ArquivoMorte

PesquisaMorte:

domingo, 1 de julho de 2018

AnáliseMorte: The Awesome Adventures of Captain Spirit

O prequel do Life is Strange 2... pelo menos é o que fez parecer.

The Awesome Adventures of Captain Spirit



Disponibilizado gratuitamente e desenvolvido pela Dontnod em parceria com a SquareEnix (pois é, a Dontnod voltou pro time), eles fizeram esse jogo pra anunciar o LiS2!


Então segue uma análise bem rapidinha sobre como ele é e do que ele fala, naquele meu estilo de sempre, seguindo somente o meu gameplay... e vai ter spoilers mas, pouca coisa dessa vez.

Boa leitura.


O jogo foi anunciado na E3 de 2018 mas a hype não foi tanta não, mesmo falando que seria um jogo gratuito. Na verdade todos (inclusive eu) estavam esperando por um anúncio de Final Fantasy 7 (sejamos sinceros!) e no final, a Square Enix nos deixou a ver navios. Pelo menos teve tanto trailer diferente de Kingdom Hearts 3, que da pra desconstruir o jogo inteirinho, e o último que mostrou o retorno de Piratas do Caribe ao elenco, a la "Assassin's Creed Black Flag", só fez com que eu sentisse vontade de acelerar os posts da franquia. Alias, em breve postarei a próxima análise de KH!

Mas continuando, "As Incríveis Aventuras do Capitão Espírito" é um jogo que se passa no mesmo universo, e carrega o mesmo estilo, de Life is Strange, inclusive é conectado com ele, sendo basicamente um prequel do que virá. Quando o game termina, ele anuncia que o Life is Strange 2 já ta na pré-venda, e que o protagonista de "Captain Spirit" vai voltar la.

Alias, é um jogo episódico, mas não fica claro se haverá outros capítulos ou se de fato tudo isso é só um preview, um teaser, uma amostra do que virá na continuação direta do LiS, ainda assim, é um jogo maravilhoso.

A premissa é simples: Um garoto vive com o pai, e costuma brincar por todo canto enfeitando as coisas com sua imaginação.



Pois é, o jogo inteiro você conduz um personagem infantil enquanto ele brinca, sem nada de mais, interage com as coisas, convive com o pai, toma decisões (que causam medo ao jogador afinal, você precisa entender como funciona o conturbado relacionamento do pai e dele ao longo do gameplay, sem conhecer muito) e segue pela sua casa e quintal, até chegar ao clímax.

Parece bobo? Pois então, só parece... Life is Strange tem o dom de fazer de coisas simples algo encantador. É divertido e empolgante observar tudo da forma realista e muito bem embalada pela trilha sonora, conforme conhecemos a trama, conforme estudamos o personagem. Cara... lavar louça se torna algo interessante, e isso sem nem mesmo usar os "Poderes" do garoto.



Então, sobre isso... o gameplay é simples, você interage com as coisas e toma decisões, mas existe uma forma de intensificar algumas decisões usando um "poder" do garoto, que se auto-intitula "Capitão Espírito".



Ele não tem poder nenhum de fato, mas usa sua mente pra tremer as coisas, focando sua mão e balançando... tipo... sabe... eu faço isso direto. Quando vou ligar a TV uso o poder da mente (escondendo o controle remoto), quando vou abrir a geladeira puxo por telepatia (fingindo que não abri com a mão), quando vou atravessar a rua ligo o sinal com meus pensamentos (eu espero)... quem nunca?! Na verdade esse poder de "intensificar" pode até parecer algo bobo mas, ele realmente deixa tudo mais divertido... eu sei pois faço isso... 



Enfim, no jogo é da mesma forma, e não há nenhum efeito especial nem nada, no máximo o controle vibra, mas na realidade do personagem, as coisas não são realmente enfeitadas. Ele não enxerga luzes nem nada, ele apenas finge e pronto. Tirando um momento, em que graças a ausência de luz, sua imaginação consegue dar forma a uma criatura gigante de trevas, nada no jogo beira o místico... exceto é claro, no final.



Exatamente como em LiS, ocorre o despertar de uma habilidade paranormal, e isso da a entender que esse universo abordará tanto o Drama quanto ese lado místico realista e suas consequências. Enquanto em LiS ocorrem viagens no tempo, em Captain Spirit o poder que o garoto tanto queria ter, se torna real.

No fim, após brigar com o pai e passar por um choque emocional fortíssimo, e quase sofrer um acidente numa queda que seria letal, ele flutua... simples assim. Imagine como seria incrível, depois de brincar horas e horas de Super-Herói, você descobrir que é um!

Alias, outro detalhe que fica evidente é o conceito herói e vilão. O jovem protagonista apesar de ser só uma criança, tem isso muito bem definido. Qual será sua participação no enredo de LiS2?



Será que ele surgirá como membro de um grupo de paranormais que ele mesmo montou, e Max é a nova integrante? Será que Max é a vilã pelo extermínio da cidade no jogo anterior e ele vem para detê-la? Será que o tornado na verdade é um super-vilão e ele a ajudará? Será que... bem até onde a Dontnod irá com esse conceito?

O drama criado e abordado em Before The Storm, a prequel de LiS, apesar de não ter sido realizado pela Dontnod, não parece ter sido descartado pela empresa, afinal há referências. O pai do jovem protagonista era empregado da ferrovia e há citações de jovens clandestinos nos trens por exemplo, se isso não é uma referência, eu não sei mais o que é!

Além disso, o drama familiar, perdas, conflitos internos, segredos, tudo isso existe e parece fazer parte importante da história, não o lado místico. Isso é apenas um especial, afinal... a vida já é bem estranha.

Curioso pra conhecer a história do jogo?



Chris é um jovem de 9 anos que vive com o pai. Sua mãe faleceu num acidente e seu pai é desempregado, mas eles vivem felizes.



Ta nevando do lado de fora, pois é quase Natal, mas seu pai ta mais preocupado com o jogo na televisão do que tudo. Ele enche a cara enquanto o jovem Chris brinca e cuida de casa.



Sua imaginação o leva dia a fora, até que o jogo termina e então, ele se aproxima do pai para acorda-lo para que ambos saiam para buscar uma árvore de natal, conforme haviam planejado. Mas o pai acorda bêbado e machuca o pé, e bem na hora, surge a vizinha preocupada.



Ela pergunta o que ta havendo, mas Chris a despista revelando apenas o necessário pra ela ir embora, e ela deixa bem claro que caso ele precisasse, a casa dela é logo do lado.



Com isso, Chris volta pro seu pai e toma uma bronca, é chamado de infantil, bebê, mas ele desaba no momento em que seu pai diz que a culpa pela morte da mãe foi dele. Imediatamente o pai tenta se desculpar mas é tarde e Chris corre pra fora de casa, pra sua casa na árvore, descalço, na neve.



Ao subir na casa, a escada quebra e ele cai de costas no chão, mas ele não se machuca, pois próximo ao solo a gravidade desaparece e ele flutua. 



Ele olha pra frente então, para de chorar, vê seus amigos...



E fim.



É isso.


Como eu disse, fiz algo rápido e simples, diferente do padrão. Não acho que valha a pena descrever personagens ou estender ainda mais o post pois, creio que o farei quando LiS2 sair.


Alias, o atual trailer de LiS2: 



Sairá em 27 de Setembro deste ano o primeiro capítulo, mas ta um mistério sobre de quem falará... fato é que terá sobrenatural! E alias, a borboleta azul aparece nos créditos de Captain Spirit... na sequência de heróis que ele não criou, porém respeita e admira. Seria uma insinuação da presença de Max na continuação?




Além disso, a bolsa que aparece sendo costurada é (provavelmente vai) a da Max (Ou um modelo semelhante, porém virada pro lado oposto ao das fivelas e com cores mortas). 



O tenso é que ela ta bem desgastada... será que significa que ela ta ferrada?

Até lá, See yah! 



4 comentários:

  1. Max vai aparecer no life IS strange 2? Tem alguma ideia de quem vai ser o protagonista?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Dontnod disse que não, mas eu acredito que sim, Max fará parte do elenco do LiS2, só não sei se será a protagonista, ou a única protagonista... pode ser que sejam vários. Além disso, saiu apenas um trailer de 20 segundos de LiS2 dizendo a data de lançamento, que será 27 de Setembro de 2018. Mas ai vem a questão, o trailer nada mostra, apenas o título sendo costurado numa bolsa estragada... Seria simbologia? Sei de um detalhe: To ansioso!

      Adicionei algo no final do post falando sobre isso e o trailer. Além disso, tem a borboleta azul que aparece nos créditos!

      Excluir
  2. Boa análise (apesar de simples, comparada a outras), não curto muito esse tipo de jogo, gosto mais jogos que tenham ação, sabe? Mas esse jogo parece aborda o lado mais emocional do jogador, bem, para entender mais, vou ler a análise sobre Life Is Stranger.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa análise ficou simples mesmo. Mas é praticamente uma demonstração do que virá então, é justo.

      Espero que curta a analise de LiS.

      Excluir

CadastroMorte

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner