ArquivoMorte

PesquisaMorte:

quinta-feira, 23 de agosto de 2018

CríticaMorte: Ghost Stories

Senti vontade de ver um filme, e acabei iniciando esse, mas assim que começou, eu desisti pois achei que era ruim e genérico. Foi só depois que vi um vídeo na internet, uma crítica, do Super 8, que acabei sentindo vontade de rever e dar uma chance, e foi assim que me surpreendi com um ótimo filme de terror.


Pois é, acontece, então bora la pra crítica.


Este filme começa como um pseudo documentário, completamente inspirado no caso do James Randi, o desmascarador de mágicos e paranormais. A primeira cena do filme é uma recomposição de um dos casos mais famosos do trabalho de James Randi, o do pastor Peter Popoff, que usava transmissão via radio pra se comunicar com sua esposa, e fingir conhecer os problemas do público para assim, dizer que Deus lhe dava o poder da cura e o mandava mensagens para essas pessoas.


Eu parei de ver o filme nessa parte, pois imaginei "Estão tentando recriar o documentário REAL de James Randi, e por um toque sobrenatural pra fingir ser um filme de terror" e minha ignorância me impediu de ver e ter uma grande surpresa.


Na verdade, o filme já iniciava seu grande plotwist logo nesse comecinho: Era tudo um sonho.

Cara, o formato Documentário, que pouquíssimo tempo depois é abandonado completamente, isso era parte do filme, uma parte crucial. A semelhança com a realidade, inclusive em palavras, porém a divergência tanto em cenário, quanto em detalhes, não tinha a ver com "direitos autorais", mas sim com a própria trama! Aparentemente o cara tinha escutado o documentário e reproduziu isso em sua mente.


Isso me deixou boque-aberto quando terminei de assistir, em minha segunda tentativa, motivada, como eu disse, por um vídeo do YouTube. Alias, eis ele aqui:


Eu adoro esse canal, apesar de nem sempre concordar (A Bruxa que o diga), e gosto de me inspirar e conhecer filmes através dele. Fiquei surpreso quando ele falou que Ghost Stories era "bom", e precisava tirar a prova real, e de fato era.

Em termos críticos, não tenho nada a acrescentar. O Otávio geralmente é bem cirúrgico e minucioso nesse sentido, mas o que posso dizer é que, esse filme não aterroriza.


Ele assusta, as vezes, e intriga também, com muitas coisas que nos fazem imaginar, sem a menor possibilidade de ver... algo que com certeza contribui pro terror, através de suspense... mas os jumpscares não são tão incríveis assim. Pelo menos eu não me afetei por nenhum del... pera ouvi algo...

Enfim, eu gostei do filme, mas muito mais pela mensagem final que ele passa: Nosso subconsciente nos prega peças.


Alias, eu me identifiquei tanto com um detalhe do filme que precisava falar dele o quanto antes. O detalhe do cara o tempo inteiro estar apenas sonhando e nós acompanharmos a mente dele, gerando aquilo que retém do mundo exterior, é exatamente o mesmo contexto dos sonhos que temos normalmente.

Sabe aqueles sonhos bem lúcidos, cheios de detalhes mas que nunca conseguimos lembrar? Pois é, são exatamente isso que vemos reproduzido em Ghost Stories: Nossa mente, nos pregando peças.


Enquanto descansamos, nosso cérebro organiza as informações do dia, e isso são os sonhos. Por muitas vezes, fatores externos imediatos influenciam esses sonhos de forma que nós recordamos posteriormente, mas de um jeito completamente original, familiar, mas bem diferente.

Eu lembrei do sonho que tive quando criança, que por anos me fez pensar que eu tinha visto meu futuro, onde eu conhecia uma garota num aquário, e ambos nos apaixonávamos enquanto eramos alvejados por um maluco com uma pistola, e tentávamos escapar, com a água do aquário jorrando sobre a gente e quase nos afogando. 

Pois é, esse sonho foi bem claro pra mim, e repito, por muito tempo achei que se eu visitasse um aquário, conheceria o amor da minha vida... mas na real era Titanic. Eu estava dormindo no sofá e minha família estava assistindo Titanic, e minha mente foi influenciada pelo áudio do filme, gerando aquilo que eu achava que eram mas misturando com ideias minhas da época.


Eu fui perceber isso quando assisti o filme, e notei as semelhanças de algumas cenas. 

Fiquei tão familiarizado com a descoberta ao terminar Ghost Stories que, precisava mesmo compartilhar.

Só pra não deixar o post incompleto, eis minha sinopse do filme: Um cara recebe a tarefa de investigar 3 histórias paranormais, para provar se o sobrenatural existe. Uma fala de Espíritos, outra de Demônios, e a última sobre Poltergeists, as três vertentes do supernatural, mas o que ele não imagina é que todas as histórias estavam conectadas a ele.


Esse filme, vale muito a pena... e acredite, você vai se surpreender igualmente, mesmo eu dizendo qual a grande reviravolta. 

É isso.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

CadastroMorte

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner