo de um lado e o de Lava no outro, todos atacando individualmente, mas com HP compartilhado.



No fim, é só usar o poder de mirar pra chegar perto das cabeças e sentar Chavada até morrerem. Só que, o Titã tornado foge.


Titã Tornado

Então acontece a luta contra ele isoladamente, acima das nuvens.



Ele é bem forte, e difícil de alcançar.



Sora chega a voar em alguns momentos por causa dos poderes do Titã.



Ele sopra vento, e joga coisas, e no fim, é preciso esperar ele assumir a forma mais física possível pra poder bater nele com mais facilidade, até vencer.



Depois disso, Zeus é libertado, Hades é expulso, os Titãs são jogados no espaço, e fim.



Turbilhão de Heartless

Esse chefe aparece algumas vezes, e basicamente são vários Heartless do tipo mais comum, tumultuados.




Riku e Mickey os enfrentam primeiro, mas Riku perde luta, e tem sua Keyblade danificada permanentemente (por isso ele troca).



Não tem segredo nele, na verdade é um chefe que foi visto em KH 0.2, e Aqua enfrentou muito, e ele segue o mesmo modelo. Da pra se orientar pelos olhos dele. Amarelo da pra atacar, vermelho é melhor fugir.



Sora também enfrenta ele na Cidade do Crepúsculo, quando vai tentar descobrir informações sobre Roxas e encontra Hayner e os outros fugindo.



Mas esse tipo de inimigo é só uma combinação de vários outros, não sendo uma exclusividade.



Sem Corações e Incorpóreos

Isso conta como chefe pois é o maior desafio que surge na cidade do Crepúsculo. Na verdade, a Horda de Sem-Corações é o único chefe encontrado nesse mundo, mas ele é enfrentado logo no incio e não surge mais.


Depois disso, o último desafio é uma batalha contra Incorpóreos e Sem Corações, ao mesmo tempo. Uma aliança provocada pelo fato de Xemnas e Ansem aparecem nesse mundo pra provocar Sora, ambos como membros da Nova Organização.

Possessão


No mundo dos brinquedos, há vários brinquedos possuídos. Na verdade, o Mundo de Toy Story inteiro é uma mera cópia do mundo real de Toy Story, o próprio Xehanort Adolescente, quem aparece nesse mundo, diz isso. Ele confessa que levou os brinquedos pra la pra estudar o fato dos mesmos terem corações mesmo sendo inanimados. Alias, os brinquedos só não "voltam ao normal" desmaiando quando o veem, pois apesar dele não se disfarçar como um brinquedo, ele aparece do tamanho deles, e eles deduzem que ele é um tipo de "Action Figure" ultra realista (é isso que imaginei).



Então, os brinquedos são meras replicas possuídas por escuridão. Nem chegam a ser de fato Heartless, mas só o mal tomando eles.



Woody e Buzz pedem ajuda pra Sora, pra encontrar Andy, e seus outros amigos que simplesmente sumiram, é por isso que eles vão até o Shopping, onde enfrentam vários brinquedos. La, Rex, o Porquinho, os Soldados e os ETs acabam se perdendo e precisam ser resgatados, gerando várias lutas aleatórias ao longo das lojas, até serem todos reunidos.

Robôs Gigas


Nesse mundo, curiosamente, existe Robôs que atiram Laser de verdade. Estes são equipados por Sem-Corações mesmo, mas, depois derrotados, eles podem ser usados por Sora como armas.



Tem uma luta de chefes em que o Xehanort Adolescente prende Sora num mundo virtual, onde ele precisa enfrentar dezenas desses robôs em sequência. Esses robôs alias, pertencem a um jogo, fictício, que nasceu no mundo gerado em Toy Story, o mundo chamado "Verum Rex".



Essas máquinas seriam os inimigos desse mundo, que em Toy Story, são Action Figures chamadas "Gigas"... pelo menos foi o que entendi.


Dinossauros Brinquedos


Quando Rex some, Woody acaba confundo ele com um brinquedo de dinossauro vermelho, e rola uma luta de chefe. Tem vários dele na verdade, mas é justo destaca-los como chefe pois, aparecem só nessa parte, e são assustadores.



Se movem de forma pausada (eu tenho medo disso) e no fim, Rex é salvo.



Boneca


Existe uma Boneca aterrorizante que é possuída e ataca os heróis. Eles precisam derrota-la depois de encontrar o Hamm (porco). 



Ela e mais uma legião de ursinhos e brinquedos, além de Sem-Corações, aparecem em uma batalha longa pela loja de brinquedos, na sessão de bonecas.



Apesar de medonha, ela não é tão forte, e se move como uma fantoche, sendo jogada de um lado pro outro, pulando, voando, se arremessando na direção de Sora, e causando golpes explosivos no solo.



Depois de derrotada, Buzz fica chateado ao notar que os brinquedos possuídos estão "mortos", e não faz bem essa relação. Na verdade ele fica com medo disso acontecer com ele, ou com seus amigos, e o pior é que acontece.


Ovni Heartless


Um Heartless parecido com um Disco Voador aparece e sequestra os Ets, que são obcecados por Garras. 


Nessa hora Sora e os outros os salvam, mas pra isso, precisam dar um jeito de alcançar a nave no meio da luta.


Ela é rápida, e tem tempo pra destruí-la, mas no fim das contas, da pra vencer, é só apelar pra acrobacias e especiais.



Ou até usando robôs que aparecem no cenário (mas primeiro é preciso derrota-los).


Grande Brinquedo Heartless


Xehanort Jovem decide amaldiçoar Buzz e fazer com que ele saia de si e fique possuído, então faz ele atacar seus amigos, usando como fonte de poder justamente essa dúvida que surge nele.



Não há luta nessa parte, e enquanto Woody e os outros ficam lidando com Buzz, Sora é jogado no mundo virtual onde enfrenta a legião de robôs. Quando ele volta, ele é transferido pro Mundo dos Brinquedos especial, onde rola a batalha contra vários brinquedos e Sem-Corações, além de um Brinquedo Gigante poderoso.



Antes dessa luta, Buzz é salvo pelo poder da amizade de Woody, que consegue expulsar toda a escuridão imposta por Xehanort. Sora o ajuda com isso, e ambos libertam o brinquedo astronauta, pra batalha final.




O Xehanort Adolescente deixa o campo, dizendo que foi bem sucedido em seus estudos, mas em seu lugar, deixa um Sem Coração Nave Robô gigante. Ele, fingindo ser um brinquedo, enfrenta Sora e seus amigos num mapa repleto de brinquedos.




A batalha contra ele nem é complicada, ele só é grande, e voa, mesclando características de todos os inimigos vistos nesse mundo. Depois de derrota-lo, a aventura se encerra. 




Woody e seus amigos acabam se despedindo de Sora, e aceitam a nova situação em que estão, meio gratos pelo fato de ao menos poderem ver Sora mais vezes, e confiantes que um dia encontrarão Andy e os outros brinquedos de novo.


Cavalo Heartless


No mundo de Rapunzel tem muitos inimigos fofos, mas um deles não é tão fofo assim, e é basicamente uma carruagem Sem-Coração com várias partes.



Ele tem várias barras de HP, e a cada vez que o Cavalo na frente é derrotado, um novo surge na próxima carruagem.



Ele vale como chefe, apesar de ser um tipo de Sem-Coração mais recorrente depois (ele é bem forte, por isso quando reaparece, é com menos "camadas").

Heartless Mãe Rapunzel


No fim da aventura, a Mãe adotiva de Rapunzel começa a envelhecer bem rápido, após ter seus planos frustrados quando Flyn corta os cabelos da ex-loira.



Exatamente como ocorre no filme, ela acaba se desesperando enquanto ta morrendo, escorrega e cai da torre tentando esconder sua velhice.




Só que, ao invés de envelhecer bastante e virar poeira antes de tocar no chão, Marluxia decide converter o coração sombrio dela em um Sem-Coração, e ela vira um tipo de Árvore Bruxa poderosa.



A luta ocorre no cenário de sua torre, e Sora precisa acerta-la...



As vezes com ela se afastando e subindo na própria Torre, usando como distrações magias e cercas de espinhos pra manter Sora longe.



No fim, ela é derrotada, e Rapunzel salva seu amado com suas lágrimas.




Apesar desse não ser o mundo verdadeiro, provavelmente alguns personagens foram puxados junto com Rapunzel para consolidar sua realidade, assim como foi feito com Woody e Buzz no Toy Story. Por isso, não me surpreenderia se de fato a bruxa era verdadeira (o que explica sua conversão em Heartless) e o namorado de Rapunzel também, além do cavalo (que apesar de eu não ter mencionado, aparece as vezes no jogo, mas só nas cutscenes).



Unversed Gigante


No mundo de Monstros S.A., as maiores ameaças são sempre os Unverseds, que sempre surpreendem por serem novidades, e as hordas são desafios chatos.



Mas, além do incêndio que eles precisam apagar...



E dos desafios na própria Fábrica como o sistema de segurança corrompido...




Os heróis enfrentam um Unversed gigante que surgem dentro de um robô, que o vilão de Monstros S.A. tenta usar contra eles, mas ele falha na primeira tentativa.



Vanitas o corrompe com seu poder, fazendo não apenas ele funcionar, mas se tornar uma criatura muito mais poderosa e grotesca do que o previsto.




Ela se dilui durante a luta, e se espalha por todo o cenário.


No fim, é uma grande gosma do mal.



Depois que sua criatura é derrotada, Randall acaba sendo jogado de volta pra porta de onde ele saiu.




Além disso, o próprio Vanitas tenta enfrentar Sora, ameaçando Ventus dentro dele, e ele é muito forte e assustador. Sora mesmo fica em pânico...



Só que Mike e Salley pegam Vanitas distraído e jogam ele dentro de uma porta, e depois jogam essa porta em outra, e ela dentro de outra, tudo pra mantê-lo longe de seu novo amigo.



Assim, eles levam Buu pra casa, como queriam fazer desde o inicio, e se despedem de Sora, mas ficam de olho pras ameaças.


Marshmallow


No mundo de Frozen, no sobe e desce chato pra burro, chega uma hora que Elza invoca um Boneco de Neve robusto para defendê-la.



Sora tenta fugir de inicio, mas acaba tendo de enfrenta-lo.



A batalha é árdua, ele sopra gela, usa ataques de fúria com espinhos de gelo e é bem forte.



Mas no fim, acaba que Sora foge assim mesmo.




Posteriormente, e curiosamente, esse mesmo boneco de neve reaparece, preocupado por Elza, e Sora até se prepara pra lutar.



Só que, o boneco vai atrás dela, que tinha acabado de ser raptada pelo Príncipe de outro reino, que queria sua mão em casamento a força.



Assim, Sora oferece ajuda pra resgata-la, e o aliado desse mundo se torna, justamente, esse chefe!



Ele usa os mesmos poderes da batalha, e é muito forte.



Heartless Lobisomen de Gelo


No final, quando a irmã de Elza congela, o Príncipe do mal cai longe e a maldade nele emana forte, então, ele se transforma num Sem Coração, um Lobo de Gelo que ataca Sora.




Ambos lutam em uma dimensão isolada, onde Sora, com ajuda justamente do Boneco de Neve de Elza, derrotam o grande Lobo Mal.



Ele é rápido, e cria réplicas fantasmas de si mesmo que ficam atacando pelo mapa.




Além disso, as vezes, ele causa um ataque devastador que precisa ser impedido a todo custo, onde ele praticamente vira uma lua de gelo e prepara uma explosão.




Sora e o boneco impedem o ataque juntos, se chegarem a tempo.



Assim que esse inimigo é destruído, Sora volta pra dimensão normal, ao custo do sacrifício do Boneco de Neve, que pula na frente da explosão enorme causada.



Depois disso, ele sai da dimensão sombria e volta pro mar congelado, onde é abordado por Larxene, que corta o clima paralisando o tempo.




Depois do encontro com ela, onde Larxene mente dizendo que os 13 seguidores das trevas já foram reunidos, Sora testemunha o momento feliz entre as irmãs, e tudo se encerra nesse mundo.



Dragão Heartless


Há uma batalha voadora contra um dragão logo no inicio do mundo de Pirata dos Caribes. Sora tem que destruir ele pra impedir que ele ataque o Pérola Negra e e todos que estão a bordo dele.



É uma luta intensa em plenos céus, e é preciso tanto atacar o dragão, quanto manter o navio em segurança, enquanto usa os Heartless como recurso pra chegar até ele.



Quando se aproxima dele, após atirar bastante, as vezes o dragão fica atordoado, e Sora pula nas escamas, se aproximando da cabeça, e batendo contra ela, defendendo do sopro de fogo, e atacando quando pode.



Isso se repete até ele ser destruído.



Depois disso, Sora cai no mar, e acaba naufragando... mas ele acha um outro navio...



Heartless Peixe Gigante


Tem uma luta breve de baixo d'água contra um Heartless, quando Sora ta indo buscar um navio. Ele mergulha, desviando de águas-vivas e heartless aquáticos, até chegar num grande Heartless marinho, contra quem precisa lutar.




Não tem muito mistério, pois Sora não pode mudar armas nem fazer combos diferentes de baixo d'água, é sempre os mesmos movimentos, ou magias.



Logo, é preciso esquivar, e atacar, evitando o monstro, principalmente contato direto, pois ele engole e tira muito dano.




Depois de derrota-lo, Sora chega ao navio, que estava sob guarda de Jack Sparrow, ou pelo menos quem ele achava ser Jack Sparrow.


Navios


No mundo dos Piratas do Caribe, há Heartless em Navios Fantasmas pelos mares o tempo todo, e as vezes surgem algumas frotas que precisam ser derrotadas, com alguns heartless ceifeiros grandes e poderosos que são bem fortes e difíceis de abater, mas depois de destruídos, afundam junto com seu navio como todo bom e velho capitão.



Eles são aleatórios, e tem um que aparece num canto onde no mapa tem um Navio Afundado desenhado, e é muito forte, mas eu não consegui nem mesmo atracar no navio.



Pra atracar, é preciso quebrar todos os orbs, e só então rolam lutas a bordo dele.



Eles contam como chefes, apesar de serem opcionais e variados.

Corrida de Luxord


Em certo momento, Luxord decide parolar com Jack Sparrow e, em troca de informações sobre o Baú de Devy Jones, ele aposta uma corrida até Porto Royale.



É preciso vencer a corrida a qualquer custo, esquivando ou destruindo os navios que vem na contra-mão e atacando ou desviando do navio de Luxord.



Depois de vencer, ele enfrenta Sora, com uma frota de navios, em uma batalha intensa, só que marítima, como as outras.




Depois disso, é revelado que Jack não é bem Jack, mas sim, caranguejos Brancos, e que Sora estava só sendo distraído. Ai ele vai pro confronto final... claro que rola toda a distração antes disso né.


Kraken


Luxord, depois de perder a corrida, cumpre sua parte no acordo e conta o que sabia sobre a caixa: Nada. Ele então pede pra Sora se livrar do Kraken e arrumar a bagunça dos piratas, pra ele continuar buscando o que a Organização pediu.



Então começa uma luta contra o Kraken, que agarra o navio em que estavam os mocinhos, e Sora precisa atacar o mesmo, enquanto também atacar o Holandês Voador, que fica afundando e ressurgindo no mar.



Tudo isso enquanto gira num furacão.



Ai, quando libertam o Pérola, Sora embarca no Holandês Voador pra ajudar seus amigos.

Davy Jones

No navio, Sora se une ao verdadeiro Jack pra lutar contra o próprio Davy Jones, pelo Baú.



Ele pode ir pra qualquer parte do barco, entrando nele e surgindo do outro lado se desejar, e isso dificulta alcança-lo.



Além disso, as vezes ele usa o Kraken pra dar golpes no navio (que se regenera independente do dano, pois é o Holandês Voador).




O verdadeiro Jack estava lidando diretamente com Davy Jones e o Holandês Voador, ao lado de Will e Elizabeth. 


O aliado misterioso de Luxord, Vexen também surge pra tentando tomar a caixa com o coração dele, mas quando descobre o real conteúdo dela, fica enojado e vai embora.




Enquanto Sora, Donald e Pateta distraem o Davy Jones, Jack faz Will esfaquear o coração de Davy Jones, e ele afunda com o navio, virando o novo capitão, e eles deixam o Holandês Voador, voltando pro Perola e se afastando antes dele afundar.



Um tempo depois, Will ressurge ao lado do Pérola pra ajudar os Piratas, e Elizabeth vai ficar um dia com ele.



Além disso, o navio de Sora vira caranguejos.



Heartless Gigante


No mundo do Big Hero 6, logo de cara, enfrentamos um grande Sem-Coração, que ta causando problemas numa estrada (é o mesmo enfrentado no mundo do Hércules como chefe).



É uma luta intensa, no meio de uma ponte, e recebemos o suporte do Baymax e Hiro, na verdade, ajudamos eles.



A luta consiste em atacar o grande Heartless, destruir sua Serra, que as vezes é usada como escudo, e derrota-lo.



Depois disso os heróis viram todos amigos, e treinam juntos.

Sem Coração Dinossauro


Depois de se atualizarem, eles acabam enfrentando um enorme Sem-Coração que aparece na cidade, dessa vez em forma de dinossauro.




Não é muito complicado apesar de tudo, ele é grande, e quando cada parte de seu corpo é destruída, ele se converte em um grande tipo de Mago Sem-Coração, e tenta fugir pra cima de um prédio.



La, ele é derrotado, e os heróis comemoram.



Cubos Microbots


Depois do sucesso com o treinamento onde o time Big Hero 6 se inspira em Sora pra criar novos movimentos, Cubos com microtec aparecem e atacam a cidade. Rolam três momentos de confronto.



Primeiro, uma luta em que não é possível vencer, pois eles não recebem dano de forma alguma (nem tem barra de HP).




Depois tem uma corrida contra o tempo, onde os membros do grupo são capturados em diferentes partes da cidade e Sora precisa ajuda-los, recebendo a orientação de Hiro pelo rádio.



Cada membro fica numa situação e posição diferente, e precisa ser resgatado antes do tempo acabar.




No fim, Riku a versão maligna, que é o membro da Nova Organização que aparece. Ele se revela pra mostrar que o poder do mal é o mais forte, e então coloca os microbots reconfigurados em cubos pra atacar Sora, só que Hiro usa os dados coletados dos resgates pra encontrar um ponto fraco.



Ai da pra causar dano, num núcleo que Hiro mostra pelo óculos que deu pra Sora.




Depois de vencer a luta, atacando nas várias configurações dos microbots, Riku acaba cantando vitória, dizendo que seus dados estão quase completos.


Dark Baymax


De dentro dos cubos, Riku remove um chip, e o usa no corpo antigo de Baymax, retirado da outra dimensão em que ele estava.



Ele converte o antigo amigo de Hiro num vilão, e deixa ele pra lutar contra Sora.




A batalha consiste em uma perseguição pelos céus da cidade (com câmera fixa e automática). Baymax do mal atira contra Sora montado em Baymax, que precisa desviar enquanto se aproxima e causa danos atirando contra.



Depois de um tempo na perseguição, ambos param e se enfrentam nos céus mesmo, numa batalha mano a mano.




Baymax fica no estado "Ataque Parceiro" contínuo nesse momento, ajudando Sora o tempo todo. Assim, fica um pouco mais fácil enfrentar seu lado mal, mas ainda assim é difícil.



O Baymax maligno é rápido, usa microbots pra atacar junto com seus tiros, e fica mantendo distância.



Mas ele perde, descarrega, e Hiro quebra o chip dele...



Só que faz um novinho depois, reanimando o antigo corpo de seu amigo.



Anti-Aqua

Essa é a Aqua quando ta corrompida.




Ela usa os mesmos movimentos de quando é jogável em KH 0.2, e é muito forte, e rápida. Quem a enfrenta é Riku, e o jogador passa a movimenta-lo. Mickey fica de fora da luta.




Além de Aqua, a Horda de Sem-Corações também fica atacando de vez em quando, usando Mickey na ponta.



A batalha contra ela chega a ser quase que meramente ilustrativa, pois no meio dela, Riku usa comandos com Triangulo que geram especiais...



E um deles, é "Sora", que convoca o próprio Sora e finaliza a luta de vez.



Ou pelo menos muda o comando pro Sora, pra que ele termine a batalha e salve Aqua.



Não é uma luta tão difícil.




A horda é destruída por Riku e Sora juntos num golpe só, e Aqua tenta apelar contra o garoto mas, Sora já aparece bem fortão.


Vanitas


Depois que ela é resgatada, ela faz questão de levar Sora pra onde Ventus está, e ai Vanitas aparece. Aqua se recusa a deixar que o vilão leve seu amigo, e cria uma domo onde enfrenta ele sozinha.



No controle de Aqua, o jogador precisa derrotar Vanitas que é muito rápido e apelativo.



Por sorte Aqua é boa em contra-ataques, então no fim, da pra vencer fácil, esperando a melhor hora pra atacar.




Só que Vanitas mira mais na barreira do que em Aqua, e é na tentativa de atingir Ventus, que ele acerta Aqua  de surpresa (que tenta defendê-lo), e quando vai finaliza-la, Ventus acorda, encerrando a luta, e fazendo Vanitas fugir.


Chefes Gummi


Tem chefes Gummi aos montes. Boa parte é opcional, e as vezes, prestes a chegar em um mundo, surge algum chefe pra encher o saco.



Não é como nos KH anteriores, em que eram de fato Heartless espaciais. Aqui, são como blocos Gummi amaldiçoados, pois são apenas coisas no espaço que são do mal mesmo.



Tem Torres grandes, umas naves, tem cristais, tem bases, sempre coisas grandes.




No fim, pra ir pro Cemitério de Keyblades, é preciso atravessar uma Fortaleza feita pra resguardar a mesma. É como se ela tivesse sido trancada, e isolada, pra nunca ser encontrada, e Sora invade na base da força. Isso conta como "chefe".


Guerra de Heartless/Incorpóreos/Unverseds

Bem, no fim, há um grande guerra. Hordas de Sem-Corações, Incorpóreos e Unverseds aparecem e são massacrados pelos Keybladers.



É só uma batalha campal mesmo, com hordas repetidas deles. Depois de matar um monte e encher a barra de inimigos derrotados...



Até que apelam, se juntam, ao lado de Terra-Xehanort, e rola um confronto (não controlável) em que todos são derrotados, exceto Sora e Riku.



Sora perde toda sua motivação ao ver seus amigos levados pelas trevas, e grita, chora, mas Riku tenta levanta-lo, e mostrar pra ele que eles ainda tem pelo que lutar.



Ele vai de frente pra horda enorme de Sem-Corações que tenta ataca-lo, em posição de batalha, protegendo Sora, e ai ele também é levado.



Sora então morre.

Almas Resgatadas

Só que ele vai pro mundo final onde busca os fragmentos de si.




Após regenerado, e motivado, ele encontra a alma de Naminé, que diz que vai dar um chamado em Terra pra ajuda-los, e então ele volta pro mundo dos vivos. Além disso, Sora descobre que Kairi aparentemente é quem está mantendo ele vivo, de algum jeito, por isso ele ta ali. 



Só que, ao voltar ao mundo dos vivos, Sora precisa resgatar as almas de seus outros amigos. Todos que foram levados pela horda estavam na mesma situação de Sora, mas ao invés de irem pro outro mundo, eles forma coletados por um Sem-Coração e mantidos no mundo dos Sonhos. Assim, Sora os resgata, passando praticamente pelo mesmo teste que passou em "DDD", mas agora era uma situação real.



Um por um, em várias lutas contra esse mesmo Sem-Coração ceifeiro, que foge no final de cada luta, deixando o Coração do amigo resgatado de Sora, o qual sempre volta pro seu corpo original, no mundo dos acordados.



O Ceifeiro usa muitos poderes diferentes, como clonagem, teletransporte, invocações, magias, tudo depende de qual cenário ele está. No fim, as lutas são semelhantes (e meio que a Arma conquistada no mapa tem vantagem contra ele).



Sora avança e vence, até chegar no último, mas não encontrar Kairi. Quem ele encontra é o Xehanort Adolescente, quem tinha o poder de mergulhar nos sonhos, e ele da um aviso pra Sora: Não use esse poder, ou será seu fim. Só que Sora não liga pro aviso, e continua procurando Kairi.


Ela estava esperando por ele na saída, apenas se mantendo la, ativa e a espera, chamando por ele, pedindo ajuda.



Ela quem o puxava de volta pra vida, mesmo nem ela própria estando totalmente viva. É ela quem o ajuda a aprender o Poder do Despertar, finalmente.



Assim, ambos dão as mãos e voam de volta pro mundo dos acordados, retornando pra batalha, exatamente pro momento antes de tudo acontecer, todas as lutas finais.



E Terra surge pra ajudar, impedindo as catástrofes.



O resultado então muda...

Horda de Heartless (Batalha dos Espíritos)

Sora se sente poderoso, e enfrenta a horda de Sem-Corações.



 Quando ela se converte num tornado, ele não se abala, e ainda peita ela sozinho, tomando a frente de seus amigos.




Mas, ele não vai sozinho de verdade, ele recebe o apoio de Ephemer, e todas as Keyblades e Keybladers do passado.



A luta é basicamente tiro e esquiva, dentro do tornado, com Sora surfando nas Keyblades enquanto as atira no olho do tornado do mal, onde cada disparo, é o nome de um jogador de KH Union Cross (jogo de celular).



No fim, ele derrota o enorme amontoado de criaturas.




Mas ainda tinham muitos, e todos ficam cercados, lutando contra mais e mais Sem-Corações, Unverseds e Incorpóreos, que surgem mais e mais, infinitamente.



Mickey até pensa em usar seus poderes pra dar um basta, mas Riku diz pra ele poupar energia pra luta de verdade, contra a Organização.



E ai, chega Yen Sid, como um meteoro.




Ele cria uma barreira mágica e segura os inimigos abrindo caminho para seus elegidos seguirem em frente e eles avançam direto pro confronto final, apenas os Guardiões da Luz, contra a Organização XIII.



Xehanort invoca um labirinto dentro do cemitério, e nele rolam lutas. Sora pode escolher em qual participar, mas no fim ele participará de todas. Cada luta tem um aliado de Sora (ou dois) e vários membros da Organização ao mesmo tempo. O legal é que eles vem com poder máximo!

Ansem, Riku-Xehanort e Xigbar


Nessa luta, Ansem das Trevas usa sua sombra em forma de Sem-Coração como escudo e é bem rápido, e forte, indo de um lado pro outro do campo o tempo todo, além de usar luz negra como ataque.



Riku-Xehanort apela pra habilidades rápidas e sombrias, tal como quando era vinculado às trevas.



E Xigbar fica teletransportando de um lado pro outro, mantendo distância, e atirando com suas armas.



Todos ao mesmo tempo e com Barras de HP independentes.

Sora tem como aliado Riku nessa luta (antes disso, Riku tava peitando os 3 sozinho!).




Quando Ansem é derrotado, ele foge, só isso. Na verdade ele nem espera sua barra de HP descer (ele é quase invulnerável nessa luta), e foge, dando um breve upgrade nos seus aliados.



Quando Xigbar é derrotado, ele simplesmente lamenta nunca ter conseguido uma Keyblade, diz que é por isso que seguiu Xehanort por tanto tempo, e ao invés de virar poeira de Incorpóreo, ele se teletransporta pra beira do labirinto, e pula, deixando suas armas pra trás.



Elas então se pulverizam, dando a entender que ele voltou ao seu corpo humano.


Já Riku do mal, quando é derrotado, tem sua natureza como mero Corpo Artificial revelada, e antes de ser pulverizado, o Riku Cópia, que estava com Riku o tempo todo, sai de do lado dele...



E extrai a alma do Riku do mal do corpo artificial, deixando ele caído, e sem forma física, no chão. Ele então se recusa a entrar no corpo, e diz que é pra Naminé, indo embora, feliz por ter cumprido sua promessa (ele disse que a ajudaria em Re-Chain of Memories).



Com isso, Sora avança pelo labirinto.

Xemnas, Marluxia, Larxene e Luxord

Mickey sozinho tava peitando esses 4, mas quando Sora chega, Xemnas passa só a observar.



Marluxia usa sua Foice de Pétalas, pra causar cortes rápidos, praticamente teletransportando o tempo todo.



Larxene também é rápida, e pior, ela fica lançando rajadas elétricas o tempo inteiro.



Luxord por outro lado fica com suas cartas, e joguinhos, e ele vira meio que a estrela do jogo.




Cada um com um HP individual, quando tão perdendo, Xemnas deixa a luta, mas joga energia em Luxord, que fica muito forte, e prende Mickey em uma de suas cartas.



Enquanto ainda rola a luta normal contra Marluxia e Larxene, luta de chefe mesmo, com eles usando vários ataques diferentes e indo de um lado pro outro o tempo todo, Luxord passa a se esconder em uma de suas cartas, rodeando o campo todo.



Sora precisa encontrar a carta certa, que fica dando pequenas balançadas de vez em quando, e bater nela pra causar dano em Luxord, antes dele se cansar de esperar e contra-atacar causando muito dano.

Quando derrotado, Luxord é até que bem gentil. Ele fala com calma, e ainda elogia Sora, diz que espera jogar com ele de novo quando ele voltar a ser humano, e ainda joga uma carta pra ele, dizendo que ela será muito útil pra ele na hora H (mas não chega a ser usada em momento algum, e nem aparece no inventário, achei estranho isso).




Depois que ele evapora (e volta pra sua forma humana, sabe-se la onde) Mickey sai da carta que tava presa (ou seja, a carta que ele lançou pra Sora não era Mickey) e ai, as lutas continuam.



Larxene, quando derrotada, diz que não gosta de perder, mas também é muito simpática.




Ela diz que tem até nojo de ser mera "carcaça" para Xehanort, e que aceitou isso por seus motivos, mas é segredinho, e faz um sorriso simpático.



Quando Marluxia é derrotado, ele só diz que ta se lembrando de tudo, e sorri, além de agradecer a Sora por ajuda-lo. Ele também é muito simpático com Sora... e novamente, é estranho.



Os 3 inimigos meio que não pareciam "inimigos".



E pra que servirá aquela carta? (Ou será que é uma Carta de Desconto Moogle e eu não notei?)



Saix e Xion

Nesse caso, tava Kairi e Axel contra Saix e um membro encapuzado misterioso, tomando uma surra.



Quando Sora chega, a luta ainda é bem difícil. Meio que Kairi e Axel não são muito habilidosos.




Saix ta virado no jiraia, pegando fogo lunar e muito forte, praticamente voando de um lado pro outro, explodindo tudo, causando muito dano, literalmente pegando fogo.



O encapuzado também é bem forte, e rápido, e ainda usa uma Keyblade.




Em certa parte da árdua batalha, os caras vencendo (Saix levando o time sozinho), Xemnas aparece do nada, e começa a debochar de Axel, caído.



Ele diz que já confiou nele, e agora era a hora de acabar pessoalmente com o traidor, inclusive, ele quebra a Keyblade flamejante de Axel, depois de dizer o quanto ele era fraco, só pra desestabilizar ele.



Ele ataca Axel com tudo, de todos os lados com seus lasers, e no fim tenta perfura-lo com sua lâmina laser, mas ai a encapuzada pede pra não fazê-lo, pois precisavam dele.



Xemnas diz então que não, eles ó precisavam da luta, e diz pra ela própria, que já foi amiga de Axel, acabar com ele, e provar sua fidelidade com a Organização XIII.




É ai que Sora se levanta, e diz pra Xion não fazer isso.




Sora sabia quem ela era, e apela pra isso, impedindo que ela ferisse o amigo deles, nesse momento, Xion volta a ser Xion, seu coração volta pra ela, e pra variar, Roxas também volta!




Quando os corações são extraídos de Sora e voltam pra seus respectivos corpos, Roxas faz questão de seguir o farol, e aparece pra se tornar completo, e encontrando Axel e Xion.



Mas, Xemnas não fica nada feliz com isso, pega Kairi desprevenida e foge.




Depois disso rola a luta só contra Saix, todo enfurecido, e ele é bem forte, mas, apesar de Axel ficar descansando, temos Roxas, Xion e Sora lado a lado, descendo o pau no cara da Lua.



Ele é derrotado rapidinho.




Após cair, ele se redime com Axel, diz que ficou com inveja dos novos amigos dele, e ainda joga na cara que Axel se esqueceu da missão original de ambos (engraçado isso, pois Axel é o cara que sempre diz "Consegue memorizar").



Ai ele diz que quando voltar a forma humana, serão amigos de novo, e se vai.



Vanitas e Terra-Xehanort

Aqua e Ventus segurando Vanitas e Terra-Xehanort. Eles ficam bem felizes quando Sora chega pra ajudar.



Vanitas usa os poderes de antes, focado em ataques rápidos e fraco pra contra-ataques, além de usar especiais como o Surf em Chaves Espadas Mortas, algo louco que ele usava em Birth By Sleep, e poderes sombrios (talvez ele consegue usar isso por serem as Keyblades dos Dandelions que Ventus Completo liderava).



Terra-Xehanort é mais clichê. Talvez por causa da batalha contra a Armadura, ele ficou mais fraco, então ele fica ofuscado por Vanitas (a menos ficou pra mim). Ele usa ataques rápidos com a Keyblade, intercalando luz e escuridão, inclusive invoca um Sem-Coração sombra como aquele que Ansem invoca.



Quando Vanitas perde, ele conversa com Ventus, e eles entram num acordo... só isso. Ele explica que é pura maldade, e Ventus bondade, e vai embora.




Sora fica bem confuso.


Quando Terra-Xehanort é derrotado, ele não se da por vencido. Aqua e Ventus são enganados achando que Terra havia voltado mas,  ele prende Ventus, Aqua e Sora em correntes, e fica rindo da cara deles.




Ele então planeja uma execução pros jovens, enquanto deixa Sora pendurado assistindo os amigos que ele tanto se matou pra salvar, morrerem numa queda livre.




Bem na hora H, surge um Sem-Coração, à imagem daquele que Ansem projeta, com a boca costurada/amarrada, e salva os jovens da queda, além de agarrar Terra-Xehanort.



Ele se esforça pra tirar as amarras da boca e então fala "Não mais!".




Nessa hora, Sora ajuda a criatura, mirando em Terra-Xehanort e extraindo o coração dele e da criatura, fundindo o verdadeiro eu ao seu corpo original. Assim, Terra ressurge.



Ansem, Xemnas, e Xehanort Adolescente


Depois de enfrentar todo mundo, e salvar todo mundo, exceto Kairi que é levada, Sora corre pra resgata-la, indo de encontro aos últimos 4 membros.



É quando encontra, no topo do labirinto (sim, ele trapaceia, e sobe as paredes) Ansem, Xemnas, o Xehanort Adolescente e o Mestre Xehanort, que explica que está gerando as Keyblades Sombrias para abrir Kingdom Hearts, e precisa de só mais 4. Alias, Riku e Mickey estavam já lidando com eles, ou tentando.



La de cima ele tinha assistido as lutas tudo, e não ligava pro desfecho, apenas pras chaves geradas com elas, que ele fazia questão de coletar (posição privilegiada).



Assim, Riku e Mickey enfrentam Ansem, Xemnas e Xehanort Adolescente, os 3 com as as mesmas habilidades vistas em jogos anteriores, mas tudo ao mesmo tempo.

Ansem apelando pra teletransporte e voou, além de usar sua forma Sem-Coração como escudo, e lasers sombrios o tempo todo.



Xemnas na luta rápida com suas espadas lasers e seus lasers vermelhos.



E o Xehanort Adolescente usando brechas temporais e cortes poderosos com sua Keyblade.



As vezes, os 3 até fazem combos juntos, atacando intercaladamente de fora do cenário, e é bem difícil escapar.



Pra variar cada um tem HP individual, e conforme são derrotados, também há desfechos individuais pra cada.

Xemnas, uma vez destruído, não perde a postura, mas faz uma declaram de longe muito correta: Ter coração dói.




Ele lamenta ter conseguido o que tanto desejava, ser alguém, sentir emoções, pois passa a perceber que isso é bem doloroso. Ele meio que encerra a luta, agradecendo com o olhar, e evapora.



O Xehanort Adolescente por outro lado não deixa de ser maligno. Após cair, ele debocha de Sora, e diz que aqueles são os últimos momentos do garoto.



Ele diz que tudo tem um preço alto, e o que Sora ta fazendo uma hora vai cobrar. Ele também alerta Sora sobre o poder que ele tanto ta usando, de viajar de Coração em Coração... ele diz que aquele será o fim de Sora, e perde sua "casca", voltando pro seu próprio tempo, rindo.



Ansem é talvez o que mais surpreende, pois ele diz que aprendeu uma lição, ele aprendeu que a escuridão não é tudo.




Ele diz que depois que todos começaram a trair a Organização, e a ele, meio que ele começou a entender, que no fim das contas, isso não importava, poder absoluto não importava. É ai que ele simplesmente diz pra Sora continuar buscando o que deseja pois ele encontraria, e ainda elogia o jovem, e Riku também.



E sim, Ansem, o Perseguidor, faz um bom desejo pra Sora, antes de evaporar.




Lembrando que Ansem e Xemnas são Sem-Coração e Incorpóreos de alguém que já não existe, então, eles não vão voltar em formas "humanas". Aqueles são mesmo seus votos finais pra Sora, e eles deixam de ser vilões no último momento.

13 Xehanorts


Com isso, Xehanort comemora a forja bem sucedida de 12 chaves sombrias, usando as cinzas de seus próprios súditos. Sora fica muito irritado.



Mas o garoto decide acabar com os planos do Mestre Xehanort ali mesmo, afinal, era preciso apenas não lutar pra que a 13º chave não surgisse. Pro azar dele, Xehanort se preparou pra isso, então ele pega Kairi...



E mata.




Sora se descontrola e ataca Xehanort com todas as suas forças. Isso conta como luta, por incrível que pareça, e uma última chave é gerada, das cinzas de Kairi.



É ai que Mestre Xehanort canta vitória, invoca a χ-Blade, e abre Kingdom Hearts, sem enrolação, sem cerimônias.



Ele parte então pra executar a etapa final de seu plano.



Sora, fica debilitado, desacreditado, ele cai no chão em choque, e praticamente desiste.




Mas, Donald e Pateta chegam, abraçam e levantam o garoto e dizem que "Poxa vei, se chegou tão longe, já vai desistir? A gente te deixa sozinho por uns segundos e você já vai se entregando???".



Todos então se reúnem e planejam como lidar com a ameaça final, e Mickey monta um plano pra desafiar Xehanort, mas, Sora interrompe, e diz que ele tomará a dianteira.



Sora diz que ta na hora dele acabar com tudo, e que agora é pessoal.




Todo mundo ajuda ele a abrir um portal dentro de Kingdom Hearts, atacando Xehanort e ao mesmo tempo, permitindo que Sora o seguisse.



É ai que Sora chega no mundo natal de Xehanort, onde ele gera 13 réplicas suas e os equipa com as armas da Organização XIII. Uma batalha grande rola, contra cada um deles, e todos eles, ao mesmo tempo.



Sora precisa voar pela cidade, enfrentando esses fantasmas de armadura com HP compartilhado.




No fim, depois de um especial estrondoso que cobre a cidade com uma chuva de escuridão, seguida de um ataque com os 13 membros (e as 13 armas)...



Os Xehanort's são derrotados, voltando ao original.



Xehanort Armadura

O verdadeiro aparece, e diz que Sora não vai conseguir impedi-lo.



Sem arma, ele apenas equipa uma armadura de dragão e começa a atacar Sora com tudo.


Manipulando o espaço, ele contorce o próprio mapa, reestruturando tudo conforme seu desejo, e sempre buscando a vantagem.



Ele fica teletransportando de um lado pro outro (a luta é em pleno ar, mas Sora precisa voar por conta própria, ou correr pelas paredes).



E até mesmo um Pilar de Lava ele invoca no centro do mapa, onde se esconde e atira de dentro, só pra ter mais e mais vantagens.



Quando seu HP é reduzido, ele move o mapa de novo, e muda tudo, fazendo Sora cair na água.




A batalha então é sub-aquática. Na água Sora não tem combos além dos padrões (bater com bolhas, dar um corte de onda e fazer um pequeno turbilhão pra finalizar), então ele precisa mais esquivar de Xehanort e atacar quando ele fica mais vulnerável.




O chato é que ele fica indo pra longe, e atirando energia, além de apelar com especiais como uma Grade de Luz que vai na direção de Sora, e lasers poderosos.



Depois de ter seu HP reduzido mais um pouco, ele sai da água e a batalha continua em terra, no que restou de sua cidade natal.



Xehanort volta a voar e teletransportar, mais rápido, e mais forte.



Usa o pilar de energia, e também atira lasers e bolas de fogo contra Sora.



Mas, no fim, ele é derrotado.



Xehanort

Só que ele não desiste.



Ele perde sua armadura apelativa, mas invoca a χ-Blade.



Num campo mais fechado, ele fica abrindo fendas no espaço e atacando de todo canto.



Além disso, Xehanort é bem rápido, e voa, mas Sora pode vencê-lo ficando no solo mesmo, e contra-atacando.



Quando o HP dele reduz um pouco, Xehanort abre Kingdom Hearts, e o cenário expande um pouco.




Ele usa a energia da Lua em forma de Coração pra atacar Sora, intercaladamente aos seus próprios golpes, ainda mais rápidos.




Em dado momento, ele força a Anti-Forma de Sora para que Sora sofra danos maiores de Kingdom Hearts (que é do elemento Luz). E ele apela pra mais e mais golpes de luz.



Só que mesmo assim, Sora vence ele.




Ai ele invoca a Sala da Organização, dando um especial com fantasmas da Organização, em vários hits sequenciais, com ele atacando de longe enquanto observa.



E no fim, quando todos os fantasmas fazem um último ataque, a batalha volta pro campo anterior, e Sora pode encerrar a luta.



Quando o HP de Xehanort zera, ele pode ser finalizado com Triângulo, e Sora tenta selar seu coração com um ataque da Keyblade.



Mas, Xehanort não facilita, e usa a energia ilimitada de Kingdom Hearts pra contra-atacar.



Ele vence.




Então, na Tela de Game Over, o coração de Sora palpita, ao som das vozes de Donald e Pateta chamando por ele.



A opção de retornar surge, e Sora volta pra batalha de onde parou, ainda resistindo, e Donald e Pateta usam suas energias pra apoiar o garoto.



Juntos, eles são mais fortes que Xehanort e Kingdom Hearts (eta) e empurram o ataque dele contra ele.



Assim, Xehanort é derrotado.

O Final


Caído, ele ainda resiste, e se recusa a aceitar a derrota. Xehanort conta seus planos pra Sora, e diz que vai continuar não importa o que ele faça.



Então, todos os amigos de Sora chegam, pra ajudar na luta (meio tarde), e testemunham Xehanort todo arrebentado.



Quando Terra se aproxima de Xehanort, Eraqus sai de dentro do coração dele.



Eraqus então diz que ta na hora de seu amigo descansar, que a luta terminou, e ele precisa admitir a derrota.




Eles se lembram de uma partida de xadrez (estranho) que tiveram, onde o desfecho foi idêntico, e Xehanort admitiu sua derrota na época. Novamente ele o faz.



Xehanort, se recordando da infância, diz que Eraqus ta certo, e ta na hora de passar a bola adiante.




Ao invés de entregar a arma pra Eraqus, Xehanort cambaleia até Sora, e entrega a espada que ele tanto quis criar, nas mãos de seu maior inimigo!



Eraqus se despede de Terra, Aqua e Ventus, e é bem triste isso, mas ele pede pra eles se cuidarem.



Em seguida, Xehanort admite sua derrota, se abraça com seu amigo, e morre.



Em espíritos, rejuvenescidos, ambos vão pro céu.



Sora, e todos seus amigos, ficam felizes, e Sora usa a χ-Blade pra selar outra vez Kingdom Hearts.



De volta ao cemitério de Keyblades, todos lidam com a principal baixa da guerra: Kairi.



Sora ainda tava abalado por isso, e no meio da discussão, ele fala que ta cansado de perdê-la.




Sora fala que vai buscar Kairi, sozinho, recusando o apoio de qualquer um, e que não perderá nem mais um segundo sem ela.



Ele então vai contra os alertas de Mickey, que diz que o poder do Coração tem seus perigos, mas Riku diz pra Mickey confiar em Sora.



Assim, Sora promete que voltará com Kairi, logo, e sorri.



Ele abre um caminho usando seu coração, e vai em busca de sua amada.



É ai que o jogo mostra o desfecho de todos.




Mickey, Donald, Pateta, Yen Sid, Chip e Dale, e até o Grilo, voltam pra Terra da Disney, onde se encontram com a Rainha, Pluto, e a mina do Donald, contando as novidades.



Aqua, Terra e Ventus voltam pra terra natal deles, e sepultam Eraqus adequadamente.



Em seguida Chirithy aparece, e abraça Ventus, e os 4 vão conversando, e pondo as coisas em dia.




Axel, Roxas e Xion, finalmente com roupas novas, vão pra Torre da Cidade do Crepúsculo, onde esperam pelo Sorvete de Sal Marinho...



Trazido por ninguém mais ninguém menos que Lea! Ele voltou a forma humana e cumpriu sua palavra, virando amigo deles.



Além disso, Hayner, Pence e Ollete se unem ao grupo e todo mundo toma sorve junto. Roxas fica muito feliz.




No laboratório de Ansem, em Radiant Garden, Ansem, Ienzo e Even se unem pra trazer Naminé ao mundo dos vivos, agora livre de seu vínculo com Kairi ou Sora, ou de planos malignos e manipulativos.



Da certo, e Naminé acorda, a tempo de se encontrar com Riku, que vem buscar ela, e a todos os outros, pra ir até as Ilhas do Destino.



E ai, todo mundo se junta na praia, brinca, se diverte, confraterniza, ao som da porcaria da música nova que a Hikaru Utada canta (maldita seja!) que começa logo nesse momento, só pra quebrar nosso coração.



Todos que Sora salvou ao longo de sua enorme jornada estavam ali, apenas esperando por ele.



Então eles olham no horizonte, e está la, Kairi e Sora, sentados na Árvore que costumavam sempre sentar.



Mas eles não se aproximam, deixam os dois em seu momento...



E ai, Sora pega a mão de Kairi, com força...



Ela encara ele...



E chora.



O corpo dele some então, pois era apenas uma ilusão.



E acaba.




(Acredita, que só de descrever, eu to chorando? Já é a quinta vez que choro mano... se fud3r... e pela sexta fez na hora que coloquei a foto... se fud3r porr4).

Com isso, as fotos que Sora tirou com seus amigos em sua última jornada são mostradas...




Mano, tudo o que ele passou, ele sofreu, lutou, morreu um monte de vezes, virou incorpóreo, virou sem-coração, virou o car4lho a quatro... e no fim, algo conseguiu fazer ele não voltar. Mas... ele trouxe Kairi de volta.


Bem, no fim, a mesma imagem final é mostrada, só que as posições de Sora e Kairi são invertidas, dando a entender, ao meu ver, que Sora sacrificou seu corpo pra Kairi poder voltar...



Só que essa na verdade é a última cena que ambos tiveram juntos, antes da Guerra, onde finalmente realizam o que tanto quiseram fazer ao longo da série.



Desde o primeiro jogo, eles queriam compartilhar Frutas Estrela, um com o outro, que são tipo "Frutas da União Eterna". Deu mó treta na época que Riku ameaçou dividir uma com Kairi se Sora não fizesse logo, e no fim, ambos até desenharam na Caverna deles a partilha da tal fruta (o que significa, amor correspondido).



Eles fazem isso, antes da guerra, um da um pedaço na boca do outro, de suas próprias frutas, prometendo jamais se separarem (é porque eles são jovens de mais ainda pra tacar-lhe o beijão).




No fim, a inversão das posições, ainda faz a referência, mas a imagem mostrada é essa.



Bem, depois disso os outros mundos são mostrados.

Tebas ta de boa, reconstruída, e ergueram uma estátua pra Hércules.




O minichef decidiu por a mão na massa e cozinhar por conta própria, sem manipular as pessoas, o Tio Patinhas fica bem impressionado, pois o restaurante tava bombando.



Os brinquedos esperam pelo retorno de Andy, mas nenhum outro brinquedo volta. Entretanto, alguém abre a porta do quarto, e eles se paralisam como brinquedos, felizes, pois acreditam que é Andy (mas provavelmente não é).



Will Turner deixa Elizabeth numa praia (ela ta grávida depois de passar uma noite com ele).



Depois disso, Jack e seu capanga ficam encalhados em Port Royale, pois roubam o Pérola.



Os Big Hero 6 agora são Big Hero 7, usando não apenas seus novos poderes, mas o novo Baymax pra salvar São Frantokyo.



Mike e Salley levam Boo pro seu quarto mais uma vez. Eles criaram o habito de visita-la toda noite.



Elza usa seus poderes de gelo pra diversão, e salva sua irmã e o namoradinho dela de se arrebentarem no chão.



Além disso, o Boneco de Neve gigante voltou a vida, e ta dando suporte pra Olaf.



Rapunzel e o carinha que tentou sequestra-la se casam, sob as graças do reino, afinal, ela voltou a ser a princesa.



E Pooh e os seus amigos se juntam, trabalhando unidos na horta do Coelho. Eles estão criando novas histórias.



Fim

Cena Especial

Bem, depois de tudo isso, tem uma cena pós crédito muito da implacável.


No cemitério das Keyblades, Luxu, o guardião da Keyblade do Olho e a Caixa, aquele que o Mestre dos Mestres incumbiu de uma tarefa misteriosa, surge.



Ele diz que chegou a hora de agir, e invoca 4 dos 5 "guerreiros do pecado".



A única que não volta, é Ava. Ela provavelmente morreu ou teve outro fim trágico na Guerra das Keyblades original.


Luxu então é questionado por sua voz e estatura. Ele ta diferente, mas garante que é o mesmo. Ele diz que ao longo das eras, pra proteger a tarefa que o Mestre lhe deu, ele precisou usar corpos diferentes, e identidades diferentes, mas nunca ficou distante da sua missão.



Ele então remove o capuz, e revela ser, ninguém mais ninguém menos que Xigbar, ou Braig.




Ele esteve ao lado de Xehanort mais pela Keyblade, a do Olho, que tinha sido passada pro cara a muito tempo. Era parte de sua missão. Toda aquela história de querer a Keyblade era verdadeira, mas não como imaginávamos. Ele não queria ser um Keyblader, ele só queria observar, e leva-la pra onde ela precisava ir, conforme sua missão.



Ai, os outros questionam qual é sua missão, e ele olha pra Caixa, e diz "Espero que gostem de longas histórias".




Alias, Malévola e Bafo assistem o reencontro, mas não interferem, apenas assistem, e ficam satisfeitos pois finalmente acharam a Caixa.




Depois disso, é mostrado Xehanort e Eraqus, jogando o xadrez bizarro, depois da derrota de Xehanort. Eles tão se preparando pra ir embora quando Eraqus, o profeta, tem uma ideia, de jogar algo novo, algo que ele aprendeu a pouco tempo. Ele pega 5 peças negras, com o detalhes curiosos que coincidem com Braig e os 4 "pecados" que ele invocou, e coloca uma única peça branca pra confronta-los, com a coroa que Sora costuma carregar no pescoço.




E sim, é um prelúdio do que virá.



Detalhe: No KH 2.9, no final, Malévola e Bafo encontram uma caixa, mas não é a certa, então eles descartam. Curiosamente, quem os observa de longe é Xigbar, o personagem da Organização que aparece no Mundo de Hércules.



É uma referência, de que da mesma forma que eles observam ele, ele os observa. Então quem ta na frente de quem? Além disso, ele começa a falar uma frase, mas a cena corta, sem deixar ele concluir. É bem estranho.



Fim


Se não entendeu isso, na verdade é uma continuação do Jogo de Celular em parceria com o filme. Eu falei de ambos, mas ainda assim, tem muito a se concluir.

Cena Especial 2


Se o jogador for daquele que tem a coragem de buscar os símbolos do Mickey por toda parte, ou simplesmente enfrentou o jogo no modo Expert, talvez venha essa cena final super extra. Ela surge se pegarmos 60 símbolos do Mickey no modo Normal, ou nos matarmos em outros modos, pra coletar menos símbolos. Optei por pegar os 60 mesmo.




Bem, a cena mostra, Sora, vivaço (e em gráficos ainda melhores que qualquer cutscene que o jogo teve, inclusive a abertura)! 


Acordando em uma cidade contemporânea (que lembra Tokyo) mas, vazia.




Ao mesmo tempo, Riku acorda, algumas esquinas a frente, mas não nota Sora. Ambos estão desorientados, com as luzes e barulhos da cidade grande.




É ai que, em meio a zooms e flashs, temos ele focado: Yozora, o protagonista do Jogo Verum Rex (que parece com Riku, mas não é ele, pois o foco vem logo depois de mostrar Riku andando).




Estariam Sora e Riku dentro de um jogo de vídeo game? Seria o jogo na verdade um mundo real, que foi convertido em um jogo dentro de outro mundo? Será mesmo Sora e Riku, ou seriam só Datas deles explorando um novo leque de possibilidades??? Isso e muito mais, em breve, no PS5!



Alias, bem no final, mostra um encapuzado, todo expressivo, olhando pra lua e medindo ela, até formar um coração.



Pela expressividade do cara, eu deduzo que é o Mestre dos Mestres, fácil, afinal é o jeito dele, e estaria ele se preparando pra transformar a Lua de Verum Rex em Kingdom Hearts???



Legal que depois ainda mostra "Recconect Kingdom Hearts", dando força pra uma pequena interpretação...



Mistérios!

Na verdade, isso expande um mistério que me encucou o jogo todo: Cade Final Fantasy?


Estaria a Square Enix planejando se incluir na franquia KH de forma canônica? Eles teriam criado Verum Rex, um jogo fictício, pra dizer que a Square existe la, uma empresa de jogos, uma criadora de contos.


Diferente da Disney, ou da Pixar, que ainda estão ocultas nas obras, a Square optou por se incluir diretamente na franquia, tanto que ela aparece como desenvolvedora de Verum Rex, e de Dissidia.

Dissidia é um jogo de luta que cria um crossover entre todos os personagens mais famosos dos Final Fantasy. Ele não é cânone, mas é divertido. Curiosamente, na loja de brinquedos, temos uma sessão inteira dedicada a Dissidia!



Então, se os jogos existem no universo de KH, como jogos, o que estariam eles planejando?


Te juro que com o que ta rolando no jogo de celular, eu não esperaria menos do que uma nova bagunça de roteiro de explodir cabeças. Se acha que até hoje foi difícil entender KH, imagine no futuro, quando os personagens descobrirem que fazem parte de um jogo de vídeo game que visita filmes! No celular é quase isso que ta acontecendo...

Mas isso meus caros... fica pra outra análise (se bem que em breve terá DLC pra KH3... vai que eu retomo essa...)

Espero que... meu deus!!!! Ficou enorme né?

Desculpe pelo tamanho, eu queria mesmo ter resumido mais, mas convenhamos, pelo menos não dividi em 3 postagens...

Agora, espero que tenha gostado, e see yah.

Caso queira ver mais análises, lembre-se que tem a Lista da Morte.

2 comentários:

  1. Análise sensacional!
    Conseguiu me prender completamente à leitura.
    Espero de coração (Ironia montada com o tema) que continue com as análises.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado!!! Não faz ideia de como esperei por uma resposta... e caramba, é tão bom ver que é positiva.

      Sério, obrigado mesmo por ter lido, e por ter gostado. To feliz, de verdade, pois consegui concluir algo que queria muito e, ficou bom ao ponto de compensar a espera! Muito obrigado!!!

      E... seja sempre bem vindo ao site. Farei o possível, e além, pra trazer e fazer o meu melhor aqui, sempre.

      Excluir

CadastroMorte

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner