AnáliseMorte: Devil May Cry 5 - O Último?

Capcom ta com tudo na retomada de franquias, trouxe Mega Man, Resident Evil, e agora, finalmente, Devil May Cry, de volta pro mundo gamer.



Mas, nem tudo é as mil maravilhas, pelo menos não pra mim...

Bora la, pra análise mais aguardada que já fiz (por mim mesmo ta).

Aviso:

Tem Teorias... 
Os spoilers você já ta acostumado.

Boa leitura.


DMC5 é um jogo de Hack&Slash, que segue o mesmo modelo visto nos outros, com um pouco menos de dinamismo.


Ele foca mais na história do que no gameplay, então ficou bem mais "padrão" do que criativo. Ainda assim ele tem uma série de novidades, como o pseudo-multiplayer.

Há 3 personagens jogáveis, que são liberados ao longo da campanha, e em alguns momentos é possível jogar com 2 deles ao mesmo tempo, em uma mesma missão. Só que, cada jogador controla um personagem, e os demais jogadores surgem através da Rede.


Sim, o jogo se conecta com outros, e se tiver algum jogador naquela missão, com outro personagem, ele aparece ao fundo te auxiliando de alguma forma. Na falta de alguém, a máquina assume o personagem em questão. O nome de quem ta no controle é mostrado em tempo real, através dos dizeres "Estrelando".


Também pode acontecer do próprio jogador se ajudar nessas horas. Algumas missões ocorrem paralelas a outras, no mesmo mapa mas pela perspectiva de personagens diferentes. Assim, quando o jogador controla um personagem, seu gameplay fica registrado e é mostrado ao fundo da outra missão, estrelando ele próprio.

É algo interessante, mas não chega a ser tão explorado assim.

Só há 1 missão que é um crossover de jogadores, sendo ela bem simples, e encerrada em um chefe bem fraquinho. Não chega a ser tão empolgante quanto promete. Chega a ter uma outra em que da pra escolher entre os 3 personagens, mas pelo que eu notei, não há um crossover direto entre eles nas lutas.

São 20 missões, algumas são obrigatoriamente jogadas por Nero, outras por V, e as últimas por Dante. Algumas dão a opção de escolher com qual jogar, na verdade apenas 2 missões fazem isso. O resto, o jogador é obrigado a controlar o personagem disponibilizado pela campanha.



Isso faz o gameplay variar legal, considerando que cada um dos 3 guerreiros tem uma jogabilidade própria.

Nero é um personagem que usa projéteis descartáveis. Na verdade, são próteses, que são consumidas com o uso e é preciso administrar isso constantemente. Cada prótese da também um poder especial, e uma interação diferente.

Além disso, ele pode atacar com uma arma de fogo única de tiro demorado, e duplo, capaz de carregar um pouco antes de atirar e dar múltiplos hits.


E, ele pode atacar usando sua Espada Motorizada. Ao se acelerar ela, o próximo corte será mais rápido e mais forte que os demais.


Ele também pode puxar inimigos projetando seu braço/prótese, ou ir na direção deles.


V por outro lado, é completamente fraco. Ele tem uma bengala e pode furar os inimigos com ela, quando eles tiverem quase morrendo, pra assim finaliza-los.


A jogabilidade dele é focada mais em seus demônios. Ele pode controla-los, paralelo aos seus próprios movimentos.


Ele por si só pode andar e ler um livro que aumenta sua energia demoníaca caso tenham inimigos próximos, mas ele fica bem vulnerável ao fazê-lo.


Usando o botão de ataque, um demônio em forma de pantera surge para realizar múltiplos golpes.


Usando o botão de tiro, um demônio em forma de pássaro aparece, atirando com eletricidade.


Ambos os demônios tem barra de vitalidade própria, e atacam independentemente, mas é o jogador quem os controla. 




Eles se movem por conta própria, sempre buscando ficar próximos ao V, teletransportando se necessário. Mas, os ataques e a quem eles irão atacar é o jogador quem define, usando a mira.



Além disso, em caso deles serem derrubados, eles viram esferas sombrias e se regeneram com o tempo, mas V fica bem vulnerável durante esses momentos.

V também pode invocar um Gigante demoníaco, usando sua barra de poder demoníaco, quando cheia. Esse gigante é destruidor, atira laser, espanca tudo, é um monstro poderosíssimo, e não é controlado por V, apenas o auxilia mesmo.


No máximo, da pra pular nas costas dele e dar alguns golpes, mas é uma das habilidades que se libera através de compra.


Alias, sim, todos os bichinhos de V podem receber habilidades novas através da compra, e o mesmo vale pra Nero.




Só que no caso de Nero, ele ganha poderes novos dependendo da Prótese que ele adquire, e da pra conseguir próteses só andando pelos mapas mesmo (aparecem jogadas por ai).


Por fim, temos Dante, que usa armas de fogo e armas brancas, ao mesmo tempo.



Sem muita novidade, o gameplay com ele é o mesmo de outros jogos, onde ele pode bater com a espada ou atirar com as pistolas, intercalando entre ambas até formar o combo perfeito. Também há diferentes movimentos pra forma como ele bate, baseado na velocidade e frequência do aperto dos botões.



Algo interessante é que os Estilos de luta podem ser alterados em plena batalha. São os mesmos de sempre: Gunlisher (atirador), Swordmaster (espadachim), Trickster (esquivador) e  Royal Guardian (escudeiro). Cada um fica representado por um direcional do controle, e é só intercalar entre eles pra liberar novos movimentos e poderes pra cada arma relacionada ao estilo.

Dante também pode carregar 4 armas de fogo ao mesmo tempo, e 4 armas brancas (ele só pega 4 de cada categoria mesmo, até o final do jogo, então tecnicamente, ele pode carregar todas as armas de uma vez só).



Ele muda entre elas usando os botões superiores do controle, e é meio chatinho ficar dando voltas e voltas pra mudar a arma, mas o sistema responde bem e da pra fazer vários combos assim.

Tanto os movimentos das armas, quanto os movimentos liberados através dos estilos, e os movimentos do próprio Dante são também comprados através da lojinha.

Dante também pode usar o Devil Trigger, duas versões (uma é liberada perto do fim do jogo). Nero chega a liberar algo parecido também mas só no final, mas, depois falo disso.



Além de tudo isso, existem Orbs Verdes, que recuperam um pouco de energia vital, Roxos, que aumentam a Barra Demoníaca, Azuis aumentam a Vida Máxima e Brancos que restauram um pouco da energia demoníaca.


Existem também os Orbs Vermelhos, que são a moeda do jogo.


Em caso de derrota, é possível usar um Cristal Dourado, que é raro e caro (em caso de compra), ou comprar o continue usando Orbs Vermelhos.

Não tem Estrelas Verdes nem itens de cura, ao invés disso, nós contamos com Continues Pagos mesmo. Infelizmente isso deixa tudo ainda mais fácil e menos desafiador.

A única penalidade ao se utilizar esses continues, é a perda de pontuação final ao se concluir uma missão, e isso só afeta a quantidade de Orbs Vermelhos obtidos no fim.


Apesar disso, na hora H, isso faz uma diferença drástica. O fato de poder se levantar facilmente no meio da luta, independente de ter sido derrotado ou não, com o chefão la com o mesmo HP que foi deixado antes de se cair, só faz com que o pouco desafio que existe se torne, indiferente.

Só pra variar há 3 tipos de Retornos por Orbs Vermelhos, um com pouca vitalidade, um com vitalidade mediana, e um com vitalidade máxima. A diferença maior deles é o preço, mas da pra comprar os 3 intercaladamente, sendo os melhores sempre mais caros. O preço aumenta a cada compra.



Isso, somado aos Cristais Dourados, da tecnicamente 4 Continues "Fáceis", onde o jogador volta pra luta com o chefe do jeitinho que tava. Se fosse um continue do tipo "Volte pro inicio da luta", talvez seria um pouco menos apelativo, mas desse jeito faz tudo parecer fácil de mais.

Além disso, há checkpoints por toda parte, e o jogo se salva sozinho o tempo todo. Então mesmo se dividindo em missões, falhar no meio delas não significa Game-Over, pois da pra voltar do último ponto salvo sem problema algum.


A ausência de itens de cura é totalmente justificável e ainda bem, pois ai sim o jogo se tornaria um desafio nulo. E olha que no caso do Nero, tem um Braço que serve pra curar, mas depois falo melhor disso.

Alias, desafio é algo que passa longe de existir. Aqui as missões se resumem a andar, lutar, andar, lutar, e andar, até chegar no chefão e lutar, quando tem um chefão.



Os chefes são estranhamente repetitivos. São diferentes, sim, mas parecem a mesma coisa.

É complicado explicar, mas a sensação que da é que estamos enfrentando os mesmos inimigos, mas com peles diferentes, e alguns poderes a mais. No geral, nenhum chefe é memorável tirando é claro, o principal, que se repete propositalmente várias vezes.

Não é que os chefes não sejam criativos ou interessantes, pois eles são. Alguns tem um designe de encher os olhos, mas tirando o grandão que é enfrentado na Demo de PS4, falta dinamismo em todos eles.

Tem até um chefe gigante que oferece uma verdadeira batalha de titã, mas ele mesmo conta como uma missão por si só, e chega a ser enjoativo de tão repetitivo e simples (pois é).

O pior é que os chefes normalmente são os momentos mais divertidos de DMC5, e é triste ver que são momentos pouco memoráveis, e de baixa dificuldade.

Sabe o que me lembra? Meus desenhos. Na verdade acho que a melhor forma de explicar a sensação é compartilhar uma história:

A muito tempo eu desenhava bastante, e adorava isso. Quando eu era mais jovem, tinha o costume de criar personagem atrás de personagem e mostrar pra minha avó. Eu mostrava pra todo mundo alias, mas ela era com quem eu gostava mais de compartilhar porque ela sempre ficava admirada.

Um dia, entretanto, eu fiz uns 20 desenhos e mostrei tudo de uma vez só. Ela então me disse "Você podia desenhar outra coisa, ta tudo igual". O problema é que os 20 desenhos eram homens, mulheres, crianças, monstros... eram vários e vários personagens com roupas diferentes.



Eu perguntei se minha avó não tinha percebido isso, e ela disse "Mas olha, tão todos iguais".

Foi quando notei que eu sempre desenhava meus personagens na mesma posição. Por mais que eu variasse na roupa, tamanho ou forma, eles estavam de pé e de frente.

Ai comecei a perceber que não me faltava criatividade, mas movimentação. Eu passei a tentar desenhar em poses diferentes, mas ainda assim, minha avó não via a diferença.

Pra ela, um boneco acenando não era diferente de um com a perna dobrada. Foi ai que um dia, decidi escrever uma história e desenhar os personagens lutando, correndo, pulando. Encarei isso como um desafio, criar o máximo de posições diferentes, usando a história como mero pretexto.

Meu objetivo era desenhar formas e formas, dar vida aos desenhos, movimenta-los ao máximo, ser dinâmico. Acabei fazendo 3 Portfólios com mais de 400 páginas cada... e no fim... minha avó teve Alzheimer e nunca consegui compartilhar as obras com ela.



O importante é que, a sensação que tive ao jogar DMC5 foi quase a mesma. Eu me senti enfrentando seres iguais, por mais que fossem diferentes.

Isso, somado aos cenários lamentavelmente escuros e sem vida alguma, além de bem lineares e limitados, não me fez ter a melhor experiência de todas.

Alias, dentro do enredo seria impossível deixar as coisas bonitas de se verem, ou "vivas". Creio que o uso de cores fracas e sem brilho, além do excesso de sombreado e baixo contraste, foi proposital pra ilustrar a situação do mundo atual.


Tem gente morta por toda parte, transformados praticamente em raízes secas de árvore, então, se fosse tudo colorido de mais, seria completamente contraditório.

Em contrapartida, há humor pra caramba, e a música é bem animada em vários momentos.

Da pra se divertir, mas não vou mentir, eu fiquei bem decepcionado com a conclusão acelerada do game.

E olha que eu até tentei aproveitar mais, fiquei explorando o máximo que dava, e tentei chegar nos combos SSS. Ainda assim, no final, por falta de tempo mesmo, nem consegui explorar todas as armas que o jogo oferece, principalmente, mas não exclusivamente, com o Dante.

Senti falta de missões mais complexas e desafiadoras, puzzles (por mais que eu odeie isso) eram um elemento presente em DMC antes, e aqui, no máximo o que temos é um desafio de Pegar um Parasita e levar pro outro lado da sala, como um tipo de chave. Isso inclusive se repete bastante.


Nem da pra se perder! Chega a ser bizarro reclamar disso, mas na verdade isso serve pra exemplificar a simplicidade do jogo. Mesmo nos mapas com bifurcações ou caminhos um pouco mais longos, há uma opção de indicar pra onde ir, ao pressionar o botão do analógico por um tempo.


Poxa, nem da pra se frustrar com a sensação de estar preso em loops ou coisa do tipo. Isso seria bom, se ao menos houvesse um pouco mais de longevidade no gameplay.

Existem algumas missões secretas escondidas nas fases mas, mesmo elas não são la tão desafiadoras pra encontrar, ou completar.


Eu queria mais! Falando unica e exclusivamente por mim, eu queria jogar muito mais! DMC5 pode até não ser o melhor Devil May Cry que já vi, mas eu gostaria de poder jogar muito mais do que ele oferece.

Mesmo com todas essas limitações, estranhas se considerarmos os 5 jogos que vieram antes (e sim, DmC conta pra mim), o aguardado DMC5 fez ao menos o mínimo: Trouxe DMC de volta!

Então, bora falar dos Personagens agora, assim já conto um pouco da história junto.

Personagens

Nero



Apesar de terem 3 protagonistas, Nero é o de maior peso (não, ele não engordou... seria engraçado). A história gira basicamente em torno dele (agora tudo que eu falar vai me fazer imaginar Nero gordão).


Logo de cara começamos a aventura controlando ele, que perdeu seu braço direito. Lembra que ele tinha um braço demoníaco que ressoava com a Yamato? Então, um tiozinho chegou todo cambaleante e decepou o braço dele só pra pegar a Yamato.


Depois disso ele vira um peso morto, nas palavras de Dante (perdeu peso... rs... alias reparou que cortaram o cabelo dele? É pra parecer mais com o pai). Sem o braço demoníaco que era a fonte de todos seus poderes, como a transformação com aura demoníaca, Nero acaba dependendo apenas da Pistola e da Espada Motorizada, o que não é o suficiente para ajudar na missão atual.


Ele nem foi chamado pra ela, inicialmente, ele foi recrutado em cima da hora na esperança de ajudar Dante, e também, recuperar seu braço. Mas, ainda maneta, ele enfrenta o chefão final, que tinha acabado de dar uma surra em Dante, Trish e Lady, e todo esperançoso, toma uma surra ainda maior, é humilhado e obrigado a fugir, deixando os 3 caçadores de demônios la, caídos.



Ele e um estranho cara, contratante da missão, fogem juntos pra tentar lutar novamente um outro dia, e o jogo continua 1 mês depois.



Nero então compensa sua deficiência recente com máquinas criadas por uma amiga, as suas Próteses, as quais de alguma forma personificam parte de seu poder demoníaco, mesclado com o poder demoníaco das peças que as criaram.



Ai com isso, ele fica forte o suficiente pra tentar ajudar, mas novamente, ele toma um coro como nunca antes.



Nero só fica realmente forte quando seu braço cresce de novo, após ele dar uma de mediador de relacionamentos e tentar apaziguar Dante e Vergil, seu pai. Nessa hora ele também libera seu Devil Trigger, e assume um poder enorme, maior que de seus parentes, e da uma surra em Vergil.



Acho que esse último parágrafo teve spoiler pra caramba né?

Nico



Essa é a amiga que Nero fez, uma Mecânica e Armeira orgulhosíssima que passou a morar com ele e sua namorada, Kirie, além de ser sua sócia no Devil May Cry Mobile.


Acontece que Nero virou mais um dos muitos Caçadores de Demônios que decidiram abrir sua própria concorrente pra Devil May Cry de Dante. 


Na maior cara de pau, Nero e Nico criaram uma "loja" itinerante que ao invés de esperar o cliente ir até ela, vai de encontro a ele, e deram o nome "Devil May Cry", muito provavelmente sem nem pedir autorização ao Dante. A loja é uma Van, pilotada por Nico, que é levada pra qualquer lugar com um simples telefonema.


Inclusive, um dos pontos altos da aventura é convocar Nico pra usufruir de suas mercadorias. A moça é uma motorista inimaginavelmente incrível e consegue fazer de tudo com a Van, sem destruí-la, inclusive voar se quiser. É engraçado e interessante chama-la pois, é sempre um show, ao bom e velho estilo DMC.



Nico é, temperamental. Ela é bem extrovertida e vive se vangloriando por suas invenções, sempre citando sua avó como uma lenda. 


De fato, a avó de Nico era famosa pelas armas que criava, e foi inclusive a pessoa quem criou as pistolas de Dante. Ebony e Ivory são criações da Avó de Nico, e na verdade foram as últimas armas que ela fez antes de ser assassinada por demônios.


Legal que as pistolas que Dante usa são inquebráveis por causa dessa senhora. Ela era conhecida por criar designes simples, mas extremamente eficientes e resistentes. Antes dela fazer as armas pra ele, Dante era famoso por destruir suas armas de fogo em suas missões... legal que essa é uma das histórias relatadas por Morrison, mas depois falo melhor dele.


Por fim, Nico também é filha de um vilão.



Lembra aquele tiozinho da ópera? O cientista da Ordem de Sparda que enfrentou Nero e Dante em DMC4? Ele é o pai de Nico, e da pra notar por alguns traços dela. Apesar dela ter assumido o nome da família de sua mãe, ela cita seu pai algumas vezes, e Nero chega a questionar como ela se sente ao ajudar alguém que matou seu pai, se referindo a Dante.


Porém, Nico não tem nenhum orgulho de ser filha desse cara, e evita falar seu nome. Outra coisa, ela vive com Nero e Kirie pois foi possivelmente adotada por eles.


V



Esse é um cara super misterioso que contrata Dante, Trish, Lady e Nero, todos para derrotar um inimigo recente que surgiu, o demônio Urizen.


Ele é frágil e debilitado, inteligente e muito misterioso. Seu nome, é apenas uma letra, ele não fala de si, tem uma personalidade calma de mais, e pra variar, tem 3 demônios grudados com ele.


O primeiro que ele contrata pra missão é Dante, e tudo que ele diz é que precisa dele pra derrotar e impedir que um demônio consiga se tornar o Rei do Inferno. É a missão mais constante de Dante, sempre tem algum demônio querendo dominar o mundo e o inferno, porém dessa vez, V afirma que apenas Dante não dará conta.



Isso é confirmado na hora da luta, e sem nem se mover, o tal Urizen derrota todos.



V evita se aproximar dele, e até o final da história, ele fica cada vez mais fraco conforme Urizen se fortalece.


Acontece que V, é Urizen. Ambos são duas metades de um mesmo ser. Enquanto V é o lado humano, Urizen é o lado demônio. Ambos se dividiram com a ajuda da Yamato, a qual foi recuperada pelo ser original.



E sim, V é Vergil.



Na verdade, Vergil estava debilitado e fez questão de arrancar o braço de Nero pra pegar a Yamato de volta. Depois, ele foi pra casa, e usou a Yamato em si mesmo, se dividindo entre suas duas partes. Seu lado humano, virou V, um rapaz inteligente, culto, porém fraco. Seu lado demônio virou Urizen, um ser maligno, tomado pelo desejo de obter poder.


V não deveria ter conseguido sobreviver, mas, ao mesmo tempo que Urizen é apoiado por uma série de demônios que decidem se curvar a ele, V também recebe ajuda de alguns demônios, e decide agir contra sua outra metade.



Porém, no final, mesmo depois de ter ajudado na derrota de Urizen, V revela suas verdadeiras intenções e se une com Urizen, fazendo assim Vergil retornar.



Bem, os demônios que acompanhavam V tem suas próprias histórias, mas depois falo deles.

Dante



Ele é o todo poderoso e lendário caçador de demônios, dono da Devil May Cry, e eterno ferrado financeiramente. Logo de cara sua loja é mostrada, com a energia elétrica cortada, sem água, sem telefone, mas ele ainda tem suas pizzas.


Dante recebe a missão de V e um adiantamento que acaba vindo a calhar, mas normalmente, ele sempre fica duro. Apesar de ser muito bom em seus trabalhos, seus gastos acabam superando suas conquistas, e pra variar, ele é todo endividado.


Ele aceita a missão, não apenas pelo dinheiro (e pra se livrar de uma festa da Patty), mas pelo fato de Urizen ser seu irmão. V confessa isso pra dar uma incentivada nele. Aparentemente, Dante também estava ciente de V também ser uma parte de seu maninho, mas ele não demonstra qualquer sentimento.


Dante chega a ser meio frio nessas horas. Ele é péssimo pra se relacionar com as pessoas, só curte debochar de tudo e matar demônios.


Alias, é ele quem conta pra Nero que Vergil é seu pai.



Embasado unicamente na experiência que teve la em DMC4, Dante supõe que Vergil é o pai de Nero, e revela isso como uma tentativa de fazê-lo desistir de lutar contra Urizen, para protegê-lo. Dante alega que não vai deixar Nero matar seu próprio pai.



Bem, apesar de tomar um monte de surras diferentes, e ficar 1 mês inteiro dormindo por causa disso, Dante faz questão de voltar e dar o troco em seu irmão.


Ele absorve a Rebellion, depois dela ser quebrada ao meio, como um recurso para superar Vergil. Na verdade ele deduz que, se a Yamato podia dividir Vergil, a Rebellion também teria algum efeito especial, afinal é uma das 3 Lâminas de Sparda.

De fato, a espada já havia ressoado com Dante em outras vezes. Ele já tinha sido empalado pela Rebellion antes, inclusive seu próprio irmão despertou seu Devil Trigger fazendo isso, mas aqui, ele usa o que sobrou da espada pra despertar sua verdadeira forma demoníaca, uma que absorve tanto a Rebellion, quanto a Sparda.


A espada de Sparda, a qual Dante havia dado para Trish no passado, é seu último recurso e é com ela que ele ativa sua forma suprema demoníaca. Com essa forma, ele vence Urizen.

Alias, não é a primeira vez que essa forma aparece, e ela dita algo importante na cronologia, mas depois falo melhor disso.



Antes que eu me esqueça, Dante já se chamou Tony Redgrave.

Essa é mais uma informação compartilhada por Morrison, e também há alguns flashbacks da infância de Dante, mostrando um pouco de seu passado.



Dante quando criança foi salvo por sua mãe, de um ataque de demônios a cidade de Redgrave. Foi um massacre, mas Eva conseguiu colocar Dante em segurança, e orienta-lo o suficiente pra ele sobreviver sozinho.



Ela disse pra ele mudar de nome, e se esconder. Depois disso ela foi em busca de Vergil, mas morreu antes de encontra-lo.



Dante então passou a se chamar de Tony, e se virou sozinho por ai. Ele cresceu, virou um caçador de recompensas, que secretamente matava demônios a rodo, e ai, um dia, após conhecer Morrison, e testemunhar a morte de sua amiga e fabricante de armas (que inclusive assinou nas pistolas "Para Tony Redgrave"), ele abriu a loja Devil Never Cry, assumiu seu nome verdadeiro e declarou guerra contra os demônios tudo.

Alias, a aventura em si se passa em Redgrave, pois o vilão toma forma nessa cidade e é a partir dela que tudo é destruído. Inclusive, Dante revisita sua casa.


É possível ver um quadro de família com Dante, Vergil, Eva e Sparda pintados. No quadro, Dante aparece aparentemente de cabelos brancos e grandes, enquanto Vergil aparece também de cabelos brancos, porém mais curtos, mais próximo de sua mãe.




Por serem irmãos gêmeos, pode ser o oposto. Dante tinha cabelo curto, e Vergil cabelo longo, onde ele tentava ser mais parecido com seu pai, o qual também tinha uma bela cabeleira.



Acontece que, no quadro, o garoto de cabelos curtos parece ter uma coloração mais escura. Pode ser saturação da obra, que ta bem decomposta, ou pode realmente significar que um tinha cabelos claros e o outro escuros. Digo isso pois, no fundo, quero muito não desconsiderar as informações de DmC.

Apesar de, em DmC, ter a revelação de que Eva era um anjo (o que é um absurdo contraditório com o restante da franquia, principalmente agora), nenhuma informação de fato foi rejeitada, e o flashback de Dante, junto com o quadro, além dos relatórios de Morrison, chegam a indicar incoerências com o "início", porém, ainda não são totalmente contraditórios.

Posteriormente falo melhor disso.

Lady



A moça com heterocromia ta de volta, e nua.


Ela foi uma das primeiras a chegar em Urizen, e foi derrotada, envolvida em tentáculos, e encubada num demônio. Ela foi transformada numa bateria pra um demônio criado por Urizen, e posta pra enfrentar Nero.

Mas, ele a resgata, peladona, um mês depois.


Lady não é controlável, e não auxilia muito na trama. No máximo, a arma dela, a bazuka, é encontrada por Dante (de forma opcional) e ela encomenda uma versão 2.0 da mesma com Nico, a qual depois é transferida pra Dante. O legal é que se ele tiver achado a outra Ann, ele fica com 2 bazukas ao mesmo tempo.

Trish



O demônio criado por Mundus à imagem de Eva, também ta aqui, e ao lado de Lady foi peitar Urizen, recebendo o mesmo destino. Dante foi o único que não ficou peladão, pois foi jogado pra longe com a Espada de Sparda, e entrou em modo de hibernação.



Nesse meio tempo, Trish foi convertida em um demônio de Urizen, e serviu a ele até que foi libertada por Dante.



Ele até chega a fazer piada com o fato dela estar como veio ao mundo, mas Dante não é nenhum pouco pervertido com ela.



Ele a respeita, como uma grande amiga, e deixa ela pra V cuidar enquanto mantém o curso até o demônio rei.



Trish também confirma a paternidade de Vergil, porém, ela usa como argumentos o mesmo que Dante. Ela cita que suspeitou que Nero era filho dele, pela reação com a Yamato. Não chega a rolar teste de DNA nem relatos sobre o passado.



Digo isso pois, ainda acho bem suspeito.


Morrison



O Michael Jackson invertido do universo DMC.


Não da pra ignorar, Morrison era branco, de bigodinho loiro, e agora é negro e careca, além de grisalho! Tem algo errado que não ta certo!


Na verdade, Morrison é um agente de Dante, quem lhe consegue os trabalhos, contratos, e arranja as viagens que ele precisa fazer. O cara manda várias cartas pra Nero, depois da derrota de Dante, para informa-lo e ao mesmo tempo, desabafar. Ele conta tudo sobre seu passado com Dante.


Morrison é humano, e era descrente com os demônios. Ele conheceu Dante quando ele ainda se chamava Tony, e acabou criando um laço com ele. Ele apreciava o trabalho de Tony, e no fim, acabou conhecendo a verdadeira natureza dos alvos dele (e sim, apesar de ser "caçador de recompensas", na verdade Dante era um tipo de assassino de aluguel).

Depois que Dante assumiu seu nome verdadeiro e abriu a loja dedicada somente a caçar demônios, Morrison virou seu agente vitalício, levando os casos especiais pra ele.

O cara aparece bastante na animação, sempre interagindo com Dante e demonstrando uma profunda amizade, porém, ele ainda não havia aparecido nem sido citado em nenhum dos jogos. Pela primeira vez, ele aparece trazendo a missão de V, e testemunhando a batalha de Dante, e diferente de sua aparência no anime, ele é um cara negro.

Curiosamente, sua aparição no jogo canoniza o anime, parcialmente. Apenas a história do anime torna-se real, o designe é ignorado, por isso Morrison surge de outra raça.


Os eventos do anime são citados nas cartas de Morrison, confirmando os eventos do anime, e ele não é o único que recebeu sua versão nos jogos.

Patty



A mocinha que perturbou Dante por um bom tempo, até encontrar sua mãe, também existe pra valer, e ela mantém sua proximidade com o caçador.


Patty agora tem 18 anos, e faz sua aparição num telefonema pra Dante, brigando com ele por não atender o telefone (que por sua vez, tinha sido cortado). Ela ta ainda mais mimada, e brava, e cita seu aniversário.


Ela também é mencionada nas cartas de Morrison.

Kirie



Outra personagem que aparece apenas por voz é Kirie, a namorada de Nero. Eles estão juntos, e ela aparece primeiro cozinhando o jantar pra ele e Nico em sua casa, até que Vergil aparece e arranca o braço do rapaz.



Depois disso ela é citada em alguns diálogos, principalmente momentos em que Nico ameaça dedurar Nero, como quando ele encontra Lady sem nada, e também, ele fala com ela por telefone, pedindo conselhos sobre como lidar com sua recém descoberta familiar.



Ela também é citada nas cartas de Morrison, e inclusive, ele diz que tem uma quedinha por ela por ser tão gata.

Urizen



O lado puramente demoníaco de um filho de Sparda simplesmente decide reinar sobre o inferno. Ele já era todo poderoso, invulnerável, graças ao poder de Yamato cristalizada diante de si (como um escudo impenetrável).


Mas, ele era sedento por poder absoluto e não se da por satisfeito. Urizen faz brotar uma Árvore do Inferno, e acelera a produção de um Fruto. O Fruto era conhecido por liberar o poder absoluto naquele que o comesse, e havia sido usado no passado por Mundus, quando este dominou o inferno, e tentou dominar a Terra.


Urizen faz o fruto surgir novamente, alimentando a árvore com o sangue de milhares de mortais, por várias semanas. Quando Mundus usou ele, demorou milênios, mas ele não chegou a fazer o mesmo que Urizen. O novo aspirante a rei fez um grande sacrifício, e acelerou bastante a produção do fruto, bem como o crescimento da árvore.


Várias raízes da árvores surgiram na superfície e cresceram, e depois que Urizen vence o combate contra os caçadores, V e Nero tentam desacelerar seu domínio cortando algumas dessas raízes. Várias missões giram em torno disso, podar a árvore.

O legal é que, a Árvore cresce pra baixo, em direção ao inferno, e suga sangue ao invés de água. Então, o fruto nasce no quinto dos infernos, enquanto o que aparece e atormenta os mortais é apenas a raiz dela, grandona, indo até a atmosfera.



No final Urizen come do fruto proibido, uma maçã de sangue, mas ele não fica tão overpower quanto se pensava.



Na verdade ele continua na mesma pegada, só um pouco mais rápido e com um intervalo menor entre seus ataques.


Ainda assim ele é derrotado por Dante, e no fim, se funde com V pra dar vida ao Vergil.


Vergil



O irmão gêmeo de Dante, que pensava-se ter morrido, ficado preso no inferno, sido absorvido por outro demônio, convertido em outra criatura, ou simplesmente desaparecido. Na verdade ele tava perambulando pela Terra mesmo, todo fraquinho, em busca da Yamato.



Como ele saiu do inferno? Sendo que ele se trancou la com Mundus no final de DMC3? Bem... ele foi transformado em Nelo Angelo e depois, libertado por Dante sem ele saber. Vergil passou a vagar moribundo por ai até um dia decidir buscar sua espada pra cometer harakiri.



Então ele se mata diante sua antiga casa, e desperta seus dois lados opostos.



Vergil volta ao normal quando as duas partes se reconectam por vontade própria, e também, graças ao Fruto Proibido que regenera sua vitalidade.



Mas, ele continua sendo malvado. Apesar do lado V ainda existir nele, um lado racional e humano, seu lado Urizen predomina e ele decide continuar seu plano de dominação multi-universal.



Sua rivalidade com Dante porém supera sua vontade de dominar tudo, e ele aguarda para enfrenta-lo uma vez mais, num duelo de espadas, como sempre.



Ele que é o chefão final, e faz questão de duelar com tudo que tem contra seu irmão.




Mas, é uma luta estúpida. Dante e Vergil sempre se enfrentam mas, nunca morrem afinal, ambos são imortais. Alias, Vergil tem uma certa invejinha da vida de Dante.



Mas eles lutam, e lutam, Dante quase vence e desempata o ranking, quando Nero decide parar os dois.



Nero ativa seu Devil Trigger pela primeira vez, e para seu pai e seu tio, convencendo ambos que lutar é errado. Pra isso, ele luta.



Ele da um murro bem forte em Dante que o desmoraliza totalmente.




Dante decide deixar Vergil pra Nero mesmo e que os dois se resolvessem, e Vergil aceita isso, dizendo que se ele derrotasse Nero, seria o mesmo que derrotar seu irmão.



Alias, Vergil não fica tão surpreso quando Dante conta que Nero é seu filho.




Ele apenas cita que já teve um envolvimento com uma mina a muito tempo, e acredita que Nero possa ser fruto disso, mas ele não entra em detalhes, e Dante ainda zomba falando "Num é virjão".



Depois que Nero e Vergil acertam as diferenças, Vergil aceita fazer as pazes e todos ficam felizes.



Ele decide desfazer a bagunça toda, e trancar o portal pro inferno uma vez mais, ao lado de seu irmão.



Ambos já tinham feito isso antes, tanto que agem com total naturalidade. Vergil diz que só Yamato pode fechar o portal, e Dante diz que irá com ele pra garantir que ele ficará bem e não se converterá num vilão novamente.



Nero até tenta impedir, mas Dante e Vergil decidem agir rápido, se unem e vão pro inferno para selar o portal e assim, ficarem presos la. Antes de ir, Vergil joga o livro de V pra Nero como presente.


Detalhe: Não é a primeira vez que Dante e Vergil ficam presos no inferno, mas na vez que Vergil ficou, Mundus o tirou usando o Limbo, e na vez que Dante ficou, nunca foi explicado como ele saiu.

Detalhe 2: Dante e Vergil usaram a Yamato pra fechar o portal do inferno que Mundus reabriu. Essa foi a primeira vez que ambos trabalharam juntos, pouco antes de começarem a brigar, e é a história de DmC, logo... olha o cânone "disfarçado".

Detalhe 3: Vergil também não parece se impressionar nada com o parentesco com Nero, mas ao mesmo tempo, ele também não apresenta qualquer prova. Pelo contexto, da a entender que Nero é um bastardo qualquer, e olha que curioso, ele é mais forte que Dante e Vergil! Mesmo sendo apenas 1/4 humano.



Enfim, creio que tudo o que tinha de mais interessante sobre o jogo já foi compartilhado, agora falta encerrar. Pra isso falarei dos inimigos, um resuminho básico só pra registrar, e também falarei dos chefes, detalhando um pouco de suas batalhas. Depois vou falar das armas, só pra registrar também.

Inimigos

Empusa


São insetos demoníacos que se alimentam do sangue coagulado na Árvore do capeta.

Green Empusa


Essa é uma versão curandeira desses insetos.

Red Empusa



Alguns desses insetos acabam refinando o sangue e assim, criam Orbs Vermelhos. Eles tentam fugir quando são achados, e somem depois de um tempo, mas soltam muito dinheiro.

Hell Caina



São ceifadores do inferno. Nico descreve eles dizendo que normalmente, a raça deles se personifica em bonecos, mas, esses são os próprios, em sua forma física demoníaca, que conseguiram atravessar o portal do inferno. A referência provavelmente é aos Bonecos Possuídos de DMC1.


Ou seja, eles se personificavam no mundo humano através desses corpos.

Hell Antenora


São demônios do mesmo tipo do ceifador, mas putos da vida.

Pyrobat


São morcegos de fogo.

Death Scissors




São demônios fantasmas, que atravessam as coisas e carregam tesouras enormes, que não apenas servem de arma, mas de escudo.



É preciso quebrar essas tesouras pra poder mata-los, mas... parece que da pra destruir essa criatura se atirar na máscara. Eu nunca acertei.

Tentáculos


Por toda parte a árvore do tinhoso cria tentáculos que matam pessoas e sugam sangue.

Empusa Queen



A rainha dos insetos não é um chefe, apesar de bem fortinha, e aparecem várias. Ela é uma versão maior e mais resistente.

Proto Angelo


Esse inimigo aparece como um tipo de chefe, mas depois se converte num inimigo padrão.




O primeiro encontro é um crossover de jogadores, e ele aparece com vários capangas. É basicamente uma armadura do mesmo modelo do Nelo Angelo, mas um pouco mais simples.



Pelas descrições de Nico, esse demônio, também chamado de Anjo Negro, é uma fusão de carne humana com alma demoníaca. Curiosamente, isso revela que Nelo Angelo era apenas Vergil preso numa dessas armaduras.

Nelo Angelo em DMC1

Scudo Angelo


São os capangas do inimigo anterior. Eles tem um escudo.

Baphomet



Esse é um demônio feiticeiro que atira gelo.



Ele é bem fraco, fica voando pra longe e tenta congelar os outros.

Riot



Esse é um lagarto demoníaco que brota infinitamente de um tipo de cápsula que sai do chão em alguns pontos perto da árvore.

Nobody


Esse inimigo aparece dançando pra Espada de Sparda, quando V a encontra. Serve como um tipo de chefe apesar de depois virar um inimigo comum.



Eles são demônios que não tiveram sucesso ao incorporar no mundo humano.




Por isso são deformados, mas são igualmente poderosos, e usam máscaras pra esconder as imperfeições. Eles já apareceram antes, em DMC1, quando Dante passa pelo Limbo se não me engano. Ou seja, eles se libertaram.

Nobody em DMC1

Behemoth




É um demônio canibal gigante e descontrolado. É bem forte. Quando as correntes que seguram ele quebram, ele passa a atacar todos ao redor, inclusive seus aliados.


Hellbat



São morcegos de fogo, um pouco mais quentes.



Eles explodem quando morrem.

Fury



Esse é um demônio Lagarto, porém fica invisível e teletransporta.

Chaos



Outro tipo de demônio lagarto, mas esse fica girando feito roda.



Eles são fortes, mas o Royal Mode quebra o ataque deles e defende bem.

Hell Judetta



Da raça dos ceifadores, esse demônio convoca mais ceifadores, e fica atacando de longe.

Lusachia




Esse demônio é outro arcano, e fica conjurando um feitiço que drena a energia vital de Dante. Sempre que ele usa seu poder, uma grande quantidade do HP de Dante é perdida, mas ele fica fraco.



Ele fica fugindo mas, é fácil de matar.

Por incrível que pareça, só tem esses inimigos no jogo. Mas, temos os chefes e esses sim são bem interessantes.

Chefes

Urizen



O alfa e o omega, o cara tem mó pinta de todo poderoso, e luta sentado, sem nem se mexer. Ele fica com a Yamato na frente recebendo todo o dano, a qual tem um circulo de vida enorme.


A primeira luta, ele é imortal. Da pra vencer, mas é muito difícil conseguir de primeira, e rola até um final especial, mas, a batalha é pra ser perdida.


Ele lança energia, paralisa o tempo em algumas áreas, lança lasers, atira bolas de energia, e ainda convoca meteoros. O cara é apelão.


Nero o enfrenta, sem próteses, e sem o Devil Trigger, e após derrotado, não rola Continue, apenas a cutscene que faz parte da história mesmo.

A segunda luta é de revanche. 


Nero retorna com suas Próteses, 1 mês depois. Eu fiquei até espantado com a velocidade em que essa missão surge pois Nero já vai direto pra ele assim que encontra Lady, na esperança de ainda achar Dante e Trish vivos.


Ele até se surpreende com a ausência de corpos, e provoca Urizen, e nessa batalha, Nero precisa passar pelo primeiro estágio do chefão.


Ele tem que quebrar a defesa, destruindo a Yamato (apenas rompe o cristal na verdade, a espada permanece inteira). Com isso, Urizen se levanta e decide dar uma lição em Nero.


A partir daí, ele apela muito mais. Ele se desconecta da árvore, mas ainda usa os cipós como arma.


Ele passa a se mover dando golpes com seus tentáculos, paralelo a todos os movimentos anteriores, um pouco mais rápidos e com um intervalo menor entre um ataque e outro. 


Além disso, a defesa absoluta da Yamato é restaurada.


Nessa forma ele vence também, e assim que Nero cai, Dante aparece em sua Forma Suprema e segura a luta.



Quando a história de Dante é mostrada, é preciso enfrentar Urizen novamente, mas na pele de Dante, pra perder. Ele nem passa do primeiro estágio.



Só algumas missões depois, depois que a versão  da história de Dante é mostrada, essa luta é retomada, com a chegada dele.




Dante apela pra seu Devil Trigger Surpremo, e em contra-partida, Urizen toma uma surra pela primeira vez.



Mas, depois de vencer essa luta, Urizen decide ir embora, diz que já coletou energia suficiente, abre um portal e vai até o inferno pra coletar o fruto.



Depois de descer até o inferno, Urizen é encontrado, e come do fruto, cercado por uma paisagem simulada de sua casa, pela qual ele não sente nada pois, ele é totalmente um demônio agora.




Ai ele enfrenta Dante novamente, agora muito mais rápido, e com seus ataques quase sem intervalo algum. Ele não usa mais os cipós e tentáculos, pois isso era parte da árvore, e agora ele foca apenas em seu próprio poder.



Mesmo assim, com a forma super demoníaca, Dante vence e Urizen cai no chão.



Em seguida surge V e Nero, atrasados pra batalha, e V pede pra finalizar Urizen.



Dante é bem ingênuo nessa hora, e deixa o cara se aproximar, mas ao invés de finalizar, V se funde a Urizen. Então, Vergil retorna e diz que aguardará seu irmão pra batalha final la na raiz da árvore.



Qliphoth Roots



A árvore de nome estranho da vida a vários cipós demoníacos que sugam o sangue de todo mundo.



 Esses cipós aparecem por toda parte, e a todo momento Nero, V e Dante acabam tendo de fatia-los. 


Porém, Nero enfrenta um amontoado desses cipós, como um chefão.


Basicamente são vários deles tão juntinhos que ficam mais resistentes, e atacam chicoteando e balançando, além de penetrarem no solo pra atacar por baixo.


Goliath


Nero também enfrenta esse demônio que aproveita a oportunidade pra coletar sangue, e tentar roubar a coroa do inferno.



Ele não estava trabalhando diretamente pra Urizen, apesar de contribuir pra coleta e criação do fruto.


Goliath é um gigante que devora coisas com a barriga, e dispara lava. Ele é debochado por Nero, e nem nota que o garoto é um dos herdeiros de Sparda, por isso acaba morrendo bonito.


Ele é uma das lutas mais interessantes pois se passa em 3 cenários. Primeiro Nero espanca ele em cima de um prédio...


Depois o chão cede e eles lutam num armazém, até ele se enfurecer e disparar um laser de energia que destrói tudo e ai, a luta se passa em um campo mais aberto.


Os ataques dele são sempre colossais, com ele pulando, dando murros, atirando fogo, comendo carros e disparando lava, e até explodindo.


Mas, Nero o derrota, e V aparece pra finaliza-lo com sua bengala.


Artemis



Nero enfrenta essa criatura que não fala absolutamente nada, o que ele mesmo critica pois aguardava pelos clássicos monólogos dos demônios sempre bem tagarelas.


Ela voa, e mantém distância, atacando com energia tanto na vertical quanto na horizontal.


Nero consegue se aproximar dela usando suas próteses, que reagem ao poder demoníaco do seu antigo braço e se esticam.


Apesar dela não ser muito forte, as vezes ela tenta restaurar sua energia vital, ficando longe do alcance de Nero, mas, da pra usar alguns fragmentos dela como sustentação pra subir e alcançar ela antes de conseguir se curar.


Lembra bastante a luta contra o chefe final de DMC4.


Ela que esconde Lady dentro, e após vence-la, Nero leva a moça nua pra van.


Observação: Nico diz que Artemis é uma arma criada por um artesão demoníaco chamado Machiavelli, por quem ela demonstra ter respeito (relacionado a suas obras).

Nidhogg


Esse é um chefe enfrentado por V.




Ele é um demônio parasita que vive dentro da Árvore. São os filhotinhos dele que são usados como chaves pra atravessar alguns pontos.


Nidhogg é bem tagarela, como o costumeiro, e não admite ser chamado de parasita, apesar de ser exatamente o que ele é. Sua luta lembra a luta dos cipós, inclusive ele usa tentáculos pra atacar.


Como V o enfrenta, é um pouco mais complicado, pois os demônios de V podem ferir os inimigos, mas não finaliza-los. É preciso enfraquecer os 3 tentáculos de Nidhogg primeiro, pra depois finalizar eles com a bengala e assim, liberar o próprio Nidhogg, que cai no chão e toma surra.


Os tentáculos crescem de novo depois de um tempo, mas no fim, V vence.


Elder Geryon Knight


Buscando destruir mais raízes da Árvore, V testemunha dois demônios de elite conversando sobre a Espada de Sparda, considerando ela uma ameaça ao rei.



V vê nisso uma oportunidade de talvez, ter uma vantagem contra Urizen, e decide encontrar a Espada antes deles.


Ele então enfrenta um dos demônios, um Cavaleiro que usa o Cavalo do Tempo, aquele mesmo da carroça vista no DMC3


Lembrando que no universo de Devil May Cry, os demônios não morrem de fato. Quando destruídos, normalmente eles voltam ao inferno, enfraquecidos, e são reaproveitados por outros demônios.


No caso, o cavalo foi restaurado e domado, e acaba servindo de arma pro cavaleiro demoníaco que busca pela Espada de Sparda.


Ele usa o tempo como principal arma, teletransportando, correndo, paralisando as coisas por ai, mas a luta acontece em uma arena circular simples, então V só precisa manter ele distraído com seus demônios enquanto mantém distância, lendo poesias, pra invocar seu Golem e descer o sarrafo nele.


No fim, ele é destruído, mas o Cavaleiro foge.


Gilgamesh


Logo após derrotar Nidhogg, V avista um demônio muito maior, causando destruição.




É um demônio quadrupede que caminha lentamente e arrasa quarteirões inteiros num único pisar. Ao notar que não será capaz de enfrenta-lo, V o evita fugindo pros esgotos da cidade.


La, em vários momentos as patas do gigante entram no solo e V acaba tendo de bater nelas.


Paralelo a isso, Nero enfrenta a criatura de frente.


Esse é o chefe colossal que citei. Nero precisa bater em pontos específicos das 4 patas pra ele enfraquecer e deitar. 


Assim, ele sobe em seu dorso e fatia seu ponto fraco, até ele começar a se recuperar, levantar e defender usando drones diabólicos, espinhos e etc.


Ele fica andando enquanto isso, lentamente, então é preciso acompanha-lo pelo enorme cenário (que não é tão grande assim), cheio de armazéns.


No fim, Ele é destruído, e V vai atrás da Espada de Sparda, pra tentar fortalecer Nero, enquanto Nero fica impaciente e decide escalar a árvore pra enfrentar Urizen logo.




Observação: Gilgameth é apenas um material metálico encontrado no submundo, que foi fundido a Árvore Satânica, dando forma a esse ser diabólico gigantesco.

Cavaliere Angelo



V encontra a espada, coincidentemente próximo a casa antiga de Dante e Vergil, antes do Cavaliere.




A espada estava presa e emanando energia, o que escondeu a presença de Dante, o qual estava desmaiado próximo dela.



V até tenta empunhar a espada, mas ela é pesada de mais pra ele, e ele acaba acordando Dante (quase o matando, só pra assustar). Ai, Dante empunha a espada e volta ao jogo, todo barbudo.



Dante enfrenta Cavaliere, o cavaleiro que tava atrás da Espada de Sparda.



Esse cavaleiro é uma armadura enorme, muito parecida com o Nelo Angelo, que usa eletricidade pra atacar.



Dante o derrota, e no final, descobre que dentro dele estava Trish, confinada como uma bateria. O poder elétrico era proeminente dela.



Ele a resgata, e a deixa com V. Dos restos de Cavaliere, Dante cria uma Moto demoníaca, e vai pra sua casa. Acontece que ele estava com a Rebellion quebrada, por causa da luta que perdeu com Urizen, e ai, decide ir no mesmo local em que Vergil se dividiu com a Yamato, e o imita.



Usando o que sobrou da Rebellion, Dante se mata, e com isso absorve a sua espada, e a espada de Sparda, liberando assim sua forma Devil Trigger Suprema, e criando a Espada Dante.



Ele avança até Urizen e salva Nero nesse momento, numa batida de asas demoníacas.



Malphas



V fica bem fraco depois de tudo pelo que passou, e com Urizen ficando ainda mais forte, ele começa a esfarelar. Ele chega inclusive a perder seus poderes, os demônios que o acompanhavam, quando se aproxima de uma das servas de Urizen, uma mulher de três cabeças montada num pássaro sem penas, gigante, e cai num feitiço dela.



V acaba tendo de enfrentar Goliath, Artemis e Cavaliere, contando somente com 1 de seus demônios por vez, para recupera-los.



Na verdade, ele precisa escolher um dos 3 demônios pra começar a lutar, e qual demônio irá enfrentar primeiro...




Depois o segundo ele já tem o suporte de 2 demônios (somando o que ele escolheu antes) e o terceiro ele enfrenta usando seus 3 demônios.



Tem uma ordem mais facilitada de se enfrentar, mas no geral, tanto faz.



O importante é que depois de lutar com esses 3 chefes seguidos, usando o V limitado, ele recupera seus poderes mas permanece bem fraco, e ai surge Malphas.



Ele se esconde dela, justamente por saber que não tem a menor chance de vencer, e na hora H aparece Nero pra salva-lo.



Controlando Nero, com V jogando Próteses de vez em quando, ainda escondido, nós enfrentamos Malphas.


Ela fica teletransportando e bicando sempre que chega perto, dando investidas.



Pode até parecer simples, mas ela é muito forte e quanto mais dano recebe, mais rápida fica.



Eu morri umas 4 vezes nela até vencer, só pelo fato dela ser muito violenta.



Vencendo, Malphas evapora e V se revela pra Nero.



Dante, Nero e V estavam nesse momento descendo pelo caule da árvore até chegar no fundo do inferno, onde o fruto estava, pra encontrar e derrotar Urizen. É uma corrida, mas Dante ta bem à frente.



Observação: Malphas é descrita como uma bruxa que montou um filhote de pássaro demônio, o qual se chamava Malphas. Quem fala isso é Nico em suas descrições dos chefes, mas isso me fez pensar bastante.

Acontece que o nome Malphas me era bem familiar, eu já tinha ouvido algum demônio chamado assim e jurava que era num DMC... mas, na verdade, Malphas é um demônio pássaro, visto em Bayonetta! Seria a descrição de Nico uma referência à Bayonetta? Claro, como mero easter egg mesmo...

Outra coisa, eu coloquei os 3 Chefes que V enfrenta na mesma lista de Malphas pois, tecnicamente, são invocações dela.

King Cerberus



Na entrada do inferno, Dante encontra e enfrenta Cerberus, o cão de três cabeças que guarda os portões.




Porém, não é o mesmo que ele enfrentou antes, la na torre onde seu pai teria selado a criatura. O Cerberus que ele enfrenta agora é o próprio rei dos cérberus.



Acontece que existem vários demônios, de raças e tipos diferentes, e alguns deles formam grupos, sociedades e até mesmo famílias.



Geralmente demônios de um mesmo tipo andam em conjunto, e até mesmo os demônios de elite, os chefões, não são sempre "únicos". Como visto com os Sapos la em DMC4, existem algumas raças de demônios que são poderosas, e aos montes, mas sempre tem um representante, o principal, o líder, o alfa.



O Rei Cerberus é o alfa de sua raça, e por essa razão, ele vai muito além de apenas ser um cachorro de gelo. Cada cabeça dele domina um elemento, sendo ele um cachorro de Gelo, Fogo e Raio. Provavelmente seus súditos acabam sendo de um dos três elementos, mas o próprio guardião do inferno tem logo os 3 ao mesmo tempo.



Apesar da revelação interessante, e da chance de Dante tirar onda com mais um cachorrinho triplo, isso foi um pouco triste de se ver.



Antes, Cerberus preso na base de Temen-ni-gru era meio que uma amostra do quão poderoso Sparda era. Ele tinha selado vários demônios de elite na torre, sozinho. Agora, meio que fica claro que os demônios que ele prendeu não eram tudo aquilo.



Cerberus Rei também não é um chefe tão interessante. Seu mapa é grande, e ele já começa se soltando das correntes (o que é estranho, ele ter correntes, afinal as correntes do Cerberus original eram criadas por Sparda e ele só se solta quando fica tão irritado ao ponto de vencer as amarras... aqui quem prendeu ele?) e ataca com tudo o que tem.



Ele pode manipular o elemento do cenário, e ao invés de apenas congelar tudo, ele pode transformar tudo em lava, ou eletrificar os arredores. O mapa inteiro muda, mas ele próprio permanece fazendo movimentos parecidos. Ele da investidas, morde ou lança algum poder.



Sinceramente, eu matei ele na primeira luta, e apelei pra Continues pois, é bem difícil, mas visualmente poluído.



A constante troca e cenário, não deixa entender bem o que ta acontecendo.



Assim que Dante o vence, ele pega um Nunchaco, como fez com o outro Cerberus, mas esse tem os 3 elementos, e pode virar um Bastão de Fogo, ou um Cajado de Eletricidade. Sem contar que, ele também permanece sendo um Nunchaco de Gelo.


V's Familiars



Depois que V se funde com Urizen, seus demônios ficam liberados e acabam atacando Dante para impedir que ele chegue em Vergil.



Dos três demônios só um fala (eu comentarei ele daqui a pouco) mas, ao que parece, todos os 3 queriam vingança de Dante de alguma forma, carregando um sentimento mútuo com o de Vergil.



Eles são enfrentados um por um ao longo da fase, sempre fugindo no fim da luta.



Primeiro o Pássaro Tagarela aparece...



Depois a Pantera...



Depois os dois juntos...



Apenas no final da missão que surge o Golem, e os 3 se juntam pra enfrentar Dante ao mesmo tempo.



O Golem é invocado do Cajado, que parece também ter vida própria, e o Pássaro intercala com a Pantera, e fica parecendo até um PVP contra V, mas sem o V ali no meio.



Eles usam os mesmos poderes que V usava, mas claro, tudo controlado pela máquina. Uma vez que se conhece os ataques de V, fica fácil vencer, buscando enfraquecer os demônios menores e guardando o Devil Trigger Supremo pro Golem quando ele volta pra luta. De tempos em tempos ele sai pra descansar, é como se o Cajado tivesse regenerando a força pra convoca-lo novamente.



Depois de derrotar os 3, Dante pode ir ao encontro de seu irmão, e antes de morrer, a Ave meio que se despede de Dante, dando a entender que a briga não foi pessoal... é estranho.



Vergil



Por fim, rola a batalha entre os irmãos.



Sem segredo, Vergil faz o mesmo de sempre.



Ele ataca rápido, dando cortes que rompem o vento...



E investidas que fazem ele praticamente teletransportar, além da esquiva incrível.



Ele também usa Lâminas de Energia projetadas e pode até se clonar.



Vergil também pode criar uma bolha de tempo onde fatia tudo que tiver dentro, e tem uma defesa impecável.



Da pra quebrar sua defesa dando ataques contínuos, e ai ele fica vulnerável recebendo vários combos de graça...




Só quando ta na metade do HP que começa a apelar pra sua forma Super Devil Trigger, que deixa mais forte e restaura o HP lentamente, assim como Dante em sua forma mais simples do Devil Trigger.



Só que Vergil não pode virar Urizen, já Dante pode ficar em sua forma Super Diabólica, assim a balança acaba pendendo a favor de Dante. Se bem que a forma demoníaca que Vergil usa é sua própria versão do Super Devil Trigger, justamente refinado com o poder de Urizen, ainda assim, não chega nem aos pés da forma de Dante.



No fim, com auxílio de muitos continues, da pra vencer de boa.



Após derrotar Vergil, ele esquiva e derruba Dante, e ambos se atacam num corte final.



Mas Nero aparece e interrompe ambos usando o Devil Trigger, o que os deixa bem impressionados.



Ai, o controle passa pra Nero, e é a mesma coisa.



Vergil tenta conversar no inicio da luta, mas logo ele ataca e ai, é só apelar pro Devil Trigger.




Nero pode fazer as coisas que fazia quando tinha o Braço Demoníaco, e também tem alguns braços extras espirituais.



No fim, Vergil cai e Nero também.



Ambos meio que fraquejam lado a lado, e Vergil assume a derrota.



Dante só fica rindo, e ai o jogo acaba.



Nos créditos, Nero é controlado naquele clássico momento de lutar contra o tempo pra conseguir algum prêmio após as letrinhas passarem.




Nero apesar de ter o Devil Trigger, e seu braço de volta, também pode usar as proteses de Nico, pois de alguma forma seu braço se recolhe pra acopla-las.



Dante e Vergil também são mostrados lutando no inferno.



E ai... fim.



Armas

As armas do jogo são as seguintes:

Balrog



Aquelas luvas e botas que Dante usou em DMC4, tão de volta com a exata mesma jogabilidade. Pra trocar entre socos e chutes, é preciso girar o analógico enquanto ataca, e quanto mais golpes se faz, mais a arma aquece e fica forte.

Ela é muito rápida, e forte principalmente aquecida, mas tem um alcance curto.

Cavaliere



Dante monta essa arma juntando fragmentos da armadura que Trish tava usando, com uma moto que ela tinha cortado ao meio. Assim, ele cria uma Moto Demoníaca que se divide ao meio, chamada Cavaliere.



Essa moto permite ataques sequenciais, girando as rodas pra causar vários e vários hits, além disso, ela pode ser montada pra causar investidas.



Com o Estilo Espadachim, da pra dar até Cavalinho de Pau infinito! É uma das armas mais divertidas que Dante já teve, só é triste não poder montar nela o tempo inteiro.




Seria inclusive bem legal uma fase de Moto só pra variar, e há espaço pra isso na trama... mas não tem no jogo.


Devil Sword Dante



Então, a Espada Dante é a fusão da Sparda com a Rebellion, na Forma Majin... digo... Super Demônio. Ela é fortona e tal, mas é só uma espada... tecnicamente.

King Cerberus

É um Nuchachu, Bastão e Cajado, ao mesmo tempo. Lembra muito a Agnis e Rudra, o conceito é basicamente o mesmo, vários combos, com elementos diferentes e as vezes misturando.



Eu não tive tempo pra aprender a usar essa arma, pois quando ela é pega o jogo ta quase acabando e a espada Dante é a melhor arma de todas.

Rebellion



Ela quebrou... mas... depois falo dela.

Sparda



Dante absorveu ela, então tecnicamente, ela deixou de existir pra criar a Dante.

Yamato



Essa arma não chega a ser usada, mas, é a espada do Vergil, uma seladora de portais que pode abrir caminhos na realidade. Vergil adora fazer isso.

Red Queen



É a espada motorizada de Nero. Da pra atacar com ela carregada dando uma investida bem forte.

Armas de Fogo

Dr. Faust

Nico da essa estranha arma como um presente pra Dante, ao conhecê-lo.



Ela fica super honrada em conhecer ele.



Essa "arma" é um chapéu com cachecol demoníacos que usam Orbs Vermelhos pra atacar, e sugam Orbs Vermelhos dos inimigos.



É um equipamento que gasta, mas que também enriquece, pois com os combos certos, principalmente utilizando o modo Atirador, ela tira muito dinheiro dos inimigos, mas também gasta causando grandes danos.



Eu achei essa arma confusa de se usar. Os tiros de dinheiro dela são rápidos e fortes, ela pode convocar um meteoro de Orbs Vermelhos, além de recolher orbs de todos os inimigos ao redor.



O chapéu também pode ser colocado em diferentes inimigos ao mesmo tempo, deixando eles mais estilosos, e soltando orbs o tempo inteiro.



O mais legal da arma, é quando Dante a ganha, pois ele dança ao estilo Michael Jackson (caramba falei o nome dele 2 vezes kkk) e é hilário.


Ebony & Ivory



São as pistolas gêmeas de Dante, as quais são praticamente mágicas, soltam balas infinitas e pra variar, são indestrutíveis. As duas foram fabricadas pela amiga de Dante e assinadas para seu alter ego, Tony.

Kalina Ann e Kalina Ann II

Então, Lady tem uma bazuka como marca registrada, que ela leva pra todo canto. Só que quando ela foi raptada pelos tentáculos, a bazuka voou longe e sumiu. Dante pode encontrar ela ao explorar uma cidade destroçada perto de sua casa.



Depois e achar essa arma, ele pode atirar ilimitadamente com a bazuka e causar grande destruição.



Mas, as coisas ficam ainda melhores depois. Como Nico e Lady meio que viram amigas, Lady aproveita pra encomendar uma nova versão da Bazuka, melhorada e ainda mais brutal. Só que Dante aparece e pega a arma pra ele.



Se ele tiver achado a outra Kalina, ele fica com as 2 ao mesmo tempo, e passa a atirar com uma bazuka em cada mão (apelativo de mais).



Além disso, da pra combinar as duas e formar uma Super Bazuka que atira laser, entre outros tiros arrasadores.


Summoned Swords

Então, quando Dante ativa o Devil Trigger, ou usa o Estilo Espadachim, passa a projetar Lâminas Mágicas paralelas as suas armas brancas. Ele pode ta usando a Moto, por exemplo, que essas espadas vão sair junto. No estilo espadachim (sem estar transformado) entretanto o efeito só se aplica quando a Sparda Sword é equipada.



Elas atacam de longe, de perto, fazem combos e dão vários hits sem qualquer consumo. Lembra muito o estilo de luta do Vergil.


Blue Rose

Essa é a pistola de Nero. Apenas ele usa, e é uma arma que causa hits contínuos quando carregada.


Nero usa essa arma desde a época que serviu a Ordem de Sparda. Ela pode carregar e juntar 3 disparos duplos, que quebram defesa e causam hits constantes.

Coyote-A



Essa é a Espingarda que Dante sempre usa. Ele carrega ela pra todo canto depois que a pegou la na ilha de Mundus.

Braços

Nero tem várias próteses, e mais são construídas e disponibilizadas na Devil May Cry sempre que ele pega um ingrediente novo. Partes de demônios são os materiais pra fabricação dessas próteses, por isso elas costumam carregar um pouco do poder deles.

Overture



Esse braço solta ondas elétricas que causam grande dano. Se carregado ao máximo antes de atacar, ele faz uma onda elétrica grande e explode.

Gerbera


Esse cria ondas de energia que servem pra barrar ataques e rebate-los. Além disso, serve pra dar impulsos no ar pra avançar pra frente ou pra cima, facilitando a esquiva.


Se carregado ao máximo, ele lança toda a energia acumulada em um feixe de luz contínuo e destruidor, mas explode em seguida.

Punch Line



Melhor arma de todas! Esse braço é arremessado e voa na direção dos inimigos, socando eles várias vezes como um míssil rastreador.


O mais legal é que Nero pode subir nele e surfar no ar, dando golpes giratórios e impactantes, até que ele exploda.

Buster Arm



Basicamente, esse braço causa um dano altíssimo quando descartado.

Ragtime

Esse braço pode criar bolhas de tempo, paralisando o tempo ao redor de algum inimigo, por alguns segundos.



Se carregado ao máximo, ele paralisa o tempo no mapa todo, mas só por alguns segundos, e explode.


Tomboy

Esse braço trabalha em conjunto com a Pistola ou com a Espada. Ele potencializa as armas, ativando seus efeitos quando Carregadas ou Aceleradas, de forma contínua. Fica bem apelativo, mas qualquer golpe recebido usando esse efeito, faz o braço quebrar.


Na espada, ela fica permanentemente acelerada.

Na pistola, ela vira um rifle de energia.


Se for usada após carregada, ela deixa tanto a pistola quanto a espada potencializadas ao máximo até que ela exploda.

Helter Skelter



Esse braço é uma furadeira, bom pra quebrar escudos.

Rawhide


Esse braço lança uma cordinha que pode ser usada pra causar dano ao redor de Nero.

Sweet Surrender



Esse braço pode ser usado pra regeneração contínua, mas, se ativado, ele quebra caso Nero receba algum golpe. Além disso, se carregado ao máximo, ele explode, mas cura uma boa quantidade de vida.

Mega Buster


É uma arma especial, o canhão do Mega Man. Ele atira, pode carregar o tiro causando grande dano, e também muda a animação dos pulos pra algo mais parecido com o Mega Man, além de também mudar a animação da esquiva pra um tipo de rasteira.

Tem outras armas especiais desse tipo mas essa foi a única que me chamou a atenção.

Demônios

Por fim, existem os demônios de V.

Griffon



Esse é literalmente, a reencarnação de um demônio a muito destruído por Dante.



O Pássaro Tagarela, é justamente como descrevi o Griffon original. Antes, ele era um Pássaro que controlava vento e eletricidade, Gigante e Velho, e servia a Mundus como um de seus demônios de elite.



Porém, ele já era bem velho e ranzinza, e tentava a todo tempo se provar para Mundus, até que no fim foi descartado pelo demônio rei. Acontece que, ele voltou, rejuvenescido por Vergil.



O Pássaro Tagarela, agora menor, e muito mais jovem, fala pra caramba e ajuda Vergil, em sua forma humana, a seguir em frente. Talvez por gratidão, ou mera empatia, ele passa a lutar contra outros demônios e pra evitar o sucesso de Urizen.



Lembra que falei que Demônios não morrem? Então... Griffon foi tecnicamente destruído por Mundus, mas voltou com a ajuda de Vergil. Entretanto, ele foi destruído outra vez, por Dante agora.



Griffon também foi um dos demônios absorvidos por Argosax, então tecnicamente esse mesmo demônio já morreu 3 vezes.

Griffon em DMC1

Shadow



Também como um dos servos de Mundus, surgem alguns Shadows na batalha de Dante contra Nelo Angelo la na ilha de Mundus. Esses Shadows são demônios de aparência felina que podem alterar a própria forma como bem entenderem, no intuito de perfurar e cortar os inimigos.


Aqui, é um desses Shadows que voltou, ao lado de Vergil. Mais uma vez, como se estivesse conectado pelo passado que Vergil teve como Nelo Angelo, um dos servos de Mundus ressurge para ajuda-lo.



Shadow não fala, é bem quieta alias, mas bem dócil.



Tanto Griffon quanto Shadow são reconhecidos por Nico em seus relatórios. Ela diz que a Ordem de Sparda tem documentos sobre todos os demônios conhecidos, e no caso, tanto Griffon quando Shadows já estavam tabelados, por isso ela consegue identifica-los, apesar de estranhar o retorno deles.

Shadow em DMC1

Nightmare (Golem)



Mas, o Nightmare que V invoca não é tabelado. Ela mesma diz que não entende como a Ordem não tem registros dessa criatura. Como Urizen, o Nightmare seria apenas um demônio original criado por Vergil... mas...



Já existem outros da mesma raça, e Dante os destruiu uma vez.



Em Devil May Cry 2, Dante enfrenta um ser formado por pura massa demoníaca, que assume uma forma bípede, e se chama Savage Golem. Ele é bem parecido.

Savage Golem DMC2

Dante também enfrenta um demônio chamado Nightmare, em DMC1, formado por um núcleo demoníaco junto com uma massa sombria, e vários restos acumulados. É inclusive uma arma de Mundus.

Nightmare em DMC1

Ai... a questão é, como raios isso não foi tabelado?

Cronologia

DMC5 é a tão aguardada continuação "direta" de DMC4. Nele, finalmente responderam a dúvida cósmica sobre quem é o pai de Nero... mas acredite... isso não desqualifica minhas teorias.



No máximo, isso derruba uma ideia que tive sobre Dante ter tido Nero, e o abandonado para protegê-lo, mas... a revelação de que Nero é filho de Vergil não é uma prova! E eu tenho como provar isso! (bicho teimoso da porr4).

Devil May Cry 5 é um jogo que continua a história de Nero-Dante-Vergil. Ele desconsidera 2 jogos da franquia pra isso, concentrando todo seu enredo apenas em 3. No caso, DMC5 apenas leva em consideração Devil May Cry (o primeiro), DMC3 e DMC4. Ele não considera DMC2 e muito menos o DmC.


Mas isso tudo não significa que DMC2 e DmC não façam parte do enredo. Na verdade, eu mesmo encontrei vários indícios de DmC dentro da história de DMC5, porém, fiquei chocado com o fato de DMC2 ter sido desconsiderado.


Antes de continuar, eu sei, no vídeo explicativo de DMC5, que mostra a história de tudo que veio antes, é mostrado DMC2 rapidamente, paralelo ao Anime de Devil May Cry, mas apenas o Anime recebe de fato espaço na trama, e mesmo ele, não é totalmente canonizado.


Acontece que antes de começar o jogo, há a opção de assistir um resumo (bem meia boca pra ser sincero) de tudo que aconteceu na franquia até hoje. Nesse resumo, é contada a história de DMC3, DMC e DMC4, nessa ordem, pra então nos introduzir aos eventos de DMC5.


Porém, entre um e outro, é citado, de relance, o Anime e DMC2, sendo que ambos são apenas ditos como "aventuras paralelas" que Dante teria tido entre os eventos de DMC e DMC4.

Mas, o resumo é apenas um manual, dessa vez virtual, e posto dentro do próprio jogo, mas, não dentro da história. Logo, pode-se desconsidera-lo... eu fiz isso, além do mais, achei furos na história.

Acontece que esse vídeo cita coisas preparando o terreno pra DMC5, mas ele não detalha nada. São meras sinopses com spoilers que levam pra uma direção única, mas elas não são absolutas.

Pela forma que esse guia conta, os eventos de DMC2 se passariam antes de DMC4, mas na verdade, dentro do jogo, os eventos de DMC2 nunca ocorreram.

E não é porque foram desconsiderados, apagados da existência nem nada disso, mas só porque eles ainda não aconteceram.

Ou seja, DMC2 ainda se passa no final da cronologia, pelo menos por enquanto.

Digo isso pois, dentro do jogo encontramos documentos que revelam tudo o que houve desde o início da vida de Dante, e em nenhum desses documentos é citada a jornada para Dummary ou a batalha contra Argosax. Curiosamente, os eventos do Anime recebem espaço nesses documentos, mas os do segundo jogo não.

Agora, e se eu disser que há provas incontestáveis dentro de DMC5 que DMC2 ocorre após ele?!

Vamos a essas provas:

Rebellion

Sabia que a primeira vez que a Espada "Mascote" de Dante surgiu não foi em Devil May Cry 1, mas sim em Devil May Cry 2!?

No primeiro jogo, Dante usava um fragmento da Espada de Sparda, e no final ele a refina como a Sparda. Porém, Dante já tinha a Rebellion nessa época, apesar dela não aparecer.


Mas, ela só aparece mesmo em DMC2, como sua primeira arma principal. Rebellion entretanto é ligeiramente diferente.


Seu designe lembra a espada em sua forma final, mas alguns detalhes simplesmente não batem. Fosse pelos traços adotados no jogo, ou simplesmente pela limitação gráfica da época, a Rebellion de DMC2 é diferente da Rebellion que aparece depois.



Em DMC3, a Rebellion tem 2 formas. Inicialmente, ela é bem mais simples, e Dante a usa como arma principal...



Mas no final do jogo, a Rebellion é fincada nele e evolui. Ela meio que absorve o sangue de Dante e desperta, junto com o Devil Trigger dele. É quando ela assume sua forma final.



Em Devil May Cry 4, a Rebellion tem o mesmo modelo visto no final de DMC3, ou seja, ela continuou a mesma depois de tudo que ele passou.



Em DMC5. a Rebellion se quebra...



Mas é absorvida por Dante, e tecnicamente se funde com a Sparda.



E passa a ser a Dante Sword.



Antes de quebrar, seu formato é idêntico visto em DMC3 e 4.



Em DmC, Rebellion é só uma espada comum, nem tem o detalhe com caveira nem nada, nem parece a mesma espada. La ela também tem o poder de assumir diferentes formas baseada na energia dos pais de Dante.



Então, na ordem cronológica, Rebellion era simples e evolui no final (DMC3), depois ela é deixada de lado (DMC1), ai ela regrede pra sua forma mais simples (DMC2), ai volta pra forma evoluída (DMC4) e por fim, se quebra, em sua forma evoluída, e vira a Dante (DMC5). Essa é a ordem que o jogo mostra no vídeo... mas, percebe que tem algo estranho?



Na minha opinião, a ordem real é a seguinte: A Rebellion cria afinidade com Dante (DmC), ela deixa de ser simples e se torna a versão definitiva (DMC3), depois ela é deixada de lado pra que a Sparda evoluísse (DMC1), então ela volta a ser usada como arma principal, enquanto a Sparda é deixada com Trish (DMC4), em seguida ela se quebra, e Sparda é absorvida, e ambas viram a Dante (DMC5) e por fim, ela recupera sua forma aos poucos, depois de se separar da Sparda (DMC2).



Faz sentido? Provavelmente, Dante dominou a habilidade de se transformar sem precisar se matar com a espada, e inclusive é isso que é visto no DMC2... falando nisso...

Majin Form



Essa é legal de mais... você notou algo familiar na Forma Demoníaca Definitiva de Dante? Pois é, é a mesma forma chamada "Majin Form" em Devil May Cry 2.

Então, em DMC2, havia um segredo que nem todo jogador testemunhou. Ao se usar a Forma Devil Trigger prestes a morrer, ao invés de Dante virar o demônio de sempre, ele virava basicamente um deus demoníaco, com chifres duplos, fogo, espadas de energia e lava, e 4 asas. Sem contar que ele podia matar qualquer inimigo com 1 golpe.

Mas essa forma era breve, durava alguns segundos e consumia rapidamente toda sua energia.

Em DMC5, Dante absorve a Sparda e passa a controlar uma forma com chifres, lava, 4 asas, e pra variar, um poder absurdo que praticamente quadruplica seu dano. Essa forma drena toda sua energia demoníaca em questão de segundos.



Se, Dante libera essa forma em DMC5, após quebrar a Rebellion e absorver a Sparda, como é que ele usava essa forma em DMC2?

Um vislumbre do futuro? Easter Egg? Eu acho que não.

Pra mim, isso significa que Dante já absorveu Sparda em DMC2, ou seja, DMC2 seria depois de DMC5.


Lembra até o esquema da Sparda Sword. Antes, em DMC1, Dante só assumia as formas demoníacas quando usava alguma Espada Demoníaca como base, e sua forma Devil Trigger mais forte é a que ele usa quando empunha a Espada de Sparda.


Aqui, quando ele pega a Espada de Sparda ele também assume sua forma Devil Trigger mais fortinha, mas ela nem se compara a Majin.



Alias, se comparar todas as formas Devil Trigger que Dante já teve, nenhuma se parece com a Majin de DMC2, além da forma final em DMC5. Coincidência?

Relatos de Morrison

Nas cartas de Morrison pra Nero, ele fala tudo, desde o passado de Dante, até suas viagens mais importantes. Em momento algum ele cita a ida de Dante ao inferno, nem a ilha onde ele e Lucia enfrentaram Argosax.


É improvável que Morrison tenha ignorado tal evento ou apenas esquecido, sendo que o propósito de suas cartas é justamente inteirar Nero de todos os perrengues que Dante já teve. A batalha contra Argosax pode até não ter sido uma grande coisa, mas ele ficou preso no inferno! Como que isso não é importante?

Logo, o mais lógico é que Dante ainda não passou por isso.

Mais uma vez, isso insinua que os eventos de DMC2 são posteriores à DMC5.

Parece teimosia, mas, o único indício que DMC2 é anterior a DMC5, e alias, anterior a DMC4, é o vídeo mostrado como trailer de DMC5, e presente como extra no menu do jogo.

Além disso, repito que DMC2 nem é citado, apenas aparece a imagem dele no fundo como uma ilustração de uma outra aventura qualquer. Dentro do jogo em si, nada, nenhuma menção a demônios artificiais, o antigo aspirante a rei do inferno (depois de Mundus) ou Lucia surge. Nem mesmo é insinuado que Dante saiba como dar o fora do inferno, nem sua passagem por la.

Não há nada que indique que DMC2 ocorreu, sendo que há até indícios do Anime, e deus, até mesmo do DmC que nem é considerado abertamente!

Pelo contrário, só há mais e mais indícios que DMC2 é posterior... mas...

Posso estar errado.

Posso ter visto conexões onde não existe, ou realmente existem e serão desconsideradas pelos roteiristas no futuro.

Se o vídeo afirma algo, por mais que esteja evidentemente errado, eles podem fazer ficar certo. Então...

Enquanto não surgir uma prova definitiva que DMC2 é anterior, ele permanecerá pra mim como o último jogo da franquia cronologicamente.

Além disso... Nero... Vergil... eu ainda não consigo engolir isso (aqui é teimosia mesmo rs). Exijo um teste de DNA, porque eu li a Light Novel e pra mim, num convence não.

Bem... em breve trarei a análise da Animação, visto que ela foi canonizada na franquia. Talvez eu aproveite e fale sobre os Mangás e Novels.

Mas, enquanto isso não ocorre, meu caro leitor, obrigado por sua atenção até aqui.

Desculpe se me empolguei muito, e agradeço se gostou.

Se você não jogou DMC5 ainda, espero não ter estragado sua experiência, e se jogou, espero que entenda meu ponto de vista.

O jogo não é ruim, mas não é o melhor DMC que já joguei na vida, e também não é um dos melhores Hack&Slash que já vi.

Talvez você goste, talvez gostou, mas... gosto não se discute.

Eu agradeço pela Capcom não ter esquecido a franquia e mesmo que eu esteja errado em minhas interpretações e teorias, eu torço pra que surjam cada vez mais DMCs, e melhores!

Porque, mano... que franquia linda!

É isso.

Brigadão hein, e até.

Ps.: Se você comentar, responderei imediatamente.

Postar um comentário

33 Comentários

  1. Cara, sinceramente tu é daora, mas é muito mimimi demais e teimosia demais, isso meio que ofusca sua otima habilidade de escrita. Mas não me leve a mau, como sempre vc deixa bem claro suas ideias e seus textos são muito bem feitos como sempre tambem. Só acho que é muito mimimi e PRINCIPALMENTE muita teimosia desnecessaria.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso é uma crítica multifacetada rs.

      Eu agradeço e srta Bia, foi mal. Entendi que a execução é boa, mas a ideia não... ainda assim me sinto satisfeito.

      Dessa vez eu deixei bem claro que é minha opinião e, conforme consta no final do artigo, eu tirei meu cavalinho da chuva.

      Mas, obrigado rs.

      Excluir
    2. Srta Lockhart ^^, seja sempre bem vinda ao DM.

      Excluir
    3. Heh... miss me? hah sei que sim rsrs

      Excluir
    4. Senti falta sim, e é bom ler suas respostas.

      Excluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Graças a Sparda encontrei seu artigo.
    Agradeço desde já por sua disponibilidade e atenção a cada detalhe. É muito difícil encontrar algo bem escrito na internet, e com tanta precisão.
    Esse novo DMC gerou muitas questões para mim, mas esta é a graça desta saga. Tem alguns furos e os próprios fãs os preenchem com teorias.
    Eu tenho uma, sobre a suposta mãe de Nero...
    Já havia comentado com um amigo meu (que mal escutou minha teoria até o fim, dando ataques de fanboy), que Vergil e a mãe de Nero sequer tiveram qualquer relação amorosa/sexual. Por que, mdss, olha para o Vergil! Duvido muuuiitooo que ele tenha caído de amores por alguém nessa vida. Ele é frio como um iceberg. Mas aí você se pergunta: mas como conceberam Nero? Simples, existem outras maneiras de se gerar um feto, e logo mais chegarei nesse ponto.
    Creio que a mãe de Nero tenha sido apenas uma garota comum da Ordem, que talvez, na minha cabeça maluca, seja metade anjo/metade humana. Lá no trailer de 2015 de DMC3 SE, vemos uma garota olhar para Vergil. Talvez ela tenha sentido que ele era um demonio, e foi atrás dele para eliminá-lo. Mas vendo que Vergil não estava ali para fazer mal as pessoas, quiça tenha a "mãe de Nero" tenha feito uma aliança com o rapaz para descobrir o lado podre da Ordem (tal como a aliança de Lady e Dante em DMC3).
    Assim que Vergil vai embora de Fortuna, novamente sem se relacionar sexual/amorosamente com a tal "mãe de Nero", a garota volta a sua rotina de vida normal, mas é descoberta pela Ordem por ter se rebelado contra o Sanctus, fazendo amizade com um meio demonio (desculpa escrever demonio sem acento, meu teclado está full-dido). Enfim, o Sanctus pede aos seus capangas para raptarem a tal "mãe de Nero", e após deixá-la desacordada, imagino-a acordando lentamente, estendida em uma parede com os braços e pernas presos com grilhões de aço, e ela em tom debochado dizendo que "Não adiantaria torturá-la. Vergil não faz o tipo de cara que resgata uma donzela em perigo. Além disso, nem amigos eles eram". Imagino Agnus, sorrindo, quase gargalhando, batendo palmas lentamente, dizendo a moça que não precisa de Vergil, mas de um descendente seu, e imagino mais ainda, Agnus revelando que dentro da moça, em seu ventre, carrega agora os "genes de Sparda". Sob tamanha revelação, em uma feição perplexa, Agnus encerra sua falação, dizendo no tom mais sarcástico possível: "Parabéns, mamãe".
    Meses se passam, e a garota que vive sob tortura física e psicológica da Ordem, gera em seu ventre um filho contra a sua vontade, e pior, teme gerar uma aberração. Porém, sem mesmo perceber, "a mãe de Nero" apega-se àquele bebê.
    Um dia, sentindo que ia morrer, "a mãe de Nero" enfim dá a luz ao menino, e não querendo que a Ordem use-o para seus fins maléficos, implora a um dos servos do Sanctus, justamente o "pai de Credo", que leve seu filho embora para bem longe. Suas últimas palavras são justamente o nome de seu bebê... E talvez, com o nascimento de Nero, a Yamato tenha surgido, justamente por ele ser um descendente de Vergil. Surgiu quebrada e ficou sob a supervisão de Agnus.
    Imagino que até mesmo após a sua morte, Agnus tenha usado aquela garota, provavelmente por conta de sua metade anjo, viu naquilo uma oportunidade para criar aquelas criaturas que vimos em DMC4.

    Continua...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Graças a Sparda encontrou meu artigo!

      Estou feliz em ler seu comentário e... caramba moça, genial.

      Eu cheguei a esquentar a cuca tentando bolar hipóteses pra origem de Nero la na análise de DMC4, e caraca, nunca me passou pela cabeça conectar Vergil e Agnus numa mesma teoria. Nero seria tanto um projeto da Ordem, quanto filho de Vergil, sob um tipo de Inseminação Artificial... isso, repito, é genial.

      Explica muita coisa e caramba, sua forma de contar me fez enxergar as cenas. Isso supera de longe aquela "fanfic" sobre uma prostituta... E alias, isso deixa tudo com um ar bem mais realista.

      Você notou que Vergil não tem jeito pra mulheres e igualmente, preencheu a lacuna do emocional com um certo "apego de parceria temporária". Isso ficou muito bem bolado...

      E, a parte em que Agnus caçoa da "Mãe de Nero", isso ficou muito condizente com a realidade de DMC... você... vive nesse mundo... parece rs.

      Estou feliz de verdade por ter encontrado não apenas meu post, mas meu site. Torço pra ouvir mais de suas teorias e interpretações pois, achei surpreendentes.

      Eu me lembro de ter lido em algum lugar (ai não to lembrado se foi no próprio DMC4 ou na novel) que Nero foi adotado pela família de Credo por mera simpatia por seus cabelos brancos... ele teria sido abandonado por ai (foi na novel... certeza). A ideia dos cabelos brancos atraírem a Ordem seria a obsessão por Sparda... Percebeu o quão "vaga" ta essa ideia? Sua teoria abrange e carrega muito mais dos elementos do universo dmc.

      Agora que conhecia a Nico, não duvido que Agnus tenha feito vários experimentos com pessoas e entidades vivas. Certeza que ele faria exatamente o que você imaginou.

      Bem, antes de responder o próximo comentário preciso dizer: "full-dido"... irado kkk.

      Excluir
  4. Continuando...

    E isso explica porquê Vergil mal o reconhece como filho, porque no fim de tudo, Nero é um bebê de proveta, gerado contra a vontade de sua "mãe", para suprimir os desejos da Ordem.
    Sei que é uma teoria meio viajada, mas meio que fiquei feliz em criá-la.
    E você... O que acha dela?
    Tinhas umas outras coisas que eu queria citar, tipo algumas coisas que li no mangá recentemente de DMC3. Lá Vergil anda com Arkham e uma garota chamada Alice. Tem um momento do mangá que Alice vestes uns trajes diferentes, e Vergil meio que olha saudoso para ela, e depois com ódio extremo por Alice estar vestindo justo aquelas roupas... Sei lá, devo ser doida o bastante, mas sinto que ele tenha se lembrado da garota de Fortuna, "a mãe de Nero" (Gzuis, preciso inventar um nome urgente para essa mina!)

    Perdoe-me por esse textão!!!
    Bjos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Explica, e ao mesmo tempo deixa uma incógnita: Será que Vergil vai ignorar isso?

      Eu não imagino esse cara obcecado por poder simplesmente ignorando o fato que provavelmente sua cria, é mais poderosa que ele. E ele não ignoraria também a origem do garoto... Vergil certamente tentaria explorar mais isso... não acha?

      Bem, eu amei sua teoria, e passarei a levar ela como uma das hipóteses mais aceitáveis pra origem de Nero. Você tem uma boa mente.

      Eu queria poder comentar mais sobre os Mangás de DMC, mas eu ainda to lendo (mau comecei pra ser sincero) e... bem... eu sempre fico meio receoso com informações extra-oficiais. Outras mídias raramente me atraem apesar de que... depois do cânone do anime, estou cogitando a possibilidade de começar a levar em consideração as informações além dos jogos... é perigoso, pois isso pode me confundir legal e prejudicar minha loucura teórica mas... sei la, pelo jeito a Capcom ta considerando tudo isso.

      Bem, eu repito que estou ansioso pra ver mais do que você pensa, e srta... digo... Capitã Medeiros, seja muito bem vinda ao DM.

      Eu amo textões.

      Bjs... ^^"

      Excluir
    2. Fico lisonjeada que tenha gostado dessa minha teoria. E pensar que eu quase a joguei no lixo por conta de divergências com a opinião do meu amigo, que cismava em dizer "duuhhh, Vergil transou com uma prostituta. duuhhh, ele é meio demonio, mas ainda é homem, duuhh", essas coisas sem fundamento e argumentação alguma. Construí toda uma história só para provar que Vergil e amor são duas coisas discrepantes.
      Tem duas coisas em DMC2 e DmC (👈 gosto desse game, apesar de toda a polêmica, a única coisa que não curtir nele foi o Vergil querendo dominar o mundo, mas enfim...) que particularmente gosto muito, e que ambos souberem utilizar nestes dois jogos, apenas nestes dois: o fato das mulheres meio-anjos terem cabelo ruivo. Minha cabeça pipocou quando vi que a Eva do DmC e a Lúcia do DMC2 eram ambas mulheres com linhagem angelical, e ambas eram ruivas. Sei lá, sempre imaginei a "Mãe de Nero" com cabelo vermelho, pra dá mais enfase na teoria... Porém, há algo na minha própria teoria que me incomoda: como a Ordem conseguiu os genes de Vergil (vulgo sêmen), para fazer a fertilização in vitro na moça que daria origem ao seu filho? Ahhhh.. Lá vou eu matar a minha cabeça para consertar isso na teoria.
      Foi muito bom conhecê-lo, Sr. Morte. Vou bisbilhotar os seus outros artigos sobre Devil May Cry.
      Câmbio e desligo.

      Excluir
    3. Não apenas gostei, tomei ela pra mim (perdeu!). Brincadeira a parte, eu amei sua visão, e apreciei cada detalhe. Eu devo lhe agradecer por isso, me deixou um pouco mais confortável com a natureza de Nero e bem, pensando como a srta apontou, da pra aceitar que Vergil seja mesmo papai.

      Sobre sêmen dele... Talvez Agnus deu um jeito de pegar ele dormindo e disse "Hora da coleta"... (eca... eu não gosto do Agnus mas putz, peguei pesado). Na real, eu não consigo imaginar uma situação confortável pra algo assim acontecer... mas, considerando que Vergil sugere que já teve algum relacionamento físico com alguém (naquele rápido diálogo com seu mano pré-batalha), pode-se deduzir que talvez ele tenha tido alguma experiência sexual... ou ao menos acha que teve. E se ele foi preso em algum tipo de ilusão? Ou abusado (Vergil, abusado... muito difícil)?

      Enfim, eu também gosto de DmC (eu não sei fazer mãozinha... e sinceramente, preferi ajustar o que Vergil desejava para algo como "Obter o controle de tudo". Considerando o desfecho, Vergil teria um complexo de inferioridade latente e desejo de se provar superior, e quando seu irmão deu-lhe um sarrafo, ele desejou acima de tudo, poder, puro poder). Pra mim, o esquema dos meio-anjos ruivos foi excepcional. A ideia casou com a mitologia Nephilim e explicou, em parte, o poder enorme que os irmãos tem. Alias, isso explicou porque os demônios simplesmente não saem copulando com a humanidade só pra gerar receptáculos overpower. Entretanto, como no universo de DMC anjos são um tabu, creio que boa parte dos fans (a maioria mesmo) pegou raiva dessa ideia.

      Mas, gosto de lembrar sempre, que DmC deu uma origem pra trama, ele ditou regras ainda não definidas pro universo prévio de DMC, ele situou o mundo, ele explicou os poderes, ele foi grandioso. Eu adoro esse game... agora, o 2... eu por muito tempo torci o nariz, apesar de que, o esquema dos meio-anjos também deu as caras. Ainda assim, amei a ideia, e acho que eles não descartarão ela tão facilmente.

      É meio que uma esperança... mas, aconteça o que acontecer, esses jogos se mantém com a mesma integridade lógica impecável. DMC2 com os Demônios Reutilizados e os Anjos/Demônios Artificiais, além do poder total de Dante em converter energia demoníaca e despertar seus Devil Triggers. E, DmC, com o mundo e a razão para demônios existirem semi-abertamente, mas boa parte da humanidade desconhecer, o esquema dos meio-anjos ruivos, a descrição dos Nephilins, a deturpação da lenda de Eva e Sparda diante os demônios e por fim, o reencontro de Dante e Vergil, recuperação da memória e o inicio da rivalidade de ambos.

      Eu só queria muito que Dante e Kate tivessem um filho... foi mal... eu amei o casal... mas to surpreso por Dante nunca ter tido nada do tipo... muito surpreso.

      Câmbio.

      Excluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. Ah, sim, se em cima aparecer a mensagem "Este comentário foi removido pelo autor", foi porque meu texto foi duplicado e eu apaguei.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meio hilário comentar sobre o comentário apagado... meio que duplicou ainda assim rs. Se bem que eu entendo... você achou melhor deixar evidente que não apagou informações, mas sim, duplicações... eu aprecio isso.

      E... não se preocupa Capitã, eu sei que as vezes ocorre isso. E quando fico curioso sobre o que foi apagado eu... tenho meus métodos pra descobrir rs.

      Enfim, obrigado viu. Fiquei mesmo animado com suas palavras.

      Excluir
  7. Mais um ótimo texto sr. Morte,sobre sua insatisfação sobre o 5 não ser tão bom quanto o 3,por exemplo,a equipe criadora da trilogia original formou a platinum e todos os talentos da capcom foram pra lá. É triste pensar que as franquias estão se debatendo em jogos não tão bons quanto na era de ouro da empresa,mas anima ver que novos talentos,fãs da capcom estão surgindo e dando novos ares,resident evil,megaman e agora dmc...ainda fico triste por Yoshiki Okamoto,Shinji Mikami,Hideki Kamiya e outros tão talentosos estão fazendo bons jogos longe de suas maiores criações, mas divaguei muito além do tema. Mais uma vez agradeço pelo conteúdo tão caprichado e que venham mais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom que gostou sr Mario... e, eu sei que nem chega a ser honesto comparar trabalhos recentes com as obras primas, mas... eu esperava mais sabe. Não quero reclamar do resultado, mas podia ser bem melhor... uma vida útil mais alongada com momentos que, por mais simples que fossem, seriam divertidos e variariam um pouco a jogabilidade, como o esquema da moto. Eu senti falta de inovação.

      Apesar de tudo, amei o gameplay de V, e o personagem em si. O mesmo digo para a nova pegada de Nero... mas ai, Dante surge com uma estranha limitação que, eu sei la, eu não gostei.

      Mas, é melhor que nada né, e apesar de não ter ficado surreal, ficou legal, ta divertido, ta suficientemente agradável.

      Bem, eu espero que os próximos projetos deem aquela pulada fora d'água saca...

      Torcendo pro próximo DMC, ou Mega Man, ser o melhor da nova geração.

      Bem, vlw pela leitura sr, e lembre-se: Seja bem vindo sempre.

      Excluir
  8. Depois de ler o seu texto, agora eu tenho CERTEZA de que o DMC2 se passa depois do 5 e não tem Capcom no mundo que tire essa teimosia de mim.


    Sobre a teoria da moça acima, sobre a origem do Nero, concordo com tudo sem tirar nem pôr (p:s: Hideaki Itsuno precisa saber disso!)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Enquanto não houver algo que refute tais pensamentos, eles ainda são plenamente aceitáveis. Então, não podemos ser julgados por acreditarmos dessa forma.

      Agora, se um dia surgirem dados, nesse caso vale rever as ideias mas claro, sem nos esquecermos da lógica. A teoria da Capitã merecia ser canonizada.

      Enfim, fico feliz por ter gostado srta Crystine.

      Excluir
  9. Mesmo estando atrasado pra caralho, ainda acho que dá pra dar meus 5 centavos de ideias aqui.

    Esse é meu DMC favorito com certeza. Mesmo com uma história que as vezes copia DMC3 na cara dura e o fato de terem tirado a Inércia e os Reversals do jogo, todo o resto é simplesmente... godlike. Todos os personagens tem uma gameplay altamente desenvolvida e um nível de variedade ridícula no caso de Nero e Dante. V é um personagem no mínimo interessante de se jogar pelo fato de ser uma ideia nova pra esse tipo de jogo, e so esse fato já dá mérito pra ele.

    E sobre a cronologia... Malz, mas a novel de DMC5 canoniza DMC2 se passando antes do 5. Nela Dante e Lucia fazem dupla pra enfrentar um demônio chamado Balrog, explicando como o Dante já tem essa arma no DMC5 desde o começo. Ela mostra até a Cerberus (o nunchaku de DMC3) sendo quebrado pelo Balrog, e explica o que acontecem com as Devil Arms do Dante depois de cada jogo (ele geralmente as vende, exceto a Cerberus por ser o xodó dele).

    Essa foi uma ótima leitura como sempre Mr.Morte, espero que seu blog continue com essa qualidade sempre e que seja tão divertido escrever esses textos quanto é pra os ler

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sr Madruga, seja bem vindo a comentar não importa quanto tempo leve... estarei aqui, enquanto vivo, para responder!

      Dizer a real, também curti pacas esse DMC... Capcom soube trazer suas franquias de volta... mesmo em MM, ela acertou na maioria. Torcendo que continue assim porque, sr, ta muito boa. O gameplay do V me marcou. Todo dia quando subo as escadas de casa eu seguro numa madeira que tem e me imagino como o V, usando a bengala dele... e se apoiando. Doidera? Sim... mas acontece kkkkk...

      Lamentável ouvir/ler isso sobre DMC5 e a novel... eu reforço que não costumo creditar novels, devido o trabalho "fácil" delas em comparação aos jogos e a falta e "elenco" envolvido... mas se ta dito, ta dito. Agora é esperar oficializar isso em algum game, ai corrijo minhas ideias numa análise vindoura... mas por hora, mantenho-me na mesma. Ainda assim, obrigado pela informação... é bom que já preparo minha mente pra ressalva rs.

      Obrigado sr, e sim, eu gosto muito de escrever, mas o que mais me agrada, é saber que meus textos agradam meus leitores. Permanecerei me esforçando.

      Excluir
    2. Até teria que concordar contigo sobre a falta de elenco, se a novel não fosse escrita pelo próprio Bingo Morihashi, o cara que escreveu a história de todos os jogos da franquia desde o 3. Se ele é o criador da história e a que ele mesmo criou não contradiz nenhum ponto de suas próprias criações, não vejo nenhum motivo para duvidar da veracidade da informação.

      Sério, queria ver você tentando analisar a franquia Persona. É minha franquia favorita mas é tão complicada saber o que considerar canon ou não que assusta a maioria das pessoas, especialmente em Persona 3 onde a maior parte das informações sobre o/a final boss está espalhada entre Artbooks e Drama CDs.

      Ou pior, montar uma linha do tempo da franquia a qual Persona é spin off, Shin Megami Tensei. São mais de 70 jogos dentro da franquia, vários deles só saindo em japonês e alguns tendo traduções por fãs para inglês, sendo que a grande maioria deles é JRPG. Mas eu não vou te torturar e me contentar com o seu conteúdo de sempre mesmo kkkkkkkkkk

      Esperando aquela análise do Kingdom Hearts 358/Days ainda, especialmente agora que peguei pra jogar o jogo pela primeira vez.

      Sucesso, Mr.Morte!

      Excluir
    3. O complicado é que, o processo que leva um roteiro a se tornar um jogo é tão grandioso e influenciado que, acaba se tornando algo diminuto, a obra individual. Não desmerecendo ela é claro, eu to esperando o jogo sobre, pois ai sim, será "oficial" ao meu ver, alias... aos meus olhos... o que nem é tão significante assim rs. Eu estou ansioso pra conferir o jogo, e como eles adaptarão o roteiro dele.

      Nunca joguei Persona. Posso dar uma olhada, e pelo que sei é uma franquia bem... complicada mesmo... então fica sussa, se um dia eu conseguir me prender a ela, vai ter análise.

      Shin Megami Tensei é aquele das Pirocas Mutantes né? Que até o Dante participou... rs... eu queria ter uma veia de JRPG mais acentuada...

      Então, KH 358 e Re-Coded ta tenso de analisar... eu nem comecei a jogar eles, porque tipo... EU COMPREI KH3 E TO ME COÇANDO PRA JOGAR! Mas num posso, porque tenho que analisar esses games antes... e tipo... olha meu dilema... O que eu faço sr Madruga!?

      Excluir
    4. Persona e SMT compartilham a maioria dos demônios entre si, até a carruagem piroca mutante, então dá pra se dizer que sim. Dante no Nocturne é tão velho que virou meme e ele é apelão pra caralho naquele jogo (pena que tecnicamente foi chutado pra fora do canon com o relançamento do jogo uns anos depois, que substituiu ele pelo Raidou Kuzunoha, protagonista do jogo de mesmo nome, que é um spin off de SMT). Btw, os Devil Trigger de Dante e Vergil em DMC3 tiveram seus designs criados pelo Kazuma Kaneko, artista de SMT na época, por causa do Dante estar em Nocturne.

      Cara, se você já souber da história da Xion por ter ouvido falar com spoilers e coisas do tipo, é o suficiente pra jogar KH3 sem problemas. Re:Coded é ignorado no jogo (como sempre) e o máximo que você precisa saber de Days é oq a Xion é, só. Eu recomendaria jogar Days antes só pra ter mais emoção no endgame, mas pode jogar o jogo tranquilamente. Sabendo o básico de KH1FM, 2FM, BBSFM, DDD, Union X, e um pouco do Days e Re:COM já é o suficiente pra jogar o jogo sem problemas.

      Aliás, viu o trailer da DLC Re:Mind que vai sair até o começo do ano que vem? Roxas, Riku e Aqua jogáveis, vão focar no Luxord (aleluia!), Oathkeeper vai vir de graça com uma transformação, MAIS DE 13 CHEFES, e 2 episódios de história novos. Nomura realmente ainda quer expandir a franquia ainda mais e como fã, quanto mais melhor.

      Como diria The World Ends With You: Você tem até a DLC sair para analisar KH3. Falhe e encare o apagamento.

      Cheers Mr.Morte!

      Excluir
    5. ... Esquece o que falei sobre Re:Coded, o final secreto nas coletâneas do PS3 e PS4 daquele "filme" dá uma dica tão crucial sobre o epílogo de Kingdom Hearts 3 qur chega a ser ridículo. Só avisando pra ficar avisado :|

      Excluir
    6. Sr Madruga, a unica desvantagem, ao meu ver, sobre Persona e SMT, é que são JRPGs, e eu sou fraquíssimo em jogos assim. Mas, sua paixão por essa série é tão intensa que me faz ficar curioso... sem contar que já tive recomendações anteriores e sinceramente, não custa nada tentar. Tirarei um tempo livre, mas, me recomenda começar por qual?

      Eu sei quem... ou melhor, o que Xion é... porém é aquele esquema, o que sei é mais pelo resum oque vi no KHDDD e alguns spoilers... jogar sempre é mais interessante justamente pelo impacto emocional e é KH né... emoção é tudo.

      Não vi o trailer, eu to evitando tudo sobre KH3, justamente por estar nesse dilema de joga ou não joga. Eu ficarei dias preso ao game e depois a análise então, preciso pensar bem se inicio essa jornada.

      Mas, tempo ao tempo... irei buscar a melhor alternativa.

      See yah sr.

      Excluir
    7. Eu não vejo outra alternativa... é jogar Re-Coded e Days... preciso fazer isso ou me sentirei "prejudicado"... o que é uma pena porque eu queria muito jogar o 3... enfim... fazer o que. Eu nem vou ver os "filmes" pq creio que jogar é melhor pra análise. Gosto de sentir que eu participei... rs...

      Excluir
    8. Sobre MegaTen em geral, recomendo esperar até o ano que vem, pois Persona 5 Royal vai sair em inglês em algum momento do ano que vem. Persona 5 é atualmente o melhor jogo da franquia (e empatado com Nier Automata como meus jogos favoritos de 2017), e agora o Royal vai vir pra chutar ele do canon com uma nova protagonista, mudanças na história do jogo, no mínimo mais 20 músicas divinas do Shoji Meguro, 1 trimestre inteiro de gameplay, mudanças na UI, etc. Será a versão definitiva do jogo e o melhor ponto pra começar a jogar.
      Depois recomendo Persona 3 FES/Portable ou Persona 4. P3FES possui uma apresentação melhor com seus gráficos 3D e uma segunda campanha que serve como um epílogo de mais de 30 horas de duração chamado de A Resposta (The Answer) para explicar o final do jogo principal. Portable possui um estilo Visual Novel, porém as batalhas foram infinitamente melhoradas ao se usar o sistema de batalha de P4, que entre outras coisas, lhe permite controlar sua party, coisa impossível no FES exceto comandos vagos. P4 é uma situação complicada, pois a versão definitiva do jogo, Persona 4 Golden, só saiu pra o PS Vita, e todos sabemos que o Vita não vale a pena de se pegar. Então enquanto não houver emulaçãi dele, vai ter que ir no Persona 4 de PS2 mesmo.
      Após esses 3 jogos, já dá pra começar a se adentrar em SMT propriamente dito. Recomendo começar com SMT 4 e Apocalypse (sua sequência) do 3ds, já que são os jogos mais recentes da franquia. Depois pode voltar e jogar os SMT de PS2 começando por Nocturne (aquele lá do Dante mais foda que já apareceu em um jogo) e passando pra Devil Survivor 1 e 2 (meus SMT favoritos btw). Depois é só jogar o resto da sua maneira.

      Lembrando que isso são só indicações. Você pode começar pela maioria dos jogos da franquia, exceto se eles forem sequências diretas de outros jogos (os jogos de luta de Persona 4, que servem como sequência direta do jogo, tudo que tiver um 2 no nome, Persona 2 Eternal Punishment, que recomendo fortemente que jogue a primeira metade do jogo antes, chamada de Innocent Sin, e outros).

      Sinceramente Re:Coded não vale a pena de ser jogado pela história. Só tem umas duas cenas que de fato repercutem na franquia e uma delas só está disponível na coletânea, então a não ser que você por algum motivo REALMENTE queira jogar o jogo, recomendo ver o "filme" mesmo.

      Boi, tá tão difícil segurar spoiler... Só prefiro deixar avisado logo: as últimas 4 horas de jogo são simplesmente FANTÁSTICAS. Assim que você acaba com todos os mundos da Disney, é cena impactante atrás da outra até o final do jogo... SQN! O final, epílogo e final secreto vão te deixar de cabeça explodida, queixo caído e vão te fazer amar o Nomura mais que nunca. Sério, arrisco a dizer que o epílogo do jogo seja a melhor cena da FRANQUIA de tão mind blowing e genial que é. E aquele final secreto foi a coisa mais hype que já vi e consegue ser mais intrigante e ao mesmo tempo mind blowing que Another Side, Birth By Sleep e A Fragmentary Passage juntos. Se o jogo inteiro tivesse sido metade desse nível teria sido o KH com a melhor história com certeza, mas infelizmente a execução é falha no resto do jogo.

      Ops, já dando opinião antes do jogo ser jogado? Aí não pode! Tudo em seu tempo, e deixarei minhas considerações sobre o jogo quando a análise sair em seu devido tempo.

      Sucessos Mr.!

      Excluir
    9. Mr Madruga... tenho em minhas mãos agora um pequeno guia do que fazer. Por onde começar não é mais desculpa. Creio que vou esperar até a versão definitiva do Persona 5, mas reconheço que estou assustado. É coisa pacas rs...

      To pensando seriamente em jogar logo o 3, analisar, e depois jogar os 2 que faltam... rs... agora então, com seu parecer... vish sr... to hypado.

      Analisarei e publicarei em breve. Atualmente to jogando Zelda Phantom Hourglass, e to na duvida entre KH3, God of War (4) ou Horizon Zero Down... comprei os 3 games numa promoção e num iniciei nenhum. Também to com "Dororo" pra analisar, anime e game (pelo que planejei, será uma análise gigante e detalhada) e claro, Doctor Who. To na temporada 7 já e só tenho os rascunhos mas, tenho que falar sobre... que mais... to pensando em analisar Assassin's Creed 2 ou Prince of Persia 2... além de Super Metroid. Em previsões, eu tenho essa listinha pra terminar e ai, posso me focar em "títulos novos"... de franquias inteiras. Persona ta na lista.

      Vlw sr.

      Excluir
  10. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
Emoji
(y)
:)
:(
hihi
:-)
:D
=D
:-d
;(
;-(
@-)
:P
:o
:>)
(o)
:p
(p)
:-s
(m)
8-)
:-t
:-b
b-(
:-#
=p~
x-)
(k)