ArquivoMorte

PesquisaMorte:

sábado, 27 de outubro de 2018

AnáliseMorte: MegaMan 8 - Legacy Collection 2 - Tudo sobre MM8 - A corrupção de Rock

Eis Mega Man 8.


Lembrando, recomendo que leia os posts anteriores pra que sua experiência seja mais, completa.

Legacy Collection 1 , Mega Man 7Mega Man 11

spoilerspoilerspoilerspoilerspoilerspoilerspoilerspoilerspoilerspoilerspoilerspoilerspoilerspoiler
READY?!
spoilerspoilerspoilerspoilerspoilerspoilerspoilerspoilerspoilerspoilerspoilerspoilerspoilerspoiler

Boa leitura.


Introdução


Este é o segundo jogo da Legacy Collection 2, que além do jogo, trás um menu com algumas imagens e concept arts. Porém, essa é a galeria com menos conteúdo de toda a coletânea, o que é bem triste pois, por exemplo, fiquei sem algumas fotos pra análise... mas okay.



Um grande diferencial desse game, além dos gráficos, num tipo de pré-renderizado, com excesso de sombreamento e movimentos, há uma arte de fundo riquíssima em detalhes, fazendo inclusive referências a jogos anteriores e, como sempre, contando um pouco da história.



Por ser um jogo de PS1, ele conta com muito mais recursos que as versões anteriores, por isso, a qualidade é inquestionavelmente superior, em gráfico e áudio.


Tanto que agora, pela primeira vez, o jogo conta com uma introdução animada, e cutscenes em anime, com direito inclusive a dublagem (em inglês).



Antes do jogo começar, se deixarmos ele parado, uma intro mostrando eventos passados, reimaginados e animados ocorre. É bem legal...


Coisas como Rock e Rush viajando juntos...


A batalha contra GutsMan


A aquisição de poderes por Rock...


Uma reinterpretação da luta contra ChargeMan...


E PharaohMan, inclusive mostrados juntos...


A competição mundial, com Rock peitando TomarawkMan...


E a mais recente visita ao mapa sombrio de ShadeMan...


Com referência ao suporte que Rush da a Rock...


Também é mostrado Proto, observando...


Onde tudo e todos passam por ele, como se ele estivesse na sombra de Rock e sua família, sempre.


Outra coisa que é mostrada nessa animação o surgimento de Bass...


Criado pelo maligno Wily...


E o primeiro castelo de Wily.


Com a luta contra Yellow Devil...


E o dragãozinho... os chefes de castelo do primeiro jogo.


Tanto quanto uma das Wily Machines...


Praticamente toda a jornada de Rock é resumida nessa arte.


Mostrando que ele enfrentou inimigos pra caramba até aqui.

E, no fim, é mostrado ele ao lado de Proto, Bass (que até então é seu inimigo), Rush e um cara novo.



Além dessa intro super louca, tem também algumas cenas de demonstração, mostrando a máquina jogando, com um efeito de transição agora típico do jogo.


Além disso, e das animações dentro do próprio jogo, há também diálogos no meio do gameplay, com balões. Ou seja, a história é contada tanto pelos cenários, quanto pelas cutscenes, quanto pelos diálogos. São bem mais recursos narrativos que no passado, onde mal se tinham falas.


Inclusive, finalmente temos a opção de salvar!



É apenas em momentos como final de fase ou durante a seleção de telas, porém é algo muito melhor que usar códigos.



Por outro lado, o recurso de salvamento automático do Legacy Collection também pode ser habilitado, mas nesse caso tanto faz.


Além disso, como o jogo tem uma mecânica mais fluída, dinâmica e precisa, afinal é de uma plataforma de 32 bits, algumas novidades em jogabilidade surgiram, como a capacidade de Rock nadar. Ele pode andar embaixo d'água, com seu peso reduzido permitindo saltos altos e leves, mas também pode simplesmente nadar, flutuando pra qualquer direção, sem precisar do Rush nem nada. E olha que da até pra atirar enquanto mergulha.



Outra coisa é o menu, que ta um pouco mais detalhado, mostrando além das habilidades, os parafusos de comércio obtidos e as vidas, além da energia atual de Rock.



Ele tem duas páginas, uma de Armas e uma de Itens. Na de Itens, ficam catalogados os objetos que Rock está equipando, os Power Ups, que são acessórios ou recursos consumíveis pré instalados, e também os dispositivos de Rush, que dessa vez são consumíveis renováveis, não habilidades, mas depois falo disso.


Tem mais coisas além disso, mas eu falarei melhor quando descrever os personagens e o jogo em si. Agora, pra que tudo isso funcione perfeitamente, algo lamentável foi implementado: Loading Screen. Antes, quando escolhíamos as fases, rolava um loading disfarçado como apresentação dos chefes, porém, agora além disso, tem também telas de loading durante as fases, entre um ponto chave e outro. Não é nada demorado ou prejudicial, porém, vale mencionar.



Quanto as fases, bem, como em 7, agora tudo começa com uma fase inicial na introdução, e em seguida, apenas 4 são acessíveis. Algo interessante é que no menu de seleção dessa vez, há uma tela mostrando a fase e seus aspectos, um globo mostrando pode se posiciona no mundo, e um holograma mostrando o chefe da fase.


Também tem o Labortório de Light, onde podemos salvar o progresso, ou comprar itens com Roll.



Detalhe, conforme se avança nas fases, mais itens ficam a disposição para negócio, e o número de Parafusos em MM8 é limitadíssimo. Não são itens encontrados em qualquer lugar, e são como o recurso secreto que alimenta o fator Replay. Assim, só há 1 tipo de parafuso, e cada um equivale a uma única unidade, mas nas vendas Roll é generosa e pede em média 5 parafusos por atualização.

Personagens

Rock



O protagonista está mais forte, mais adaptado, melhor. Ele conta com tudo que já adquiriu no passado, rasteira, tiros carregados, mas, ele perdeu o Tiro Rápido natural.



Em contrapartida, agora Rock consegue usar seus poderes copiados paralelamente ao Mega Buster, precisando apenas equipar o respectivo poder. O sistema que antes era usado para os tiros rápidos, é usado como saída secundária para os poderes. Então, dessa vez, Rock pode atirar com o Mega Buster e com especiais, sem precisar ficar trocando.



Alias, Rock não precisa mais acessar o menu de poderes pra escolher qual irá usar, apesar dessa função ainda estar habilitada (é bom as vezes parar tudo pra escolher e respirar no meio da ação). Ele conta com um switch de poderes, permitindo trocar no meio da luta mesmo (apertando os L1 e L2), o que deixa suas movimentações melhores e mais rápidas.



Tirando isso, é tudo a mesma coisa, além dele é claro contar com a capacidade de nadar. Alias, é provável que Rock tenha aprendido isso graças a experiência química que sofreu em MM7, no mar de bolhas. Ele deve ter entendido que seu corpo, por ser mais leve que a água, permite que ele nade também, e passou a treinar.

Rush



Rush não é mais uma habilidade de Rock, mas sim um suporte, as vezes como comunicador, as vezes como entregador.



Ele foi modificado para se teletransportar para Rock e realizar essas ações, inclusive agora tem espaço para itens dentro dele, e também tem um gerador de holograma.


Light começa a se comunicar através de hologramas agora.


Dr Light, Auto, Beat e Eddie



Apesar de ainda não serem hologramas de corpo inteiro, nem com base em IA, Dr. Light se aproxima cada vez mais de sua versão futurística.



Com Rush como sua cápsula, ele passa recados e mensagens com mais frequência pra seu herói, participando mais na história.



Rush também tem aquela função de se transformar, principalmente em Jato, mas ele aparece agora por conta própria, pra fases e momentos específicos.


Junto com ele podem surgir também Auto, voando e usando um Lança Mísseis...


Beat, que da investidas sempre que Rock atira com o Buster Carregado...


E Eddie, que voa e atira bolas explosivas pela cabeça periodicamente.



A turma toda se junta nesses momentos pra formar um verdadeiro exército, dando suporte a Rock durante suas batalhas aéreas.


É assim que eles participam da história dessa vez.

Roll


Roll por outro lado não entra em batalha, mas, ela ta gerenciando o laboratório e envia as atualizações e objetos que Rock precisa.



Ela também ensina sobre cada item antes de vendê-lo, e pede apenas parafusos para cria-los. Algumas das armas especiais de Rock só podem ser obtidas assim.


Duo



E por fim, temos o misterioso Duo, um robô espacial que veio de muito longe, após um embate mortal contra uma entidade sombria.



Duo seguiu o que sobrou dessa entidade até o planeta Terra, porém ele acabou sendo gravemente ferido pela atmosfera e no fim, não sabe se é um aliado ou um inimigo.



É curioso ver um robô espacial, de muito longe, lutando contra uma forma de energia maligna, sendo que, tecnicamente, robôs são criações terrestres. Mas, em MM8, o universo do robô azul se expande pra caramba uma vez que essa nova realidade vem a tona: Existem mesmo seres no espaço, Wily estava certo!

Protoman



Proto tem uma participação ainda mais singela que em MM7, agora seguindo seu próprio caminho e se deparando com Rock ao acaso. Ele apenas manda algumas mensagens em um momento ou outro.

Bass e Treble



Bass e seu cachorro também aparecem, bem menos que em 7, na verdade apenas uma vez, como um inimigo provisório que se infecta com a Energia Maligna. Detalhe importante esse pois Bass sempre quis superar Rock, desde sua criação, e graças a essa energia ele despertou uma habilidade muito parecida com a do robô azul, a de copiar poderes alheios.

Sua luta aqui é inferior a de MM7, pois ele ainda não aprendeu a controlar todos seus novos poderes, mas, posteriormente, ele aprende muito mais em um jogo próprio (do qual falarei no futuro).

Wily



Por fim, Wily. Ele continua o mesmo, fazendo maldades, criando planos pra dominação e devastação mundial, e pra ferrar com a imagem de Light, além de destruir Rock. Porém, dessa vez ele consegue por as mãos na forma de energia misteriosa que veio do espaço e isso faz com que ele caminhe cada vez mais pro seu destino Sigmático.

Alias, sobre a Energia Maligna: Ela é uma fonte vitalícia de energia que, expande a força daquele que ela impregna, baseando-se em sentimentos negativos da máquina infectada. Basicamente, o que tem de pior no robô aflora, e ele se converte em uma entidade maligna, o que é um prato cheio pra Wily.

Ele sempre foi capaz de modificar a capacidade cognitiva dos robôs e converte-los em seus escravos, porém com a energia maligna, ele consegue fazer isso com muito mais facilidade, além ter a vantagem de potencializar seus servos gratuitamente, sem contar que é uma fonte de energia então, eles ficam auto-sustentáveis.

Essa é uma ameaça bem maior do que parece...

Chefes e Fases


Como mencionei, o jogo seguiu a linha de MM7 e surge com uma fase inicial, demonstrativa, seguida por apenas 4, e depois mais uma fase especial, e mais 4, fechando com o Castelo.

Yadokargo



A primeira fase é uma praia com coqueiros falsos, e que na verdade é a antiga base de Wily, a primeira que ele deteve.



Ele tava restaurando ela, e Rock acaba chegando de surpresa, seguindo os sinais da energia que caiu do espaço. Ele enfrenta alguns poucos robôs sentinelas...


E Metalls desavisados. Lembrando que onde tem Metall, tem construção.


Rock chega a encontrar algumas entradas secretas da base de Wily.


Acessa locais submersos, com alguns inimigos como o robô molusco...


Mas depois ele retorna pra superfície.


La tem mais alguns robôs moluscos...


E o balão sinalizador de progresso, que na verdade joga um item aleatório pra Rock, como Eddie fazia.


Assim, Rock alcança o chefe da fase, que é um grande crustáceo.


Ele é invulnerável a qualquer ataque de Rock.


Mas com alguns tiros em seu casco, ele expõe seu interior, ficando vulnerável.


O objetivo é atirar nesse interior até sua energia esgotar.


Após sua detonação, Wily é pego no flagra, resgatando o meteorito que emanava energia.



Mas ele foge, e Rock precisa tentar rastreá-lo, seguindo e atacando seus robôs que surgem posteriormente, os quais também estavam emanando essa energia.

Tengu Man


Tengu é um robô voador de temática oriental.


Sua fase é uma estrutura montada nas montanhas, com um baita vendaval.



O vento empurra Rock, fazendo com que seja difícil pular muito longe contra ele, porém ele não sopra o tempo todo, apenas de vez em quando.


Há baleias robô voadoras e soltam dezenas de Metalls... o que baleias fazem no céu?! Não faço ideia.



Também há anéis que geram bolhas flutuantes, as quais são usadas para levar Rock até as partes superiores da estranha fase.



Dentro da bolha, ele precisa desviar dos espinhos, caso contrário ela estoura e ele retorna la pra baixo, isso se não tocar nos espinhos e morrer.



Um inimigo que também aparece, e nesse caso é bem interessante, é a versão miniatura do chefe de castelo do MM7, que era basicamente uma cabeça demoníaca.


Passando por esses obstáculos, Rock encontra o limite da fase e Rush surge pra dar uma pata.


No céu, Rock enfrenta pássaros e baleias voadoras...


Convoca mais aliados...


E juntos destroem robôs dragão...


Até chegar numa nave grande em forma de pássaro, com canhões e Metalls defendendo.


Rock atravessa os vários pássaros que brotam dela, até entrar.


Dentro há vários robôs, é uma poluição mecânica com sentinelas e atiradores.


Depois de detonar tudo dentro, Rock ainda precisa destruir o núcleo da máquina, que funciona como mini chefe.


Depois ele pousa com segurança em mais uma estação.


Passa por mais uma bolha nos espinhos...


E derrota mais robôs através de pontes.


Chegando assim, na porta do chefe.



Tengu chega voando, e tagarelando. Agora os chefes sempre falam bastante, com áudio mesmo, e avisam quando vão atacar, gritando o nome de seus movimentos.


Ele usa uma Shuriken Huuma, pra ferir e empurrar Rock pra fora da plataforma.


Ele fica se movendo sempre no alto, em zig zag.


As vezes ele sai de cena e ataca voando com investidas nas duas direções...


Também atira vento com sua Shuriken, e causa dano repetitivo além de empurrar Rock.


Ele também joga tornados que andam pra acertar, prender e arremessar Rock pro alto...


Onde Tengu o ataca com sua Shuriken, sem escapatória, causando grande dano.



No fim é isso. Ele fica muito no alto então usar ataques de alto alcance é uma forma de derrota-lo, além de esperar ele ir perto do solo prestes a realizar um de seus ataque e contra-atacar.


Frost Man


Esse é um robô grande, artístico, e irritado.


Sua fase é a própria cidade, uma parte dela, congelada.


Alguns dos inimigos são pinguins robôs que se jogam na direção de Rock.


E sentinelas robôs, os quais quando o corpo é destruído, soltam a cabeça como drones.


Avançando, Rock acessa um elevador com vários robôs morcegos ao ataque.


E ai, chega na parte mais chatas de todas: O Snowboard.



Em uma prancha ele desce pelas ruas congeladas, também atravessando prédios no caminho e saltando, com robôs como Coelhos Patinadores vindo na contra-mão.


Ele também enfrenta robôs sentinelas gigantes, que arremessam bombas...



E, pra variar, ele precisa dar Rasteira ou Saltar por obstáculos, avisados com placas sinalizadoras visuais e sonoras (elas falam também).



Conforme Rock desce as ruas congeladas, mais rápido fica, e pra variar, as placas sinalizam instantes antes do obstáculo surgir então, um simples movimento em falso é derrota.


Além disso, tem muros pra incomodar e desviar a atenção.


No fim, Rock é desacelerado por um muro de neve e continua o caminho a pé.


Ele passa pela cidade agora de noite, e enfrenta mais pinguins.


Além disso, surgem baleias voadoras, que jogam pinguins congelados.


Também tem máquinas de gelo que empurram os blocos...



E algumas rotas alternativas. Na verdade tem bastante gelo, que só pode ser rompido com explosões fortes de armas especiais, e escondem Parafusos, nada além disso.


Rock continua seu caminho, passando por Metalls...


E volta pra estrada toda destruída, passando também por pássaros sinalizadores de fumaça.


Ele pega mais um elevador, com morcegos...


E mais uma prancha, agora bem mais rápida.


Os pássaros tentam atrapalhar, esfumaçando o caminho.


Mas no fim, Rock passa de boa, sendo novamente desacelerado por neve.


Ai ele chega na sala de Frost, o qual fez várias esculturas perfeitas de Rock, com os blocos que ele mesmo cria...


Pra destruir tudo, demonstrando sua raiva contra o robô.


Seus ataques são basicamente pular...


Esmurrar o chão pra derrubar os blocos de gelo transportados no teto.


Criar gelo e arremessar...


Dar socos quando Rock fica perto...


E é isso. Ele fica sempre pulando na direção dele, tentando esmaga-lo, ou destruí-lo com gelo.


Clown Man


Esse é um chefe palhaço, que usa eletricidade.



Sua fase é um parque de diversões, o mesmo visitado por Rock anteriormente, no Spring Man, porém agora Rock vai em outra parte.


Ele acaba caindo em uma armadilha logo na entrada...


Que o arrasta pra sala dos brinquedos.



Nela há várias miniaturas não letais de inimigos antes derrotados por Rock, e ao fundo da até pra notar que a Abóbora usada na fase do Shade Man era um mero brinquedo, de halloween talvez...


Rock passa por alguns canhões e cobras robóticas que se misturam à paisagem...



Depois ele chega num setor com trens, agora letais pois estão corrompidos, juntamente com balões que jogam soldadinhos de chumbo, os quais agarram Rock mas não causam dano.


Rock também passa por blocos surpresa, que se abrem quando um robô do outro lado da tela toca um sino.


Rock precisa ficar nos blocos com sinal de bola, pra não sofrer dano ou cair.


Chegando ao fim, ele cai numa plataforma que é sobrecarregada com brinquedos...


E enfrenta o mini chefe da fase, uma ficha robô que gira e pula.


Sempre na direção de Rock.


Ela também lança miniaturas sua, brinquedos, nesse caso letais.


E Rock precisa ataca-la enquanto foge de tudo.


Vencendo, um cilindro com um adaptador de Rock surge.


Então rola loading e Rock retorna ao parque, passando por mais plataformas, e enfrentando Joes.


Passa por mais canhões, e entra na apresentação Pirata do parque.


Nela ele passa por plataformas que se movem sozinhas delimitadas pelo poste em que ficam presas...



E variando o tipo de movimento conforme a cor de seus olhos, sempre pra surpreender. Rock também enfrenta alguns robôs piratas que funcionam por corda.


Junta tudo, e tem-se um desafio chato pra caramba mas, superável.


Ao sair da fase pirata, Rock chega numa torre de blocos surpresas...


E cai num poço de brinquedos, novamente sendo coberto por eles. E ai, chega no chefe.


Clown usa a sala onde se apresenta como ringue.


Ele vira uma bola elétrica e rebate contra as paredes e chão, tentando pegar Rock.


Também se pendura no centro da tela, balançando com eletricidade nos pés pra chocar Rock.


E enfia seus braços elásticos no chão, pegando Rock pelos pés e eletrocutando-o.


Grenade Man


Ao que parece, este é um robô de origem militar, focado em detonação.



Sua fase é uma enorme metalúrgica com aparência de abandonada, cheia de máquinas grandes ao fundo para transporte de carga. De cara, Rock enfrenta alguns robôs minhoca que saem de tubos, mas ao invés de serem ilimitados, os tubos param de soltar eles como se tivesse esgotado.


Avançando Rock encontra robôs canhões e morcegos...


Além de explosivos por todo canto.


Muitos detonam com facilidade, com disparos normais, o que pode abrir penhascos ou armadilhas de espinhos.


Ele também precisa atravessar blocos explosivos que abrem rotas alternativas.


Mas não há nada de mais nesses caminhos, além de Parafusos escondidos.


E algumas plataformas explosivas com timer.


Plataformas estas bem comuns na fase também...


Rock passa por elas e mais uns Joes...


E por plataformas móveis, com sentinelas gigantes que jogam explosivos.


Então ele chega na sala do mini chefe, um olho cercado por entulho industrial.


Ele faz cair lixo do teto...



E se move de um lado pro outro, entrando no chão. Apesar de seu olho ficar protegido, as ferragens em seu entorno são facilmente destruídas e ele é atingido.


Quando ele mergulha no lixo, ele deixa um último bloco pulando também...


E quando é destruído, ele derruba outra cápsula com um adaptador de Rush.


Depois do Loading, Rock consegue sair do lixão e correr por martelos 2.5D.


Passa por plataformas explosivas, algumas delas móveis...



E por explosivos com pavio. Nesse caso, robôs incendiários surgem pra tentar queimar esses pavios e assim, detonar tudo em sequência.



Rock precisa correr contra o tempo nessas partes, pois esses robôs saem em cima dos pavios e as detonações acabam com as plataformas. Tem também vários inimigos pelo caminho, como robôs que saem do penhasco...


Minhocas Robôs infinitas (nessa parte elas voltam a aparecer ilimitadamente).


E no fim, passa por mais uma rota com canhoneiros e martelos...


Pra então chegar na sala do chefão, onde Grenade chega explodindo tudo.


Seus ataques consistem em pular de um lado pro outro, enquanto lança granadas...


Explode elas...


Apela pra versões luminosas de suas bombas, que ficam queimando com luz onde atingem, por um tempo...


E também corre, pra atingir Rock com o corpo.


Ele também lança bombas "rastreadoras"...



E quando ta perto de ser destruído, ele detona o chão e luta contra Rock em uma área com plataformas aformais.


Ele fica então pulando e lançando bombas...


Até ser derrotado.


Uma vez vencendo os 4 chefes iniciais, surge uma fase extra onde Duo é o inimigo.

Duo


Duo acaba "fugindo" de Rock até uma pedreira, nada suspeita, na qual ele começa a atacar tudo.


Logo de cara Rock se depara com uma penca de canhoneiros...


E vários Metalls, ou seja... era uma área de construção.


Quando ele chega a um certo ponto, Duo o encara, e o ataca, pulando...


Virando uma esfera de energia rápida que quica nas paredes e chão...


E dando socos explosivos de luz.


Depois de derrotado, ProtoMan aparece, perguntando o que Rock está fazendo por la, e Duo foge sem dizer nada.



Esse local era na verdade uma base em construção de Wily, que acaba sendo inacessível por causa de uma barreira, e ainda haviam energias malignas espalhadas pelo mundo. Rock acaba se juntando com Duo para destruir a barreira e as amostras. Alias, Duo salva Rock nessa parte mas, eu conto depois.

Assim, mais 4 fases aparecem.


Astro Man


Esse é um robô flutuante que é obcecado por astronomia.


Sua fase é uma floresta completamente simulada, com um sol artificial.


Ela tem vários robôs de penhasco...



E o Sol define se plataformas aparecem ou não. Diferente daqueles blocos invisíveis clássicos, essas aparecem todas de uma vez, e só ficam presentes enquanto a estrela ao fundo se mantém poligonalmente radiante.



É complicado passar por elas, no time certo, evitando não apenas cair, mas também ser atingido e empurrado pelos grilos e robôs de penhasco.


Então, Rock acessa uma armadilha de Wily nessa instalação.



Essa armadilha é um labirinto espacial distorcido, sem fim. Rock precisa ativar botões, dar a volta na sala e passar pelas portas trancadas.


Isso enquanto evita robôs líquidos que atacam do solo...


E alguns robôs atiradores de ácido.


Abrindo a porta e chegando no teletransportador, depois de horas andando...


Rock vai direto pra uma torre afundando na areia, que funciona também como um labirinto pra cima.


Ele precisa subir rápido, pegando as rotas certas e derrotando os robôs no caminho, atiradores de ácido...


E depois de chegar ao topo, após o loading, Rock volta pra plantação falsa.



Supera mais algumas plataformas que somem à luz da lua falsa, e alias, quando elas somem, elas não ficam invisíveis, elas somem mesmo, e ele pode cair.


E passa por mais um labirinto com botões e portas.


Ao superar mais esse obstáculo e chegar novamente ao teletransportador...


Rock chega na sala principal, que controla a bagaça toda.


Nela, Astro cria uma simulação do espaço, e desafia Rock.



Astro voa de um canto pro outro, inalcançável, e pra variar, a esfera enorme que forma a parte de baixo de seu corpo age como um escudo, onde nenhum disparo acerta.


Ele tem duas esferas que orbitam seu corpo, como pequenas luas, as quais disparam energia e giram.


Ele também pode tacar o fod4-se e teleportar de um lado pro outro, lançando Cometas de fogo verde por toda parte.



E, basicamente é isso, ele fica realizando esses movimentos, hora apelando pras suas esferas, hora teletransportando, e apenas sua cabeça pode ser danificada.


Sword Man


Esse é um chefe composto por duas partes aparentemente independente. Ele surge em ruínas antigas.


Rock chega nessas ruínas, abrindo e liberando um monte e morcegos robôs.


La dentro, a passagem principal é bloqueada por vários totens.



Rock precisa passar por setores diferentes do local, superando seus desafios para então abrir cada um dos totens. Em uma das fases, pilares com espinhos descem periodicamente, e Rock precisa acionar interruptores, enquanto destrói robôs totens, passando de uma sala pra outra.


Ele tem que ser rápido, evitando os morcegos verdes e os espinhos letais...


Pra no fim, acionar o botão que destrava um dos totens da sala principal.


Outra sala é totalmente escura, com Morcegos Robôs e Totens.



Ele passa por 3 salas escuras, e no fim encontra uma com esses símbolos na parede e botões abaixo. Rock precisa ativa-los na sequência certa pra abrir a porta, ou então totens robôs caem das bocas acima.



Então, Rock chega na sala com fogo vindo do chão, que vem numa sequência impossível de atravessar, pois mata com um toque.



Depois de tentar bastante, entendi que na sala principal há uma dica crucial pra superar esses obstáculos. Tem Símbolos na parede frente os totens, com 4 elementos. São 4 habilidades de Rock, obtidas com os 4 chefes iniciais.


Com o cordão de raio, Rock passa fácil pela fase dos espinhos.



Com o Explosivo, Rock consegue iluminar as 3 salas escuras e ver o simbolo no fundo, conhecendo assim a ordem certa dos botões.


Com o gelo, Rock consegue congelar o fogo por um tempo, conseguindo assim ultrapassar os obstáculos.



E com o poder de vento, ele consegue ligar interruptores magnéticos da última fase, forçando eles a se juntarem pelo impulso.


Assim, os 4 totens se abrem e Rock consegue passar pela sala principal.


Só pra enfrentar um mini chefe, acima da lava.



De inicio tem uma plataforma que sustenta Rock pra ele meter bala no núcleo do chefe... mas, um robô martelador aparece e destrói a plataforma.



Rock precisa continuar atirando no robô que se move na parede e revela seu núcleo de vez em quando, enquanto pula de uma plataforma pra outra, fugindo do robô que esmaga, e da morte certa.


Depois de derrotar o robô, uma cápsula com mais um adaptador de Rush é encontrado.


E depois de uma tela de loading,


Rock chega numa parte mergulhada em lava, com plataformas que se movem com o peso.


Depois Rock precisa passar pelo robô martelador, sem cair das plataformas.



E se guiar no mar de lava, tomando cuidado pra não cair no fogo, ou pra não ser jogado em espinhos, mas usando o fogo como impulso pra subir acima dos espinhos.


Depois ele passa por totens robôs, e cai numa cachoeira de lava.


Pra chegar no chefe, o qual usa uma cabeça de pedra gigante e a fatia inteira em sua apresentação.


Ele tem uma espada fortíssima.


Seus ataques consistem em realizar um corte de fogo.


E lançar a parte superior de seu corpo girando, enquanto pega fogo.


Ele também se move correndo com a parte de baixo, e pulando com a parte de cima, de um canto ao outro.


Ele também lança cabeças de pedra do teto mas, não consegui fotografar.

Search Man


Esse é um robô formado por dois núcleos neurais. Ele tem duas cabeças pensantes e independentes.


Sua fase é uma floresta, nesse caso de verdade.


Rock enfrenta Metalls logo na entrada.


Além de robôs gorilas que atiram bolas. Na real, parecem mais com versões de Guts Man modificadas.


Ele passa por alguns robôs voadores também...



E por um trecho com pontos de sustentação por eletricidade, e muitos espinhos. Rock precisa balançar neles pra passar pelas plataformas.


Ele enfrenta mais robôs Guts...


E um robô grande bem resistente, que lança mísseis e brocas.


Depois de um loading Rock chega em um local com cercas, mas desabilitadas.


E enfrenta Robôs Grilos e mais versões do Guts.


Cada versão arremessa algum tipo diferente de rocha.


No fim, Rock precisa usar o sistema de sustentação pra alcançar uma plataforma que se abre rapidamente.


E ai ele chega na zona onde o chefe se encontra.



Ele usa mísseis rastreadores pra tudo. Uma cabeça mira, a outra atira, pelo menos é isso que parece apesar de ambas realizarem as miras, uma na diagonal e a outra na horizontal.


As vezes ele se esconde na grama, duas delas guardando versões falsas dele, enquanto ele atira por trás do mato.


E bem, basicamente, ele é um robô de ação militar que não perdoa.


Ele lança mísseis pra todo canto, as vezes sai de tela, e fica pulando de um lado pro outro.


Aqua Man


Esse é um robô aquático, dessa vez um que realmente é forte.


Sua fase é uma cidadela submersa, é o que parece. Na entrada há lulas robô e ostras.


Rock pode andar, ou nadar na água, tanto faz, de inicio...


Ele passa por plataformas com alguns Metalls, operários mesmo, não os nadadores.


E em alguns pontos é estritamente necessário nadar, por causa dos espinhos.


Depois de passar por alguns crustáceos robôs...


Rock volta à superfície, peita um Joe...


E chega numa cachoeira, onde acaba sendo atacado por um robô grande que destrói a ponte.


A batalha ocorre em plena queda livre, com algumas toras de madeira vindo pra servir de plataforma provisória.



O Robô grande fica nadando e mergulhando na cachoeira, atacando de todos os lados, e apesar de Rock estar em queda, ele não chega ao fundo, logo, não morre.



A única forma de vencer é atacando o robozão quando ele se expõe.


Até que ele exploda.


E Rock chegue, convenientemente, ao fundo da cachoeira, com um arco-íris se formando, e mais uma cápsula de Rush.


Depois de outro loading, Rock volta pra fase passando pela água, e enfrentando lulas e robôs ácidos.


Na um pouco no meio dos espinhos e ostras...


E chega numa parte com explosivos com timer.


Ele precisa detonar e cair, num salto de fé, bem perigoso por causa dos espinhos aleatórios no trajeto.


E ai, no fim, Rock peita um Joe...



E alcança o Aqua. Ele é um robô explorador marítimo, e toda essa instalação provavelmente é uma região de pesquisas, talvez em busca de mais fragmentos da energia.


Ele lança água, em rajadas fortíssimas...


E também pula de um lado pro outro, criando colunas de água.


Essas colunas vão na vertical, mas se acertam causam um bom dano.


PRa variar, ele também pode criar correntes de água que se formam na direção de Rock.


E bolhas d'água, jogando pra todo lado.


Ele tem todos os movimentos que todos os chefes de água deveriam ter, num só, o que torna ele meio complicadinho.


Vencendo, o Castelo de Wily, a Torre de Wily, é destrancada e acessada.

Atetemino


A primeira fase é uma porcaria de uma fase de snowboard, sem neve.



Rock desliza em sua prancha caverna a dentro, muito mais rápido que na fase de gelo, e com muito mais obstáculos.


As vezes, as placas vem praticamente juntas, ditando seus movimentos, o que é bem chato de seguir.


Os principais robôs que surgem são o coelho patinador, os voadores e o sentinela lançador de bombas.


Ao sair da prancha, Rock enfrenta alguns sentinelas...


Robôs canhoneiros...


E precisa se balançar usando a eletricidade pra avançar.



Passando por isso, Rock chega no chefe, um robô que usa duas caixas produtoras de miniaturas, e uma caixa que provém energia pra Rock.


Ele aparece aleatoriamente, e Rock tem de acerta-lo de alguma forma.


Nenhum ataque funciona com ele bem... exceto...


A Bola. Esse poder (depois explico) é o único que pode feri-lo.


Porém é um saco de acertar.


É mais fácil destruir o mapa todo, do que ele.


Vencendo, Rock sobe um andar.

Bliking


Nesse andar, Rock já chega tomando bala de canhoneiros.


E passa por uma parede de atiradores de ácido.


Passa pelos robôs miniatura do endemoniado.


E até Joe ele encontra.


Quando a tela chega no limite, Rush aparece pra dar uma carona.


Rock enfrenta algumas baleias voadoras...


Aves atiradoras...


Canhoneiros, Máscaras do tinhoso também...


E até minhocas mecânicas. Ele peita de tudo.



Como em fases voadoras a tela anda sozinha, um desafio também é a própria estrutura da fase, onde ele precisa desviar ou é esmagado.


E ai, surge o chefe.


Ele é um robô voador, com partes que tomam dano independentemente.


Ele lança mísseis, lasers, bombas... tudo.


Enquanto fica se movendo pra cima e pra baixo na tela, sempre na frente de Rock.


O objetivo é destruir as 4 partes dele.


E assim, passar de fase. Mas, é uma poluição visual enorme, pois tem muito projétil ao mesmo tempo.


Green Devil


Em mais um andar, Rock já da de cara com um Joe e robôs de segurança.


Passa por várias plataformas explosivas, espinhos voadores e robôs atiradores de ácido.


Supera obstáculos com espinhos...


E ai, no meio do caminho, surge Bass, querendo tirar satisfações.


Ele é um mini chefe, porém atua como chefe. Basicamente, ele atira...


Voa de um lado pro outro, sem grande movimentos como no MM7...


E usa um especial que lança energia maligna pro alto, a qual cai em rajadas de laser.


Criando explosões pra derrubar Rock.


Alias, essas explosões criam a cara o tinhoso hein.


Ele fica nessa, repetindo esses movimentos até ser derrotado.


E ai ele foge.


O resto da fase tem mais robô de segurança e atiradores de ácido...


Alguns Guts Man genéricos.


Robôs sentinelas...


E um trecho repleto de plataformas de difícil salto.



Então ele chega na refinaria de Wily. Alias, repare nas cápsulas ao fundo. O que é tratado nelas é a Energia Maligna, sendo convertida e reproduzida industrialmente. Repare bem nelas... é a mesma energia que Wily usa pra fazer lavagem cerebral em Mega Man 11.


Aqui:




Pois é, Wily ainda tem essa energia com ele, e ainda a utiliza no futuro! Guarde isso... Continuando, nessa sala quem surge é o Green Devil, uma versão modificada do Yellow Devil, só que verde.


Ele tem basicamente a mesma estrutura, porém seu olho, mesmo fora o corpo de gosma, é na maioria das vezes invulnerável, pois se mantém fechado.


Ele só se abre no conforto de sua armadura de meleca, a qual pode ser aberta com tiros consecutivos.


Ele também se divide, como o Yellow Devil, de um lado pro outro...


Mas a única forma de feri-lo é acertando seu olho enquanto aberto, abrindo caminho na meleca.


Ele tem outros ataques além de se dividir, onde expõe seu olho...


Como quando invoca geleia do solo, como estacas.


Ou quando apela criando ondas de geleia (meu deus, é basicamente a mesma coisa que o chefe do ácido em MM11).


No fim, destruindo seu núcleo, seu corpo se desintegra.


Wily Machine 8


No topo da torre, surgem as famigeradas 8 cápsulas com os chefes simulados.


Rock enfrenta Tengu...


Frost...


Astro...


Sword...


Aqua...


Clown...


Grenade...


E Search...


Vencendo, Rock pega um elevadorzinho...


Que leva direto pra sala do tio Wily.


Depois de um breve papo, Wily quase mata Rock mas, ele recebe uma força e ai, Wily começa a luta.



Sua máquina nova voa, e usa um canhão na boca, que está danificado, por isso pode ser desativado com alguns tiros.


Se Rock mete bala, ele fecha, porém...


Se dispara, o dano é bem alto.


Ele também lança Rodas Serrilhadas na direção do robô azul.


Pode lançar de forma que ela vai até o final da tela e volta, rente ao solo.


Ou jogar ela pulando, que sai do cenário e volta pra máquina por cima.


Ele também atira bolas de energia simples, mas nada de mais.


E assim, ele é destruído, com Rock acertando Wily pela janelinha no olho da caveira.


Como sempre, Wily ativa sua cápsula de fuga e começa o segundo round.



Praticamente ele usa os mesmos poderes vistos em seus últimos embates, como teletransportar deixando esferas de energia que se espalham.


Ele também lança bolas de energia na direção de Rock antes de sumir...


Faz aquele ataque que joga 4 esferas direto pra cima de Rock.



E inclusive, aquele ataque chato do MM7 em que ele podia queimar ou congelar, ele também usa, mas agora sem os elementos (bem mais fácil).


Como ele fica teletransportando, é difícil alcança-lo, e uma desvantagem é a ausência de Sub-Tanques.


Alias eu nem citei isso né!? Sub-Tanques, um recurso tão útil foi abolido de Mega Man 8. No lugar o máximo que da pra usar é o Rush Entregador, mas depois falo disso.



Outra coisa, diferente dos outros jogos, Wily parece não ser fraco contra nada que Rock usa de especial. Seja Rush Atacante...


Bola de Rosinha...


Ou os tiros comprados...



Nada fere ele adequadamente. Apenas o Mega Buster então, é um saco acerta-lo.


Mas, ele é derrotado, e se entrega.


O que ocorre em seguida, falarei na hora de contar a história.

Poderes


Muitas das habilidades de Rock são cópias, porém, ele tem alguns poderes únicos também. O primeiro que ganha é fabricado por Light, e entregue no meio da missão. É inclusive a primeira vez que Light instala um poder especial em Rock, no estilo "Copia", gerado totalmente em laboratório.

Bola Rosa



Basicamente, Rock invoca uma bola de futebol explosiva, que pode chutar, a qual quica em paredes ou no solo, ferindo inimigos em múltiplas direções.



Além disso, a bola pode ser usada como trampolim por Rock, onde ela detona quando ele pula em cima, impulsionando ele um pouco mais alto que um salto comum.

Tirando esse poder, Rock também absorve o de seus inimigos.



Sempre que consegue uma habilidade, ela é apresentada com uma animação simples, sem ação nem nada, apenas o nome.



Infelizmente, dessa vez o jogo não tem as artes dos poderes, que eu sempre gosto de usar pra ilustrar... mas, usarei a tela de obtenção de poder pra isso.

Tornado Hold



Esse é um poder de vento que permite que Rock crie um tornado por um tempo, o qual fere quem tiver no caminho, e também pode ser usado para levanta-lo até sumir. É útil pra subir plataformas muito altas.


Ice Wave


Esse poder cria um caminho de gelo com estacas, que se arrasta pra frente até subir em paredes.


Thunder Claw


Este poder cria um cordão de eletricidade.


Ele pode ser usado pra ferir inimigos, ou pra balançar em alguns pontos específicos.


Flash Bomb


Esse poder lança minas terrestres, que se detonam depois de um tempo.


Homing Sniper



Esse pode rastreia inimigos e lança torpedos em várias direções definidas. Ele pode ser carregado, o que realiza a múltipla mira.


Astro Crush


Esse poder invoca cometas que causam danos em toda a tela, não necessariamente onde pegam.


Flame Sword



Este poder permite que Rock use uma espada de fogo. Se não fosse o consumo exagerado de energia por golpe, seria o mais perto de jogar como Zero.


Water Balloon



Esse é o poder mais inútil de todos. Ele cria bolhas de água, que não flutuam nem nada, apenas caem, uma por vez, pequenas, inúteis.



Além desses poderes, Rock pode contar com Rush também. Como deu pra notar, ele encontra cápsulas do cachorro em algumas fases, após derrotar o mini chefe. Essas cápsulas ficam no inventário e com elas, Rock pode usar, 1 vez, Rush.


Ele o convoca, e Rush faz algo. Só da pra chama-lo 1 vez por fase, e ele se renova quando se perde ou reinicia a tela.

Rush ?


Essa invocação misteriosa, encontrada no parque, faz com que Rush lance um item aleatório pra Rock.



É como em MM7, mas ao invés dele cavar aleatoriamente, ele solta um item aleatório de seu armazém interno, ou não. As vezes ele apenas dorme. Detalhe, Rush funciona praticamente como o Eddie, só que você chama 1 vez quando quiser na fase.


Rush Moto


Esse poder convoca Rush que, vira uma moto.


Ele é encontrado no lixão mas, não tem nenhuma utilidade prática.


A moto pode pular, andar nas duas direções...


E atirar mísseis...



Mas por exemplo, ela não consegue passar por espinhos. Eu achei que uma das funções dela poderia ser essa mas... só morri.



Logo, como nenhuma fase é longa o bastante pra ela ser usada, e as que são já contam com pranchas e Rush Jato, sendo que a Moto fica inclusive desabilitada... não há utilidade pra ela.


Rush Bombardeador



Rush pode também ser invocado, 1 vez, pra voar acima de Rock lançando bombas. Elas não causam dano alto nem nada... logo, é mais uma inutilidade.

Rush Entregador



Por fim, o único desses poderes que tem alguma utilidade. Como não há mais Sub-Tanques (tristeza), nem Eddie, Rush é o único recurso pra cura em meio a batalha. Mas é aleatório. Ele voa sobre o robô, jogando itens aleatórios.

Bem, também temos alguns poderes compráveis, que são na verdade modificadores pro Mega Buster, disponibilizados por Roll.



Eles podem ser equipados quando Rock bem entender, e tudo que fazem é mudar a forma como ele atira, entretanto, eles não chegam a ser mais fortes que o Mega Buster, na prática.


Laser Buster


Esse poder, quando carregado, lança um laser bem fraquinho, que causa dano alongado e atravessa as coisas.

Arrow Shoter



Esse ataque não é como a Flecha explosiva do passado. O Buster toma a forma de uma flecha, e ao atingir o alvo, se divide em 6 indo em várias direções frontais.

Auto Buster



Sem o tiro rápido natural, Rock precisa acoplar um modificador pro Mega Buster em que, ao deixar o tiro carregado, ele dispara sozinho, rapidamente, em sequência, tirinhos pequenos mesmo.

E assim, terminam os poderes. Agora, bora pra história.

História


Tudo começa com uma luta em pleno espaço.


Um ser formado por uma energia maligna, roxa...


E um ser formado por uma energia pura, azul.


Ambos se golpeando com o máximo de suas forças.


Até que se chocam em um último ataque, poderoso e explosivo.


Ambos acabam sendo jogados pela explosão ao longe...


E vão parar no planeta Terra.


Os dois entram na atmosfera...


E o ser de luz roxa se deteriora...


Queima, e se divide em várias partes...


E eles caem na Terra.


Enquanto isso, Rock e Bass travavam sua própria luta, entre o azul e roxo.


Rock tenta convencer Bass a parar, mas ele estava sedento, então, Roll surge e interfere na luta.


Ela pilota um carro voador e atropela Bass, jogando ele contra um prédio.


Roll convoca Rock, dizendo que algo muito sério estava acontecendo.


Bass se recusa a deixar a luta pra trás, mas...


Ele estava preso, e é forçado a assistir Rock partindo com Roll.


O que só o deixa muito mais irritado.


Declarando que o perseguirá até derrotar.


No carro, Roll contacta Light.


Ele explica pra Rock que uma estranha energia esta sendo emanada em uma região a muito não explorada.


Comenta que ela é resultado de algo que caiu na terra, e acredita que seja perigoso.


Light pede para Rock visitar a região e buscar essa estranha fonte de energia.


Sempre ressaltando que ele deve tomar muito cuidado.


Assim, o herói azul começa sua nova jornada.


Roll o desembarca já na ilha, que na verdade era a mesma ilha onde o primeiro castelo de Wily foi construído. Da pra ver o esqueleto robótico do dragão verde que ele derrotou caído.



Então, Light reforça a missão pra ele, mandando Rush como seu suporte, além de entregar um novo equipamento pra ele, o poder da bolinha.



Rock luta um pouco, enfrenta o chefe, e chega até Wily, o qual diz que ele encontrou seu esconderijo novo, mas, já era tarde.


Wily havia visto a fonte de energia misteriosa primeiro, e via nela uma grande vantagem.


Ele recolhe a mesma, e foge.


Ao checar a cratera, Rock nota que havia um robô, e decide tentar ajudar.


Ele convoca Rush e Light, e deixa o robô misterioso que estava junto da fonte de energia para o Dr. restaurar.


Enquanto isso, ele decide caçar capangas de Wily, que vão surgindo pelo mundo.


Esses robôs já estavam infectados com a mesma energia bizarra que Wily coletou, ou seja, ele trabalhava rápido.


Quando Rock recolhe 4 amostras dessa energia, ele leva pra Light que já tinha conseguido consertar o robô.


Mas ele se mantinha desacordado, e ele tentava descobrir o que era a energia, e quem era o robô.


Light comenta que a energia usada por Wily era estranha e ruim, nociva, e Rock precisava detê-lo.


Então, ambos saem do laboratório um pouco.


E o robô grande acorda.


Ele pega a energia roxa.


E destrói o pote com ela.


Em seguida ele se enfurece, fica azul...


E voa, quebrando o teto do laboratório, bem na hora que Rock e Light retornam.


Rock não perde tempo, convoca Rush e persegue o robô destruidor.


Ele chega logo atrás dele, a uma mineradora abandonada, ao que parecia...



Ao entrar, se depara com máquinas e alcança o robô, com tenta conversar e perguntar o que ele estava fazendo. Ele diz que não pararia por nada, e tinha um sério trabalho pra fazer.



Rock acaba tentando fazer o que acha ser o certo, luta conta ele, e o robô percebe que ele não era um mal robô, destacando seu senso de justiça.


Antes que a batalha fosse retomada, Proto aparece, interrompe o diálogo de ambos, e se oferece pra ajudar Rock.


O robô misterioso aproveita pra fugir, e continuar sua missão, e Rock fica espantado com o tamanho do poder dele.



Proto então explica o que estava fazendo ali, que era um ponto monitorado por ele, onde Wily estava construindo seu novo castelinho.


Proto diz pra ele explorar com cautela, e supõe que o misterioso robô é criação de Wily, assim, Rock avança.


Ele passa pela caverna, e encontra o castelo de Wily ainda em construção.


Era uma grande torre...


Protegida por um enorme robô, muito forte.


Esse robô pega Rock de surpresa, com uma única mão, e Rush tenta ajudar seu amigo...


Mas ele soca o cachorro contra a parede.


Deixando ele gravemente avariado.


Rock fica preocupado com Rush...


E Wily começa a se comunicar de sua torre, cantando vitória.


Ele diz que agora está mais poderoso do que nunca, e irá destruir Rock ali mesmo.


Mandando seu robô eletrocutar o azulzinho até a morte.


Ele tortura Rock...


Que quase morre.


Porém alguém corta a mão do robô grande.


E salva Rock.


Que corre pra checar Rush.


Seu salvador era ninguém menos que Duo, o robô misterioso.


Rush estava bem apesar de tudo, e Duo convoca Rock para lutarem lado a lado.


Eles então enfrentam o robô gigante de Wily.


Mas Duo toma a dianteira, sem misericórdia nenhuma.


Ele energiza sua mão...


E parte a face do robô ao meio.


Depois vira energia...


Atravessa seu peito e arranca seu coração...


Ele faz um baita estrago...


E o coração, era na verdade a energia maligna.


Duo explica que sua missão é destruir essa fonte maligna de poder.



Diz que ela é atraída pelo mal, e contamina aqueles que a utilizam, aumentando sua força mas, também aumentando sua perversidade, e ele vem lutando por todo o universo para acabar com ela, com a Energia Maligna.


Então ele esmaga mais essa amostra.


E diz que precisam entrar na fortaleza de Wily pra acabar com a fonte.


Mas, ele também diz que há uma barreira protegendo o castelo, e pede pra Rock destruí-la.


Enquanto isso, ele mesmo iria atrás do restante de energia Maligna espalhada pelo planeta.


Rock consegue localizar e destruir os robôs que mantinham a barreira do castelo de pé...


E ataca o castelo com tudo.


No caminho, Bass aparece pra se vingar de Rock.


Ele diz que irá apelar para essa fonte de energia poderosa, e indo contra os avisos de Rock, se funde com ela.


Ele e Treble se conectam, mas são cobertos pela Energia Maligna, o que os deixa muito mais violentos.


E ai, ele decide testar seu novo poder em Rock.


Mas ele perde feio, pois ainda não tinha dominado nada. Bass tinha se deixado infectar por nada...


Ele fica ainda mais irritado com seu rival e foge, declarando que um dia iria acabar com Rock.


Rock lamenta o que houve com o robô roxo, mas mantém seu curso.


Ele passa pelas cápsulas de simulação de batalha...


E chega até Wily, porém ele o captura e rende com uma bola de energia.


Wily não perde tempo, diz que o poder que conseguiu é enorme, e vai destruir Rock de uma vez.


Ele se despede, e carrega seu canhão mais poderoso.


Mas ao disparar à queima roupa, Duo surge e para o canhão na mão.


Ele empurra Wily pra longe e volta pra ajudar Rock.


Apesar de também não estar tão bem pois tomou o golpe de frente.


Nessa hora, Wily retorna, e diz que tanto faz, ele ainda poderia acabar com ambos, aproveitando que Duo enfraqueceu.


Mas, antes de começar a atacar, Proto surge, e resgata Duo, deixando a luta mais tranquila pra Rock.


Assim, ele não teria que se preocupar com seu novo aliado.


Wily, mesmo sem seu canhão que prende e detona, ainda se sente confiante e enfrenta Rock.


Mas ele apanha muito, e começa a suplicar por misericórdia e perdão.


Rock novamente se revolta com a atitude de Wily, e diz que ele sempre faz a mesma coisa, e ta cansado...


Nesse momento, toda a energia maligna que havia na nave de Wily sai, atraída pelos pensamentos sombrios de Rock...


E não da tempo dele fazer nada.


Ela se acopla a ele...


E infecta Rock, enquanto tudo começa a desmoronar.


E ai, a torre cai.


Um tempo depois Rock é encontrado desacordado.


Duo faz questão de verificar ele...


E nota a presença de toda a energia maligna nele.


Ele usa seus poderes pra olhar dentro da mente de Rock.


Motivado pelo senso de justiça que sentia nele...


Ele vê tudo pelo que Rock passou...


Todos seus sacrifícios.


Todo o mal que ele deteve.


Todos que ele salvou.


E constata que ele não é mal, estranhando a atitude da Energia Maligna.


Mesmo sabendo que era impossível extrair a energia maligna sem que o robô morresse, ele tenta com Rock.


E consegue sem dificuldades.


Mas ele não destrói a energia, apenas a deixa esvair.


Ele diz que o senso de justiça de Rock o manteria bem, talvez.


Nesse momento, Proto aparece, preocupado com seu irmão.


Duo diz que ele ficará bem, mas que ele já terminou o que tinha de fazer ali e precisava partir.


Mas antes, Duo pede pra Proto fazer um favor pra ele...


Mas na hora falar o favor, a cena é cortada.


Um tempo depois, no laboratório de Light, todos aguardam pelo despertar de Rock.


Ele acorda bem, e todos ficam super animados...


Então, ele pergunta o que houve...


E Light explica que ele foi pego pela energia mas, Duo o salvou.


Então, Rock sai para olhar a paisagem, e pensar em seu herói.


Quando Proto interrompe e diz que Duo foi embora.


Mas, ele também diz que tem um recado pra Rock.


Proto diz que Duo disse "Obrigado".


E com essas palavras, a esperança e confiança do robô azul espacial foi confiada a Rock.


Ele agradece de volta...


E olha pro céu, pensando em seu amigo.


Depois disso rolam os créditos.


Nele são mostrados os desenhos do concurso prévio para chefes de Mega Man 8.



Alias eu nunca mencionei isso, mas sabia que os chefes de Mega Man normalmente são selecionados de desenhos de fans, em concursos!?


Os melhores são adaptados e convertidos em robôs de Wily ou Light.



E implementados nos jogos seguintes. Vira e mexe rola isso la no japão, e nos créditos eles sempre atribuem o Robô ao seu criador original, porém só dessa vez mostraram também os desenhos originais.


E olha que, é algo bem legal.



Os desenhos não são todos profissionais, na verdade são bem amadores, mas a Capcom da essa participação aos fans japoneses, o que é muito legal.


Outros desenhos também são mostrados nesse final, apesar de nem todos terem sido usados.


Alguns parecem até repetições...


Versões diferentes de um mesmo conceito.


Mas, eu preciso destacar esse pirata. Ele é o esboço de um chefe usado em outro jogo, o qual falarei em breve.


E bem, é isso. Alias, imagina um Shark Man!


Tamborim Man...


Genio Man, eu adoraria ver esse...


Mouse Man...


Ou então o Clock Man... as possibilidades são tantas.


Bem, enfim... é isso.


O que achou!?


Adianto desde já que futuramente farei algumas teorias importantes, principalmente relacionadas a Energia Maligna, por isso foi bom destacar que ela ainda é usada la no MM11.

Até la, eu agradeço muito por sua leitura.

E, se tiver como, comenta ai.

See yah.

8 comentários:

  1. Os esboços do Shark man e do mist man do battle network 3 apareceram nesse jogo? Ok, agora fiquei curioso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, eu chamei de "Genio" mas, é de onde o conceito de Mist saiu. Repare que, a Capcom fez questão de aproveitar todas as artes. Sabia que foi na galeria de MM8 que aquela imagem do Mega de MM11 saiu!?

      Excluir
    2. Eu tinha visto a imagem, mas eu não sabia que vinha da galeria do megaman 8.

      Excluir
    3. Pois é, ela aparece ali perdida na galeria pertencente a MM8, do Colletion 2. Curiosamente, é também este o jogo que mais faz referências a jogos futuros, pelas artes oferecidas.

      Excluir
  2. Esse jogo é muito bom,passei muitas horas o jogando,mais não cheguei a zerar pois eu meio que desisti na segunda fase de Willy pois eu era menor é queria muito jogar Megaman X8 então meio que abandonei Mais não esqueci.

    Eu realmente me pergunto se protoman mentiu a respeito do que duo disse,Pois e se na verdade,ele pediu para que caso um dia Rock se voltasse ou corromper-se, ele deveria destrui-lo? Sinistro,pois sabemos que Rock na saga X desapareceu por algum motivo e nunca foi mencionado por Light para X,então pode ser que um dia,essa energia talvez o corrompa e pode ser que Proto e Bass e talvez até Duo se unam para elimina-lo mais acabam sendo destruídos junto com Rock.

    E pensando nisso Light poderia ter criado X (e X é uma variavel ele talvez podia ser bom ou até mal).

    Bom irei ler os próximos posts.

    See Yah

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então, eu tenho uma teoria de que na verdade Rock é X. Eu passei a investigar os jogos clássicos e buscar pistas fortes que de isso seja real, e achei vários indícios. Esse esquema do mistério de Duo é um deles... mas talvez o mais forte que encontrei foi justamente a corrupção futura de Rock, que é evidente.

      Ele uma hora vai fazer bobagem, e será modificado. Light nunca permitiria que matassem sua maior criação e amor, e isso nem é mais questão de pai e filho (que eu jurava ser real e ainda tenho minhas dúvidas) mas sim, questão de paixão mesmo. Se Rock violasse as leis da robótica, ele seria visto como uma ameaça grave à humanidade, e a única forma de Light protegê-lo seria sumindo com ele. Como X esteve séculos em repouso, e tem exatamente as mesmas características básicas de Rock, só que é mais envelhecido, eu creio que Light o modificou para protegê-lo. Isso explica tanto o fato de Rock nunca ser mencionado em X, quanto de o próprio Light aparecer tantas vezes para X, tratando-o como o próprio Rock.

      Ainda tenho teorias sobre Zero ser Proto, e to desenvolvendo uma teoria épica sobre o destino de Bass (creio que ele seja parte de X... mas ainda to longe de completar essa briza).

      De qualquer forma, só saberemos mesmo no futuro com o desenvolver da 4° geração da saga clássica.

      Vlw por aparecer sr Vini... senti falta ^^.

      See hay.

      Excluir
  3. Kkk sim,eu agora pensei nisso,eu me pergunto se essas modificações que Light fez nele,será que seriam partes de outros robôs?pois X é tão forte,me pergunto se algum aliado o ajudou em alguma parte sla,me pergunto se a modificação do X buster seja de alguém tbm,eu acho que possa ser duo não sei, e também acho que X não e infectado pelo vírus sigma pois ele JA ESTA INFECTADO,mais digamos,ele tem controle,por isso sigma não o possui,pois ele já tem um vírus nele talvez isso o torne também mais forte com o tempo (Eu não considero 100% a luta entre Zero e X no X5, pelo menos na jogatina de Zero,onde ele dizia que X tinha se transformado num maverick).

    Bom é isso,Mais conforme o tempo passa a história se Amplia e só o futuro dirá.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você pegou a mesma corrente de raciocínio que eu. Outra das minhas teorias liga Sigma, Wily e a Evil Energy, e tem uma outra teoria (nesse foi um dos leitores que abriu) onde a Evil Energy e a Dark Elf são a mesma entidade, só que em épocas diferentes. Logo, o fato de Rock ter sido infectado pela Evil Energy, exatamente como Wily, o que futuramente o converteria em Sigma, faz de Rock um pré-infectado por Sigma. Talvez o que Duo fez nele o imunizou parcialmente, e ai no futuro, como X, ele não tem porque temer tanto o vírus... é como a Roboenza... uma vez que ele tomou a vacina, a doença não pega mais nele...

      Excluir

CadastroMorte

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner