ArquivoMorte

PesquisaMorte:

quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

O Filme Visto de Hoje: The Evil Within

Quando comecei a fazer a análise do jogo Evil Within eu nem fazia ideia que nesse ano, 2017, tinham lançado um filme de mesmo nome. Soube disso apenas quando fui compartilhar as duas análises (fiz uma do jogo e uma das dlcs) com um amigo, que pediu pra que eu assistisse o filme e analisasse pra ele, pra então ele ver se valia a pena assistir...


Então comecei a assistir, com aquele mesmo olhar de quando analisei "Terror em Silent Hill" e "Gantz", não apenas buscando semelhanças ou inspirações, mas observando nos detalhes o que conectava jogo e filme... 

Não tem spoilers ta, pode ler. Na hora que eu começar a falar de mais eu aviso dos spoilers.





E aí fiz um fast-review, sem spoiler algum....

Usaram o título pra atingir público. O filme não tem absolutamente nada a ver com os jogos, nem mesmo na ideia. Há algumas poucas semelhanças, que parecem uma adaptação feita no último momento pra justificar o título do jogo presente no filme. 
O filme fala de paranormalidade, travestida de insanidade, mas ta mais pro lado de O Conto da Cripta ou Além da Imaginação, como o próprio filme sugere. 
O jogo fala de Ficção Cientifica, e Psicologia. São temas e conteúdos parecidos superficialmente, mas muito diferentes na raiz. 
Eu posso dizer que é um filme bom, sim. Ele me fez arrepiar no fim, por causa da trilha sonora. Mas se for considerar história, efeitos, e terror... ele é um pecado contra o cinema. 
Vou analisar e fazer as comparações. Eu to chateado... o filme me fez pensar em como existem boas ideias, mas por puro merchandise são destruídas. Se o título fosse outro, ou até mesmo o mesmo, só que sem a relação sugerida com os jogos, como fazem no logo (O prego no lugar de T é a assinatura do jogo), seria um filme bom sim. 
A atuação do protagonista é exemplar, a ideia do filme abraçar o inicio e mostrar que é totalmente conectado ao fim foi incrível. O erro foi inserir paranormalidade em excesso... poderia levar tudo pro lado psicológico que funcionaria até melhor, até os erros de efeitos especiais e a arte grotescamente movimentada faria sentido. Mas inseriram demônios, inseriram super-poderes, inseriram sugestões diversas que exclamam "Sim, é baseado no jogo, veja isso, tem no jogo!" mas não encaixam com o que o filme quer passar. 
E também não encaixam com o que o jogo quer passar. O editor fud3u tudo.

Depois disso, eu pensei que já tinha dito tudo o que precisava pra descrever o filme, mas ai fiquei com um peso na consciência de que, eu não tinha sido completo. Preciso pontuar, mostrar o que há de igual e o que há de diferente, não só para mostrar minha opinião mas para reforça-la, comprova-la e registra-la por inteiro.


Spoilers a Seguir:

Personagens


Nenhum dos personagens existe no universo dos jogos. Na verdade, o filme nem chega perto de apresentar algo que exista nos jogos. A pegada é outra, mas vou tentar relacionar os personagens:

Dennis Peterson = Protagonista Maluco


O protagonista por si só é um grande acerto, alias Frederick Koehler é um ator excepcional. Dennis é um cara com deficiência mental, que em seus sonhos surge com uma aparência normal, ereto, porém mudo. Durante todo esse momento, ele se comunica através de um monólogo, narrando fatos, explicando as coisas.




Uma vez acordado, ele se torna gago, fica torto, tem raciocínio lento e infantil. Ele tem problemas psicológicos, mas vive com seu irmão em um mega casarão.



Seria Leslie?




A descrição faz parecer que ele é um personagem inspirado em Leslie, o maluco do jogo onde a história gira parcialmente sobre, mas acredite, nem mesmo o tipo de deficiência se assemelha.

Dennis tem transtorno dissociativo bipolar e demência. 




Ele tem recaídas onde troca de personalidade com o "cara do espelho" e tem dificuldades pra se comunicar de forma complexa, mas se comunica bem. Ele é limitado intelectualmente, e admite isso constantemente (buscando por uma forma de se tornar mais inteligente).

Leslie é catatônico. 




Ele mau consegue formular uma frase, tem medo de tudo, não é capaz de se concentrar, e não da pra definir sua inteligência, afinal ele mal se comunica ou expressa. 

São dois personagens que só se parecem por estarem fora dos padrões naturais do ser humano, onde a única semelhança seria o fato de viverem em um manicômio, SE Dennis não vivesse com seu irmão.

Em nenhum momento tentam relacionar os personagens, as histórias são diferentes de mais, mas ele é o único cara que se encaixaria no perfil, e olha que to forçando a barra viu.

John Peterson = Irmão do Protagonista 
(e co-protagonista)




John é um cara inteligente, sério e protetor. Ele cuida do irmão por ter sido o responsável pelo que ocorreu com ele. Até essa revelação surgir, ele parece apenas um cara que mora junto, e faz o possível pra suportar ele.


O cara entope o quarto do irmão problemático com sucatas e porcarias, e desrespeita a liberdade dele, isso é pelo menos o que parece no inicio, mas na real ele ta tentando fazer seu irmão se curar, usando vários tipos de artimanhas, além de querer apenas o melhor pra ele, agregando valor à propriedade para futuramente vender e internar seu irmão em um hospital particular.

Altruísta e bastante familiar não? O cara boa pinta, super protetor, é evidentemente uma referência forçadíssima ao perfil de Sebastian.


Diferenças? Bem... 


John não tem sua profissão declarada, mas ele com certeza não é policial ou detetive (ele deixa muita coisa passar e parece mais lerdo que seu irmão as vezes). Ele não sonha com família e nem busca por um comprometimento sério, pois acredita que deve sua vida e tempo ao seu irmão, por ser responsável por sua doença. Ele é estressado por isso.


Sebastian é um detetive, ex-alcoólatra, que perdeu filha e esposa e parece enfrentar depressão por isso. Ele ainda trabalha, ainda investiga, mas se tornou um cara fechado de mais. Entretanto, uma vez no Mundo Mental, ele faz de tudo pra proteger e ajudar os inocentes, dentre eles, e principalmente, Leslie.


Lydia =  Cunhada

Essa moça tenta se casar com John e é isso. 




Ela espera iniciativa do namorado e não entende a razão dele se apegar tanto ao irmão, mesmo estando estressado com tudo. Mas em um simples diálogo ele deixa tudo claro: Ele deve ao irmão, tudo.


Não vejo semelhança entre Lydia e as mulheres do jogo. Talvez ela se pareça mais com Myra (o Y no nome deve ser pra reforçar isso), afinal ta atrás do cara que parece Sebastian.


Myra é a esposa de Sebastian, que desapareceu enquanto investigava as circunstâncias da morte da filha, presa à uma ideia conspiratória e paranoica. Ela nem chega a participar da história do jogo diretamente, mas aparece no final da DLC, levantando um monte de dúvidas, afinal ela ajuda a prejudicar seu marido.


Myld Torres = Assistente Social


Essa é uma moça que faz barulho de saliva quando fala, e é irritante. Ela aparece tentando forçar a internação de Dennis, indo contra a vontade de John, só isso.


Ela talvez seja uma referência a Kidman, apesar de não ter absolutamente nada a ver com ela, tanto em personalidade quanto em aparência. Ela fala muito usando palavras difíceis, e é desconfiada de mais.




Kidman era uma detetive novata, que na verdade era uma espiã de uma empresa secreta, e estava observando Sebastian e seu colega, além de receber um trabalho especial de entrar no Mundo da Mente e sequestrar Leslie. Alias, tem o Joseph também, que usa óculos e é um detetive importante... Myld seria a fusão dos dois (kkk).



Tem uma parte do filme que Myld aparece espionando John... sendo essa a maior relação dela com a personagem.



Dr. Preston = Psicólogo 




Esse médico é um cara que surge analisando John e seu estresse. O cara é tão gente boa que oferece consultas gratuitas ao ar livre, posterior à primeira consulta que ambos tem no filme. Mas, ele não tem a menor importância.


Dr. Jimenez fazia um trabalho de psiquiatra, então é claramente o personagem que mais combina com esse cara. Ele era um cientista e médico que tratava de um carinha rico coberto por queimaduras, que ele descobre ser um gênio. Juntos eles criam um sistema chamado STEM, que cria um Mundo Mental.


Pete = Cara dos Livros


Esse cara não parece com ninguém, mas usa uma camiseta escrita "F*ck You" e isso me pareceu uma mensagem direta pro espectador. Sua participação parece ser daquelas especiais, e eu não conheço ele, mas se tivesse de chutar diria que ele é alguém da produção, ou algum artista famoso pra galera que ta no filme. Ele tem muito destaque e sei la, é estranho e fortuito de mais (adorei usar essa palavra).


Ele aparece em uma parte em que John e sua mina tão atrás de alguém que conheçam na cidade, pois todos sumiram, todos que eles conheciam pelo menos, e ai acham Pete, o bibliotecário ou algo assim.

Gigante do Café = Homem Confundido


Mas pior, pior mesmo, é esse cara. Do nada John vê ele sentado e acha que é seu médico, daí, na seca pra falar com alguém que conhecido, bota a mão no ombro e pronto, levanta o monstro de 3 andares.


Na verdade não é um monstro, é apenas um homem com gigantismo, uma anomalia que faz a pessoa crescer além do normal. Ele da mó lição de moral, irritado pelo cara ter colocado a mão em seu ombro, e na hora que deveria dar um murro ou algo assim (ele é agressivo de mais) ele senta e pronto, ta finalizada a DR.


Acredite se quiser, ele é o mais perto de ser referência ao jogo do que qualquer outro personagem. Ele seria uma referência aos Gêmeos, que são criaturas gigantes com essa mesma deficiência, ou pelo menos parecem.


Mas isso é tudo, os "monstros" mesmo nem são do mundo real, são formas desenvolvidas no Mundo Mental por base em seus problemas psicológicos.

Cadáver = Cara do Espelho



Agora, esse, pra mim, foi até ofensivo.


Existe uma criatura sobrenatural no filme, que causa pesadelos ao Dennis e arrasta ele pro Mundo dos Pesadelos sempre que ele dorme, como o Freddie Kruger, só que só traumatizando ao invés de matar.


Sua participação e aparição se torna mais frequente quando Dennis ganha um espelho antigo de presente, que faz parecer que é um artefato místico e demoníaco mas, do nada, a ideia é abandonada. 

Esse cara é um demônio, que toma controle da mente de Dennis através dos espelhos, controlando seus movimentos e o orientando da forma errada. Ele faz o garoto sair pela cidade matando animais, crianças e pessoas, tudo pra ficar mais esperto.


Ele é careca, vive nu, tem a pele toda enrugada e adora atormentar Dennis. Além disso, ele mesmo se apresenta como demônio, se auto-intitulando "Legião".


Essa cena ele ta entrando no cara... literalmente, não imagine bobagem. Ele coloca um ziper nas costas dele, abre, e começa a vestir ele como uma roupa, simbolizando a possessão. Sem sacanagem... mas bem que parece né? 
Agora vem as partes que consigo conectar:


Ele é uma referência visual ao Ruvik, e seus poderes de manipular o Mundo dos Sonhos/Pesadelos é uma referência ao poder de manipular o Mundo da Mente de Ruvik.


Ruvik é um dos antagonistas do jogo, sendo responsável por todos os males no Mundo Mental, que ele ajudou a criar quando ainda tava vivo. Pois é, Ruvik estava morto, no mundo físico, mas sua mente foi conservada no Mundo Mental através do sistema STEM. Ele é careca e todo enrugado, porém ele é assim por ter sofrido um acidente que o traumatizou, onde sua irmã morreu, num grande incêndio.


Algo que o Cara do Espelho deixa claro é que quer tomar o corpo de Dennis para si, que é um desejo semelhante ao de Ruvik para com Leslie. Ruvik quer voltar a viver, substituindo a mente de Leslie pela dele (e ele consegue). O Cara do Espelho quer matar todo mundo do mundo humano, saindo da terra das fadas, inferno, mundo escuro, pesadelos, eu sei la de onde ele veio. Ele sai dos espelhos, por isso chamo de "Cara dos Espelhos".



Ele é uma referência nominal ao Cadáver.


Eu fiquei até surpreso ao ver que seu nome, nos créditos, é "Cadáver". Esse nome se refere a um corpo morto, mas no jogo é o mesmo nome dado a uma criatura que anda de quatro e é um corpo humano todo distorcido.


Essa criatura se assemelha muito mais à uma moça do filme, que é morta por Dennis e aparece em um de seus pesadelos, se distorcendo fisicamente. Eu nem queria citar ela afinal, é um momento de nudez gratuita e eu odeio quando um filme apela assim. Nem no jogo, que é pra +18, há nudez.

Ele é uma referência ao Amalgama.




Amalgama é uma das criaturas no Mundo da Mente, resultado de várias mentes misturadas. O cara do Espelho diz ser Legião, um de seus muitos nomes, e se refere a si mesmo no plural, então, fica claro que ele é a união de várias mentes, ou melhor, entidades. Daí a referência (Legião é o demônio formado por vários demônios juntos... aprendi com Devil May Cry).

Galera Taxidermizada = Fantoches


Dennis acaba sendo possuído pelo cara do Espelho e sai matando todo mundo, e faz deles marionetes, através de taxidermia. Rola até um teatrinho no fim...


Ele prende seu irmão com cola em uma cadeira, pra assistir seu teatro com a sua cunhada transformada em marionete, e aí, o cara entra no mundo dos sonhos, e todos os mortos se levantam arrastam e o devoram, depois dele se matar.


Isso é uma referência aos zumbis que são a coisa mais constante do jogo. Todos eles são mentes perdidas no Mundo da Mente.

E pra finalizar: 

Dennis = Gênio


Dennis já foi um gênio, com QI incalculável, e perdeu isso tudo ao cair da escada, por causa de uma briga infantil com seu irmão mais velho de 8 anos. 


Por essa razão John faz de tudo por ele, ele se sente culpado. Mas no fim, em seu teatro, Dennis joga e esfrega tudo na cara de seu mano, fala que ele foi culpado por seu estado debilitado, e faz parecer que na verdade, ele tem dupla personalidade e a outra assumiu seu corpo.


Rubens Victoriano era um jovem genial,  que ajudou e foi o principal criador da STEM, um programa que leva pessoas pra um mundo Mental. Ele foi roubado por seu colega, morto por seus empregadores e usado como fonte de energia pro próprio sistema. Seu cérebro foi retirado pra isso. Mas, ele permaneceu vivo no mundo mental e poderosíssimo.


Ele é Ruvik, e seu passado genial é referenciado no filme, através do passado genial de Dennis. Rubens sofreu as queimaduras pelo corpo, perdeu a irmã, matou os próprios pais, e mais uma tonelada de pessoas, antes, durante e depois de terminar o STEM (ele dissecava cérebros de pessoas ainda vivas e acordadas).

E bem, temos tudo isso no filme!

Acredite, me esforcei pra trazer essas referências a tona, pois o filme é uma enorme bagunça.



Ele tenta ser igual ao jogo, mesmo que não tivessem esse objetivo, é algo que da pra perceber.


Na analise do jogo eu mencionei que ele era desconfortável propositalmente. Eu não disse, mas ele tem barras laterais em cima e em baixo dando um efeito de cinema, mas isso só ta la pra incomodar. As vezes a tela fica muito próxima, pra incomodar. A jogabilidade é muito lenta, pra incomodar! Tudo isso incomoda de propósito, pro jogador ficar desconfortável e vulnerável, se assustando mais, se aterrorizando mais.


O filme traz coisas que incomodam muito, o tempo todo. sons de saliva, jogo de câmeras, e cara, eles apelaram pra Canetinha Preta no papel! Isso é maldade... mas funciona. O desconforto aumenta o medo, isso foi provado e comprovado, mas na boa... ele não tem nada a ver com o jogo.

Na real, a história é:

Um garoto entra numa atração de circo de terror, e nada acontece.



Quando termina ele olha pra mãe e pede pelo dinheiro de volta...



Ela olha pra ele, seus olhos viram bocas e ela repete que o passeio não acabou.




Garoto cresce, vive, tem pesadelos todos os dias, e no final, fica preso no mundo dos espelhos com um demônio controlando seu corpo, internado num hospital psiquiátrico.



E o passeio não tinha acabado.

Moral da história: Não visite parques.

Essa é a grande história bizarra por trás do filme, se você quiser desconsiderar o óbvio: O cara perdeu a sanidade e matou seu irmão por vingança após mergulhar em um profundo mar de terror, provocado por uma personalidade secundária que se desenvolveu dentro de si. Tudo que ele via, não era como ele via, o mundo era insano, e é isso que assistimos.

Agora... eu não vejo ele com nada que faça jus ao jogo e seu universo. Tudo segue por outra narrativa, e as referências são meramente simbólicas. 

O título, é uma forma de pegar carona no público do game... e ele não merece isso.

Curiosidades:

Mundo Mental X Mundo dos Sonhos


O jogo fala de um mundo onde as mentes se personificam, totalmente justificado por ficção científica. O filme fala de um mundo de sonhos e pesadelos formado quando dormimos, controlado por uma criatura diabólica.



Ambos podem até parecer a mesma coisa, eu mesmo cheguei a me referir ao Mundo Mental como de pesadelos, mas, um é voltado para Ficção Científica, o outro pra Paranormalidade... só ai já se perde toda a essência em qualquer referência.

Animatrônicos existem e dão medo!


Cara, eu moro no Brasil, e pelo menos na minha região  não há restaurantes com música e tal, quanto mais robôs cantores. Já vi isso em desenhos como "Apenas um Show", mas nunca num filme... e cara eles dão medo.


Tem uma parte no filme que os caras vão pruma pizzaria e tem esses robôs cantando... rola uma explicação de como funcionam, que mais pra frente é aplicado por Dennis em suas Marionetes, tipo a Aranha de Membros (uma aranha formada por várias partes de pessoas costuradas, incluindo a assistente social). 


Mas, sinceramente, tive mais medo dos robôs que da figura animada por efeitos especiais... e olha que sou aracnofóbico!

Trailer do filme (foi mau, não achei com legenda)


E pronto... é isso.

Que achou? Gostou? Bem, valeu pela leitura. Agora sim, vou jogar Evil Within 2.

See yah!

8 comentários:

  1. Vi no IMDB que o filme começou a ser feito em 2002.
    E que o diretor morreu 2 anos antes do lançamento,ele era viciado em metanfetamina e teve uma hemorragia gastrointestinal.
    Como pode a história parecer tanto com o jogo ainda?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu tentei não falar do diretor nem compara-lo ao do primeiro filme de Silent Hill, por respeito póstumo... mas existem duas alternativas:

      1 - Sua ideia era original e extremamente criativa e seu título escolhido pro projeto era "The Evil Within" mesmo, antes do jogo existir (o jogo é de 2014 né). Após sua morte, sua equipe continuou o projeto e viu a oportunidade de aumentar o público, tomando carona no sucesso do jogo. É bem possível que tenham feito modificações pra dar ao menos um toque de semelhança entre jogo e filme, mas diferente de SH, a ideia não foi nada saudosa, send dois trabalhos completamente diferentes até memso em conceito.

      2 - Foi tudo pura coincidência, desde as singelas semelhanças até o formato do título. Como eu disse, eu tentei ligar ambos, só por causa do título e a arte parecida, e também por um amigo ter acreditado que o filme e o jogo eram ligados... mas pode ser tudo mera coincidência e talvez ninguém da equipe conhecia o jogo (acho difícil, mas né, o mundo é louco) igual o caso "Jogos Vorazes vs Battle Royale".

      Vai saber... rs.

      Sr, eu agradeço pelo comentário e mais, digo que isso serviu pra estimular a próxima postagem.

      Seja bem vindo ao DM.

      Excluir
  2. Nossa me lembrei do fnaf por causa dos animatronicos é já apareceu no gravity falls numa pizzaria

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bizarrão né? Eu nem sabia que existiam isso de fato. Sempre me perguntei se era real ou não, e se era tão aterrorizante e comum como é mostrado em desenhos, mas mano, existe mesmo. Five Nights at Freddy é um tipo de jogo que eu não consigo ficar por muito tempo, sou todo medroso pra jumpscary, e se tem algo que assusta, são animatronicos.

      Bem,seja bem vindo ao DM sr Victor.

      Excluir
  3. "Essa cena ele ta entrando no cara... literalmente, não imagine bobagem"
    Como nao, o deformado dando mo encoxão e o maluco com cara de "Ta doendooo" kkkkkkkk
    ASS: Tinho

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rs... avisei pra não imaginar bobagem... a imagem nos faz imaginar coisas que não são reais kkkk. Mas que ta uma cena estranha, isso ta.

      Bem vindo ao DM sr Tinho.

      Excluir
    2. Vlw man,apaixonei pelo seu blog ao ver suas análises de silent hillson e desde então tô frequentando seus blogs que têm bastante conteúdo(tu digita pkrlh kkkk)

      a.: Tinho

      P.S.: Recentemente aprendi que "a." é a forma mais correta pra abreviar "assinado" ent usarei "a." apartir de agora XD

      Excluir
    3. "silent hillson" kkkk... eu fico feliz por ter gostado sr, na verdade estou grato por ter encontrado meu blog. Espero que aproveite bastante.

      Infelizmente nem sempre eu acerto na mão, e uns textos não agradam tanto quanto outros, mas eu continuo me esforçando bastante pra criar o melhor possível. Qualquer coisa, só me falar.

      Ps.: caramba, eu não sabia rs... sempre escrevia "ass"... a única coisa que eu sabia é que ".:" é o correto, e não apenas ":", quando se trata de abreviações... mas... obrigado pela partilha.

      Seja sempre bem vindo ao DM sr Tinho.

      a.: Morte.

      Excluir

CadastroMorte

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner