ArquivoMorte

PesquisaMorte:

sábado, 2 de fevereiro de 2019

AnáliseMorte: Donkey Kong Country Returns - Conheça tudo sobre a volta dos Macaquinhos

Donkey Kong Country Returns é a continuação aguardadíssima por muitos fans da série do Super Nintendo, entretanto... bem... ela não é exatamente o que nós esperávamos.


Não me entenda mal, o jogo é divertido e é bem melhor que nada, mas, falhou em tantas coisas que ao invés de fortalecer a nostalgia, meio que sugou o máximo dela.


Bem, bora pra análise e espero que goste.

Tem spoilers...

Boa leitura.



DKC Returns foi lançado originalmente pra Nintendo Wii em 2010, e depois teve relançamento pra 3DS e se não me engano, tem versão no Wii-U também. Nessa análise irei falar da versão original de Wii, por isso, coisas como as fases extras adicionadas no 3DS meio que deixarei de fora, isso até joga-las é claro.




Inclusive é interessante mencionar que a franquia DKC tem esse costume, de nas versões pra portáteis adicionar novas fases e extras interessantes, mas que não justificam nem motivam o replay... na maioria das vezes são "reciclagens" de fases já existentes ao longo do jogo, e bem... E pior que são... mas no final eu explico isso.


Se bem que nem teria muito o que "reciclar" em Returns, afinal ele é um grande compilado de coisas recicladas já...




Direto ao ponto, o que mais me desanimou foi a trilha sonora. DKC Returns é amontoado de remix de músicas do DKC1, o originalzão, porém, elas são feitas e apresentadas "de qualquer jeito", em fases que não casam com a música.

Eu nunca vou esquecer, nem ignorar, o fato de terem usado uma musica originalmente de fases florestais, numa fase de Fábrica! A experiência assim fica bem comprometida, isso pois o próprio jogo não contribui muito bem. Alias, tem músicas originais, mas são poucas, e se repetem tanto que enjoam.


Outro ponto fraquíssimo em DKC Returns é o visual. Eis um dos poucos jogos em que o excesso de detalhes chega a incomodar, e prejudicar muito a diversão.




Returns é uma poluição visual (como eu resumo ele) afinal, tem detalhe de mais, enfeites de mais, mas nada é admirável.


O jogo não te da tempo de parar, e se maravilhar com os detalhes gráficos. Tudo acontece rápido de mais, e mal percebemos em uma primeira jogada. São tantos elementos juntos e sobrepostos que, o cérebro não acompanha!

Por exemplo, existe uma fase em que você ta andando, coletando bananas, derrotando inimigos, pegando moedas, batendo no chão, e ao fundo passa uma nave-barco, mais ao fundo um vulcão explode, mais ao fundo passam morcegos, e na frente de tudo isso, bem na cara da tela, tem borboletas voando, e sementes daquelas flores de soprar (Dente-de-Leão se não me engano), além de ter o desenho curso do vento. Imagina tudo isso, junto!




Parece exagero né, e realmente é. São coisas de mais, juntas, que comprometem a admiração, e convenhamos, DKC trata-se bem mais de observar e admirar do que simplesmente correr e pegar itens.




A franquia sempre se destacou pelo visual magnífico, trabalhado com cautela e paixão, algo que nós parávamos e acompanhávamos, enquanto controlávamos os macaquinhos, ouvindo músicas tão incríveis e bem encaixadas que era impossível não se sentir no paraíso. Returns ignorou isso tudo.

A aposta principal é na nostalgia, tentando pegar coisas antigas e jogar na nossa cara, com os gráficos incríveis que as novas (pra época) plataformas nintendistas podiam oferecer. Só que caramba, não precisava usar todas as cartas de uma vez só! Isso só estragou tudo.

É, eu sei, críticas de mais que desanimam. Mas em meio a empolgação de jogar um Country novamente, é possível que ignoremos isso, e da sim pra aproveitar. Só que conforme nos aproximamos do desfecho, a decepção vem a tona, principalmente pelo fato de, diferente dos 3 jogos anteriores, este não marcar em absolutamente nada.

Apesar de tudo, ainda há alguns detalhes que salvam essa obra, como o gameplay, mesmo sendo curto e acelerado em boa parte, ele é divertido e traz alguns elementos novos muito interessantes e bem aproveitados.

Jogabilidade


DKC Returns é um jogo de Aventura Side Scroll, com elementos de Plataforma. Segue a exata linha dos Country originais, porém agora, ao invés de controlarmos 2 macaquinhos ao mesmo tempo, intercalando entre eles como se fossem vidas extras, aqui nós controlamos apenas um, aquele que da nome ao jogo, e o parceiro meio que serve de upgrade pra ele, além de vidas extras é claro.


Ainda assim, agora é possível aproveitar um modo Co-op muito melhor que os originais, onde de fato podemos jogar 2 ao mesmo tempo, na mesma fase, um controlando DK, e o outro o Diddy.

Isso é deveras impressionante, e divertido. Meu irmão e eu nos divertimos muito (na época que ele ainda gostava de jogar comigo... que triste) e passamos por grandes perrengues pra vencer os obstáculos que um causava ao outro.




DK é o principal, e sempre é controlável, pode pular pra alcançar locais mais altos ou simplesmente arrebentar inimigos que tem a cabeça livre, consegue se pendurar nas coisas e andar, pode Bater no chão, pode dar cambalhotas pra causar danos, e pode soprar.

É, agora os macacos usam o pulmão incrível que tem para assoprar, e isso é útil para ativar alguns pontos secretos, e até apagar alguns inimigos.




Enquanto isso, Diddy tem isso tudo, mas ainda conta com uma Mochila a Jato, e duas pistolas de Amendoim!



Estranho né? Considerando que na última vez que ele apareceu em um Country, ele só usava a cambalhota mesmo, esse upgrade repentino é meio confuso. Porém, isso é um presente recebido em Donkey Kong 64.

As pistolas e o Jet Pack são cânones trazidos diretamente da aventura 3D, a última que os macacos tiveram em sua ilha original... E é, tem essas coisas e depois eu explico melhor, mas eles não vivem mais na ilha DK original.


Bem, Apesar de Diddy ser livre pra voar um pouco (nada parecido com o que ele faz em 64), ele só pode atirar quando está nas costas de Donkey, e pra variar, só pode ser controlado pelo Jogador 2. Quando ele anda sozinho, pode atirar ao bater no chão com suas pistolas.


É meio triste não ter a liberdade de controlar Diddy numa campanha solo, mas, ainda assim é divertido e até motivador, o jogador 2 ter a chance de controlar algo que o jogador 1 nunca terá. Aquelas disputas pelo controle principal fazem-se indiferentes agora.


Bem, Diddy também aparece na campanha solo, mas é como uma vida extra que contribui com sua Jet Pack. Ele fica nas costas de DK, servindo para aumentar a distancia e permanência de seus saltos, voando por um breve tempo, até o peso de 2 macacos não ser suportado.




Apesar dessas vidas extras, agora os macacos tem 2 corações simbolizando suas vidas. Ou seja, com os dois juntos, são 4 vidinhas, que permitem levar dano até 4 vezes, antes de morrer.




O continue é simbolizado por Balões (macacos e bexigas), como nos clássicos.




Tudo fica bem mais fácil assim. Imagino como seria bem mais radical se fosse como nos Country anteriores, e cada macaco simbolizasse apenas 1 chance de receber dano. Esse esquema de resistência por vidinhas veio do 64, outra herança dele, só que ao invés de Melancias, temos Corações. Se bem que em algumas fases, se você encostar nas coisas já era...




Outra coisa nova são as Peças de Quebra Cabeças Douradas. São o equivalente a Moedas DK e de Ouro, aqueles itens coletados em fases bônus, ou bem escondidos nos mapas. Servem pra tentar acessar o além do 100%.




Falando nisso, dessa vez o jogo chega a uns 200%, meio exagerado (como tudo nele). Só que não é nada tão interessante. Eles repetiram o erro de DKC1, ao invés de repetirem o acerto de DKC2.




O Bônus que podemos nos matar para obter, libera tão somente uma fase extra... e uma cena dos dois macacos drogados. Além disso, ela nos permite re-jogar tudo, só que invertido (a tela vira pra esquerda, só isso).

E ao completar tudo isso, ganhamos apenas algumas imagens de personagens e concept arts...



Tipo, sem final extra, sem chefe secreto, sem algo que faça valer a pena buscar enlouquecidamente por segredos e bônus.


Não é pior que colocar apenas um ponto de exclamação, mas é algo bem brochante.


Alias, uma novidade é que, pra amenizar a dificuldade de coletar os segredinhos, e enfrentar os inimigos, temos alguns itens que podem ser comprados e acoplados aos macacos antes de iniciar qualquer fase. Eles podem ser comprados com Moedas Banana, pegas pelas fases e que são bem fáceis inclusive.




Temos um Coração Extra, que adiciona mais um coração ao macaco.

Temos o Papagaio, que nos diz quando tem um segredo por perto.

E temos a Poção de Banana, que transforma os macacos em ouro, dando 10 corações extras, 1 vez ao usar (se morrer, o item some, ou se tomar todos os 10 danos).




Além disso da pra comprar Balões de vida, ou a Chave Secreta.

Essas chaves abrem alguns atalhos que são cruciais para aumentara diversão (sempre são fases bem interessantes) e liberar a fase secreta.


Todo mapa tem uma fase especial escondida que só surge quando todas as peças de Quebra Cabeças são coletadas em todas as demais fases do mapa. Ao surgir, ela oferece um desafio sem checkpoints, com mais algumas peças escondidas, e uma Esfera no final. Coletar todas as Esferas libera a fase final secreta... que não tem chefe nem nada.




Alias, os Checkpoints... agora temos um Porquinho que grava nossa posição quando chegamos na metade da fase, ou em algum ponto de segurança. Assim, em caso de perda, da pra voltar de onde paramos.




Esse porquinho é equivalente aos Barris Brilhantes do passado, mas é também uma herança de DK64, a qual falarei depois ao comentar os personagens. Os barris "brilhantes" que tem agora são só os de encerramento de fases... equivalentes as Bandeiras, onde podemos tentar acertar o DK pra espancar várias vezes e pegar Bananas ou Moedas.




Por fim, se é que não esqueci mais nada, temos as Letras KONG, que servem para liberar fotos na galeria, e dar um balão de vida, se forem todas coletadas.



Ah, quase me esqueci de falar do mais importante: Os Controles.



Returns é um jogo de Wii, logo, o controle principal é o Wii Mote. Da pra jogar usando ele sozinho, ou com o Nunchuck (que é o analógico conectado por cabinho). Inicialmente, é divertido jogar com ele pois pra fazer alguns movimentos, como bater no chão ou rolar, é preciso balançar o controle.




Então, pra quem tava acostumado com movimentos clássicos como o Pulo Giratório Duplo Vencedor de Abismos, fazer isso movendo o controle é ainda mais desafiador e divertido.



Agora, que ele dói, isso dói viu. O Pedaço de Bastão que a nintendo chama de controle é péssimo pra uma jogatina de horas, ele é duro, os D-Pads incomodam (não é ruim jogar DK usando D-Pad, mas na boa, eles machucaram meus dedos, coisa que não ocorre desde a época do Snes), e o controle em si é ruim de segurar.

Não tem apoio algum pras mãos, não encaixa bem, é uma droga. Porém, me diverti... é legal coisas como a vibração com alguns sons que ocorrem no jogo, e batidas, é legal também poder mover o macaco enquanto nos movemos...

Usando o Nunchuck temos mais 2 botões (Z e C que ficam no nunchuck) e o analógico pra substituir os D-Pads. Não muda muito, se bem que é ainda mais legal mover tanto o nunchuck quanto o wiimote, paralelamente, como se estivéssemos mesmo fazendo as batidas e pancadas.

Eu tenho um Wii, por isso tenho os controles apesar de ter jogado usando o emulador Dolphin (pra coletar fotos). Por isso, posso afirmar que DK usou bastante da capacidade do Wii, apesar de não ter usado o sistema de precisão de movimentos nem o "cursor" do próprio Wii em momento algum...

Da pra jogar usando controles comuns também, chega a ser bem mais... confortável... mas a experiência de jogar DK usando movimentos reais meio que marca (foi o que mais me agradou) tanto que agora que estou jogando o Tropical Freeze de controle, toda hora to balançando ele pra girar e bater no chão... vai demorar até perder o hábito.

E com isso tudo, temos um DKC novo... o triste é que os inimigos principais mudaram... agora não existem mais os Kremlings (se existem, tão por fora). Agora temos os Tikis, ou como eu chamo, as Máscaras Musicais.

Personagens

Macacos


Dessa vez temos tão poucos macaquinhos pra ajudar... na verdade só há 3 macacos na ilha inteira! Isso se deve, provavelmente, a mudança que eles fizeram. Em resumo, a ilha original, aquela que tinha a forma do Donkey Kong, foi deixada pra trás. Não é explicado porque eles se mudaram, sendo que a ilha foi salva em DK64, mas agora eles vivem em outra ilha... uma maior, e amaldiçoada.

Donkey Kong




O macaco principal, o gorilão todo poderoso e obcecado por Bananas. Em sua nova casa, fez questão de coletar as bananas tudo que encontrou, como sempre, mas, foi saqueado... como sempre.




Então, tomado pelo desejo de vingança, DK sai pela ilha que ELE INVADIU, surrando os animais tudo, e buscando por bananas.


Claro, não da pra dizer que ele é um invasor ingrato pois ao que tudo indica, os animais não o rejeitaram. E também, a ilha não era de ninguém, muito menos foi "colonizada" por ele. Mas, DK fez algo bem injusto, ao monopolizar as bananas tudo, e isso não da pra perdoar.


Logo, dessa vez, pode-se dizer que ele bem que mereceu ser "roubado".

Diddy Kong




O irmão de consideração e melhor amigo de DK ta de volta, agora vivendo com ele em sua casinha nova (ou apenas visitando, provavelmente estava só visitando) ele acaba entrando no retorno da aventura em dupla, repetindo a jornada que ambos tiveram la no passado. Mas, agora ele ta todo equipado.




Foi o único que manteve o arsenal da última balha contra os Kremlings, e até o atualizou. Sua JetPack não depende mais de Cristais pra voar, mas ela também perdeu bastante de sua potencia, voando pouco (principalmente com o pesadão sendo carregado), e suas pistolas tem munição ilimitada.


O chato é que ele fica mais de suporte agora.

Crank Kong




O vovô abriu uma loja na nova ilha, pra comercializar balões... Pelo que ele mesmo diz, sua pensão foi cancelada e ele precisou arranjar outra forma pra sobreviver. Esse esquema de pensão, me fez supor que ele recebia algum tipo de auxílio por causa do divórcio com Wrinkly, mas como ela faleceu, ele não teria mais. É a única explicação que consigo pensar.




Crank é um velhinho ranzinza que adora criticar seu neto, apesar de ajudar bastante. Inclusive, se formos considerar os easter eggs da ilha nova, ela já pertenceu a Cranky, e provavelmente, muito provavelmente mesmo, foi nessa ilha que sua aventura antiga ocorreu.

Da pra ver uma estátua gigantesca dele ao fundo de uma fase (que segura um controle de Wii, é ai que fica estranho) e nas fases especiais, sempre tem alguma referência a ele.




Tipo, tem uma fase que é repleta de imagens do DK original, o Cranky quando era mais jovem.




Além disso, ele tem todas as chaves de atalhos na ilha.


Sem contar, que em uma fase, da pra ver o cenário no qual Cranky foi derrotado por Mario.



Pode-se considerar tudo isso como cânone, ou não... mas já que DK é uma bagunça lógica, eu prefiro dizer que sim, essa é a ilha de DK, a original.

E sim, o grande significado de "Returns" no título, não se refere a franquia Country voltando, mas sim, os macacos voltando pra ilha original.

Tikis


A maldição da ilha, é uma criatura que habita o vulcão. Essa criatura desperta com as ações dos macacos, e decide tomar o controle de tudo, é ai, que os Tikis tomam forma.




São basicamente vários instrumentos musicais, com aparência de máscaras tribais, os quais tem o poder de hipnotizar animais e tomar o controle de suas mentes, para assim, coletar bananas.




São como várias Majora's Mask, só que menos malignas, e focadas em coletar e recuperar Bananas.




As bananas, são usadas por elas como matéria prima para que se reproduzam, e é só por isso que elas e os macacos brigaram bonito.

São várias Tikis, espalhadas por todos os mapas, mas, 8 delas são especiais e únicas, ao ponto de servirem como chefes.

Kalimba


É um tambor máscara, que tenta hipnotizar Donkey no inicio de tudo, mas o macaco é tão estúpido que consegue resistir. 


Ele acaba encantando um Dinossauro esquisito da ilha.

Maraca Gang


São 3 Maracas que só andam juntas (por isso, valem como 1 chefe) e encantam 3 Caranguejos Piratas.

Gang-Oh


Esse é um Gongo Máscara que desperta e hipnotiza um filhote de pássaro.

Banjo Botton


É, como o nome sempre sugere, um Banjo, que lembra uma máscara, e que hipnotiza umas toupeiras.

Wacky Pipes


Esse é um tipo de flauta máscara que toma o controle de um tipo de Centopeia Planta.

Xylobone


Um Xilofone máscara que controla outro dinossauro chapado. 

Cordian


Por fim, um Acordeão máscara que controla uma Galinha numa fábrica...

Tiki Tong



Esse é o chefe final, também o líder de todos os outros instrumentos, um tipo de barril máscara que controla geral, e inclusive, absorve todos os outros pra ganhar duas mãos.


O único deles que é enfrentado é o chefe final, mas, DK sempre expulsa eles e espanca após derrotar seus hipnotizados.

Além desses, tem os tikis que aparecem nos mapas:

Tikis


Os mais comuns são os tambores que servem de trampolim. Podem morrer com pulos na cabeça ou cambalhotas (eu ia falar "roladas" mas ia pegar muito mal).


Tiki Boing



Esse é um Tiki voador fixo. Ele fica subindo e descendo em um mesmo ponto. Pela concept art até parece que é um que pula e tal, mas na verdade ele só voa mesmo.


Tiki Fogo



Esse é igualzinho os Tikis Tambores, mas ele pega fogo, que além de andar de um lado pro outro, joga fogo periodicamente. Só pode ser derrotado depois de apagado com o sopro super potente dos macacos.


Ele tem uma outra versão, azul, que joga rajadas de fogo várias vezes seguidas. 


Tiki Lava


Esse é um Tiki de fogo que voa, porém ele pega fogo.


Pilares



Eles tem bocas, tem olhos, tem aparência de máscara tribal, então são Tikis (não reconhecidos pela concept art). Existem aos montes pela ilha, principalmente em fases de ruínas, e eles ficam ao fundo, caindo quando os macacos se aproximam.


Tiki Zumba



Esse é mais um tipo de Tiki voador, porém ele costuma ficar parado num mesmo ponto, e tem em duas versões, uma maiorzinha que resiste a mais danos.


Tiki Tanque



Esse é um Tiki defensivo, que não pode ser derrotado nem com cambalhotas ou pulos. É preciso bater no chão perto dele pra ele virar e ai, bater nele.


Tiki Piloto



Não sei porque, não me lembro de ter visto esse Tiki no jogo inteiro. Provavelmente é apenas uma concept art de pré desenvolvimento (por isso o "piloto"). Curiosamente, de tanta imagem que o jogo oferece como prêmio por terminar o jogo, essa que não representa nenhum inimigo presente no jogo ganhou espaço, enquanto tem inimigos que nem lembrados foram! Depois falarei melhor disso.

Tiki Pum



Esse Tiki aparece apenas em um momento, durante uma luta contra um chefe. É basicamente um explosivo ambulante.


Rodas Vivas e Cipós Voadores



Nem todos os inimigos foram lembrados na Galeria de Imagens, como é o caso das rodinhas. Elas aparecem em tantos momentos do jogo que chega a ser cômico terem sido "esquecidas". Aproveitando o espaço delas, que pra mim valem como Tikis, tem também uma fase em que um cipó com vida voa carregando os macacos. Ele é um tipo de aliado, mas também é esquecido pela galeria (grande prêmio hein).

Tiki Plataforma



Mais um esquecido, são as plataformas. Bateu o olho já notou que são Tikis transformados em plataformas, e cara, eles não estão "mortos" ao ponto de serem ignorados como inimigos ou auxiliares. São de fato Tikis que foram ignorados, e servem como plataformas móveis de transporte.

Tikis Totens



Outro tipo que não foi lembrado foram os Totens, que parecem estarem dormindo, mas se movem de um lado pro outro, sendo usados como plataformas. Existe um vilarejo inteiro só deles, e ainda assim, nem lembrados foram. Poderiam até ser meramente objetos enfeitados para representar os Tikis... mas...


Tem alguns grandões que "comem" os macacos...

Tiki Bola



Por fim, existe um Tiki grande em forma de bola que persegue os macacos na fase dos Fósseis. Parece forçado é claro, mas ele conta como Tiki afinal, tem olho, tem boca, e ta vivo.



Tem versões flamejantes dele também, uma pequena e uma grandona, que fazem caminhos fixos enquanto voam ou pulam e aparecem na fase do vulcão.

Fantasmas Tikis



Existem esses seres que são como fantasmas dos Tikis. Gosto de pensar que no vulcão estão os espíritos dessas criaturas, que acabam se personificando nos corpos abastecidos de bananas. Um pouco de espiritualismo sempre tem espaço em DKC.

Bolas de Espinhos



Essa coisa não é um Tiki, nem um animal, é só um obstáculo em uma fase, que aparece bastante. Vale mencionar pois é um dos poucos momentos em que o jogo consegue ser incrível, com as bolas rolando do fundo e passando pra frente da tela, exigindo timing dos macaquinhos pra pular sem ser atingido.

Animais


Bem, existem várias criaturas vivas que não são Tikis. Porém, dizer que são todos "animais" também não é a coisa mais certa do mundo. Ainda assim, fica tudo nessa categoria mesmo.

Sapos Voadores



Existem uns sapos que se inflam, principalmente nas fases de floresta, e caçam moscas. Eles ficam pulando e flutuando por um tempo, podendo ser usados como plataformas ou servindo só de obstáculo mesmo.


Tem a versão amarela, que pode ficar pairando no ar por quanto tempo quiser.


Pássaros Andarilhos



Tem umas aves meio desanimadas que ficam andando na mesma direção. São os primeiros inimigos encontrados, lembrando alias que os animais não são maus, apenas estão hipnotizados.


Além da versão azul que só anda, tem a vermelha que corre quando vê os macaquinhos.


Caranguejos Piratas



Existem uns caranguejinhos piratas aos montes nas fases da praia. Tem duas versões, a mais simples que morre com um ataque de qualquer tipo, e a com lenço que tem duas garras e se defende as usando, assim, não da pra mata-la quando está com as garras pra baixo, usando cambalhota, em quando ela está com as garras pra cima, usando pulo.



Os mais simplesinhos aparecem muito, e vale destacar uma fase da praia em específico, a das ondas. Cara, que fase legal viu.



As ondas vem do fundo periodicamente e é preciso evita-las se protegendo atrás de pedras, enquanto elas varrem tudo. É muito legal... mas a trilha sonora (apesar de bem feita e original) não combina em nada.


Atiradores de Lulas


Existem uns canhoneiros, provavelmente caranguejos também, que atiram lulas de tempos em tempos.


Elas podem ser usadas de plataformas ou simplesmente evitadas, e tem dois tipos, as comuns, e as elétricas.


Tubarões Saltadores



Também na fase das praias há tubarões que saem da água e tentam devorar os macaquinhos. Eles podem ser evitados ou mortos com barris na fuça. 


Tem uma versão laranja deles, que fica um tempo a mais mastigando na superfície até voltarem pra água.


E tem um grandão, que só aparece uma vez, protegendo o Barril de Fim de Fase.


Peru de Perna de Pau


Existem alguns perus que tentam ser mais altos do que são, andando com pernas de pau/bambu.


Quando derrotados, eles perdem as pernas extras e todas as penas do corpo, correndo de um lado pro outro.


Toupeiras Mineradoras



Agora que os castores ficaram la na outra ilha, tem um substituto que são as Toupeiras. Elas aparecem minerando Bananas. Ao que parece, antes elas trabalhavam na ilha coletando cristais mesmo, mas com o domínio dos Tikis, mudaram o foco da produção pra transporte de bananas em seus túneis.



Eles aparecem nas fases de Carrinhos de minério, e alias, essas fases são bem corriqueiras no jogo, não só no mundo das minas, elas aparecem em outras partes da ilha também.



Tem os carrinhos usados para transportar as toupeiras, os quais os macacos embarcam e pulam junto, e tem os carrinhos ainda abastecidos com minérios, os quais servem como prancha de surfe nos trilhos. Ao pular os macacos deixam os carrinhos pra trás. 



Voltando pras toupeiras, elas usam bastante explosivos...


E tem uma enorme comunidade, com casas inclusive, nos túneis e minas mesmo, só que tomadas pelos Tikis.



Tem uma fase incrível onde as toupeiras chegam a voar usando balões e atingir os macacos com suas picaretas, e aparece o carro chefe de escavação, o mesmo usado pelo chefe do mundo. É um dos momentos que deveriam ser replicados ao longo do jogo, pois é bem divertido e bonito de jogar e assistir.


Plantas Carnívoras



Onde tem mato, tem essas plantas, desde o primeiro mundo. Tem um monte de mundos com a temática "Plantas", então são bem comuns. No caso, tem a Planta simples, que ataca mastigando periodicamente.


Tem a amarelinha, que só ataca quando algo passa perto.


Tem as azuis que se disfarçam de cipós e usam suas línguas pra devorar suas vítimas símias. 


E tem as amarelas que atiram bolas de espinhos.


Bolas Peludas



Em um templo escondido abaixo dos templos dos macacos, há uma civilização inteira de criaturas estranhas em forma de bola, com pelos. É toda uma raça nova descoberta em templos bem antigos, e a muito esquecidos, como se já não bastassem os Tikis.


Tem algumas enjauladas, que são semelhantes aos Tikis Tanques, mas viram trampolins uma vez viradas.


Tem os vermelhos, que são maiores que os azuis (os normais) e resistem mais.


E tem as amarelas, que se empilham e atacam devorando o que tiver abaixo, caindo na direção dos macacos.


Aranhas de 6 Patas


Aranhas...



Além das que andam de um lado pro outro, tem as roxas que ficam penduradas subindo e descendo, como obstáculos... hoje em dia eu não tenho tanto pânico de aranhas mas... porque os macacos teimam em enfrentar essas criaturas bizarras?



O pior de tudo é a fase dos ovos... sabe... tem um monte de bolas laranjas que na verdade são aranhinhas prestes a brotar.



E elas brotam, viram ondas intermináveis de aranhas amontoadas, que engolem tudo no caminho... e pensar que as aranhas realmente se reproduzem assim. Dizem que um ovo de aranha gera 50 mil filhotes! DK prova isso... mas são gigantes!



Elas não chegam a ser derrotadas, queimadas nem afogadas, mas os macacos provavelmente jamais voltaram pra terra delas... essa parte da ilha precisará ser evitada pelo resto da eternidade.


Beija Flor



O pessoal que bolou a galeria ignorou um monte de inimigos, alguns bem frequentes, mas esse, que só aparece em 1 parte do jogo inteiro, em uma fase, recebeu espaço garantido.



São pássaros bem pequenos que voam na direção dos macacos e pairam, esperando o próximo ataque. Eles morrem pra pulos e cambalhotas, são fraquíssimos, e nunca mais aparecem.


Insetos Giratórios



Esse inimigo aparece na região florestal dos cipós, e também em fases do Templo Dourado (especial). São basicamente obstáculos vivos que ficam girando de canto a canto.


Nos templos dourados, tem uma fase de lava em que eles aparecem flamejantes.


Dinossauros Fósseis



Existem vários desses dinossauros fossilizados, vivos. Como eles andam sendo apenas ossos sem nervos nem órgãos, não vem ao caso (não é a primeira vez que coisas assim surgem em DKC), mas eles existem.



Tem uns crânios pequenos que pulam e mordiscam, e os esqueletos completos que uma vez golpeados, soltam seus crânios.


Dinossauro Pescoçudo


Esse é um dinossauro que fica num carrinho, e estica o pescoço. Porque ele faz isso, não faço a menor ideia.



A fase que eles aparecem é um enorme cemitério de dinossauros, feito de Piche com fósseis pra todo lado. Se os macacos caem nos rios de piche, eles ficam mais lentos e pesados até se balançarem e limparem... os dinossauros por outro lado não tiveram essa sorte.


Robôs



Tem um robô elétrico que aparece nas fases de fábrica. Até aparece numa fase iluminada, depois que os macacos ligam os ventiladores do mundo da fábrica, porém o destaque fica pra aparição deles na fase enevoada por fumaça. Eles pulam de um lado pro outro enquanto se eletrificam.


Tem também um robô que atira fogo, e é basicamente imortal (só cai se for pra barrilzada.


Galinhas Robôs



No mundo da fábrica também há umas Galinhas Robôs. Elas também não tem uma arte na galeria, porém aparecem com destaque na "Maquete" do mundo da fábrica (é outra coisa destravável quando se completa o jogo).


Essas galinhas andam de um lado pro outro e morrem com um só golpe.


Mas tem dois tipos, e a marrom explode depois de um tempo.

Águas Vivas




Existem outras criaturas que surgem ao longo do jogo e também não estão na Galeria. Elas, algumas, até aparecem nos créditos mas, sem nome, nem nada. É o caso das Águas Vivas, que são criaturas eletrificadas que aparecem no mundo das praias.



Eu sei que reclamo bastante disso, mas é meio estúpido o jogo oferecer como recompensa pelo desafio de 200% uma Galeria que nem apresenta todas as criaturas.

Vespas Elétricas



Pior que tem inimigos que nem na parte dos créditos aparecem, como é o caso das Vespas. Elas aparecem apenas em uma fase, em duas partes, no templo dourado, que é especial, porém se o Beija Flor teve destaque, nada justifica a ausência destes, que inclusive criariam contraste com as Abelhas do universo DKC. Essas vespas perseguem os macacos até certo ponto, na fase de lava subindo no templo dourado.

Bolas Elétricas



Eletricidade alias parece ser o ponto fraco da galeria, pois mais um inimigo elétrico é ignorado. Nesse caso nem sei se coloco ele como Tiki, ou como "criatura", porém essa coisa aparece bastante no mundo da Fábrica, e inclusive serve de obstáculo e pode ser derrotado, usando uns interruptores que as empurram pra longe, logo, são realmente inimigos, que nem tão na Galeria.



É o preconceito com eletricidade.

Pássaros Pinos



Se bem que tem os Pássaros Pinos... também não presentes na Galeria, mas nos Créditos em uma imagem.



Eles não fazem nada, só ficam parados, mas podem ser jogados pra longe. Da pra considerar inimigos?

Chefes


Por fim, tem os chefes do jogo. Apesar de eu já ter mencionado seus respectivos Tikis, achei legal deixa-los pra parte final pois assim, descrevo um pouco da história do jogo, pelo menos a parte importante, pra encerrar com chave de ouro.

Dinossauro Amarelo



Eu chamo isso de dinossauro, mas mais parece um alienígena... isso até se encaixa numa teoria loucona posterior... mas enfim.



Ele aparece devorando bananas, e ao que parece, foi uma criatura domesticada pelos Tikis para entretenimento, como um Coliseu. Por isso ele era alimentado. Ele ataca com investidas e seu ponto fraco é as costas.


Conforme ele é lesionado, ele se irrita e muda de cor, ficando mais rápido e violento.


Até que é totalmente derrotado, desmaia, e libera o primeiro Tiki.



Que recebe uma enxurrada de murros, tapas e chutes. Se ele não for golpeado, o chefe acorda e restaura a última etapa da batalha.


Trio Piratas Caranguejos


Durante algumas fases na Praia há navios piratas que atacam de longe, e as vezes os chefes até aparecem embarcados.


Mas eles só são enfrentados no final, curtindo as bananas que eles roubaram. Ao que tudo indica, os Tikis usavam os serviços dos piratas para facilitar o confisco de bananas pela ilha.


Eles são enfrentados um por um, andando de um lado pro outro, se protegendo com suas garras, e se escondendo embaixo da terra a cada golpe recebido. Sempre que um cai, outro surge até que os 3 sejam derrotados...


E surjam da areia empilhados, dançando ao som de conga. Os macacos precisam usar batidas no solo ou cambalhotas para derruba-los, vira-los e depois pisar neles.


Quando o último é esmagado, eles surgem e desmaiam.


E os 3 Tikis que estavam neles se expõe, atordoados.


E tomam uma surra, sendo jogados pra longe depois.


Pássaro Recém Nascido



Um Tiki Gongo usa seus poderes magníficos pra trazer vida ao mundo. Ele desperta um pássaro gigante de seu ovo, sabe-se la pra qual propósito, e ai...



O pássaro bebê é esmagado por um vaso com bombas, e vicia em detonar coisas, jogando explosivos pro todos os cantos. Ele é o chefe das ruínas...



Cara, é um bebê que explode coisas! O pássaro mau nasceu e já faz tamanha atrocidade. A forma que ele é derrotado é por sues próprios explosivos.


Ele chega até a jogar Bombas Nucleares! Não são muito poderosas mas conseguem varrer a base do cenário da batalha.


Quando sua sacola de bombas é destruída, ele fica peladão, desmaia, e o Tiki sai dele.


Tomando uma surra e sendo jogado pra longe como sempre.


Toupeira Chefe Max



As toupeiras eram mineradoras que viraram transportadoras, no mundo das minas, e o chefe deles, é também o chefe do mundo.



Sua batalha é intercalada entre fase de trilhos e batalha nos carrinhos. Seus capangas ficam atirando suas picaretas e bombas na direção dos macacos, até o carrinho deles se aproximar e eles lutarem.


Da pra burlar essa etapa da batalha usando o incrível Salto pós Giro com Jet Pack, que vai longe pra caramba.


E ai, nos vagões conectados, é preciso esmagar as Toupeiras que surgem.



Repetindo isso algumas vezes, a locomotiva/furadeira principal é alcançada, e o chefe Max é enfrentado, atacando com sua picareta, e surgindo das bananas.


Depois de derrotado, o trem quase cai dos trilhos...


E o Tiki é espancado.


Vagalume Mutante



Uma criatura meio planta, meio vagalume, meio centopeia, eu realmente não sei o que isso deveria ser. Ele tava dormindo de boa no mundo das Plantas Carnívoras quando um Tiki flautista decide acorda-la, encanta-la e usa-la pra atacar os macaquinhos.



Sua batalha é numa região escura, e é preciso abrir as janelas pra iluminar tudo. Com tudo apagado, ela fica eletrificada e persegue os primatas.



Mas quando as janelas se abrem, ela fica indefesa e pode tomar dano em seu corpo alongado, perdendo algumas de suas bolas.


No fim, ela precisa ser reduzida a uma única "lâmpada".


E fica atordoada, soltando seu Tiki.


O qual é espancado e lançado pro mais longe possível.


Dinossauro Roxo


No mundo dos fósseis, surge esse outro Dinossauro bizarro, também sendo alimentado com bananas.



Ele é monitorado por Tikis em embarcações voadoras, e ataca parecido com seu semelhante da floresta. Porém, ele tem um escudo na parte de trás que se abre rapidamente deixando ele vulnerável, por alguns poucos instantes.



Uma vez atacado com sucesso, ele também fica se irritando e mudando de cor, apelando pra pulos e corridas invasivas, e destruindo o chão.



Ele chega também a usar fogo pra atacar, soltando rajadas que os macacos podem evitar abaixando, ou bolas de fogo.


Quando derrotado, ele desmaia...


E mais um Tiki é surrado.


Galinha de Robô


No mundo da fábrica, é revelado que os Tikis são na verdade vasilhas vazias cheias de Banana batida.



O chefe da fábrica era uma Galinha de verdade, hipnotizada e equipada com um grande robô, usado para pisotear as bananas e transforma-las em vinh... digo, purê de banana.



A batalha contra ela é basicamente fugir de suas patas, passar por baixo enquanto ela anda, e esperar ela abrir sua comporta inferior.



Então os macacos podem se pendurar nas correntes (verdes, pra mostrar onde da pra se pendurar) e espancar ela por baixo, bem nas bolas robóticas.


Depois de algumas surras ela começa a voar, dar investidas que geram ondas de impacto, e apela.


Isso até sua armadura mecânica ser destruída, então ela passa a voar e jogar galinhas robóticas aos montes.


Se tornando vulnerável por alguns instantes quando da investidas com sua nave.


Depois de desmaiada, seu Tiki se expõe.


E toma um monte de porrada, voando longe.


Polvo Gigante


Apesar de não ser hipnotizado, nem enfrentado, ele pode contar como um chefe.



Ele ataca tanto os Tikis, quanto os animais e os macacos, e apenas defende seu território, mas é um obstáculo. Ele não chega a ser enfrentado afinal, os macacos que estão errados invadindo seu espaço. É uma região da ilha onde o Polvo é venerado e respeitado, afinal ele é tipo um Kraken.



Durante a fase em que ele aparece, ele rouba os holofotes, usando seus tentáculos pra destruir tudo no caminho, e também pra fazer obstáculos.



No fim da mesma fase, quando os macacos vão deixar sua região, ele ainda tenta acabar com eles, bloqueando o acesso ao Barril Final.


Alias, nem mencionei mas sempre que se termina uma fase, os macacos entram num barril especial pra deixa-la, onde conquistam algum item especial.

Morcego Gigante



Na verdade, os Morcegos são inimigos que aparecem desde o inicio do jogo, com a primeira aparição numa fase de mineração. Mas, eles são ilustrados na galeria com o gigante apenas...



Na fase em que esse grandão surge, é num mundo onde eles são acordados e incomodados pela presença dos macacos. Como o Polvo, eles também não estavam sob influência dos Tikis logo, não são inimigos, mas também não são aliados. Os macacos que interferem com eles por azar.



A fase é uma corrida contra o tempo, num foguete. Os macacos precisam desviar dos morcegos médios, de cor roxa.


E dos grandes, de cor azul, que mudam de direção quando se aproximam.


Por fim, o gigante surge quebrando parte do cenário.


E depois persegue os macacos, tentando engoli-los.



Ele chega até a lançar rajadas sonoras, que matam os macacos num único toque (na verdade, em fases assim, é indiferente ter corações, pois se o foguete bate ou encosta em qualquer coisa, ele explode e é game-over).


No final ele desmaia e pode dormir tranquilamente, e os macacos deixam seu território.


Chefe Final, Tiki Tong


O grande chefão é um Tiki que fica na fase do vulcão. 



Os macacos precisam usar um foguete para chegar ao topo de sua torre, um totem enorme que ele criou acima do vulcão.



La os macacos encontram suas bananas, mas também encontra todos os Tikis Chefes, os quais se refugiaram com ele após a surra.


Eles alimentam ele com bananas, que ele derrete usando sua lava interior...


E joga sobre eles, transformando-os em Mãos.


Assim, rola a última luta.


Ele parece o Master Hand de Smash Bros, só que só leva dano em cristais acima de suas mãos.



Ele bate, e arrasta as mãos de um lado pro outro tentando acertar os macacos. Cada mão tem 2 vidas (tipo os corações dos macacos, mas não é mostrado).


E conforme são destruídas, ele fica mais violento.



Quando as duas mãos, ou seja, os Tikis todos são destruídos, ele passa a atacar usando Espíritos de Fogo Tikis e golpes com a cabeça.



É em um desses golpes que ele fica vulnerável, por alguns poucos instantes, e precisa ser atacado em um cristal dentro de sua cabeça. É bem rápido.


Mas com 3 golpes ele perde a tampa da cabeça, e todas as bananas são liberadas.


Por causa da explosão, Donkey voa tão alto (olha a briza) mas tão alto, que passa por cima da Lua.


Então ele da um murro na Lua.


E esmaga a torre Tiki, e o chefão Tiki, acima do vulcão... usando A LUA!


Daí o vulcão entra em erupção, de bananas, e faz chover bananas, enquanto a Lua volta pro céu e o Sol nasce.


Ai o jogo termina, com todos felizes.



Mas, uma banana aciona uma estátua antiga...


Que abre o Templo das Bananas, um Templo Dourado especial.



Donkey precisa coletar esferas pra abrir a entrada dele, que são as esferas pegas nos Templos Dourados durante o caminho.



Com isso, ele encontra uma Banana Gigante Flutuando, e decide comer, ignorando que ela tava la a séculos provavelmente.


Se Diddy vai junto, ambos comem.


E ai, eles são Teletransportados, graças a briza que a banana estragada dos deuses dá.


E ai, surge uma fase nas nuvens com Bananas Gigantes e voadoras.



Tem outras frutas também, fazendo uma estranha referência a uma Banana Split. Alias, tem um inimigo exclusivo nessa fase, um Tiki que se teletransporta da outra dimensão e lança pontas de flechas. Ele também não ta na galeria.


Mas o Coala Voador ta.


É um Coala exclusivo dessa fase, que atira bombas. Lógica? Não precisa, afinal essa é uma fase drogada.



Da pra entrar com Diddy nela, mas só se chegar nela pelo templo antes de começar. Se os macacos caem nas nuvens ou se perdem, Donkey retorna sozinho, e não há barris de Diddy por la. Outra forma possível é jogando de 2, assim Diddy tem suas próprias vidas, e os barris se tornam desnecessários.



No fim, além de algumas Peças de Quebra Cabeças pra liberar mais imagens inúteis na Galeria, tem um Espelho Banana.



Tudo que ele faz é inverter o jogo... e ai o jogador precisa fazer todo o percurso novamente, pra conseguir 200%... sem nenhuma recompensa digna.


Extras


Bem, preciso mencionar um robô gigante que eu jurava que ia ser o chefe da fábrica, mas na verdade só ta em uma fase. Ele manuseia e gerencia boa parte da fábrica, guiando mãos gigantes.


Ele não chega a ser enfrentado, nem desafiado, mas, na região da fábrica tem 4 fases que precisam ter o interruptor ligado, pra abrir um foguete no meio delas. Esse foguete é o que da acesso ao chefe, e esses interruptores são como segredos no meio das fases.


O Foguete não chega a ser usado.



 Apenas uma versão portátil dele na ponta, para chegar ao chefe. Provavelmente é esse mesmo foguete que os macacos usam pra chegar ao topo do vulcão posteriormente.


Aliados

Bem, existem pouquíssimos aliados mas compensa menciona-los.

Porco Rosa



A primeira vez que vi esse porco eu estranhei, afinal nunca teve tal criatura nos DKC, e do nada, ele se torna justamente o guia e salva-vida dos macacos, um put4 de um aliado. Porém, creio que ele é outra herança do DK64.



La havia um Porco, e um Hipopótamo, que abriam os chefes pros macacos. Ou esse é o mesmo porco, ou é um parente, talvez filho dele.


Alias, além dele salvar o progresso, ele da dicas de como jogar, e se o jogo fica muito difícil, ele oferece um suporte invocando um Donkey Kong Branco, que joga sozinho, e passa a fase sozinho, ao custo de ignorar qualquer conquista na fase.

Squawk, o Papagaio




Ele fez a proeza de estar em todos os DKC, e até no 64. Novamente, estranhei o fato dele não ser jogável nesse, mas ai percebi que ele foi influenciado pelo que houve em DK64 (a primeira vez que joguei o Returns foi antes de terminar o 64).



O papagaio pode não dar dicas nem ser o mensageiro, mas ele agora é apenas um suporte prático aos macacos. Ele pode ser visto sobrevoando a ilha, em cada mundo, apenas observando tudo. Uma vez negociado com Cranky, ele pode ser usado nas fases para indicar onde as Peças Douradas estão, graças à observação que ele faz.



Ele fica num galho no canto, só de olho. Quando os macacos chegam perto de algo, ele começa a se agitar, e chamar a atenção para o local.



Enquanto a peça não é pega, ele permanece gritando. Alias, ele faz isso até durante os bônus, que são sempre bem simples.

Rambi, a Rinoceronte


O único aliado montável é Rambi, que destrói tudo em que toca, e é pesada pra caramba.


Diddy pode até voar com ela, mas ao invés de 3 "pulos", ele da apenas um por causa do peso enorme dela e Donkey.


Baleia



Existe um aliado meio involuntário, que não é nem creditado. Ela só aparece no crédito em uma imagem rápida, mas não ta na galeria.


A baleia é encontrada numa fase ainda na Praia, se liberta ao ser convocada pelos macacos.



Existe uma fase especial na qual ela interage diretamente com os macacos, sendo salva por eles de um navio que acabou usando uma âncora para fisga-la. Ela aparece bem triste, mas assim que os macacos a salvam, ela da uma carona, destruindo tudo no caminho.



Apesar dela agir como se nem ligasse pros macacos acima dela, ela é constantemente auxiliada por eles que a mantém protegida dos outros animais e Tikis pelo caminho, até ir embora feliz da vida, e livre de vez.



Alias, existe uma trilha sonora de fase aquática que é usada nessa fase, e infelizmente, não há fases aquáticas de verdade em Returns. Os macacos meio que evitam a água aqui... o pior é que... geralmente odiamos fases de água mas, em DKC sempre era legal.

Foi lamentável não incluírem algumas aqui.

Elefante, Castor, Girafa e Zebra



Da pra ver esses animais pedindo uma força na fase da baleia, mas eles também aparecem ao longo do jogo, sempre no cenário, enfeitando.



Eu lembro de ter visto a Zebra, pro exemplo, entrando em um dos bônus. Ela quem da a dica alias de que tem um bônus ali, numa fase no mundo dos fósseis, onde ela entra rapidinho num buraco.



Os outros, tipo o Esquilo e a Girafa, podem ser vistos em cenários, rapidamente, e o Elefante seria até uma montaria, mas parece que mudaram de ideia.



Hipopótamos



Eles não são aliados, nem inimigos, são mais como plataformas vivas na fase dos totens. Não são nenhum pouco parecidos com o Hipopótamos obeso e azul de 64, e são apenas uns bichos parados em madeiras no meio do caminho. Eles podem ser "derrotados" após pular algumas vezes, e o jogo até incentiva isso liberando uma Peça Dourada se "matar" alguns em uma parte.



Ainda assim, prefiro considera-los aliados.

E bem, é isso. A história do jogo é simplesmente os macacos viajando pela ilha até derrotar o Tiki e recuperar as bananas... então acho que não preciso resumir isso.

O que tinha de mais importante, ta registrado... agora é partir pra próxima.

Da pra citar quais são os "mundos" visitados na ilha, assim, pela ilustração, da pra entender a rota exata dos macacos:



Primeiro é a Floresta



Depois a Praia



Ai vem as Ruínas



Depois as Minas



Então a Floresta das Plantas Carnívoras



Ai tem os Fósseis



A Fábrica



E por fim, o Vulcão, que é o topo da ilha.



Tem também o Templo Secreto da Banana, que só aparece depois de zerar o jogo.



Observações

Músicas


Sabia que na OSV de DK Returns tem uma porrada de músicas que nem aparecem no jogo? Muitas delas são bem originais e empolgantes, daí vem minha pergunta: Por que?

Meu, dava pra incluí-las de boa, e substituir um monte de remixes chatos... mas... uma pena que não o fizeram.


Se quiser dar uma conferida na OSV, aqui está:


Alienígenas?


Pois é, naquela mesma fase que mostra o cenário da batalha épica entre Cranky e Mario, temos um crânio de Crocomire, um pirata espacial de Metroid (Super Metroid) que morre logo após a batalha.




Alias, os piratas espaciais de Metroid são meio que, dinossauros alienígenas bizarros... seriam eles parentes dos Kremlings? Seriam Bowser, K. Rool e Ridley tudo piratas espaciais!?!?!?! (Que briza mano!!!). Ignorando esse pensamento bem drogado que tive, pode-se dizer que o easter egg é bem bizarro.



Na mesma fase também tem o Game & Watch martelando umas coisas, o que insinua que sejam apenas easter eggs mesmo... Ou será que tudo está interligando han!? Alias, se o nome do bicho é "crocomire", talvez seja uma brincadeira com a palavra "croc"... referência aos Kremlings... será???




Fato é que, dinossauros alienígenas, naves espaciais... teletransporte... são coisas estranhas de mais pra simples macacos não???

Trilha Sincronizada


Apesar das reclamações, tiveram alguns momentos que a música casou bem com os cenários, como numa fase da fábrica em que há tambores e martelos gigantes. Como a música (original) tem batidas de tambor, ela meio que sincroniza com os martelos... e é interessante. 




Lamentavelmente isso não se repete muito. Eu lembro que a primeira Fase Banana, se for superada no tempo correto, faz a trilha sincronizar com as etapas. É divertido, mas não é algo programado. É mais que na sorte.


Isso só ocorre realmente de forma programada nas batalhas dos chefes, em que a cada etapa, a música muda um pouco, fica mais agitada e deixa tudo bem divertido. Podiam ter feito isso com o jogo inteiro, que ficaria incrível!

Referência a DK64


Além das muitas heranças que o Returns puxou do 64, existe uma que eu acho que seja uma referência direta... apesar de falhar em alguns pontos. 




No templo banana, tem uma fase que o desafio é superar os 5 Macacos. Eu jurava que era uma referência aos 5 macacos de 64, usando suas frutas como menção honrosa, porém... nem todos tinham "frutas" características...

Cada obstáculo tem um desafio simples, como pular em plataformas e tal, e no final são todos superados. Só que, não há nenhuma Pena (que seria a Tiny) nem nenhum Amendoim (seria Diddy) ou Coco (o próprio Donkey). Há um Abacaxi (nesse caso seria o Chunky) e há um tipo de Cereja (creio que possa ser o Lanky) mas é forçar de mais. As frutas são uma Cereja, uma Manga, um Morango, um Abacaxi e uma Banana (eu acho que são essas), logo, talvez a referência não seja essa... mas valeu a menção.

Reciclagem dos Portáteis

Eu dei uma curiada e chequei as fases extras do 3DS... e são reciclagens de fato. Pegaram uam fase pra representar cada mundo do jogo, incluíram um ou outro elemento novo mas, em resumo, é o mesmo de sempre, pegaram fases e usaram o mesmo esboço.

O triste, é que na tão mencionada Galeria, há concept arts do que seriam as fases estras da banana... cara... seria uma briza. Era pra ter uma montanha russa dentro da banana, uma fase de Banana Split mesmo, não apenas nas nuvens, e teriam referências até mesmo ao Virtual Boy, imagina que daora!


Aparentemente teria até chefe, uma Banana com Raiva Gigante... isso faria valer a pena os 200%.

Rareware... fez falta.

Enfim... é isso.

O que achou?

12 comentários:

  1. Muito boa sua análise, não consegui jogar a versão do wii mas tenho a de 3ds,que não possui controles de movimento mas não tem uma resposta muito boa...enfim,as referências a metroid se explicam pelo desenvolvimento ter sido da Retro studios,e como eles "salvaram" Metroid com a trilogia Prime,meio que ficaram ligados à franquia...Imagino como será,e aguardo a analise do tropical freeze.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sr Mario, bem vindo, e obrigado por ter gostado.

      Eu não cheguei nem a jogar a versão de 3DS, apesar de na época que o meu ainda tava vivo, pensei em compra-lo. A versão Citra dele não ta funcional então, bem, por bastante tempo fiquei curioso quanto as novidades. Mas depois de zerar a versão de Wii outras vezes, e buscar o 200%, fiquei decepcionado e ai, quando fui ver como eram as novidades de 3DS, não compensou a hype.

      Quanto sua observação sobre Metroid... interessante. Geralmente eu não me atento aos produtores e desenvolvedores então nunca entenderia essa referência "por trás das cortinas".

      Enfim, a versão no Cemu do Tropical ta perfeita agora. Tinha um bug nos pelos brancos, tipo a abarba do Cranky, que deixava tudo lendo, mas corrigiram agorinha com a versão nova do emulador. Eu já zerei o jogo a muito tempo então sei o quão incrível ele é, e estou ansioso para joga-lo novamente. Na época, o bug do Cranky existia então e ainda tinham várias fases tão lentas que era frustrante, mas eu e meu irmão nos divertimos muito assim mesmo. To só esperando corrigirem o bug da loja do Funky (que trava) e farei os 100%+ desse game... e mesmo se não corrigirem, irei acabar analisando de qualquer forma. To jogando inclusive...

      Excluir
    2. Muito bom,infelizmente as versões oficiais de wiiu e switch tão muito além do alcance da maioria das pessoas,o meu mesmo só tenho por que achei barato,mais em conta que a versão do wii,o tropical mesmo não tenho intenção de jogar por ser bem inacessível pra realidade brasileira,e meu pc não garante o emulador...no mais agradeço a resposta,caí no divulgantemorte pela "louca teoria" do megaman que faz todo sentido se você não vai atrás do que Inafune falou por aí, continue com seu trabalho,pois sei que muita gente curte suas interpretações por se aproximarem da maioria dos jogadores que pensam por conta própria.

      Excluir
    3. Feliz por ter chego aqui sr. Sempre bom encontrar novas pessoas com as quais compartilhar meu trabalho... aprecio de mais sua leitura e espero que sempre entretenha-se com minhas visões.

      Te juro que eu ia gostar de comprar um Switch, ou até mesmo um WiiU... mas o custo benefício não compensa. Ambos tem uma biblioteca muito modesta, e comprar consoles só por meia duzia de jogos não é um investimento inteligente. Confesso que se não fosse o Yuzu já ta rodando Mario Odyssei, estaria cogitando a possibilidade de investir num Switch só pra pegar o Smash Bros e o Tropical Freeze. No caso, o Tropical Freeze de Switch tem o Funky Kong jogável... eu to muito curioso pra experimentar ele, mesmo já conhecendo e já tendo jogado o game inteiro no Wii-U Emulador. Enfim, parece que não vai demorar muito pro emulador de Switch ficar bom e compatível... então já nem compensa o investimento. Se os consoles nintendistas fossem como os da Sony e Microsoft, com um acervo enorme de jogos, eu enforcaria minha carteira um pouco...

      Excluir
    4. Você resumiu muito bem a situação desses consoles,os jogos nintendo podem fazer a diferença mas no fim,comparando com os concorrentes a biblioteca de jogos fica muito defasada,parei no wii pois a Nintendo simplesmente não consegue ser competitiva com seus consoles de mesa,se mesmo assim fosse barato comprar no Brasil,faria um esforço, mas com os preços praticados aqui não dá.

      Excluir
    5. Vida de brasileiro é fogo. Agora que a Nintendo ta saindo de jogo nos consoles de mesa, pelo menos aparentemente, as opções vão ficar ainda menores.

      Mas, pode ser algo bom... seria magnífico se a nintendo liberasse seus exclusivo pras demais plataformas. Seria estranho, quase inimaginável, mas ai qualquer investimento seria rentável.

      Excluir
  2. Eu discordo,acho que a relevância da Nintendo se dá por essa exclusividade,se você quer jogar ips Nintendo,precisa de um console deles,não considero os jogos mobile por que eles não levam isso a sério,acham que deveriam ser iscas para que as pessoas comprem seus consoles. Se a Nintendo trilhar os passos da Sega e se tornar softhouse,iria pelo mesmo caminho,a Sega não está falida,não está sequer perto disso,mas não tem uma parcela da relevância que teve na minha época de garoto,são 35 anos no mercado de consoles explorando basicamente as mesmas franquias e conseguindo se manter,com altos e baixos,por apostar na exclusividade daquilo que produz.
    Peço desculpas pelo textão,mas precisava deixar aqui minha opinião irrelevante,rsrsrs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Faz sentido, mas apesar da Nintento ta anos luz a frente da Sega, se você observar ela ta sobrevivendo justamente por conta de explorar seus exclusivos. Apesar disso, os titulos da nintendo são mais variados e fortes que um simples sonic, e independem na prática, da plataforma, vide os portes e reportes que a própria nintendo fez ultimamente, alias, olha o caso do próprio DKReturns, que foi lançado em 3 plataformas. Mas, isso de fato é um ponto obscuro de um futuro incerto, logo, é melhor os video-games superfaturados e repletos de mecânicas inovadoras que não agradam a massa, do que algo que não carregue o verdadeiro carimbo nintendo.

      E sr Mario, sua opinião é extremamente relevante.

      Excluir
  3. Tô aí um jogo que eu não vou consegui jogar,muita poluição visual. Tenho um sério problema de não me adaptar com jogos assim (boderlands). Quando vi o anúncio desse jogo com o titulo de returns eu achei que seria o melhor dos três primeiros jogos, que decepção, mas como quase todo jogo de retorno e uma droga é vida que segue. Fora minha tristeza sobre o jogo sua análise como sempre é uma delícia para os olhos,continue assim cara você é muito foda

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado sr Wallace, mesmo.

      Quando consegui jogar o Returns eu me lembro de ter ficado hiper empolgado e quase ter chorado com o desanimo... foi um tapa na cara, bem doloroso... mas... o Tropical acabou me fazendo recuperar a fé na franquia...

      Excluir

CadastroMorte

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner