SérieMorte: Stranger Things 2 - Só Comentando e Recomendando...

Stranger Things
Segunda Temporada



Então, eu não sou de falar de séries e tal, mas como falei da primeira temporada e curti o resultado, vou compartilhar o que achei da segunda, mas tentarei não spoilar muito, afinal adoraria que você assistisse, pois a série original da Netflix é boa viu...


Vai ter um ou outro spoiler mas, vai ser um texto bem rapidinho.

Bora la... boa leitura!





Antes de tudo preciso dizer 2 coisas que me desanimaram muito nessa continuação, a primeira é o número de episódios... só foram 9... poxa... a série é boa pra caramba e os caras retornam com míseros 9 episódinhos de 1 hora em média cada... nem da pra dizer que assisti-los é maratonar pois, poxa, menos de 9 horas assistindo você já completa a experiência... meio triste...



A segunda reclamação é a ausência de "coisas estranhas". Enquanto na primeira temporada a gente conhece algo bizarro a cada episódio e fica imaginando como tudo vai se conectar no fim, algo que surpreendentemente acontece e convence, na segunda temporada tudo já fica claro praticamente desde o início: Vai ter pessoa nova com poderes, e o mundo invertido vai gerar confusão.




Senti falta de novidades que me fizessem teorizar horrores, mas, ainda assim, gostei.




Mas, é como eu disse pro meu irmão ao ver o final meio "em aberto" da série: "Mano, até tem como continuar, mas eu não acho necessário."




De fato, da pra arrastar a história por mais uma temporada mas, não acredito que seja uma decisão sábia, a menos que deem um novo enredo, afinal "Stranger Things" já deixa claro pelo título o que a série deve abordar (e fez isso lindamente na primeira temporada). Aqui, vemos o mesmo da temporada anterior, porém sem que nada soe como "estranho". Já é tudo familiar alias...




Bem, eu pensei em resumir cada episódio mas, nah... assistir é melhor.




O que posso adiantar é que, eu achei certas coisas forçadas, como "O Quebra-Cabeças". Tipo, tem um episódio em que Will (o pirralho do mundo ao estilo Silent Hill) tem visões e desenha elas pra mãe entender do que ele ta falando. Ao invés dele dizer "Eu me vejo em túneis" algo que não seria nada difícil, ele começa a rabiscar (sugestão da mãe) um monte de túneis, avulsos, e joga as folhas no chão. Ele vira quase uma impressora de arte abstrata e consome uns 80 pacotes de sulfite. Daí, a mãe e o Mike (o pirralho apaixonado) começam a combinar os desenhos tudo, formando um enorme mapa por toda a casa, conectando as folhas de forma avulsa, passando pelo chão, paredes e acho que até o teto. 



Achei isso tão forçado, principalmente pelo fato desse mapa depois servir pra levar os caras pro local exato onde alguns eventos importantes ocorreriam. O problema é que os desenhos estavam fora de ordem, nem seguiam o formato da folha, mas ainda assim a mãe soube exatamente onde cada pontinha ficava, onde cada um se encaixava... mano... os desenhos pareciam tudo a mesma coisa! Não daria pra alguém combinar isso tudo sem qualquer diretriz, sem qualquer demarcação de inicio ou fim, encaixe ou sei la, não da! Mas ela fez... e isso é importante pois se ela não tivesse montado o mapa exato, a história seria comprometida.



Tem vários momentos assim alias, como o momento que o Banguela (que agora tem dentes e deus, ele é o melhor alívio cômico que já vi) encontra um bichinho de estimação novo, dentro da lata de lixo da própria casa, que cresce, vira monstrão e tal, e é essencial pra partes da história, mas não tinha razão nenhuma pra estar ali naquela bendita lata de lixo, por dias! Pior é ver que ele se torna uma ameaça, e aparecem muitos outros, dezenas, mas ninguém em toda a cidade tem qualquer encontro com eles, algum incidente nem nada.



Pior que a polícia, e o Delegado Legal principalmente, são convocados pra uma ocorrência bem bizarra de abóboras apodrecendo, que inicialmente faz parecer que vai rolar referências a coisas demoníacas, mas que no mesmo episódio explica o motivo das abóboras tarem assim (pelo menos da indícios da razão, sem nada tão sobrenatural). É complicado, pois se eu for reclamar de cada forçação de barra, vou acabar criando um texto maior que o roteiro da série...



E ainda assim, eu gostei dela acredita? Ver como a Onze (mocinha paranormal) volta pra história, sua interação com o esperado encontro (que só ocorre no fim de tudo) e ver as coisas finalmente dando certo... poxa... isso foi demais! 



Alias, Onze ficou irada pra caramba com seu cabelo novo e seu estilo punk, adotado quando se encontra com sua "irmã", a Oito (uma garota paranormal que foi estudada junto com Onze, mas que só tem como poder o dom de criar ilusões na mente das pessoas). 



Amei ver também, finalmente, a Nancy e o Mini-Daryl ficando juntos, graças a um dos personagens novos, um Investigador Particular, que mais serve pra trazer justiça pela garota de óculos que morreu mas ninguém avisou ao menos aos pais dela (o governo impediu que os envolvidos divulgassem, sob pena de morte).



Novos personagens alias são o que não falta, e todos parecem importantes, como a MadMax, uma ruivinha que entra pro grupo (sob protestos de Mike, alias ela nem entra oficialmente) e, é rejeitada por todo mundo a longo prazo (até a Onze, por ciumes, da uma patada e ignorada nela... eu até achei que iria mata-la) exceto o "Sombra", como ela chama o garoto negro do estilingue da morte. Eles dão o primeiro beijo mano! E na real ela quem beija ele, e é bem legal isso. 



Poxa, o irmão dela é racista e quase mata o garoto, tudo implica no afastamento deles mas, por ironia do destino, ambos acabam ficando juntos! Só é triste ver que o concorrente dele, o banguela, se deu mal no fim...



Alias, pelo menos ele arranjou um novo "melhor amigo", o Carinha Estiloso (ex-namorado da Nancy) que por sua vez, ensina pra ele seus truques, que não funcionam nada bem, mas, ao menos rende uma dança calorosa com Nancy.



Sobre o irmão racista da Max, a moça ruiva, ele é um cara que pra mim lembra o Brad Pit, é todo daora, loirinho, tem estilo, é bravinho e meio maluco e tem traços de psicopata, além de ser agressivo com a meia-irmã (que ele odeia que sequer mencionem parentesco com ele) e tipo... 



No fim, ele aprende o lugar dele (mas achei pouco) com a ruivinha bancando o Negan (The Walking Dead Reference... de novo...)




E bem, é isso.



Eu nem quero lembrar do Bob... acho que foi a baixa mais tocante de toda a história...


E nem vou falar de Bahamut, a criatura sombria do mundo invertido que vem junto a uma tempestade, responsável pela merd4 toda que ta acontecendo e que no fim, não é derrotada. Ao invés disso a Onze apenas fecha o portal que abriu quando era mais jovem. 



Alias, pelo tom dos episódios finais, eu jurava que Onze acabaria morrendo... mas não, tudo termina muito bem, principalmente pro Mike que finalmente, fica com a Onze!


Detalhe: Ele (o monstro, não o Mike) é chamado de "Devorador de Mentes" mas eu chamo de Bahamut pois me lembra a criatura vista no filme "The Mist"... 



Que é por sua vez baseado no livro de mesmo nome do Stephen King, onde a criatura é citada, que alias, é uma das muitas inspirações evidentes em Stranger Things (ambos podem nem parecer, mas o monstro de tempestade faz lembrar muito a criatura nefasta da névoa...).




E bem, agora sim, é isso.

Atualização:


Eu fiquei pensando... qual a graça em fazer uma "SérieMorte" se eu não conto a história? Tipo... eu não quis estragar a surpresa e a experiência do leitor que queira assistir a série mas... isso ficou tão incompleto... então aqui segue um resumo, sem imagens, apenas texto rápido, sobre a história:

SPOILER SPOILER  SPOILER SPOILER

Will volta pra família mas apresenta um comportamento suspeito, ele tava possuído e ao longo da série ele se torna cada vez mais ligado com a entidade do mundo invertido. Enquanto isso, Onze tem uma experiência fraternal com o policial legal, que a adotou após encontra-la no final da temporada anterior (sim, ele a encontrou). Eles brigam, riem, mas no fim eles se separam, e Onze vai atrás da mãe dela, que foi lobotomizada mas consegue passar uma mensagem, dizendo que Onze tinha uma "irmã" (na real era uma moça paranormal, como ela, que foi criada em laboratório com ela... alias a mãe tinha tentando resgatar Onze mas por causa disso, foi lobotomizada em prol do silêncio). Depois disso Onze vai pra cidade grande, encontra sua "irmã", aprende a controlar melhor seus poderes ao estilo Magneto, e volta pra ajudar seus amigos, que estavam lutando contra um exército de monstros, iguais ao monstro da primeira temporada, porém menores (eram filhotinhos, do tamanho de ursos). 



Ela chega no último episódio, salva seus amigos, da uma patada na garota nova, e depois o grande grupo de adultos e crianças (exatamente o mesmo grupo da primeira temporada, ma agora todo mundo unido) se separam em 3, um pra fechar o portal da dimensão invertida (Onze e o Policial), um para exorcizar Will (Mãe dele, irmão dele - Daryl Jr. - e a irmã do Mike) e por fim, o grupo das crianças e a babá (Mike, Lucas/Sombra, ex-Banguela, Ruivinha e Steve/Babá). Esse último vai para o centro das passagens subterrâneas (o portal, que tava no laboratório, tinha se espalhado por toda a cidade através de túneis, sendo estes mapeados por Will em seu quebra-cabeças impossível). Enquanto a criançada queima o centro dos túneis pra distrair os monstros, Will é exorcizado através de calor (e por conta da distração da pirralhada, os bichos não atacam o local do exorcismo), e Onze fecha o portal direto pela origem no laboratório, usando sua raiva como base pro poder aumentar (ela até chega a voar). Não há nenhuma baixa, e tudo termina bem... exceto pro Bob, um gordinho que era o novo pai de Will e seu irmão, era genial e legal, e morreu dilacerado por monstros no laboratório. 

Daí, rola um baile de fim de ano, onde todo mundo vai, até a Onze (ganha permissão do policial pelos vacilos dele) e tipo, todos terminam felizes. Mas, ocorre a cena onde o chão gira e mostra a criatura nefasta do mundo invertido só de olho na Onze.

Fim do Spoiler


Eu sei, dei mó resumida mas, eu não me sentiria bem se não fizesse isso. A ideia desses meus textos é finalizar e registrar experiências e, é impossível pra mim fazer algo "sem spoilers", mas tentei... espero que tenha curtido.

Eu recomendo que você assista, isso aqui é só um comentário meio descompromissado. A série tem muito a oferecer, mas a segunda temporada não é tão incrível quanto a primeira, e você precisa ver todos os episódios pra entender tudo... mas vale a pena!!!



Agora... tomara que eles não caiam na maldição de Supernatural... se bem que a 13° temporada ta bem legal... 


Alias... próxima análise: Marvel vs Capcom Infinite! Ta pronta já, só to pondo as imagens... então..


See yah!

Postar um comentário

23 Comentários

  1. Ué.....cadê os comentários meu?
    Kkk
    Mas okay....eu acho, enfim
    Mano, Eu gostei dessa série, eu só não assisti a 3° temporada pq....eu não quis mesmo rs
    Na real é pq eu vi que ela não é tão boa assim...eu acho, posso tá Extremamente errado....mas não assisti.
    Essa foi a última maratona que eu fiz com meu brother..... sniff, é triste ..mas é real.....
    Depois disso.....("""caralho Wilson que Drama velho!...se bem que....agora é o Arthur que tá falando, ok, desculpe... continue."")
    ....
    Depois disso.....;-;

    Ok, chega de drama rs
    Eu gostei da série, as vezes eu me assusto pois já faz tanto tempo que assisti...e parece que foi ontem, o tempo passa.
    Aliás, foi só por causa dela que meu irmão assinou a Netflix...
    Foi legal...bons tempos em que ficava maratonando com ele....
    Bom, See yah senhor......
    senhor carinha!

    (Esse é o tipo de comentário que depois eu vou me arrepender de ter publicado kk)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dejavu no seu devaneio com o Rogers kkk.

      Pouca gente comenta sr, nem sempre tem =/

      E nem grila, eu me sinto igual...

      Excluir
  2. Heh...aqui...de novo...

    Então, eu tive uma sequência de sonhos...estranhos (EsTrAnHoSs!!) hoje de manhã, e aí fiquei pensando sobre eles...e como sempre: escrever eles em algum lugar.Nada melhor que escrever para alguém, não é mesmo? Sem falar que é legal revisitar os posts antigos para escrever eles.
    Sobre esse em específico, eu não sabia onde escrever, mas aí pensei sobre o tema do segundo sonho, e aí boom, cheguei até aqui haha.
    Pois bem...
    Antes desse tal sonho, tem outro, inclusive (eu posso ta enganado mas...) eles parecem estar em conflito quanto à passagem deles, às vezes tem cenas que se referem a um, e tem outras que se referem ao outro (tem uma muito engraçada que foi justamente quando eu acordei).
    Eu acho que esse foi o sonho mais brisado que eu já tive (minto, o sonho do sapo Yoda VS darth vader mestre de artes marciais ganha).
    Mas bem, vamo lá (ah, e leia por sua conta e risco...Aliás, magina alguém aleatório entrar no site e ver esses comentários?! Deve ser uma cena engraçada kkkk).
    E eu vou contar os sonhos completos, e não da forma doida que eu vi kkk.
    O primeiro é o mais cômico, o sonho começa (é um dos poucos sonhos em que eu lembro onde começa) comigo, sendo...

    DEADPOOL! Não, sério, no sonho eu sou o Deadpool, e eu to sem máscara, e meu rosto é igualzinho o do Mandaloriano (vê se pode...) Eu estou em cima de um prédio, com uma arma apontada na minha testa, sendo segurada por um mafioso qualquer (ele era branco e ruivo, só isso que posso dizer) e eu estava sendo segurado por dois caras bombados...A minha visão foi para a mesma anterior, ele falou uma coisa que eu não sei o que é (ele mexeu a boca) e depois a câmera mudou para a anterior, e ele deu um tiro...
    Mas é óbvio que nada aconteceu, depois de uns instantes a bala caiu da minha testa e ela começou a se regenerar...e ai...vish, eu joguei os caras do prédio kkkk.
    Mas aí a parada ficou tensa, e eu comecei a ser perseguido pelo Deathstroke (Deadpool da DC kk).
    E eu percebi que meu, eu não sou treinado não viu, eu apanhei feio, eu tinha sorte que eu era imorrivel, pq se não, teria morrido no primeiro combate, o cara me jogou de um trem que passava em cima de um vale (e eu caí no vale).
    Aí depois a cena corta para uma delegacia, e aí na hora um monte de telefones começaram a tocar (eu devo ter feito muita merd@ para o deadpool da DC vir me procurar kkk) e aí veio um monte de gente (policial, estagiário...pera...estagiário?!)

    De um lado tinha um monte de policial armado (tava mais para SWAT aquilo, meu Deus) e do outro tinha os funcionários tudo saindo...
    Aí entra a parte engraçada, o estagiário usava óculos, usava uma camisa azul, era bem aquele estereótipo de Nerd estagiário, ele estava na mesa do atendente (com uma multidão quase levando ele junto kk) e ai ele estava conversando e tal, até que ele teve que pegar uma caneta, ambos tinham uma caneta (azul e preta) e no documento que ele precisava assinar precisava apenas de uma, quando ele leu "assine aqui" os dois pegaram a caneta ao mesmo tempo, e a pegaram de uma maneira tão perfeitamente simétrica que (um a caneta tava de cima para baixo sem tampinha, e no outro de baixo para cima sem tampinha também) uma caneta pegou a tampinha da outra, e quando eles foram arrumar, aconteceu a mesma coisa só que ao contrário (a que pegou a tampinha da caneta devolveu, e a que tinha perdido a tampinha pegou da outra) só que nessa hora a câmera estava mais próxima..
    Eu não sei porquê, mas eu ri nessa hora rs.

    Ai, a ultima cena estava no outro sonho, o que é bizonho pois ela só faz sentido aqui, basicamente, um monte de policial estavam armado até os dente, eles estavam em um terreno árido, semelhante ao do vale que eu tinha caído anteriormente, e todos tinham dito: Hands up!

    E aí acabou, esse foi doido, mas cômico rs.
    Mas não é por isso que estou aqui...

    O próximo foi de partir o coração, julgue me se quiser mas...doeu saber que foi apenas um sonho...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ok, talvez eu tenha exagerado um pouquinho, mas eu senti nesse sonho a Filosofia de Link's Awakening:
      "Personagem fictícia de um sonho, tem o mesmo valor de pessoas reais?"
      A resposta parece óbvia: não.
      Mas nesse aqui, enquanto eu vivênciava ele...eu senti um afeto enorme para um personagem dentro dele...e cara...foi estranho quando acordei e refleti sobre isso.

      Então, eu vim aqui nesse post justamente por causa do tema desse sonho, é muito parecido com Stranger Things...pelo menos é a única coisa que me vêm em mente.
      Bem, eis o sonho:

      Esse não tem começo, digo, eu não lembro do começo, mas eu posso dar uma contextualização do mundo do sonho (falando desse jeito fica engraçado kk).

      O mundo é o mesmo que o meu, na verdade, a maior parte do sonho se passa na minha casa...a parada é que a minha casa ta com a presença do capiroto em pessoa, e tem uma Garotinha de uns 8 anos no máximo (aí que vem o afeto descomunal...ela é muito fofa vey, eu simplesmente não consegui conter os sentimentos, tem uma hora em que ela ta sentada de costas para a parede, com uma cara de triste...e eu sento do lado dela, e eu dou um abraço nela, e um beijo na testa dela...meu...eu juro que eu senti um cheiro de bebê, foi muito real!!! Kkk).
      Pois é, o capiroto em pessoa é justamente essa garotinha, ela disse o nome dela um hora (começava com H, mas eu esqueci ;-;) e era muito grande, ela disse que ela recebeu esse nome depois de...você sabe...Mas aí ela disse que preferia ser chamada de "Laika" 
      Ao mesmo tempo que eu tinha medo dela, eu tinha uma relação quase fraternal com ela, mas também era quase como se ela fosse minha irmãzinha(eu era mais velho que ela, mas não tão velho, eu meio que tinha a mesma idade que eu tenho...ok...essa sentença ficou estranha rs).
      O rosto dela era pintado de cinza e branco, e alias, eu estava na minha casa!

      Só que a luz estava totalmente apagada, somente a luz de velas, como se tivesse acabado a luz, só que como se eu tivesse em invocação do mal kkk.(Não, sério, e a maioria dos cômodos estavam fechados por um pano, então não dava para entrar na cozinha, ou no banheiro, apenas no quarto, na sala de jantar ou na sala de estar...)

      Em um momento eu peguei ela no colo, e levei ela para a sala de estar, a gente dividiu um chocolate, que sabe se lá de onde veio kkk, depois, a câmera congelou, e no outro dia (ou eu imagino que tenha sido no outro dia, não faz diferença visualmente já que...a casa é toda escura kkk) ela estava sentada na cama, como se estivesse abalada emocionalmente por algo que iria acontecer, ela estava certa (eu sentei do lado dela...meu...que coisa, eu tô emocionado até agora...eu tô ficando mole).
      Eu peguei ela no colo, desci as escadas...lá embaixo era mó escuro, só dava para ver um círculo (eita nois) de velas no chão da sala de estar...
      Cheguei na sala de estar, a TV estava com um pano também, a porta para fora estava com um pano também, não tinham mais as plantas que ficavam nos cantos, os sofás estavam cobertos, só tinham 4 almofadas, envoltas de um círculo de velas, com uma panela no Centro, eu respirei profundamente, coloquei ela sentada em uma das almofadas, em sentei em outra, em um instante um cara estranho apareceu em posição de Lótus na minha frente, e a...minha MÃE?!...Minha mãe ficou na frente dela, foi estranho, mas ok...

      Excluir
    2. A minha visão ficou zonza, como se eu estivesse com náusea, eu comecei a ter umas visões muito loucas do cara estranho falando em umas língua muito doida (não, não era árabe, mandarim, russo, ou qualquer outra...eu sinceramente não identifiquei o idioma) e ai, a tela ficou preta...
      E...não, a garotinha não virou uma assassina brutalmente psicopata...ainda bem, por mais que o exorcismo fosse para ela, nada aconteceu...ainda bem...
      O sonho acaba, aí.
      Em uns poucos segundos, eu desenvolvi uma afeição enorme por um personagem criado por mim mesmo, eu fiquei assustado quando pensei nisso, mas ao mesmo tempo, triste, pois foi apenas um sonho (não acho que seria legal se não fosse, mas você entendeu rs).

      Ah, e tem uma cena aleatória de um garoto caindo de um prédio com um triciclo, e quando ele cai no chão, o triciclo sai em alta velocidade pela rua...aleatório? Com certeza, mas foi engraçado haha.

      Enfim, obrigado senhor por me acompanhar nessa jornada...inusitada, e por esse textaum enorme, eu precisava escrever isso em algum lugar...e aqui será, toda vez que eu tiver algo doido para contar.
      Aguardo a resposta, vai ser engraçado ver sua reação haha...


      Bem...
      A Filosofia de Link's Awakening foi comprovada... E foi triste. Mas...não foi tão triste quanto em Link's awakening, isso é fato.

      Excluir
    3. Sonhos são muito randômicos e abordam nossa própria psique. Creio que apenas você vai conseguir entender seus significados a fundo, mas algo me sugere que tem a ver com dualidade de personalidade, e infância solitária.

      Mas, algo que chama a atenção são seus sonhos sendo tão detalhados, pelo menos você consegue recordar bem.

      E, uma pena sr, se apegar a personagens temporários do nosso próprio mundo alternativo é bem comum, pelo menos comigo. Pra tentar trazê-los a vida novamente eu busco escrever e desenhar a respeito... Não esquecer é o mesmo que mantê-los vivos.

      Excluir
    4. Infância solitária...espera...eu sou solitário? Nunca parei para pensar nisso...
      Faz sentido, eu criei uma pessoa que me preenche, e é uma pessoa com menos idade do que eu, referenciado à época que eu tinha aquela idade (eu era bem solitário mermo kkk)...curioso...

      É engraçado você falar isso, eu normalmente lembro me bem dos detalhes gerais, mas se alguém me pedir para desenhar eu simplesmente travo, acho que só escrevendo que eu lembro mesmo.
      Algo interessante é que quando me lembro de um sonho, eu na verdade me lembro do momento em que estava sonhando, isso ajuda a lembrar com mais detalhes...


      Hoje eu dormi que nem um cara que ficou dois dias acordado só com café (lol), curiosamente, ontem de madrugada estava vendo um vídeo com o título de "Why do we dream?" Do Aperture (canal de filosofia e Ciência) e nele o cara disse "the average person have between 4 and 5 dreams per night, but only a few people actually remember all the dreams they had"
      Ele não disse exatamente com essas palavras, mas o que importa é: Eu tive pelo menos 4 sonhos, e eu lembro de todos eles.
      Isso é muito louco, geralmente me lembro de um ou dois, mas hoje lembro dos 4 (mas para os quatro, dois falam sobre a "mesma" coisa, e os outros dois são extremamente curtos, e são apenas uma variação de um tema...literalmente).

      Bem, eu não lembro a ordem, só sei que os mais simples se tratavam de mim tocando piano, e praticando, em um eu estava tocando em casa (estava tocando Turkish March haha...irônico) e no outro estava praticando com muita pressão psicológica dentro do carro, com minha mãe e meu pai na frente dizendo "fique calmo" e tava um trânsito maluco, até que em um momento eu fiquei acalmado, e comecei a tocar (uma peça muito doida...mas eu nem lembro, eu queria lembrar kkk) depois disso, o moço do carro do lado começou a aplaudir, depois, todo mundo começou a fazer o mesmo...

      Mas ai eu me pergunto, o sonho foi sobre um desejo meu, ou a parte dos aplausos foi um "sonho" à parte de mim mesmo dentro do sonho? Eu nunca vou descobrir provavelmente kkk.



      Os próximos me acordaram, mesmo que não fossem pesadelos, ou eu acho que não foram...sei lá! Curiosamente, ambos tratavam da mesma coisa: apocalipse.


      No primeiro, era um mundo apocalíptico, mas futurista (era tão futurista que eu quase morri por que não tinha uma arma...é), eu estava em casa (mas aparentemente, minha casa tinha se tornado um prédio e outras casas estavam ligadas a minha, era como uma vila), me preparando e vestindo uma armadura, eu tinha pego umas botas com umas rodinhas em baixo delas, e um bastão, coloquei um capacete, e sai de casa, quando fechei a porta, tinha um moço consertando um portão muito resistente que ficava em frente do que parecia um corredor (atrás dele tinha uma escada que levava para cima, e ao lado da escada tinha uma passagem, dai que veio a ideia de "ser uma vila") eu falei bom dia para ele, e desci as escadas.
      O bastão era tipo o cajado de Moisés, eu usava ele como se fosse uma muleta, e também como uma arma contra...pessoas, tipo, não era um apocalipse zumbi ou coisa do tipo, era só um...apocalipse "normal"
      Teve uma hora em que bati em um cara que tentou dar um pulo em cima de mim pulando de um prédio, eu bati com o bastão e ele voou para umas latas de lixo, era como se fosse uma avenida aquilo...

      Excluir
    5. Depois, eu cheguei em túnel que descia em círculo, não sei bem explicar, mas basicamente era um túnel fechado que descia, eu encontrei um amigo muito antigo meu (eu não vejo ele à uns 2 anos) e ele me disse algo do tipo "deixe a velocidade no máximo, confie em mim, é seguro" ele estava se referindo à aderência das rodinha da minha bota...

      Inclusive, quando desci o túnel, o bastão se aclopou à minhas botas e virou um patinete, eu desci o túnel em alta velocidade, e quando cheguei no final, tinha uma calçada com uns caras de terno branco e chapeu branco, eles pela minha perspectiva de observador (esse não era um daqueles sonhos em que eu tinha consciência ou liberdade...eu só observava) eram pessoas muito suspeitas, mas meu personagem reagiu como se eles fosse ''os parça'' definitivamente eles eram, pois eles consertaram minha armadura, e ainda me curaram um ferimento feio no joelho que eu nem sabia que tinha...pois é, foi estranho, mas engraçado, eles eram tipo o pitstop, eu era um explorador naquele mundo apocaliptico.

      Depois disso, a imagem cortou (ou eu não lembro o que aconteceu) e eu estava em casa de novo, acontece que agora eu estava me preparando de novo para uma nova aventura, só que agora não teve aquele momento em que eu me via me arrumando, eu apenas vi eu saindo de casa, e de novo falando ''bom dia'' para o moço que estava consertando o portão (que no fim nunca ficou pronto), eu passei pelo segundo andar, e tinha uma pessoa conversando com outra pessoa, e eu disse bom dia para elas duas, e ai eu disse alguma coisa que não me recordo e elas responderam ''trancados como sempre'' elas estavam se referindo a uma casa que estava trancada, mas com pessoas dentro, algo me diz que era um casal de idosos preocupados.

      Excluir
    6. Dessa vez, eu vi todo o processo minucioso de sair de casa, mano, tinha um portão (que era um portão de garagem normal, tanto que ele tinha aqueles espaços abertos na parte de cima) e nessa parte tinha uma placa de vidro, para abrir o portão (que tava preso no chão e a única forma de sair era pela parte que se parecia uma porta) eu precisava abrir uma portinha, que tinha uma tranca, que só saia se eu usasse uma chave, depois que essa tranca saia, o portão estava aberto, então era só empurrar e...ele estava aberto...bem...

      essa parte eu me lembro de já estar meio lúcido de que aquilo era um sonho, mas segui em frente, e abri o portão, fui surpreendido por um cachorro muito fofinho mas que não parecia nada amigável (?!), e ai o dono dele, que era asiático e tinha um cabelo muito estiloso (detalhes...detalhes), estava mancando, ele disse, ''fique calmo, ele não morde'' (Tô vendo) ele então prendeu o cachorro no chão com uma corrente (não faço ideia como, mas beleza) e então eu perguntei ''Você acha que hoje está um tempo bom para sair de casa?''
      (o que era obvio que não já que a rua tava alagada kkk), ele disse ''acredito que não...mas espere...eu preciso de pedir uma coisa''
      nesse momento eu coloquei um pé atrás porque aquilo estava muito suspeito, ele disse ''eu preciso de ajuda'', nesse momento eu entrei dentro de casa, e comecei a fechar o portão, mas claro que, fechar o portão é demorado assim como abri-lo, me pergunto quem fez aquele design idiota (eu mesmo...o sonho é meu...kkkkkk), então, quando estava colocando a tranca, para fechar com a chavinha, a tranca caiu do suporte, e o portão estava ''semi aberto'' (ele só abria para fora, então se alguém de fora quisesse entrar, ou alguém de dentro abriria, ou esse alguém de fora teria uma chave) nesse momento eu comecei a suar mentalmente e fisicamente e ai ele tirou uma chave inglesa sabe se lá da onde, e começou a atacar enfurecidamente a porta (eu só vi uma rachadura imensa sendo formada) quando outro cara apareceu no lado esquerdo e passou a fazer o mesmo, nesse momento eu apenas subi as escadas correndo, quando eu estava no segundo andar, eu disse para todo mundo, ''corre!'' mas ninguém entendeu, eu ouvi tiros, e só ouvi a voz do cara lá de baixo dizendo ''todo peguem armas, qualquer coisa'' e depois continuei subindo as escadas, quando estava fechando a porta de casa eu vi o moço que estava consertando o portão tomando um tiro e morrendo, essa foi a ultima imagem que eu tive dele...e no sonho em geral, depois disso imagino ter fechado a porta...mas não sei o que aconteceu...

      pois é, acordei suando, e não conseguia me mover...foi estranho, e meio aterrorizante também.


      O outro é meio sem graça... a parte engraçada foi eu tentando achar uma arma, no meio de várias armas de brinquedo, e depois de achar uma arma, pedir para os caras uma faquinha, porque eu queria uma faquinha também kkkk. (brisa mano...muita brisa...)





      Eu não duvido nada que K.G tenha vindo de um sonho...kkk.




      Em todo caso, eu sou o Sr.Wilson: O contador de sonhos.

      Excluir
    7. Sr Wilson: O contador de sonhos... parece nome de série kk.

      Sim e não... a KG é inspirada em eventos reais misturados com sonhos e especulações de como as coisas seriam se fossem do jeito ideal.

      Aliás, irado o sr recordar tão bem de seus sonhos. Sonhos sempre são interessantes. Permaneça os registrando.

      Vale mencionar que recentemente venho ponderando sobre combrar um portão pra minha casa, pois estamos sem... e também acabei comprando um piano pro meu irmão (comprei um teclado mesmo kk) e ele vem estudando e praticando constantemente...

      Digo isso pois, mais uma vez, senti similaridades nos seus sonhos com eventos atuais que passei. Estranho e curioso.

      Excluir
    8. Curioso e estranho (?!) Meu, que foda, piano é um instrumento divino...quem sabe nasça o próximo chopin aqui.

      É engraçado, pois constantemente fiquei imaginando, se um dia me apresentasse, que musica tocaria? Isso está muito longe de minhas habilidades, mas quem sabe um dia? Nada é impossível...


      Minto, tem algo impossível sim, não sentir anciã de vômito com vídeos do simplypiano no YouTube...cruz credo, aquilo é horroroso (peguei uma raiva imensa, assisti um tutorial, um vídeo de teoria: boom, propaganda o tempo todo hahahahh...ódio)


      enfim, uau! Que coincidências mais malucas...


      Cara, esse blog agora é meu diário de sonhos, os psiquiatras recomendam ter um, agora eu tenho...dahora!!! Kkkk.

      Excluir
    9. Verei um espaço mais adequado e menos aleatório para comentar sobre isso. Talvez posts sobre sonhos... pensarei a respeito... mas use o site como desejar.

      Excluir
    10. Heh...aqui estou eu...de novo.

      Esse é mais curto, na verdade, eu não lembro muito, deveria ter escrito quando acordei, mas já faz bastante tempo que isso aconteceu então, não me lembro muito...anyways.


      Por mais que todos meus sonhos sejam relativamente diferenciados entre si, um assunto que tem sido muito recorrente é: tempo.
      já tive um sonho em que eu viajava no tempo, mas esse foi...meio assustador...no final.




      Tudo começa comigo em uma sala de aula meio...genérica, com uma configuração de alunos muito doida (tinha gente lá que eu conheci no pré 1, e gente que conheci à 3 anos atrás...foi muito aleatório kkk), e eu tinha consciência de que não estava no meu tempo aleatório, pois bem, perguntei alto: ''EM QUE ANO ESTAMOS?''

      As pessoas ficaram com uma cara de desentendidas, e ai um respondeu: 2019 ora.
      ai todos começaram a rir, nesse momento eu tomei uma mini consciência de que aquilo era um sonho, e comecei a passar pelas cadeiras e mesas, pensando comigo mesmo sobre aquilo, ah, e tinha outra: a professora não tava lá.


      Depois, eu olhei para a lousa, e comecei a pensar mais, me virei para a sala, ela ficou maior, e com outras pessoas, resultado: estava em 2017.
      por mais que as pessoas não tivessem mudado muito, eu senti aquilo como se fosse algo horrível.

      Depois de mais instantes, eu comecei a conversar com a sala dizendo que era um viajante do tempo e teve o mesmo problema: aquilo estava na cara que eu estava brincando (para eles), e isso me deixava cada vez mais ciente de que aquilo era um sonho (mas eu não tinha controle sobre ele...ou tinha? eu não faço ideia) me pergunto sobre isso pois, depois disso, houve um corte muito repentino, em que eu me encontrava em casa, no meu quarto, sentado na minha cama, de shorts, com minha mãe...e eu...estava falando sobre isso com ela, até que ela me entregou um livro verde, eu abri meu celular para ver as horas e eu estava no ano de 2013 (...lol, acho que isso foi proposital da minha mente) e saiu do quarto, eu abri o livro, e tinha um monstro estranho desenhado nele, mas assim, ele era bem desenhado, mas ele era feio ao mesmo tempo (o desenho), estranho? talvez...depois fixei meu olhar para ele (por algum motivo) e eu lembro: ele era um fantasma gordo, e com uma cabeça pequena, com perninhas que mais eram apenas dois traços... e ele não tinha braços (coitado!)

      depois, mais um corte repentino, eu estava em um campo...sem minha mãe, sem meu livro, celular, ou minha...casa...apenas uma casa feita de pedras na minha frente, com um moço de chapéu trabalhando com uma enxada.
      Eu perguntei para ele em que ano eu estava e ele respondeu com mais calma e normalidade, ele disse: Ano 1300.

      Nesse momento eu me sentei no chão... e ai, me parecia que não tinha fim.

      Mas teve, e eu acordei (ainda bem...jesus), e eu percebi que...

      eu nunca tive aquele livro, triste ;_;

      Mas, pelo menos, eu estava no meu tempo original...





      Heh, agora o site é meu diário de sonhos, mas seria legal eu comentar em um post de sonhos...isso seria doido, todo mundo poderia falar sobre os sonhos...man, isso seria uma loucura...muita loucura.

      Esses dias pesquisei sobre ''sonhos mais loucos das pessoas'' eu percebi que esses sonhos são os mais normais que eu já tive, lol.


      Mas no fim, sonhos são aleatórios independente de onde se escreve eles.

      Excluir
    11. Fica tranquilo, eu vou bolar um artigo logo, reservado pra isso.

      Eu to numa vibe de sonhos imersivos mas, nunca consigo lembra-los quando acordo, só sei que eram bem... profundos.

      Você tem sorte sr... por mais "insano" que o sonho possa ser, os seus tem umas histórias legais kkk.

      Excluir
    12. Heh, eu curto pacas sonhos profundos, até por isso escrevo todos os sonhos que tenho, eu só vou saber se o sonho é profundo quando lê-lo como uma história...

      Ou também quando eu acordo chorando...zueira, isso nunca aconteceu kkkkk.






      Ter memória ruim é bom, se esquece das coisas ruins mais facilmente, por outro lado, não se lembra das coisas boas...

      Leva tempo para conseguir se lembrar de um sonho após acordar, eu mesmo não lembro de todos os sonhos, as vezes eu tiro uma soneca e eu simplesmente sinto como se minha memória tivesse sido apagada (se for uma soneca grande...vish), mas é, as vezes acontece.


      E quando acontece, é muito bom.

      Excluir
    13. Xo escreve antes que me esqueça:


      Estava jantando, em um dia normal, em minha casa 100% norte americana, com meus dois filhos e esposa totalmente americanos, quando fui dormir, naturalmente, em uma noite "normal".

      Acordo então, em um dia muito curioso, descubro por pura dedução de que era um astronauta, já que estava me preparando para um grande dia, e que especial esse dia era, eu estava me preparando para um lançamento de um foguete, mas não sei para o que ele servia.


      Apareço repentinamente na cabine, sozinho, mexendo no painel à minha frente, a decolagem começa, e eu pego no sono (um sonho dentro de um sonho...vê se pode! Inception aqui)

      durante o sonho, eu estava vagando pelo espaço, com a famosa "roupa de astronauta" quando um balão ligado a meu capacete começa a se inflar, e caio em uma asfixia mortal...

      Acordo, em uma visão longe minha, na cama, com uma voz não muito reconhecível mas que aparentemente era uma voz feminina, dizendo: "volte a dormir"

      Eu o faço, e então, dessa vez, em um sonho parecido, há dois balões se inflando a partir do oxigênio de minha roupa, um em minha cabeça, e outro em meus pés

      Dessa vez entretanto, eu não não morri, ou quer dizer, mori por asfixia, eu acordei, em minha versão "real" sendo espancado violentamente por...mim mesmo? Essa versão minha estava visivelmente com um semblante maligno, e ela não usava capacete, eu não estava usando tambem, mas isso era devido a tanto socos que essa versão me deu, que acabaram quebrando meu capacete (e eu continuava vivo, por algum motivo).

      Quando meu rosto estava muito, mas muito ferido, essa versão começou a me enforcar, e em um corte instantâneo eu estava na minha cama (na cama do meu personagem) ainda sendo inforcado, porém agora pra valer...

      E ai, veio uma fala, uma única fala provida por esse meu Eu do mal que me fez lembrar desse sonho durante todo dia, ele disse:

      "O que achou de ver uma versão de si mesmo brilhando?"

      Enquanto ele falava isso, seus olhos ficaram intensamente vermelhos, como se fossem luzes mesmo...
      O sonho então, acaba, e por essa ultima informação, eu passei a pensar que ele era na verdade a minha versão robô, e por isso ele não usava capacete no espaço.


      Bom, eu não sei...mas só sei que foi divertido kkkk.

      Excluir
    14. Bem...esse foi engraçado.


      Acontece que, ele tem a morte...sim...A MORTE!!111!!
      doido não?

      Bem, eis ele:


      Eu estava na porta da escola, esperando, eu via todos a minha volta indo embora com os pais...eu estava lá...sozinho, eis que, começou a chover, e meu pai apareceu com um guarda-chuva, fomos então, para casa.

      A caminho de casa, ele decidiu fazer um corta caminho (tem uma rua que fica em cima daqui de casa, nela tem uma bifurcação, nós fomos pelo lado esquerdo, o lado que não leva para casa...estranho...) então, até ai tudo bem, essa bifurcação existe mesmo, mas quando chegamos lá, ela se tornou em um corredor enorme, com uma estrada de terra, cercado por muros de pedra em ambos os lados, e no inicio tinha um lago, em um ambiente mais mais aberto, com vista para o céu, ele tinha um formato oval, neste lago estava um navio, com um estilo de piratas, mas ele era um navio do tamanho de uma moto, no máximo, isso foi muito estranho...mas beleza.

      Bem, o corredor com paredes de pedra tinha vista para o céu, curiosamente, dava para ver o sol, algo que não condizia com o tempo daquele dia, mas é...

      O sol era radiante, tão radiante que ao olhar para ele, eu senti a sensação de queimação nos meus olhos, e rapidamente os fechei e olhei diretamente para baixo.

      Ai veio uma coisa muito maluca... um ônibus todo desajeitado, passou raspando ao meu lado, seguindo o corredor de paredes de pedras, ele era tão alto que, ele tampou a vista para o sol, e tudo ficou escuro!
      (brisa).

      Apareci do nada em um campo, no chão, meu pai tinha sumido, e tinha um monte de cara em cima de cavalo ao meu redor, eles estavam procurando a morte, e o cara com chapéu tinha um pedaço da tripa da morte...ele me mandou acha-la.


      Não me alembro o que aconteceu depois, mas apareci em uma estufa, que estava ligada a uma espécie de casa de campo, lá estava...a morte...mas...ela não era lá muito assustadora, ela na verdade era bem calma, exceto pelo fato dela usar uma manta e ter olhos vermelhos e a manta ser rasgada no peito e o peito estar literalmente aberto com as tripa aparecendo...
      ela era até que legal, me deu até um chazinho kkk.
      então nós sentamos em um banco, dentro da estufa, e começamos a papear...

      não lembro um raio do que ela disse, na verdade, eu lembro que tinha um rap muito estranho circulando o ar de lá, e pois é, tinha uma TV, eu fui lá...e os cara do cavalo apareceram.

      Eles me amarraram dentro da estufa, à um tipo de coluna com uma engrenagem, e a morte estava....tadinha, com as tripas sendo puxadas lentamente por uma engrenagem ligada ao moinho dentro da estufa...e tinha uma balança que pesava a engrenagem para continuar puxando as tripa dela, eu então consegui me soltar, e tirei várias moedas que estavam pesando a engrenagem, ela estava com as tripa presas na engrenagem, coitadinha...

      eu tive que cortar ela com uma tesoura...e bem, acabou o sonho.



      Sabe se lá de onde veio a inspiração, mentes...mentes...

      Excluir
    15. Hoje eu tive um dos sonhos lúcidos mais longos, divertidos, e que tenham de fato sentido lógico, na minha vida, ele teve no mínimo 5 minutos, e detalhe, no meio dele eu sabia que ele era um sonho...até por isso ele começou a ficar...estranho...tipo...bem estranho, enfim! Eis o sonho (Os detalhes são maravilhosos).


      Primeira coisa, eu sou o Kung fu Panda, mas antes de me tornar o Dragão guerreiro, eu não vivo na china, muito pelo contrário, eu moro em uma ilha nórdica...mas que não tem dragões :(

      O que estava acontecendo lá, era um jogo, uma competição na verdade, de Força extrema, e valia de tudo, eu não lembro em detalhes, mas lembro que tinha uma prova de corrida e preparação de barcos, só que não eram barcos, eram FUCKING navios inteiros, todos eles estavam presos em terra logo, a primeira tarefa era empurra-los....os bixin era pesado pra cacete, vou mentir não, ai eu olhei pro lado, e os caras tavam dando barrigada no navio e ele ia aos poucos se aproximando da água, foi engraçado, nesse momento, liberei meu instinto Panda e peguei uma distancia, e pulei SOBRE o navio, e bati na vela dele, o impacto foi tão grande que, o navio foi em instantes para a água...mas...



      Isso não valia :(

      O que valia tudo era a competição de luta, e eu obviamente, perdi.
      Eu lutei com um cara (que não era um panda) que se vestia parecendo o Thor dos quadrinhos, só não usava martelo; depois disso, fui para casa, e tive uma mini discussão com o que parecia ser meu pai, por eu ser o caçula bibibibobobo, e ser fraco.
      Nesse momento, eu tive a crise adolescente, e fugi de casa, tipo, a ilha era pequena, e não tinham como eu desaparecer, mas eu fiz...de uma maneira que não sei como minha mente teve tal ideia.

      Basicamente, eu fugi em direção às montanhas, era de noite quando sai de casa, e era de manhã quando cheguei às montanhas, o sol batia de uma forma inexplicável considerando que tinha uma rocha enorme acima da parte onde eu me encontrava, mas é....

      Eu olhei a cidade, aquela vista fenomenal, alias, a cidade se parecia muito com uma que eu fiz no Minecraft a muuuito tempo atrás, sei lá...o arquiteto interior do meu subconsciente decidiu usar as ideias mais uma vez, vai saber! kkk.

      De qualquer maneira, me parece que aquele lugar tinha uma influência religiosa e cultural muito forte naquela cidade (sim, era uma cidade, tinham portos e o lugar era gigante), tinham muitas estátuas de...bem...

      Tartarugas, sim, tartarugas! tartarugas empalhadas ou ao menos congeladas em um cristal que parecia jade (Ah...adoro minha mente quando estou dormindo).

      ~Nesse momento, sinceramente, eu nem consigo acreditar que tu conseguiu pensar nisso, sério, é muito bem bolado cara!!!!~

      Bem, não vou dar spoilers, se vai entender no final.

      Excluir
    16. Nesse momento, uma das tartarugas, bem na extremidade esquerda daquele lugar, ela começou a se mexer, e abriu uma passagem onde...bem...era coberto por rochas, eu acompanhei ela, e fomos parar em um lugar aberto, porém fechado (?!), escuro em todos os lugares, porém iluminado no centro (contradiçõeessss), e bem...ela se levantou, ficou ereta, e a parte de jade do corpo dela caiu no chão, ela tinha uma cara muito rachada, áspera, e a cabeça dela era redonda, como uma tartaruga, porém ela era meio humanoide (Tartarugas ninjaaaaa), e ela...bem...tinha mãos humanas, isso é meio aterrorizante de se lembrar, mas era verdade, assim como eu, o panda, tinha mãos com cinco dedos também 0o

      Enfim, o treinamento foi engraçado, no começo ele pediu (sim, ele) para eu tentar acerta-lo, e eu fui com aquele jeitão de panda...impulsivo, e bem, ele me botou no chão, mas depois me levantou, ele me ensinou a contra atacar, depois a lutar, e por último a se defender (acho que essa ordem tá errada pelos padrões da maioria das lutas...mas beleza né), depois disso teve uma cena em que eu estava lutando com ele, nós atacávamos e defendíamos os golpes proferidos pelo adversário, em uma velocidade extrema, ao longo disso eu acertei ele várias vezes na cabeça, e não fui acertado, ai no final eu paralisei as mãos dele para fora da cabeça, e apontei minha mão com minhas garrinhas de panda...muito fofas por sinal.

      Ai ele me disse: você está pronto.

      E ai eu fui embora, me despedi dele, e entrei em uma sala, tipo um vestuário, mas que tinha prateleiras de madeira, e nelas tinham estátuas de pássaro...em jade?!
      Bem, nesse momento as coisas ficaram mais interessantes, principalmente porque o sonho ficou lúcido nesse momento (na real eu percebi que era um sonho, e controlei para não acordar, na verdade, eu me mexia na vida real, mas o sonho continuava, pois estava com olhos fechados!!!!), eu não sai por aquela passagem...na verdade...


      Eu estava parado esse tempo todo, quando acordei estava com meus pés cheios de caquinhos de jade, e meus irmãos e irmãs estavam ao meu redor, olhando assustados, eles pareciam mais velhos, muito mais velhos, bem...você já sabe né.

      Na verdade, eu fiquei lá por tanto tempo, que eu me congelei em jade, logo, toda a parte da tartaruga se descongelando, abrindo uma passagem nas rochas, e me treinando era apenas uma alucinação!!!1!!!1!1!!! Eu quem estava congelado naquele lugar, alias, as tartarugas ainda estavam lá, ao meu redor, muito espalhadas, e meus irmãos estavam felizes por me ver, o horário do dia parecia o mesmo de quando cheguei nas montanhas pela primeira vez, um sol enorme...

      Eles me disseram que o papai tinha morrido, nessa parte, o sonho ficou lúcido, e bem...


      A minha irmã disse que eu estava mais bonito depois que sai de lá, e como eu disse...muita loucura aconteceu depois disso.

      Excluir
    17. Depois disso, apareci em casa, na sala de estar, com meu primo, a sala estava vazia, com um tatame no meio, e um saco de pancada, adivinha? tinha os mesmos pássaros de jade em uma prateleira.
      Eu estava saindo, o que era engraçado, já que a casa é minha...bem, enfim, eu estava saindo com minha mãe, ou ao menos, ela me chamou.

      Meu primo disse para eu não falar daqueles pássaros para ninguém...não entendo o que ele quis dizer com isso mas...é.

      Depois disso apareci em uma mansão (aleatoriamente mesmo), ou ao menos, tentando invadir ela, eu subi na cerca, e subi pelo cano que estava exposto na parede, acontece que...tinha uma janela aberta que dava para a sala de estar, eu entrei por essa tal janela

      Uma sala de estar muito chique por sinal, depois disso ouvi um piano, e uma rizada, eu fui seguindo o som do piano, que mudava constantemente de lugar, e a rizada não mudava de lugar, ela vinha do mesmo lugar, acontece que ela era de um mordomo, e ele estava andando esquisito pelos corredores...
      Apareceu uma tela, parecendo tela de titulo de Filme, estava escrito ''Radioacctive'' sim, com dois C's, depois o mordomo estranho apareceu andando pelo titulo daquele mesmo jeito estranho...foi até meio cômico kk.
      a Cena corta e...
      apareço em um posto de gasolina, bem...isso foi meio estranho...eu abasteci o carro, coloquei o dinheiro, mas ai por algum motivo, o dinheiro foi lançado de volta para a minha mão, e o carro esguichou a gasolina de volta para a bomba...foi bizarro, e sem sentido, nesse momento eu estava lutando para não acordar, pois queria continuar no sonho, mas ai, meus olhos abriram inconscientemente, e obviamente...

      O Sonho acaba, inclusive, a primeira coisa que falei depois que acordei foi:
      ''Holy shit, I gotta write that down!''


      Eu nem me impressionei pelo sonho, eu fiquei surpreso pela primeira palavra que eu disse no dia for em inglês...cara, eu sou destinado a ser poliglota, só pode! kkkk.

      Excluir
    18. Preciso mesmo criar um espaço de sonhos, os seus são muito insanos sr! Eu to a um tempo sem conseguir sonhar nada... mas assim que eu tiver um devaneio farei questão de compartilhar também.

      Excluir
    19. Pois é, esse é um dos benefícios do uso de LSD...


      Digo, não recomendo.

      ~é mei doido o bagui, quando tu usa, as parada fica bizonha, da pra tende nada, as veis nem da pra sabe se é um sonho ou vida real, deve ser por isso que eu faço umas coisa mei doida quando uso esses caquinho de vidro~


      Eita, contratei um narrador usuário de pedra e nem sabia.

      Enfim, falando serio, tem uma erva alucinógena produzida por uma tribo amazônica peruana, chamada "Ayahuasca" que além do efeito alucinógeno, ela tem a capacidade de desfazer algumas ligações nervosas ligadas ao seu ego (não, não a característica narcisista de algumas pessoas, ego nesse caso é a visão de você mesmo inserido naquele ambiente, basicamente, uma vertente do que entendemos como "consciência"), e isso, na hora de efeito da erva, te deixa com a visão de um bebê, literalmente, você enxerga tudo com a visão de como as coisas são a partir de um olhar nu, é meio difícil de explicar, mas acho que você entendeu.

      Enfim, as pessoas que tiveram experiências com essa erva relatam que viraram um tipo de niilista existencial depois disso, mas não de um jeito depressivo, mais como uma harmonia individual com o universo...mó doido.


      Por quê estou contando isso? Sei la, achei interessante rs.





      Mó engraçado, quando tenho um sonho, a primeira coisa que faço quando acordo é escrever a primeira coisa que lembro, ai conforme o dia passa eu vou lembrando o resto...e aí boom, digito e vem parar aqui kkkk.



      Ancioso pelo seu relato sr.

      Excluir
    20. Do nada o cara vem falar das dorgas. rs.

      Eu tive um sonho sobre máquinas esses dias, mas é porque to jogando muito TFT... mas ainda estou esperando algo deveras irado pra comentar.

      Excluir
Emoji
(y)
:)
:(
hihi
:-)
:D
=D
:-d
;(
;-(
@-)
:P
:o
:>)
(o)
:p
(p)
:-s
(m)
8-)
:-t
:-b
b-(
:-#
=p~
x-)
(k)