ArquivoMorte

PesquisaMorte:

domingo, 15 de outubro de 2017

O Filme Achado de Hoje: The Houses October Built 1 & 2

Faz tempo que não falo de found, mas bora quebrar o silencio...

Hoje falarei de "The Houses October Built", filme de 2014 que eu já tinha visto algumas vezes mas esqueci de postar. De quebra, falarei de "The Houses October Built 2", que acabou de sair (2017).


Espero não estar enferrujado, e tentarei ser bem objetivo neste post.

Spoilers, como sempre.

Boa leitura



Halloween, um dia em que a criançada sai de noite atrás de doce, enchendo o saco da vizinhança, ameaçando torturar quem não os alimentar, com pegadinhas irritantes, enquanto os adultos dão doces, vão em festas a fantasia onde só rola bobagem, ou viajam pra Casas do Terror, locais temáticos preparados para aterrorizar quem os visita... isso tudo na America do Norte, pois aqui no Sul, no Brasil, não existe halloween... nós temos Carnaval, onde só rola a put4ria mesmo. Na America Central tem "El dia de los Muertos" que é basicamente enfeitamento de caveiras e glorificação aos mortos. A semelhança entre os três ta no fato de serem eventos de grande porte e com uma temática que inclui fantasias... Halloween é uma festa para acalmar os seres do outro mundo; El dia de los Muertos é uma festa para homenagear os mortos; Carnaval é a festa da carne, que é uma desculpa pro brasileiro ver mulheres nuas de boa, ouvir samba, tapear os gringos vendendo as coisas mais caro e por fim, ter 1 semaninha de folga, gratuitamente.


Existem vários filmes que adotam esse dia tão legal, o Halloween, e também o dia dos mortos, mas não tem nenhum filme decente que fale do Carnaval... (Tem Rio 2, mas ele é mais focado nos passarinhos) tirando alguns de sites de entretenimento adulto... o gênero "terror" passa longe de ser explorado por aqui... mano... como eu gostaria de participar do halloween...

Na verdade, eu já participei de algo parecido com as Casas do Terror. Aqui tem muito parquinho itinerante e as vezes tem umas casinhas com trilhos de susto, mas algo que eu participei, e foi divertido e em grande escala, foi a Noite do Terror do falecido Playcenter...



Como era legal... eu não usava óculos então não enxergava nada, mas me lembro da noite incrível que foi, quando no passeio da escola, antes das 8 horas, o parque foi tomado por pessoas fantasiadas que assustavam... tinha alias o Castelo dos Horrores, que ficava aberto o dia inteiro, mas precisava pagar pra entrar, e na época eu só tinha o dinheiro do lanche... mas poxa, durante a noite os monstros saiam tudo... era irado.



Nesse mesmo dia eu fui 7 vezes na montanha russa invertida (Boomerang)... porque a fila tava vazia (algo raro) justamente por causa da noite do terror. 

Existe outro parque grande chamado Hopi Hari, mas nunca fui la... que tem a "Hora do Horror". Acho que vou levar meus irmãos la... (boa ideia...) enfim...

Esses dois filmes, no estilo found footage com mockumentary, são de terror psicológico leve, e buscam mais informar do que aterrorizar. Eles são documentários que contam sobre as Casas do Terror, e tentam ilustrar até que ponto o pessoal vai em prol do medo.

Tanto pra desfrutar, quanto pra oferecer o medo, nessas casas de terror vale tudo, pra garantir o susto. As vezes, rola até exageros, ferindo o bom senso e os visitantes. Existem limites dentro da moralidade e segurança, mas... num dia em que todos estão suscetíveis ao terror, as coisas podem sair completamente do controle... e é isso que NÃO vemos nesses dois filmes.

Aqui a coisa é bem levinha mesmo, e se fica alguma dúvida ou apreensão no final do primeiro filme, tudo isso some completamente logo no começo do segundo filme.

Eu poderia facilmente listar vários founds que tratam de halloween ou do dia dos mortos, e são impactantes e aterrorizantes, mas vou deixar isso pro halloween. 

Esses dois filmes respeitam o gênero, são divertidos de assistir e podem te deixar meio, pensativo, e com um pouco de inveja dos norte americanos (como eu fiquei)... mas medo medo, isso passa longe. Na real nem mesmo os sustos parecem funcionar, onde aquela formula padrão de jump scary é usada constantemente, com direito inclusive à Efeitos Sonoros... e rola até música de background, mas eu não acho que aqui isso seja um erro ou desrespeito com o gênero, pois o foco é o lado "mockumentary", e nesses casos vale usar e abusar da edição de continuidade e som (nada de efeitos especiais, isso é feio).

E, sendo sincero, ambos os Houses October são perfeitos nesse sentido. Não há nenhum efeito especial, é tudo gravado de forma realista, e ainda assim, tem um ou outro momento em que da umas fisgadas na região do cérebro que alimenta o medo... tem uns momentinhos bem desconfortantes e até assustadores, mas logo passam.

E bem, apesar dos dois filmes tratarem de um mesmo assunto e terem os mesmos personagens, ambos seguem por linhas distintas, tratando especificamente de dois temas comuns, porém separados: Limites e Consequências.

The Houses October Built  


No primeiro filme acompanhamos um grupo de jovens adultos, formado por 4 homens e uma mulher, que é a irmã de um deles, mas não faço ideia de qual. O objetivo do grupo é viajar pelo país, atrás de casinhas do terror de alto nível, que sejam efetivas em realizar o que é proposto: Deixas suas calças borradas.


Eles visitam algumas, cada uma contando com vários efeitos bem legais e recursos aterrorizantes, mas nada parece saciar os caras, e apenas a moça fica com medinho de tudo. 


Porém, logo na primeira casa, as coisas já começam a desandar, pois o grupo de assustantes fica irritado com a insatisfação de seus clientes, e decide persegui-los para, no halloween, dar a eles exatamente o que eles procuravam: Traumas.


Alias, um dos maiores e principais objetivos desse grupo era encontrar o Blue Skull, um grupo secreto de pessoas que produzem as casinhas, e costumam ser bem amedrontadores, e no fim eles conseguem... mais ou menos.


Bem, o tema é esse, e ele se desenvolve e encerra perfeitamente, deixando até uma dúvida no ar (que é respondida no outro filme) e, tecnicamente, ele é incrível.


Ao longo do filme, há entrevistas com pessoas que trabalham nessas casas, explicando seus métodos, falando de suas dificuldades e também táticas para conseguir arrancar gritos das pessoas, e conforme o filme avança, a questão proeminente é se há limites pra esses métodos.


Normalmente, os caras podem gritar, ameaçar, pular, fazer caretas, mas, não podem encostar nas pessoas, pois dependendo da pessoa e do local, isso pode gerar acidentes horríveis. Entretanto, algumas casas do terror dão liberdade pra seus "atores" e, alguns acabam indo longe de mais, puxando, empurrando e até ferindo quem ta ali só pra tomar sustinhos.


Entre uma entrevista e outra, a história principal, do grupo explorador, mostra justamente eles sendo vítimas de um grupo enorme de assustadores, que por sua vez, não apenas dão sustos, provocam e ameaçam, como também perseguem, invadem a privacidade e no fim, até torturam fisicamente, para arrancar os tão desejados berros.


Mas ninguém se machuca de verdade, por sorte, é tudo apenas encenação, por parte do grupo da "Caveira Azul", que alias, é mostrado como um verdadeiro clubinho do terror. Tem até uma parte no filme em que todo mundo aparece na frente do trailer dos caras, e são mais de 50 pessoas fantasiadas, que somem do nada. Isso demonstra que a comunidade do medo é muito unida, e não leva desaforo pra casa não. 


Em certa parte do filme, o grupo chega a ser confrontado por um palhaço, por estarem gravando onde não devem, mas tudo parece ser apenas parte de um plano maior (que na verdade é mesmo, mas é explicado no outro filme). 


Tem uma moça, vestida de boneca (meu, ela é medonha) que aparece e protagoniza os momentos mais tensos, e ela nem fala direito (o máximo que disse foi "Quer brincar?"). 


Tudo serve pra torturar a caravana, e como era exatamente isso que eles buscavam, todo mundo sai ganhando, exceto a pobre moça do grupo, que era na real a vítima principal.


Que ela era um alvo do grupão assustador, isso é um fato. Eles chamam ela por nome, acariciam seu rosto enquanto todo mundo dorme, ameaçam ela de estupro, e isolam ela completamente do grupo, levando cada carinha pra um local onde eles exploram e se assustam, enquanto ela é simplesmente confinada, encaixotada e enterrada, viva.


Os 4 caras também são postos em caixões, mas são caixões diferentes, forrados, bonitinhos, enquanto o da mina, só o dela (que por sinal era claustrofóbica) é sujo, sem forro, e com pedaços de carne e sangue jogados por dentro (na real só são mostrados 3, pelo menos que eu notei, e o 4° seria o cara que foi sequestrado pelos Blue Skull, e aparentemente morto... mas ele não foi morto, isso é explicado no outro filme).


Só é mostrado ela sendo enterrada viva, e da pra saber que é ela pois os gritos abafados pela terra são audíveis, e compatíveis com os gritos dela mostrados no caixão, ah, e sim, todos tem câmeras filmando.


Na verdade, o grupo tem 1 câmera manual e várias instaladas pelo trailer. Eles filmam tudo, mas não são os únicos. A galera da caveira azul também usa câmeras, bem mais alias, e as vezes nós assistimos pela perspectivas deles, sem que isso faça grande diferença. Alias, foram eles quem divulgaram as fitas (tem que ter uma razão pros filmes virem à público).


E bem, eu não creio que seja preciso contar a história, pois ela se resume em viagem, sustos, e um final sem conclusão, com todo mundo em caixões, vivos, e só a mina sendo enterrada pelos caras de máscara de caveira azul.


A questão do "limite" é essa, pois os caras pegam pesado, e obtém sucesso em seus objetivos, mas as vítimas ficam traumatizadas na certa, isso se não morrerem de insuficiência cardíaca, pânico ou até suicídio... são atitudes inconsequentes de mais... 


Por exemplo, essa cena, é o momento em que a mina ta sendo levada de carro para o local onde será enterrada... totalmente dopada e em choque, pelo menos é isso que da a entender. Acho legal registra-la pois no segundo filme ela é reutilizada. Essa cena também é usada no começo, antes do filme anunciar que as filmagens foram reveladas pelo grupo Blue Skull...


E é isso... se liga no trailer (mas tem o filme completo no youtube, só procurar)


Próximo...

The Houses October Built 2



O segundo filme quase me enganou no inicio. Ele começa parecendo ser outro gênero, e devido ao histórico de outros found footages que abandonaram o gênero em continuações, eu nem me espantei, porém quase deixei de assistir logo no comecinho. Eu fico revoltado quando isso ocorre, pois os filmes são bons por serem founds, eles ganharam continuações por terem sido founds, não há lógica em trocar o estilo assim, do nada...



Mas muitos fazem isso. Da a entender que os produtores fizeram em formato found footage por falta de grana, mas quando o dinheiro entrou pelo sucesso, eles decidiram fazer o que realmente queriam e ai, vira um monte de estrume. Por sorte, October Built 2 apenas faz parecer que se desapegou do formato, com uma câmera sobrevoando locais e se aproximando de uma casa que faz parte do enredo (é a casa da mina do filme anterior)...



Na real, isso é explicado dentro do filme, com os caras usando um drone (moda rs) pra fazer filmagens contemporâneas. Isso não é uma exclusividade do inicio, e esse tipo de filmagem ocorre várias vezes, pra enriquecer o filme, pois ele ainda mantém o foco de ser "mockumentary". 



Ai ganha aqueles descontos sabe, pode ter trilha sonora sem exagero (e tem), pode ter edição de continuidade muito bem feita e pensada (e tem), pode até ter comentários externos de gente que não ta no filme (e tem). 



Bem, os personagens são os mesmos do filme anterior, e a história se passa depois do filme anterior, ou seja, geral ta vivo. 


A mina enterrada na verdade não tinha sido enterrada de verdade, foi só pelo filme, e é mostrado ela sendo resgatada por um policial, ou mais ou menos.


No caixão, não tinha nada além de uma câmera e algo que produzia o som dela...


Na verdade ela estava no porta-malas do carro, e não no caixão. A última cena do filme estava editada, arranjada de forma que parecia que a mina tava em pânico no caixão, mas ela tava em pânico no carro.


O primeiro filme, era mesmo um filme, e fez fama. Na realidade, os caras publicaram o vídeo da mina sendo enterrada viva, no youtube, e fizeram muito sucesso. 


Ao que da a entender, eles não tiveram nada a ver com as filmagens acidentais, mas faturaram grande com isso, então, decidiram repetir a fórmula, com mais uma viagem pelo país visitando casas do medo, até o halloween.


Alias, eles fazem questão de recontratar a moça... e sim, ela é uma atriz. 


Inicialmente ela se recusa a repetir a participação por conta do trauma, mas é convencida pela grana.


E ai, rola a grande viagem, que dessa vez conta com vários eventos diferentes e divertidos, como uma gincana do terror, uma convenção, concurso de comida, e claro, as casas de horror.


Mas, o que eles não sabem é que estão sendo seguidos pelos Blue Skull, gravados à distância...



Legal que os caras filmam em cor azul, e eles tem acesso a coisas bem caras, por exemplo, na gincana do terror tem um helicóptero sobrevoando, o que parece parte do evento...


Mas na verdade são os Blue Skull filmando a galera do filme.



O legal é que ver o helicóptero me fez até pensar "Caramba os caras tem até helicóptero!" com relação aos desenvolvedores do evento, mas na real eram os caras da máscara, o que só reforçou minha exclamação ainda mais! Mas beleza, os caras continuam a perseguição, inclusive tem um corajosão que se pendura no trailer do grupo...


Mas beleza, os caras continuam sua exploração...


Seguidos o tempo inteiro sem saber...


Na verdade, as vezes eles deveriam ter se tocado pois, sabe aquela mina estranha mascarada? Ela aparece rapidinho e o cameraman se assusta, mas nem comenta...


Isso é explicado perfeitamente com o final, que é o seguinte:


Depois de uma casa do terror, eles acampam e dormem de boa... daí durante a noite os caras da máscara azul aparecem e enchem o trailer de gás do sono.


Ai eles sequestram o trailer e levam pra outro local, na frente de uma casa do terror da Blue Skull, e deixam o grupo dormir e acordar pra se espantar com a surpresa.


Assustados e confusos, os caras resolvem seguir os palhaços e entrar na casa misteriosa.


La dentro eles só encontram tudo vazio, sem nada pra assustar, além dos vários palhaços indicando o caminho...


Então os caras misteriosos pedem pra eles vestirem casacos com capuzes que revestem a cabeça inteira...


E eles ficam parados, com luz negra iluminando o casaco (e formando caveiras azuis)...


E ai aparecem caras por trás de degolam todo mundo...


Mentira eles só usam aquele negócio que faz dormir quando respirado.


Todos os caras somem, e só sobra a mina. Daí ela sai pela casinha buscando seus "amigos".


Um ela encontra tendo o braço decepado pelos caveiras, enquanto grita de dor.


Outro ela encontra sendo queimado vivo... na verdade só a cabeça sendo queimada...


E ai ela vê mais um enforcado...


Ai ela pira, consegue bater em um dos caras da caveira que estava forçando ela a se mover, e estava filmando tudo, pega a câmera e foge.


Na fuga, ela chega num quarto com algumas minas mascaradas, inclusive aquela do filme anterior...


Que pede pra ela entrar numa sala... e logo em seguida ela é mostrada correndo do lado de fora da grande casa...


Seguida por câmeras por toda parte (mas ainda mantendo o estilo, eram câmeras distantes) e ai ela é encurralada pelos caras da caveira azul, que deixam um caixão pequeno na frente dela, pra ela abrir.


Quando ela abre, tem uma arma, ela pega e aponta pra todo mundo.


Automaticamente os 4 caveiras que a cercavam tiram as máscaras e começam a suplicar pra ela abaixar a arma e se acalmar. Alias, eram os 4 "amigos" dela.


Eles ficam perplexos, dizem que era pra ter dinheiro no caixão, dinheiro pra ela... mas ela não se importa, ta em choque, pega a arma e atira contra a própria cabeça.


Daí é mostrado o que houve no quarto que a mina pediu pra ela entrar...


Tinha um projetor e um vídeo dos caras, mostrando que eles haviam planejado tudo, e estavam por trás de todos os sustos...


Ela fica irritada, e a moça da máscara diz pra ela sobre a pegadinha final, que ela faria, fingindo dar um tiro em si mesma...


É isso que ela faz.


Depois que os caras ficam com muito medo dela ter se matado, ela levanta, 100% putaça, e critica eles.


E fim...


Alias, tinha um quinto cara, que se mantém mascarado e imóvel o tempo inteiro. O Drone das filmagens sobrevoa sua cabeça...


E ai rola uma cena no final, mostrando ele rearranjando umas placas, com um anagrama do grupo Blue Skull, e faz um jumpscary tosco.


Da a entender que a blue skull existia mesmo, e não estavam curtindo as pegadinhas dos caras, e decidiram boicotar de forma saudável...


E fim... agora sim. Alias o nome correto é "blue skeleton" mas eu chamo de "blue skull" por que eu quero.

Então, o filme é isso ai. Ele não é ruim, é até bem divertido, e a moral da história é: "A mina mascarada é dedo duro".

Heh, zoera... a ideia seria "consequências". Os caras brincaram e quase geraram uma catástrofe. Tudo acabou bem, e não ocorreu nada sério de mais, por sorte, mas no fim, o que entende-se é que o grupo secreto de fazedores de casinhas de susto realmente existia, e estava incomodado com esses 4 caras, e deram o troco com ajuda da mina, no último instante.

Aqui o trailer...


Tudo poderia ser ainda pior? Sim, pois imagina se a mina da máscara tivesse posto balas de verdade na arma!? Imagina se os caras da máscara azul quisessem ferrar de verdade com os 4 "jokester"?! Alias, interessante deixar essa palavra aqui, pois tem um outro filme com a mesma ideia, mas que não termina nada bem... eu falarei dele um dia... alias, "Jokesters" também trata de pegadinhas que terminam mal, e tem caveiras no meio... sinto cheiro de plagio (por parte do october built... pois saiu depois... mas na verdade as histórias são muito diferentes então, deixa quieto).


Enfim, é isso.

Eu to fazendo um texto sobre Zelda e mais um outro game que to jogando, mas por hora, espero que tenha curtido. Fazia tempo que eu não falava de filmes... 

See yah!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

CadastroMorte

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner