ArquivoMorte

PesquisaMorte:

quarta-feira, 22 de junho de 2016

O Filme Achado de Hoje: The Atticus Institute.

Enquanto digitava uma análise sobre um jogo, deixei a televisão ligada e após um filme do Mr. Bean, mudei de canal e vi que no Tele Cine Premium começou um Found Footage, que a pouco tempo eu assisti, e tinha deixado o texto de lado... creio que isso foi um sinal para que escrevesse logo, então, segue a análise sobre "O Misterioso Caso de Judith Winstead", como foi traduzido o título "The Atticus Institute" (Tudo haver! No Brasil há o péssimo habito de dar títulos reveladores de mais pros filmes).

The Atticus Institute


Como sempre, há spoilers, e basicamente contarei a história do filme enquanto "critico". Mas ele é bom, já adianto.

Boa leitura.



Esse é um dos bons filmes que mencionei no "Filme Achado de Hoje" anterior, pois apesar de ser simples, ele tem seus méritos. 

Trata-se de um found ao estilo "Mockumentario", um falso documentário com direito a entrevistas, imagens "reais" e gravações macabras.


Mas, apesar de muito simples, o filme consegue surpreender justamente por usar de forma magnífica o estilo found, e falso documentário.

Na real ele prende a atenção fazendo algo incrível, que é mostrar a própria falsidade e destaca-la, como parte do enredo, pra depois surpreender com algo inesperado. É genial, e funciona bem.


O filme não se trata do "Caso da Judith Winstead" como traduziram, ele se trata justamente do Instituto Atticus. O título em si faz parte do filme, ele funciona como uma âncora para o espectador... menosprezar isso é uma das coisas que me faz optar sempre pelo áudio e título original de found footages. Infelizmente, esses filmes "simples" não são devidamente interpretados quando traduzidos, e infelizmente perdem parte da mágica.


Pois bem, efeitos especiais existem aos montes, mas todos são incorporados à trama, então são todos válidos e muito convincentes. Eles se encaixam.

Edição, é algo que mockumentarios tem direito e liberdade pra usar livre e discriminadamente. Trilha sonora, diálogos, legendas, fotos, tudo isso faz parte dessa ramificação de found, e funciona muito bem em "The Atticus Institute", servindo como parte significativa da história.

Mas, há suas falhas. Preciso destacar uma:


Numa parte do filme, ocorre o clássico jogo de câmeras, em que várias câmeras de segurança filmam diferentes cômodos ao mesmo tempo, e as imagens passam uma a uma, sempre num ciclo/loop, e uma delas acaba mostrando algo estranho, fazendo com que o espectador foque e aguarde até a imagem ser mostrada novamente, pra ser surpreendido.


Isso é bem usado, com uma boa sincronia entre as câmeras, onde uma dentre 4 ou 5 câmeras fica no quarto da paciente paranormal, e um dos médicos acaba vivenciando um momento bem bizarro em que a assustadora paciente se levanta, caminha até ele e o quarto todo revira. 


Pois bem, a falha disso está basicamente depois que um comentário é feito, onde o cara encerra dizendo algo como "Depois o cara nunca mais voltou." e a filmagem dela voltando pra cama é mostrada, sem variar, sem mudar pras outras. Somente a imagem dessa câmera é mostrada, por um tempo muito maior que durante o ciclo. Isso faz os atentos se perguntarem "Por que então não deixaram só a filmagem dela levantando? Porque mostrar as câmeras variando se era possível estagnar em uma única?" Seria, com toda certeza, mais crível e convincente se a filmagem fosse mostrada por completo. Mas na real, ocorre a transição pra causar o efeito surpresa... o que é meio que ofuscado pela filmagem pós cena. 


Mas, tirando isso, o filme é legal... não assusta, mas tem seu mistério... e como disse na última análise sobre found footages: Mistério é uma das cartadas certeiras.

Bem, segue a história agora:

The Atticus Institute

A história começa como todo documentário, fotos e comentários sobre algo estranho, onde é revelado que um instituto paranormal que buscava estudar casos paranormais era fajuto, e os casos eram todos manipulados.


Além disso, é revelado que um dos médicos, o principal responsável pelo instituto, havia sido acusado de fraude e quase havia falido, até que um caso real surgiu, o de uma mulher, a tal Judith.


O filme passa pra vários comentários sobre o dia a dia com essa paciente e seu caso, bem como as paranormalidades trazidas com ela. 



O próprio documentário se da ao trabalho de editar as filmagens e imagens, destacando os pontos mais assustadores. 


Então, depois de muitas coisas estranhas narradas pelas pessoas que viveram a ocasião na época (o caso era antigo, as filmagens também, todas, e todas são bem realistas...), o governo se envolve.


Daí vário militares tomam controle do instituto, mantendo os registros e tudo mais, porém mudando o foco de mero estudo e observação pra adaptação militar.


Aos poucos, vai sendo revelado que os militares queriam usar os poderes de Judith como arma, e ao mesmo tempo eles descobrem que os poderes dela não eram exatamente dela, mas de um demônio que a possuiu. 


Eles tentam usar o demônio dentro dela como arma, e usam de tortura e estímulos elétricos pra tentar forçar cooperação da entidade. 


Mas, começa a ficar óbvio que na verdade o demônio estava manipulando todos ali, e no final, quando tentam exorcizar ela com um padre equipado militarmente (um padre de máscara de gás mano, isso é top rs), 


Com o intuito de transferir o demônio dela, pra um soldado, tal qual eles poderiam remover do Instituto e levar para instalações militares melhor equipadas.


Da tudo errado, geral se ferra, mas pelo menos o demônio deixa a pobre mulher... 


Pra ir pro corpo do doutor dono do instituto... 


Tal qual caminha entre os corpos desmaiados das testemunhas e destroços, e mata a pobre garota.


Depois disso o cara some, nunca mais é visto, deixando sua família e fim. O documentário termina.


E fim.

Como eu disse, esse filme é bom, ele é realista, ele surpreende, ele prende a atenção... e é um dos melhores Mockumentarios que já vi. Mas ele não é "assustador", só é surpreendente.

Ah, antes que me esqueça, no filme é mencionado "Nina Kulagina".



Até tem imagens mostradas, e é citado que o instituto queria encontrar a sua Nina Kulagina. No caso, ela foi uma moça que conseguia usar psicocinese, de verdade. Pelo menos parecia real. 



Ela era muito estudada, e sempre fazia testes. No filme, há uma parte que os militarem pedem pra Judith parar o coração de um sapo vivo, e aberto, tal qual explode e logo em seguida, o mesmo ocorre com um cão policial no laboratório (O que ele fazia la? Ele curtia essas paradas paranormais).



Isso é uma referência muito clara a Nina, pois um de seus testes mais convincentes foi justamente parar o coração de um sapo, e em seguida ela quase fez o mesmo com um cientista (a pedidos dele, louco não?!). Só não fez porque pararam o experimento.


Ela morreu de parada cardíaca e o mundo nunca soube como seus poderes funcionavam. De certa forma, a explicação desse filme é boa... demônios... mas eu prefiro pensar que Kulagina foi a primeira X-Men do mundo real.

Segue um vídeo sobre ela, que inclusive questiona a veracidade de seus poderes e das filmagens.



É isso, até a próxima!


4 comentários:

  1. Depois de um intensivão ajudando os amigos nos exames entrei de férias. Continua com as análises muitos boas(depois tenho que me lembrar de ver a do The Walking Dead) e queria fazer uma pergunta:
    Conhece um blog chamado"Boca do Inferno"?Eles acabaram de postar uma lista com os melhores e desconhecidos Found Footage e tem alguns que nunca ouvi falar.
    Apenas Shady,vou tentar descansar um pouco e Cheers!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Yah sr, conheço esse blog sim, não sou um "infernalta" mas vira e mexe pego algumas dicas de la pra assistir. Quanto a lista, a única que achei foi a com todos os filmes que eles analisaram até hoje no estilo found... é uma lista em tanto... mas conheço todos os filmes dela... e aqueles que eu não falei é porque não são legais.

      Bem, eu preciso postar o final de TWD Michonne.

      Bom descanso sr. Cheers!

      Excluir
  2. Os poderes da tecnologia são mil vezes mais funcionais, eficientes e eficazes, principalmente para espionagem, descobrir assassinos e todos os demais tipos de criminosos. Se as polícias do mundo utilizassem todos os recursos tecnológicos disponibilizados pelos cientistas não haveria um só criminoso livre. As mulheres médiuns que eventualmente ajudam a polícia a desvendar crimes fazem leituras muito fragmentadas, e desgastantes para elas próprias. Nem sempre atingem bons resultados. O processo é aleatório. Câmeras de segurança, DNA, luminol, digitais, torres de celulares, internet, e milhares de outras ferramentas da ciência são plenamente eficazes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza, a ciência atual nos disponibiliza acesso a todo tipo de informação e isso facilita em muito o trabalho investigativo. Já passou a época em que contar com o sobrenatural era algo "aceitável"... hoje em dia pode-se até considerar risível.

      Excluir

CadastroMorte

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner