AnáliseMorte: MegaMan - Legacy Collection - Tudo sobre MM - O Nascimento de Rock

Em breve sairá o MegaMan 11, e eu me sinto na obrigação de refazer as análises da série principal, dessa vez de uma forma mais detalhada e completa. Então, a melhor forma que encontrei foi através da Legacy Collection, uma coletânea de todos os jogos até o 10.



Mas, não falarei de toda a coleção em um único post, pois quero fazer algo realmente detalhado, começando por Mega Man 1, o primeiro e mais simples de todos.

AVISO

Esse artigo possui spoilers.

Boa leitura.



Mega Man 1




O primeiro MegaMan era tão simples, que sua história vinha apenas no manual. Muitos conceitos originais foram mudando com o tempo, ideias surgiram e a série foi se consagrando, mas mesmo nos primórdios, era algo bem mais profundo do que aparentava.

Primeiro que, MegaMan foi trabalhado como um game de "Astro Boy", então alguns conceitos são claramente inspirados, mas, os criadores adaptaram legal, mudando alguns fatores e criando sua própria identidade.

Um detalhe curioso é que, apesar de muitos atribuírem o nascimento de Mega Man ao desenvolvedor Keiji Inafune, ele próprio já admitiu que não é o criador. O personagem já tinha seu esboço quando ele entrou pra Capcom...

Então, a base de MegaMan não está ligada apenas no designe, algo evidente ao se observar os detalhes do Astro Boy, mas também em enredo. Muito da história da série inteira foi construído com base no que já havia, mas sempre no sentido de copiar, sem ser igualzinho.



Pode-se até dizer que a essência de MM é "Copiar". Os poderes do personagem é copiar, seu designe é uma cópia, sua história é uma cópia, mas ainda assim, é uma franquia de muito sucesso, e um marco nos games.

Muito disso se deve a jogabilidade.


Mega Man é um jogo de Aventura em Plataformas, com elementos de Tiro. O personagem precisa andar e pular, atirando em inimigos diferentes, passando por obstáculos e situações complicadas, pra no fim enfrentar um chefão maluco que pula de um lado pro outro. 

Ele também absorve o poder desse chefão após derrota-lo, e o usa para enfrentar outras fases e outros chefões. Ou seja, quanto mais se avança no jogo, mais fácil ele fica, pois o protagonista fica mais versátil.

A questão é saber por onde começar. Como não é um jogo linear, e você decide qual fase visitar, encontrar a ordem "certa" dos chefões pode ser um probleminha. 



Da pra derrotar e ultrapassar as fases usando as habilidades próprias do robô, mas tudo sempre fica mais fácil com os poderes certos... e sim, o protagonista é um robô.

Existe, em MM1, um único poder extra que pode e deve ser obtido para se ultrapassar a fase final, esta que só se abre após as 6 anteriores serem superadas.

Eu falarei dos poderes e tal, mas só depois que eu falar dos personagens...


Detalhe, não há checkpoint ou sistema de salvamento em MegaMan, então originalmente era um saco passar pelas fases, morrer, morrer, voltar, morrer, e ter de passar por tudo de novo. Como por padrão só tem 2 continues, era realmente desafiador.


Mas, na versão do Legacy Collection, da até pra salvar o progresso do jogo no meio da fase, o que meio que facilita de mais as coisas... 


Ainda assim, o jogo ainda é bem difícil.

Personagens

Rock


O nome real e original de MegaMan é "Rock", tanto que o próprio jogo se chama RockMan em seu país de origem. Pelo manual um pouco de sua história é contada, mas pelo jogo, ele já começa metendo plasma em todo mundo.

Rock era um robô assistente, o primeiro criado e iniciado. Ele foi um sucesso, ao ponto de motivar seus desenvolvedores a criarem novos robôs para tarefas perigosas ou pesadas, que os humanos não conseguiriam. Porém, um dia esses robôs foram todos hackeados e modificados, pelo assistente humano do cientista chefe, o que iniciou uma era de desastres.

Rock era o único robô que não tinha sido corrompido, então seu criador decidiu adapta-lo para batalha, com um sistema de captura e correção de dados, para que ele fosse atrás de cada uma das máquinas e as detivesse. 

Assim surgiu o robô azul.


Detalhe que nem o jogo, nem o manual conta, é de onde a ideia de criar um robô assistente com aparência humana exata, surgiu.

Originalmente, a ideia era ser um garoto falecido, que levou seu pai a, através da robótica, tentar superar a dor e criar um novo filho. Ele fez um androide exatamente igual seu filho, o batizou com o mesmo nome, mas percebeu que era um erro, quando o robô não carregava a mesma mente, nem tinha a mesma personalidade.



Então esse cientista passa a recusar seu "filho", se convertendo no vilão, enquanto um novo cientista adota o robô e o ensina a ser ele mesmo, como Astro Boy! Ele tenta dar ao garoto uma família, e fazê-lo ser aceito pela comunidade, acreditando que humanos e robôs poderiam e deveriam conviver pacificamente.



Claro que como o jogo não podia ser lançado como "Astro Boy" por causa dos direitos autorais, a Capcom optou por omitir a história de origem e deixar apenas o conceito, pelas entrelinhas.

A história que pode ser obtida observando detalhes, é a de um robô criado com a imagem de uma criança, muito importante pro seu desenvolvedor, que vive sozinho. Logo, o cientista teria criado um robô usando a forma de alguém que ele amava, e depositou esse amor nele. 



Em teoria, Rock seria filho desse cientista, que após morrer o motivou a trabalhar na robótica para recria-lo. Mas, depois do sucesso, outras máquinas foram criadas, com ele mantendo esse robô exclusivamente ao seu lado, até que o sentido de justiça que o próprio robô desenvolveu, o faria pedir pra lutar contra seus irmãos.

E sim, Rock acaba desenvolvendo personalidade, senso de justiça e consciência! Coisa bem incomum, pra uma mera máquina. Todo o amor de seu criador, acabou despertando livre arbítrio na criação... e é ai que toda a história de MegaMan passa a se desenrolar.

Não como um mero robô buscando destruir outros, mas como uma máquina com pensamentos, que luta pelo que acredita e vai despertando sentimentos e emoções humanas... profundo né? 

Roll




Ela aparece pouquíssimo, e nem no manual é mencionada. Roll é outro robô, criada como secretária do lar, e também com aparência humana exata, e infantil.

É meio estranho isso, considerando que era um senhor de idade que construiu essas máquinas, para viverem com ele em sua casa, e prestarem serviços. Vendo que tinham outras máquinas e nenhuma delas tem aparência humana exata, com roupas humanas e cabelo, levanta questões sobre a índole do cientista. Seria ele um tarado? Ou um maluco que curtia trabalho infantil? Óbvio que não... credo...

A ideia de que ele tinha refeito sua família é a mais aceitável e coerente. Roll então seria irmã de Rock, "ressuscitada" na forma de um robô bem prestativo.

Dr. Wright




O criador desses robôs todos se chamava assim, mas posteriormente seu nome foi alterado pra Dr. Thomas Light. Ele é o mocinho da história, desenvolvedor de todas as máquinas, mas que foi tapeado por seu colega e perdeu o controle de várias delas.

Suas máquinas, todas elas, tinham funções benéficas para suas pesquisas. Ele criou máquinas para trabalharem em muitos setores que humanos não conseguiriam, e tudo deu certo, até ele ser traído.

Light altera Rock por pedidos do próprio Rock, caso contrário ele jamais poria seu robô preferido em perigo. Ainda assim, ele sempre tenta atualizar o robô pra deixa-lo mais forte e seguro, sempre arrumando alguma peça extra, acessório ou até aliado. Chega a ser engraçado o quanto de suporte Rock recebe ao longo de sua aventura, durante a franquia, mas aqui, ele só tem uma peça extra...

Ele encontra um Upgrade pra seu canhão, que ao invés de disparar bolas de energia, dispara plataformas de energia. Falarei melhor disso depois, mas em resumo, esse equipamento serve para assegurar a vida do robô, e facilitar sua passagem pelos obstáculos que surgem.

Light sempre da um jeito de criar algo pra ele, mas muitos desses equipamentos acabam sendo roubados pelo seu ex-colega e escondidos...

Dr. Wily



Wily é o grande vilão do jogo, e também o colega traiçoeiro de Light.


Ele não apenas roubou as invenções de seu colega, como as corrompeu e botou para atacarem diferentes pontos do mundo. As máquinas que ele transforma passam a servi-lo indiretamente.

Wily apenas habilitou suas funções e os colocou para causarem problemas, e deixou. Ele queria o caos, queria manchar a imagem de seu colega, mostrando que as máquinas eram perigosas.

Mas, ele não faz nada disso com boas intenções. Tudo indica que Wily invejava o crédito de Light e buscava roubar isso pra ele, então, ele decide colocar as criações de Light como inimigos da sociedade, até que Rock se prontifica pra defender seu criador.

CutMan




Esse robô foi criado com a função de cortar. Basicamente, é o desmatamento em pessoa, mas sua fase nem é uma floresta toda aniquilada. Na real, ele fica em uma prisão!


Sem grandes detalhes, da pra interpretar sua fase como uma prisão pela composição em designe, e também, pelos inimigos que nela aparecem. São vários robôs de Monitoramento e Segurança, todos corrompidos.


Quais os planos de Wily em colocar um robô que corta pra tomar uma prisão? E o que exatamente essa prisão prendia? Se na época, máquinas corrompidas ainda era novidade? Como não há presença de humanos... será que Wily apenas não aniquilou todos os prisioneiros na base da decapitação?


Existem algumas câmaras escurecidas, impossíveis de se atacar ou investigar, que jogam Tesouras de CutMan se Rock se aproxima. Seriam essas as câmaras de execução? Ta certo, robôs não podem matar humanos, mas no inicio de MegaMan isso não tinha sido estabelecido.


Então, Cutman seria um robô cortador, transformado em executor. Sinistro né? Ou apenas estava roubando recursos da prisão para a base de Wily...


Ele nem é difícil, seu poder é pular por ai e atirar suas tesouras bumerangues. Da pra derrotar só ficando no canto atirando e empurrando ele pra trás. Alias, todos os inimigos de MM tem um ponto fraco baseado no elemento de seus aliados, mas depois falo disso.

GutsMan




Esse é um robô de mineração, na verdade ele é perito em carregamento, e engenharia. Sua fase é uma pedreira, que ele tomou conta e arruinou.


Não há humanos trabalhando por la, apenas robôs, e isso fica bem claro pois todas as máquinas são do tipo de trabalho pesado e industrial. Mas, com toda certeza o local não está em seu normal...


Isso faz dela uma das fases mais complicadas, principalmente no inicio, em que da pra morrer despencando dos transportadores de entulhos, só não pulando na hora certa... é um saco.


Isso, mostra o quão genial GutsMan é. Ele constrói a fase com a estrutura mais complexa e mortal para tentar acabar com qualquer intruso, repleta de armadilhas e obstáculos dificílimos. Ele é sem dúvidas, o mais inteligente dentre todos os robôs, pelo menos em termos de engenharia.


GutsMan é tão incrível, que ele quem ajudou a bolar (se é que não o fez sozinho) a base final de Wily! Provavelmente, enquanto montava suas armadilhas na pedreira, ele extraiu material para construir a base. Nela, da pra ver estátuas dele por todo lado, o que sugere um certo narcisismo e orgulho excessivo por parte dele.


Entretanto, o poder dele é o mais inútil em batalha de todos. 


Ele pode pegar pedras e jogar, pra fazer o chão tremer e atordoar Rock.

ElecMan




Esse robô é uma máquina criada pra trabalhar diretamente com eletricidade. 


Ele tem funções relacionadas ao suporte elétrico da base de Wily, por isso, ele tomou controle de uma torre de eletricidade.


Essa torre é uma fase cheia de inimigos de segurança e reconhecimento, e eletrificados. MegaMan precisa escalar (por dentro ou fora) pra lutar contra ElecMan la no topo.


Ele é forte, pacas, pois seus tiros elétricos vão pra todos os lados, sem contar que em MM, encostar em inimigos também causa dano, e todos os chefões adoram pular pra cima de MegaMan.


Só que ele é bem fraco pro ataque de CutMan, depois falo disso.

IceMan




Esse robô foi criado para realizar pesquisas em locais sob temperaturas extremamente baixas, por isso tem habilidades relacionadas ao gelo.


O tenso é que ele foi corrompido ao ponto de destruir uma floresta e congelar uma paisagem para poder realizar essas pesquisas. Ele é um dos robôs mandados só pra criar o caos, e manchar a reputação de Light.


Sua fase tem robôs vigias florestais e alguns animais. Tem até pseudo pinguins, mas são apenas máquinas avícolas que se adaptaram ao tempo.


IceMan fica escondido após uma série de elevadores malucos, mas ele é bem fraquinho. Seus ataques giram em torno de lançar estacas de gelo em diferentes alturas, o que pode ser desviado e evitado.



BombMan




Este é um robô criado para lidar diretamente com explosivos, com o objetivo de auxiliar em construções, ao lado de GutsMan. Porém, uma vez corrompido, seus explosivos se convertem em armas.


Ele é encontrado em uma fase cheia de torres com esferas no topo ao fundo, o que parecem ser prédios, ou torres de comunicação. Independente do que seja o cenário, ele estava prestes a ser detonado, pois BombMan estava instalando bombas no subsolo. 


Detalhe que um dos inimigos encontrado la é um robô agrícola, então, talvez essa área tivesse alguma função nesse sentido (Kamatoa, o nome do robô abaixo, ele é um pesticida ambulante).



Há muitos robôs de segurança e sentinelas, todos corrompidos, além de alguns explosivos, mas Rock impede uma catástrofe ao derrotar BombMan.


BombMan não é tão forte, ele apenas joga explosivos, e fica pulando de um lado pro outro.



FireMan




Este é um robô criado para incinerar resíduos e trabalhar em altas temperaturas, mas, ele aqui aparece promovendo a desordem em uma Incineradora Subterrânea (acho que é subterrânea).


Ele, ao lado de vários outros robôs de manutenção térmica, e até explosivos, faz o contrário do que deveria: Nada. Talvez seu trabalho de incinerar para se livrar de materiais nocivos tenha se revertido e ele esteja evitando o descarte seguro dos mesmos. 



Da pra notar que nada ta sendo "insinerado" ao se observar pelos dutos de ar por onde só passam chamas, não fumaça.




FireMan é o mais enérgico de todos os robôs, talvez pelo fato de não estar trabalhando propositalmente, ele usa toda essa energia pra atacar Rock com rajadas sequenciais infinitas de fogo.




Depois de se derrotar todos os 6 inimigos iniciais, Rock vai pro encontro com Wily, porém, ele precisa passar por vários inimigos em seu castelo, cada um com uma fase própria:

Yellow Devil




Esse robô é um simples núcleo de reajuste molecular. Seu propósito original não é claro, mas ele foi configurado para fazer sua massa tomar a forma de um humanoide e atacar invasores do castelo de Wily.


Ele ataca se desconstruindo e reconstruindo de um lado pro outro da tela de batalha, mas o curioso é que ele sempre usa o mesmo padrão, então, apesar de bem difícil no começo, ele fica previsível.


Como todo contato com os robôs em MM é letal, é bem complicado passar por ele sem tomar dano, pois suas partes vem de várias alturas diferentes, mas, quando se entende o padrão, da pra pular os corretos e vencer. O chato é que ele fica apenas um segundo em sua forma grande com seu núcleo exposto, e pra derrota-lo, tem que atirar bem no núcleo, que sempre aparece num ponto diferente de seu corpo, e atirando.


Então, tipo, é uma máquina realmente diabólica.

Cópia




O segundo obstáculo que Rock precisa enfrentar no castelo de Wily, é ele mesmo. Ele acaba entrando numa copiadora de robôs, que copia ele e todos os poderes que ele adquiriu.


A Cópia é tão forte (talvez até mais) que Rock, e tem a vantagem de causar dano quando encosta (sem sofrer dano, só pra desequilibrar). Mas, ela não é inteligente, e essa é sua desvantagem.


Os robôs cópias tem como padrão movimentos de pular e atirar. Tem muitas versões de várias máquinas que Wily está copiando e são esses que Rock enfrenta tanto, mas, aqui ele vai direto na fábrica, que é o castelo do Dr. Wily. Quando ele enfrenta Cópia, ela só assume as habilidades especiais dele quando ele as equipa (eu vou explicar elas depois).


Além disso, por ter a desvantagem de agir com uma AI padrão, o jogador da a Rock os movimentos e estratégias essenciais pra vencer. Ou seja, o que torna Rock o MegaMan, não é seu físico ou seus poderes, mas sua mente.


CWU-01P



Esse é um simples purificador de água, que foi corrompido por Wily e agora, é nocivo.




MegaMan acaba tendo de destruí-lo na invasão do castelo de Wily, tendo de passar pelos dutos de água como único acesso.


Não há muito o que falar dele, tirando o fato dele ter múltiplas luzes baseadas em sua temperatura interna, e ele superaquece conforme é atacado, o que causa sua destruição. Ele também é envolto por uma bolha que sempre que é destruída, faz ele aquecer um pouquinho mais. Parece que o contato direto com a água é letal pra ele nessa configuração.


E bem, esses são os inimigos que Rock enfrenta em sua aventura, até alcançar Wily e enfrenta-lo... mas falarei disso daqui a pouco, ao contar a história.


Agora, bora falar das habilidades de Rock.

Habilidades

Esses são poderes que Rock obtém quando copia os dados dos robôs principais derrotados. Os chefões de fase, em especial os 6 iniciais. Cada poder tem um elemento, e pode ser usado como a fraqueza de um dos 6 chefes, sendo que o jogador precisa descobrir coletando.

Cut Blade


Esse ataque, conquistado ao derrotar e copiar CutMan, permite a MegaMan usar os bumerangues corantes do robô. É consumida energia por disparo, e ela não é regenerada quando ele volta (faria sentido rs).


Eles podem cortar praticamente todos os robôs.

Super Arm


Esse poder, adquirido pela cópia do sistema de GutsMan, é praticamente inútil. Ele faz o braço de MegaMan ficar muito mais forte, permitindo levantar pedras grandes, quando tem pedras grandes. O problema é que ele só serve pra isso, então em batalhas, é bem limitado (nem sempre tem pedras gigantes no mapa).


Sem contar que mesmo pra abrir caminho, ela não é tão necessária afinal, tem outra arma que é bem melhor nesse sentido, e destrói as Pedras que ela arremessa...

Thunder Beam


Essa é a arma mais forte, causando disparos em quase todas as direções em um único tiro (vai um pra cima, um pra baixo e pra frente, tudo ao mesmo tempo, e são tiros grandes). Eles destroem quase tudo, inclusive pedras Grandes.


Essa arma é basicamente o ponto fraco de tudo, e é conquistada do ElecMan, após derrota-lo e copiar seus dados.

Ice Slasher


Essa arma é pega do IceMan, após copiar os dados dele, e realiza disparos congelantes que paralisam inimigos comuns por um tempo.


Esse não é um golpe muito forte, mas é útil pra passar por inimigos imortais que pulam alto, parando eles no meio do ar.

Hyper Bomb


Essa arma permite arremessar Bombas Grandes que detonam depois de alguns segundos. É meio inútil em batalha, exceto contra o robô que é fraco contra ela, GutsMan, pois ele se move pouco e fica de longe jogando pedras, o que da tempo das bombas explodirem.


Mas, tirando isso, ela não tem mais utilidade. É a arma conquistada com os dados do BombMan.

Fire Storm


Essa arma é a segunda mais fortinha, apesar de nem chegar perto da elétrica. Ela é pega do sobrecarregado FireMan, e faz dois ataques ao mesmo tempo, criando um escudo de fogo de 1 segundo, que queima quem toca em MegaMan, e disparando uma bola de fogo.


É útil, principalmente no final.

Chãozinho

Além desses poderes, tem um extra que MegaMan obtém em uma das fases (na torre de energia), e estava escondida, na forma de uma simples peça.


Esse poder permite que Rock crie plataformas onde quiser, pra subir e assim, alcançar locais incomuns, ou simplesmente facilitar as passagens.


Esse poder consome uma barrinha de energia por disparo, e é essencial pra se superar o jogo, pois no Castelo de Wily, há partes impossíveis de se passar sem criar as próprias plataformas.


Com tudo isso, o robô segue em sua aventura pra deter o maligno Wily, e eis a história:

História

Rock com sua nova configuração parte em viagem pra deter os robôs de seu criador, que foram corrompidos.



Ele enfrenta os 6, e descobre o paradeiro de Wily.




Então ele vai até seu castelo, onde enfrenta vários obstáculos, e precisa derrotar os 6 robôs novamente...


Wily os havia copiado, e instalado em sua base para proteção, e Rock precisa lutar com eles um depois do outro, sem descanso.



Mas, após vencer, ele consegue achar o cientista, que se equipa em uma nave robô.



Mas, MegaMan consegue destruir a cúpula protetora da nave e expor Wily...



Pra então derrota-lo cara-a-cara.




Wily, após ser queimado e espancado, e após perder sua máquina, decide se render ao robô e confessa seus crimes.



E assim, MegaMan vai pra casa, bem sucedido, e após salvar o mundo.




Ele se desequipa de seu uniforme de batalha, volta a sua configuração original, e vai viver com sua família...



Até que um próximo inimigo surja, e ele precise se equipar outra vez.



Fim.

E ai o que achou? Acha que viajei de mais na minha interpretação sobre o jogo? Pois é, antigamente tudo girava em torno de interpretação, e acredite, eu até que fui bem pé no chão... Quando o jogo saiu do japão, e ficou de ser publicado la nos EUA e na Europa, fizeram capas pros cartuchos, oficiais ta, do que eles imaginavam que o jogo simbolizava... apenas veja:




Isso é piada até hoje, mas de fato, os caras interpretaram um marmanjo vestido de azul (e dourado) com uma pistolona na mão, num mundo psicodélico ao estilo Tron.

Bem, no futuro falarei dos outros jogos, e espero que você tenha gostado.

See yah.

Postar um comentário

12 Comentários

  1. a coletanea é otima, a melhor versao é a do 3ds claramente, porem ela falha em ser apenas um emulador
    por que poderiam ter pelomenos resolvido os problemas de slow donw,
    sério,

    fora os jogos que faltaram...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Decidiram colocar apenas os títulos principais sequenciais. Também senti falta de alguns jogos clássicos, e achei que dividir em 2 partes era algo meio mercenário (afinal o peso dos games não é tão grande, mesmo com os 10) ainda assim, gostei do que fizeram. Detalhe que eu notei os slow downs e achei meio nostalgico... sei la porque, na época dos video-games isso era comum em cenas com muitas coisas ao mesmo tempo, mas na versão original de MegaMan, pelo que eu me recordo, ao invés de camera lenta, havia quebra de sprites e transparência.

      Enfim, eu curti... alias, eu gostei também do Museu que colocaram com concept arts originais... isso é algo que toda coletânea deveria ter.

      Bem, see yah sr Roberto e obrigado pela leitura.

      Excluir
  2. Salve Shady, como vai? Gostei bastante da análise, sinceramente, achei que essa análise ficaria menor por se tratar do jogo mais simples da franquia, mas vc conseguiu analisar de uma forma que ficasse interessante. Outro ponto positivo é modelo do post, espero ansioso a análise próximos jogos. Só uma pergunta: Mega Man & Bass está incluso no Legacy Collection?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Infelizmente não esta no Legacy Collection, mas eu falarei dele.

      Eu fico feliz por ter curtido sr Caique, isso me motiva a continuar.

      Excluir
    2. Uma sugestão: nas próximas análises, vc pode falar as novidades na jogabilidade dos próximos jogos?

      Excluir
  3. estou legendando o super rockman adventures pra portugues ( as cenas fmv do jogo)

    voce ja quis fazer um review dele?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Super Rockman Adventures? Ele é um jogo de Animação, basicamente um filme, parecido com aqueles point and click porém, usa FPS como jogabilidade entre as cenas... Você acha que o conteúdo dele compensa uma análise de game ou de filme?

      Excluir
    2. eu acredito que sim, ele é o verdadeiro anime do megaman

      Excluir
    3. Então vou dar uma olhada. Se sua tradução tiver pronta até la, adoraria testa-la.

      Excluir
  4. Muito bom. Dr.light taradão foi boa, pq as pernas do Megaman são diferentes das da Roll?h

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Provavelmente é só a armadura mesmo. Quando ele fica no modo humano ele fica com pernas iguais...

      Excluir
Emoji
(y)
:)
:(
hihi
:-)
:D
=D
:-d
;(
;-(
@-)
:P
:o
:>)
(o)
:p
(p)
:-s
(m)
8-)
:-t
:-b
b-(
:-#
=p~
x-)
(k)