ArquivoMorte

PesquisaMorte:

quarta-feira, 12 de setembro de 2018

AnáliseMorte: Kingdom Hearts 2 - Final Mix - Explicando o Jogo (1/3)

Chegou o dia de falar de KH2, e eu estou bem animado, afinal: Mickey mano!!!


Não é nenhum segredo que comecei a jogar os Kindom Hearts só pra ver o Mickey, foi isso que me atraiu para a franquia, mas a história me fisgou de um jeito que, hoje, estou completamente apaixonado.

Em breve, será lançado o terceiro jogo da linha principal, e há vários títulos que preciso explicar e registrar para que assim que o jogo seja lançado, eu jogue e analise como se não houvesse amanhã.

_________________________________________________________________________________

© 2015 DivulganteMorte 
AnáliseMorte criada por ShadyMorte, distribuído por DilvulganteMorte, Inc. e Tecnologia do Blogger, Inc. Todos os Direitos Reservados. 
© Spoiler  
Informações Reveladoras sobre produtos Disney Entreprise, Inc e SQUARE CO, LTD. Todos os Direitos Reservados (dos spoilers viu).

_________________________________________________________________________________

Boa leitura.


                                                                                                                                                                   
            Introdução            
                                                                                                                                                                   

Kingdom Hearts 2 é a sequência "direta" do primeiro jogo da franquia. Digo entre aspas pois tecnicamente, esse é 4º jogo da série, desconsiderando os remakes dos intermediários... 

Pois é, a Square Enix tem essa mania de lançar os KH meio bagunçados, e o que define se o jogo será um principal da franquia ou um "quase spin-off" é o quesito "Mundos Novos". Ou seja, se o jogo terá uma aventura que se passa em novos mundos, é um jogo da sequência 1, 2, e agora o 3. Agora, se não tem mundinho novo, então é um dos quebrados, tirando o "Birth by Sleep" que é um tipo de prequel que traz mundos novos, mas não é um dos numerados.

Ainda por cima tem o "Final Mix" no nome, ou os "1.5", "2.5" e por ai vai. Esses são apenas termos de relançamento, mas o que importa mesmo é que no final, são os mesmo jogos com remasters.

O KH2 - Final Mix conta a mesma história do KH2, o que muda é que ele quebra as censuras da versão internacional, mesclando o conteúdo da versão japonesa com a americana. Por isso, tem bem mais cutscenes do que na versão internacional, e tem cenas originais e sem as censuras bobas que colocaram.

Ainda assim, coisas como dublagem (em inglês da versão japonesa) ficaram de fora, então várias cenas não tem vozes dos personagens, mas tem sons de fundo e trilha sonora (é até meio esquisito pois você escuta passos, mas não escuta vozes), isso nas cenas mescladas.

Mas é a melhor versão pra se jogar, pois esse conteúdo completo é indispensável pra compreensão da complexa história que o crossover Final Fantasy x Disney criou. Sem contar que tem uns conteúdos inéditos que saíram pouco antes do surgimento do "Birth by Sleep", para anuncia-lo.

Essa análise ta grande, então te recomendo que leia com atenção pra não perder nenhuma informação.

                                                                                                                                                                   
            Jogabilidade            
                                                                                                                                                                   

KH é um Action RPG com elementos de Hack&Slash, Navinha (mash-up) e Aventura. Não é um jogo complicado, e na dúvida é só descer o sarrafo na galera batendo loucamente, e no caso de ficar perdido, é só conversar com seus parceiros ou npcs do cenário.

Ainda assim, há uma série de diferenciais que melhoram o gameplay e deixam as coisas mais dinâmicas. Mas, não é nada como aquelas cartinhas do Re-Chain of Memories. Os golpes agora são independentes, mas também não é algo como no primeiro jogo, pois essas adições deixam tudo mais variado.

Primeiro que agora há um esquema de Ação Rápida. Em certos momentos da pra apertar o triângulo e fazer um movimento específico pra cada inimigo ou situação, o que da uma vantagem ao protagonista.



Esse mesmo botão é usado pra dialogar com npcs, pra tirar dúvidas, comprar ou vender coisas... 


Ou interagir com objetos, e além disso, serve pra ativar os movimentos especiais do personagem, então, ficar apertando loucamente o triângulo não é uma solução prática em batalha, pois as vezes ativa um especial que drena todo o MP, ou faz o personagem mudar de forma.

MP é o poder mágico, usando pra lançar magias. Existem duas formas pra se selecionar essas magias, uma que é rápida, segurando L1 e usando uma das magias pré-definidas no menu, ou navegando com os direcionais pelo menu de batalha e selecionando manualmente, o que é demorado.



Quando o MP acaba, demora um pouco, mais ele se restaura com o tempo. Também da pra restaurar coletando Bolhas Azuis que ficam no chão quando inimigos são derrotados.

Além dessa barra, tem a barra de Turbo, que é recarregada com bolinhas amarelas que caem dos inimigos, ou se regenera ao causar ataques e combos. Além disso, ela é uma barra usada pra duas ações especiais: Invocação ou Transformação.



Na Invocação, o personagem troca seus aliados por uma invocação que o acompanha e dá cobertura em batalha, até que as barras de Turbo sejam consumidas.



Na Transformação, o personagem muda de forma, equipando uma roupa nova, e habilitando vários movimentos que não possui em sua forma normal. Dependendo da forma usada, os aliados saem do grupo temporariamente, mas depois falo mais disso.



Quanto a Aliados, os parceiros do personagem lutam ao seu lado, geralmente são duplas, mas da pra trocar em tempo real alterando pelo menu de batalha, substituindo membros do grupo, ou mudando pelo menu principal mesmo, antes das batalhas.



Só da pra ter 3 membros no grupo, contando com o personagem principal, e geralmente os aliados são Pato Donald e Pateta, mais um coadjuvante da fase. Eles tem leveis próprios, habilidades próprias, equipamentos, e HP, e atacam independentemente do jogador, mas, seus movimentos e comportamentos podem ser pré-definidos no menu principal, semelhante ao que é feito em Final Fantasy 12.



Existe também o HP, que é a energia vital do personagem. Ela não se restaura sozinha, mas pode ser curada com consumíveis como poções, ou com a magia Cura (mas ela consome todo o MP ao ser usada) do próprio personagem ou de aliados.



Também da pra restaurar com bolinhas verdes que caem dos inimigos, ou entrando no Save Point, que é uma luz que permite salvar o jogo, ou voltar pro Espaço.



No Espaço, onde se escolhe pra qual mundo ir, o jogador assume o controle de uma Nave Gummy, e voa. 



Sempre na hora de acessar algum mundo, é preciso abrir a rota, e pra isso tem que passar por um desafio de tiro numa passagem de navinha.



É algo que tinha no primeiro jogo e foi ligeiramente melhorado. Dessa vez tiraram as edições obrigatórias (e confusas) de naves Gummy e colocaram naves pré equipadas e desenvolvidas pra se escolher. Ainda é possível editar mas, eu nem dei bola pra essa função (pois é chato de mais).




Além dessas funções, tem o básico que é andar, pular e atacar. Tem muitos movimentos e combos que são liberados conforme o personagem passa de level, ou melhora seu domínio com as Formas Turbo. Isso é algo que o jogo não explica, mas o personagem reaprende seus movimentos especiais ao dominar suas formas, não ao upar.

                                                                                                                                                                   
            Formas            
                                                                                                                                                                   

O protagonista agora usa uma roupa mágica que o ajuda a recordar habilidades que ele perdeu, ou aprender novos movimentos incríveis. Essa roupa pode mudar de cor e dar esses poderes temporariamente, mas, enquanto usada transformada, ela acumula pontos e passa de level, liberando movimentos próprios da roupa e também, habilitando eles na forma normal do personagem.



Logo, pra se aprender por exemplo, Pulo Duplo, o personagem precisa usar a Transformação Turbo que da esse poder até ela passar de level, então ela melhora o Pulo Duplo dela própria, e habilita ele na grade de habilidades do personagem em sua forma normal.

Mas, é preciso ter AP pra liberar esses movimentos, e esses pontos são adquiridos com itens consumíveis próprios pra isso, equipando acessórios, ou passando de level do próprio personagem.




AP alias é um ponto reutilizável. Ele pode ser atribuído e removido conforme a vontade do jogador, e se acumula.

Tem 6 Formas Turbo:

Forma da Bravura




O protagonista de funde ao Pateta, melhorando suas habilidades de ataque e defensivas.



Nessa forma, ele libera vários movimentos de combo e agilidade, além de ter um Salto mais Alto, e perde o uso das magias, além de habilitar o uso de duas KeyBlades.



O louco é que pra upar ela, não é preciso Experiência. Na verdade, todas as formas upam com base em critérios de batalha, e na de Bravura, ela ganha 1 ponto de experiência pra cada golpe realizado em um inimigo.

Ou seja, pra upar ela, é preciso sair golpeando os inimigos em combos até passar de level.

Forma do Sábio




Essa é a forma que o protagonista assume quando se funde ao Pato Donald, absorvendo seu talento pra magia.




Nessa forma, o protagonista só ataca atirando ao invés de batendo com a Keyblade, e suas magias ficam bem mais fortes, além dele surfar por ai praticamente flutuando.



Pra upar essa forma, é preciso derrotar inimigos de um tipo específico (Sem-Coração).

Forma de Limite




Essa forma não funde o protagonista com nenhum de seus aliados, apenas libera todas as habilidades que ele conquistou no primeiro jogo da série, ao custo de energia "Turbo".




Através de movimentos Limite, que são os especiais, ele realiza seus golpes combados do primeiro jogo. Alias, as cores da roupa ficam iguais as clássicas.



Pra upar essa forma, é preciso usar esses especiais e pra cada um, ganha-se um ponto.

Forma Mestre




Essa forma é resultado da união com todos os aliados. Assim, o protagonista passa a manusear 2 Keyblades ao mesmo tempo, além de liberar vários poderes de finalização.




Todos os combos terminam com golpes destrutivos nessa forma, além dela permitir um tipo de Pulo Duplo.




Pra upar ela, só é preciso pegar Bolas de Turbo, e nem é preciso estar em batalha pra isso. Tem umas Esferas que liberam essas bolinhas e da pra pegar exp infinitamente nelas.

Forma Anti-Sora




As vezes, o protagonista pode simplesmente virar um "Sem-Coração", ao tentar usar uma das Formas Turbo. Isso não é explicado, e ocorre aleatoriamente, mas quando ele vira uma criatura sombria, seus movimentos ficam muito rápidos, ao custo de todos seus aliados e todos seus movimentos especiais, magias, e os golpes de finalização. 



Também não da pra encerrar essa forma forçadamente, e ao mudar de cenário ela é cancelada. Ela também não usa Keyblades, e apesar de forte, é uma chatice de virar.



Por não ser uma forma oficial, mas sim ocasional, ela não é upavel.

Forma Final




Mas, existe também a possibilidade de liberar essa forma, branca e poderosa, que usa 2 Keyblades, domina Magias, Combos e Finalizações e pra variar, Pula Alto e Voa!



Essa forma surge aleatoriamente, numa chance menor que a Anti-Sora, mas uma vez alcançada, fica no Menu de Batalha pra transformação sempre que o jogador quiser. Então só é preciso dar sorte 1 vez pra ter ela na grade.



Ela também libera suas habilidades pra forma natural do protagonista, baseando-se em inimigos derrotados de um tipo específico (Incorpóreos)

Com essas formas, tudo que é preciso fazer é decidir quando e como usar, e upa-las sempre que possível, pra usar movimentos delas na forma normal do personagem. Da pra usar por exemplo o Voo se upar a Forma Final, o que é muito útil. 

                                                                                                                                                                   
            Equipamentos            
                                                                                                                                                                   

Também da pra equipar coisas, como Acessórios, Vestimentas e Armas, mas não é nada complexo.




Tem as Keyblades, que são as armas do protagonista. Cada Espada dessas libera algum efeito especial e aumenta os pontos de Ataque Físico e Mágico, além de mudar a arte da arma.



Da pra escolher quais as armas secundárias das Formas Turbos que usam duas Keyblades, definindo e equipando previamente no menu principal.

Os aliados também tem equipamentos, mas é algo limitadíssimo. Donald equipa Cajados, Pateta equipa Escudos, e os demais aliados que são provisórios equipam armas próprias e inalteráveis.



As Vestimentas, que na verdade podem ser cintos, laços e afins, são equipamentos que melhoram a defesa e resistência dos personagens, e podem ser equipados nos slots tanto do principal, quanto dos aliados.

Os Acessórios, normalmente Anéis ou Presilhas, servem pra aumentar os Ataques Físicos e Mágicos, e também a quantidade de AP do personagem ou aliados.

Apenas as armas mudam o visual dos personagens.


                                                                                                                                                                   
            Personagens Principais            
                                                                                                                                                                   

Roxas




O jogo começa com um personagem ainda não visto na franquia KH. Um cara que tem tudo pra ser o Sora mesmo, só que mais velho. O problema é que seu nome é outro, ele vive em outro lugar (um lugar novo) e ele tem um vínculo histórico com pessoas novas, nada do elenco original.

Então logo de cara surge a dúvida "Afinal, é o Sora?" mas, não, ele não é, não totalmente...

Roxas é um fragmento de Sora, nascido naquele momento em que Sora virou um Sem-Coração.


Isso fica claro quando começam a rolar flashbacks de Sora, na mente de Roxas, com direito a visões dele em um tipo de reconstrução de memórias. Acontece que Sora estava num processo de reajuste memorial, tendo sua mente reparada após os eventos de Re-Chain of Memories.

Roxas estava sendo mantido em uma cidade fictícia, clonada de uma cidade real, onde ele precisa viver como se tudo fosse normal, até a mente de Sora se estabelecer e normalizar, para então ele ser fundido ao jovem, para que Sora despertasse.

O problema é que Roxas tem personalidade própria, e ele não sabe de tudo isso. Pra ele, ele vive em uma cidade, tem amigos, tem sonhos, e ele não fica nada feliz ao descobrir que só esta sendo usado. O pior de tudo é que nem é a primeira vez que isso ocorre com ele.

Roxas nasceu nessa cidade, na versão real dela, por isso ele é mantido la. E ele estava sendo escondido em uma versão clonada e digital, pois no mundo real, ele estava sendo caçado por um grupo de vilões, que queriam seu poder.

Ele era capaz de manipular Keyblades, mais de uma, ao mesmo tempo. Roxas tinha poderes ainda maiores que seu progenitor, e era um alvo de uma organização que desejava esses poderes, mesma organização alias que foi responsável pela drenagem na memória de Sora.

No final, cabe a Roxas decidir se voltará ao seu "eu" original, ou se buscará por uma existência independente, mas, ele acaba não tendo escolha quando descobre que nem existe de verdade. E calma, eu explicarei isso depois. 

Naminé



Essa é uma personagem que apareceu no Re-Chain of Memories, sendo inclusive uma "quase vilã".


Naminé tem os estranhos poderes de manipular e apagar as memórias de Sora, e todos que são ligados a ele. Ela foi usada pela organização de vilões para fazer Sora se esquecer de todos e acreditar que ela era tudo pra ele, mas a própria Naminé percebe que isso não era certo, e decide ir contra a organização.

Quem inclusive está restaurando as memórias de Sora, durante seu repouso, é ela. Mas ela não sabia da existência de Roxas, nem da importância dele. Ela da até sorte ao encontrar um cara que a ajuda nesse processo, não apenas sedendo o local para abrigar Sora, mas também acolhendo ela e impedindo que a Organização a encontrasse.


Mas, apesar de poderosa, Naminé ta no mesmo barco que Roxas: Ela também é um fragmento de alguém.


Só que no caso de Naminé, ela é uma parte de Kairi, a princesa que é amiga de Sora, e ela nasceu no mesmo momento que Roxas nasceu. 

Quando Sora removeu seu coração, para assim liberar o coração de Kairi que estava dentro dele, ele virou um Sem-Coração, e com isso surgiu um ser baseado no que restou de Sora, e um no que restou de Kairi. Posteriormente explicarei melhor isso, mas em resumo, sempre que um Sem-Coração nasce, um Ser Imaterial ou "Incorpóreo" nasce junto.

Naminé é uma versão excepcional desse tipo de criatura, com poderes de manipulação de memória conectados apenas a Sora e todos que são relacionados a ele, por causa de sua origem. Mas, como tal, ela também era apenas uma parte de alguém, e para que esse alguém se completasse (no caso, Kairi) ela precisava deixar de existir. Por isso, ela estava exatamente na mesma situação de Roxas, pois ela tinha personalidade própria e independente, apesar de não existir de verdade.

No fim, Naminé retorna pra Kairi, e Roxas para Sora, e ambos até se conhecem pouco antes de Sora acordar, e continuam mantendo contato mesmo depois de desaparecerem... mas isso é coisa pra se explicar depois.

DiZ




Esse personagem apareceu no Re-Chain of Memories, e sua ação foi contra a organização de vilões. Ele é misterioso, e surge após libertar Riku do mundo das trevas, e motiva-lo a lutar contra os vilões, dominar o mal dentro de si, e salvar Sora. Porém, ele se apresenta primeiro como "Ansem", assumindo a forma do vilão do primeiro jogo, quando na verdade era apenas um disfarce, em cima de outro disfarce: DiZ.


"Darkness in Zero", abreviado como "DiZ", é o nome que Ansem, o Sábio, escolheu para se camuflar.


Ansem, o verdadeiro Ansem, tinha sido mandado pro mundo das Trevas, onde teve o sentimento vingativo contra aqueles que o traíram aflorado. Acontece que, Ansem era um tipo de rei (ele regia um reino então, vale como rei) e também um grande cientista. Ele passou a estudar as "Trevas do Coração" para ajudar seu reino, ao lado de um grupo de seguidores.

Mas, esses seguidores começaram a fazer estudos proibidos por ele, e se corromperam com as trevas, tornando-se traidores e prejudicando o reino inteiro. Aquele que foi responsável por toda essa revolta, o Líder dessa Organização, assumiu o nome "Ansem", e posteriormente se converteu naquele vilão que vimos no primeiro KH. 

Enquanto isso, O Sábio foi preso no mundo das trevas, e preferiu abandonar seu nome verdadeiro, e sua forma física verdadeira, pra assim trabalhar numa forma de se vingar de seus antigos seguidores. Com isso ele aprendeu a dominar as trevas, e escapou de la, mas carregou uma cicatriz...

DiZ, apesar de ser um personagem que ajuda, é também um corrompido pelas trevas (mesmo alegando que não). Ele foi tomado pela vingança, e só pensa nisso. Curiosamente, ele era um amigo muito próximo de Mickey, influenciado por ele, e talvez isso tenha mantido ele lúcido.

Ele é o cara que ajudou e convenceu Naminé a regenerar as memórias de Sora, oferecendo sua mansão e laboratório, que ele construiu sob seu disfarce, para o procedimento. Seu objetivo porém, era se vingar da Organização, apenas isso.

DiZ demonstra ódio por todos que são da mesma "raça" que a Organização, e isso inclui Roxas e Naminé. Ele despreza a natureza deles, e faz questão de mostrar isso na presença tanto de sua aliada, quanto de seu refém, tudo pois os traidores aparentemente só fizeram isso por terem se tornado esses "Incorpóreos". Mas depois falo disso...

Riku




Depois de ser ajudado por DiZ, Riku se uniu a ele para devolver Sora ao seu status normal. Riku porém teve de abraçar as trevas em seu coração pra se tornar mais forte, algo que de certa forma funcionou, até ele ser superado por Roxas.

Acontece que, Roxas era necessário pra restauração de Sora, mas ele já estava sob o manto e proteção da Organização. Então, DiZ convence Riku e Mickey a ajuda-lo, oferecendo um disfarce e informações.


Riku precisava capturar o tal Roxas, e tentou uma vez, mas falhou miseravelmente, perdendo na luta. Ele inclusive se envergonhava por precisar das trevas pra ser mais forte, e escondia seus olhos numa venda.


Depois disso, ele optou por abraçar completamente as trevas em seu coração, e se entregar ao "Ansem" que estava dentro dele, se convertendo fisicamente no vilão do primeiro KH, e recebendo todos os poderes dele. 


Assim, ele foi capaz de derrotar Roxas e captura-lo, porém, seu corpo havia se corrompido com as trevas.


Riku, com vergonha de quem se tornou, mesmo mantendo sua mente limpa e controlada, acabou se escondendo sob seu manto e mudando seu nome para "Ansem". Ele queria ajudar Sora, mas não queria que Sora o visse como ele estava, então preferiu adotar esse disfarce e identidade.

Dois Ansem, Riku disfarçado como o falso Ansem, e o verdadeiro Ansem disfarçado como DiZ, lado a lado, buscando ajudar Sora. Um por amizade, outro por vingança, vingança essa contra o atual Ansem... e sim, tinha um terceiro, mas falarei depois.


Observação: Riku é um Keyblader, como Sora, porém ele carrega uma Keyblade do mundo das Sombras.

Sora




Pois é, tudo isso aconteceu, enquanto Sora dormia. Quando ele acorda o mundo já estava bem diferente, e ele também. 


Passou um ano, tanto sora quando Pateta e Donald estavam em repouso para a restauração da memória, mas tudo o que ocorreu no Castelo do Oblivion (os eventos de Re-Chain of Memories) são apagados. Ele só consegue se lembrar do que aconteceu no primeiro jogo.

Isso é de certa forma um problema, pois agora havia uma Organização de vilões, diferente daqueles que ele enfrentou no passado, uma raça nova de inimigos, e pra variar um monte de pessoas novas. 

Ainda por cima, aqueles que ele conhecia, como Riku e o rei Mickey também estavam diferentes, logo, imagina a mente do garoto pra lidar com toda essa informação.

Depois de ter trancado as portas dos mundos, Sora achava que os Sem-Corações haviam deixado de perturbar, porém, Malévola (normalmente me recuso a chama-la de "Malévola", mas manterei esse nome pra não confundir) mesmo depois de "morta", ainda tinha um seguidor, que faz questão de buscar e gerar mais Sem-Corações por ai.


Então, Sora já retorna indignado, e atarefado, pois precisa dar um jeito de destruir esses males e se atualizar.


Por sorte ele recebe muita ajuda, mas seu passado, o passado que ele não se recorda, fica perseguindo ele o tempo inteiro, afinal, Sora havia derrotado e eliminado vários membros da Organização, e era um alvo.

Kairi



Ela cresceu, mas se esqueceu de Sora, e Riku, por causa dos efeitos de Naminé.


Todos que eram relacionados a Sora tiveram suas memórias afetadas, até que Naminé começa a desfazer suas ações. Riku é um dos primeiros a recuperar sua memória, por sua proximidade, mas Kairi mesmo sem lembrar do nome, sentia saudades e aguardava pelo retorno de seus amigos.

Ela nem vai mais na ilha onde eles brincavam, e estuda numa cidade vizinha, mas ela aguarda por eles, sempre olhando ao longe, tudo graças a promessa que vive em seu coração. 

Kairi era uma princesa, e Naminé nasceu do coração dela. Naquele momento em que o coração dela passeou de um corpo pra outro, Naminé surgiu e foi logo capturada pela Organização. Esses que "surgem" geralmente mantém as memórias de seu "eu anterior", mas no caso de Naminé e também de Roxas, aconteceu diferente, e eles esqueceram quem um dia foram, o que foi um caso especial... 

Só que Kairi era um caso ainda mais especial, justamente por ser uma das 7 princesas. Ela tinha um coração puro de mais, e ao ter ele extraído, não se converteu num "Sem-Coração", apenas ficou catatônica, e esse detalhe é o que fez de seu "incorpóreo" algo tão diferente: Ele nasceu apenas da mente dela... mas calma, eu vou explicar isso, com gráficos, daqui a pouco.

Mesmo sem ter um Sem-Coração, Kairi acabou gerando um "Incorpóreo", mas este nasceu com poderes inimagináveis e relacionados a mente dela. Naminé era tão poderosa por ser justamente, um Incorpóreo de uma princesa.

Curiosamente, Kairi era uma princesa, do mesmo reino no qual Ansem, o Sábio, regia. Na lógica, tecnicamente, Kairi seria a filha de Ansem, mas isso acaba sendo algo um tanto quanto implausível por causa do relacionamento Ansem-Kairi.

Kairi não era natural do mundo em que Sora e Riku habitavam. Ela saiu do mundo de Ansem, o qual faz questão de relatar vários eventos e citar Kairi, mas sem mencionar nenhum parentesco. Ele inclusive estuda a natureza de Naminé e tenta explica-la, falando de Kairi e tal, mas ele não demonstra ser próximo dela, e fala de uma forma muito descompromissada. 

Se eles fossem pai e filha, seu comportamento era frio de mais. Curiosamente, como Ansem estava cego por vingança, isso pode ter influenciado sua mente perante sua visão paternal, mas isso fica estranho considerando seu final, onde ele morre diante Kairi mas nem se despede dela.


Igualmente curioso, é o fato de Kairi estar em outro mundo, quando seu mundo original foi completamente aniquilado e seus habitantes tiveram suas mentes apagadas, e foram jogados (os que sobreviveram) em outros mundos. Ansem pode muito bem ter feito tudo isso de propósito para salvar seu povo do que seus seguidores estavam planejando, e consequentemente se esqueceu de sua filha... de qualquer forma, nada disso é explicado em KH2, porém, existe outro jogo que falarei um dia, que aborda o tema com mais atenção.

Pateta e Donald



Esses são os amigos de Sora, que acabaram se juntado a ele durante essa grande jornada.


Por estarem muito próximos dele, literalmente do lado dele, eles foram apagados em tempo real de sua mente, sendo obrigados a repousarem para o tratamento. Eles também adormeceram, e também tiveram suas memórias restauradas pela Naminé, então também ficaram um ano mais velhos.

Mas, no caso deles, eles não envelhecem fisicamente, nem mentalmente. No máximo, suas roupas mudaram um pouco. Os seres do mundo do Rei Mickey envelhecem de um jeito bem diferente. Eles basicamente "evoluem" com o passar do tempo, e são centenários.

Legal que o passado deles é visitado, mas eu falo disso depois.


Observação: Pateta se destaca muito por sua inteligência e capacidade dedutiva. O cara simplesmente é genial quando é pra interpretar algo. Porém, ele é muito atrapalhado. Já Donald é estressado, bem estressado, mas é também aquele que mais toma atitudes em prol da amizade. Ele une o trio.

Grilo Falante




Ele também estava com os heróis durante o Re-Chain of Memories, e ele também é influenciado por isso. No caso do Grilo, ele sempre ta com Sora, escondido em sua roupa, anotando todos os eventos em seu diário.

Mas, seu diário também é afetado, tendo tudo o que aconteceu no Castelo do Oblivion apagado. Apenas o agradecimento da Naminé que permanece.

O Grilo é um conselheiro e guia de Sora, e até ele fica confuso com esse buraco enorme em sua mente. Seria uma ótima solução, ter tudo documentado, mas infelizmente era parte do procedimento apagar tudo.

Acontece que quando Naminé mexeu na mente de Sora, ela substituiu as informações que já haviam, por novas. Com isso, apenas uma das memórias poderia existir, caso contrário criaria um problema na cabeça de Sora. Ela é forçada a se apagar dele, e consequentemente todo o evento fica como se nem tivesse acontecido. 

Mas, por todas essas consequências, fica óbvio que muita coisa aconteceu, e apenas a Organização, DiZ, Mickey e Riku se lembram. É triste pro Grilo, que se orgulha de registrar tudo, ter passado por essa situação.

Mickey




Apesar de no final do primeiro jogo, Mickey ter ficado preso ao lado de Riku, no mundo das trevas, ambos se livrarem juntos com ajuda de DiZ, Mickey acabou se separando de seu amigo e agora, aparece sozinho, quando aparece.

Na verdade, Mickey viu pelo que Riku passou, e sua transformação final, e então, foi obrigado a prometer que nunca revelaria nada ao Sora. Com isso, ambos se separaram e enquanto Riku ficava dando suporte ao amigo pelas sobras, envergonhado, Mickey ajudava Sora um pouco mais próximo.

Acontece que mesmo depois de acordado, Sora não tem contato com seus amigos. Riku e Mickey precisam manter o disfarce para proteger Sora das sombras. No caso de Riku, ele nem se arrisca a se aproximar, por medo de ser descoberto pelo próprio Sora (o que o deixaria bem confuso afinal, ele estava com o rosto de Ansem-Fake), mas Mickey já fica bem mais próximo.

Por exemplo, quando da game-over em chefões no começo do jogo, Mickey aparece como aliado para Sora. Nesses momentos, ele estava observando o garoto, de perto, mas escondido. O legal é que Mickey é um dos alvos de busca de Sora e os outros, que estavam atrás do Rei e Riku, e talvez até ajudaria se ele simplesmente aparecesse e explicasse tudo de uma vez.


Mas, como Mickey e Riku haviam raptado Roxas, era um risco grande de mais aparecer ao lado de Sora, e Mickey queria evitar transtornos. A Organização estava na cola dele, e poderia de alguma forma prejudicar o garoto se descobrisse que ele estava bem novamente... estranho que mesmo com todo o esforço de Mickey, tudo não passava de um grande plano da própria Organização...

Observação: Mickey é um Keyblader, como Sora.

Yen Sid


Por fim, Yen Sid, um mago da Disney que é também mestre de Mickey, aparece de forma especial, para ajudar Sora a entender tudo o que ele passou.

Mickey surge pra Sora brevemente e o encaminha ao Yen Sid, que por sua vez iria contar tudo o que ele precisava saber. O mago explica sobre a presença dos Sem-Coração ainda eminente nos mundos, mesmo com Sora tendo lacrado eles.

Ele explica que existem caminhos nas trevas que conectam os mundos, e de alguma forma os Sem-Coração estavam atravessando esses caminhos. 


Explica que existe a outra raça, nascida dos Sem-Coração, mas no mundo do vazio, que são os Incorpóreos.


E fala da existência dos misteriosos membros da Organização XIII, sem mencionar que Sora já tinha destruído alguns deles (pra não deixa-lo confuso).

Com isso, ele diz que Sora precisa tomar cuidado com esses caras, e explica que ele terá uma jornada ainda mais complicada e perigosa que a anterior. De fato, Sora acaba repassando por vários mundos, e enfrenta o dobro de inimigos, além de descobrir que era apenas uma ferramenta para os planos maléficos da Organização XIII.

                                                                                                                                                                   
            Aliados            
                                                                                                                                                                   

Como mencionado, Donald e Pateta são os aliados padrões do jogo, mas, existem vários outros que surgem em seus mundos específicos, e alguns que são bem especiais.

Eu falarei deles quando explicar os mundos, acho que ficará mais claro, porém tem 2 aliados que preciso falar com antecedência:

Mickey




Pois é, o Rei Mickey finalmente ta no grupo! E pra variar, ele é controlável! Mas apenas em uma situação muito específica.



Durante uma parte do jogo, a primeira viagem do protagonista pelos mundos, enquanto Mickey está desaparecido, ele faz questão de aparecer pra ajudar o grupo, se der Game-Over.



Acontece que quando se perde, o jogo costuma retornar pro último ponto salvo, porém, durante essa parte do jogo, Mickey oferece sua ajuda anonimamente, surgindo caso o jogador decida "Não Desistir", em lutas contra chefes.



Então, Mickey se torna controlável, e faz ataques com sua Keyblade e Atira Luz, mas seu principal efeito é restaurar a energia do protagonista caído, que nem nota que ele esteve la.



Não é possível derrotar os chefes como Mickey, mas da pra enfraquece-los golpeando enquanto carrega a energia necessária (parecida com Turbo) pra ressuscitar o protagonista, assim facilitando a luta quando ele retorna.

Riku



O eterno amigo do protagonista surge no final, e forma uma das alianças mais iradas possíveis.



Ele é fortíssimo, e todos seus golpes são sincronizados, além dele portar sua própria Keyblade.




Alias, com aliados provisórios, a habilidade Limite fica ativada, e da pra fazer golpes combinados bem irados com eles. Mas falarei depois...



Detalhe que Riku também acaba sendo controlável em um pequeno trecho, na última batalha. Mas é algo muito breve.

                                                                                                                                                                   
            Mundos            
                                                                                                                                                                   

Os mundos de Kingdom Hearts são baseados em filmes da Disney, e alguns são originais do próprio KH. O interessante é que os personagens de KH passeiam pelos mundos dos filmes, interferindo diretamente nos eventos e alterando a história. Ainda assim, normalmente, as histórias começam de uma forma semelhante as suas versões originais, e passam a divergir por inteiro apenas quando os vilões conseguem interferir. Logo, os heróis tentam resguardar esses mundos, mesmo sem terem ciência das versões originais das histórias, e é interessante conhecer pelo menos o enredo base de cada universo visitado.

Sempre tem referências, as vezes com o mundo inteiro, as vezes apenas com personagens, mas vou aproveitar esse momento pra comparar algumas das histórias. Na verdade, mencionarei as histórias originais de forma bem resumida, pra que na hora que a história do jogo seja contada fique mais fácil assimilar. Alias, alguns mundos são repetidos do primeiro jogo, apesar de trazerem novas histórias, então no caso deles só irei citar mesmo.

100 Acre Wood




O Livro do Ursinho Pooh é um desses mundos repetidos. Ele retorna, com as páginas rasgadas outra vez, que consequentemente faz com que Pooh esqueça de todos seus amigos, incluindo o protagonista.

Esse mundo traz alguns personagens que não apareceram no primeiro, mas sua base é a mesma de sempre. As histórias do ursinho Pooh sempre se passam num livro, que fala do ursinho e seus amigos vivendo aventuras simples, mas repletas de imaginação, com as vezes a participação de um garoto do mundo real, chamado Christopher Robin, que acaba se imaginando nas histórias, junto com os animais. Em KH, passar pelo mundo dele é o mesmo que entrar num puzzle, pois todos os capítulos/páginas se resumem a um mini-game divertido e bem interativo.

Uma curiosidade: A Disney entrou numa onda de criar Live Action de seus filmes antigos, e Ursinho Pooh é um deles. Curiosamente, o filme fará o oposto do que as histórias de Pooh mostram, onde ao invés de Christopher entrar nos livros, os personagens saem para o mundo real, buscando por ele, que já é um adulto. É uma ótima explicação pra eles parecerem tão assustadoramente reais.



Nesse mundo, Pooh é o aliado de Sora, mas de uma forma um pouco diferente. Não há especiais, nem batalhas, apenas brincadeiras mesmo, e Pooh sempre se atrapalha sendo preciso protegê-lo.




Tem um momento em que os outros amigos de Pooh viram os aliados, mas Sora que precisa cuidar deles. Todos são muito inocentes e vulneráveis.

The Land of Dragons




Esse mundo é novo, e é baseado no filme "Mulan" (1998). A história dele fala de uma jovem garota que acaba se alistando no exército chinês, no lugar de seu pai, disfarçada de homem (pois mulheres eram proibidas). 

Mas na verdade é uma grande história de amor. Eu resumi ela previamente em outro post, e sim, tudo foi com o propósito de diminuir o conteúdo desta postagem. Se quiser saber um pouco mais, clique abaixo...


https://divulgantemorte.blogspot.com/2018/07/reviewmorte-mulan-1998.html#more


A história em KH é quase a mesma, porém ela sofre com a interferência dos heróis, e dos vilões, ao ponto do final mudar. Ainda assim, os aliados que Sora encontra nessa parte são Mulan e Mushu, juntos.

Mulan, tanto como Ping ou como ela mesma (dependendo do momento) auxilia em batalha, enquanto é treinada. Ela é inclusive bem mais forte que no filme, pois Sora ajuda ela com seu treinamento.



Mushu aparece nos especiais em conjunto com ela, onde Sora e Mulan passam a flutuar juntos, e Mushu lança bolas de fogo e rojões pra todo lado.

Beast's Castle




Em Kingdom Hearts 1, tanto Fera quanto Bela já apareceram, mas na história eles haviam saído de seu mundo, por causa de Malévola. Dessa vez, Sora vai até seu mundo, conhecendo melhor a situação do casal. Eu tive de assistir e resumir o filme, caso você não conheça, recomendo que assista, ou pelo menos leia meu resumo (ta bem detalhado) clicando abaixo:

Bela e a Fera (1991)




Em KH2, a mesma história é explorada e modificada, de forma bem sutil. Quase a mesma trama ocorre, porém as intervenções dos heróis e vilões criam situações bem inéditas. Só pra começar, Fera e Bela já se gostavam, pois a jornada de Fera pra recupera-la conquistou seu coração, só que Fera não evoluiu tanto assim, e ao invés de ter se tornado um ser mais gentil, ele ainda é bruto pra caramba... Uma nova forma do amor de ambos florescer é necessária.

Nesse mundo, Fera é o Aliado de Sora, fazendo combos de luz e ataques brutais. Ele é bem forte, mas também há um aliado provisório, que é usado na luta contra o Fera (pois é, ele é um dos chefões por causa de sua agressão). 



Esse aliado temporário é o Relógio, que tem um poder especial de acalmar o Fera, com seu despertador. É algo provisório mas é importante citar.

Olympus Coliseum




Todo KH conta com esse mesmo mundo, sempre, e curiosamente ele nem existe de fato no filme. O Olimpo é o monte dos deuses, e o Coliseu seria um local onde as pessoas assistem as batalhas de Hércules. Esse Coliseu já é uma grande alteração feita no mundo do Hércules, que ocorreu bem no passado, e causou profundas alterações na história original, algo visto através de todas as aventuras de KH, mas iniciado em Birth By Sleep. Eu recomendo que leia meu resumo do filme clicando abaixo:

Hércules (1997)




Aqui, ocorre aparentemente o desfecho, com base no que acontece no filme. A grande vontade de Hércules é virar um herói Verdadeiro, pra conquistar seu lugar ao lado dos deuses, como um deus novamente. Só que tudo é diferente do que acontece no filme. Primeiro que Hércules já conheceu e enfrentou Hades, e sua "namorada" só aparece pela primeira vez aqui. Feras que ele enfrentaria, ideias que ele teria, e até consequências são totalmente diferentes, e explicarei melhor depois.

O aliado desse mundo, é um personagem de Final Fantasy, e as vezes o próprio Hércules.



Porém, Hércules não chega a entrar no grupo, sendo mais como um auxiliar em batalha.




Outro que se torna um aliado, é o Pégasos, também presente pela primeira vez, mas ele é apenas uma montaria de uma finalização em um chefe.

Disney Castle




O Castelo da Disney é o reino de Mickey. Ele é visitado pois acaba ficando em perigo, por algo que Malévola e Bafo fazem. 

Existia, no fundo do castelo, algo que protegia ele das trevas e impedia a invasão dos Sem-Corações, mas esse objeto, chamado Pedra Angular, acaba perdendo seus poderes do nada.

O Castelo era plenamente seguro, mas acaba sendo tomado pelos Sem-Corações, até que Minnie convoca Sora e Merlin pra ajudarem.

Esse é um mundo próprio de Kingdom Hearts, e tem algumas referências de outros filmes Disney, mas nada que altere qualquer história.



Alias, Minnie meio que é uma aliada aqui, recebendo suporte e trocando proteção com Sora. É interessante ver o quão poderosa ela é, em seus ataques de luz, mesmo sendo uma rainha bem pequena e aparentemente vulnerável, ela se garante.


Timeless River



Bafo acaba criando um portal que leva pro seu próprio passado, só com seu desejo e memórias. Esse portal, que atravessa a linha do tempo, leva para o momento em que Bafo se converteu em "vilão"... aparentemente.

Na verdade, tudo retorna pra meados da década de 30, mas especificamente pra história "Steamboat Willie". Nessa história, Mickey era um ajudante de Bafo, trabalhando pra ele em seu barco, onde ele acaba causando algumas confusões. Só que, as coisas mudam muito, pois o barco é roubado! E sem o barco, não há história.

Além disso, outras histórias são afetadas, e cabe a Sora e seus amigos ajudarem Mickey a salvar sua própria história. 

Não há aliados nesse mundo, tirando o próprio Bafo, mas ele é meio controverso. Sua versão antiga, apesar de causar danos na sua versão recente, também pode empurrar Sora e atrapalhar em batalha, pois ele pensa em lutar sozinho... isso é meio complicado.



Porém, Mickey sempre aparece por ai, agradecendo pela ajuda em salvar suas histórias.

Um detalhe importante pra citar, é que Sora, Donald e Pateta acabam sendo afetados pelo mapa e se transformando em desenhos antigos de si mesmos. No caso de Pateta e Donald, eles assumem seus formatos da época, mas Sora é inédito nesse sentido.

Já Bafo, apenas fica Preto e Branco. Ele não se transforma em sua versão antiga.

Port Royal




É a primeira vez que isso acontece em Kingdom Hearts, mas esse mundo é baseado num filme com pessoas de verdade, não numa animação. Trata-se do primeiro filme da franquia Piratas do Caribe, e por incrível que pareça, a interação de Sora com os personagens é bem convincente e fiel, tanto graficamente, quando em história... alias, resumi o filme previamente, se você não conhece, leia clicando a seguir:

Piratas do Caribe: A Maldição do Pérola Negra (2003)




"Port Royal" é um dos pontos mais importantes do filme, uma cidade portuária onde o Governador e o exército ficam. Detalhe que, no filme, essa cidade é arruinada pelos piratas, mas no jogo, ela chega a ser protegida e salva graças a Sora. Partindo daí, muitos eventos parecem iguais, mas sofrem mudanças bem importantes que contribuem para um desfecho muito diferente da obra original.

Jack Sparrow, o protagonista mais carismático do filme, é o aliado de Sora. Ele ajuda com sua esgrima impecável e explosivos, além de ter um especial com um baú mágico que faz todo mundo voar.



É triste que não tem lutas no mar com navios (seria louco!) mas, tem pelo menos viagens e alguns combates com os navios servindo de ringue.


Agrabah




De volta a terra de Aladdin, Sora acaba entrando no segundo filme, que é uma miséria. Fui forçado a assistir e resumir, e eu não recomendo pra ninguém, mas leia o artigo pra saber do que o filme fala:

O Retorno de Jafar (1994)




A sequência conta como Iago saiu da lâmpada, e como Jafar foi morto. Sora acaba chegando bem no momento que Iago já saiu, e substitui Aladdin no inicio da trama. As coisas mudam drasticamente dai em diante, e o desfecho se resume a Sora lutando contra Jafar... mas explicarei melhor depois.

Iago, apesar de ser o centro dessa história, não é o aliado. O Aliado mesmo é Aladdin, que surge com uma habilidade nova de dar dinheiro pra todo mundo (baseado no que o filme mostra kkk). Ele tira bastante grana dos inimigos ao atacar.



Além disso, tem seu especial de ataques rápidos e sincronizados com Sora.




Outro pseudo-aliado é o Tapete Mágico, que rende alguns momentos bem irados de viagem e batalha no ar, e o Gênio, mas ele é uma Invocação, e depois falo delas.

Space Paranoids




Esse é um mundo original também, baseado no filme "Tron". Nele, é contada a história de um cara que é transportado pra dentro de uma rede de computadores, e passa a interagir com programas de aspecto humano, enquanto enfrenta jogos virtualmente mortais! 

Eu fiz um resumo prévio, se não conhece a história recomendo que leia pois há muitas mudanças feitas em KH que eu irei comparar. Detalhe que, esse também é um filme com pessoas reais!





Alias, em Kingdom Hearts, os eventos desse mundo são posteriores ao filme, e também, são completamente originais, apesar de trazerem eventos muito, mas muito semelhantes. Tudo ocorre por causa de um "protocolo de repetição", mas explico depois.


Sora faz aliança com Tron nesse mundo, que usa seu disco pra atacar os inimigos.



No especial dele, por um tempo, Sora assume a posição de Usuário e reprograma todo o sistema, com auxílio de Tron, e ambos varrem os inimigos do mapa com um monte de trapaças virtuais.

Halloween Town




A cidade do Halloween é revisitada, e dessa vez a história é a mesma do filme, ou pelo menos o que sobrou dela. Acontece que com a interferência anterior, algumas consequências do filme acabaram diminuindo. Dessa vez eu resumi o filme inteiro em um post prévio, se quiser ler, só clicar abaixo:

O Estranho Mundo de Jack (1993)




A história é quase a mesma, porém, o principal propósito do filme acaba alterando. Jack não chega a arruinar o Natal, mesmo tentando. E olha que, vários elementos originais são resgatados, como o Bicho Papão que é ressuscitado mas, nada disso interfere na história ao ponto de devolve-la aos trilhos. 

O mais interessante, é que aqui Jack conhece Papai Noel bem antes do que originalmente, e ao lado de Sora, eles até que se dão bem. E também, ocorre a visita ao mundo do Natal, e Sora é trajado adequadamente com seus amigos. Como em Halloween, eles automaticamente se disfarçavam de monstros pra se misturar, só de pisar no mundo do Natal eles se disfarçam de criaturas natalinas e é... legal...

E bem, o aliado de ambos os mundos (que fazem parte do mesmo) é o Jack, seja com sua roupa normal ou seu uniforme de Papai "Cruel". Seus movimentos são os mesmos sempre, e ele dança com Sora, fazendo coreografias letais.


Pride Land



Esse é o mundo do Rei Leão. Simba, a invocação que surge no primeiro KH, veio desse lugar.


Só o fato dele ser invocado já altera a história do filme completamente, mas ela ainda tem algumas semelhanças então, como sempre, se quiser o resumo do filme, só clicar no link abaixo:

O Rei Leão (1994)




Em KH2, a história desse mundo se passa durante os eventos do filme, durante a fase adulta de Simba.

Inclusive, o aliado dessa parte é o próprio Simba, com seus poderes de rugidos e ataques rápidos e sísmicos.




Ainda assim, o destaque mesmo vai pras formas de Sora, Pateta e Donald, que se convertem em animais para interagirem com esse mundo. Sora ganha muitos poderes exclusivos dessa forma. Até um dos vilões assume uma forma animal nesse mundo... apesar disso não ocorrer em nenhum outro.

Atlântida




Esse também é um mundo revisitado, mas ele ta bem diferente. Primeiro que agora ele não tem inimigos, e mesmo Sora nadando e tal, como no estilo anterior, o foco agora são musicais, seguindo um pouco mais a ideia do filme. Alias, resumi o filme inteiro:

A Pequena Sereia (1990)




Diferente da primeira visita de Sora, agora ele realmente passa pela história de A Pequena Sereia, com direito a ela se apaixonando e tentando sair do mar. Praticamente tudo segue a mesma ordem original, porém Sora substitui o Sabidão na trama, além de ajudar num monte de passagens mal explicadas originalmente, por exemplo, ele quem move a estátua do Príncipe Eric, e só pra isso é um episódio inteiro.

Detalhe que esse mundo é "episódico", mas num sentido diferente daqueles jogos da Telltale. Aqui, é preciso visitar várias vezes, bem mais que os outros mundos, a cada habilidade pré-requisitada obtida. Isso significa que, pra finalizar esse mundo, tem que terminar todos os outros. 

Cada passagem por ele porém, não é uma batalha, mas sim um desafio musical. Sora e seus amigos dançam e cantam em coreografias especiais, e o jogador precisa apertar os botões certos, num estilo parecido com Guitar Hero, porém sem teclas, e sim Quick Times.



Como não há batalha, não há aliados, mas, a história toda segue a original de Ariel, com direito a luta final contra Úrsula, no formato de uma música coreografada!

Twilight Town




Esse é um mundo original, no qual o jogo começa. Ele é aparentemente normal, sem criaturas nem seres de outros mundos, isso no inicio. Mas não demora muito até coisas incomuns começarem a acontecer, como palavras serem sequestradas, e seres finalfantasyanos surgindo.

Esse mundo, na verdade, é uma versão digital de um mundo que existe, e ambos acabam sendo visitados ao longo do gameplay. 

Existem pessoas vivendo nele, e existe um tipo torneio no qual grupos de lutadores se inscrevem pra conquistarem um troféu único. Mas, como há duas versões dessa cidade, existem duas versões desse troféu, e quando isso é descoberto, tudo fica bem confuso pra todos.

Mas calma, eu explicarei depois...

Hollow Bastion




Aquele mapa final, onde Malévola tinha se instalado, e era um castelo todo maluco, agora virou uma cidade. Na verdade, vários habitantes de outros mundos voltaram pra ele, pra reconstruir uma cidade a muito esquecida. 

Hollow Bastion já foi Radiant Garden, mas ninguém se lembrava por causa de algo que fez todos esquecerem e desaparecerem. Muitos dos habitantes de outros mundos, que foram pra la sem lembrar de onde saíram, vieram de Radiant Garden, e depois que Sora ajudou a purificar o local, ou pelo menos liberar ele do mal de Malévola, muitos acabaram recuperando parte da memória e voltando.

A cidade ainda está em processo de reconstrução e as pessoas não se lembram totalmente, nem mesmo do nome original, mas se lembram que pertenciam a la, e tentam protegê-la contra as hordas de inimigos que invadem, ao mesmo tempo que tentam reergue-la, e estudar seu passado. 

Sora acaba visitando essa cidade várias vezes, como centro de sua viagem, e é nela que muitas das grandes descobertas ocorrem.

The World That Never Was




Esse é um mundo que não existe, como o nome sugere. Ele pertente ao mundo das trevas e é basicamente, a terra pra onde tudo o que deixa de existir, vai. Esse mundo é povoado pelos inexistentes, mas apenas por aqueles que mantém sua racionalidade, ainda assim, é algo meramente simbólico e bem vago, pois eles não existem de verdade, apenas fingem.

É aqui que a nova ordem de vilões passa a surgir, mas alguns deles acabam aparecendo na fronteira dos mundos. Existem alguns mundos que ficam na beirada da luz e escuridão, como por exemplo a Cidade do Crepúsculo, e existem atalhos nas sombras que conectam todos os mundos com o mundo que Não Existe. Mas, todos os seres inexistentes pertencem unicamente a esse universo e sempre retornam pra ele.


É também nesse lugar, que Kingdom Hearts reside.

Sora acaba tendo de visita-lo no final, onde seu aliado é Riku.

Fim do Mar




E pra finalizar, no mais profundo da escuridão, existe um lugar onde todos os esquecidos e perdidos nas trevas sempre vão parar, com a mente sendo consumida pelas sombras. Esse lugar é chamado de "Fim do Mar" (End of Sea) e já apareceu antes em outros jogos. 

É nesse lugar que Aqua acabou presa, e também é aqui que Ansem, o Sábio, ficou preso. No fim... bem... eu vou contar depois.

                                                                                                                                                                   
            Personagens Secundários            
                                                                                                                                                                   

Pessoas da Cidade do Crepúsculo
(Twilight Town)

Olette, Pence e Hayner



Esses são os amigos de Roxas, na versão digital de Twiligth Town. Acontece que para proteger Roxas até Sora estar preparado, DiZ criou a versão digital e la, fez ele conviver com as versões digitais de pessoas que realmente existiam em Twilight Town. Ele cria um vinculo profundo com esses três, que se tornam seus grandes amigos.

Porém, a versão verdadeira deles não tem qualquer vínculo com Roxas, o que deixa as coisas um pouco confusas quando por exemplo, Sora surge na Twilight Town verdadeira e interage com eles, e eles nem notam qualquer semelhança com Roxas, ou mencionam o amigo sumido. Como os verdadeiros não conheciam ele, não há nada pra mencionarem. 

Mas, Sora sente o que Roxas sente, e na primeira despedida deles, ele chora.


Um detalhe é que, Olette havia criado uma bolsa pra ela mesma, e Sora tinha uma bolsa idêntica, o que os ajuda a perceberem que havia uma versão alternativa da cidade, e deles. Com isso, os garotos mesmos ajudam Sora a encontrar e acessar a Twilight Town Copiada. 

Essa bolsa é entregue pra Sora por Mickey, tirada de Roxas por Riku e DiZ, numa tentativa de impedi-lo de avançar para locais que eles não conseguiam projetar no mundo digital.

Grupo de Seifer



Seifer é um rival de Roxas e sua equipe, que fica disputando com ele, principalmente em um torneio de Twilight Town. Existe a versão no mundo digital, e a versão real, ambas partilhando das mesmas características (mas no mundo real, Seifer e seu grupo rivalizam com o grupo de Hayner nas disputas, sem a existência de Roxas). Entretanto, diferente do outro grupo, esse é formado por personagens Finalfantasyanos. 

Seifer, Rai e Fuu são personagens oriundos de Final Fantasy 8, o mesmo Final Fantasy de onde o Leon (aliado de Sora em outro mundo, depois relembro ele) veio. Só que, diferente de Leon, suas aparências físicas foram alteradas e infantilizadas, semelhante ao que ocorreu com os personagens de Final Fantasy 10, que viviam na ilha de Sora. 



Aqui, eles estão na adolescência, como Roxas e os outros. Detalhe que, no jogo original (FF8), a história começa com adolescentes numa escola, então isso foi adaptado de certa forma. Seifer, Raijin e Fujin (os nomes originais) eram vilões, rivais do grupo de heróis do jogo, que andavam juntos e até aparecem como chefes (pois é, Leon os enfrenta).

Vivi, que faz parte do grupo de Seifer, tanto no mundo digital quanto no real, é do Final Fantasy 9. 



Nesse outro jogo, Vivi era um mago artificial, construído para servir aos vilões, mas que desenvolveu personalidade própria e não recordava suas origens. Ele age como uma criança, e se une ao grupo de heróis, até descobrir toda a verdade sobre seu ser. Ele lembra um pouco Roxas no grupo...


Setzer



Por fim existe um cara que eu jurava que era um vilão, ou uma versão disfarçada de Ansem, mas na verdade é um personagem vindo de Final Fantasy 6. Seu nome é Setzer, e ele é o campeão dos torneios de luta de Twilight Town. Ele aparece no mundo digital como o oponente final de Roxas quando tenta conquistar a Taça do Torneio, mas praticamente nada é revelado sobre ele. 

Ele aparece em sua forma adulta, perfeitamente adaptada de sua versão original. Em FF6, ele era um dos protagonistas, um Apostador e Aviador, elegante e com tendências a mulherengo.



É mais ou menos assim que ele aparenta em KH, sendo o grande vitorioso do torneio, orgulhoso por sua conquista e que chama a atenção de todos, além de ser famoso, como um grande artista. 

Habitantes de Hollow Bastion

Grupo de Leon




Então, não entrarei em detalhes quanto ao Leon e os demais, pois já falei deles no primeiro KH, mas em resumo, Leon é um personagem tirado de Final Fantasy 8, o protagonista alias, Yuffie, Cid e Aerith são personagens tirados de Final Fantasy 7, todos unidos em um grupo de habitantes que existiam em Traverse Town.



Porém, eles agora migraram pra Hollow Bastion, depois de Sora ter limpado esse mundo, e estão tentando reconstruí-lo, sem saber exatamente porque. A questão é que eles são habitantes de Hollow Bastion, mas perderam suas memórias dessa época. Alias, "Hollow Bastion" é o Reino de Kairi e Ansem, só pra lembrar.

Cloud




Detalhe que Cloud também foi pra Hollow Bastion. Ele é um personagem de Final Fantasy 7, mas não estava no grupo de Leon em KH1. Entretanto, ele tem um vinculo profundo com Aerith, algo que ele finalmente menciona ao encontra-la em Hollow Bastion.

Ambos conversam, e fica entendido que Cloud sempre viaja pelos mundos, razão pela qual estava la no mundo do Hércules no primeiro KH, mas ele pertencia ao mesmo grupo de Leon, e já havia estado com Aerith antes. 



É bom ver que pelo menos nesse universo, Cloud e Aerith ficaram juntos...

Sephiroth




Ele apareceu no primeiro jogo como um chefe do mundo de Hércules, secreto e opcional. Mas, aqui ele faz parte do elenco coadjuvante, e também é um chefe opcional.

Cloud procura por ele incansavelmente agora, e é uma missão do jogo encontra-lo, desafia-lo e derrota-lo em nome de Cloud. Mas, em uma cena, Cloud chega a confrontar Sephiroth, acusando ele de ser "Seu lado mal".

Pois é, Sephiroth é um vilão, o principal vilão, de Final Fantasy 7. Ele era um soldado exemplar no passado, mas que se corrompeu. Cloud é quase como ele, tecnicamente, sendo um soldado exemplar de sua época porém, que ainda não se corrompeu. O maior vínculo entre ambos é o fato de Sephiroth matar Aerith, na frente de Cloud, o que alimentou seu eterno ódio, ódio esse que transcendeu as realidades.



Mesmo Aerith estando viva, mesmo Sephiroth não sendo "mal", em Kingdom Hearts Cloud caça Sephiroth para destruí-lo, pois ele representa tudo de mal que há em Cloud... tudo por causa desse passado esquecido.

Tifa




Essa é uma personagem nova, que é obcecada em rastrear um antigo amigo. Ela aparece fuçando as coisas e perguntando se alguém viu um cara de cabelo espetado, e apesar de fazer parte do grupo em Hollow Bastion, ela aparece sempre sozinha.

Tifa veio de Final Fantasy 7, e é uma das aliadas de Cloud. É justamente por ele que ela procura tanto. Na história original, Tifa havia reencontrado Cloud depois de muitos anos, e eles eram amigos de infância. Ela era uma rebelde em relação ao império que existia, e convence seu amigo a se aliar a ela. 




Ela é tipo uma mãe, bem bruta e agressiva (nem usa armas pra lutar) e é obcecada por Cloud.

Grupo de Yuna




Um trio de fadas, seguidoras de Malévola, surge no caminho de Sora. Apesar de inicialmente se apresentarem como inimigas, elas são meio que contratadas da vilã, e nem chegam a oferecer qualquer perigo pro herói.

Posteriormente elas se aliam, de forma indireta, mas o mais interessante é ver que as três pequenas fadas são na verdade, finalfantasyanas, vindas do mesmo jogo daqueles amigos de Sora na Destiny Island. Porém, elas sofreram outro tipo de mudança física, onde ao invés de serem rejuvenescidas, foram de humanas, pra fadas.

Yuna, Rikku e Paine são três amigas, que formam um grupo na continuação de Final Fantasy X, o X-2. Nessa continuação, ao invés de Tidus (o amigo de Sora rejuvenescido) ser o protagonista, Yuna, que era uma aliada no FFX, quem se torna a principal. 

O segundo jogo é bem diferente do primeiro, tanto em enredo, quanto sistema de batalha e principalmente, contexto dos eventos. Tipo, Yuna montou um grupo de Caçadoras de Recompensas que viaja pelo mundo buscando Esferas. Detalhe que, o principal movimento e destaque desse segundo jogo é a capacidade de Yuna e suas amigas se transformarem, mudando suas roupas e conquistando diferentes habilidades.


Curiosamente, elas estão aqui, mas como fadinhas. Se isso tem a ver com as 3 Fadas da Bela Adomercida, isso não sei dizer, mas olha que curiosíssimo: Elas foram contratadas por Malévola, que é da mesma trama de Bela Adomercida, e foram as Fadas da Bela Adomercida as responsáveis pela criação da roupa mágica de Sora, que permite que ele se transforme pra ganhar poderes. Será que Malévola as amaldiçoou com essa forma de fada para servi-la, num tipo de acesso de inveja com relação as outras fadas? Será que ela queria trajes como o de Sora pra si? 

Personagens Disney

Em Hollow Bastion também haviam habitantes Disneyanos, tendo eles retornado por instinto quando a cidade foi libertada das garras dos vilões. 

Tio Patinhas, Huguinho, Zezinho e Luizinho




A família de Donald quase que inteira vive em Hollow Bastion, apesar de sua esposa viver no castelo da Disney, em outro mundo. Enquanto seus sobrinhos são comerciantes, vendendo acessórios e roupas, seu tio rico é um fabricante de Sorvetes.

Eles todos apareceram em Birth By Sleep, onde a cidade ainda existia, e la tinham basicamente as mesmas funções. Aqui, eles tentam fazer o mesmo do passado, mesmo sem muita certeza. O destaque vai pro tio Patinhas tentando fazer o "Sorvete de Sal Marinho", que é uma iguaria de sua cidade, mas que se perdeu quando ela foi apagada da memória de todos.

Stitch



Ele aparece meio que perdido em Hollow Bastion, e causa algumas confusões, mas ele é um personagem originário de outro mundo, que é mostrado em Birth By Sleep.

Ele se converte num aliado de Sora, e sua participação em KH2 é meio que um preview do que viria em Birth By Sleep (que saiu depois, mas eu já analisei).

Malévola e Bafo




Por fim, o castelo em Hollow Bastion era de Malévola no jogo anterior, mas ela foi morta em batalha. O que os heróis não sabiam é que ela tinha um seguidor, do universo da própria Disney, do mundo do Mickey mesmo, o Bafo.

Ele também é apresentado la no Birth By Sleep, então não falarei dele, mas com relação a Malévola, ela retornou graças a sua magia negra. Não é explicado exatamente como, mas ela sentiu a energia das Fadas fabricando a roupa pra Sora, e com ajuda de seu corvo, se aproximou delas, se restaurando.


Mas, ela não é uma vilã, pelo menos não totalmente. Ela chega a causar problemas pra Sora em sua nova jornada, mas no fim, vira um tipo de aliada indireta, em busca de um novo castelo. Alias, ela consegue um castelo bem melhor...

Turma do Pooh




O elenco de Pooh é o mesmo do jogo anterior, porém, tem personagens novos (que Sora reconhece como se tivesse conhecido antes... vai entender!) São eles a mãe do Guru, a Can, e o Castor Roque-Roque, que fala assoviando.

Tirando isso, sem novidades.

Povo de Mulan




No mundo de Mulan, aparecem os 3 soldados que se convertem em grandes amigos dela na história original, mas aqui dão seu lugar a Sora, Donald e Pateta. 

Além disso, tem o Imperador, e o Capitão, fazendo os mesmos papeis originais.


Porém, o Capitão passa a responsabilidade de treinar Ping (Mulan disfarçada) pra Sora, que conseguem torna-la bem mais poderosa que o normal.


Alias, vacilaram pois podiam ter colocado Sora, Donald e Pateta vestidos de mulheres na segunda parte da aventura, considerando que eles substituem os amigos de Mulan no filme original.

Moradores do Castelo da Fera

Armário, Relógio, Luminária, Chaleira e Taça de Chá.



No mundo de fera, além dele e da Bela, aparecem os Objetos Falantes.


Eles são os servos de Fera pegos pela maldição, e chegam a andar lado a lado com Sora em alguns pontos. Inclusive, há uma batalha em que o Relógio é um tipo de aliado pra Sora.

Bela




Agora ela é apenas uma coadjuvante, da história de Fera, mesmo sendo uma das 7 princesas, ela não é alvo de ninguém dessa vez.

Curiosamente, no jogo anterior ela foi levada pra Hollow Bastion, o que fez Fera ir atrás, o que por si só já alterou bastante sua história original. Mas, coisas do filme foram adaptadas, como a paixão de Bela por bibliotecas, que a conduziu pra biblioteca de Hollow Bastion.

Algo que não fica claro entretanto, é o que mantém Bela no castelo de Fera. No filme, ela estava la por causa do acordo que fez pra libertar seu pai, mas ela tenta fugir quando possível. Porém, aqui, ela simplesmente quer ficar com Fera, quer fazê-lo ser mais amigável e amável, e quando ela é expulsa, fica até mal. 

Creio que ela se apaixonou por Fera bem antes do que ocorreu no filme, por causa do sequestro, e só esse detalhe já muda muita coisa.

Elenco do Hércules



Phil, Hércules e Hades já são figuras carimbadas, e tão de volta, e não tenho nada a acrescentar.

Pégasos e Meg




Mas, existem personagens do filme que surgem só agora (Hércules parece ter material de sobra!), sendo o Pégasos e a Meg. Pégasos é uma montaria que Hércules ganha de seu pai, e Meg é uma garota por quem ele se apaixona.

Só que suas histórias mudaram um pouco. Na verdade, Meg era uma serva de Hades, ela vendeu a alma pra ele, mas após ter se apaixonado por Hércules acabou se aliando a ele e se libertando de seu pacto... mas ela tem todo seu segredo revelado. Aqui, ela continua um mistério.

Pégasos por outro lado, é um amigo de Hércules desde sua infância. Mas, eles se separam por alguns anos até ele crescer e procurar por Zeus pela primeira vez. Aqui, Hércules só aparece com Pégasos nesse jogo, o que sugere que eles tenham se reencontrado bem depois do que ocorreu no filme.

Além deles tem também um finalfantasyano novo no mundo dele, dessa fez um "vilão" que se converte em mocinho...

Auron




Ele é um "não enviado" do universo de Final Fantasy 10. Nesse Final Fantasy, os monstros são basicamente "zumbis espirituais", de pessoas que morreram mas não passaram pelo ritual para que suas almas descansassem, e viraram criaturas malignas que invejam os vivos. Porém, as pessoas com vontade forte mantinham suas formas humanas, e isso é o que ocorre com Auron.

Ele morre antes mesmo da história de FF10 começar, na luta contra aquele que seria o chefe final, mas seu espírito vira um não enviado e ajuda os descendentes daqueles que o acompanharam na batalha, a lutarem sua própria batalha.

Sua natureza, maldita e impura, era contrária a sua personalidade. Ele era o guardião do grupo, o conselheiro, o tutor de todos, e quando o fato dele na verdade ser um morto vem a tona, é um choque pra todos. 



Em Kingdom Hearts, ele é ressuscitado por Hades, para fins maléficos, e é dito ser "O mais maligno de todos", mas era uma mera confusão de Hades. Auron era um cara fortíssimo, com a mente incorruptível, que foi capaz de se voltar contra "os deuses" para fazer o certo... e ele repete essa ação ao conhecer Sora.

Alias, Auron repete muito uma frase, sobre a história ser dele, e essa frase é a de seu pupilo original, que talvez ele nem se recorde mais, Tidus (o amigo de Sora nas Ilhas do Destino).

Habitantes do Castelo da Disney

Pluto, Minnie e Margarida



No castelo do Rei Mickey, Sora conhece a rainha Minnie, e Margarida a esposa de Donald, além disso tem o Pluto, que é o cachorro de Mickey, mas não é nem de longe parecido com o Pateta (Ambos são cães, mas Pateta fala, enquanto Pluto age como um fiel cachorro mesmo).

Alias, Pluto tem o hábito de ficar viajando entre os mundos, latindo pra estranhos. Dessa vez ele vai parar no mundo de Sora, e ajuda Kairi a escapar da Organização... e sim, eles vão atrás dela.

Tico e Teco




Apesar de aparecerem no Castelo da Disney, esses pequenos esquilos na verdade estavam ao lado de Sora antes disso. Como eles que fazem o controle da garagem da Nave Gummy, sempre que Sora e seus amigos vão pro espaço, pegam uma carona com eles.

Vassouras Enfeitiçadas




Vale mencionar que os funcionários do castelo são as vassouras que Mickey deu vida em "Fantasia", um filme no qual ele e Yen Sid contracenam. Ao que tudo indica, o rei aprendeu a lidar com as atrapalhadas vassouras, e as educou para servirem ele corretamente em seu castelo.

Habitantes da Disney do Passado

Na Disney do passado, não há grandes personagens pra se mencionar, apesar de terem habitantes e tal. O destaque mesmo vai pra Sora, Donald e Pateta, que ficam com a aparência da época, e claro, Bafo e Mickey.

Bafo Antigo



Só que, o Bafo que aparece não é o mesmo vilão que trabalha com Malévola. Aqui, o Bafo que surge é o do passado, quando ele era apenas um capitão de um barco, e é inocente. O verdadeiro Bafo também aparece posteriormente, mas sem a aparência da época, pois a existência desse mundo partiu da memória dele.

Mickey Antigo



O Rei Mickey aparece aqui, na época que não falava, e era apenas um ratinho maroto e trapalhão. Mickey luta pra defender sua terra, onde no futuro o Castelo Disney seria construído, mas ele ainda não era um rei. Esse não é o mesmo Mickey que aparece pra ajudar Sora de vez em quando, e nem da pra invoca-lo nessa parte da história. Esse é o Mickey do passado mesmo.

A versão antiga de Mickey era bem espertinha, maltratava animais (preciso dizer isso, qualquer um que ver as animações antigas vai concordar) e era um tarado pela Minnie. Suas histórias, principalmente as que ele pede pra Sora salvar, contam momentos cruciais de seu relacionamento com Minnie.


A principal (Steamboat Willie) é sobre sua viagem com sua amada, que ocorre no barco de Bafo no qual ele trabalhava. Ele era cargueiro, e no meio de uma festa proporcionada por Mickey, ele leva sua amada pra viajar, tirando Bafo do sério e sendo castigado à descascar batatas como um bom marujo...


A segunda (Building a Building) fala basicamente do período em que Mickey trabalhava em uma construtora, mas de tão atrapalhado e distraído, por causa da encantadora Minnie que vendia lanches, acaba causando confusões e decide abandonar o emprego, pra trabalhar vendendo lanches com ela... e assim ficar mais tempo com sua amada.


A terceira história (Mickey's Orphans) fala de Mickey já morando com Minnie, mas tendo sua casa destruída por órfãos que são abandonados em pleno Natal. Por incrível que pareça, Mickey e Minnie mantém a calma e conseguem confortar os órfãos até deixa-los bem, para aproveitarem o Natal, apesar dos gatinhos serem desastrosos.


A quarta história (The Fire Fighters) fala de Mickey trabalhando no Corpo de Bombeiros, e indo para apagar um incêndio em um prédio, no qual Minnie morava. Ele a salva, e rola o que parece ser o primeiro beijo dos dois.


A última história (Gulliver Mickey) fala de Mickey contando uma história para seus filhos (não parecem ser os Órfãos, pois são ratos, e eu nem sabia que Mickey tinha filhos kkk). Ele conta uma versão da história de "Viagem de Gulliver" com ele no papel de um Gigante sendo preso por pessoas pequeninas, até lutar contra uma aranha gigante. No fim, seus filhos zoam ele jogando uma aranha de verdade e ele fica com medo.



Minnie nem aparece nessa última mas, mano, ela teve filhos com Mickey! De qualquer forma, eu citei tudo isso pois Sora acaba tendo de salvar essas histórias, lutando contra Bafo no mundo antigo, e Mickey, o antigo, aparece para agradecê-lo.

Galera de Piratas do Caribe

Mo mundo de Piratas do Caribe, Sora encontra Will Turner, Elizabeth Swann e o Capitão Jack Sparrow.

Will Turner




Ele é um dos co-protagonistas dos filmes, e é basicamente o centro da primeira história. Ele cresceu como ferreiro, mas é filho de um pirata. Pra piorar o pirata gerou uma maldição e morreu em seguida (foi amotinado), e só o sangue de Will pode reverter tudo. O problema é que Will odeia piratas, e isso dificulta muito o trabalho dos amaldiçoados.

Mas, ele conhece e se envolve com Jack, de uma forma contraditória pra caramba, e ambos acabam se unindo pra derrotar os demais piratas. Só que Will mantém seu ódio por piratas, e inclusive não respeita ou confia em Jack, e isso meio que é lembrado no jogo.

Elizabeth Swann




A filha do Governador, que muda seu nome pra Turner pra se disfarçar quando raptada pelos piratas, e que carrega a última peça de ouro asteca amaldiçoada, é exatamente a mesma aqui. Detalhe que quando Sora e os outros surgem, já ta rolando a invasão a Port Royal pelos piratas, mas ele impede tudo.

Ainda assim, Elizabeth é raptada e a história segue, parcialmente igual.

Jack Sparrow




Toda a história, até o ponto em que os piratas chegam em Port Royal, é semelhante a do filme. Tudo começa a mudar quando Sora aparece, lutando contra Sem-Corações e os piratas. Nesse ponto, Jack já conheceu e lutou contra Will, e já salvou Elizabeth do afogamento. 

Ele é um pirata entretanto, que se une a eles por puro interesse em Will. Suas motivações são as mesmas do filme, mas acabam divergindo pela influência do herói da keyblade.

Barbossa




Ele é o vilão, exatamente como no filme, e também é vítima da maldição. É interessante que em KH, os inimigos se transformam na luz da lua, por causa da maldição, e ficam imortais. É uma adaptação muito louca do que o filme mostra. 

No caso, Barbossa também quer quebrar a maldição, e ta atrás da última peça de ouro e do sangue do Turner, como no filme. O que muda é que Sora impede o massacre a Port Royal, e só pra variar, Barbossa se alia a Bafo, recebendo a força sombria dos Sem-Coração, além de sua própria trupe de Piratas Imortais.

Moradores de Agrabah



O elenco todo do primeiro jogo é repetido aqui, numa história posterior a do primeiro filme, e baseada na continuação em DVD. Mas, todos são apenas coadjuvantes, tirando o Tapete, Aladdin e o Gênio que são aliados de batalha. Jasmine e Apu ficam só de elenco de suporte dessa vez.

Vendedor de Lâmpadas




Porém, há um personagem novo, que aparece no primeiro filme apenas: O Vendedor e Lampadas. Muitos inclusive teorizam que o vendedor seria o próprio Gênio se personificando fora da lampada em que foi preso, para tentar convencer alguém a compra-la, mas vemos que ele é só um coitado que acabou se lascando por sua ganância.

Ele faz um acordo com Jafar após liberta-lo, tem seus desejos de riqueza realizados, sendo tudo isso uma adaptação do enredo do segundo filme de Aladdin. No lugar do capanga com nome esquisito, quem encontra a lâmpada de Jafar é o mercador.

Essa mudança ocorreu provavelmente por causa do desfecho do jogo anterior, com as interferências de Sora na história de Aladdin. Por mais que as coisas tenham terminado de forma parecida, as consequências distorceram todo o elenco da continuação.

Iago



O papagaio de Jafar que no primeiro jogo era só um lacaio qualquer, aqui acaba tendo bem mais destaque. Ele conseguiu sair da lampada, sem explicar como (mas tecnicamente Jafar o tirou) e acaba se deparando com Sora em Agrabah. Com isso, ele pede ajuda pra Sora, pra poder pedir desculpas a Aladdin e aos outros.

Detalhe esse que já difere todo o enredo original da continuação, pois esse encontro seria original de Aladdin com Iago. Isso, faz a história centrar em Iago com Sora, sendo ele a vítima das confusões que o papagaio gera.

Programas de Tron

Nenhum outro programa além de Tron, Sark e MCP aparece.

Tron




Ele é o "anti-vírus" do filme, por assim dizer. Criado para proteger o sistema, ele acaba sendo forçado a lutar contra o sistema pra se libertar e posteriormente, salvar todo o programa. Mas, tudo isso na história original. Em Kingdom Hearts, ele foi transferido pra um novo programa, no sistema de defesa de Hollow Bastion.

Tron entretanto está enfraquecido e limitado, pois apesar de originalmente ter sido redesignado para proteger a cidade inteira dos usuários, alguém acabou transferindo e reativando outros programas nocivos, que ele já tinha derrotado no passado. Então, com ajuda de Sora e os outros, Tron precisa enfrentar inimigos antigos, novamente.

Sark e MCP




Ambos foram reativados e redesignados para corromper o sistema de defesa de Hollow Bastion. Curiosamente, o mesmo que criou, corrompeu o sistema, tudo propositalmente para atrapalhar Sora e os outros (vou explicar depois).

Sark e MCP já foram mortos antes, no primeiro filme de Tron, e eles retornam puxados pela memória do sistema. São postos para enfrentar Tron, e subjuga-lo, mas as coisas saem do controle quando um novo usuário invade o sistema: Sora.

Halloween e Natal

Jack




Ele ta de volta, exatamente como no jogo anterior, porém dessa vez Jack encontrou a floresta dos feriados, e chegou até o Natal, ou seja, ao invés de impressionado pelos Sem-Corações, Jack esta interessado no Natal, como no filme. Porém tudo o que ele passou ao lado de Sora não foi em vão, e sua personalidade ta menos teimosa e egocêntrica.

Zero e Prefeito




Eles aparecem, mas como meros coadjuvantes sem quase nenhum destaque. Zero é o cachorro assombrado de Jack, e o Prefeito é um ser bipolar que vira a cabeça e comanda a cidade do Halloween, mas sempre segue o que Jack, o Rei, diz. Curiosamente, o Prefeito acaba sofrendo algumas mudanças em suas atitudes em comparação ao que faz originalmente no filme, mas explico depois quando contar a história.

Sally




Ela também ta de volta, mas agora apenas como coadjuvante, quase sem destaque algum. Sally e seu vinculo amoroso com Jack já foi estabelecido no jogo anterior, e aqui faz algumas das cenas do filme, como distrair o Bicho Papão com a perna, e costura a roupa natalina pra Jack.

Cientista (Finklestein)




Ele ainda ta tentando construir vida inteligente e sentimental além da Sally, e agora da pra entender melhor de onde vem toda essa obsessão. No primeiro jogo, ele apenas queria construir um robô e tentou dar emoções pra ele com um coração falso, e agora quer construir um a todo custo, mas sem grandes explicações. Detalhe que no filme, ele quer construir uma esposa pra substituir Sally, pois esta vive tentando mata-lo, mas parece que censuraram isso em KH.

Crianças Travessas




Elas aparecem hora como aliadas, hora como inimigas, exatamente como no filme, elas não tem um lado específico, apenas gostam de causar problemas quando podem. Inicialmente, são vistas como assistentes de laboratório pro Cientista, que curiosamente não tem seu assistente (visto no filme) e não pode contar com Sally, mas pede ajuda pra esses encrenqueiros que causam problemas. Posteriormente, acabam se juntando com Malévola, por causa da ressurreição do mestre deles.

Papai Noel




Como a Terra do Natal é visitada, também conhecemos o Santa Claus em pessoa. Detalhe que no filme, ele é omitido inclusive durante o musical em que é mostrado trabalhando, e só aparece de fato após ser sequestrado, interagindo brevemente com Jack, mas bem mais com o Bicho Papão. Aqui, é o contrário, Jack já tinha conhecido o Noel em sua primeira visita a Terra do Natal, e provavelmente pediu autorização pra copiar o Natal (por causa de Sora). Noel até o reconhece de cara, e ambos conversam de igual pra igual, apesar dos sermões ainda rolarem quando ele descobre os planos de Jack.

Bicho Papão




Ele é ressuscitado, pela magia nefasta de Malévola. Mas, ele é burro, e repete os erros que cometeu anteriormente, buscando vingança contra Jack e Sora. Ele faz o mesmo que fez no filme, sequestrando Papai Noel, porém o faz invadindo a fábrica de presentes, na Terra do Natal, com Malévola, e expulsa ela pois não a queria por perto. Ele também descarta Noel, e visa apenas sua vingança, o que é bem diferente do roteiro original.

Animais da Pedra do Rei

Mufasa




No mundo do rei leão, o primeiro rei é Mufasa, mas ele não aparece na visita de Sora. Quando o herói da espada chega, ele já passou pelo evento onde morre, ou seja, até o momento em que Simba se torna adulto, a história do filme é exatamente a mesma no jogo. Mufasa aparece em um sonho de Simba, sobre o acidente que o matou, e também na famosa cena do céu.

Sora acaba sendo um dos possíveis sucessores de Mufasa, pelo menos até ser desbancado.

Simba




O pequeno leão já apareceu nas invocações de Sora no jogo anterior, ou seja, ele já saia de seu mundo antes. Mas, sua história com relação ao filme é quase a mesma, tirando esse detalhe das viagens por invocações, Simba ainda era um leão rebelde em fuga do suposto regicídio.

Ele é um aliado agora, que só aparece no mundo dele, mas passou pelos ensinamentos do Hakuna Matata, o que acaba fazendo com que sua personalidade seja um tanto quanto despreocupada. Sora e os outros o ajudam a voltar ao reino, enfrentar o passado e também, superar os fantasmas que passam a surgir no presente. Simba acaba tendo de enfrentar algo que no filme, ele não precisou: Sua própria consciência. 

Seja pelas mudanças ocasionadas por Sora, ou pelas interferências dos vilões, Simba acaba virando rei, e pai, porém fica inseguro pra caramba. Essa insegurança é algo que Sora precisa ajudar a superar.

Nala




Ela é a leoa que era melhor amiga de Simba na infância, quase uma prometida dele. Porém, quando crescem, como Simba é dado por morto, Nala passa a servir o vilão (Scar) ao lado das outras leoas, até que o reino inteiro passa a ruir, por causa das hienas e tal. Essa parte da história é a mesma do filme, e ela chega a sair pra buscar ajuda, procurando alguém pra enfrentar Scar e assumir o "trono".

O que muda, é que ao invés de encontrar Simba, ela encontra primeiramente Sora e seus amigos, e tenta convencê-lo a enfrentar o atual rei, e conquistar o título. Mas, Sora é desqualificado para tal quando ela passa pro cara mais sábio do reino, e ai ela cita Simba, o qual Sora sabia que estava vivo afinal, ele o invocava. E ai, Sora ajuda Nala a chegar até Simba, mudando muita coisa.

Ainda assim, a paixão dos dois floresce, e da pra ver Nala no período de gravidez, algo que no filme não chegou a ser mostrado.

Rafiki




Esse é o sábio do reino, quem apresenta e abençoa os sucessores do rei. Como no filme, ele passa a acreditar na morte do verdadeiro herdeiro, junto com seu pai, e é obrigado a permitir Scar como rei. Porém, Nala o apresenta Sora, que ele acaba desqualificando como candidato, e posteriormente, Simba.

Timão e Pumba




Os amigos e tutores de Simba não podiam ficar de fora, apesar de serem mais como coadjuvantes, eles estão aqui pra ajudar o jovem a enfrentar a vida. Mas, como Sora e os outros também estão no grupo de amigos, o brilho deles acaba sumindo um pouco, não ao ponto de serem substituídos, mas são ofuscados.

Elenco de A Pequena Sereia

Pequena Sereia




Agora toda encantada pelo mundo superior, Ariel meio que ignora o fato de Sora e os outros serem viajantes da superfície, e demonstra sua paixão incontrolável e o desejo de ser humana. É praticamente tudo igual ao filme, inclusive os momentos de imprudência total da mocinha.

O que difere é que, ela já conhece o poder de Úrsula, e ainda assim aceita o acordo, mesmo depois do que houve anteriormente ao lado de Sora e os outros. Por incrível que pareça, Ariel não aprendeu praticamente nada. 

Se bem que, Sora é tão imprudente quanto ela, e a estimula em sua busca pelo que ela realmente deseja, incentivando em suas músicas, e dando apoio moral para tudo o que ela pensa em fazer. Eles realmente são grandes amigos.

Sebastião e Linguado



Ambos são coadjuvantes porém, Sebastião se destaca mais pois é aquele que rege a maioria dos musicais. Como essa fase é praticamente um musical do filme, Sebastião é o percursor de vários momentos importantes.

Enquanto isso, Linguado está ao lado de Sora, Donald e Pateta, como grandes amigos de Ariel, ajudando em tudo que ela necessita. Alias, sabe o presente de Ariel? A Estátua do Principe? Quem ajuda Linguado a carregar é Sora, usando a magia Gravidade. Várias adaptações desse tipo são postas, forçando Sora a buscar alternativas de ajudar a princesa sereia, a avançar em sua própria história... Sora entra no lugar do Sabidão.

Tritão




O Rei dos Mares é um pouco diferente do filme, pois agora está mais calmo, e não chega a acabar com as esperanças da sereia. Ele aprendeu bastante da última vez mas, tudo segue basicamente a mesma linha do filme, com musicais rolando pra agradar o rei, o rei pedindo pra Sebastião controlar Ariel, e no fim, até o esquema do contrato e assinatura substituída, tudo ocorre igual. Ele comete o vacilo outra vez...

Mas, o que muda é que pelo menos agora ele aceita Sora em seu reino, e até pergunta se tem algum sem-coração por perto, mas a viagem de Sora é livre dessa praga, pelo menos nesse mundo.

Príncipe Eric




O príncipe aparece, quase como no filme, e provavelmente tudo que ocorreu entre ele e Ariel, depois de ficarem juntos, foi praticamente igual. Não da pra saber pois Sora permanece na água, ao lado de Linguado e Sebastião, o que nos força a assistir tudo pela perspectiva da água. Sebastião, dessa vez, não a acompanha em terra.

Mas, ao que tudo indica, tudo corre bem até Úrsula fazer aquela trapaça de se transformar em humana e usar a voz de Ariel pra hipnotizar Eric. 

As coisas seguem numa ordem parecida aos eventos do filme, o que muda é que, Sora ta no meio, mas Eric quem mata Úrsula, como originalmente, mas bem melhor equipado.

Irmãs de Ariel




Duas das 7 filhas de Tritão também aparecem (além de Ariel), mas numa participação meramente especial, em uma apresentação musical, dançando e cantando ao lado de Sora e dos outros.

Moogles




Pra fechar, os Moogles são sempre frequentes em KH, mas são personagens Finalfantasyanos. Eles são normalmente mercadores, e aqui são responsáveis pela venda e sintetização de armas e itens, com base no que é recolhido ao longo do jogo. É algo meio confuso, e eu mesmo não explorei muito, por isso não entrarei em detalhes.

 


Na dúvida, eles vendem. Nos Final Fantasys, normalmente, eles tem tarefas diferentes de título pra título, hora fazendo parte até mesmo do enredo, outras vezes apenas sendo auxiliares.

                                                                                                                                                                   
            Invocações            
                                                                                                                                                                   

Essas são as possíveis invocações de KH2. Tem menos que no outro jogo, mas se seguir a lógica, seriam dicas do que viria no terceiro. 

Chicken Little




O "Galinho" é protagonista do primeiro filme em animação 3D que a Disney fez, sem o apoio da Pixar. Talvez, a ideia era mostrar que além de desenhos, e filmes com pessoas, KH entraria nos mundos de animação em 3D. Como a Pixar é uma divisão a parte da Disney, ela só podia apontar isso com títulos totalmente Disney, pra não violar nenhum direito de imagem e tal, mas, agora que já sabemos que a Pixar esta envolvida com KH3, a previsão foi um sucesso!

Infelizmente, talvez não veremos o mundo de Chicken Little, mas, sua presença como invocação foi importantíssima pra preparar o terreno pra grande surpresa, enfim...




Ele surge para ajudar Sora, todo atrapalhado e é auxiliado por ele. Partindo daí, o jovem jogador de beisebol ajuda atirando bolas e dando cobertura para Sora.




As Invocações tem Finalizações, normalmente ataques fortes que realizam quando a barra de Turbo está perto de acabar e antes de sumirem. A do Chicken Little é subir no ombro de Sora e ambos ficarem em Primeira pessoa pra atirar bolas pra todo canto.

Gênio




O Gênio já fez parte do elenco de invocações do jogo anterior, então não há um tipo de previsão com sua aparição.




O gênio pode ser invocado depois de se passar por Agrabah, mas ele não é nada forte, pelo menos eu não gostei. Seus poderes são simplesmente imitar Sora, usando roupas mágicas como ele, mas, ele não ataca como Sora.




No máximo, joga uma magia ou outra, e nem são fortes. Seu poder decaiu muito com relação ao que fazia no primeiro KH.

Peter Pan e Sininho



Peter era um Aliado no jogo anterior, e Sininho era uma Invocação.



Agora os dois são invocados juntos pra ajudar Sora, e eles dão cobertura, curando, e até dando uma segunda vida.




Seria legal se eles fizessem Sora voar com o pó de pirlimpimpim, mas, eles só fica curando mesmo, e Peter pode usar um especial que invoca fotos de memórias de suas aventuras com Sora pra causar dano nos inimigos.

Stitch




Apesar de não ter aparecido pra Sora antes, Stitch surge como Aliado e seu mundo é visitado em Birth By Sleep, ou seja, era uma previsão também do que ocorreria, mas no jogo futuro, que retrata o passado.



Por fim, depois que Sitch é encontrado, ele vira um aliado, e Sora se diverte com ele.




Talvez seja a melhor invocação, pois ele não fica o lado de Sora, mas sim na tela, andando de um lado por outro, agarrado no monitor, tocando música, lambendo, e isso afeta os inimigos do mapa, causando debuffs como atordoamento e sono. Ele também gera muitas bolinhas e cura, o que só torna sua presença ainda mais útil.

                                                                                                                                                                   
            Habitantes que não existem            
                                                                                                                                                                   

No mundo que não existe, existem pessoas que não existem, os incorpóreos (fiquei confuso). Eu vou falar deles depois, mas tem um grupo de incorpóreos importantíssimo que merece destaque:

A Organização XIII




Esse grupo é composto por 13 membros, e 6 deles já foram enfrentados no passado, por Sora, naquela aventura que ele esqueceu. Um deles sobrevive, e retorna, num papel diferente dos demais membros, justamente por causa do que passou, enquanto outro é aquela outra metade de Sora, o Roxas. O restante dos membros, são todos inéditos então, sempre que aparecem, estão encapuzados até que chega o momento de suas identidades serem reveladas. Uma vez que isso ocorre, eles param de aparecer encapuzados.

Detalhe que, a versão japonesa de KH2 traz várias cenas extras onde os membros da Organização interagem uns com os outros, naquele esquema de encapuzados até que apareça o rosto alguma vez. O tenso é que, na versão Final Mix, pegaram essas cenas japonesas e incluiram no jogo com idioma americano, mas pra não ter problema no áudio, optaram por remover apenas o áudio da voz desses personagens, originalmente em japonês, e deixaram legendas, junto com os sons de palco, música e etc.

Logo, essas cenas são bem misteriosas e até meio confusas, pois não da pra saber quem é quem, não sem analisar profundamente o contexto. Sem vozes, apenas legendas, e todo mundo usando o mesmo capuz, fica bem difícil identificar a galera, e é meio incômodo, mas é muito útil pra compreensão total do enredo.

Alias, cada membro tem uma posição, e um nome, criado para ele especificamente, com base em seu corpo original, e o momento que foi encontrado e incluído ao grupo. Nem todos os membros da Organização eram "vilões" quando ainda existiam. Alguns são os traidores de Ansem, mas outros são apenas incorpóreos raros que surgiram posteriormente, e foram recrutados. 

XIII - Roxas, A Chave do Destino




Roxas, é um anagrama de Sora, com a letra "X", que na verdade é a letra "chi", usada por todos os membros da Organização para sua renomeação. Apesar de todos os incorpóreos manterem suas memórias de quando existiam ainda vivas, Roxas é um caso bem diferente.

Ele foi o último recrutado pelo grupo, e também o mais importante, por sua habilidade em portar Keyblades. Ele nasceu do coração de Sora, e Ventus (eu explico depois) mas sua mente ficou em branco, justamente por Sora ter retornado a sua forma normal logo em seguida.

Ainda assim, sua inexistência foi o suficiente para chamar a atenção da Organização, que tinha planos com a Keyblade. Eles se dividiram em duas equipes, uma para caçar Sora, e outra pra caçar Roxas, e no fim, de algum jeito eles conseguiriam o tão desejado membro novo. Mas, os dois planos fracassaram, pois Sora conseguiu se salvar, e Roxas mesmo já tendo sido recrutado, acabou sendo sequestrado pelos benfeitores.

Roxas não é um inimigo, nem um aliado. No começo ele é até o protagonista, vivendo no simulador da terra onde nasceu. Porém, como Roxas é parte de Sora, ele precisava regredir ao seu corpo original para que a mente do garoto voltasse a plenitude, o que o deixou inconformado, e irritado. Curiosamente, Incorpóreos são incapazes de ter qualquer sentimento, apenas conseguindo imitar as emoções de suas memórias, mas, Roxas não tinha memórias, e acaba desenvolvendo existência, mesmo sem ter um coração ou corpo.

Roxas é um caso bem especial, mas depois falo melhor disso.

VIII - Axel, As Chamas Dançantes




Axel esteve nas duas equipes criadas pela Organização, logo, ele esteve tanto envolvido com a re-memorização de Sora, quanto no recrutamento de Roxas. Ainda assim, ele também é um caso a parte.

Axel não tem emoções reais, pois é um incorpóreo, e não é como Roxas, mas, ele acaba demonstrando sentimentos bem convicentes após sua grande jornada. Ele esteve muito próximo de Roxas, e parece ter desenvolvido uma amizade real com o jovem recruta, o que simplesmente o fez ficar obcecado por seu amigo.

Aqui, mesmo sendo parte da Organização, Axel parece estar contra ela, e age de forma completamente insubordinada. Ele trai o grupo, comete atos de revolta e até prejudica os planos de seus ex-aliados, e olha que ele mantém sua cadeira no grupo.

É curioso, ele é rebelde e age por seus próprios impulsos, e mesmo nos momentos em que parece estar trabalhando a favor da organização, ele acaba fazendo algo individualista, seguindo seus próprios interesses. 

Ele é mandado pra recapturar Roxas, mas depois de lutar contra ele algumas vezes, ele o deixa partir. Depois disso, Axel reaparece sempre na contra-mão da organização, e no fim, ele comete sacrifício em prol de Sora.


Axel luta usando duas Chakrans de fogo.

IX - Demyx, O Melódico Aquático




Esse é um membro inédito, que é extravagante e exuberante. Ele ri, faz piadas, é extrovertido, agitado, mas tudo isso vai contra sua natureza: Ele é incorpóreo, não existe, é apenas uma imagem de alguém que existiu.

Ele imita as emoções de seu antigo eu, e faz isso de forma bem convincente, mas quando Sora o expõe ele assume a personalidade vazia que todos os incorpóreos tem.

Demyx era o mais legal do grupo, mesmo fingindo, ele era o mais interessante. É triste ver como ele realmente é, pois isso comprova que todos os incorpóreos são "falsos". Algo que é levado a prova no final, com as ações de Roxas e Axel, mas ainda assim, por causa de Demyx, é difícil acreditar nas "emoções" deles.

Demyx luta usando uma guitarra que invoca clones e notas de água. Além disso, ele quem induz Sora a combater as memórias de antigos membros da Organização. Mesmo após morrerem, a essência daqueles que Sora derrotou no Castelo do Oblivion, pode ser encontrada, e eles surgem para batalhar. 

É um bônus do jogo, mas é interessante rever os outros membros.

III - Xaldin, As Lanças do Vento




Este é um incorpóreo inédito também. Depois do fracasso com relação ao treinamento de Roxas, a Organização XIII não perde tempo, e os membros se espalham pelos mundos, atrás de novos incorpóreos especiais. Apenas seres poderosos, após virarem incorpóreos, eram capazes de manter suas formas e memórias, e a Organização envia alguns de seus membros para induzir pessoas a perderem seus corações. Xaldin é enviado para recrutar Fera.

Mas, Fera acaba não se convertendo em um Sem-Coração, logo, não gera um incorpóreo. A ideia de Xaldin era fazer o lado mais perturbado e raivoso de Fera ir ao extremo, para ele se entregar às trevas, e assim manipular sua forma inexistente, enquanto Sora lidava com o Sem-Coração dele.

Mas seu plano falha miseravelmente, por causa e Bela e Sora, e ele acaba batalhando até a morte contra o keyblader.


Xaldin era sério, manipulador e metódico, e usava várias Lanças de Vento para lutar enquanto se defendia, ao mesmo tempo.

II - Xigbar, O Franco Atirador




Xigbar é um incorpóreo bem leal à Organização, afinal ele é o segundo recrutado. Ele também é o mais próximo do líder, e antes mesmo de ser um incorpóreo, ele era um vilão. Ele se chamava Braig, e era um seguidor de Xenahort, aparecendo em KH Birth By Sleep, como grande antagonista.

Xigbar é anagrama de Braig, com a letra "chi", e ele parece ter mantido as mesmas memórias de sua versão existente, além de ter os mesmos objetivos. 

Xigbar aparece pouco, e é um defensor do castelo da Organização, enfrentando os heróis usando suas pistolas de energia, sempre de longe, sempre franqueando. 

Apesar de ter praticamente tudo idêntico a sua versão de quando existiu, a personalidade de Xigbar parece um pouco mais fria com relação a original.

Ele aparece rapidamente no mundo de Mulan, após transformar um dos dragões em Sem-Coração (alias, eu vou falar disso depois).

X - Luxord, O Jogador do Destino




Este é um incorpóreo viciado em jogos. Ele adora apostas, e seus poderes giram em torno disso. Mas, ele apenas finge se divertir. Ele é bem transparente quanto a isso, mostrando que busca uma satisfação que ele não possui de verdade. Os jogos são como uma reprodução do que ele sentia quando era vivo.

Luxord chega a simular empolgação mas, logo muda pro padrão sem emoções dos Incorpóreos. Ele surge para barrar a invasão de Sora ao castelo da Organização, além de estar por trás da tentativa de recrutar incorpóreos no mundo dos Piratas do Caribe.

Ele consegue criar poderosos Sem-Coração, consequentemente, nascem Incorpóreos, e de quebra o plano secreto da Organização é posto em prática. Eles queriam também que Sora libertasse os corações que eles transformavam em trevas.

Os poderes de Luxord são todos relacionados a jogos de azar. Ele usa cartas mágicas e dados.

VII - Saix, O Adivinho Lunar




Saix é um seguidor extremamente sério e focado, que chega até a repreender a prátia costumeira de alguns de seus colegas em fingir emoções. Ele por outro lado, repudia esse ato e abraça totalmente sua falta de sentimentos.

Ele concorda com os planos do líder e não hesita em fazer suas vontades, atacando Sora com todas suas forças e energias, para dar tempo ao líder. 

Apesar de não querer, Saix acaba demonstrando certa ansiedade em lutar, sempre questionando quando será a hora de usar todas suas forças, e no fim, ele morre "feliz". 

Suas armas são espadas grandes descartáveis.

I - Xemnas, O Mestre




Esse é o maior mentiroso de todos, e sua história é longa. "Xemnas" é o anagrama de Ansem, com o "chi". Mas, esse farsante não é o Incorpóreo de Ansem. Xemnas na verdade mentiu sua identidade antes mesmo de não existir (confuso kkk).

Primeiro, o nome original dele é Xehanort (que por sua vez, já é um anagrama de "Sem-Coração" - "No Heart" com a letra "chi") e ainda assim, ele também não era o Xehanort original.



Ele era Terra, possuído pelo coração de Xehanort, que acabou perdendo as memórias e assumiu esse nome, o único que conhecia. Tudo isso ocorre em Birth By Sleep.



Xehanort era maligno, e impregnou o corpo de Terra com suas trevas, com isso, ele ficou perdido até que, Ansem, o Sábio, encontrou ele e o acolheu. Xehanort virou o braço direito de Ansem, e em suas pesquisas, para estudar os mistérios da Escuridão e dos Corações, Ansem fez testes que chamaram a atenção de seu aprendiz.



Um dia, para tentar recuperar as memórias de Xehanort, Ansem fez testes nele mas, o lado sombrio dele que despertou. Posteriormente, algo aconteceu e Xehanort se juntou com os demais aprendizes de Ansem, e o traiu, mandando ele direto pro mundo das trevas. Xehanort então assumiu o nome Ansem, se passando pelo mestre dos demais, e fez um monte de calamidades.



Mas as coisas não pararam por ai. Algo ocorreu e todos, tanto Xehanort quanto os aprendizes de Ansem, e mais alguns habitantes do castelo, viraram Incorpóreos. Xehanort então se dividiu em dois, o Ansem das Trevas, que era seu Sem-Coração, e o Xemnas, que era seu Incorpóreo. 



Os dois lados se convertem em criaturas poderosas e únicas, talvez por causa de Terra/Xehanort serem dois corações em um único corpo, e assim, o lado Sem-Coração, que era o coração impuro, vira Ansem das Trevas (se passando por Ansem, pois ele havia roubado o nome), e comete os males na primeira aventura de Sora, em busca do Kingdom Hearts.



Após fracassar, esse lado acaba se misturando com Riku, e ai é outra história. Mas, havia também o Incorpóreo, que nasceu no mundo do vazio, o qual era tão poderoso e inteligente quanto o Xehanort mesmo. Esse incorpóreo, ainda mantendo o nome roubado, e se chamando de Xemnas, busca pelo mesmo objetivo de sua outra parte: O Kingdom Hearts.

Mas, seu objetivo era conquistar a existência que ele não tinha, independente de sua outra metade. Xemnas desejava que os Incorpóreos conquistassem um lugar no mundo, e por mais altruísta que isso parecesse, ele bota seu plano em prática sem ligar pra nada nem ninguém.

Ele precisava de uma Keyblade, pra assim libertar os corações das pessoas e encaminha-los ao Kingdom Hearts. Sempre que um coração impuro era purificado, ao invés do Sem-Coração voltar ao ser vivo que ele era, seu coração simplesmente vai para o Kingdom Hearts, onde se funde aos demais. Xemnas acreditava que ao preencher o enorme coração supremo com o máximo de corações, ele conseguiria poder para dar a si mesmo, e aos seus seguidores, corações próprios.

Então, pelas sombras, Xemnas guia Sora ao Castelo do Oblivion, onde tenta força-lo a lembrar do que ele queria que ele lembrasse, usando os poderes de Naminé, e posteriormente, ao falhar, ele tenta usar Roxas para fazer o trabalho de Sora por ele. Mas, ele também falha nisso.

Então ele apenas bota um monte de Sem Corações no caminho de Sora e espera por ele converte-los em corações para o Kingdom Hearts. Esse plano funciona.

Terra, Xehanort, Ansem, Xemnas, tantos nomes, tantas versões, e no final, é o lado que nem existe que consegue vencer. Mas, ele acaba sendo detido na última hora, pela vontade do próprio Kingdom Hearts.

Kingdom Hearts




Pois é, ele é um "habitante" do mundo do vazio, sendo basicamente uma lua em forma de coração. Este é o ponto de retorno em comum para todos os corações dispersos. O que dá título ao jogo é como se fosse, o maior coração de todos.

Ele existe entre o mundo das trevas e da luz, e palpita em meio ao vazio. É meio maluco isso, pois ele seria o coração dos mundos, mas não pertence a nenhum deles.

Apesar de ser uma lua, o Kingdom Hearts é uma entidade viva. Ele tem vontade, e consegue impo-la tanto no mundo das trevas quanto no mundo da luz. Ele não chega a falar com os heróis, mas ele age em prol deles ao longo do jogo inteiro, subliminarmente.

Sora tem como principal objetivo, além de encontrar Riku, Kairi e Mickey, deter Sem Corações ou enfrentar a Organização, ele precisa revisitar os mundos que ele trancou anteriormente, e abrir novos mundos também, sem qualquer orientação.

O que o guia, são os misteriosos objetos chave, que surgem quando ele ajuda as pessoas, e destravam caminhos para novos mundos. Quem lança esses objetos, é o Kingdom Hearts.

Não fica claro isso durante o jogo, exceto no final, quando uma porta aparece pras profundezas das trevas, para que Sora e seus amigos derrotem o Incorpóreo que tomou posse sobre o Kingdom Hearts. Quem invoca essa porta não fica claro, e nem é algo comum, pois ela surge do nada, na hora que os heróis não tinham saída. Pra variar, é a mesma porta que Sora trancou quando Mickey e Riku ficaram presos no mundo das trevas, e agora ele precisa reabrir. 

Detalhe esse que é explicado com a frase "Ele quer ser salvo". O grande coração havia intervindo em toda a aventura, fazendo as pontes entre os mundos, abrindo as portas pro passado (aquela do Bafo) e principalmente, guiando os heróis pra destruírem o "parasita" que havia impregnado-o.

Por essa razão, por estar em toda parte sem ninguém notar, ele da título ao game.

                                                                                                                                                                   
            Inimigos            
                                                                                                                                                                   

Sem-Coração




Quando um ser vivo tem seu coração envolto por maldade e trevas, ele deixa sua forma física, e seu coração se converte em um Sem-Coração (Heartless). O nome é contraditório, afinal um Sem-Coração é exatamente um Coração, poluído. Mas o que importa é que essas criatura sombrias são desprovidas de consciência, e existem apenas para engolir outros corações. 

Sora enfrenta esses seres com a Keyblade, arma capaz de libertar e purificar corações envoltos de trevas. Apesar de ter acreditado ter se livrado de todos os Sem Corações, ao trancar as Keyholes entre os mundos, eles ainda conseguiam se locomover através de caminhos escondidos nas trevas, ou seja, o trabalho que ele teve la no primeiro jogo é quase inútil.

Claro que, a maioria dos Sem Corações foram destruídos, mas, ainda haviam seres criando mais e mais deles, corrompendo corações alheios e assim, trazendo a desordem outra vez. Bafo era um deles, um ser que viajava entre os mundos, criando Heartless para aumentar seu exército. Mas também tinham os membros da Organização XIII, manipulando tudo por baixo de seus capuzes.


Como tem menos Sem Corações, esses são os que encontramos e destruímos nessa grande jornada de Sora, mas, tem um porém, agora é difícil classifica-los e interpreta-los pois todos meio que se misturaram. Agora, os Sem-Corações parecem buscar uma forma de serem independentes daquilo que os originou, e evoluíram... o que deixa tudo bem mais estranho.

Puros


Esses são aqueles Sem-Corações básicos de uma única cor, mas, observe que além do menorzinho, chamado Shadow, agora há o NeoShadow, que é uma evolução dele, uma adaptação dele. 

Literalmente, os Sem-Corações são capazes de crescer, evoluir, algo que os diferencia dos Incorpóreos (que por sua vez, imitam, e normalmente ficam estagnados na mesma forma).

Humanoides



Temos vários humanoides, naquele sentido de andarem em duas pernas e tal, mas mesmo assim, nem todos pertenceriam a essa família. Por exemplo, a moça rosa na bola, ela é uma Feiticeira, e usa várias magias de Gelo, logo, ela é da família Mago, mas, ela é humanoide, então, ela entra na família de humanoides... é uma bagunça agora. Todos tem mais de uma função, e olha que tem até um Centauro!

Além disso, eles servem a diferentes mestres e tem diferentes objetivos. O último da fila, o prateado todo cromado e com lança, é um Sem-Coração treinado por Incorpóreos, enquanto o primeiro da fila, é um Sem-Coração treinado pela Malévola. Tudo é muito diferente agora.

Defensores


Os gordões são tecnicamente os defensores, mas o último da fila é um da nova geração e se adaptou pra também ser um atacante. Como eu disse, sempre evoluindo.

Híbridos


A variedade dessa lista é extensa, e olha que eu poderia por todos os heartless juntos só nela, afinal, todos evoluíram ao ponto de virarem mutantes híbridos, mas, esses são aqueles que simplesmente pegaram formas aleatórias de coisas que, nem sempre podem ser assimiladas, e tentam coexistir. Cara, tem um que é meio Martelo e meio humanoide! Como cataloga-lo?!

Todos eles são exemplo da evolução dos Sem-Coração, agora, ao invés de se basearem nas emoções daqueles que os originaram, eles apenas se transformam no que é mais útil para o ambiente em que estão e pronto.

Magos


Se solta magia, é mago correto? Então, 2 deles sem dúvida fazem parte da família original de magos, só que com novos poderes, mas agora tem um gigante, tem um que é metade livro e usa várias magias juntas, e aqueles dois pequenos na verdade são "filhotes de chefes", e tão mais voltados pra híbridos, que buscam ser fogo e gelo, os elementos em questão, do que magos. Apesar de tudo, eles usam magias então, será que estão na família certa?

Possuídos


Ah é, temos esses dois. Eles só aparecem no mapa do Fera, e são estátuas que ganham vida. Poderiam ser amorfos? Sim, mas tem um diferencial de destaque neles: Eles não soltam corações quando morrem. Na real, ao derrotar eles, eles exalam o Sem-Coração que os possuiu, não o coração em si. Logo, são como cascas que eles incorporam.

É mais um tipo de evolução, através de parasitagem, que nem todos adotaram.

Amorfos


Os amorfos são aqueles que tomam forma de objetos conhecidos pra se passar por eles. Os 3 primeiros são de fato por puro disfarce, o primeiro é um Sem-Coração especial que se esconde e surge bem raramente, como um puzzle. Os dois seguintes são caixas surpresa que atacam fingindo serem uma cova e um presente, respectivamente. Mas o último, bem, o último é um Carro Desenho num mundo de Desenhos, então, será que ele conta como um objeto inanimado, animado, ou um desenho mesmo?

Eis a dúvida, pois ele também se enquadra com maestria na categoria Hibrido, mas é identificável o suficiente pra conseguir se enganar um pouco. Sem-Corações estão ficando muito complicados...

Voadores


Se voa, ta nessa família certo? O primeiro é o que restou da antiga geração, o aviador é um bom exemplo de como ser dessa classe, agora, tem um pugilista! Qual a lógica? Ele é hibrido? Ele é voador? E o último é um tipo de máquina, tem tantas famílias pra encaixa-lo, que acabei escolhendo essa pra evitar a fadiga. 

Detalhe que o último da fila é um treinado por Incorpóreos também viu, logo, ele esta contra todos os outros.

Fantasmas


Se é um Sem-Coração, não pode ser um fantasma pois fantasmas são mortos e heartless estão tecnicamente vivos mas, existem aqueles que tem tendência pro macabro e gostam de se disfarçar como entidades do além. Achei dois, mas tem outros de outras famílias que poderiam muito bem entrar nessa classificação.

Digitais


Se não bastassem os Sem-Corações do mundo real, aprendendo, evoluindo, se desenvolvendo e confundindo geral, agora tem também uma versão artificial criada digitalmente. Pode isso?!

Eles são do mundo de Tron, e são todos criados com base em dados de Sem-Corações. Eles não tem corações, mas são Sem-Corações, pois tem corações virtuais... é completamente maluco isso.

Animais



Agora da pra dizer que tem Sem-Corações bichinhos, pois de fato, alguns assumem papel de animais. Tirando os que tive de encaixar em outros grupos, sobraram esses, que adivinha, também se encaixariam perfeitamente em outros grupos. O cachorrinho é meio que um morto-vivo, e o "macaco mascarado" é um feiticeiro. Nem vou falar do cachorro esqueleto...

Cogumelos XIII




Pra finalizar, sim, tem agora uma Organização XIII de cogumelos, como seres especiais que surgem pra desafios únicos.

Eles são bem raros, e enigmáticos, e aparecem por todos os mundos, exigindo algo em troca de um prêmio. Dessa vez pelo menos o jogo aponta o que é preciso fazer, o que facilita bastante os desafios.

Por muito tempo achei que eles eram os incorpóreos dos cogumelos Sem-Corações que enfrentávamos, mas não, eles são mesmo apenas Sem-Corações, que parecem ter curtido a moda e botaram e prática.

Incorpóreos




Isso não foi mostrado antes, mas quando um Sem-Coração nasce, seu corpo não é vaporizado. Na verdade seu Corpo e Mente são enviados pro mundo do vazio, onde juntos se convertem em um ser Incorpóreo (Nobody, ou "Ninguém"). 

O Corpo pode manter sua forma original, ou se converter em algum ser sem forma, tudo dependendo da força da Mente que o acompanha. A Mente pode carregar as memórias do ser original, tudo dependendo da força do coração que foi convertido em trevas. Apesar de terem um corpo, e uma mente, os Incorpóreos são ocos, sem coração, e existem apenas como um fantasma de quem foram um dia, logo, eles não existem de verdade.

Suas emoções são imitações do que sentiam quando vivos, suas memórias são apenas vagas lembranças do que viveram no passado. Eles são fadados a repetir o que foram, sem direito a aprender, sem direito a evoluir. Mas, nem todos se dão por satisfeitos... 

Incorpóreos se dividem em dois grupos, os que seguem, e os que comandam. Os mais poderosos são aqueles que mantém o máximo de sua semelhança com suas versões vivas, e com isso, eles tem poderes, podem influenciar e até atacar diretamente seres tanto da luz, quanto das trevas. Além disso, eles podem viajar livremente entre o mundo da luz e trevas, pelos caminhos das sombras que eles controlam.

São seres inteligentes, poderosos, imortais (afinal nem existem), mas podem ser apagados. Como não possuem coração, o que os mantém em pé é uma vontade vaga de existirem. E isso, é o que torna a Organização XIII tão poderosa e unida.


Enfim, eis os Incorpóreos que são enfrentados, só que tem um porém. Basicamente todos os incorpóreos são roupas vazias, e suas formas, apesar de definidinhas nas imagens, no gameplay ficam se distorcendo o tempo todo. Além disso, boa parte deles são meros imitadores de seus mestres.

Penumbra, Seguidores de Roxas




São os primeiros Sem-Corações encontrados e enfrentados no jogo. Eu imagino que sejam seguidores de Roxas por duas razões: Primeiro, eles são incorpóreos dos Sem-Corações Puros, provavelmente os NeoShadow. A forma deles é bem semelhante, e por baixo dos capuzes da pra ver o rosto dos Shadow. Isso não prova nada, mas considerando que o Sem-Coração natural de Sora era um Shadow (quando ele era criança) provavelmente seria um NeoShadow agora que ele cresceu, logo, o incorpóreo equivalente seria esse. Seguindo essa lógica, eles teriam tendência em se atrair, pela equivalência, mas por Roxas ser o mais poderoso, ele era o grande mestre.



Segundo que, eles chamam Roxas de mestre. Apesar de não usarem os mesmos movimentos de ataque dele, eles usam as esquivas características de Roxas, ou pelo menos da pra fingir que usam em meio as piruetas e flutuadas aformes que eles fazem.

Creeper, Sem Guias



Provavelmente estes sejam Incorpóreos dos próprios Shadows, os tipos mais baixos e fracos de incorpóreos, razão pela qual nem conseguem manter a forma por muito tempo. Eles também não parecem ter um mestre, apesar de obedecerem a Organização, não tem um tipo de "guia" pra lhes ensinar a lutar, ou pra imitarem.


Lembrando que diferente dos Sem-Corações, os Incorpóreos pensam, e são bem mais habilidosos. O problema é que eles não sabem "criar" seus movimentos, apenas copiar de outros que já tenham. Assim, eles são meramente imitadores, e esse em particular, não encontrou ninguém pra imitar.

Sorcerer, Seguidores de Demyx




Imagino que estes sejam seguidores de Demyx simplesmente por causa da forma como atacam. Eles são arcanos, e invocam cubos enquanto flutuam, usando estes cubos como armas. É praticamente o mesmo que o cara da guitarra d'água faz, só que ele invoca silhuetas humanas e notas musicais (explico depois), enquanto este apenas faz cubos.



Cada Incorpóreo com sua mania.



Xemnas usa um ataque muito mais parecido com o dele no final, mas eu acredito que seja mais pelo fato de Xemnas usar técnicas que imitam todos os seus seguidores.

Dancer, Sem Guias



Não consegui assimilar um dos membros da Organização a elas. Elas são bem graciosas (chamo de elas, pois parecem ter forma feminina) e a única membro feminina da Organização XIII de capuz era a moça das adagas elétricas que morreu no Re-Chain of Memories. Eu até imaginei que pela graciosidade, poderiam ser um tipo que imitavam Demyx e seus trejeitos, mas rejeitei essa hipótese, logo, não sei onde encaixa-la.


Elas patinam, e atacam com investidas pelas costas e agarrando, e também não notei esses ataques em nenhum outro membro, inclusive a moça das kunais elétricas, e o mapa em que elas aparecem também não é em comum com nenhum dos membros em particular (todos eles vivem la, na verdade).


Logo, será que elas são seguidoras de algum membro da Organização ainda não revelado? Ou será que são seguidoras de Naminé, quem sabe?! O fato é que elas tem movimentos únicos, logo, elas aprenderam com alguém, a questão é: Quem?

Jogador, Seguidores de Luxord




Esses são incorpóreos que usam jogos e encantos que mudam a forma de Sora para dados ou cartas, ao azar. É exatamente o mesmo tipo de magia que Luxord usa, logo, eles são seguidores dele.



Alias, não da pra notar essas semelhanças de movimentos antes de encarar os respectivos "mestres" da Organização, mas depois que se encara, a semelhança é indiscutível.


Assassin, Seguidores de Axel


Esses incorpóreos costumam usar ataques sorrateiros e rápidos, como bons assassinos, muitas vezes se movendo de forma totalmente intocável, e esquivando com muita facilidade. É bem o estilo de Axel, tirando as chamas é claro. 




Com isso, da pra supor que eles sejam seguidores/imitadores dele, sem contar que o momento que mais aparecem é na luta em que Axel se rebela... faz sentido.


Berserker, Seguidores de Saix


O ataque desse tipo de incorpóreo é esquisito e auto-prejudicial. Ele joga a espada dele, e invoca uma nova pra atacar em fúria, mas, da pra Sora pegar espadona e arrasta-la até pular, até devolve-la na cabeça dele numa investida mortal.



Esse padrão de ataque equivale ao de Saix, o que muda é a quantidade de espadonas invocadas. Eles até tentam imitar, mas, não é tão eficiente quando os ataques dele.

Dragon, Seguidores de Xaldin




Apesar de serem "dragões", creio que seja só uma forma que tenham tomado pra poderem voar. No caso, o destaque fica pra arma que usam, e o ataque único de investida a partir do céu, que pode inclusive ser copiada por Sora.



É exatamente o mesmo movimento de Xaldin, porém, Xaldin usa muito mais lanças, e seus golpes também podem ser copiados nesse caso, mas Sora leva dano ao invés de contra-atacar de imediato. Resumindo, esses Incorpóreos são seguidores dele, mas não copiam tão bem.

Sniper, Seguidores de Xigbar




Esse é bem fácil de identificar, inclusive pelo fato de ser o próprio Xigbar a invoca-los, na exata hora em que se revela tirando seu capuz. Esses inimigos surgem apenas por ele e é ai, que surge a ideia de que os Incorpóreos tem seus próprios "mestres" dentro da Organização XIII. 



Eles são atiradores que flutuam, usando técnicas parecidas com as de Xigbar, porém, Sora consegue se teletransportar até eles usando a mira laser que eles fazem pra atirar, o que também é de certa forma o ponto fraco do próprio Xigbar.

Aí, é um problema dos dois, mestre e seguidor.

Samurai, Seguidores de Xemnas




Por fim, sobrou encaixar o Xemnas, o grande chefe final, e um seguidor a altura é o Samurai, que aparece justamente quando Xemnas o convoca. Eles são bem fortinhos e podem eliminar Sora com um único golpe, se for bem executado.



É um tipo de corte especial, onde Sora ativa uma roleta no menu e precisa apertar o botão de ação na hora que "O Fim" aparecer, caso contrário o ataque não é defendido e o Samurai acerta, tirando muito HP. 



Eles são tão fortes, que quando atacam em grupo, os outros ficam sentados assistindo enquanto seus semelhantes atacam, na postura de Samurai. É algo que só um mestre faria, logo, eles provavelmente estão imitando o grande Mestre da Organização XIII.

                                                                                                                                                                   
            Chefes            
                                                                                                                                                                   

Seifer





O primeiro chefe do jogo é na verdade, um treinamento. Seifer acaba desafiando Roxas pra um duelo, onde selecionamos qual dos 3 atributos principais iremos querer, como no jogo original, escolhendo entre uma arma pra Magia, Defesa ou Ataque.



Isso não interfere muito no jogo, pois o máximo que ocorre é receber um ponto a mais no atributo escolhido, mas é uma forma de repetir o que houve no primeiro.



Seifer é fácil de derrotar, é um rival pato.

Ser Desconhecido



Esse "chefe" surge primeiro na frente do castelo, com despertar da KeyBlade.




Ocorre um roubo no inicio do jogo que é investigado por Roxas. Seres estranhos estavam pegando tudo e levando pra um castelo abandonado, e é ai que Roxas entra, armado com a espada que escolheu na batalha contra Seifer, e persegue o tal ladrão.



Curiosamente, nenhum ataque surte efeito. O ser parecia um fantasma, então a espada de borracha vira uma Keyblade, e ai sim passa a causar dano no ser misterioso.




Ele era um tipo de Incorpóreo, que volta a ser enfrentado em uma batalha em grupo, com Roxas ainda tentando entender como invocar a Keyblade.


É depois do segundo encontro, que a escolha real das armas ocorre, já bem mais parecida com a de Sora.


E a Keyblade elege Roxas.


Daí esse Incorpóreo começa a surgir em bandos, e se converte basicamente num inimigo comum.


Twilight Thorn





Roxas acaba tendo de enfrentar, dentro de si mesmo, a escuridão naquelas vitrines mágicas costumeiras de KH. As memórias de Sora eram o fundo (enquanto no original, as memórias de Ventus eram o fundo).

Aqui, ele enfrenta vários incorpóreos, mas o destaque fica pro chefe, que é o incorpóreo equivalente aquele monstro sombra chefão do primeiro jogo.




Ele começa prendendo Roxas, que pra se soltar precisa reagir no tempo certo.


Praticamente todos os momentos dessa luta são assim, com reações rápidas pra poder atacar.



É evidente a melhora de dinamismo na batalha, com muitos Quick Time Events pelo Triângulo, e cenas cinematográficas.




Pra primeira luta contra um chefão, é bem complicada, mas considerando que Roxas conta com o Triângulo e seus movimentos de Reação pra tudo, fica fácil.



Hayner/Vivi (Setzer também)





Existe um torneio de Espadas de Borracha, Struggle, e Roxas participa. Nele, ele tem que enfrentar seu amigo, mas é algo bem amistoso.



Apesar de ser um tipo de luta de chefe, não é uma batalha real.




Nela, Roxas precisa manter o máximo de bolas com ele, até o tempo acabar. Em caso de fracasso, ocorre algo como se fosse erro de sistema, e a luta reinicia como se nada tivesse acontecido.



Rolam lutas assim também contra outros participantes do torneio, incluindo o grande finalista, Setzer.



Mas, não são lutas reais, apesar de acontecerem lutas verdadeiras durante elas...

Axel



Primeira batalha contra Axel (Torneio)




Com o tempo passando, chega uma hora que Roxas é descoberto na versão falsa de Twilight Town. Axel vai atrás dele, e o enfrenta após corromper o sistema e lançar alguns incorpóreos.



Até Vivi é enfrentado nesse torneio, numa forma corrompida com os incorpóreos, sendo uma pré-luta antes da principal contra Axel, em forma de duelo.



É bem chato isso, pois em caso de perda contra Axel, é preciso enfrentar Vivi de novo, vencer, enfrentar os Incorpóreos que surgem, pra só então lutar contra Axel, pois tudo faz parte da mesma batalha, em sequência.



Ele mesmo é bem forte, apelando pra seus ataques de fogo e esquivando facilmente...


Mas ele sempre pega leve com Roxas, provocando e parando de lutar pra dar tempo dele reagir. Talvez ele faça isso inconscientemente, pra não machucar seu amigo, isso na primeira luta.


Segunda batalha contra Axel (Mansão - Subsolo)




Axel deixa ele na primeira batalha, mas depois retorna, mais forte e decidido a vencer. Ele queima a sala inteira pra lutar, e usa poderes bem mais fortes que antes.



Ele é bem rápido e violento, e tem fogo por toda parte, causando dano a cada passo que ele da. Mas, da pra vencer com os Time Events.


Shan-Yu



Esse é o chefe do mundo de Mulan, na primeira viagem.



No mundo da Mulan, o vilão é o mesmo do filme, um huno que quer destruir a China.




O que muda, é que aqui ele não tem mais seu exército composto por hunos, mas sim, Sem Corações, nascidos de seus homens. Seja um exército melhor ou não, todos são derrotados da mesma forma que no filme, com uma avalanche e tal, porém, ele sobrevive e reaparece, como chefão final.




Nessa forma, ele luta normalmente, com o suporte de Sem Corações, e não é tão difícil, morrendo no fim, de forma bem menos extravagante que a original.




O que torna sua luta um pouco mais dinâmica é a necessidade de evitar que a Porta do Palácio seja destruída por ele ou seus Sem-Corações, enquanto desce o sarrafo nele.



Portas Vivas (Thresholder)



Essas são Portas com vida, enfrentadas no castelo do Fera quando Sora ta tentando libertar os habitantes.




Ao entrar no Castelo do Fera, Sora descobre que ele prendeu seus próprios funcionários no calabouço, então ele tenta liberta-los, pois Fera estava bem estranho e precisava de ajuda. No caminho até o calabouço, há estátuas possuídas por Sem Corações, e no fim, Sora precisa enfrentar uma porta com duas estátuas possuídas.




Sem segredo, são estátuas do mal. O legal é que, elas se encaixam perfeitamente no tipo de heartless do mundo do Fera, pois la, os males se escondiam nos interiores.



Pra ser derrotado, esse inimigo precisa ser retirado a força de seu hospedeiro e golpeado até vaporizar.


Fera





Fera é enfrentado, com Sora ao lado do Relógio, para acalma-lo em seu quarto. Ele está sob encanto do Incorpóreo da Organização XIII.



Após essa missão de libertar os habitantes do castelo do Fera, Sora descobre a razão deles terem sidos aprisionados: Fera os isolou. Na verdade, aquele que era um amigo de Sora, estava fora de si, enraivecido, e ao perceber sua própria situação, optou por enjaular seus amigos do castelo. Mas isso estava errado, então Sora, após liberta-los, se alia ao Relógio, e vai tentar levar bom senso pra cachola de Fera.



Na luta, ele não é imbatível, mas é bem agressivo. Com a ajuda do Relógio, Sora consegue acalmar Fera pra poder golpeá-lo até ele voltar a si. Acontece que ele estava sendo manipulado por um membro da Organização XIII, e tinha sido irritado propositalmente, para se converter em um Sem-Coração, consequentemente gerando um Incorpóreo, o que não funciona graças ao poder da amizade e de uma boa soneca.


 Dark Thorn e Shadow Stalker





Essa é uma Sombra que possuí o salão de baile inteiro, e depois da lugar a um monstro humanoide (Provável Sem-Coração de Gaston).



Após salvar Fera, Sora o convence a expulsar o invasor de seu domínio, e assim, o grandalhão desafia o membro da Organização, que se mantém atrás das cortinas o tempo inteiro. Pra responder ao desafio, ele invoca um Sem-Coração especial, sendo uma versão maior e mais forte dos sombrios que possuem coisas. 



Esse parasita se apodera do Salão de Baile inteiro, e todo o mapa é um inimigo. 



Sora e Fera precisam usar a combinação de seus poderes para vencer a criatura, encontrando a localização de seu núcleo e expondo ele, pra sentar os golpes. 



Mas, mesmo após derrota-lo, ele não se da por vencido, e um novo Sem-Coração surge em seu lugar, dessa vez uma fera horrenda, e muito parecida com o próprio Fera, mas sombria, e que pode ficar invisível. É tão curioso ver como ela é, semi humanoide e com elementos animais, que lembra muito a situação do próprio Fera: Uma criatura surgida do interior real de alguém.



Eu, teorizo que seja a versão Sem-Coração de Gaston, o antagonista do filme "Bela e a Fera". Primeiro que, Gaston era muito pior, mais sombrio e desprezível que o Fera. O cara era egocêntrico, ardiloso, desrespeitoso, narcisista e de certa forma até misógino, então, se ele pegasse a maldição da bruxa da história, provavelmente viraria um monstro desse naipe. Curiosamente, Sem-Corações costumam assumir a forma mais abundante no coração.



Gaston não aparece nessa versão da história, então o membro da Organização pode muito bem ter capturado e transformado ele visando seu incorpóreo. Considerando que Gaston era um caçador renomado e bajulado por geral, não seria de se estranhar que tenha sido um dos alvos. Lembrando que, o jogo se foca no castelo de Fera, mas o mundo dele inteiro estava a mercê dos invasores, então, até encontrar Fera, o membro responsável pelos recrutamentos com certeza fez várias outras vítimas. 



Esse inimigo não tem grande mistério pra batalhar, ele apenas usa sombras pra ataques, em oposição ao que Fera faz, enquanto tenta se esconder ficando invisível e nos cantos, mas é revelado quando atacado, e após derrotado, libera seu coração.


Hades



No mundo de Hércules, Sora já tem seu primeiro encontro com o chefão mais implacável de todos: O deus do Submundo. Porém, é impossível derrota-lo, pois ele estava no próprio sub-mundo (e sim, dessa vez a história se passa boa parte no sub-mundo). Era pra batalha ser contra Auron, que foi ressuscitado para servir a Hades contra Hércules, mas o próprio Auron se recusa a fazê-lo e o enfrenta, ao lado de Sora.



Mas como eu disse, Hades é imbatível, então a batalha se resume a fugir, enfrentando outros Sem Corações no caminho. E sim, Hades tinha vários deles ao seu lado, graças a sua aliança com Bafo.



Ele manteve a parceria, apesar de não ser nada como a grande Aliança dos Vilões que Malévola liderava, e Bafo ainda tenta o tempo todo convencê-lo que ainda é útil e tal, mas no fim, Hades mesmo decide agir, com seu cachorro.



Sora decide encontrar um jeito de derrotar Hades, ele tava empenhado nisso, e descobre um possível método, um amuleto de Hércules. Acontece que, no sub-mundo, as pessoas enfraquecem ao entrarem, mas com o amuleto dos deuses, qualquer um era capaz de manter suas energias. Sabe o Amuleto de Zeus, aquele do filme, usado pela família adotiva de Hércules pra descobrir seu nome, e também sua origem? Então, ele é esse místico artefato, mas ele tinha sumido, e Sora tem que procurar por ele para tentar combater Hades, só que ele não ajuda muito.




A verdadeira batalha contra Hades só ocorre na segunda viagem de Sora, e é por causa de Hércules...



Inicialmente ele é imune a qualquer golpe, mas Hércules faz algo que rompe essa sua defesa, e com o auxílio dele, Hades passa a receber danos. É preciso usar Hércules pra enfraquecê-lo, e em seguida ferrar com ele.



Ele é forte, estressado como sempre, mas é vencido em uma parceria descomunal de Sora, Donald, Pateta, Auron e Hércules!




Sim, é todo mundo junto contra ele, e no fim ele termina praticamente do mesmo jeito do filme.

Cerberus



A Batalha contra Cerberus acontece pra fugir de Hades.




Como os Sem-Corações não são o suficiente, e Hades não gosta de sujar as mãos, ele manda seu cãozinho pra fazer o trabalho.



Cerberus consegue isolar Sora e Auron, que são obrigados a lutar em dupla contra o ser de 3 cabeças. Donald e Pateta apenas assistem.



Ainda assim, não é tão desafiador. Auron é bem forte e Cerberus apesar de grande e flamejante, não consegue cumprir sua tarefa e manter os dois no sub-mundo. 



Ele ainda pode ser enfrentado posteriormente, no Coliseu do Sub-Mundo, mas é algo totalmente opcional.



Aliás, esse coliseu foi aberto por Hades e Sora, juntos! E era um plano do vilão de submeter Hércules a esforço constante pra assim, enfraquecê-lo e mata-lo... Sora ajudou sem saber mas, eu falarei depois.

Demyx



Primeira luta: Contra ele no submundo, antes de aprender sobre as Silhuetas Ausentes.




Demyx é o primeiro membro da Organização desafiado por Sora nessa nova jornada. Ele o encontra no Submundo, e são duas vezes: Uma na ida e uma na volta. Mas ele só é enfrentado no segundo desses encontros.



Primeiro Demyx surge encapuzado, mas atrapalhado e deixa uma marca sombria na parede do submundo. Não da pra fazer nada com essa marca, exceto investigar sem qualquer resultado. Mas depois ele reaparece, e revela sua identidade, iniciando uma batalha contra Sora.



Não é uma luta comum, pois ele não sofre nenhum dano, e o desafio é derrotar suas cópias de água antes do tempo terminar.



É assim que ele sempre luta, e não é difícil. As cópias de água dele são destruídas com um único golpe da Keyblade, e as Notas de Água, que também precisam ser destruídas, devem ser pegas pelo quick time event do Triângulo e arremessadas umas nas outras, ou até mesmo nas cópias.



Vencendo, ele explica o que é a marca estranha que deixou, sendo uma forma de se conectar com as memórias de antigos membros da Organização. É assim que se luta contra os antigos membros, e em cada mundo, tem um simbolo desses escondido em algum ponto. Com isso, ele foge.



Segunda luta: Em Hollow Bastion, tentando enganar Sora com falsos sentimentos.




Ele aparece outra vez, mas em Hollow Bastion, durante uma guerra instaurada pela Organização contra os Sem-Corações, tudo proposital. Ele surge pra atrasar, atrapalhar e confundir Sora, o que não funciona.



Nessa parte, Sora questiona as falsas emoções que os Incorpóreos emitem, e diz que sabe que não deve acreditar. Demyx confirma as suspeitas do herói e luta até a morte.




A batalha é a mesma de antes, com cópias e notas musicais de água, mas dessa vez ao destruir todas, ele decide peitar Sora ao invés de fugir.



Ele luta pra valer, e usa ataques diversos com sua guitarra e água.



Depois de vence-lo, ele desaparece em fumaça.

Bafo





Primeira Luta: Após abrir o portal do Coliseu Infernal, Hércules segura ele, com vários sem-corações enfraquecendo o herói.



A primeira luta contra Bafo ocorre no submundo, quando ele ta trabalhando com Hades. Hades monta mó plano hiper elaborado pra reabrir um antigo Coliseu proibido, e ele consegue tudo o que queria, graças a esse suporte de Bafo.



Tudo que ele faz é lutar ao lado de vários Sem-Corações, que são invocados ilimitadamente, na frente da fechadura do tal Coliseu proibido, que Sora não sabia. De quebra, além de abrir o local, Bafo ainda consegue enfraquecer Hércules por esforço repetitivo, que é aquilo que Hades mais queria.




A primeira parte da luta consiste apenas em derrotar os infinitos Sem-Corações enquanto protege Meg.



Só é possível vencer quando Hércules aparece pra ajudar, em uma segunda etapa, e é só então que Bafo pode realmente ser derrotado.



Hércules passa a oferecer suporte mágico e defensivo pra Sora além de tirar Meg do local com Pégasos, o que ajuda a derrotar os infinitos Sem-Corações e concentrar os ataques apenas em Bafo.



Segunda Luta: No passado, após ele surgir e prejudicar sua própria história. 



Bafo foi responsável pela porta pro passado aparecer, pois tinha o desejo de refazer sua história. Primeiro ele é enfrentado em seu barco, tentando fugir com a Pedra Angular e assim, prejudicar o mundo do passado.



Nessa luta, ele tenta fugir com seu barco, roubando tanto ele (do seu eu antigo) quanto a Pedra Angular, que era o suporte do mundo da Disney. Pra derrota-lo nem é difícil, só é preciso rebater as coisas que ele mesmo joga do barco, e se pendurar pelo gancho de recolhimento, pra golpear a caixa da Pedra Angular e recupera-la.



Com isso, o Barco acaba sendo parado e Bafo volta pra terra firme, fugindo a pé e se preparando pra segunda parte da luta.



Terceira Luta: Ele é enfrentado passando por todas as versões do passado, e Sora conta com a quase ajuda de sua versão do passado, porém o Bafo do passado atrapalha mais do que ajuda.



Ele não consegue fugir completamente pois seu Eu do Passado o para no caminho e tenta tirar satisfações pelo roubo de seu barco. Com isso, rola pancadaria, e Sora entra no meio, mas os Bafos meio que tem uma rixa particular.



Apesar do Bafo do Passado fazer investidas, ele sempre erra os golpes e parece não causar dano real ao Bafo, pelo contrário, ele acaba empurrando Sora e prejudicando seus movimentos. Ele não faz isso por maldade, mas é meio que um aliado do Bafo!



Porém, a luta não fica em um único cenário. 


Nesse mundo tudo ocorre em vários "filmes" diferentes, e Bafo manipula eles livremente, trocando de mapa sempre que se sente vulnerável.




Ele usa as vantagens da paisagem pra tentar vencer, mas no fim, é fácil derrota-lo.



Apesar de derrotado, Bafo continua vivo na história, aparece várias outras vezes, e de vilão se converte em "mocinho", mas explico na história.

Hydra





Essa é a luta para finalizar a Hydra que Hércules deixou pra trás sem saber que ela não tinha morrido. Sora luta ao lado de Pégasos.




Então, no mundo do Hércules, no que sobra do Coliseu do Olimpo, Sora precisa enfrentar uma Hydra cheia de cabeças. Acontece que, Hércules e ele tinham combinado o oposto, Sora resgatava Meg, Hércules derrotava a Hydra, mas Hércules fica apressado e acha ter vencido a Hydra, indo correndo ajudar Sora. Consequentemente, o Coliseu do Olimpo é destruído, sem ter quem o protegesse.



Sora acaba tendo de enfrentar a Hydra. Nessa luta, primeiro ele precisa cortar a primeira cabeça dela com a ajuda de seus amigos, e em seguida precisa enfrentar outras cabeças que surgem, de baixo da terra, infinitamente.



E sim, ela tem aquele esquema de cabeças crescendo a cada decapitação, começando com infinitas cabeças saindo de buracos na terra onde seu pescoço tinha afundado. Mas, em certa parte da batalha Sora consegue fazer ela tirar as cabeças da terra e as enfrenta no ar, com ajuda de Pégasos.



Sora vence acabando com a energia vital dela (na lógica não venceria, no filme Hércules derrota ela na sorte, esmagando seu corpo, mas ainda assim, é possível que ela tenha tido seu coração extraído sem querer rs).


Bafo do Passado



Ele é enfrentado erroneamente, acreditado como o verdadeiro Bafo.



Pois é, quando Sora visita o mundo da Disney Antiga, ele acaba atacando o Bafo do Passado, acreditando ser o seu oponente, e isso pois o cara só tava procurando pelo ladrão de seu barco.



A luta contra ele é simples, e após derrotado, ele continua procurando pelo ladrão.

Barbossa e Illuminator





Barbossa é enfrentado como chefe final, mas ele conta com a ajuda de um Sem-Coração invocado por Bafo. Esse Sem-Coração tira a luz do local e fica se escondendo. (o Illuminator seria o Sem-Coração do Jack, o macaco de Barbossa).



Barbossa é o antagonista na história dos piratas, e ele repete o mesmo papel aqui, porém, ele trabalha ao lado de Bafo, que contribui com seus inúmeros Sem-Corações, reforçando sua tripulação. Barbossa não parece estranhar a criatura humanoide com cara de cachorro, da mesma forma que Bafo não estranha um pirata que vira esqueleto à luz da lua.



Na luta contra ele, ele poderia muito bem superar Sora e Jack só com sua imortalidade, mas, Bafo invoca um Sem-Coração pra ajudar, em um momento de desespero. Esse sem-coração, que lembra muito um camaleão, fica se escondendo pelo mapa e escurece tudo, enquanto Barbossa duela contra os heróis.



A questão é que a fraqueza de Barbossa está principalmente na Luz da Lua, então ficar na sombra é um reforço considerável, pois acaba com sua vulnerabilidade.



Então esse Sem-Coração além de atrapalhar na visão, ainda da uma vantagem injusta pro pirata, mas, ele é derrotado exatamente da mesma forma que no filme.



Quanto a natureza e origem do Sem-Coração, eu deduzo que seja nascido do macaquinho Jack, que sempre estava com Barbossa. Mas, por ter o aspecto de um réptil e não de um primata, isso pode ser um erro... ou não. As vezes a natureza no coração do macaco pirata era essa. Os Sem Corações não são necessariamente idênticos aos seres dos quais saíram, na verdade geralmente são bem diferentes, então é possível.

 Blizzard Lord e Volcanic Lord



Esses são dois Sem-Coração que lutam contra Sora quando ele está no mundo de Aladdin, ambos ao mesmo tempo e lado a lado.



Eles seriam sem corações gêmeos de elementos opostos, que se afetam ao atacar, e representam Gelo e Lava.



São chefes encarados em Agrabah, o mundo de Aladdin, ambos ao mesmo tempo. Mas, não são difíceis. Eles são de elementos opostos, e um afeta o outro, cabendo a Sora estrategiar para vencê-los.



São como fusões de Sem-Corações Gordões com Magos, por isso ficam flutuando, tem grande defesa e usam elementos naturais na batalha. São invocações de Bafo, que o faz para tentar pegar a Lampada de Jafar e escapar.


Prison Keeper





Esse é um Sem-Coração artificial em forma de Prisão, que Malévola invoca pra manter o trio de crianças segura, enquanto distrai Sora pra que Oogie Boogie se recupere. A luta ocorre na primeira visita a terra do Halloween.



As Crianças Travessas estão trabalhando com Malévola para ressuscitar o Bicho Papão, mas no final, elas não eram más. Como no filme, são crianças confusas que gostam de travessuras. Ainda assim, elas ficam dentro da jaula desse Sem-Coração, invocado por Malévola, dando suporte pra ele enquanto acobertam o ressurgimento do mestre.


É um chefão só pra distração, mas é bem fortinho apesar de tudo. Ele costuma pegar distância, flutuar bem alto e atirar bolas de fogo. É difícil acerta-lo.



Após vencê-lo, as crianças fogem.

Oogie Boogie





Oogie ressuscitado e restaurado, usa as máquinas da fábrica do Papai Cruel pra criar brinquedos corrompidos e assim, enfrentar Sora e Jack. Ele morre ainda nessa visita e batalha, pois expulsa Malévola e diz que não precisa de ajuda.



Nessa luta, é engraçado que Malévola está ainda enfraquecida, e tentando rearranjar sua aliança de vilões, dessa vez indo pessoalmente, e toma um pé na bunda. Ela ressuscita o Bicho Papão, e ele todo confuso, apesar de com esperança de se vingar de Sora e Jack, faz questão de rejeitar a ajuda dela, e é isso que causa sua derrota.



Ele toma o controle da Fábrica de Brinquedos do Papai Noel/Cruel, e tenta prender Sora e Jack (o bom velhinho ele manda embora), mas a máquina que ele cria, uma armadilha de 3 partes em que só da pra ataca-lo se estiver na mesma esteira em que ele está acima, jogando presentes explosivos e Sem-Corações, não é tão eficiente.



Pra passar de uma esteira pra outra, é preciso se aproximar do buraco de onde saem os presentes, e entrar, saindo no outro buraco de cor equivalente.



O desafio é esse, entrar e sair nos buracos com as luzes certas, pra acertar o vilão, derruba-lo de sua plataforma e continuar golpeando até ele perder o HP, ou voltar pra uma nova plataforma...



Tudo isso enquanto se evita seus golpes de longe, presentes explosivos e Sem-Corações, e corre pra frente pra não ir pra parte de trás da esteira e sofrer dano com os espinhos.


Hienas





Primeira Luta: Enquanto Simba enfrenta Scar, Sora precisa proteger Timão e Pumba, lutando contra várias Hienas.



No mundo do Rei Leão, Sora já não se da bem com as Hienas logo de cara, e quase é devorado, mas ele só chega a enfrenta-las mesmo no final da sua jornada, onde tem que bater em várias enquanto protege Timão e Pumba, na Pedra do Rei.



É a participação dele na guerra de retomada do reino, e com certeza as Hienas se deram muito mal, pois diferente de patadas, cabeçadas e tropeços originais, aqui elas tomam Chavadas e Magias.



Segunda Luta: Ao retornar pra terra do Rei, Sora acaba sendo forçado a perseguir e enfrentar as Hienas. Elas fogem dele mas a aventura não avança enquanto não derrotar as 3 principais seguidoras de Scar. Apesar de Scar estar morto, seu Incorpóreo surgiu e assombra Simba, e as hienas pareciam ter alguma resposta...




Nessa parte, Sora apenas precisa correr atrás de 3 Hienas e ataca-las. Elas meio que aprenderam a lição, mas são caçadas no Cemitério de Elefantes, por causa de informações que os heróis precisavam sobre um estranho fantasma de Scar que estava aparecendo por toda parte.

Scar





Após arruinar o reino, Scar vira um dos chefões mas é derrotado por Simba. Ainda assim ele volta como um Sem-Coração, bem poderoso e possuído por trevas, graças ao Bafo que também estava nesse mundo.



Pois é, Bafo aparece nesse mundo aconselhando Scar e providenciando seus Sem-Corações, alias Bafo assume uma forma animal de leão gorducho pra fazer parte desse mundo, mas ainda assim, fica parecendo uma quimera obesa... enfim... Scar não consegue evitar seu destino ainda assim.



Mas, algo diferente acontece. Ele vira um Sem-Coração, e desperta um poder sobrenatural e sombrio. Isso da uma baita vantagem pra ele sobre Simba, mas Sora estava la pra equilibrar. Então, na luta, Sora como leãozinho precisa peitar o Leão Sombrio que voa, joga sombra e é mó fortão.



Depois de derrota-lo, Simba assume o reino mas, a história não termina ai. Scar não retorna como chefe, mas sim como "monstro comum". Ele passa a assombrar o reino inteiro, surgindo do nada como um tipo de fantasma, que é derrotado facilmente, mas ta em toda parte.



Esse seria o Incorpóreo de Scar, que surgiu quando ele virou um Sem-Coração, e seu objetivo fica sendo atormentar Simba pra ele nunca ser o rei ideal. Pra vencê-lo, Sora precisa convencer Simba a lutar com suas próprias patas, e que ele é capaz de ser rei, não havendo uma luta final, mas vira e mexe ele surge como um inimigo só pra encher o saco.


Bafo estava nesse mundo, mas a Organização não, por isso o Incorpóreo de Scar ficou livre pra ir e vir.

Dangerous Program



Esse é um programa, que Sora e Tron enfrentam.




No mundo virtual, dentro do sistema de segurança de Hollow Bastion, Sora precisa ajudar Tron a recuperar o sistema, e dentre as centenas de Sem-Corações virtuais que estavam sendo criados pelo computador, surge essa versão suprema, um Sem-Coração Artificial e Virtual.



Ele é enfrentado dentro do sistema mesmo, e é um pouco difícil pra dupla, mas não é imbatível.




Ele ataca com energia, fica girando pela tela inteira, e pra ser derrotado é preciso pegar esferas de energia suficientes pra causar pane no sistema dele.



No fim, Sora e Tron o derrotam e conseguem se libertar, o que é o primeiro passo pra restaurar o sistema.


Úrsula



Só pra pra constatar, ela é um pseudo chefe.




Por aparecer no mundo de Ariel, a Pequena Sereia, ela não é enfrentada em batalha, então não é bem um chefe, mas, por ser um musical, onde precisamos diminuir a barra de energia dela, apertando o botão certo na hora certa, rapidamente e várias vezes, até vencer ela na música, conta como um desafio "chefe".


Sem contar que ela morre nessa "luta", o que é muito importante no futuro, mas falarei melhor depois.

1000 Heartless



Em Hollow Bastion, rola uma guerra entre os Sem-Corações e os Incorpóreos. Na verdade, é um tipo de invasão das duas raças, que além de atacarem umas as outras, ainda atacam a cidade que estava sendo restaurada. Era uma guerra declarada pela Organização, que vai inteira testemunhar e iniciar o ataque, mas era tudo parte do plano pra fazer Sora coletar Corações pra eles. 

Tem vários trechos desse grande conflito, depois de passar pelo Demyx, onde é preciso lutar ao lado de Yufie...



Ao lado de Leon...



Ao lado de Tifa...



E de Cloud...




Todo mundo coloca a mão na massa, até o Rei Mickey, depois de algo terrível que ocorreu com Pateta, mas no fim, sozinho, Sora precisa enfrentar 1000 Sem-Corações e limpar o mapa!



Não é difícil, lembra muito Dinasty Warriors, quando moba inimigos burros e é preciso sair massacrando, mas a ideia de ter 1000 inimigos é levada a risca, e sim, é preciso derrotar esse número pra só então limpar o cenário inteiro e avançar.



O triste é que isso significa que Sora deu 1000 corações de uma vez pra Organização, o que mostra pra eles que o plano estava indo bem e daria certo, então partindo daí, eles passam a agir pessoalmente nos mundos, sempre induzindo Sora a derrotar mais e mais Sem-Corações.


Desconhecido (Riku)





Sora precisa enfrentar um encapuzado que usa a mesma arma de Riku, em meio a um exército de sem-corações durante sua revisita à terra de Mulan.



Depois da Guerra Sora começa a revisitar os mundos, e rolam os reencontros. Na terra de Mulan, ele acaba se deparando com um cara usando o manto da Organização XIII, mas que carregava a espada de Riku. Ele sente que era Riku, apesar do cara não falar, e o segue. Mas, chega num local onde vários Sem-Corações aparecem e começam a ataca-lo.



Sora precisa derrotar eles, enquanto enfrenta o encapuzado misterioso, que não parece querer enfrenta-lo. No fim, o cara foge, mas Sora vê uma ameaça indo pro Império da China.

Storm Rider





Esse é um Sem-Coração invocado pela Organização XIII, que é na verdade um dragão antigo. 



A tal ameaça era esse monstro, um Sem-Coração dragão gigante. Sora precisa enfrenta-lo após tentar avisar o Imperador sobre tal criatura. Legal que, o imperador confirma que aquele que Sora enfrentou era Riku, mas depois explico isso melhor.



O que importa é que esse chefe é voador, e pra derrota-lo é preciso usar tornados que ele deixa no chão e pular em suas costas.



E também aproveitar momentos que ele cai no chão pra atacar sua cabeça.



Não é fácil, mesmo com a ajuda de Mulan e Mushu, e seus explosivos, mas no fim, ele é derrotado como todo bom Sem-Coração, e tem seu coração extraído pro Kingdom Hearts conforme a Organização desejava.




Curiosamente ele tem tudo pra ser o Sem-Coração do dragão que Mushu "matou". O Imperador cita que um misterioso encapuzado o avisou sobre um dragão antigo que havia sido contaminado pelo mal, e se transformado em uma ameaça para o Império, mas que Sora e os outros estavam la e ele não precisava se preocupar. Esse detalhe do Dragão Antigo, me fez lembrar daquele dragão que Mushu sem querer destruiu no filme, o Guardião da Família de Mulan. Ao que parece, a Organização se apossou dele, e o converteu em Sem-Coração, o que da um destino "melhor" pra ele.

Xaldin



No castelo de Fera, ele finalmente enfrenta o encapuzado que tentou corrompe-lo.




Agora que a Organização começa a agir, Xaldin se revela. Ele era o responsável pela conversão de Fera, e tenta fazer algo mais arriscado. Ele pega a Rosa de Fera e Bela, e faz o príncipe amaldiçoado ter de escolher entre uma ou outra, só pra atiçar ele. Só que, com o suporte de Sora e da própria Bela, Fera não cai nos planos dele, e rola a luta final.



Mas Xaldin não é nem de longe um cara fraco. Ele apela muito, e é intocável.




Ele usa várias Lanças ao mesmo tempo, faz investidas poderosas, ataques de longe, e de quebra, voa o tempo inteiro.



A luta ocorre ao ar livre, no pátio da entrada do castelo, só pra facilitar ainda mais a performance de Xaldin.



Mas, apesar de ter uma defesa poderosa através do vento, e ataques ainda mais fortes, sua fraqueza é justamente seu ataque. Ao atacar, Sora pode imitar seus movimentos e memorizar. Com isso, quando ele da investidas, Sora pode usar um ataque dele contra ele, indo rapidamente pra cima e caindo.



Mesmo com suas lanças e ventos o protegendo, seu ataque acaba o derrotando, e ele se desfaz.

Grim Reaper





Esse é um Sem-Coração que rouba o tesouro amaldiçoado de Piratas do Caribe, e por causa disso, fica imortal. Porém, ele aparece antes de ser amaldiçoado, em uma luta provisória, e nela, ele é como qualquer Sem-Coração, apenas com uma barra de HP grande e capacidade de teletransporte.



Mas, na segunda luta contra ele, com ele já sob a maldição, é preciso pegar todas as moedas e devolver pro baú, pra ataca-lo e assim, vencê-lo. Ele fica roubando de novo então tem que repetir isso até ele perder todo o HP.



Ele pode ser o Sem-Coração do Comodoro, ou do Carrasco (que aparecem no filme), transformados em um "Ceifeiro" por sua vontade de capturar e executar os piratas. Creio que seja isso pois, ele é invocado pelo Luxord, um dos membros da Organização, e provavelmente foi criado por sua influência na história.



Ele sofre com a maldição do baú, e pelo que da a entender, apenas quem pertence ao universo de Piratas do Caribe é afetado pela maldição. Sora, Donald e Pateta não são pegos por ela, mas Jack sim, quando esse Sem-Coração lança sobre eles (ele parece ter o poder de transferir ela pros outros). Ou seja, ele nasceu nesse mundo, então era e alguém desse mundo.


Jafar





Após cair nos planos de Iago e caçar um falso Jafar, Sora precisa enfrentar o verdadeiro, apenas com o Tapete.



Iago tenta engana-lo, exatamente como foi no filme, para que Jafar fizesse sua vingança. Mas ao invés de leva-lo para um local com lago e tal, ele o leva pra uma ruína enfeitiçada e lotada de Sem-Corações, todos prontos para acabar com Sora.



Sora só vai la, pois Iago diz que é onde Jafar está, e até tem uma ilusão de Jafar ao longe, mas no final, era tudo uma armadilha, e o verdadeiro Jafar estava em Agrabah, atacando e destruindo a cidade.




Sora enfrenta Jafar em sua forma de Gênio depois de sair dessa "armadilha".


Toda a luta ocorre no tapete, e Sora enfrenta o vilão sozinho. Ele tinha se libertado da lampada e de alguma forma, conseguiu seu poder total.



É uma batalha bem difícil, pois Jafar manipula o espaço e ele é gigante. 




Sora precisa voar até ele, pra acerta-lo em seus pontos fracos, e usar sua calda para atordoa-lo... 



Mas no fim, ele vence, e Jafar retorna pra lampada. Diferente do filme, Jafar não morre.

Crianças Travessas
(Lock, Shock e Barrel)





As 3 crianças precisam ser enfrentadas enquanto Sora protege presentes do Papai Cruel, em seu retorno a terra do Natal. Porém, não eram elas que destruíram os brinquedos.



A luta contra elas nem é bem uma luta. Sora precisa apenas trancar as 3 crianças em caixas pra interroga-las quanto aos presentes que vem sendo roubados. Coincidentemente, elas estavam na fábrica do papai noel, fuçando os presentes, mas elas não eram as ladras.




Apenas estavam xeretando por curiosidade mesmo, mas Sora pelo menos acaba com a bagunça. Só que não é algo tão fácil. As crianças são basicamente imortais, podendo ser atordoadas ao levar danos pra então, serem presas em Caixas grandes.


Mas é preciso empurrar as tais caixas na direção delas, e só há três caixas no mapa. Logo, tem que ficar batendo nas crianças, pra elas desmaiarem, jogar as caixas, e tentar capturar todas antes de alguma delas se libertar, ou acordar.



Isso com elas correndo feito loucas de um lado pro outro. É chato, mas no fim, elas são derrotadas.

Bad Experiment





Disfarçado de presente, Sora é atacado pelo verdadeiro ladrão de presentes, um robô criado pelo cientista amigo de Jack, que buscava por "sentimentos". Ele era um robô com complexo de Incorpóreo.



Basicamente ele ataca indo de um lado pro outro, puxando os outros com um canhão de vento, e usando lasers.



Ele era o verdadeiro ladrão, que depois que Sora descobre, acaba destruindo. Não há mistério em sua batalha, mas é bem triste ver seu fim, pois tecnicamente, ele não era mal.

Groundshaker





Nas terras do rei, Sora precisa enfrentar um Sem-Coração colossal, que é a união de todos os sem corações do reino. Ele é basicamente, o próprio Reino corrompido.



Depois de ajudar Simba a se convencer que é um Rei Capaz, o Incorpóreo de Scar se desfaz mas, acaba acumulando toda a energia maligna do reino em um único ponto. Todos que ele contaminou, se tornaram Sem-Corações, e ele faz todos se fundirem em um único e enorme Sem-Coração.



É um monstro grande, e Sora precisa derrota-lo atacando por cima, e por baixo. O bicho é tão grande que nem cabe na tela.




Mas, após vencê-lo, o reino é salvo e Simba pode finalmente reinar.

Sark



Sora e Tron precisam derrotar Sark pra conseguir atingir o MCP.




Ele apenas aparece como um obstáculo chato na batalha final do mundo de Tron, sendo um inimigo que usa alguns Sem-Corações pra lutar.

Sark e MCP (Master Control Program)





Sark fica gigante quando morre, seguindo os acontecimentos do passado, mas ele é derrotado novamente, junto com o MCP.



Ele ainda continua sendo só um obstáculo chato, que precisa ser atordoado pra que Tron ataque o MCP. Mesmo quando cai, ele fica só um tempo parado e se regenera completamente.




Ele não tem HP, mas se não for atordoado, não da pra destruir as placas de proteção giratórias do MCP.




Só destruindo elas, que da pra atingir o programa maligno, e vencer. 



No fim, Tron vence pulando no MCP, dentro dele, e inserindo o programa na raiz, exatamente como o Usuário fez no filme. Ele imita seu antigo amigo...

Roxas





Após visitar os mundos, Sora vai até o mundo da Organização, onde acaba enfrentando Roxas, dentro dele mesmo.



Roxas aparece apenas dentro da sua mente, e ambos se confrontam para ver quem deveria existir. Ele vai com tudo, usando suas duas Keyblades, e é bem difícil de ser superado.




Ele usa investidas, ataques de luz, sombra, e até finalizações.



Não é nada fácil, e é basicamente o primeiro chefe de uma sequência que virá.


Mas, após derrotado, ele aceita se "fundir" a Sora, e permite que ele avance até o Castelo da Organização, pois estava preparado.

Xigbar



Logo na recepção, enquanto Kairi e Riku lutam, Sora precisa enfrentar o Incorpóreo Atirador.




Logo de cara, Sora avista Kairi e Ansem lutando lado a lado contra Sem-Corações, e fica preocupado. Ele não sabia que aquele "Ansem" era Riku, então tenta correr pra salvar Kairi, mas no caminho, surge Xigbar, para impedi-lo.



Xigbar usa poderes lasers com suas armas e fica de longe atirando e desafiando as leis da gravidade e física.



Hora acompanhamos sua perspectiva, hora a de Sora... 


Sem contar que o mundo muda conforme a vontade de Xigbar, sempre dando favorecimento as suas habilidades.



Porém, Sora pode vencer, desviando dos tiros, e até usando suas habilidades novas de "copiar movimentos" pra transportar pra diferentes alvos de Xigbar e ataca-lo quando ele está vulnerável.



No fim, ele evapora.

Luxord



No cemitério dos Incorpóreos da Organização, Sora precisa enfrentar o Incorpóreo Apostador.




Pois é, dentro do castelo há um cemitério, com lápides de todos os membros da Organização XIII. Curiosamente, algumas estão ilegíveis de tão destruídas, outras ainda da pra ler, e algumas brilham diferente de outras. Acontece que, elas apontam quais membros ainda vivem, e apenas 4 mantém a luz ativa. Pra continuar, Sora precisa fazer essas luzes apagarem, ou seja, precisa lutar contra os Incorpóreos que ainda estão de pé. O estranho é que, a lápide de Roxas ainda mantém a luz, ou seja, ele ainda vivia.



Ao encostar nas lápides, Sora é levado pras respectivas salas de seus donos, e la precisa enfrenta-los, começando por Luxord, o apostador.



Sua luta é bem confusa, baseada em pontos, e ele fica lançando muitos ataques diferentes que, parecem não dar em nada, e Sora precisa tanto administrar sua barra de HP, quanto sua barra de Pontuação.



Ele transforma todos os amigos de Sora em cartas, para tira-los do jogo e desafia o garoto pra uma partida bem complexa.



É uma luta em que Sora precisa destruir os dados e cartas certas, encontrar onde Luxord se esconde,  resolver seus enigmas e passar em seus jogos, pra poder vencê-lo e libertar seus amigos.



No fim, Luxord vira fumaça, como os outros.

Saix



Ainda no cemitério, pra abrir a porta final, Sora precisa enfrentar Saix, o Espadachim.




Após entrar em contato com sua lápide, Sora é levado sala de Saix, mas conta com a ajuda de Donald e Pateta na luta, enquanto Riku protege Kairi.



O problema é ele é muito poderoso e fica pulando de uma lado pro outro, usando suas espadas descartáveis para dar investidas e golpes de luz sombria bem fortes.



Porém, suas espadas podem ser usadas contra ele, antes de desaparecerem, o que se torna uma grande fraqueza e facilita a luta.



Após derrotado, ele fica envolto de trevas e vaporiza.

Xemnas





Sozinho, Sora precisa enfrentar Xemnas, o líder da Organização, em uma batalha isolado em uma dimensão após o Kingdom Hearts ter sido atacado.




Sora simplesmente é transportado pra um local onde precisa enfrentar Xemnas sozinho, e é uma luta bem cinematográfica, com ambos correndo em prédios e Xemnas tentando se esconder pra atacar de pontos cegos.



Mas Sora vence.



Ao derrota-lo, Sora volta pros seus amigos, mas Xemnas permanece vivo...

Xemnas: O Trono


Após abrir o portal pro Kingdom Hearts, Sora e seus amigos precisam enfrentar uma nave enorme de Xemnas, pra então alcança-lo em seu trono. Primeiro, precisam correr entre prédios e construções arremessadas por ele de longe...



Depois tem que esquivar por entre as partes da nave, destruindo e passando pelos canhões gigantes, um por um...




Eles tem que pular em cada canhão, e destruir os incorpóreos dentro eles, até poder passar pro próximo, tudo com tempo limite.



Depois precisam destruir uma porta enorme, destruindo incorpóreos que a protegem pra então ataca-la.




Só então se chega em Xemnas, que assume uma forma de Rei dos Incorpóreos, mas não faz muito além de atacar com sua espadona.



Após vencê-lo, ele retorna pra sua forma normal e em seguida se dissolve, parecendo estar morto.




Mas, após todos conseguirem sair do mundo das sombras, com ajuda de Roxas e Naminé, apenas Sora e Riku ficam presos, e Xemnas ressurge em uma nova forma.

Xemnas: O Dragão


Como um Incorpóreo Voador, um tipo de Dragão, Xemnas ataca e Riku consegue uma pequena nave, na qual ele e Sora voam para perseguir e destruir Xemnas Dragão.



A luta é longa, uma batalha voadora cheia de inimigos.




Onde o jogador controla a nave, Sora e Riku ao mesmo tempo. Riku atira com um laser, Sora ataca com a Keyblade, e a nave além de movida pelo analógico, também cria uma barreira defensiva contra golpes de energia.




Nas Sora e Riku conseguem vencer, e pulam dentro do dragão, que tinha Xemnas em sua forma Rei dos Incorpóreos novamente.

Xemnas: O Rei

De inicio, ele volta como um rei no trono, mas as coisas ficam mais complicadas depois.




Essa é uma batalha um pouco mais difícil, onde Xemnas usa todo o espaço ao seu redor pra atacar, invocando e arremessando prédios inteiros, e fazendo tudo pra afastar os heróis de seu corpo real.




Mas, depois de voar (nessa parte Sora consegue voar), Sora e Riku alcançam o Rei Incorpóreo em seu trono e o derrotam, mesmo ele apelando pra lasers e tal.



Porém, mesmo o derrotando, eles acabam presos no mundo sombrio.

Xemnas: O Sith

E Xemnas ressurge, agora com sua própria forma mesmo, mas com a roupa parte branca, parte preta.




Ele usa dois sabres de luz, e poderes telecinéticos (ele vira um Sith!) além de ser muito, muito rápido, criando até cópias quando se move.


Ele usa lasers e teletransporte...




Projeções físicas como obstáculos (ele tecnicamente usa muitas das habilidades dos demais membros da Organização, mas, próprias dele).


Ele quase vence, prendendo Sora, mas Riku o salva.



É quando jogamos de Riku, é bem breve mas, é uma boa experiência.




Ele também faz um globo da morte com lasers, prendendo Sora e Riku (eu tomei todos os golpes), que precisam defender rebatendo rápido.



É uma batalha bem cansativa.




E mesmo depois que termina, mesmo ele sumindo, ele invoca infinitos Incorpóreos e Sora e Riku se desgastam lutando... assim, terminando a batalha, mas não a história.

Enredo


Sabia que esse jogo possui pouco mais de 13 horas só de cutscenes? 

Eu resumi tudo isso, bem detalhadamente, com imagens e incluindo o gameplay, mas o texto ficou grandão. e decidi coloca-lo como uma postagem a parte.

Você decide, caso queira conhecer a fundo a história do jogo, bem como todas as comparações com os filmes que ele altera, eu fiz um trabalho bem legal, e é só clicar aqui:

AnáliseMorte: Kingdom Hearts 2 - Final Mix
A História



Resumo




Roxas vive 5 dias até descobrir que é tudo uma mentira, e se funde a Sora, formando o Soxas (mentira, ele vira só o Sora mesmo, mas com dupla personalidade).


Junto com Donald e Pateta, ele ganha uma roupa de fusão constante e viaja pelo multiverso, reabrindo as fechaduras que ele trancou, não todas, e algumas são novas. Alias, Malévola ressuscita e tenta atrapalha-lo nessa jornada, ao lado de Bafo.


Sora viaja ajudando e interferindo numa porrada de histórias, até voltar pra Hollow Bastion, tecnicamente o local onde sua aventura anterior terminou, e também onde essa começou. La, rola uma guerra entre os monstros velhos e os monstros novos, e ele fica no meio, até sofrer um ataque dos encapuzados e quase morrer, mas, é salvo por Malévola, que some.


Depois disso ele revisita os mundo tudo, e é ajudado por um cara misterioso, que no fim, o leva direto pra Cidade do Crepúsculo, onde ele descobre que Roxas existiu, num mundo copiado, e acessa o mundo do vazio através dele.


Ele vai parar no castelo dos encapuzados, onde luta com geral, e encontra Kairi e Riku, que era o cara encapuzado que o ajudou. Kairi vira uma Keyblader, e eles lutam lado a lado até chegarem até Sora. (Doidera né? Quer entender o contexto, leia a história inteira!)


Riku estava na forma de Ansem das Trevas, mas com ajuda de Kairi, eles acabam se reconhecendo.


Então juntos, eles encontram Mickey que estava no castelo atrás de Ansem, o verdadeiro, e tinha encontrado ele, que usa uma máquina pra destruir metade do Kingdom Hearts, sem querer, que faz uma penca de Sem-Corações renascerem e invadirem o castelo, além de sem razão aparente, remover a forma amaldiçoada de Riku. Ah, Ansem morre na explosão da máquina... envolto de luz.


Assim, Riku e Sora, e o resto, enfrentam os bichos tudo, atrás do último remanescente dos encapuzados, o líder deles, Xemnas, e recebem cobertura de Malévola e Bafo, os quais queriam o castelão pra eles.


Após uma luta tensa contra Xemnas, Naminé usa o restinho de sua "existência" pra salvar Kairi, Mickey, Donald e Pateta... Nessa parte também, o lado Roxas de Sora sai dele e se despede de Naminé, que o próprio Sora nem conhecia, e no fim tanto Naminé quanto Roxas se fundem a seus respectivos seres de origem.


Mas Riku e Sora acabam ficando presos no mundo das trevas, enfrentam Xemnas novamente, até destruí-lo de vez, e passam a andar em busca de uma saída, peitando inimigos por toda parte, até cansarem.


Quando ambos estão praticamente desistindo de sair de la, uma luz se abre, graças a Kairi, e eles escapam, de volta pra Destiny Island, onde todo mundo se reúne.



E fim.

Eu recomendo que leia a história inteira pois eu detalhei bastante e expliquei muita coisa, mas, se tava curioso, o enredo basicão é esse.

É isso...


Espero que tenha curtido. Eu também coloquei a parte de curiosidades na outra postagem, mas caso queira perguntar qualquer coisa, por favor é só comentar. Eu aprecio muito comentários, adoro responder e o feedback de vocês é o que me motiva a continuar.


Faltam ainda 5 títulos: Kingdom Hearts Re-Coded, Kingdom Hearts 358/2 Days, Kingdom Hearts Dream Drop Distance, Kingdom Hearts Birth By Sleep 0.2, e Kingdom Hearts χ.




Todos são importantíssimos para que meu trabalho prévio pra KH3 esteja completo, e bem, eu estou ansioso pra caramba. Mas, não se preocupe, a maior das análises foi justamente a de KH2. Ele é um dos títulos principais e eu queria deixar ele detalhado e completo o suficiente pra servir de referência às demais. Agora, nas outras, terei apenas que me focar no conteúdo original.

Muito obrigado pela leitura e até a próxima!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

CadastroMorte

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner